Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Comércio

Pará tem crescimento na venda de veículos no mês de outubro

Os dados foram divulgados pelo Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP)

Dados divulgados pelo Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP) mostram crescimento no segmento automotivo no mês de outubro. De acordo com levantamento realizado pela entidade, foram registrados 7.074 emplacamento no décimo mês do ano. Este número representa crescimento de 10,91% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram emplacados 6.378 veículos. O resultado também mostra aumento de 3,95% nas vendas no comparativo com o mês de setembro deste ano, quando 6.805 unidades foram comercializadas.

O levantamento feito pelo Sincodiv tem como base os emplacamentos de veículos novos, considerando automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros.

Os emplacamentos de automóveis e comerciais leves somaram 3.043 unidades no mês de outubro, o que representa crescimento de 7,30% em relação ao mês anterior, quando foram vendidas 2.836 unidades. No comparativo com outubro do ano passado, quando foram emplacados 2.376 veículos no Pará, o crescimento foi de 28,07%.

Quando se analisa os dados por tipo de veículos, o melhor resultado foi registrado na venda de caminhões, que cresceu 95,77% em relação ao mês de outubro de 2016. Foram 139 caminhões vendidos em outubro deste ano, enquanto o mesmo período do ano passado registrou 71 unidades comercializadas.

Comércio

Venda de veículos no Pará registra crescimento no mês de junho

Emplacamento de ônibus e caminhões teve o melhor resultado, com índice de crescimento superior ao nacional

As vendas de veículos novos no Estado do Pará no mês de junho cresceram 7,25% em relação a maio. Foram 8.192 emplacamentos de veículos no sexto mês do ano enquanto maio registrou 7.638 veículos emplacados. Os dados divulgados pelo Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP) contemplam automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros e indicam a retomada de aquecimento do setor.

O melhor resultado foi registrado no segmento de ônibus e caminhões, que cresceu 25,71% no estado, o que sugere bom desempenho econômico de negócios que utilizam esse tipo de veículo para fins comerciais. Os números do Pará nessa categoria superam os dados nacionais, que indicam que as vendas em junho cresceram 5,63% em relação ao mês de maio.

Os emplacamentos de automóveis e comerciais leves somaram 3.252 unidades no mês passado, registrando crescimento de 5,79% em relação ao mês anterior. No comparativo entre junho de 2017 e o mesmo período do ano anterior, quando foram emplacados 2.789 veículos no Pará, o crescimento foi de 16,6%.

Detran

Frota de Parauapebas fechou 2016 com 80.324 veículos registrados

40,86 % dos veículos com registro em Parauapebas estão em situação irregular, informou o Detran-PA

De acordo com o Núcleo de Estatísticas do Detran/PA, Parauapebas fechou o ano de 2016 com 80.324 veículos registrados na cidade, mais do que o dobro do número registrado em 2011, que era de 35.182 veículos. Apesar da quantidade expressiva, de 2015 para 2016 houve redução no numero de registros, enquanto a média de 2012 à 2015 foi de 8.136 novos veículos, em 2016 esse número fechou em apenas 5.671. De janeiro à abril de 2017, foram 1.781 registros de veículos com emplacamento na cidade.

Sobre os dados referentes à emissão, renovação ou troca de categoria da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), em 2016 a agência de Parauapebas realizou 13.863 atendimentos de validação desses processos. Em 2017, até maio, já foram 7.183 atendimentos de serviços relacionados à CNH. “Se o ritmo se manter assim fecharemos o ano com mais de 17 mil procedimentos realizados, um aumento considerável em relação ao ano passado”, informa Rivelino Oliveira, gerente do Ciretran, acrescentando que “há muita demanda de transferências de pessoas de outros estados, de jurisdição estadual, pessoas que vêm trabalhar e se instalam na cidade”.

O aumento desse número de atendimento também é reflexo das melhorias gerenciais realizadas no órgão estadual no último ano. Antes, para conseguir realizar qualquer procedimento, o usuário precisava enfrentar filas enormes e chegar bem cedo à sede do Detran. Havia denúncias, inclusive, de venda de vaga nas filas de espera. Depois que foi implantado o sistema de agendamento online, serviço disponível apenas em Belém, Parauapebas e Marabá, o fluxo de atendimento ficou melhor organizado e não há necessidade de filas.

