Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Esportes

Águia sub-17 vence de goleada no Zinho Oliveira

O Azulão Marabaense teve muitas chances, mas “só aproveitou” sete oportunidades

Jogando em casa e com o apoio da sua torcida, o Águia Sub-17 fez uma bela partida na manhã deste domingo (20) e venceu de goleada o time do São Francisco, de Santarém.  Com o placar elástico de 7 x 1, o time de Marabá dominou o jogo e chega a 12 pontos na classificação do Campeonato Paraense Sub-17 de 2018.

O jogo, marcado para as 9h30 da manhã só começou às 10h, a pedido da delegação do São Francisco, que chegou a Marabá durante a madrugada após dez horas de viagem. Mesmo sob o sol forte, que não deu trégua durante a partida, o Águia dominou o primeiro tempo e abriu o placar aos 4 minutos com o jogador Ricardinho, que dedicou o gol ao seu irmão, que é cadeirante e que assistia a partida no estádio. Aos 22 minutos Kuor aumentou o placar. O são Francisco ainda estava se recuperando do segundo gol quando Frank balançou novamente a rede do adversário, fechando o primeiro tempo Águia 3 x 0 São Francisco.

Os dois times fizeram mudanças durante o intervalo, e foi o time visitante que chegou melhor no segundo tempo. Aos 5 minutos o São Francisco marcou seu gol, com Kleber. Mas parou por aí. Após entrar meio perdido na segunda etapa, finalmente os meninos do Azulão se reencontraram na partida e aos 36 Willianberg marcou o quarto gol. Kuor, um minuto depois, marcou seu segundo gol a partida, aumentando a vantagem do Águia de Marabá.

Aos 39 minutos o goleiro do São Francisco se machucou e como todas as substituições da equipe visitante já haviam sido feitas, um jogador da linha assumiu o gol. Aos 40 minutos do segundo tempo Murilo aproveitou falha da zaga e do jogador que estava no gol e marcou o 6º. E fechando a goleada, aos 47 da etapa final, Ruan Pablo encerrou com mais um belo gol.

O Águia segue na tabela com 12 pontos, sendo 4 vitórias – três delas em casa, e uma derrota. O próximo jogo, válido pela 6ª rodada do campeonato é contra o Barbarense, em Santa Bárbara, no próximo domingo (27).

Fotos: Aldeia Comunicação
Esportes

Águia vence em Icoaraci e garante mais três pontos no Sub-17

O presente das mães veio no sábado com a vitória do Azulão em cima do Pinheirense

O presente das mães dos jogadores do Águia Sub17 e das mães da torcida aguiana chegou no sábado, dia 12, com a vitória do time sobre o Pinheirense. E não foi uma vitória qualquer, foi de virada e literalmente aos 45 do segundo tempo. Destaque para o jogador Kwytare Jokare Totore Parkateje, o Kuor, que fez os três gols do time de Marabá.

A partida válida pela 4ª rodada do Campeonato Paraense Sub 17 aconteceu em Icoaraci, a quase 560 quilômetros do ninho do Águia. Mas a distância não foi problema. Aos 9 minutos do primeiro tempo Kuor abriu o marcador para o Azulão Marabaense. Entretanto, o time se desconcentrou e tomou dois gols, ambos no primeiro tempo.

Mas a estrela do jogador indígena brilhou no estádio Abelardo Conduru, e aos 28 do segundo tempo Kuor marcou e empatou o jogo. O empate estava de bom tamanho, mas os meninos do Águia queriam a vitória para homenagear suas mães. E Kuor, aos 45 do segundo tempo, mandou para o fundo da rede do Pinheirense, fechando a partida. Águia 3 x 2 Pinheirense.

Com esse resultado o Águia é o terceiro na classificação geral, com 9 pontos, ficando atrás da Tuna e do Carajás, ambos com 10 pontos. O próximo desafio do time de Marabá será dia 20, mas o local do jogo ainda não foi definido. A Diretoria do Águia está negociando para que a partida aconteça no Zinho Oliveira, junto da torcida aguiana.

Futebol

Parauapebas vence amistoso contra Águia em treino para Campeonato Paraense Sub-17

A partida foi realizada no Estádio Zinho Oliveira, em Marabá, e nem chegou até o final por falta de arbitragem

A garotada do Sub-17 do Parauapebas Futebol Clube entrou em campo, no último sábado (21), para um amistoso diante do Águia de Marabá, no Estádio Zinho Oliveira. Como a Federação Paraense de Futebol (FP) adiou o estadual da categoria, o técnico João Paulo, do PFC, pôde acompanhar a sua equipe em ritmo de jogo com um adversário que também vai disputar a competição.

