Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
aniversário

Conheça a história do aeroporto de Carajás, que completa 35 anos neste sábado (23)

Imagens, vídeos e depoimentos sobre o aeroporto que é referência na região norte

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – INFRAERO – comemora neste sábado (23) o trigésimo quinto aniversário de fundação do Aeroporto de Carajás, no município de Parauapebas, sudeste do Pará. E o blogger foi conferir de perto como andam as operações naquele aeroporto, que já recebeu figuras ilustres como os presidentes João Figueiredo, Sarney, Itamar Franco, Fernando Henrique, Collor, Lula; a princesa Daiana; o presidente argentino Raúl Alfonsín; embaixadores, cônsules, cantores, artistas e atletas; entre outros.

Inaugurado em 1982, o terminal foi construído para atender à demanda das atividades da maior jazida de ferro do mundo – explorada pela Vale –, por meio do Programa Grande Carajás, do Governo Federal. Em 1985, a Infraero assumiu a jurisdição técnica, administrativa, comercial, operacional e de navegação aérea do aeroporto, por meio de convênio com a Vale S/A. Ao longo dessas três décadas, o aeródromo se tornou a principal porta de entrada de investidores do mercado financeiro mundial que visitam a região em busca de negócios com a mineradora.

Roberto de Santana Campos, de 55 anos de idade, quase metade deles vividos em Carajás, é o atual superintendente do aeroporto. Na véspera do aniversário, Campos me recebeu para falarmos sobre esses 35 anos do aeroporto. Para ele, o terminal tem grande importância para o desenvolvimento do país, e “com sua localização privilegiada, cerca de 90% do movimento que acontece no aeroporto está ligado diretamente as atividades da Mina de Ferro Carajás e do Projeto S11-D da Vale”.

Por ser considerado um aeroporto de pequeno porte, Carajás impressiona por seus números. Segundo dados da Infraero, nesses 35 anos o aeroporto recebeu 45 mil pousos/decolagens; 1,04 milhão de embarques e 1,05 milhão de desembarques. Somente em 2016, o terminal registrou 162.160 viajantes, entre operações de embarque e desembarque.

Carlos Alberto Guilarducc Moreira, o Moreira, 70 anos, ex-funcionário da Vale, onde trabalhou por 35 anos, inclusive na construção do aeroporto de Carajás na década de 80, testemunhou o primeiro voo, que aconteceu às 11h30 do dia 21 de dezembro de 1981, sendo a aeronave um Boing Super 200, da empresa VASP –  fretado pela Companhia Brasileira de Projetos e Obras -CBPO para levar os empregados para passarem a festa do Natal em suas casas – a primeira aeronave a aterrissar em Carajás, que na época era conhecido por Aeroporto Serra Norte, como mostra a imagem do “Jornal da Serra”, de 1981.

Em 5 de março de 1985, o aeroporto foi absorvido pela Infraero, que hoje trabalha com apenas 24 funcionários para atender a demanda, já que, fiscalização de bagagem e passageiros, os bombeiros, as cargas e o estacionamento são serviços executados por terceirizadas.

No dia 8 de setembro de 1987, o jatinho em que estava o então ministro da Reforma Agrária, Marcos Freire e o engenheiro José Eduardo Vieira Raduan (Presidente do INCRA),  explodiu no ar pouco depois de decolar em Carajás. O laudo das causas do acidente foi muito questionado, pois o avião ficou pousado no aeroporto de Carajás à véspera do acidente. Ele concluiu que pássaros entraram nas turbinas e foram responsáveis pela derrubada do avião.

Em 1997 o voo 265 da Varig saiu de Belém com destino à Brasília, com escalas em Carajás e Marabá. Às 12h30, horário de Brasília, o pouso em Carajás aconteceu, mas chovia muito, o boeing 737-200, prefixo PP- CJO saiu da pista e bateu em árvores, o co-piloto morreu. O acidente foi notícia no Jornal Nacional, no ano de 1997, conforme vídeo abaixo.

