Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Esportes

Associação esportiva marabaense já conta com 3.800 atletas de 41 modalidades

A entidade foi criada para abrigar grupos esportivos que não tinham personalidade jurídica

Por Eleutério Gomes – de Marabá    

Fruto de um trabalho paciente e bem planejado, uma entidade desportiva vem ganhando corpo na cidade e já reúne 3.800 atletas de 41 modalidades, entre esportes tradicionais, radicais, artes marciais, aeromodelismo, capoeira, ciclismo e várias outras, em um ano e dois meses de fundação. Trata-se da Amesp (Associação Marabá Esportes), presidida pelo esportista e ex-secretário municipal adjunto de Esportes, Heriomar Pereira de Souza, que a define como “um guarda-chuva sob o qual equipes de várias modalidades se abrigam para buscar seus objetivos”.

Ouvido pelo blog sobre o que o motivou a criar a Amesp, Heriomar trouxe à luz um informação importante, da qual poucas pessoas têm conhecimento. Contou que ouviu, durante o tempo em que esteve na Secretaria de Esportes, reclamações de praticantes de várias modalidades, de que a prefeitura só apoia o futebol financeiramente, por meio de convênio, enquanto outros esportes ficam à margem.

“Então eu explicava que só o futebol tinha apoio porque era o único esporte em Marabá que possuía uma entidade representativa, de fato e de direito, documentada, a Liga Esportiva”, narra Heriomar, acrescentando que o poder público só pode firmar convênios, repassar recursos a entidades ou instituições juridicamente constituídas.

“É a burocracia oficial que funciona assim, não se pode fugir disso. Não adianta mandar ofícios com pedidos de bolas, de jogo de camisas, de dinheiro para promover eventos etc. Tem de ir acompanhado de uma documentação, de um projeto. Aí dá certo”, ressalta ele.

Em 2016, oito meses antes de deixar a prefeitura, Heriomar Pereira fundou a Amesp, com representantes de apenas seis modalidades esportivas: vôlei, judô, capoeira, skate, badminton e slackline.

“No início, muitos ficaram reticentes, desconfiados, devido às inúmeras instituições ‘pilantrópicas’ que existem por aí. Mas, depois que constataram que estamos legalizados e temos um projeto sério, cujo diferencial é promover e fomentar as atividades esportivas no município, sem fins lucrativos, nosso grupo aumentou bastante”, comemora Heriomar, que levou o projeto ao Executivo, apresentou ao vice-prefeito Antônio Carlos Cunha e ouviu elogios e palavras de estímulo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Agora, no início de julho, em data a ser confirmada, vamos promover um megaevento na Câmara Municipal, em que apresentaremos a Amesp ao Legislativo e à sociedade em geral”, anuncia ele, acrescentando que, passada essa etapa, vai começar a enviar projetos ao Executivo a fim de conseguir espaços melhores para a prática dos esportes, como reformas das quadras que existem em vários bairros da cidade e a conclusão da pista de skate da Praça Monsenhor Baltazar, na Folha 16, entre outros.

Além-fronteiras

E Amesp, apesar da pouca idade, já é conhecida além dos limites de Marabá. Segundo Heriomar, a associação já participou de dois grandes eventos na cidade, um promovido pelo Sesc e outro, recentemente, no aniversário da emancipação e essas participações lhe renderam convites para um evento, em maio, na Vila Cajazeiras, em Itupiranga, e para o aniversário daquele município, em agosto próximo.

“Já nos procuraram também para prestar consultoria na formação de entidades semelhantes à nossa em outras localidades”, conta Heriomar, acrescentando que Marabá é um “celeiro de atletas muito bons e com excelente potencial em suas modalidades, os quais, com a ajuda do poder público”, podem até levar o nome de Marabá à uma Olimpíada. “Quem sabe?”

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!