“Foi uma excelente avaliação para o grupo. Sentimos um pouco a viagem, além da ansiedade, visto que são atletas muitos jovens. Porém, no lado coletivo tático, me agradou muito na fase defensiva, com a compactação e um bom balanço defensivo; vamos procurar melhorar nossas transições, apesar de neste jogo ter proporcionado perigo ao adversário em vários momentos. Na fase ofensiva, nosso time é muito rápido e com muitas qualidades individuais, porém, temos que ter mais paciência para manter a posse de bola um pouco mais,” afirmou João Paulo.

O Parauapebas venceu a partida amistosa pelo placar de 1 a 0, com um gol assinalado pelo atacante Tauan, aos 23 minutos do primeiro tempo. O detalhe é que a partida não terminou, pelo fato de não ter arbitragem. Quem comandou o apito do jogo foi o preparador de goleiros do Águia de Marabá, que acabou irritando o PFC pelas jogadas que estava invertendo, principalmente em favor do time da casa e pela expulsão de Riquelme, o destaque da equipe do Gigante de Aço.

“Ele estava invertendo falta; marcou dois impedimentos que não existiram e onde provavelmente iriam sair gols, pois tinham dois jogadores nossos contra o goleiro deles; e também, jogador nosso levou cotovelada e não fizeram nada; expulsou sem motivos o nosso melhor atleta da partida, que era o Riquelme. Então, por todos esses motivos, estava carregando o jogo e o time saiu de campo para evitar algo maior e prevenir nossos atletas,” relatou João Paulo.

A partida terminou aos 30 minutos do segundo tempo e, apesar do PFC ter desistido de continuar o jogo, foi declarado como o vencedor do amistoso. A turma de Marabá pediu desculpas pelos acontecimentos durante a partida. O time do Parauapebas entrou em campo com o futebol de: Ednaldo Junior; David, Wendel Pará (capitão do time), Marcos e Janiel; Thiago, Matheus, Marcelo e Riquelme; Will e Tauan. Essa deverá ser a base para a estreia no Campeonato Paraense.

“No aspecto geral, estou muito satisfeito. O time foi aguerrido e teve muita vontade em campo, isso vai estar no DNA da nossa equipe. Vamos trabalhar muito forte essa semana para concertar alguns erros e também para valorizar aquilo que já vem dando certo; minha expectativa aumentou com esse grupo. Vamos lutar todo jogo pela vitória, para representar da melhor forma o município de Parauapebas,” finalizou João Paulo.

O técnico João Paulo pretende trabalhar durante toda a semana com os garotos para o melhor entrosamento da equipe que foi bem em Marabá. Se não houver mais adiamento do início do Campeonato Paraense Sub-17, o Parauapebas Futebol Clube vai estrear contra o Atlético Barbarense no próximo domingo (29), às 9h30, no Estádio Municipal Arlindo Cardoso, o Cardosão, no município de Santa Bárbara do Pará, região metropolitana de Belém.

Por Fábio Relvas
Marabá

Expedição Vozes do Futebol entrevista João Galvão, técnico do Águia de Marabá

Projeto de Veja e Mercedes-Benz esteve em Marabá para falar com o técnico mais longevo de todo o futebol brasileiro. Ele está no cargo há 4 anos

A Expedição Vozes do Futebol, projeto de VEJA em parceria com a Mercedes-Benz, que busca grandes histórias e personagens sobre a maior paixão nacional, esteve em Marabá (PA) e visitou a sede do maior clube da cidade, o Águia de Marabá. João Galvão, o técnico há mais tempo no comando de um time brasileiro, foi o entrevistado do repórter Alexandre Senechal.

O treinador está à frente do time paraense desde agosto de 2014 e só não está há 10 anos ininterruptos no banco de reservas da equipe porque a direção resolveu substituí-lo por Darío Pereyra no primeiro semestre de 2014. Três meses depois, porém, lá estava João Galvão novamente no cargo.

Com o Águia, disputou a Série C do Campeonato Brasileiro por oito anos, até o rebaixamento em 2015. A equipe disputou a Série D em 2016 e desde então não tem calendário nacional. Com a eliminação na primeira fase do Campeonato Paraense, o time de Marabá só voltará a disputar uma competição profissional no ano que vem.

