Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Assalto a Banco

“Lampião”: Bandidos fortemente armados promovem madrugada de terror em Floresta do Araguaia, no Pará

Eles explodiram a agência do Banpará, inaugurada há menos de um ano
Continua depois da publicidade

Os cerca de 20 mil habitantes do município de Floresta do Araguaia, no sudeste do Pará, passaram por momentos de terror durante a madrugada desta quinta-feira (16). Por volta da 1 hora da madrugada um bando fortemente armado invadiu a cidade e explodiu a agência do Banpará, inaugurada em dezembro passado.

Os bandidos, no modelo “Lampião Moderno”, que é quando invadem a cidade atirando e fazem reféns para escapar, levaram uma quantia de dinheiro ainda não informada pelo banco.

Áudios de três bombeiros civis que fazem a vigilância noturna da sede do município enviados ao Blog dão conta que os reféns foram liberados logo após a fuga. Pelos áudios percebe-se os momentos de aflição pelo qual a população de Floresta passou durante a madrugada, quando centenas de tiros de armas de grosso calibre foram disparados.

 

 

 

Floresta do Araguaia é o município que mais produz abacaxi no Brasil, com mais duzentos milhões de frutos por ano e safra intensa de dezembro à maio, saindo todos os dias cerca de sessenta caminhões carregados para vários lugares do Brasil.

Veja as fotos abaixo:

Assalto a banco

Sul do Pará: Polícias Civil e Militar deflagram “Operação Lampião” e prende quadrilha que assaltava bancos na região

Durante a operação foram cumpridos mandados de Prisão Preventiva, Busca e Apreensão Domiciliar e Condução Coercitiva expedidos pelo Juízo da Comarca de São João do Araguaia-PA.
Continua depois da publicidade

A Polícia Civil do Estado do Pará, em conjunto com as Polícias Militares do Pará e do Goiás, deflagrou ontem no Sudeste do Estado, a Operação Policial denominada “LAMPIÃO”, visando cumprindo de mandados de Prisão Preventiva, Busca e Apreensão Domiciliar e Condução Coercitiva expedidos pelo Juízo da Comarca de São João do Araguaia-PA.

A operação teve como alvo prender criminosos e apreender objetos relacionados à crimes praticados em desfavor de instituições bancárias, bem como empresas de transportes de valores.

Os suspeitos foram identificados e presos por atuarem criminalmente na modalidade conhecida como “vapor” ou “novo cangaço”, forma em que criminosos sitiam as cidades de forma violenta para a subtração de valores provenientes de instituições bancárias, fazendo o uso inclusive de material explosivo e captura de reféns.

Durante a operação foram presos: Jurandi Gomes da Silva (Pablo Ferreira) vulgo “Toca”, Edivaldo Batista da Silva, Vulgo “Junior, João ou Buxudo”, Andreia Santos Perlinski, Leandro Soares da Silva, Helena Lima da Silva, Vanderlan Reis Andrade (Nenzim) e Rosivânia Gomes Dos Santos (Rose).

Os Mandados foram cumpridos na Folha 33, núcleo da Nova Marabá, Jardim Vitória, Bairro do Aeroporto, km 11, Morada Nova, em Marabá-PA, bem como no Bairro Centro da Cidade de São Domingos do Araguaia-PA.

Jurandi “Toca”, Leandro “Cowboy”, Andreia Perlinski e Edivaldo foram presos às proximidades da rodoviária da Folha 32, em Nova Marabá. Helena Lima em São Domingos dos Araguaia-PA. Rose foi presa em sua residência, no km 11, e Vanderlan “Nenzim” foi preso enquanto tentava empreender fuga em Morada Nova.

Durante a operação foram apreendidos 04 (quatro) tabletes, totalizando aproximadamente 04 kg de droga que aparenta ser a substância conhecida vulgarmente como “maconha”; 01 (um) revólver calibre 44 com numeração raspada, acompanhado de 06 (seis) munições do mesmo calibre; uma espingarda 22 com munições; um revólver calibre 38 com numeração raspada e 06 munições do mesmo calibre; quantia de R$ 10.030,00 em dinheiro (R$ 2.549,00 de notas avariadas por material explosivo); e ainda cinco veículos apreendidos entre automóveis e motocicletas.

Segundo o delegado Marcelo Delgado, superintendente da PC em Marabá, os criminosos presos durante a operação foram os responsáveis pelos crimes praticados contra bancos das cidades de Sapucaia-PA (06/09), São João do Araguaia-PA (21/09), Eldorado dos Carajás (05/10) e Filadélfia-TO(29/10). Outros casos estão sendo investigados.

