Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

Dom Vital Corbellini, Bispo diocesano de Marabá fala sobre a violência no Pará

"Não cruzemos os braços diante da onda de violência que está aumentando no Pará" (Bispo Corbellini)
Continua depois da publicidade

Percebemos nesses dias, mortes de presos, de pessoas simples, pobres, camponeses e de policiais militares no Estado do Pará, seja no Norte, na capital, como no Sul do Estado. Essa violência preocupa-nos porque está atingindo as nossas vidas, os nossos ideais, nossos projetos, e, sobretudo, a vida de todos como dom de Deus e que está sendo ceifado.

Como cristãos, católicos e católicas, como pessoas que acreditam em Deus, não podemos ficar parados, acomodados, mas devemos agir em favor do bem e do amor. Supliquemos nas missas e celebrações da palavra a Deus para que se afaste a violência e cessem as mortes das pessoas e que haja menos vingança, menos ódio entre as  pessoas.

Queremos manifestar a nossa solidariedade para com os familiares que sofrem pela perda de seus amigos e amigas, pessoas próximas. Queremos alertar as autoridades para que se preocupem em promover uma cultura de paz, onde todos vivam bem o amor do Senhor, de Deus que quer a vida e não a morte de suas criaturas.

Que as autoridades possam ir atrás daquelas pessoas que promovem a violência de modo que cessem essas atitudes que não favoreçam a paz entre as famílias e as autoridades políticas e militares. Na mesma forma queremos alertar o povo para que não se recorra às armas para fazer a própria justiça com as próprias mãos porque a violência gera violência.

O nosso Estado está com índices altos de mortes de pessoas. Por isso conclamamos a todas as pessoas para que recorramos ao perdão, ao amor fraterno, à alegria de vivermos juntos como irmãos e irmãs.

O Bem aventurado Papa Paulo VI falava de uma civilização do amor na qual tudo seja implantado na base do amor que é dom de Deus presente em Jesus Cristo e no Espírito Santo. A civilização do Amor deve ser implantada entre nós. Jesus Cristo nos diz que devemos amar os inimigos, rezar por aqueles que nos perseguem (Cf. Mt 5, 44).

Veja também:  Redenção: Uma pessoa é assassinada a cada 5,7 dias na cidade

A CF – 2018 fala da superação da violência, porque somos todos irmãos e irmãs (Cf. Mt, 23,8). Os números da violência colocam as contradições de que somos um país pacífico porque a cada hora são diversas as pessoas mortas por arma de fogo, a cada dia também e por ano são milhares as mortes de modo que no Brasil morrem mais pessoas por arma de fogo que nas chacinas, atentados em todo o mundo, tem mais homicídios no Brasil do que em todas as diversas guerras recentes. Revertamos essa situação da onda de violência que está aumentando em nosso Estado para que as autoridades, o povo, a Igreja possam dar-se as mãos e assim não tenhamos que chorar a morte de muitas pessoas.

Não estimulemos a violência pelas redes sociais, mas sim a paz e a o amor a Deus, ao próximo como a si mesmo. É possível a paz, o perdão e o amor entre as pessoas, famílias, comunidades, sociedade, pastorais, movimentos, serviços. O Espírito Santo nos ilumine nesta caminhada. Nossa Senhora de Nazaré, rainha da Amazônia seja a nossa intercessora junto ao seu Filho Jesus Cristo para que não fiquemos parados, mas rezemos e atuemos para que cessem a violência e a morte de muitas pessoas inocentes,pobres, mulheres, jovens, idosos, crianças, camponeses e camponesas.

Rezemos a Deus Uno e Trino pela paz, pelo amor, pela civilização do amor em nosso Estado, o Pará, no País e no mundo.

Dom Vital Corbellini
Bispo diocesano de Marabá-PA 

Deixe uma resposta