Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Esporte

Com uma rodada de antecedência, Cametá Sport Club é o primeiro time rebaixado do Campeonato Paraense de 2018

O time do Mapará conheceu seu primeiro rebaixamento em 2018 e vai ter que disputar a Segundinha ano que vem
Continua depois da publicidade

O Cametá Sport Club é o primeiro time rebaixado do Campeonato Paraense de 2018. A derrota para o Paragominas, por 2 a 0, no último sábado na Arena Verde, confirmou a degola do Mapará com uma rodada de antecedência para o fim da primeira fase do Parazão. O time cametaense vem se superando em uma campanha negativa, que até o momento em nove jogos, perdeu cinco vezes e empatou quatro, correndo o risco de terminar o estadual sem nenhuma vitória.

A equipe do Cametá foi fundada em 2007 e só foi atuar em uma Segundinha do Parazão no ano de 2009, quando o time foi profissionalizado. Naquele ano, a equipe do Marapá ficou na terceira posição da segunda divisão e acabou conquistando o acesso para a elite, pelo fato do Pinheirense de Icoaraci, ter desistido da vaga por problemas financeiros. Na ocasião, a Federação Paraense de Futebol (FPF), ofereceu a vaga aos cametaenses que abraçaram a causa e disputaram a elite em 2010.

De lá para cá, foram nove anos na elite do futebol paraense e com o título inédito em 2012, quando o Cametá enfrentou o Clube do Remo em dois jogos no Mangueirão, em Belém, vencendo o primeiro, por 2 a 1, e empatando o segundo em 2 a 2. Com a conquista, o Mapará se sagrou como o segundo campeão do estado do Pará vindo do interior. A façanha levou o time à inédita Copa do Brasil de 2013, onde enfrentou o Atlético-GO, no Estádio Parque do Bacurau e acabou levando uma goleada história, por 7 a 0, sendo eliminado na primeira fase.

O Cametá conheceu seu primeiro rebaixamento em 2018. Agora, o time cametaense vai aguardar a Segundinha, com previsão para outubro de 2019, onde vai tentar voltar à elite do Parazão em 2020. O time teve dificuldades financeiras que culminou com salários atrasados, paralisação e problemas extracampo com alguns jogadores, que acabaram sendo desligados do plantel devido ao mal comportamento.

Em nove jogos até então pelo Parazão, o Cametá teve três treinadores. O primeiro foi Samuel Cândido, que saiu após os fracos resultados da equipe. Na sequência assumiu Ferreti, que é o diretor de futebol do clube e ficou apenas uma partida como interino. Para tentar livrar o time do rebaixamento, a diretoria contratou o técnico Cacaio, que sempre fez bons trabalhos no clube, mas dessa vez não deu certo e o rebaixamento acabou sendo quase que inevitável.

“Eu cheguei em Cametá faltando quatro jogos para tentar escapar do rebaixamento. Não podia contratar ninguém só mais um e o tempo era curto com jogadores saindo da greve e outros indo embora. Sobraram 19 atletas profissionais e garotos, onde tentamos reagir, mas faltou força nos jogos e sempre tive que improvisar por falta de opção em algumas posições, por exemplo, joguei com quatro volantes todos os jogos porque tive que colocar dois de zagueiro que não tinha. Todos os jogos fomos melhores que os adversários, mesmo com todos os problemas”, afirmou Cacaio, técnico do Cametá.

Pensando em uma boa arrecadação para tentar sanar as dívidas, o Cametá pediu a transferência do jogo diante do Clube do Remo pela última rodada do Campeonato Paraense, para o Estádio Mangueirão, em Belém. Na tabela o jogo segue no Estádio Parque do Bacurau para o próximo domingo (18) às 16h. A FPF ainda vai aguardar o final da nona rodada para se pronunciar sobre a mudança de local da partida.

Por Fábio Relvas

Deixe uma resposta