“Quem fez o agendamento basta chegar uns dez minutos antes do horário marcado que o atendente chamará o usuário pelo nome, conforme cadastrado em nosso sistema. Enfatizo que não é por ordem de chegada e sim pelo horário marcado”, disse o gerente do Ciretran. É possível agendar os seguintes serviços: primeira habilitação, renovação, mudança ou inclusão de categoria; prova prática de legislação.

“No exame prático, de carro e moto, antes a inscrição era feita pela manhã e só no período da tarde faziam o teste. Agora, tudo é resolvido até o meio-dia. Antes a pessoa perdia o dia todo”, acrescentou Rivelino Oliveira, informando também que a aquisição de cinco novos computadores para a realização de prova teórica online, junto à Coordenação das Ciretrans deu mais celeridade no atendimento.

Inadimplência de documentação e apreensão de veículos

Outro dado apresentado no relatório é relacionado ao atraso no pagamento da documentação de veículo, que são o licenciamento e o IPVA. Parauapebas tem um índice de 40,86% de inadimplência, “um percentual menor do que o do Estado, que atualmente está na casa dos 50%”, afirma o gerente do Ciretran.

Várias Blitz do Detran têm sido realizadas no município. Durante as abordagens o número de veículos roubados apreendidos também têm crescido, e quando são identificados no momento da blitz já são conduzidos diretamente para a delegacia de polícia. Os demais veículos são destinados para o pátio de uma empresa contratada pelo Detran para este fim. “Recebemos muitas pessoas pedindo liberação do carro com documento atrasado, mas não temos como fazer isso, pois fere a legislação”, afirmou o gerente do Ciretran.

Desafios

Aumento do efetivo, para ampliar e melhorar ainda mais o atendimento. Esse é o principal desafio apontado por Rivelino Oliveira, que destaca a importância do convênio com a Prefeitura que cede servidores para o órgão. “Temos uma parceria muito grande com a Prefeitura municipal na cessão de servidores. Se não tivesse esse apoio a situação geral do Detran local estaria mais complicada”.

“Estamos em conversa com a coordenação e diretoria geral do Detran para a implantação de uma gráfica local, para que os documentos de veículos (CRLV, o licenciamento do veículo, e CRV, que é o DUT) e CNH sejam impressos na cidade. Eles estão sensibilizados com a nossa demanda. A Andréa Hass, diretora geral do órgão esteve conosco, em reunião na última sexta-feira (2), para tratarmos desses temas”, disse o gerente do Ciretran.

Pará

Venda de automóveis no Pará registra primeiro crescimento no ano

Em junho a venda de automóveis obteve um crescimento de 6,73% em comparação com maio. O setor de ônibus cresceu 167,74%.

Enquanto as vendas de veículos novos na maior parte dos estados brasileiros sofreram queda, a venda de automóveis no Pará obteve saldo positivo no mês de junho, registrando crescimento de 6,73% sobre maio. Este crescimento pode representar o início de um fortalecimento no setor, já que quando comparado com junho de 2014, o setor registrou aumento de 1,31%. É o que aponta o último balanço do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP), que contabilizou 10.900 emplacamentos de veículos, em junho, contra 10.844, em maio, crescimento de 0,52%.

concessionáriaNo entanto, o primeiro semestre do ano não foi positivo para os concessionários. Houve queda de 11,08%, totalizando 67.402 emplacamentos contra 75.803 sobre o mesmo período do ano passado. O número inclui emplacamentos de automóveis e comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários (carrocerias de caminhões e afins).

Para o presidente do Sincodiv, Leonardo Pontes, “o cliente está cauteloso na hora de efetuar a compra. Mesmo com a crise o setor se mantém otimista e espera fechar o ano com saldo positivo. Caso isso não ocorra, aguardamos que o resultado não seja muito negativo, chegando em pelo menos 10%”, avalia.

Em junho, os segmentos de automóveis e comerciais leves tiveram alta de 6,67%, com 4.175 emplacamentos. O setor de ônibus foi o que mais cresceu. No mês passado, o segmento apresentou crescimento de 167,74% em relação ao mês anterior. Quando somado caminhões e ônibus, o crescimento foi de 27,72%.

O município de Parauapebas foi o destaque nas vendas de ônibus, representando 42,17% das vendas e Belém em segundo, com 33,73%. Leonardo Pontes explica que este crescimento, assim como ocorreu em abril, deve ser por conta de alguma grande venda, especificamente. Já no segmento das motocicletas a queda foi de 3,21%, registrando 6.272 emplacamentos.