Resignado com a situação, João Galvão reclamou da falta de investimento e preocupação com os campeonatos menores do Brasil. “As autoridades responsáveis deveriam olhar com mais carinho. A Série D é um torneio e os pais de família dos times que são eliminados cedo já estão desempregados em dois meses.”

Clique aqui pra ver o vídeo com a entrevista com João Galvão.

A Expedição Vozes do Futebol percorrerá 8.702 quilômetros de estradas ao longo de 40 dias, passando pelas cinco macro-regiões do país e por quinze Estados, para mostrar o impacto do esporte mais praticado no mundo na vida de brasileiros com perfis completamente distintos.

Marabá

A melancólica jornada de um Águia sem time e sem rumo

Diretoria dispensará nas próximas horas todo o elenco e futuro do técnico João Galvão ainda não está definido

O Águia de Marabá venceu o último jogo pelo Campeonato Paraense neste domingo, 18, mas se despediu da competição com melancolia. A diretoria do Azulão se reforçou, planejou um time voando alto em 2022, batendo asas para cima a cada ano. Mas logo nos primeiros meses, amargou a mesmice: não se classificou para as semifinais e apenas celebrou o fato de não ter caído para a Segundinha da competição.

A vitória deste último domingo aconteceu diante de um São Raimundo desleixado, que não queria jogar (já estava classificado) e aceitou a pressão de um Águia quase amador. Por isso, o jogo foi tosco, chato e com o estádio com menos de um terço de torcedores em relação ao confronto com o Remo.

O ano acabou para o Águia antes mesmo do final do terceiro mês de 2018. Não tem mais Campeonato Paraense, Copa Verde, Terceira Divisão do Brasileiro, não tem mais nada. Só resta juntar os cacos e esperar o tempo passar. Se vier, novamente, com time caseiro para 2019, o risco de acontecer o mesmo é tão certo quanto a dinastia Galvão-Ferreirinha à frente do clube.

E o pior é que ninguém quer ser presidente do Águia de Marabá. Muitos torcedores, empresários e até mesmo a Imprensa criticam a longevidade de Sebastião Ferreira Neto como presidente, mas principalmente a eternidade do treinador João Galvão. E quem vai assumir a função de presidente? A de treinador é mais fácil, mas a responsabilidade sob gestão do clube ninguém quer ter sobre seus ombros.

Todos os anos se fala em mudança, após as competições. Mas elas não chegam. Os torcedores fazem suas conjecturas, se esguelam nas redes sociais, no próprio estádio, xingam Galvão. Mas os membros da diretoria se mantêm insensíveis, dizem tudo parte de um grupo pequeno de revoltados e não da torcida mesmo, de uma forma geral.

O presidente Ferreirinha alega que não pôde montar um time competitivo, com jogadores de mais peso e “rodados”, porque os recursos de patrocinadores não era suficiente para isso. Nos últimos anos, o número de empresas na camiseta do Águia foi diminuindo, deixou de ser uma poluição visual. Saiu Leolar, entrou Líder.

O presidente também aponta que o fato de o time ter jogado as primeiras partidas com mando de jogo fora de Marabá, enquanto o estádio Zinho Oliveira estava em reforma para troca do gramado, atrapalhou bastante o desempenho da equipe.

É possível que o projeto Águia 2022 seja sepultado no mesmo ano em que nasceu.

Por Ulisses Pompeu – correspondente em Marabá

Futebol

Parauapebas empata com o Águia no Rosenão e se complica na luta contra o rebaixamento

A partida terminou empatada em 1 a 1: agora, o PFC vai precisar vencer o Bragantino na última rodada e secar o Paragominas para escapar

Por Fábio Relvas

O Parauapebas Futebol Clube mais uma vez decepcionou a sua torcida no Estádio Rosenão: na noite deste sábado (10), a equipe do PFC não passou de um empate diante do Águia de Marabá, por 1 a 1, ficando mais próximo do rebaixamento para a Segundinha do Parazão. O Azulão saiu na frente com o gol do meia Juninho, que chutou de longe e contou com a colaboração do goleiro Bruno, que aceitou aos 13 minutos do segundo tempo. O time do Parauapebas reagiu e chegou ao empate com gol do atacante Monga, aos 18 minutos da etapa derradeira.

