Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Comércio

Cooperativa de Produtores Rurais da região de Carajás deve economizar mais de trinta mil reais mensais com implantação de Energia Solar

Fábrica que produz mais de 70 toneladas/mês de polpa de frutas será a principal beneficiada com a estação de energia solar

A Cooperativa dos Produtores Rurais da Região de Carajás (COOPER), em breve, deve contar com uma Estação de Energia Solar. Será a primeira empresa da região a usar uma fonte renovável. O projeto pretende reduzir os gastos com a energia elétrica da fábrica e da distribuidora da Cooper, que chegam a 32 mil reais por mês, e consequentemente, baratear os custos da fabricação de polpas de frutas e bombons regionais que beneficiam centenas de produtores rurais.

A Cooper foi criada em 1997, com objetivo de fortalecer a produção dos pequenos agricultores. O presidente da Cooper, Mauro Melo da Silva, conta que a cooperativa busca dar uma destinação do que é produzido no campo. A cooperativa reúne 129 sócios, mas, atualmente, utiliza a produção de hortifrúti de mais de 300 pequenos produtores rurais dos municípios de Parauapebas, Curionópolis, Canaã dos Carajás, Xinguara e Marabá. “A Cooper nasceu para valorizar a agricultura familiar, gerando renda ao pequeno produtor e garantindo bons negócios, apesar das dificuldades que existem hoje no mercado”, enfatizou.

Para conhecer de perto o projeto sobre a Estação de Energia Solar, os cooperados se reuniram na semana passada com os representantes da empresa que elaborou o projeto de mini geração com energia renovável, e do Banco do Brasil, que oferece uma linha de financiamento para este segmento. Segundo Mauro Melo, a Cooper aguarda a liberação do financiamento para iniciar a obra. O custo é de R$ 1,6 milhão. Serão mais de 2 mil metros de placas solares que vão cobrir 100% das despesas da Cooper com a energia elétrica. A previsão é de que dentro de 90 dias os serviços possam ser iniciados e, mais dois meses, para que a Estação de Energia Renovável seja entregue. A instalação será dentro da área da fábrica da cooperativa, que fica na zona rural de Parauapebas, na PA 275.

Geração de Renda

A Cooper emprega cerca de 30 pessoas na fábrica e na distribuidora das polpas de frutas e bombons regionais. Em média, 70 toneladas de polpas de frutas variadas como cupuaçu, açaí, maracujá, goiaba, cajá, graviola, entre outras, são processadas na fábrica que passa por várias etapas, desde a retirada da polpa até a embalagem do produto. No local, há seis câmeras frias para acondicionar o produto in natura, até que possa ser embalado e vendido. Também, na fábrica, é feito o doce da polpa de fruta para ser usado como recheio nos bombons dos chocolates caseiros. Segundo a Cooper, os produtos são os únicos do sul do Pará que têm autorização do Ministério da Agricultura para serem comercializados.

Atualmente, a Cooper conta com 70 revendas dos produtos em Parauapebas e Canaã dos Carajás, e em breve, deve abrir uma filial em Xinguara.

Comentários ( 2 )

  1. Parabéns Mauro por enfrentar os desafios e vencendo a cada um com muita confiança será mais um projeto brilhante com retorno positivo a todos os cooperados.

Deixe uma resposta