Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Saúde

Alerta: Parauapebas tem primeiro caso diagnosticado de morte por Febre Maculosa

Os animais soltos na zona urbana do município aumentam a chance de transmissão da doença, que é praticamente fatal

A Vigilância Sanitária de Parauapebas, órgão ligado à Secretária de Saúde do município investiga a morte de uma criança de dois anos de idade no dia 09 de maio, no Hospital Vida Mamaray, em Belém.

Sophia Lopes de Almeida deu entrada no Hospital Geral de Parauapebas em 28 de abril com febre elevada, cefaleia e mialgia intensa. Segundo os familiares, a criança foi vítima de uma picada de carrapato em sua residência, no bairro Cidade Jardim, em Parauapebas. “A mãe dela encontrou o carrapato grudado ao corpo e fez a retirada do bicho. Logo depois fez a assepsia com álcool”, disse ao Blog Sinara Albuquerque, tia e madrinha de Sophia.

Pouco depois a criança deu início aos sintomas, sendo levada a uma clínica em Parauapebas, onde, segundo a tia, foi diagnosticada como se estivesse com a garganta inflamada pelo médico que a atendeu. Como os medicamentos ministrados pelo médico não estavam fazendo efeito e os sintomas ficaram mais fortes, Sophia foi encaminhada para Belém por via aérea com suspeita de Meningite.

Porém, ao chegar no Hospital Mamaray, o diagnóstico foi de a criança havia contraído Febre Maculosa Brasileira, uma doença infecciosa, febril aguda, de gravidade variável, cuja apresentação clínica pode variar desde as formas leves e atípicas até formas graves, com elevada taxa de letalidade, causada por uma bactéria do gênero Rickettsia (Rickettsia rickettsii), transmitida por carrapatos.

Logo que soube do laudo da morte de Sophia, o diretor da Vigilância Sanitária de Parauapebas, Allan Werbert, abriu procedimento investigatório. “Soubemos que a criança esteve na Zona Rural de Parauapebas há alguns dias. Estamos verificando a residência e o bairro dela à procura de carrapatos e na segunda-feira uma equipe (veterinário, técnicos e agentes de endemia)  vai até a Comunidade 3 Voltas, na Zona Rural, onde a criança esteve”, afirmou o diretor.

A notícia de que uma paciente parauapebense faleceu vítima de Febre Maculosa liga um alerta na Secretaria de Saúde de Parauapebas. Com isso, a falta de um Centro de Zoonoses no município, para que todos os animais que circulam livremente nas ruas possam ser recolhidos, volta à pauta. Não há bairro de Parauapebas que se ande que animais (cães, gatos, cavalos) não são vistos. Promessa de campanha de vários ex-prefeitos e inclusive do atual, Darci Lermen, a construção de um Centro de Zoonoses ficou sempre nas promessas e precisa, finalmente, sair do papel.

A Vigilância Sanitária faz investigações para descartar a hipótese de futura epidemia, mas, o que se sabe é que a Febre Maculosa é quase sempre fatal. O que não se sabe é quantos carrapatos, se é que foi ele o transmissor, existem infectados com a bactéria no município. A literatura diz que a doença é implacável. Assim sendo, deveria a prefeitura também  ser implacável com os animais que perambulam por Parauapebas. Quando estes apenas provocavam a ira dos munícipes revirando o lixo era uma coisa. Agora o caso é de saúde pública e merece toda a atenção dos gestores.

Leia também: Parauapebas: Amostra de sangue de criança morta suspeita de febre maculosa segue para o Rio de Janeiro

Comentários ( 27 )

  1. Não existe animal de rua. Existe animais que pessoas inescrupulosas abandonam nas ruas. Agora pronto vão matar tds os animais em virtude da irresponsabilidade do ser humano

  2. O correto é vigilância epidemiológica. Ela que é responsável pela investigação e controle de doenças transmissíveis, não transmissíveis, entre outras diversas atribuições… Parabéns aos profissionais que compõe toda a vigilância em saúde do município…

    1. Devecter sido acao da vigilancia, epidemiologica mes mo e um erro na reportagem, vc pode ver que quem esra trabalhando na investigaçao sao os agentes de endemias e os veterinarios

  3. “… a prefeitura tem que ser implacável com os animais que circulam..” bacana até a parte informativa do blog, passou pra opinião pessoal estragou tudo..

  4. Seu zedudu faler a verdade pq nao foi na porra, da zona rural e sim em Parauapebas no bairro cidade jardim q carrapato ferrou minha, BB… Respeita a história da minha filha e fale a verdade ou eu jogo processo em vc ….como dinheiro compra as pessoas…. Gente isso e um alerta p nossa cidade
    Cuide das nossas crianças

    1. D. Ediane, nunca desrespeitei ninguém e tampouco a história da sua filha. Não disse que sua filha foi picada na zona urbana ou rural, o que eu disse foi o que a Vigilância Sanitária informou, que sua filha esteve na Zona Rural e por isso irão investigar lá (também). Quanto a processar-me,apesar de não ver motivos na matéria para tal, é um direito da senhora. Entendo o seu momento de fragilidade e por isso relevarei suas acusações. Fique em paz!

