Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Ourilândia do Norte

Bandidos ateiam fogo em caminhonete e ordenam que funcionários a dirijam em chamas

O fato aconteceu ontem em Ourilândia do Norte

O Blog recebeu imagens e testemunho da assessoria de imprensa da Fazendo 1200, localizada na Rodovia PA-279, KM 140, zona rural do municipio de Ourilândia do Norte, informando que dois funcionários da fazenda foram vítimas de um ataque oriundo de pessoas que, segundo a assessoria, estariam interessadas em invadir a área.

Relata a assessoria que na tarde de ontem (27), os funcionários Amauri Ferreira de Oliveira e Vailton de Oliveira da Silva se dirigiram até o interior da fazenda para reparar uma cancela na divisa, na vicinal do zero, que havia se danificado, quando deles se aproximaram quatro indivíduos armados de arma de fogo, ameaçando-os de morte e ordenando que se deitassem no chão. Relata, ainda, que contra os mesmos foram disparados vários tiros, na tentativa de amedrontá-los, sem que nenhum os acertasse.

Em seguida, os agressores atearam fogo em um veículo caminhonete marca Toyota, modelo Hilux, ano-modelo 2006/07, cor Branca, placa MQI 5225, de propriedade da fazenda que estava sendo usada pelos funcionários. Não obstante, demonstrando crueldade, os elementos ordenaram que os funcionários entrassem na caminhonete em chamas e a retirassem da fazenda.

Em um boletim de ocorrência registrado pelo fazendeiro na delegacia de Ourilândia do Norte, os funcionários relataram que foram informados pelos bandidos que ali haviam muitos outros comparsas escondidos na mata da fazenda, todos eles fortemente armados. Segundo os funcionários, a intenção dos agressores seria o roubo de gado ou invadir a propriedade.

A Fazenda 1200 foi objeto de invasão orquestrada por um grupo ligado ao MST há oito anos; a reintegração de posse ao proprietário se deu por vias judiciais há dois anos, sem que nenhum ato de agressão tenha sido registrado.

A Fazenda 1200 é de propriedade dos Sr. Eutínio Lippaus, de 83 anos de idade, trinta deles vividos dentro da área. A propriedade é inteiramente documentada e produtiva conforme a lei solicita. Ela é, segundo dados da Secretaria de Fazenda do Estado do Pará, uma das maiores recolhedoras de impostos da região. Somente em 2017, a propriedade comercializou cerca de 1 mil bois gordos, além de crias e recrias.

O Blog não conseguiu contato com o delegado de Ourilândia do Norte, que está de férias. O B.O. foi registrado, em Ourilândia do Norte, pelo delegado titular do municipio de Tucumã. Devido à época natalina, não foi possível o contato com a Delegacia de Conflitos Agrários (DECA-PA), responsável por investigar atos desse porte.

Não é possível que em pleno século XXI, atitudes como estas, de agredir, intimidar, invadir e roubar o alheio ainda existam. Esse crime precisa ser exaustivamente investigado e os culpados punidos com os rigores da lei.

Deixe uma resposta