Com o resultado, o Parauapebas se complicou na classificação do Parazão 2018. A equipe, que segue na lanterna, com apenas 8 pontos na Chave A2 da competição, agora vai ter que vencer o Bragantino na última rodada e secar o Paragominas contra o Paysandu para poder escapar da degola. Já o Águia de Marabá confirmou sua permanência na elite para 2019, e soma 8 pontos na Chave A1; a vitória do Paragominas diante do Cametá, por 2 a 0, livrou o Azulão e rebaixou o Mapará para a Segundinha.

O jogo: Parauapebas com a corda no pescoço

A torcida do PFC parecia não acreditar em sua vitória e apenas 19

9 torcedores pagaram ingresso para conferir mais um empate da equipe. O time até que sufocou o Águia na primeira etapa: Luiz Fernando cruzou para Monga, que cabeceou para fora; Djalma cruzou da direita e Gilberto emendou um chute, a bola passou à direita; mais uma bola cruzada e Léo Paraíba tocou de cabeça, mandando para fora.

Só dava PFC e Luiz Fernando, em jogada individual, deu uma caneta no adversário, chutando forte de fora da área; Guibson, atento, espalmou para escanteio. Na cobrança do escanteio, Monga cabeceou na segunda trave e Guibson salvou com os pés. Outro cruzamento na área de Luiz Fernando, e Monga cabeceou na trave. Na segunda etapa, a coisa se inverteu e foi o Azulão que começou mandando. Guga recebeu e chutou em cima do goleiro Bruno.

Outra vez, o atacante Guga recebeu na boa e, de cara, bateu para fora. Em uma sobra de bola, Léo Paraíba disparou de dentro da área para fora, perdendo uma boa chance para o PFC. O atacante Monga ajeitou para a chegada de Wellington Cabeça, que, sozinho, conseguiu fazer o mais difícil: perdeu o gol para o time da casa. O Águia não tinha nada a ver com isso e voltou a arriscar: Juninho recebeu, arrumou e chutou de muito longe, o goleiro Bruno não conseguiu espalmar, falhando no lance e a bola foi para o fundo do barbante, 1 a 0, aos 12 minutos.

O Parauapebas foi para o tudo ou nada e na saída de bola, após cruzamento na área, Monga subiu firme de cabeça, parando na boa defesa de Guibson. Em outra tentativa de Léo Paraíba, a bola foi para fora. De tanto insistir, o PFC chegou lá: Rogério Maranhão recebeu na esquerda e cruzou na cabeça de Monga, que testou; a bola bateu na trave e, na sobra, o próprio Monga mandou para o fundo do gol, aos 18 minutos, 1 a 1.

O jogo pegou fogo e os dois times foram em busca da vitória. Léo Pará fez boa jogada e tocou para Erik Di Maria, mas o meia do Águia chutou para fora. Felipinho pegou uma sobra de bola e mandou por cima da meta de Bruno. Erik Di Maria cobrou falta perigosa, mas a bola se perdeu pela linha de fundo. Rogério Maranhão cruzou da direita e Monga chutou para fora, perdendo uma grande chance de gol.

Na chegada do time marabaense, Samuel recebeu pelo meio e disparou cruzado, a bola passou na boca do gol e foi para fora. Outra vez Samuel, que driblou bem o marcador e chutou mal, com a bola passando à esquerda de Bruno. Em uma boa jogada individual de Erik Di Maria, a finalização acabou desviando na zaga e saindo para escanteio. Placar final: Parauapebas 1 x 1 Águia.

FICHA TÉCNICA

PARAUAPEBAS: Bruno; André Ribeiro, Cris, Lucas (Djalma) e Juninho; Gilberto, Max Carrasco, Wellington Cabeça (Rogério Maranhão) e Luiz Fernando; Monga e Léo Paraíba (Thiago Pedra).
Técnico: Fran Costa

ÁGUIA: Guibson; Ari, China, Andrey e Rafael Vieira; Mael, Juninho, Erik Di Maria e Samuel; Elton (Léo Pará) e Guga (Felipinho).
Técnico: João Galvão

Árbitro: Joelson Silva dos Santos
Assistentes: Dimmi Yuri das Chagas Cardoso-CBF e Jhonathan Leone Lopes
Quarto-árbitro: Raymar Klemer Rezende Ferreira

Cartões amarelos: Juninho, Gilberto, Max Carrasco e Luiz Fernando (Parauapebas); Juninho e Erik Di Maria (Águia)
Gols: Juninho, aos 13 minutos do 2º tempo para o Águia; Monga, aos 18 minutos do 2º tempo para o Parauapebas

