Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

Dom Vital Corbellini, Bispo diocesano de Marabá fala sobre a violência no Pará

"Não cruzemos os braços diante da onda de violência que está aumentando no Pará" (Bispo Corbellini)

Percebemos nesses dias, mortes de presos, de pessoas simples, pobres, camponeses e de policiais militares no Estado do Pará, seja no Norte, na capital, como no Sul do Estado. Essa violência preocupa-nos porque está atingindo as nossas vidas, os nossos ideais, nossos projetos, e, sobretudo, a vida de todos como dom de Deus e que está sendo ceifado.

Como cristãos, católicos e católicas, como pessoas que acreditam em Deus, não podemos ficar parados, acomodados, mas devemos agir em favor do bem e do amor. Supliquemos nas missas e celebrações da palavra a Deus para que se afaste a violência e cessem as mortes das pessoas e que haja menos vingança, menos ódio entre as  pessoas.

Queremos manifestar a nossa solidariedade para com os familiares que sofrem pela perda de seus amigos e amigas, pessoas próximas. Queremos alertar as autoridades para que se preocupem em promover uma cultura de paz, onde todos vivam bem o amor do Senhor, de Deus que quer a vida e não a morte de suas criaturas.

Que as autoridades possam ir atrás daquelas pessoas que promovem a violência de modo que cessem essas atitudes que não favoreçam a paz entre as famílias e as autoridades políticas e militares. Na mesma forma queremos alertar o povo para que não se recorra às armas para fazer a própria justiça com as próprias mãos porque a violência gera violência.

O nosso Estado está com índices altos de mortes de pessoas. Por isso conclamamos a todas as pessoas para que recorramos ao perdão, ao amor fraterno, à alegria de vivermos juntos como irmãos e irmãs.

O Bem aventurado Papa Paulo VI falava de uma civilização do amor na qual tudo seja implantado na base do amor que é dom de Deus presente em Jesus Cristo e no Espírito Santo. A civilização do Amor deve ser implantada entre nós. Jesus Cristo nos diz que devemos amar os inimigos, rezar por aqueles que nos perseguem (Cf. Mt 5, 44).

A CF – 2018 fala da superação da violência, porque somos todos irmãos e irmãs (Cf. Mt, 23,8). Os números da violência colocam as contradições de que somos um país pacífico porque a cada hora são diversas as pessoas mortas por arma de fogo, a cada dia também e por ano são milhares as mortes de modo que no Brasil morrem mais pessoas por arma de fogo que nas chacinas, atentados em todo o mundo, tem mais homicídios no Brasil do que em todas as diversas guerras recentes. Revertamos essa situação da onda de violência que está aumentando em nosso Estado para que as autoridades, o povo, a Igreja possam dar-se as mãos e assim não tenhamos que chorar a morte de muitas pessoas.

Não estimulemos a violência pelas redes sociais, mas sim a paz e a o amor a Deus, ao próximo como a si mesmo. É possível a paz, o perdão e o amor entre as pessoas, famílias, comunidades, sociedade, pastorais, movimentos, serviços. O Espírito Santo nos ilumine nesta caminhada. Nossa Senhora de Nazaré, rainha da Amazônia seja a nossa intercessora junto ao seu Filho Jesus Cristo para que não fiquemos parados, mas rezemos e atuemos para que cessem a violência e a morte de muitas pessoas inocentes,pobres, mulheres, jovens, idosos, crianças, camponeses e camponesas.

Rezemos a Deus Uno e Trino pela paz, pelo amor, pela civilização do amor em nosso Estado, o Pará, no País e no mundo.

Dom Vital Corbellini
Bispo diocesano de Marabá-PA 

Deixe uma resposta