Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Parauapebas goleia Pinheirense no Estádio Rosenão pelo Campeonato Paraense Sub-17

O PFC segue em quarto lugar e ficou perto da classificação para as quartas de final
Continua depois da publicidade

O Parauapebas Futebol Clube segue firme na briga por uma das vagas para as quartas de final do Campeonato Paraense da categoria Sub-17. Na manhã deste domingo (10), o PFC atropelou o Pinheirense de Icoaraci goelando o adversário, por 4 a 0, em jogo realizado no Estádio Rosenão.

O time do técnico João Paulo precisou apenas do 1° tempo para garantir mais três pontos na competição estadual. O Gigante de Aço abriu o placar com o gol do zagueiro Wendel, aos 20 minutos de bola rolando. Logo em seguida, o lateral-direito Kelfithi deixou sua marca, quando recebeu e chutou forte cobrindo o goleiro William Rafael, aos 24 minutos.

A equipe do Pinheirense pouco chegou e o PFC foi ampliando o marcador. O atacante Hítalo marcou o terceiro gol, após cruzamento na área, meteu a cabeça na bola, aos 26, e o meia habilidoso Tauan, deixou sua marca, aos 37 minutos jogados.

Na etapa final, o PFC não mostrou o mesmo futebol e acabou segurando o placar, apesar do General da Vila ter perdido dois jogadores expulsos, Matheus e Wallace, que foram para o chuveiro mais cedo na etapa derradeira. Placar final: Parauapebas 4 x 0 Pinheirense. O técnico João Paulo poupou alguns jogadores titulares pensando na partida decisiva contra a Desportiva Paraense, na próxima quarta-feira (13).

“Nos primeiros 20 minutos o time estava um pouco nervoso, depois que fizemos o primeiro gol, aos 20, mantivemos o total controle da partida. No intervalo tive que fazer algumas mudanças e trocamos seis atletas visando poupar para o jogo de quarta-feira, visto que temos atletas com dois cartões amarelos. Estou satisfeito com o resultado e principalmente pela evolução da equipe nos últimos jogos”, afirmou João Paulo, técnico do PFC.

O time do Parauapebas entrou em campo com: Willian; Kelfithi, Maiquel, Wendel e Janiel; Carlos, Ramon, Marcelo e Tauan; Hítalo e Rickelme, sendo comandado por João Paulo. Já a equipe do Pinheirense começou a partida com: Willian Rafael; Rafael, Riquelme, Marlisson e Wallace; Vicente, Daniel, Pedrinho e Marcos; Júnior e Elian, escalado pelo técnico Mailson Botelho.

Com o resultado, o Parauapebas segue em 4° lugar com 12 pontos, com grande possibilidade de avançar para as quartas de final do Campeonato Paraense Sub-17. O próximo desafio da equipe do PFC será diante da Desportiva, na quarta-feira (13), às 15h30, no Estádio Castanheirão, na comunidade Palmares Sul, em Parauapebas.

Por Fábio Relvas – Foto: Bruno Serejo

Esporte

Futebol: FPF se reuniu com os clubes que participarão da Segundinha do Parazão

A Federação sugeriu a ideia de limitar apenas cinco jogadores por partida com idade superior a 23 anos
Continua depois da publicidade

Representantes de clubes se reuniram com a cúpula da Federação Paraense de Futebol (FPF), na tarde desta quinta-feira (07), na sede da maior instituição de futebol do estado do Pará, localizada na capital Belém, para tratar sobre a disputa da Segunda Divisão do Campeonato Paraense, a chamada Segundinha do Parazão.

O Clube Atlético Paraense (CAParaense) foi representado pelo advogado Raulino Miranda Araújo, que juntamente com outros representantes de equipes como Pinheirense, Carajás, Tuna Luso Brasileira, Sport Belém, Izabelense, São Francisco, União Paraense, entre outros, se reuniu com a FPF para a pauta da Segundinha, onde discutiram todas as questões envolvendo a competição.

“O Clube Atlético Paraense é um clube novo, de 2014, onde tem sede em Parauapebas. Nós estamos nos profissionalizando e queremos disputar a Segundinha esse ano para poder ter o acesso ao paraense da primeira divisão”, disse Raulino Miranda Aaraújo.