Local: Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas

Jogos da 9ª rodada do Parazão

Sábado (10/03)

  • Parauapebas 1 x 1 Águia – às 20h – no Estádio Rosenão
  • Castanhal 0 x 1 Bragantino – às 20h – no Estádio Modelão
  • Paragominas 2 x 0 Cametá – às 20h30 – no Estádio Arena Verde

Domingo (11/03)

  • Remo x Paysandu – às 16h – no Estádio Mangueirão

Quarta-feira (14/03)

  • Independente x São Raimundo – às 20h – no Estádio Navegantão

Classificação do Parazão 2018

Chave A1
Paysandu: 19 pontos
Bragantino: 16 pontos
Independente: 13 pontos
Águia: 8 pontos
Cametá: 4 pontos

Chave A2
Remo: 16 pontos
São Raimundo: 13 pontos
Castanhal: 10 pontos
Paragominas: 10 pontos
Parauapebas: 8 pontos

Obs: O Cametá está rebaixado para a Segundinha do Parazão.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Esporte

Parauapebas e Águia de Marabá voltam a se enfrentar no Estádio Rosenão pelo Parazão 2018

As duas equipes precisam da vitória para escapar do rebaixamento para a Segundinha

Parauapebas Futebol Clube e Águia de Marabá estarão mais uma vez frente a frente pelo Campeonato Paraense de 2018. As duas equipes correm sério risco de rebaixamento para a Segundinha do Parazão, por isso só a vitória interessa para ambas as equipes. A partida é válida pela 9ª rodada da 1ª fase e está marcada para a noite deste sábado (10), às 20h, no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas.

Na primeira partida entre as equipes pelo Parazão, o PFC superou o adversário, por 1 a 0, gol do atacante Monga, com o jogo também realizado no Rosenão, devido à reforma do gramado do Estádio Zinho Oliveira, que naquela ocasião estava sem condições de jogo.

Pelo lado do Parauapebas, o recém-chegado técnico Fran Costa já vai poder contar com a volta de alguns jogadores que não puderam atuar diante do Independente no último domingo em Tucuruí. É o caso do zagueiro André Ribeiro e do volante Augusto Recife, que estavam suspensos devido aos cartões. O volante Max Carrasco e o atacante Thiago Pedra estão recuperados de contusões e também viraram opção do comandante do PFC. Os atletas sabem que a vitória é de fundamental importância para o time seguir na elite do futebol paraense.

“Para nós é decisão e não passa pelo nossa cabeça outro resultado se não for à vitória. Logicamente que a gente vai respeitar a equipe do Águia, mas eu acho que a gente tem que propor o jogo já que estamos jogando dentro de casa e para nós é ganhar ou ganhar. Pode ter certeza que está todo mundo focado e todo mundo em um mesmo só objetivo que é buscar a vitória”, afirmou Augusto Recife, volante do Parauapebas.

Já a equipe do Águia de Marabá viaja neste sábado logo no início da manhã para a cidade de Parauapebas. Após a derrota para o Clube do Remo no último domingo, por 1 a 0, dentro de casa, o time teve uma semana cheia se preparando para o clássico da região sudeste. Os comandados do técnico João Galvão trabalharam firme no gramado do Estádio Zinho Oliveira, principalmente com treinos táticos.

O time marabaense segue indefinido para o confronto diante do PFC, mas o técnico João Galvão gostou da postura da equipe que entrou em campo diante do Leão Azul e poderá escalar a mesma onzena titular que começou o jogo passado com: Guibson; Ari, China, Andrey, Mael e Rafael Vieira; Juninho, Erick Di Maria, Elton e Samuel; Guga. Os jogadores do Azulão sabem que precisam pontuar para buscar o objetivo que é a permanência na elite para 2019.

“Nós estamos confiantes que vamos sair desse momento difícil que nos encontramos na tabela de classificação. Entramos no Campeonato Paraense com uma visão e infelizmente os resultados não têm sido como esperamos, mas temos dois jogos pela frente e a torcida pode esperar muita garra e vontade para sair com a vitória”, declarou Felipinho, meio-campo do Águia de Marabá.

Serviço

Parauapebas e Águia de Marabá jogam neste sábado (10), às 20h, no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. O apito fica por conta de Joelson Silva dos Santos, sendo auxiliado por Dimmi Yuri das Chagas Cardoso-CBF e Jhonathan Leone Lopes. Raymar Klemer Rezende Ferreira será o quarto-árbitro. Ingressos antecipados estão custando R$ 15 até sexta-feira nas farmácias Zero Hora e no Estádio Rosenão. Já no sábado os bilhetes vão custar R$ 20.

