Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

DEM apresenta Ação Cidade Democrática em Parauapebas

O partido Democratas fez na última sexta-feira (10) a apresentação do Projeto Ação Cidade Democrática em Parauapebas. O projeto lista prioridades do DEM em caso de sucesso de Marcelo Catalão, confirmadíssimo candidato do partido, nas eleições de outubro próximo.

O evento contou com as presenças dos pré-candidatos Adelson Fernandes (PP),  Melo (PPS), Dr. Francisco (PSDC), além de Luciano Sartório (presidente do PSL) e Parazinho (presidente do PT),  do deputado federal Helio Leite (presidente do DEM), do deputado estadual Eliel Faustino (líder do governo na Alepa) e representantes de outros partidos.

Logo no início do evento foi reproduzido um vídeo ilustrativo do que será a Cidade DEMocrática, onde basicamente o partido se propõe em ouvir o morador do município sobre sua dificuldade. Para o DEM, muitos dos atuais problemas de Parauapebas seriam resolvidos se a população fosse chamada para conversar. A Ação DEMocrática usa o tema “Ninguém conhece melhor a sua cidade do que você. Vamos conversar?”.

Vários dos presentes fizeram uso da palavra, entre eles:

Adelson Fernandes
O pré-candidato do PP disse que Parauapebas conta hoje com bons nomes para gerir o município, nomes que trazem a esperança. Disse fazer parte do “Bloco do Bem”, que pretende fazer o resgate de Parauapebas, já que o município se encontra em completo atraso em virtude das últimas administrações.

Antônio Melo
O empresário disse que não estava ali representando seu partido, o PPS, que anunciou que abriu mão de sua pré-candidatura para apoiar Marcelo Catalão. Melo disse que Parauapebas precisa de gente séria à frente da prefeitura e que o comércio local está quebrado, pois a prefeitura compra tudo fora do município. Disse ainda que “Marcelo Catalão não é um paraquedista que irá embora se perder a eleição, igual a um pré-candidato que era um simples professor e ficou rico depois de oito anos como prefeito e agora quer vender a ideia de que plantava alface na Bahia.”

Dr. Francisco
O pré-candidato do PSDC disse que esse grupo que esteve prestigiando o DEM evoluiu o pensamento de uma nova maneira de construir Parauapebas, um município que pode muito mais. Dr. Francisco lembrou que a política local é formada por uma corrente passada, a atual e uma nova geração, na qual se inclui. Disse ainda que é preciso para que Parauapebas deixe de ser a capital do minério para ser a capital dos sonhos deste Estado.

Parazinho
O presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores lembrou que havia algo em comum entre todos os presentes: Parauapebas. Parazinho disse que a divergência ideológica entre o PT e DEM ficará para a parte pragmática dos partidos e não atrapalhará o que é melhor para Parauapebas. Disse, ainda, que o PT tem o ex-deputado Milton Zimmer como pré-candidato a prefeito e que o partido pretende fazer um debate político maduro e comprometido com o município, pois Parauapebas merece mais dos seus políticos e representantes. Parazinho disse que não irá permitir um golpe em Parauapebas pela República da Bahia, referindo-se ao pré-candidato do PMDB que recentemente retornou ao município com o único objetivo de disputar a vaga de prefeito. Perguntado sobre a situação do PT em apoiar o PMDB que tirou o mandato da presidente Dilma, Parazinho disse que o pré-candidato do PMDB não saiu agora do PT, ele saiu há vários anos quando implantou assessores e ex-secretários no partido dos Barbalhos, referindo-se às transferências de João Fontana (ex-chefe de gabinete e ex-secretário de obras de Darci) e Coutinho (ex-secretário de obras de Darci). Finalizou sua fala dizendo que há sim uma possibilidade de diálogo com os Democratas, para compor com eles nas próximas eleições, todavia, com o PMDB, não.

Daniel da Paulistinha
O empresário, que é vice-presidente do Diretório local do DEM, disse acreditar no projeto apresentado e conhecer Marcelo Catalão há anos. Lembrou ainda que “não se envolvia em política, porém, percebeu que a não participação dava espaço para que o município fosse extorquido”. Daniel lembrou que “Marcelo Catalão tem uma característica que importantíssima nesse momento, a de se importar com o povo de Parauapebas.”