Quando se analisa os modelos de automóveis mais vendidos, Palio, Gol e Onix lideraram as vendas no primeiro semestre. O Palio vendeu 1.295 unidades.

No país, as vendas no primeiro semestre tiveram uma queda ainda maior que no mesmo período de 2014: 20,7%. Foram 330 mil veículos a menos vendidos este ano. Em todo o Brasil, foram fechadas 492 concessionárias e abertas 250 no primeiro semestre, resultando num saldo negativo de 242 revendas a menos. Isso gerou um corte de 12 mil empregos.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sincodiv PA/AP

Motor com peças de plástico pode ameaçar mercado de alumínio

Os esforços para produzir veículos mais leves incluem partes do motor, como os blocos do cilindro, que podem ter seu peso reduzido em até 20% se forem feitos de plástico reforçado com fibra em vez de alumínio. Um motor experimental com partes de plástico foi desenvolvido pelo grupo de pesquisa alemão Fraunhofer em parceria com a SBHPP, uma fabricante de plásticos de alto desempenho que pertence à japonesa Sumitomo.

O projeto foi preparado pela divisão de novos sistemas de direção (NAS, na sigla em inglês) do instituto de tecnologia química (ICT, na sigla em inglês) do Fraunhofer.

fraunhofer

Os carros precisam ficar cada vez mais leves para diminuir o consumo de combustível. Para a maioria das montadoras, isso significa deixar as peças automotivas mais leves, mas o sistema de motorização, incluindo o próprio motor, responde por uma grande proporção do peso total do veículo.

Até o momento, fabricantes tem apostado no alumínio para diminuir o peso dos componentes do motor, como o bloco de cilindro. No futuro, as montadoras poderão reduzir o peso dos carros projetando blocos do cilindro que sejam, em certas partes, feitos de plástico reforçado com fibra.

“Nós usamos um material reforçado com fibras para construir um bloco de cilindro para um motor de experimento que tem apenas um cilindro. O bloco de cilindro pesa cerca de 20% a menos que o componente equivalente feito de alumínio e tem o mesmo custo”, disse Lars Frederik Berg, líder do projeto e gerente da área de pesquisa de Lightweight Powertrain Design do Fraunhofer.

Apesar de parecer uma alternativa para as montadoras, existem muitos obstáculos para que sejam usados blocos do cilindro do motor feitos de plástico. Isso porque os materiais usados têm que resistir a temperaturas extremas, alta pressão e vibrações sem sofrer danos. Esse tipo de plástico que aguenta essas condições foi reconhecido nos anos 1980, no entanto, naquela época, era possível produzir apenas esse tipo de peças em pequenas quantidades e necessitava muito investimento e esforço.

“Primeiro nós analisamos o design do motor e identificamos as áreas sujeitas a altas temperaturas e impactos mecânicos. Então, usamos pastilhas de metal para aumentar a resistência ao desgaste”, disse Berg. Um exemplo é o revestimento do cilindro, dentro de onde o pistão se movimenta durante milhões de vezes ao longo da vida útil do veículo. Os pesquisadores também modificaram a geometria dessas peças do motor para garantir que o plástico seja minimamente exposto a altas temperaturas.

As características do material plástico também tem um papel importante, porque precisam ser duras e rígidas e resistente a óleo, gasolina e glicol na água resfriada. O plástico também precisa demonstrar boa aderência às pastilhas de metal e não pode ter um coeficiente de expansão mais quente que o do metal.

A equipe de Berg usa um composto fenólico reforçado com vidro, que foi desenvolvido pela SBHPP, que cumpre com todos os requerimentos necessários e possui 55% de fibra e 45% de resina. Outra opção mais leve é utilizar um composto reforçado com carbono.

O protótipo do motor com peças de plástico será apresentado no evento Hannover Messe, realizado neste mês. Os testes realizados no novo motor foram concluídos com sucesso. “Nós provamos que é possível ter o mesmo desempenho que os motores construídos de forma convencional”, disse Berg.

Os pesquisadores pretendem continuar com o trabalho para desenvolver um motor multicilíndrico feito de aço, incluindo os mancais do virabrequim. As informações são do website instituto Fraunhofer.

Brasil

Vendas de veículos no Pará se destacam e crescem 7,19% em novembro

No entanto, no acumulado do ano, o setor ainda apresenta queda de 5,65%. A expectativa é de que 2014 feche com resultados inferiores aos de 2013 devido à instabilidade da economia do país.

