Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Estado do Carajás

Decisão sobre divisão do Pará repercute na Assembleia Legislativa

A decisão do Senado Federal que aprovou, na última terça-feira, a realização de um plebiscito sobre a criação do Estado de Carajás, dividiu opiniões, na Assembleia Legislativa. A maioria dos deputados defende a decisão, uma vez que, segundo eles, existem regiões distantes da capital que sofrem com o abandono do Poder Público. Por outro lado, alguns parlamentares acreditam que várias dúvidas referentes ao projeto de Decreto Legislativo – que ainda deverá passar pela Câmara – precisam ser esclarecidas antes da consulta popular. Joaquim Passarinho (PTB), por exemplo, lembra que a proposta original, de autoria de Leomar Quintanilha (PMDB-TO), não informa quem vai ficar com a dívida do Pará, referente a empréstimos feitos para a realização de obras em todo o Estado, e quem vai pagar a aposentadoria dos servidores estaduais inativos.

‘Muitos desses aposentados trabalharam no sul do Pará, mas o projeto não fala disso’, destaca Passarinho. Outro ponto que precisa ser definido é quem participará da eleição. ‘O que eu não concordo não é com o plebiscito, mas com o projeto, que diz que o plebiscito vai ser feito só na área a ser desmembrada. Todo o povo do Pará tem que ser consultado’, afirma o parlamentar, que questionou ainda a forma como foi feita a divisão. ‘Tem que ter um estudo. O que é sul do Pará? Por que Tucuruí fica para lá?’, indagou Passarinho.

Airton Faleiro, líder do governo na Assembleia, acredita que a decisão do Senado aconteceu graças a uma movimentação política feita por partidários favoráveis à criação do novo Estado. ‘Mas entre aprovar no Senado e na Câmara há uma distância muito grande’, frisou o parlamentar. Para ele, se o plebiscito fosse feito agora não iria passar. ‘Porque existe também o movimento para criação do Estado do Tapajós e os eleitores deste Estado votariam contra por achar que isso dificultaria mais lá para frente criar outro Estado’, justifica Faleiro, que revelou a posição da governadora diante da medida adotada no Senado. ‘Quem está governando não trabalha pela divisão do Estado, mas pela diminuição desse anseio. Ela está trabalhando pela descentralização. Hoje, temos ações nos 143 municípios paraenses’, garante.

Favorável à criação do Estado do Carajás, o deputado estadual João Salame (PPS) reclama do abandono vivido por muitos municípios distantes da capital. ‘São vários países dentro do Pará, o Estado não dá conta de administrar essa imensidão. A falta de investimentos não acontece só no governo da Ana Júlia, mas em sucessivos governos’, avaliou Salame. Segundo ele, isso provoca não apenas aumento da criminalidade como escassez de serviços considerados essenciais à população, como o abastecimento de água. ‘Cinco municípios do sudeste paraense, Xinguara, Eldorado, Curionópolis, São Geraldo e Tucumã, todos administrados pelo PT, ou partidos aliados, são atendidos pela companhia de abastecimento de água do Tocantins, a Saneatins. Isso é uma vergonha’, desabafou Salame, que ainda destacou o fato de Carajás ser a terra mais rica do Estado. ‘Acho que a emancipação soma mais do que divide. Sou a favor da criação do Estado de Carajás porque acredito que a administração mais perto da sua base feita por pessoas comprometidas com a realidade vai ajudar a melhorar a vida na região’, prosseguiu.

Fonte: O Liberal

Comentários ( 4 )

  1. Sem dúvida, tem mais a somar… O Novo Estado do Pará com região menor terá mais folga pra trabalhar! E nossa região Sul e Sudeste do Estado também, assim teremos nossos recursos aplicados aqui. Estaremos mais proximos para cobrar, não há nada mais o q pensar, vamos aprovar!

    Vamos nos unir, lutar até o ultimo minuto por essa emancipação.

    Um grande abraço a todos.

  2. EU, MAS QUE NINGUEM, SEI DA NESECIDADE DA DIVISÃO DO PARÁ , FAÇO PARTE DAS PESSOAS
    QUE MORAM NO SUL DO PARÁ, NASCÍ E CRESCÍ AQUÍ, E A VIDA TODA SONHEI COM ESSA POSSÍVEL DIVISÃO DO ESTADO, POIS SEMPRE VÍ FALAR EM UMA CAPITAL QUE PARA NÓS NÃO EXISTE,ALÉM DE SER MUITO DISTANTE ,POUCA GENTE DAQUI CONHECE BELÉM,ELES NÃO FAZEM IDÉIA COMO AS ´PESSOAS DAQUI SOFREM COM FALTA DE RECURSOS EM AMBAS PARTES, NA EDUCAÇÃO, NA SAÚDE, E VÁRIAS OUTRAS PARTES PRINCIPALMENTE NAS ESTRADAS QUE CADA DIA ESTÁ PIOR, AQ’ ANDAR 50 KM, LEVA O MESMO TEMPO Q’ ANDAR 200 KM ,…. “VOU PARAR POR AQ’ PORQUE SE NÃO EU PASSO O DIA TODO DESCREVENDO COMO A REALIDADE DAQUI’, SÓ PÉÇO PARA QUE DIVIDA,!…..;;;;.;

  3. isso é uma vergonha esse desejo de dividir o pará não vem do povo dessa região mas sim de um certo grupinho que veio la de fora nas decadas de 60 e 70 e agora por intereses proprios querem tomar o que é nosso somos um unico povo uma unica gente temos uma cultura e uma historia.

  4. É uma vergonha concordar com isso, dividir o Pará é loucura, acreditar que assim tudo ficararia melhor é pura loucura, por traz disso so existe interesse politico, quando queremos que um governo faça algo por todo estado devemos ter a conciencia e usar o voto como poder de escolha, o cara la no interior reclama que na cidade dele não tem nada, mais não parou pra pensar em quem votar, votou naquele fulaninho que lhe deu uma sexta basica qualquer, e depois reclama acreditando que pra Belém tudo esta uma maravilha, e nem se toca do descaso que vemos sofrendo tanbem, com falta de atendimento nos postos de saude e etc.
    na capital muitos morrem na porta de hospitais e pronto socorro, e o que mais hilario é que estava muito pior, o que temos é que ao invés de separar devemos tomar vergonha na cara e votar direito, ops´mais pera ai sempre a mesma cara toda eleição, infelizmente não sei em quem votar, isso vai passar pela cabeça com certeza, então de a oportunidade de votar em quem vc não conhece, assim aquele politico ladrão que não faz nada vai se sentir mal e nunca mais vai se canditatar, que pena que o tiririca foi se candidatar pra deputado federal de outro estado, pelo menos ele TEM FICHA LIMPA! eo que é melhor, ele não entende de politica, vai querer fazer de tudo para amostar aos eleitores que votaram nele, todo seu trabalho, enquanto isso outros vão querer ficar por traz querendo lamber o tacho, é muito melhor votar num palhaço que não entende nada de politica do que votar num cão politico, calejado pelos tempos de trabalhado, acostumado a escolher o melhor osso, ja sabe o que fazer para dizer que fez enquanto poe o dimdim no bolso, muitas obras feitas na capital e proximidades não tenho ciencia de que foram feitas para ajudar o paraense pobre e sim para privilegiar os mais ricos, salve salve meu amado Pará, minha terra abençoada, terra de N Senhora de Nazare.

Deixe uma resposta