As investigações apontam que o grupo era bem organizado e cada integrante tinha sua participação e capacidade de mobilização, promovendo interação criminosa inclusive com bandidos de outros Estados da Federação.

assalto

Bandidos usam explosivos durante assalto em agências bancárias de Eldorado do Carajás

O assalto ocorreu por volta das 4h30, nesta quinta-feira nas agências do Banpará e do Banco da Amazônia.
Continua depois da publicidade

Criminosos levaram terror na madrugada de hoje, 5, aos moradores do município de Eldorado dos Carajás, no sudeste do Pará. Segundo a policia civil cerca de 15 homens, fortemente armados e encapuzados, chegaram na cidade em cinco veículos já atirando. Parte da quadrilha seguiu ate a única delegacia da cidade, onde dispararam vários tiros contra uma  viatura da PM para impedir que a polícia reagisse. Outros dois grupos foram até as agências do Banco da Amazônia (Basa) e do Banpará. Os bandidos usaram explosivos para abrir os cofres dos bancos, de onde levaram todo o dinheiro. O valor não foi divulgado.

De acordo com a policia, durante o assalto os bandidos fizeram reféns os seguranças das agências bancárias e funcionários de uma empresa de segurança da cidade. Na fuga, os reféns foram soltos. A ação dos criminosos durou por cerca de uma hora. Testemunhas relataram que foram ouvidos muitos tiros disparados, de armamento pesado. A policia já pediu reforços e vai avaliar as imagens do circuito de segurança para tentar identificar a quadrilha.

São João do Araguaia

Bando explode Bradesco de São João do Araguaia

O ataque ocorreu no início da madrugada desta quinta-feira e deixou a cidade apavorada
Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Um bando formado por quatro homens distribuídos em dois carros – um automóvel Fiat Pálio e uma caminhonete – explodiu a agência do Bradesco de São João do Araguaia, a 60 km de Marabá, por volta de 1h45 da madrugada desta quinta-feira (21). Segundo apurou o Blog, foram três explosões seguidas, provavelmente produzidas por dinamite. Em seguida os bandidos tiraram o dinheiro que havia no autoatendimento e fugiram disparando para cima, a fim de intimidar os curiosos, acordados pelos estrondos.

A agência fica na Avenida Luiz Lopes, principal via pública de São João do Araguaia, que termina na beira do Rio Tocantins, mas a quadrilha não fugiu pelo mesmo caminho, contornou a rua e saiu por outra que tem ligação com uma vicinal, onde teria abandonado um dos carros.

Devido a intensidade dos tiros disparados para o alto, os moradores da cidade, de pouco mais de 13 mil habitantes, ficaram apavorados, muitos imaginavam estar havendo confronto com a polícia e procuraram se proteger de possíveis balas perdidas.

Segundo o comerciante do ramo de turismo, Paulo César Carneiro, ouvido por telefone, é a terceira vez que o banco sofre esse tipo de ataque em São João: “Agora só nos resta os Correios, correspondente do Banco do Brasil. Isso, além de afastar os visitantes, que nos fins de semana ficam sem um bando para fazer saques, prejudica os nossos negócios”, lamenta ele.

Guarnições da Polícia Militar se encontram em São João, onde fazem buscas na tentativa de localizar e prender o bando.

Polícia Civil do Pará

Polícia Civil surpreende quadrilha na madrugada de hoje e barra assalto a banco em Marabá

Os bandidos estavam fortemente armados e pretendiam atacar cometendo assalto do tipo “sapatinho”
Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

A partir de informação de fonte não revelada, policiais civis da Superintendência de Polícia Civil do Sudeste do Pará, com sede em Marabá, da 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil prenderam na madrugada desta segunda-feira (3), nas imediações do Terminal Rodoviário “Pedro Marinho”, na Folha 32, Nova Marabá, uma quadrilha de assaltantes de banco formada pelos indivíduos Josimar da Costa, Cleidiane Cordeiro da Silva, José Morais da Silva Filho e Gimiclei Silva Sousa, o “Binga”.

No carro em que eles estavam foram apreendidos apreenderam armamento, telefones celulares, luvas, seringas e lacres. De acordo com a delegada Simone Felinto, o bando iria atacar uma agência bancária da cidade, mas o assalto seria na modalidade conhecida com “sapatinho”, na qual parte da quadrilha faz refém a família de um funcionário do banco – em geral gerente ou tesoureiro – e outra vai com ele pegar o dinheiro no estabelecimento bancário.  “Acompanhamos os suspeitos desde as 21 horas de domingo e conseguimos prendê-los por volta de 3 horas da manhã de hoje”, detalha a delegada.

Conforme o superintendente de Polícia Civil, delegado Marcelo Dias, o bando estava com tudo pronto para cometer o crime de extorsão mediante sequestro. Todos foram enquadrados nos crimes de associação criminosa e porte ilegal de arma de fogo e estão presos à disposição da Justiça.

