Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Política

Deputado federal Beto Salame e Gol se reúnem em nova tentativa de manter voos da empresa em Marabá

Solução passa pela boa vontade do Governo no Estado na cobrança do ICMS

O deputado federal Beto Salame (PP/PA) e executivos da Gol Linhas Aéreas Inteligentes debateram na manhã desta quinta-feira (18) uma solução para evitar a suspensão de voos não só em Marabá mas em todo o Estado do Pará, que está com quase 200 decolagens a menos.

De acordo com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), em levantamento recente, o impacto da crise é maior nos aeroportos do interior do Estado. Em Marabá, os voos programados tiveram redução de 38,7% (caindo de 89 para 49).

Segundo Alberto Fujerman, diretor executivo de Relações Institucionais da Gol, a empresa hoje tenta equacionar prejuízos gerados pela crise econômica reduzindo rotas. Ele admitiu, porém, que da forma como está ninguém ganha. “Nem nós ganhamos nem o Estado. E a população fica desassistida”.

A proposta inicial de Fajerman condicionava a suspensão do voo Belém–Suriname para voltar a atender Marabá três vezes por semana, mas isso poderia implicar na perda de incentivos como o ICMS cobrado pelo Estado, que hoje é de apenas 9% para a empresa. Beto Salame não considera, porém, que a extinção da rota represente uma solução para a suspensão de voos regionais.

Ao final da reunião, Salame, o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, o ex-prefeito de Marabá João Salame e os executivos da Gol, ficaram de apresentar uma proposta que não só mantenha quatro voos na rota Marabá–Belém, mas que também atenda cidades onde os aeroportos não podem operar Boeings, como Itaituba , Santarém e Redenção, no sul do Pará, que poderão receber aviões menores, como o modelo Caravan.

Na próxima semana os executivos da Gol irão participar de reunião em Belém com secretários do governo estadual. Como o realinhamento das rotas envolve a cobrança de ICMS, o tema envolverá no debate o Governo do Estado. (Assessoria Parlamentar)

Deixe uma resposta