Os clubes puderam discutir assuntos envolvendo o regulamento e a fórmula de disputa, que é muita questionada entre os participantes nas últimas edições. A previsão do início da competição é de 23 de setembro, um pouco mais cedo em comparação ao ano passado e deve trazer times novos, como o próprio Clube Atlético Paraense da cidade de Parauapebas e União Paraense do município de Benevides.

“O formato praticamente deve continuar o mesmo com grupos de três equipes e no máximo quatro para que possamos fazer que os clubes façam jogos de ida e volta, seria um formato diferente. A renda ficaria para o mandante em um formato enxuto para as equipes terem menos despesas e que nós possamos ter uma logística compatível para aquilo que nós estamos procurando de patrocínio”, afirmou Paulo Romano, diretor de competições da FPF.

A FPF vai marcar uma nova reunião com a esquipes, prevista para o dia 10 de agosto, para definir a tabela de jogos, as chaves, as condições dos estádios onde as partidas serão realizadas e a questão dos deslocamentos das equipes para os jogos. Um prazo foi estabelecido para os times confirmarem a presença e se regularizar junto a FPF. A data máxima ficou para o dia 31 de julho. A ideia da federação é realizar uma competição com 12 equipes.

Paulo Romano sugeriu uma proposta bem diferente para os representantes dos clubes que participaram do encontro. A ideia do diretor de competições da FPF foi inovadora e praticamente todos os times presentes aceitaram

“No regulamento deve constar que cada equipe só poderá relacionar cinco jogadores por partida com idade superior a 23 anos. Foi uma proposta que lancei e que foi aceita com quase 100% de sim entre os clubes participantes”, finalizou Paulo Romano.

A ideia foi muito bem aceita pelo CAParaense, que tem um projeto grandioso, onde visa principalmente as categorias de base, sendo assim, com a proposta do diretor da FPF, a Segundinha do Parazão será disputado por jovens atletas dos clubes participantes, com poucos jogadores veteranos.

“O formato de 23 anos seria o que estávamos pensando, em formar um time bem jovem. Se encaixa em nossos planejamentos. Muito boa a sugestão da FPF”, analisou Rafael Lopes, presidente do CAParaense.

Pará

Remo vence o São Raimundo no Mangueirão e está na final do Campeonato Paraense de 2018

Os atacantes Isac e Felipe Marques marcaram os gols que levaram o Leão Azul a mais uma final de Parazão
Continua depois da publicidade

O Clube do Remo garantiu vaga na final do Campeonato Paraense de 2018, ao derrotar o São Raimundo de Santarém, por 2 a 0, na tarde deste domingo (25), no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O atacante Isac abriu o placar, aos 45 minutos do 1º tempo e outro atacante Felipe Marques, aos 20 minutos do 2º tempo, garantiu o Leão Azul em mais uma final de Parazão.

Os jogos das finais do Parazão entre Clube do Remo e Paysandu, estão marcados para os próximos domingos, dias (01/04) e (08/04), ambos às 16h, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

A disputa do terceiro lugar, que vai valer vaga na Copa do Brasil de 2018, será entre São Raimundo e Bragantino, com primeiro jogo marcado para o próximo sábado (31/03) para o Estádio Barbalhão, em Santarém e o segundo para o dia (07/03) para o Estádio Diogão, em Bragança.

O jogo: Leão 2 x 0 Pantera – Clube do Remo na grande final – Vai ter Re x Pa!

Os dois times entraram em campo em um verdadeiro “toró”, muita chuva pela capital Belém. O time de Santarém chegou: após lançamento, Jeová dominou e chutou a esquerda de Vinícius. O Leão respondeu, quando Esquerdinha cruzou e na hora que a bola iria chegar em Isac, a zaga cortou para escanteio. Adenílson cobrou escanteio e Mimica cabeceou, a bola tocou na zaga e bateu na rede pelo lado de fora.

A chuva atrapalhou as descidas das equipes. Felipe Marques tocou por cima para Esquerdinha, mas a bola parou na poça de água. Em um contra-ataque do São Raimundo, Felipe recebeu lançamento e chutou cruzado, ninguém apareceu e zaga remista aliviou o perigo. O Remo deu o troco com Dudu, que recebeu lançamento de lateral, driblou a marcação e chutou por cima da meta de Jader.