Polícia

Polícias civil e militar do Pará apresentam resultados da operação que prendeu assaltantes de bancos em Parauapebas

O objetivo do bando era a agência do Banco do Brasil em Curionópolis.
Continua depois da publicidade

As Polícias Civil e Militar apresentaram, nesta segunda-feira, 12, em entrevista coletiva a jornalistas, na sede da Delegacia-Geral, em Belém, os resultados de uma operação policial que desarticulou uma associação criminosa especializada em roubos a bancos com uso de explosivos. Ao todo, foram presos 10 homens e uma adolescente foi apreendida durante a operação ocorrida em Parauapebas na semana passada. Durante a operação, houve um confronto armado e um suspeito morreu. Com o grupo, foram apreendidas duas armas de fogo – um fuzil 7.62 e um revólver 38; emulsões explosivas; máscaras tipo “brucutu”; luvas e produtos usados nos explosivos.

A ação policial foi realizada em parceria pelas Polícias Civil dos Estados do Pará e do Maranhão, em conjunto com o Comando de Missões Especiais (CME), da Polícia Militar do Pará. Os presos foram transferidos para a capital. Estiveram na entrevista coletiva a delegada-geral adjunta, Christiane Ferreira; o coronel Hilton Benigno, comandante geral da PM do Pará; os delegados Silvio Maués, diretor de Polícia Especializada; Evandro Araújo e Tiago Belieny, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO); coronel Sandro Queiroz, titular do Comando de Missões Especiais (CME), e major Anilson Almeida, titular da Companhia de Operações Especiais (COE) da PM.

Segundo a delegada-geral adjunta, trata-se de um grupo organizado que já tinha atuado anteriormente no Estado do Maranhão, na mesma modalidade de roubo a banco. Para desarticular o bando, explica o delegado Silvio Maués, foram mobilizados policiais civis da DRCO e do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), e militares da COE em parceria com policiais civis da Seic (Superintendência Estadual de Investigações Criminais), vinculada à Polícia Civil maranhense, em um trabalho integrado.

O coronel Hilton Benigno destacou o trabalho de inteligência e a capacidade de mobilidade dos policiais envolvidos na operação. “Desde o primeiro momento que fomos contactados da possibilidade do assalto a banco, deslocamos equipe para a região, tanto via aérea como terrestre, o que evitou o assalto”, detalha. Titular da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos a Bancos e Antissequestro (DRRBA), vinculada à DRCO, o delegado Tiago Belieny explica que a equipe policial estava na região sudeste realizando investigações sobre outras ocorrências de roubos a bancos, na terça-feira passada, quando foi acionada para se deslocar até Parauapebas, para apurar informação sobre a existência de um grupo armado se preparando para cometer um assalto na região.

Assim, na manhã do dia seguinte, os policiais civis e militares abordaram, em princípio, dez homens que estavam em uma chácara situada na Vila Palmares, zona rural do município. Com eles, veículos, um fuzil e explosivos foram apreendidos. Parte do grupo conseguiu fugir no momento da abordagem policial. Os presos foram identificados como os maranhenses Adaires Barbosa Araújo, conhecido por Tiago; Francisco de Assis Alves de Souza; Guilherme Henrique de Pinho; David Vieira da Silva; Marcio Delleon Modesto Silva; os paraenses Antônio Henrique Goulart Rodrigues Júnior; Adriano Cabral Fernandes e Dannyllo Queiroz da Silva. Uma adolescente natural do Maranhão foi apreendida na chácara. Em continuação às investigações, os policiais civis da DRCO e militares da COE abordaram um caminhão em que estavam Ricardo Alves Saraiva, o vaqueiro Egildo Luiz Gomes e José Carlos Saraiva dos Santos.

Este último reagiu atirando contra a equipe e morreu na troca de tiros. Uma arma de fogo – revólver calibre 38 – foi encontrada com o suspeito. As investigações mostraram que o bando pretendia assaltar, no último dia 10, a agência do Banco do Brasil em Curionópolis, cidade a 36 quilômetros de Parauapebas. Eles iriam fazer um assalto na modalidade conhecida como “vapor” em que os criminosos chegam ao município a tiros, invadem o banco e explodem caixas eletrônicos e cofre. Depois, na fuga, levam pessoas como reféns.

Segundo o coronel Sandro Queiroz, o tipo de dinamite apreendido com os acusados é “alto explosivo”, com capacidade de promover danos a uma velocidade de 2 metros por segundo. Ele detalha que esse tipo de material é de uso controlado pelo Exército Brasileiro. A delegada-geral adjunta ressalta que houve uma operação, na última semana, coordenada pelo Exército, em parceria com a Polícia Civil, visando o controle de material explosivo de uso controlado. A partir das prisões, explica o delegado Tiago, todos serão interrogados para tentar identificar quem é o líder do grupo e individualizar a conduta de cada. Dentre os presos, são três paraenses, e os demais são oriundos do Maranhão, Paraíba e Alagoas.