Em 5 de novembro de 1999, um helicóptero que transportava 289 quilos de ouro do Projeto de ouro Igarapé Bahia, em Carajás, foi tomado de assalto tão logo pousou no aeroporto. Os bandidos dominaram a tripulação de um avião bimotor, que transportaria o ouro para o Banco Central, em Brasília, e o sequestraram em uma operação planejada por uma quadrilha de dez homens fortemente armados. Os assaltantes ocuparam o aeroporto disparando centenas de tiros, destruindo toda a comunicação do aeroporto e levaram a aeronave com o ouro, que foi descarregado em uma pista clandestina a 390 km de Carajás próxima à cidade de São Félix do Xingu.

Segundo Roberto Campos, o sítio aeroportuário do aeroporto de Carajás tem 2.872 milhões de m²; o terminal de passageiros tem 833,45 m²; a pista de pouso e decolagem tem 2 mil metros de comprimento e 45 metros de largura; o estacionamento tem capacidade para 75 veículos. Campos informa que o estacionamento foi recentemente terceirizado e que medidas estão sendo tomadas para que o atendimento seja melhorado.

A Infraero produziu um vídeo sobre o aeroporto, que está sendo divulgado em mídia in door.

 O avião que estamos habituados a ver em exposição no aeroporto de Carajás, modelo Douglas, DC-3 (versão civil), C-47 (versão militar), faz 75 anos em 2017. Hoje ele é um dos cartões postais da cidade. O que poucos sabem é sua longa trajetória até chegar onde está.

Após a Segunda Guerra Mundial a aeronave foi vendida para a companhia aérea Taca Airlines de El Salvador, e, em seguida, foi transferida para a Taca Airlines da Costa Rica, e finalmente em 01 de Junho de 1954 foi enviado para o Brasil para uma companhia do mesmo grupo a Real/Aerovias Brasil onde recebeu a matricula brasileira PP-AVJ e o nome “Bahia”, que por sua vez foi vendida para a VARIG em agosto de 1961. VARIG vendeu a aeronave para o Governo do Estado da Guanabara, que alterou sua matricula para PT-CGL, que a empregou no Departamento de Serviços Aéreos e Defesa Civil, no entanto quem a operava era a Jahu Transportadora Aérea Ltda, onde recebeu o nome de “Esperança”.

Em 1966, a VARIG comprou o avião de volta e alterou novamente sua matricula para PP-VDM “inscrição que vemos atualmente”, a VARIG vendeu novamente a aeronave para a Companhia Meridional de Mineração S.A. em janeiro de 1972, que por fim a vendeu para a Amazônia Mineração em 1980. Em 1992 a aeronave recebeu sua primeira recuperação; em 2013 a segunda e última desde que foi colocado na entrada do aeroporto de Carajás.

Confira a história do aeroporto de Carajás em imagens:

Trânsito

Marabá: Na Semana do Trânsito, DMTU comemora queda no número de acidentes

Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano de Marabá, implantará novas ações, como a fiscalização eletrônica, para que os índices sigam diminuindo

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Começa nesta segunda-feira (18) e vai até o próximo dia 25 a Semana Nacional do Trânsito. E, se na maioria das cidades do País, o número de acidentes aumentou, em Marabá, as estatísticas do DMTU (Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano) apontam que 2013 para cá o volume de acidentes vem caindo. Apesar da frota local de 107 mil veículos mais 35 mil de outras cidades que circulam diariamente, totalizando mais de 140 mil carros e motos nas ruas.

Essa diminuição se deve, de acordo com o diretor do DMTU, Jocenilson Silva Souza, ao aperfeiçoamento da fiscalização do trânsito, ano a ano, e à maior atuação do departamento na educação de condutores e futuros condutores. “A partir do momento em que a gente intensifica a fiscalização, naturalmente reduzimos o índice de acidentes e a entrada de acidentados, tanto no Hospital Municipal quanto no Regional, entre outros benefícios”, afirma ele, que comanda 85 agentes de trânsito e dispõe de uma frota de 16 veículos entre carros e motocicletas.

E, segundo Jocenilson, esses índices de acidentes vão continuar caindo, porque o DMTU, por meio do Projeto Cine Vida, a ser anunciado em breve, vai trabalhar a educação no trânsito paralelamente com a fiscalização, que vai acontecer nas escolas e também entre os condutores.

