Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Emprego

152 vagas do concurso de 2014 da Prefeitura de Parauapebas ainda não foram ocupadas

A espera das "oportunidades", sindicato reúne aprovados no concurso que aguardam a vaga

Nesta quarta-feira (11) o Sindicato dos Servidores Públicos de Parauapebas (Sinseppar) convocou os candidatos aprovados no concurso de 2014 para a Prefeitura de Parauapebas. O objetivo foi apresentar as ações que estão sendo desenvolvidas junto à nova gestão para acelerar a convocação dos candidatos e, dessa forma, ocuparem as 152 vagas que ainda estão disponíveis. O prefeito Darci Lermen esteve presente na sede do sindicato, porém não participou da reunião.

“A nossa prioridade é zerar logo essas vagas. Por isso, no primeiro dia de trabalho deste ano encaminhamos ofício para o gabinete do prefeito solicitando agendamento de reunião para tratar do assunto. Também conversamos com o responsável pelo CTRH, que nos garantiu a convocação de todos os candidatos necessários para ocupação das vagas”, informou o presidente do Sinseppar, Carlos Alessander.

Além disso, os dirigentes sindicais estão realizando reuniões com todos os gestores de pastas visando sensibilizá-los para a urgência de realizar levantamento de suas necessidades de pessoal para dessa forma contribuir com a celeridade na convocação. Apesar de todas as explicações fornecidas pelo sindicato, muitos candidatos cobraram uma ação mais energética e informaram que vão realizar movimentos paralelos para pressionar o governo quanto à convocação.

“Nós, os aprovados, temos que saber para onde vamos e quando vamos, quais ações faremos no sentido de pressionar o governo. Contaremos com o apoio do sindicato para brigar por nossos direitos? Estamos há quase dois anos nesta peleja”, disse um dos candidatos durante a reunião.

O presidente do sindicato afirmou que tem buscado o diálogo primeiramente. Porém, após o fechamento da folha de pagamento referente ao mês de janeiro irá verificar quais os cargos tiveram pessoal contratado e, caso sejam constatadas irregularidades, acionará juridicamente a Prefeitura. “O governo garantiu que contrataria apenas para os cargos não ofertados em concurso. Vamos acompanhar isso de perto”, informou Carlos Alessander.

“Eu achei interessante essa iniciativa do sindicato de nos passar todas essas informações e principalmente de lutar junto ao governo para que possamos ser convocados. Se não fosse assim, não teríamos força sozinhos. Faz a diferença ter o sindicato nesta briga. É uma mão na roda”, disse a candidata Maria Luzanir Nascimento Araújo, técnica de enfermagem, aprovada na colocação número 190 e que espera ser convocada.

O caso dos enfermeiros e técnicos de enfermagem

De acordo com Carlos Alessander, em 2015, uma Lei municipal ampliou o número de vagas nas áreas de enfermagem. Porém, depois da inauguração da UPA, do posto de saúde do bairro dos Minérios, Policlínica e Hospital Geral de Parauapebas (HGP), o total de vagas disponibilizadas por lei (110 enfermeiros e 390 técnicos de enfermagem), não foi suficiente para atender toda a demanda.

“Inauguraram novos serviços, porém se esqueceram de planejar o quantitativo de pessoal para esses novos postos de atendimento”, informou o dirigente sindical. Só no HGP são mais de 200 profissionais nas áreas de enfermagem.

Quando questionado pelos candidatos sobre a grande demanda na rede pública de saúde e o número insuficiente de vagas ofertadas na legislação municipal, Carlos Alessander informou que a ampliação de postos de trabalho só pode ocorrer mediante nova Lei. O caso da terceirização do gerenciamento do HGP também foi muito questionado.

Outra falha apontada neste caso por técnicos da área é relacionada à formatação do concurso. “Eles deveriam ter descrito no edital o direcionamento de profissionais com experiência em UTI e Hemodiálise. Não basta ser enfermeiro. É preciso ter especialização e de preferência experiência para atuar nestas áreas”, informou um profissional de enfermagem que atua na UTI do HGP.

Novos concursos e reforma administrativa

“É importante e necessário, com urgência, uma reforma administrativa da Prefeitura e do PCCR. Quando assumimos o Sinseppar haviam apenas 980 servidores concursados. Hoje são 3.800. Isso é fruto de muita luta da nossa categoria. Precisamos avançar neste sentido, até moralizar o serviço público municipal. Já conversamos com o secretário de finanças e com o gestor do Departamento de Arrecadação Municipal (DAM) e possivelmente ainda neste semestre deverá ocorrer concurso para as áreas de arrecadação”, antecipou o presidente durante a reunião.

Comentários ( 2 )

  1. sera 153 se eu for empossado antes de abril pois passei para eletricista no saaep e sobrara mais uma vaga na prefeitura e ficara oito cargos vagos para eletricistas

Deixe uma resposta