Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Bancos

Marabá: teto da agência do Banpará desaba e aproveitadores levam o despojo

O prédio em questão está localizado na VP-8, principal via do comércio do núcleo Nova Marabá e foi construído no início da década de 1980

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

No início do feriado de Carnaval, o teto da antiga agência do Banpará, em Marabá, desabou e começou a atrair saqueadores, que passaram a retirar a fiação elétrica, peças de vidro, fechaduras e outros utensílios que permaneciam no prédio.

O prédio em questão está localizado na VP-8, principal via do comércio do núcleo Nova Marabá e foi construído no início da década de 1980, mas com paredes frágeis. Por diversas vezes a reforma do prédio foi adiada, apesar de técnicos terem indicado o risco de queda do teto.

Em março de 2015, todavia, finalmente a direção do Banpará alugou um prédio do grupo Leolar, a 200 metros dali, quase ao lado da Delegacia da Polícia Federal para abrigar a Agência Central do banco em Marabá.

Está prevista a construção de um novo prédio, ou adaptação do antigo, mas, passados dois anos, isso nunca aconteceu. Na noite de sexta-feira, em meio a uma chuva forte e ventania intensa, o teto do agência veio ao chão, levando medo para moradores de uma vila de Quitinetes localizada ao lado do velho banco. “A gente achava, no começo, que tinham jogado bomba na agência do Bradesco, que fica ao lado. Eu e minha esposa deitamos no chão e esperamos o pior”, mas só depois de 20 minutos que desconfiamos que não eram bandidos, porque o silêncio permanecia”, conta o comerciante Carlos André Souza.

No domingo, 27, quando a reportagem do blog esteve no local, algumas pessoas percorriam o interior do prédio arrasado atrás do que levar para casa – para ficar ou para vender e ganhar algum dinheiro.

A reportagem do Blog tentou falar por telefone com Diomar Freitas de Araújo, gerente de serviços internos do Banpará em Marabá, mas ela não atendeu às ligações nem na segunda nem terça-feira.

O governo do Estado vai colecionando aluguéis em Marabá, embora tenha prédios próprios para abrigar serviços públicos. É o caso do curso de medicina no município. As obras do prédio próprio iniciaram em 2011 e deveriam estar prontas no ano seguinte para abrigar as turmas que estavam entrando, mas até hoje os estudantes continuam tendo aulas em salas da Faculdade Metropolitana, para quem o Estado paga aluguel caro. Enquanto isso, as obras do prédio estão paradas.

Mais recentemente, o Estado alugou um prédio para abrigar a sede da Sespa em Marabá, para reformar o espaço próprio localizado no bairro Novo Horizonte. Passados três meses, nenhuma obra foi iniciada no local.

Banpará garante patrocínio aos clubes paraenses até o fim da temporada

Na próxima quarta-feira (23), os dez clubes que disputam o Campeonato Paraense de Futebol 2016 começam a receber a cota de patrocínio referente ao convênio celebrado pelo governo do Estado, por meio do Banpará (Banco do Estado do Pará) com a FPF (Federação Paraense de Futebol).

O convênio foi assinado nesta segunda-feira (21), e vai garantir aproximadamente R$ 3,5 milhões para todos os clubes na temporada de 2016: Águia de Marabá, Cametá, Independente, Paysandu, Paragominas, Parauapebas, Remo, São Francisco, São Raimundo e Tapajós. Dentre desse valor, o banco repassará R$ 120 mil ao campeão paraense de 2015, e, pela meritocracia, os três melhores colocados também recebem um valor em dinheiro.

Para o presidente do Banpará, Augusto Costa, a assinatura do convênio fortalece cada vez mais a sua política social de incentivo às práticas esportivas no Pará, bem como contribui fortemente com o entretenimento da população paraense. Pela Federação estiveram presentes o presidente, Adelcio Torres e o vice-presidente Maurício Bororó.