Indagado se a prefeitura pretende implantar também a fiscalização eletrônica, Jocenilson confirmou e disse que é intenção do governo municipal, em breve, instalar esse recurso, inicialmente, em 20 ou 30 pontos críticos para acidentes, a exemplo do que já acontece em Parauapebas, onde vem dando certo.

Os números

Segundo o estatístico do DMTU, José Edigley Ferreira, que ano a ano acompanha e analisa os números do trânsito em Marabá, em 2013 o município registrou 411 acidentes; em 2014, esse número caiu para 363; em 2015 seguiu diminuindo e foi de 330; e, em 2016, 248. “Logo, nesse período, uma redução de 19,7% no número de acidentes”, observa ele.

Já no período de janeiro a agosto de 2014 aconteceram 243 acidentes; na mesma época, em 2015, esse número caiu para 190; em 2016 teve um alta e foi para 218, o que serviu de alerta ao departamento, resultando na fiscalização mais rigorosa, o que fez com que, de janeiro a agosto deste ano de 2017, o número de acidentes caísse para 145. “Conforme análise, podemos concluir que houve uma redução de 33,4%, entre 2016 e 2017”, assinala Edigley.

Em relação ao número de mortes no trânsito, em 2013 as vítimas fatais totalizaram 123; em 2014 esse número caiu para 99; em 2015 morreram 87; e, em 2016 perderam a vida em acidentes 47 pessoas. Entretanto, se comparados, 2016 e 2017, número de mortes aumentou neste último ano. De janeiro a agosto do ano passado morreram 23 pessoas em acidentes de trânsito e no mesmo período deste ano, 39 já perderam a vida pelo mesmo motivo. O crescimento desse número coloca o DMTU em alerta, daí as ações de fiscalização e educação já programadas para tentar fazer com que esse número não siga subindo.

As causas mais prováveis de acidentes até o momento são: falta de atenção, 67,4%; distância entre um veículo e outro 24,7%; desobediência à sinalização, 2,25%; ultrapassagem indevida, 3,4%; ingestão de álcool, 1,12%; e outros, 1,12%.

Os tipos de acidentes mais frequentes são: colisão lateral 69,6%; colisão traseira, 20,2%; colisão frontal, 5,6%; colisão com objeto fixo, 1,12%; atropelamento, 2,2%; e outros, 1,12%.

O percentual de acidentes de trânsito por núcleo é: Nova Marabá, 49,4%; Cidade Nova, 41,5%; Velha Marabá, 7,9%; e São Félix, 1,12%. Segundo as estatísticas, em Morada Nova não houve acidentes de trânsito, de janeiro a agosto últimos.

As infrações se dividem em: condutor ou passageiro de motocicleta sem capacete, 36,5%; condutor ou passageiro sem cinto de segurança, 28,5%; condutor ao celular, 7%; e outras, 28%.

Guarda Municipal

Integrante da Guarda Municipal de Marabá morre após acidente de madrugada

Leandro Peixoto chegou a ser internado no Hospital Regional, mas não resistiu

Por Eleutério Gomes – de Marabá

O guarda municipal Leandro Peixoto, 31 anos, caiu da moto que pilotava pela Rodovia Transamazônica, por volta das 5h da madrugada deste domingo (17), em frente ao Centro de Saúde Pedro Cavalcante. Segundo testemunhas, o veículo ziguezagueou e bateu no meio fio, tendo Peixoto caído e batido a cabeça.

Socorrido pelo Samu, ele foi inicialmente removido ao Hospital Municipal, onde foi constatado traumatismo cranioencefálico, tendo sido internado no Hospital Regional, onde morreu no final da tarde, apesar do esforço dos médicos.

Peixoto estava desde 2012 na Guarda Municipal de Marabá, onde era considerado pessoa correta e cumpridor dos seus deveres. Ele deixa viúva e um filho. Os familiares ainda não anunciaram onde o corpo será velado nem detalhes do sepultamento.