Jogos da 9ª rodada do Parazão

Sábado (10/03/18)

Parauapebas x Águia – às 20h – no Estádio Rosenão

Castanhal x Bragantino – às 20h – no Estádio Modelão

Paragominas x Cametá – às 20h30 – no Estádio Arena Verde

Domingo (11/03/18)

Remo x Paysandu – às 16h – no Estádio Mangueirão

Quarta-feira (14/03/18)

Independente x São Raimundo – às 20h – no Estádio Navegantão

Classificação do Parazão 2018

Chave A1

1° Paysandu: 19 pontos

2° Bragantino: 13 pontos

3° Independente: 13 pontos

4° Águia: 7 pontos

5° Cametá: 4 pontos

Chave A2

1° Remo: 16 pontos

2° São Raimundo: 13 pontos

3° Castanhal: 10 pontos

4° Paragominas: 7 pontos

5° Parauapebas: 7 pontos

Por Fábio Relvas
esporte

Remo esmaga o Águia, que agora luta para não cair

Cada time teve um tempo de jogo a seu favor, mas o Azulão de Marabá não aproveitou o seu. Agora terá de vencer o Parauapebas no próximo sábado para evitar vexame maior no campeonato.

Com projeto de alcançar voos mais altos para 2022, o Águia de Marabá pode ter de retroceder em 2018 e amargar a Série B do Campeonato Paraense, a famosa Segundinha. A equipe dirigida por João Galvão caiu neste domingo, dia 4, diante de um Remo imponente no primeiro tempo, mas condescendente no segundo.

O jogo aconteceu no estádio Zinho Oliveira, com início às 17 horas e com casa lotada. Logos nos cinco primeiros minutos parecia que os donos da casa ditariam o ritmo do jogo, mas aos oito o atacante Isac aproveitou rebote do goleiro do Azulão Marabaense e fez um a zero (placar que seguiria até o fim).

Depois disso, o Águia se perdeu em campo, não conseguia acertar passes e o Remo seguia impetuoso ao ataque, mas sem aproveitar as chances que criava. Aos 30 minutos, o atacante Samuel, do Azulão, ainda deu uma cabeçada, mas a bola ficou fácil para o goleiro Vinícius.

No segundo tempo, mesmo desorganizado em campo, o time de Marabá teve alguns lampejos de ataque, mas na primeira Guga chutou e Vinícius defendeu, e na segunda o jovem Di Maria mandou para longe do gol adversário. Aliás, Di Maria correu muito, mas pouco produziu.

Pelo time do treinador Givanildo Oliveira, que caiu de produção, a melhor chance do segundo tempo esteve nos pés de Felipe Marques, que ficou sozinho com o gol e chutou na trave.

A entrada de Felipinho, muito pedida pela torcida do Águia, não trouxe nenhum ânimo ao time. Pelo contrário. Nervoso, o jovem meia errou muitos passes e até chute no gol.

No final do jogo, Di Maria ainda teve uma clara chance de gol, recebeu com açúcar, mas acabou chutando para fora, para ira da torcida que foi prestigiar o time numa tarde de sol.

O Águia disputa com o Cametá para saber quem não vai cair para a Segundinha. Se o Mapará perder uma, já estará rebaixado, enquanto o Águia tem de vencer fora e ainda o último jogo desta temporada contra o São Raimundo, no Zinho Oliveira para não depender de ninguém.

O técnico João Galvão reconheceu que a equipe não foi feliz no toque final. “Ainda há esperança. Os outros empataram em casa. Esta equipe é o Águia do futuro e acredito nos jogadores”, sentenciou.

Givanildo, pelo Clube do Remo, foi mais cauteloso ao avaliar a vitória em Marabá. Ele criticou o gramado do Zinho Oliveira e disse que sua equipe pecou em vários momentos, principalmente no segundo tempo. “Estrear com vitória é muito bom, mas a sequência é mais importante”.

Giva disse que pediu à Diretoria do Leão Azul um zagueiro, um meia e um atacante em caráter de urgência. Outras posições serão repensadas posteriormente.

Na próxima rodada, o Águia vai a Parauapebas enfrentar o time da casa, enquanto o Remo vai encarar o Paysandu no clássico das multidões da Amazônia, no Mangueirão, domingo.

Por: Ulisses Pompeu