Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Cotidiano

Após a liberação da Portaria de Carajás, Núcleo Urbano fica na expectativa da normalidade

34 horas de Portaria fechada deixam Núcleo Urbano de Carajás completamente sem serviços. Aeroporto e Zoobotânico funcionaram precariamente.

Parece que amanhã (29) o Núcleo Urbano de Carajás voltará a normalidade em sua rotina, interrompida desde a última segunda-feira quando o Movimento Brasileiro dos Sem Terra (MBST), por meio da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) interditou a Portaria que dá acesso à Floresta Nacional de Carajás (FLONACA). Além do Núcleo, houve modificações no cotidiano do Aeroporto, Zoobotânico e na Mina de Ferro.

Carajás ficou com cara de feriado, mas com uma diferença: ninguém se preparou para enfrentá-lo. Bancos, supermercados, farmácia, creche e transporte das vans não funcionaram. As diaristas e outros profissionais, como jardineiros, também não trabalharam.

O posto de combustíveis só funcionou porque um dos funcionários mora no Núcleo e conseguiu improvisar o atendimento. “Trabalho na parte administrativa e quando cheguei para trabalhar na segunda-feira já tinham vários veículos para abastecer. Mesmo não dominando o serviço, consegui ligar as bombas e atender todos. A sorte é que nosso movimento é pequeno pela manhã e não tivemos o atendimento para os veículos das empresas terceirizadas”, informou Felipe Costa, que não conseguiu atender hoje (28) por falta de combustíveis.

Quem também teve que improvisar para atender a clientela foi a moradora Marfisa Lemos, que diariamente prepara bolos para vender aos moradores. Ela conta com auxílio de duas funcionárias para atender a demanda da casa e da produção com os bolos (são mais de 28 sabores) e tortas (dois sabores). “Tive que produzir a metade do que faço e no maior sufoco para administrar três crianças, afinal mesmo sem minhas funcionárias, tenho que trabalhar para pagar o salário delas. Respeito os protestos, mas também me sinto cerceada nos meus direitos quando sou impedida de ir e vir, bem como meus colaboradores, as professoras da escola da minha filha, os colaboradores dos bancos, supermercados. Moramos num lugar que só temos esses prestadores de serviços e não temos opção a recorrer a nenhum outro”, desabafou a moradora.

A padaria foi a única que atendeu normalmente durante o dia, mas fechou quatro horas antes do que o de costume no primeiro dia do protesto, já que os funcionários foram impedidos de subir a Serra. Todo o atendimento foi realizado com os colaboradores que moram no Núcleo. Depois da abertura da portaria, os funcionários do turno da noite trabalharam normalmente nesta terça-feira.

Os dois supermercados que funcionam em Carajás também tiveram o atendimento afetado. Só o Sul Carajás abriu as portas hoje, por volta das 12h. Assim como a coleta de lixo, que também normalizou nesta tarde.

O serviço de transporte realizado pelas vans da Cooperativa de Condutores Autônomos de Carajás (Coopavel) só retornou nesta tarde. Desde ontem, os moradores que precisaram descer, tiveram que contar com caronas.

Aeroporto

O Aeroporto de Carajás também teve impacto com o protesto. Na segunda-feira, a empresa Azul não pousou em Carajás pela manhã, seguindo para Marabá e Belém. À tarde, a empresa operou normalmente. “Com o fechamento da Portaria ficamos sem a presença dos Bombeiros para garantir a segurança contra o incêndio no pouso. Nosso nível de proteção atualmente é 5, mas, sem a presença deles cai para 0 e a empresa não pode correr o risco de pousar sem essa segurança, já que em caso de acidente, o seguro não cobre”, informou o fiscal da Infraero Vantue José. Ele disse também que o nível de proteção atrasou a saída do voo da Gol de Confins em mais de uma hora. “Eles só decolaram de Belo Horizonte quando os bombeiros chegaram no Aeroporto de Carajás”, reforçou. Além das mudanças nas empresas aéreas, quatro passageiros não conseguiram embarcar, o que pode ser uma consequência do protesto. “Hoje operamos normalmente”, concluiu o fiscal.

Zoobotânico

De acordo com a Assessoria da Vale, por falta de visitantes, o Parque Zoobotânico de Carajás não funcionou. Amanhã (29) a previsão é que as visitas retornem normalmente.

Mina de Ferro

A operação da Mina de Ferro de Carajás funcionou com escala mínima de funcionários que moram no Núcleo Urbano. Os funcionários do Administrativo foram dispensados ainda ontem à noite, assim como os do turno. Depois da Portaria liberada os funcionários do turno das 15h e de 00h foram acionados para cumprir a jornada de trabalho. Amanhã, todos os funcionários voltam a rotina de trabalho normalmente.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!