O Sindiguardas divulgou nota lamentando a morte do GM.

Atropelamento

Vereador de Parauapebas é suspeito de atropelar e matar um jovem

Segundo informações, o vereador está internado em uma clínica e irá se apresentar nesta segunda-feira para responder pelo crime

O vereador João Assi, mais conhecido como João do Feijão (PV), é suspeito de dirigir o carro que atropelou e matou um jovem, neste sábado, 16, por volta das 18h30, na Avenida Jamaica, no bairro Vale do Sol, em Parauapebas.

A vítima é Fernando Pereira dos Santos, pintor, 23 anos. Segundo a polícia, tinha acabado de sair de um campo de futebol e caminhava pela avenida.

Segundo o delegado de plantão, José Aquino, testemunhas identificaram o vereador dirigindo a caminhonete que seguia no sentido contrário e acabou atingindo o rapaz. Ainda segundo o delegado, quando a polícia chegou no local do acidente o vereador já não se encontrava.

“O vereador evadiu-se do local. Já tivemos informação que ele tinha passado no bairro Beira Rio 2, em uma moto”, informou Aquino. A caminhonete foi apreendida pela polícia civil e vai ser periciada. “Vamos analisar a situação toda. Após a perícia, vamos enquadrar o vereador por homicídio doloso ou homicídio culposo. Vai depender dos laudos que iremos receber do IML”, explicou o delegado.

O motociclista que teria dado carona para o vereador, também poderá ser indiciado, segundo a polícia.

Até a publicação dessa reportagem o vereador João do Feijão não havia sido encontrado para falar sobre o atropelamento. O Blog foi informado que o vereador João do Feijão, 55 anos, passou mal logo após o acidente e foi internado com pressão alta em uma clínica de Parauapebas. Pessoas próximas ao vereador informaram que ele deve receber alta nesta segunda-feira pela manhã e irá se apresentar na 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas para responder pelo acidente que vitimou Fernando Santos.

Homicídio doloso e culposo

São modalidades de homicídios que qualificam as circunstâncias ou intenções de um assassinato; o ato de matar outro indivíduo.

O homicídio doloso é quando uma pessoa mata outra intencionalmente. Este tipo de homicídio pode ser classificado como de dolo direto, ou seja, quando o indivíduo realmente deseja matar outra pessoa; ou dolo indireto, quando o indivíduo não tem o propósito de matar, mas é o responsável por organizar algum evento que causa a morte de alguém por consequência.

O homicídio doloso está previsto no artigo 121, p. 1-2 do Código Penal Brasileiro.

O homicídio culposo é quando uma pessoa mata outra sem a intenção, quando a culpa é inconsciente. As causas do homicídio culposo são norteadas pela negligência, imprudência ou imperícia.

O homicídio culposo está previsto no artigo 121, p. 2-4 do Código Penal Brasileiro.

Trânsito

2017 registra uma queda no número de acidentes no trânsito de Parauapebas

Amanhã acontece a abertura oficial da Semana Nacional de Trânsito em Parauapebas, com o tema “Minha escolha faz a diferença”

Nesta sexta-feira, 15, será realizada a abertura oficial da Semana Nacional de Trânsito, com o tema “Minha escolha faz a diferença”, no Centro Universitário de Parauapebas (CEUP), às 8h30. A campanha nas ruas busca sensibilizar os motoristas, condutores e pedestres da responsabilidade em seguir as normas de trânsito para evitar acidentes.

Um levantamento feito pelo Departamento Municipal de Trânsito apontou que de janeiro a julho de 2017 foram registrados 381 acidentes no trânsito da cidade, enquanto que em 2016, no mesmo período, foram 547 ocorrências. Uma redução de 30,34% no registro dos boletins de ocorrência.

O acidente envolvendo as motocicletas também diminuiu de 222, em 2016, para 179 ocorrências em 2017. Embora os dados indiquem uma queda nos acidentes com motos, um dado chamou atenção e preocupa: em 2016, as ocorrências com motos correspondiam a 40,6% do total de acidentes. Já este ano, correspondem a 47% do total de ocorrências registradas. Esse aumento sinaliza que há mais motos envolvidas em ocorrência no trânsito do que os automóveis.