Segundo o presidente da FPF, Adelcio Torres, a parceria com o Banco demonstra o interesse que ambos possuem em valorizar cada vez o futebol paraense. “Hoje nós estamos oficializando a assinatura com o Banpará para fazer o repasse para os clubes, e acreditamos que essa parcela é de extrema importância para a realização do campeonato”, apontou. (APN)

Falha técnica bloqueia várias contas correntes no Banpará. Banco diz que regularização acontece nesta quinta-feira (28)

logoO Banco do Estado do Pará (Banpará) informa que, devido à falhas na rotina de processamento noturna, não foi realizada a baixa de parcelas de alguns empréstimos na modalidade Consignado/SEAD. O ocorrido resultou na duplicação das parcelas e, com isso, gerou o bloqueio do saldo de determinados clientes.

Neste sentido, o Banpará informa que já está adotando medidas para solucionar as falhas, visando o desbloqueio nas contas correntes que foram afetadas nesta quarta-feira, 27. A situação será solucionada nesta quinta-feira, 28. O banco assegura, ainda, que a parcela duplicada do consignado não será debitada na conta, uma vez que já foi descontada na fonte. (APN)

Pará

Governador em exercício Zequinha Marinho inaugura nova agência do Banpará em Eldorado dos Carajás

A 92ª agência do Banco do Estado do Pará (Banpará) em território paraense foi inaugurada na manhã desta segunda-feira (25), na sede municipal de Eldorado do Carajás, na região sudeste. A nova agência substitui o antigo posto, que já estava pequeno para atender à demanda local, e integra a meta do banco de chegar aos 144 municípios até o final de 2018.

FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ
DATA: 25.01.2016
ELDORADO DOS CARAJÓS - PARÁA 92ª agência do Banco do Estado do Pará (Banpará) em território paraense foi inaugurada na manhã desta segunda-feira (25), na sede municipal de Eldorado do Carajás, na região sudeste. A nova agência substitui o antigo posto, que já estava pequeno para atender à demanda local, e integra a meta do banco de chegar aos 144 municípios até o final de 2018. Para este ano, a previsão do plano de expansão inclui 113 municípios. Atualmente, o Banpará conta com 330 mil clientes.

“A cidade merecia uma agência desse porte. Ela tem uma grande movimentação financeira, tanto na zona urbana quanto na rural. Eldorado, por exemplo, sedia a maior e melhor bacia leiteira do Pará, e isso representa um grande fluxo de negócios. Grandes empresas de laticínios se ressentiam pela falta de instituições financeiras prontas para atendê-las. Hoje, o governo do Estado responde a este chamado por meio do Banpará, de maneira tranquila e qualificada”, afirmou o vice-governador Zequinha Marinho, presente à solenidade de inauguração, junto com o diretor de Fomento do Banpará, Jorge Antunes, e o prefeito de Eldorado, Francis Lopes de Sousa, além de empresários e políticos da região.

ZequinhaUm dos objetivos da instituição com a nova agência é oferecer, além de comodidade e segurança a clientes e funcionários, oportunidades para a implantação de novos empreendimentos e incentivar o desenvolvimento econômico do município.

Diferencial – Segundo Jorge Antunes, a instalação do banco na cidade também é garantia para investimentos não apenas para as grandes empresas, mas também para micros, pequenos e médios empreendedores. “Para o micro e o pequeno empresário o Banpará tem linhas de crédito específicas e parceria com o governo do Estado, por meio do CredCidadão. Para os grandes a gente tem a linha de crédito tradicional. O diferencial de investir no Banpará é saber que este capital circulará dentro do nosso Estado, pois este é um banco nosso e que investe para o desenvolvimento do Pará e seus municípios”, declarou o diretor de Fomento.

Empresário em Eldorado do Carajás, Clenilton Alves, 40 anos, atua no ramo de ferragens e reitera os benefícios que o banco trará para o crescimento da economia local. “É essencial uma agência dessas. Tínhamos um posto pequeno e, agora, além do conforto aos clientes, acredito que teremos uma linha de crédito mais acessível para nós, empresários do município”, disse ele.

O pastor Samuel Limiro da Silva, 54 anos, um dos cinco primeiros correntistas do Banpará em Eldorado, destacou a importância da comodidade que será proporcionada pela nova agência. “Antes tínhamos grandes dificuldades para fazer pagamentos. Muitas vezes precisávamos nos deslocar para Marabá. Hoje, a gente vê a importância dessa agência quando se tem uma folha de pagamento toda organizada, além da tranquilidade de se receber na própria agência, sem a necessidade de enfrentar filas no sol e na chuva”, ressaltou Samuel. (APN)

Bancários rejeitam proposta e greve completa 16 dias

Na negociação realizada na tarde da última terça-feira (20), os bancários rejeitaram a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste salarial de 7,5% e decidiram manter a greve, segundo informações da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Os bancários pedem reajuste salarial de 16%.