Assim como em outros setores, o Pará se destacou em novembro na venda de veículos. Segundo dados do Sincodiv PA/ AP – Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Pará e Amapá, entidade que representa 63 concessionárias de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários em todo o Estado e no Amapá, o desempenho do setor na venda de veículos no Pará teve aumento de 7,19% em novembro na comparação com outubro de 2014. As vendas totais de veículos passaram de 12.403 unidades em outubro para 13.295 em novembro.

De acordo com o presidente do Sincodiv PA/ AP e diretor-geral da Fenabrave-PA, Leonardo Pontes, reeleito para o período 2015 a 2017, os empresários do setor estão otimistas em relação ao último mês do ano. “A economia permanece instável, mas com as vendas natalinas, as promoções e a retomada dos índices do IPI em janeiro de 2015 pode favorecer o consumo no final desse ano”, explica.

No acumulado do ano, o setor ainda apresenta queda de 5,65%. De janeiro a novembro de 2013 foram comercializados 148.126 veículos contra 139.763 unidades no mesmo período de 2014. “A expectativa é de que 2014 feche com resultados inferiores aos de 2013 devido à instabilidade da economia do país”, finaliza Leonardo.

De acordo com as informações da entidade, as vendas de automóveis e comerciais leves no Estado este mês apresentaram crescimento de 6,52%, comparadas com as vendas do mês anterior. No Brasil, neste mesmo período, as vendas caíram 3,97%.

Quanto ao segmento de motos, as vendas tiveram o melhor desempenho, com aumento de 9,83% em novembro, em relação ao mês anterior. No entanto, no acumulado do ano, o mercado de motocicletas mostra queda de 7,97% em relação à soma de janeiro a novembro de 2013, com 84.326 unidades licenciadas desde janeiro de 2014.

As vendas de veículos pesados apresentaram um dos maiores índices de queda. No segmento de caminhões e ônibus foram comercializados 3.492 veículos no acumulado até novembro. O resultado é 3,54% inferior ao verificado em igual período do ano passado.

Interior – Entre as regiões do estado, destaque para as vendas de veículos em Marabá, que ficou atrás apenas de Belém nas vendas de comerciais leves, caminhões, ônibus e motos. Já Ananindeua obteve o segundo lugar na venda de automóveis, com 341 unidades vendidas, representando 9,9 % de participação.

IPI – A previsão de aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em janeiro de 2015 podem levar consumidores a se perguntar se o final do ano é um bom momento para adquirir um carro novo. O Ministro da Fazenda, Guido Mantega, reafirmou que o IPI reduzido para carros deve acabar em janeiro. Mas alguns especialistas do mercado não descartam a prorrogação do benefício, caso o desempenho das vendas de veículos em dezembro seja fraco.

O presidente do Sincodiv estima que os carros populares devem ficar, em média, 4,52% mais caros. “É um bom momento para a compra do carro, mas é difícil dizer se em 2015 as condições ficarão piores ou não”, alerta Leonardo.

Sobre o Sincodiv PA/ AP: O Sincodiv PA/ AP (Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Pará e Amapá) foi fundado em dezembro de 1989. Abrange a área de concessionários e distribuidores de veículos, com o objetivo de defender os direitos e interesses da categoria, tanto os coletivos como os individuais, na esfera administrativa ou judicial, junto aos demais sindicatos. Atua nos municípios dos Estados do Pará e Amapá.

Desempenho de todos os setores:

Automóveis: Em novembro, as vendas de automóveis cresceram 11,69% na comparação com outubro, passando de 3.080 unidades para 3.440. No acumulado do ano (jan-nov), o segmento apresenta queda de 5,97%.

Comerciais Leves: O segmento teve queda de 3,73% em novembro, passando de 1.554 em outubro para 1.496 em novembro. No acumulado do ano, os comerciais leves tiveram aumento de 8,63%.

Caminhões: Em novembro, os caminhões tiveram baixa de 11,22%, passando de 303 em outubro para 269 em novembro. No acumulado do ano, o segmento teve queda de 11,26%.

Ônibus: Os ônibus tiveram queda de 32,81%, passando de 128 unidades em outubro para 86 em novembro. No entanto, no acumulado do ano, o crescimento foi de 22,38%.