A queda no número de acidentes com carros foi significativa, de 325 em 2016 para 202 acidentes em 2017. Sobre os atropelamentos de pedestres, o departamento registrou 3 em 2017, enquanto que no ano passado foram quatro vítimas.

Campanha de Conscientização

Para manter a queda dos índices de acidentes, o Departamento Municipal de Trânsito, através do Núcleo de Educação para o Trânsito, começa na próxima segunda-feira, e segue até o dia 25 de setembro, a programação com blitzes educativas, panfletagens e palestras nas escolas. A proposta é chamar a atenção para a humanização no trânsito, principalmente porque a cidade registrou um aumento na frota de carros e motos. Dados do Detran mostram que em 2016, foram 80.324 veículos registrados na cidade, sendo que há 28.650 motocicletas e 21.594 carros, fora os outros veículos com quem o pedestre disputa espaço na hora de circular por Parauapebas.

Acidente

Susto durante batida de ônibus no Terminal Rodoviário de Parauapebas

A Prefeitura estuda construir um novo terminal

O motorista de um ônibus quase provocou um grave acidente na manhã desta quinta-feira, 14, no Terminal Rodoviário de Parauapebas. O funcionário da empresa maranhense, Jamjoy, que não teve o nome divulgado, confessou que errou a marcha. Ao invés de engatar a marcha ré, ele engatou a primeira e acelerou, colidindo contra uma pilastra localizada próximo aos guichês. Por sorte, não haviam pessoas próximas ao local no momento da colisão. Quem estava no local disse que foi um grande susto.

O ônibus se preparava para seguir viagem para Imperatriz (MA) quando aconteceu o acidente. Além do para-choque do ônibus, que ficou danificado, uma mesa de ferro que ficava na grade do terminal entortou para cima das cadeiras, que são reservadas aos passageiros que aguardam o embarque e o desembarque. Felizmente, nessa hora, não havia ninguém sentado. Para os agentes de viagem, se não fosse a pilastra, o ônibus poderia ter invadido os guichês e machucado muita gente. Foi necessária a ajuda de terceiros para empurrar o ônibus, que conseguiu seguir viagem.

Estrutura Precária  

O acidente com o ônibus revela a fragilidade do Terminal Rodoviário de Parauapebas. Com pouco espaço, e com as cadeiras destinadas aos passageiros na área externa muito próximas dos ônibus na hora do desembarque. Há poucos bancos para sentar, os guichês são pequenos e não há local adequado para a área de alimentação.

O terminal foi inaugurado em 2002, ainda na primeira gestão de Bel Mesquita  e nunca passou por uma reforma.

A empresa responsável pela administração do terminal é a Sinart – Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário – que faz a gestão de terminais de passageiros, estacionamentos público e privado.

A Sinart conseguiu junto a Prefeitura de Parauapebas, na gestão de Bel Mesquita, a concessão por 20 anos para administrar o Terminal Rodoviário da cidade e o contrato está previsto para terminar em 2020. A empresa também é responsável pelos Terminais Rodoviários de Belém, Santarém, Castanhal, Altamira e Marabá.

No ano passado, a Sinart sinalizou, junto ao então prefeito Valmir Mariano, a intenção de investir cerca de R$ 3 milhões de reais para revitalizar a estrutura do terminal em troca de uma protelação do prozo da concessão. Mas o projeto não chegou a ser apresentado, já que Valmir Mariano indicou a possibilidade de construir um novo terminal, mas amplo e espaçoso, e em uma área maior, já que o atual terminal tem pouco espaço para ser ampliado. A Sinart, à época, ficou de apresentar uma proposta, mas não o fez.

Um mebro do atual governo informou ao Blog que estuda a possibilidade de construir um novo terminal rodoviário em uma área pública próxima ao Partage Shopping, afirmando, inclusive, que o projeto em breve será levado ao conhecimento dos vereadores para aprovação.