WP_20151021_08_31_56_Pro

De acordo com o Sindicato dos Bancários do Pará, no balanço da terça-feira, 20, o total de 422 agências de bancos públicos e privados aderiram à greve no Pará, o que representa 86% das agências bancárias do estado em paralisação. Nesta quarta-feira, a greve completa 16 dias e o impasse entre trabalhadores e bancos segue sem previsão de término.

A greve começou no dia 6 de outubro e alcança 12.496 unidades bancárias em todo o Brasil. A orientação tanto do Sindicato quanto do Comando Nacional dos Bancários, é que a categoria continue fortalecendo a greve até que as reivindicações sejam atendidas.

Em Parauapebas, todas as agências bancárias aderiram à greve e não faltam clientes reclamando. As casas lotéricas da cidade estão a cada dia mais lotadas, o local é o mais procurado pela população para realização de pagamentos e outras transações. “Todo ano tem essa greve, eu entendo que os funcionários têm seu direitos, mas quem sofre é a população com a falta do serviço”, comenta João Freitas, dono de um estabelecimento comercial no bairro Liberdade.

Além da reclamação das filas nos canais alternativos de pagamentos, outro problema é falta de dinheiro nos caixas eletrônicos. O comerciante Glauco Lima conta que depois de tentar várias vezes sacar dinheiro, somente hoje conseguiu realizar a transação, por falta de cédulas nos caixas eletrônicos.

“Os serviços dos bancos aqui na cidade são de péssima qualidade e com essa greve piora tudo. Perdemos tempo em filas enormes para evitar pagar juros nas contas e ainda temos que lidar com a falta de dinheiro no caixa eletrônico. Tá difícil”, declara o morador do Cidade Jardim.

Quase 30 mil farão as provas do concurso do Banpará neste domingo

banMilhares de candidatos disputam uma vaga no Concurso do Banpará, cuja prova será aplicada neste domingo, 18. O certame registrou quase 30 mil inscrições, o que constitui um recorde na história do banco. São homens e mulheres atraídos por bons salários e uma carreira estável, além de uma série de benefícios empregatícios que, num cenário de instabilidade como o vivido atualmente no Brasil, fazem toda a diferença. Os candidatos  concorrem a vagas para nível médio e superior.

Entre os benefícios diferenciados aos concursados estão remuneração inicial acima do salário base da carreira, anuênio, plano de saúde, plano odontológico, auxílio-creche ou auxílio-babá, Programa de Qualidade de Vida com médico e psicólogo), Abono Academia, auxílio-refeição e cesta-alimentação, licença prêmio, assistência social, vale-cultura, programa de desenvolvimento educacional (graduação e pós-graduação), plano de previdência privada, programa de Terapia Holística e abono assiduidade.

O Concurso do Banpará oferece vagas para o cargo de nível médio – Técnico Bancário e superior – nas áreas de Assistência Social, Medicina do Trabalho, Engenharia (Agronomia, Elétrica e Informática). As provas serão aplicadas no próximo domingo, 18, nos seguintes polos: Belém, Castanhal, Marabá e Santarém.

A empresa que realizará o concurso, AVR Assessoria Técnica LTDA – Epp (Exatus Promotores de Eventos e Consultorias), foi a vencedora da licitação realizada para o certame.

Fonte: Ag. Pará

Parauapebas

Banpará inaugura as novas instalações da Agência Parauapebas

Instalado no município de Parauapebas desde 2009, o Banco do Estado do Pará (Banpará) inaugurou, nesta terça-feira, 30, as novas instalações da Agência Parauapebas, com amplo e moderno espaço, adaptado, também, para atender as exigências de acessibilidade. A população da região será atendida com muito mais conforto e comodidade.