Motos: O segmento de duas rodas cresceu 9,83% em novembro, passando de 7.081 unidades em outubro para 7.777 em novembro. No acumulado do ano houve queda de 7,97%.

Implementos Rodoviários: Em novembro, os implementos rodoviários caíram 38,32%, passando de 107 unidades para 66 em novembro. No acumulado do ano ocorreu um crescimento de 3,32%.

Pará

Indústria automotiva paraense registra aumento na venda de veículos em setembro

AutomoveisO Estado se destaca e tem crescimento de 6,53% nas vendas em setembro. Belém, Ananindeua e Marabá se destacaram.

O último balanço do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP) trouxe boas notícias para a indústria automotiva paraense. O setor registrou aumento de 6,53% nas vendas de veículos, em setembro, comparado com o mês de agosto. No total, foram vendidas 12.749 unidades, em setembro, contra 11.967, em agosto. Foram contabilizados no balanço os emplacamentos de todos os segmentos, como automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas e implementos rodoviários.

Com relação ao mesmo período do ano passado, foram vendidas 12.671 unidades, com aumento de 0,62%. Já especificamente com relação aos segmentos de automóveis e comerciais leves, o aumento foi de 11,66%. Foram emplacadas 4.742 unidades. No setor de caminhões, o crescimento foi de 24,68% nas vendas. Outro setor com bom desempenho foi o de motocicletas, com aumento de 2,32%.

Segundo o presidente do Sincodiv PA/AP, Leonardo Pontes, o ritmo do setor é ditado pelo desempenho da economia e a região manteve um bom crescimento, mesmo com a retração no mercado nacional em 2014.

Desempenho municípios– No mês de setembro, Belém foi o município que mais emplacou veículos, no Pará. No setor de automóveis, a capital teve participação de 44,8% nas vendas, seguida de Ananindeua, com 9,7% e Marabá, com 7,1%. No segmento de caminhões, Belém alcançou 23,6% de participação. Barcarena e Parauapebas também tiveram bons desempenhos, marcando, respectivamente, 6,6% e 5,2% de presença nos emplacamentos. No segmento de motocicletas, a capital alcançou 12,1% de participação, seguida de Marabá, que obteve 7% e Ananindeua, que alcançou 4,3% das vendas.

Pará

Indústria automotiva paraense registra alta de 7,28%

Setor de caminhões foi o que mais cresceu, apresentando aumento de 32,54%

A venda de veículos no Pará registrou alta de 7,28% em maio, na comparação com o mês anterior. É o que aponta o balanço do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP). Foram emplacados 13.051 veículos, em maio, contra 12.165 em abril, entre automóveis, comerciais leves, motocicletas, caminhões, ônibus e implementos rodoviários.

Em maio, o segmento de automóveis e comerciais leves teve aumento de 13,99% sobre abril, totalizando 4.757 veículos vendidos. O setor de motocicletas também apresentou
crescimento, registrando um aumento de 3,74%. Foram emplacadas 7.741 motos, em maio, contra 7.462 em abril.

O setor de caminhões segue em franca recuperação, registrando alta de 32,54%.  “Maio foi o primeiro mês inteiro sob as novas normas para o financiamento de veículos desse porte. Isso deu um novo gás para as vendas no setor. O mês foi realmente produtivo. Além da alta sobre abril, o segmento de caminhões teve saldo positivo em relação ao mesmo período do ano passado, com crescimento de 15,42%”, comemora Leonardo Pontes, presidente do Sincodiv PA/AP.

Apesar do saldo positivo em maio, o acumulado dos cinco primeiros meses do ano apresentou retração de 2,42%. De janeiro a maio deste ano, foram emplacados 63.682 veículos contra 65.260 no mesmo período, representando menos 1.578 veículos novos no estado.

Interior na liderança de caminhões e ônibus

No segmento de automóveis, Belém continua na liderança, com 43,8% de participação, seguida por Ananindeua e Marabá, que marcaram participação de 8,3% e 6,4%, respectivamente. Já o setor de caminhões e ônibus foi liderado por Parauapebas. O município teve representação de 16,6% no volume de vendas no segmento de caminhões e 46,3% no setor de ônibus. Parauapebas ocupou, ainda, a terceira posição na venda de motocicletas, com 5,8%. O segmento de motos é liderado por Belém, com 12,3%, seguido de Marabá, com 6,3%.

error: Conteúdo protegido contra cópia!