Polícia

São Geraldo do Araguaia é aterrorizada por assaltantes de banco durante a madrugada

Em 2015, uma adolescente morreu baleada durante uma ação criminosa semelhante na cidade.
Continua depois da publicidade

A população de São Geraldo do Araguaia vivenciou momentos de terror durante a madrugada de hoje. Um grupo de bandidos atacou as agências do Banco do Brasil e do Bradesco da cidade. O bando também efetuou disparos de arma de fogo contra estabelecimentos comerciais. Em 2015, uma adolescente morreu baleada durante uma ação semelhante na cidade.

Ainda não há informações divulgadas sobre quantos homens participaram do ataque e se algum montante em dinheiro foi levado. Há relatos de moradores informando que começaram a ouvir os tiros por volta das 2 horas e que a ação durou aproximadamente uma hora.

Uma guarnição da Polícia Militar chegou a trocar tiros com bandidos, que alvejaram a viatura.

Policiais civis e militares realizam buscas, neste momento, a procura de integrantes da quadrilha.Uma equipe da Delegacia de Repressão de Roubos a Bancos, de Belém, está a caminho de São Geraldo do Araguaia, que é alvo frequente da ação de assaltantes de bancos.

Polícia

Bandidos invadem Hospital Geral de Parauapebas e executam assessor do gabinete do prefeito. (Atualizada)

Waldomiro Costa era filiado ao PT e militante do MST na região. Semsa disponibilizará todas as imagens do circuito interno de gravação do hospital para as autoridades policiais
Continua depois da publicidade

Waldomiro Costa Pereira, que era assessor no gabinete do prefeito de Parauapebas, Darci José Lermen, foi executado ontem a noite por cinco homens que invadiram o Hospital Geral de Parauapebas.

Waldomiro havia sido vítima de uma emboscada quando estava em seu sítio, na Zona Rural de Eldorado dos Carajás, sendo alvejado com vários tiros. Ele foi encaminhado à Parauapebas e deu entrada na emergência do HGP na madrugada do sábado. Nesta segunda-feira, por volta das 2h30, os bandidos vieram concluir o serviço.

Waldomiro era militante do Partido dos Trabalhadores e um dos líderes do Movimento dos Sem Terras – MST na região.  Em 2010, Costa foi preso por suposto envolvimento nos assaltos às agências bancárias em Eldorado dos Carajás. Passou alguns dias preso, depois foi solto e respondia ao inquérito em liberdade.

Em nota, a prefeitura de Parauapebas lamenta o falecimento de Waldomiro:

A Prefeitura de Parauapebas manifesta o seu mais profundo pesar pelo falecimento do servidor público Waldomiro Costa Pereira, ocorrido nesta segunda-feira, 20 de março.

No último final de semana, Waldomiro foi vítima de ferimento por arma de fogo em sua propriedade, no município de Eldorado do Carajás. Ele foi encaminhado ao Hospital Geral de Parauapebas (HGP), onde passou por processo cirúrgico, mas na madrugada desta segunda-feira, cinco homens invadiram o HGP, renderam os seguranças, e executaram Waldomiro.

Neste momento de dor e profunda tristeza, a Administração Municipal e todos os companheiros de trabalho da Prefeitura se solidarizam com familiares e amigos de Waldomiro.

O servidor era casado e deixa cinco filhos. O velório de Waldomiro ocorrerá na cidade de Curionópolis.

Ascom PMP

A Secretaria de Saúde de Parauapebas encaminhou a seguinte nota sobre os fatos ocorridos no HGP:

Em relação ao falecimento de Waldomiro Costa Pereira, a direção do Hospital Geral de Parauapebas (HGP) informa que:

O servidor público Waldomiro Costa Pereira deu entrada no HGP no último sábado, 18 de março, por volta das 18h, encaminhado pela própria família. Ele estava com ferimentos na cabeça e em uma das mãos. Após a realização de uma tomografia e raio-X, foram encontrados três projéteis na cabeça e pescoço. Waldomiro passou por cirurgia e, em seguida, foi encaminhado à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para observação.

Na madrugada desta segunda-feira, 20, por volta das 3h, cinco homens fortemente armados, chegaram à entrada do HGP, renderam seguranças, invadiram as instalações do hospital, se dirigiram até o leito do paciente na UTI e efetuaram disparos contra o servidor. Após tentativa sem sucesso de reanimação de Waldomiro, seu corpo foi encaminhado à necropsia do hospital.

No intuito de elucidar esse crime o mais rápido possível, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, disponibilizará todas as imagens do circuito interno de gravação do hospital para as autoridades policiais.

Ascom Semsa

Durante a invasão do HGP para executar Waldomiro houve certa violência, mas somente o servidor da PMP foi ferido. A polícia investiga a invasão do HGP e as motivações para a morte de Waldomiro.