Banpará

Estiveram presentes na cerimônia, os diretores Jorge Antunes, da Diretoria de Crédito e Fomento (Dicre) e Geize Figueiredo, da Diretoria Financeira (Difin), funcionários, clientes e autoridades locais. De acordo com Jorge Antunes, a inauguração do novo prédio da Agência Parauapebas representa, para o Banco, o resgate de um compromisso assumido com os funcionários e clientes do município. “Estamos trabalhando para oferecer produtos com muito mais qualidade, para atender tanto o micro e pequeno, quanto o grande empresário, além da sociedade em geral. Dessa forma, cumprimos a nossa missão de atuar para o desenvolvimento econômico e social do Pará”, afirmou o diretor.

Os funcionários demonstraram muita satisfação em receber o novo prédio. Para o gerente geral Edmundo Andrade, esse momento representa a evolução do Banco, que investe diretamente no bem-estar dos clientes e funcionários. “Não tenho dúvidas de que com a equipe da agência de Parauapebas avançaremos muito mais em nossos resultados, temos todas as condições para fazer um trabalho bem feito e assim conquistar a satisfação dos nossos clientes”, ressaltou.

Para Diego Rodrigues, cliente do Banco há mais de seis anos, o novo prédio traz muito mais do que conforto e agilidade. “O amplo espaço proporciona uma maior comodidade para nós clientes, refletindo em melhor atendimento”, concluiu.

Serviço

A Agência Parauapebas está localizada na avenida dos Ipês, Lotes 24 e 25, Quadra 93, n° 100 , Bairro Residencial III. Atendimento ao público no horário de 10h as 15h. O autoatendimento funciona das 8h às 20 horas.

Funcionários (as) do Banpará sofrem com constantes assaltos

É madrugada. Homens armados invadem a sua casa. Fazem refém você e a sua família. Não importa se a sua esposa está grávida, se você é idoso, se há crianças no ambiente. Todos estão sujeitos a terem uma arma apontada para suas cabeças e suas vidas ceifadas ao menor descuido. Você fica sob ameaça constante a noite toda. Perto do amanhecer, os assaltantes se dividem. Uns sequestram sua família e os outros ficam com você. Te obrigam a ir até a sua unidade de trabalho, pegar todo o dinheiro do cofre e pagar o resgate de seus familiares em algum local que eles determinam. Caso não faça o que eles exigem, a ameaça é a morte de todos os sequestrados.

charge20assaltos20a20bancosEsse é o conhecido assalto no “Sapatinho”, violência a qual os funcionários (as) do Banpará vêm sofrendo constantemente. Somente este ano já ocorreram três: um na Agência BR-Ananindeua, em 2 de março; no PAB SEDUC, em 30 de março; e no Banpará de Rio Maria, no último dia 2 de abril. Fora as duas tentativas frustradas de sequestro no Sul e no Sudeste do Pará, no último dia 6 de abril, que os bancários perceberam as situações e conseguiram escapar.

Em 2014 ocorreram “Sapatinho” nas unidades BR-Ananindeua, PAB SEDUC, PAB TJE, Agência Santa Isabel, PAB Centur, Agência Telégrafo, Agência Pedreira e PAB Hospital Gaspar Vianna, respectivamente.

A diferença nesta modalidade de assalto é que ele não ocorre nas dependências do Banco, mas, sim, na residência do bancário (a), que fica sob ameaça constante e, caso não atenda as exigências dos bandidos, pode ter ceifada a vida de seus familiares.

Embora esse tipo de assalto seja o que mais ocorre no Banpará nos últimos anos, a direção do Banco nada tem feito para refrear este tipo de violência. Nenhuma resposta efetiva foi dada para proteger a vida do seu trabalhador e familiares, que ficam constantemente sob a mira dos bandidos, mesmo que a Associação dos Funcionários do Banpará (AFBEPA) pressione constantemente por mais segurança.

“É preciso que o Banpará tome alguma atitude para proteger a vida de seus funcionários (as) e familiares, pois são estas as verdadeiras vítimas da insegurança, do Sapatinho. O Banco sabe disso e nada tem feito para resolver. É preciso garantias de que, ao assumir alguma função de confiança no Banco, esta vida seja resguardada. Queremos cuidado e segurança com a vida, pois a vida do ser humano vale muito mais”, ressalta a presidente da AFBEPA, Kátia Furtado.

A insegurança bancária não pode continuar. É importante proteger o patrimônio financeiro, mas a vida do ser humano também é valiosa.

Texto: Kamilla Santos, Assessora de imprensa