PRF

Primeiro fim de semana do veraneio teve colisão com morte e registro de todo tipo de infração nas rodovias

As campanhas feitas pelos órgãos de trânsito, inclusive com estande na 31ª Expoama, parecem não surtir efeito e condutores saem cometendo atrocidades nas ruas e estradas

 

Eleutério Gomes – de Marabá

Até o início da tarde desta segunda-feira (10), a Polícia Civil ainda não havia identificado o condutor responsável pela morte do idoso Martiniano Soares Moitinho, de 66 anos, em razão de acidente na manhã de domingo (9), quando o carro em que ele viajava, na companhia de familiares, foi atingido de frente por outro veículo. O sobrinho da vítima, Daniel de Oliveira Moitinho, que dirigia o carro, contou que eles estavam se dirigindo a Eldorado do Carajás, pela BR-155, por volta de 8h45, quando aconteceu o acidente.

Testemunhas contaram que o motorista causador da colisão, que estava em companhia de outra pessoa, fugiu do local, aparentemente ileso. Relataram ainda que o homem havia saído do Parque de Exposições, onde ocorre a 31ª Expoama, aparentemente embriagado, pois fazia zigue-zague pela pista.

Segundo o inspetor Nivaldo Silva, chefe do Policiamento Regional da PRF (Polícia Rodoviária Federal), no mesmo acidente saiu ferida, com fratura no fêmur e no rosto, uma criança de oito anos de idade, que foi internada em estado grave, e um adulto, com escoriações pelo corpo.

Nivaldo também chamou a atenção para o fato de que outra criança, esta de três anos de idade, não viajava na cadeirinha como determina a Legislação de Trânsito, nem com cinto de segurança, “ia no banco de trás, mas no colo da mãe”.

Mais ocorrências

Além dessa ocorrência, a PRF registrou uma colisão traseira, por volta das 8h de sábado (8), na BR-155 (Transamazônica); e outra colisão traseira, por volta das 4h35 de domingo (9), também na Transamazônica. Não houve feridos desses dois acidentes.

Fora essas colisões a PRF contabilizou diversos casos de ultrapassagem proibida, alcoolemia, crianças viajando fora da cadeirinha, condutor e passageiro de motocicleta sem capacete, condutor e passageiro de carro sem cinto de segurança e condutor dirigindo e usando o celular. Três carros foram apreendidos e duas pessoas foram presas por crime contra a vida, crime contra o patrimônio e crimes de trânsito.

Procurado pelo Blog, o DMTU (Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano) informou que está consolidando dados para, nas próximas horas, divulgar o balanço das ações do fim de semana.

Acidente com viatura da Susipe na BR-155 mata o vereador José Maurílio, de Palestina do Pará (Atualizado)

Um acidente com o veículo oficial de placa QDL-1977/Belém-PA, uma S-10 branca, do Sistema Penitenciário do Pará, lotada no Centro Regional de Recuperação Agrícola (CRRAMA), em Marabá, resultou na morte do motorista José Maurílio Nunes de Miranda Júnior e do agente prisional de prenome Silasmar, por volta das 14h30 de hoje (30), na Rodovia BR-155, a 15 km de Eldorado do Carajás.

No carro estavam ainda os sargentos Waldenê e N. Gonçalves, da Polícia Militar, que saíram com escoriações pelo corpo e estão internados no hospital público de Parauapebas. O agente prisional de prenome Silasmar, que saiu gravemente ferido, ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu e faleceu a caminho do Hospital Regional de Marabá. O presidiário identificado apenas como Joel, saiu ileso.

O agente e os sargentos haviam levado Joel para audiência na Justiça em Xinguara, onde é acusado de vários crimes. Eles já estavam retornando para Marabá, quando o carro capotou.

As circunstâncias do acidente ainda estão sendo apuradas, segundo informou ao Blog, por telefone, o diretor do CRRAMA, Antônio Ferreira de Araújo, coronel da reserva da PM.

O motorista, José Maurílio Nunes de Miranda Júnior, inclusive, era vereador da Câmara Municipal de Palestina do Pará, onde se elegeu em 2016, pelo PSDB, com 206 votos.

Vereador José Maurílio Nunes de Miranda Júnior