    2. Olá mamãe meus pêsames eu sei
      O quanto doe perder um filho tbm
      Acabei de perder minha Filha com
      Esses mesmos sintomas..
      Por ver a história da sua filha
      Que percebir que pode ter sido tbm
      Carrapato pois aqui em maraba
      Eles não descobriram na verdade
      O que tinha levado minha Maria Eduarda
      De um ano e dois meses a óbito..

      1. Aqui em Mãe do Rio, houve um caso de uma meninhinha que também faleceu, pelo que estavam falando, foi algo que picou ela, foi pra o hospital com febre e contraio meningite. Ouvi os comentários, mais nao sei se foi isto mesmo q houve.

    3. Meus sentimentos pela sua irreparável perda e sua dor. Imagino que muitas outras crianças podem ter sido vítimas dessa infeliz doença,sem sequer terem tido um diagnóstico. Tenho uma filha de 5 anos que brinca com nossas cachorrinhas e desde essa tragédia que não estamos mais tranquilos. Se puder nos informar após quantos dias apareceram os sintomas e quais os primeiros sinais da doença ficamos gratos. Que os profissionais da área da saúde possam dar mais ouvidos as preocupações da família e não descartam nenhuma possibilidade dessa doença. Deus lhe conforte.

  5. Nessa hora, não devemos encontrar culpados !
    Como Sanitarista, percebo que é cedo para dizer afirmativamente, tratar-se de Febre Maculosa !!!
    O material biológico a ser examinado, precisa ser encaminhado, de preferência ao Instituto Evandro Chagas.
    Após Laudo emitido por ele, ai sim, saber-se-a encaminhar os procedimentos necessários !
    Contudo, as Equipes de Endemias, Vigilância Sanitaria, Epidemiológica e Ambiental, precisam, mais do que depressa, com serenidade, estar em ação !!!

    1. Cedo meu amigo?
      Com todas as evidências relatadas?!?!
      Você como profissional dá área deveria ser o último a dar esse comentário…
      A criança foi picada por um carrapato,a mãe dela viu e retirou de seu rosto.
      Em seguida a criança teve todos os sintomas da doença e você ainda diz que precisa do laudo do material?!?!

      Você como profissional dessa área sabe que trabalhamos com busca ativa!!!

  6. A aqui na cidade jardim tem muitos animais solto e perto da minha casa tem dois cavalos e de vez em quanto aparece carrapato aqui em casa vindo do mato …n fico chateada com os cavalos e sim com os donos pois mora há 2 ruas distante da minha casa e deixar os cavalos no lote do lado da minha casa se quer ter animais porque algumas pessoas n cuidam ….cadê os vereadores pra nós ajudar nessa hora. ..tem que a ver alguma lei nesse município considero como abandono

  7. Muito sério esse acontecimento, Parabéns Zé pela reportagem, e continue cobrando sim das autoridades ações que faça de Parauapebas uma cidade melhor independente de quem for esse é um papel importante que seu blog tem.

  8. moro na cidade Jardim e aki na Minha residência estar aparecendo muitos carrapatos já compramos vários remédios e eles votam a aparecer parece peste… aki aparece vários cavalos principalmente a noite…

  9. Não esquecendo que nesta época a muitos insetos atraídos pelas luzes dos postes automáticamente atraí os sapos que também estão empestiados por carrapatos , estão focando somente nos animais Soutos aqui na cidade Jardim a noite aparece vários sapos.

  10. Meus sentimentos a família. Nao consigo acredita que com tanta tecnologia e muitos meios para um diagnóstico preciso e ainda hj temos perdido vidas. Lamentável, nao é minha área e a pergunta que faço é essa vida podia ter sido salva, havia algum meio para evitar a evolução do quadro que levou a morte dessa criança. Fico desesperada tenho uma filha de 6 anos e não posso me imaginar viver sem ela. Ei vamos questionar mais não quero que nossas crianças virem meras estatísticas. Vamos cobrar mais dos órgão responsáveis ou vamos ter que ver mais uma notícia como essa. Sei que a grade maioria vai ler e dizer morreu uma criança, Eu leio e penso perdemos mais uma criança com um futuro brilhante pela frente.

  11. Sinto muito pela sua perda, sei como é difícil perder alguém que amamos.
    No caso desses animais soltos nas ruas, acho que deveria ter uma ação para castrar todos os animais de rua e os proprietários também deveriam castrar obrigatoriamente seus animais(principalmente aquelas pessoas que os criam soltos pela rua). Isso ajudaria a combater a superpopulação de animais abandonados.

  12. Não gostei nenhum pouco da forma que vcs se referem aos animais de rua. A conscientização da população quanto ao abandono também é importante, esses animais não estão nas ruas porque querem. Além disso, ela esteve na zona rural, e carrapato tbm hospeda animais silvestres.

  13. Sinto muito a perda de seus filhos mães, Eu como mãe me preocupa ver que tem muitas pessoas que pegam animais e depois largam nas ruas,Os abandonam.E verdade eles não tem culpa por estarem ai abandonados,Quem deveria pagar são essas pessoas,Moro numa vila em rondonia e aqui e muito tranquilo, Porem o descaso com os animais são muitos estou a pouco tempo aqui e vejo que o povo deixa de criar os cachorros e largam na rua.Já vi vários perto da minha casa e tenho medo que algo do tipo aconteça também. Penso nas crianças que mal podem brincar nas ruas ou passear. E triste ver essa situação e ficamos vulneráveis a doenças desse jeito.

Deixe uma resposta