Luciano Sartório
O presidente do PSL disse que o município não poderá estar em melhor mão do que na de Marcelo Catalão, e que vem trabalhando muito para que isso aconteça. Sartório lembrou que “por falta de opções em eleições anteriores, nós elegemos pessoas que não foram boas para Parauapebas, que foram uma grande decepção e que agora querem voltar. Mas essas pessoas não podem voltar”.

Eliel Faustino
O deputado disse que Marcelo Catalão é o instrumento para a mudança de Parauapebas para melhor e que o DEM está com ele e dará todo o apoio para que ele (Marcelo), que conhece os problemas de Parauapebas, possa resolvê-los.

Helio Leite
O deputado federal disse que o DEM tem obrigação de buscar bons parceiros e que o prefeito tem obrigação de comprar tudo em Parauapebas para incentivar a economia local, combatendo o desemprego. O presidente do DEM disse que fez questão de estar presente ao evento para ratificar que Marcelo Catalão será o candidato do DEM a prefeito de Parauapebas e que não existe a hipótese dele perder essa garantia de forma alguma.

Marcelo Catalão
O pré-candidato a prefeito de Parauapebas pelo DEM e anfitrião do evento se disse agradecido pela presença de todos e que lutará com todas as forças para que Parauapebas tenha deputados estaduais e federais nos próximos pleitos, explicando que hoje o município não os tem por pura falta de diálogo dos agentes políticos locais. Marcelo convidou todos os pré-candidatos a vereador do partido para se apresentarem ao público, afirmando ser este um grupo do bem para Parauapebas. Marcelo disse ter um carinho muito grande pela cidade que ajudou a emancipar e viu crescer, alegando que é em Parauapebas que está todo seu patrimônio. Catalão disse ainda que esse projeto Ação Cidade DEMocrática nasceu de várias pesquisas feitas pelo partido que apontaram que a população queria ser ouvida. Marcelo afirmou que se chegar ao poder em 2017 não trará nenhum secretário de fora do município, pois esse modelo já está comprovado que não deu certo.

Marcelo Catalão disse que a população está indignada com o atual modelo de gestão e que toda a população de Parauapebas veio pra cá em busca de oportunidades, oportunidades estas que estão se acabando em virtude de que os gestores que por aqui passaram não conseguiram planejar a cidade para o futuro, afirmando ser este um de seus objetivos. Para Marcelo, os recursos públicos de Parauapebas têm que gerar emprego e renda para os munícipes de Parauapebas e não para empresários de fora que investem altos recursos nas campanhas políticas e depois querem receber tais investimentos sem gerar um emprego sequer no município. Marcelo disse que se for vitorioso nessa empreitada rumo à prefeitura de Parauapebas  não comprará um litro de água sequer fora do município e que usará de todas as formas possíveis e permissíveis pela lei para que os empresários locais vençam as licitações da prefeitura.

O pré-candidato do DEM disse que sonha em encabeçar uma chapa que contaria com todos os partidos ali representados, mas, que se não for ele o candidato, trabalhará incansavelmente, mesmo não estando na chapa para que alguém desse grupo ocupe a cadeira de prefeito de Parauapebas, pois não acredita mais em quem já teve a oportunidade de fazer e não fez, acredita sim que essa nova geração política tem muito a dar para Parauapebas.

Questionado sobre como fará para que o empresário local vença as licitações em um futuro governo com ele à frente, Catalão disse que fortalecerá comerciantes e empresários locais fazendo parcerias com Sebrae, CDL, ACIP e sindicatos, entre outros, no sentido de fortalecer e potencializar o comércio local para que este se credencie dentro da lei das licitações. Disse ainda que pretende, dentro do que a lei permitir, instituir uma cláusula de barreira que proteja o empresário local e ainda algo que garanta, em contrato, que as futuras obras  o usem uma grande percentual da mão de obra local, garantindo emprego e renda para a população de Parauapebas.

Perguntado sobre uma possível aliança com o PT, partido que é oposição ao DEM a nível nacional, Marcelo respondeu que vem conversando com vários partidos e que ao longo de sua carreira política vem estreitando os laços com o PT local, afirmando que o momento não é de pensar em programas partidários A ou B e sim em Parauapebas.

Marcelo afirmou que não há chance alguma dele declinar de sua candidatura para ser candidato a vice-prefeito em uma chapa que tenha os atuais pré-candidatos do PMDB ou do PSD, já que assumiu o compromisso de formar uma equipe de candidatos a vereador que nunca teve mandado, pois o povo clama por mudança, e, esses dois já tiveram a oportunidade de fazer e não fizeram.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!