Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Jacundá

Denúncia sobre concurso público de Jacundá no Ministério Público

A nova denúncia traz nomes de servidores e até de ex-servidores da Prefeitura; aponta também o nome de um vereador da cidade
Continua depois da publicidade

Um documento de seis páginas e endereçado ao Ministério Público Estadual em Jacundá expressa, logo no início, que “por motivo de segurança e no intuito de preservar a estrutura física e mental dos candidatos envolvidos na denúncia que segue, gostaríamos que a mesma seguisse em segredo de justiça”; isso não aconteceu. Por algum motivo, o material vazou e caiu nas redes sociais. Nele, inúmeras denúncias contra o concurso público de Jacundá aplicado no ano passado para o provimento de vagas na administração pública municipal. A Reportagem não citará nomes dos denunciados em decorrência de o Ministério Público ainda estar analisando o documento.

A reaplicação das provas do concurso público da Prefeitura de Jacundá aconteceu no dia 29 de setembro do ano passado. Antes, o mesmo ocorreu em 2016. E diante de dezenas de irregularidades apontadas pelos candidatos, a empresa Inaz do Pará aceitou o cancelamento referendado pela Prefeitura de Jacundá, contratante do certame.

A nova denúncia traz nomes de servidores e até de ex-servidores da Prefeitura, e aponta também o nome de um vereador da cidade; acusa ainda um ex-presidente de licitação à época. “Quatro concorrentes ligados ao ex-presidente da Comissão de Licitação, e inclusive o próprio ex-presidente foram aprovados, conforme é possível conferir no site da empresa que realizou o concurso”. O documento denuncia quatro familiares do ex-presidente da comissão passaram no certame.

Riquezas de detalhes fornecidas no documento dão uma noção da gravidade das supostas irregularidades encontradas na aplicação do concurso: “não podemos deixar de citar aqui também os nomes das pessoas que todos nós concurseiros sabíamos que seriam cartas marcadas para o cargo de Agente de Trânsito. Inclusive, foram feitos vários posts nas redes sociais com as iniciais dos possíveis fraudadores, com a divulgação do resultado parcial e final divulgado pela empresa Inaz do Pará, só veio confirmar a veracidade das suspeitas que nós já tínhamos. Todos os nomes abaixo são citados, em outra suspeita de fraude, durante a primeira aplicação da prova escrita no ano de 2016, onde a empresa Inaz do Pará divulgou uma lista em que nenhum dos concorrentes aparece como classificado e logo em seguida a empresa exclui a mesma, e divulga outra lista onde os mesmos aparecem como aprovados”.

Veja também:  Contratação de shows nacionais vira alvo de investigação em Conceição do Araguaia

Ao final do documento, “requerem-se ao Ministério Público que sejam tomadas as providências cabíveis, abrindo-se investigação minuciosa, quebra do sigilo telefônico dos envolvidos afim que sejam tomadas todas as medidas para a elucidação desta grave denúncia que, se continuar impune, vem a prejudicar a ordem da justiça e violar o direito de milhares de pessoas que se sentem lesadas neste momento”.

E finaliza com os seguintes anexos:

  1. Assinaturas dos candidatos colaboradores da denúncia;
  2. Lista parcial de agente de trânsito, 2016;
  3. Lista final de agente de trânsito ,2016;
  4. Lista final de agente de trânsito, 2017;
  5. Gabarito agente de trânsito 2016;
  6. Gabarito agente de trânsito, 2017;
  7. Publicação do Facebook, 2017;
  8. Gabarito, nível fundamental completo, 2016;
  9. Resultado final para agente de trânsito, 2017.

Deixe uma resposta