Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Águia de Marabá completa hoje (22) seu 35º aniversário. Conheça um pouco mais da história do clube

A equipe azulina chegou a disputar a Série C do Campeonato Brasileiro de 2008 a 2015, mas atualmente participa da Série D e da Copa Verde.

Fundado em 1982, o Águia de Marabá comemora 35 anos neste domingo, 22 de janeiro. Clube de história recente, recebeu apoio de empresas locais e associou-se à Federação Paraense de Futebol em 1999, mesmo ano em que as torcidas Filhos e Amigos de Marabá e Torcida do Águia de Marabá se juntaram para dar origem a TOAM – Torcida Organizada do Águia de Marabá.

A equipe azulina chegou a disputar a Série C do Campeonato Brasileiro de 2008 a 2015 mas atualmente participa da Série D e da Copa Verde. Na galeria de conquistas do time paraense estão:

          – Campeonato do Interior (2000/01);

          – 1º turno da Taça Cidade de Belém (2008);

           – Taça Estado do Pará (2010).

No Ranking de Clubes CBF de 2017, o Águia de Marabá foi classificado na 61ª colocação.

História

O Águia de Marabá Futebol Clube foi fundado em 22 de janeiro de 1982, sob o nome de Águia Esporte Clube e teve como primeiro presidente, o desportista Emivaldo Milhomem, que contou com o apoio de Valtemir Pereira Lima, o Bezourão, para fundar a agremiação que foi criada para disputar o Campeonato Marabaense da Segunda Divisão daquele ano. O time era composto por jogadores amadores, sendo os mais destacados: Déca, Gamito e Keneddi. A equipe ganhou o título da Segunda Divisão em 1984, cuja conquista deu à equipe, o direito de disputar o Campeonato Marabaense da Primeira Divisão, no ano seguinte.

Primeiros anos e profissionalização

Nesta etapa de sua história o Águia teve como presidente José Atlas Pinheiro. Neste período o time conquistou três títulos municipais nos anos de 1989, 1992 e 1993, além de quatro vices campeonatos em 1988, 1994, 1996 e 1998. Quando do último vice-campeonato, o presidente já era Jorge Nery, que, procurado pelo vereador Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, no ano de 1999, concordou em profissionalizar a equipe. A proposta ganhou apoio do então presidente da Federação Paraense de Futebol (FPF), Antônio Carlos Nunes, da Companhia Vale e do empresariado local.

Em 2000, no ano seguinte como profissional, o Águia conquistou o título da Copa Ferreirinha, torneio criado para homenagear o idealizador da profissionalização do time, e disputado por equipes dos estados do Maranhão e Tocantins, além do time anfitrião, que no ano seguinte ficou em segundo lugar do torneio, tendo perdido a final para o Clube do Remo..

No Campeonato Paraense de Futebol de 1999 o time terminou entre os quatro melhores colocados, com um plantel forte, onde se destacavam: Marcos Garça, Damião, Berg, Paulinho Santarém, Gilberto Pereira, Maurinho e Corujito; este último marcou três gols na competição e sagrou-se artilheiro da equipe no campeonato.

Nos dois anos seguintes, o time sagrou-se campeão do interior, título dando a equipe interiorana melhor classificada no campeonato estadual, e justamente devido a este boa performance no torneio, a equipe marabaense garantiu direito de disputar a Série C do Campeonato Brasileiro, onde teve atuações discretas, porém, acima da expectativa da diretoria e torcida aguiana.

Década da consolidação: 2002 – 2012

Em 2002 o time não teve boa participação no certame estadual, e terminou a temporada sendo treinado pelo diretor de futebol João Galvão. No entanto sob o comando de Galvão a equipe realizou a uma grande façanha, que foi a conquista da Copa MaPaTo (conjunto de siglas para Maranhão, Pará e Tocantins), o título regional mais notório da equipe.

Em 2008, quando a equipe conquistou acesso ao Brasileirão – Série C, o Águia teve seu período de maior regularidade, somando oito participações consecutivas. Em 2008 a equipe passou muito perto de ascender á Série B, ficando em quinto lugar geral (somente quatro subiam).

Neste mesmo ano, 2008, a equipe ganhou a “Taça Cidade de Belém”, equivalente ao primeiro turno do estadual, ficando com o vice-campeonato após disputa com o Remo. Em 2010 o time conquistou a “Taca Estado do Pará”, título do segundo turno do certame estadual. Contudo ao disputar a final como Paysandu, perdeu a disputa pela “Taça Açaí”, o título do Parazão 2010.

Declínio e rebaixamento: 2013 – 2015

No Parazão de 2013 a pífia atuação do time rendeu-lhe o rebaixamento para a divisão de acesso do campeonato (primeira fase da primeira divisão estadual). Pelo Parazão 2013/2014 esteve disputando a “Taça ACLEP”, entretanto em mais uma atuação inglória, não conseguiu acesso a divisão principal, terminando o certame em terceiro colocado (somente as duas melhores equipes são classificadas).

Na disputa da Série C de 2014, passou muito perto de ser rebaixado, safando-se somente na última rodada. Neste mesmo ano, em sua pior campanha desde então, foi rebaixado para a Segunda Divisão do Campeonato Paraense.

Porém, na Série C de 2015, depois de perder para o Fortaleza por 4×1, o Águia foi rebaixado para a Série D do Brasileirão de 2016.

Parazão Série B

No ano de 2015, conseguiu, numa campanha invicta (pouco depois de sua queda à série D do Brasileirão), o título de campeão da Segunda Divisão do Parazão, vencendo São Raimundo por 1×0 no Zinho Oliveira.

Torcidas

Em 1999 foi organizado na Casa do Estudante Marabaense (CEMAB) em Belém, sob os auspícios dos estudantes e desportistas Denner e Donner, e mais dois amigos, Sidney Jr. e Jorge, a “Torcida dos Filhos e Amigos de Marabá”, que no ano seguinte se uniu à “Torcida do Águia de Marabá”, para realizarem a fusão que resultou na “Torcida Organizada do Águia de Marabá” (TOAM), que a partir daquele ano, passou a acompanhar o time durante as disputas oficiais e amistosas; a TOAM é a maior das organizadas do Águia.

Além da TOAM, destacam-se mais duas organizadas: Revolução Azul e Fiel da Folha 28

Deixe uma resposta