O time santareno levava perigo em lançamentos: Jeová deixou Wendel na boa para marcar, mas a arbitragem assinalou impedimento. Na sequência, Jeová disparou de fora da área, Vinícius espalmou para o lado evitando o primeiro gol do jogo. Os azulinos chegaram quando Felipe Marques recebeu e lançou para Esquerdinha, que bateu por cima da meta do Pantera. Adenílson cobrou escanteio e Isac cabeceou firme, a bola passou perto assustando o goleiro Jader.

Mais uma a bola foi jogada na área, o zagueiro Mimica dominou estilo atacante e bateu colocado, a bola passou muito perto, a torcida remista ficou no “uh”. O zagueiro Mimica lançou na área, Isac dominou para marcar, mas a arbitragem paralisou e marcou impedimento do atacante do Remo. Mais um lançamento para Isac e outra vez a arbitragem assinalou impedimento. A vez do São Raimundo atacar através de lançamento, Felipe meteu para Wendel, e o jogo foi paralisado com mais um impedimento.
Em uma cobrança de falta, Leonardo recebeu e chutou sem direção para a sorte dos azulinos. Isac recebeu uma bola e mandou um chute de fora da área, muito longe da meta de Jader. O atacante remista recebeu muitas vaias das arquibancadas do Estádio Mangueirão. No lance seguinte, Levy cobrou falta e Isac subiu no meio da zaga e meteu a cabeça na bola, balançando as redes, aos 45 minutos, 1 a 0 Remo. Todos os jogadores do Leão foram abraçar o atacante muito vaiado pelo Fenômeno Azul.

No segundo tempo, o São Raimundo adiantou a marcação. Em descida perigosa, Jeová driblou Dudu e recebeu falta. Na cobrança, Bruno Limão bateu no canto e o goleiro Vinícius fez a defesa com tranquilidade. O Remo chegou pela esquerda, após cruzamento, a bola passou por Elielton e Isac furou na pequena área. Outra bola remista na área, após o bate rebate, Dudu pegou a sobra e chutou por cima, perdendo uma chance incrível.

Na outra tentativa do Remo, não teve jeito. Levy pela direita tocou no meio para Elielton, que cruzou rasteiro no meio da área, a bola passou pela zaga e Felipe Marques com muita categoria mandou para o fundo do gol, aos 20 minutos, 2 a 0 Leão Azul, explodindo o Mangueirão. No lance seguinte, o Remo quase marcou o terceiro em um chute de fora da área, o goleiro Jader defendeu no susto. Em um lance mais forte, Tetê deu carrinho em Elielton e o árbitro Andrey da Silva e Silva mostrou o cartão vermelho para o meio campo do Pantera, aos 31 minutos.

O São Raimundo teve a chance com João Victor, que cruzou da esquerda e a bola passou na frente de Hebert Chocolate, assustando Vinícius. Felipe Marques fez um carnaval na defesa do São Raimundo e tocou para trás, Elielton chutou, o goleiro Jader defendeu e na sobra, a arbitragem marcou impedimento do atacante Isac. M<ais a frente, Isac lançou para Felipe Marques, que passou da marcação, driblou o goleiro Jader, mas acabou perdendo o que seria o terceiro gol azulino. Bruno Limão agarrou Esquerdinha e também recebeu cartão vermelho, aos 47 minutos, o São Raimundo ficou com nove jogadores em campo. O árbitro Andrey da Silva e Silva levou até aos 51 minutos. Placar final: Remo 2 x 0 São Raimundo. Leão na final do Parazão 2018.

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Levy (Gustavo), Mimica, Bruno Maia e Esquerdinha; Dudu, Felipe Recife (Geandro) e Adenílson (Rodriguinho); Elielton, Felipe Marques e Isac. Técnico Givanildo Oliveira.

SÃO RAIMUNDO: Jader; Bruno Limão, Lucas, Sandro e João Victor; Tetê, Jeová, Leonardo (Romário) e Wendel (Hebert Chocolate); Felipe e Lima (Jefferson Monte Alegre). Técnico Vladimir de Jesus.

Árbitro: Andrey da Silva e Silva-CBF

Assistentes: Heronildo Sebastião Freitas da Silva-CBF e Luís Diego Nascimento Lopes-CBF

Quarto-árbitro: Joelson Nazareno Ferreira Cardoso-CBF

Quinto-árbitro: Rafael Rodrigues da Silva

Cartões amarelos: Esquerdinha, Felipe Recife, Levy e Dudu (Remo); Jeová, Moisés, Leonardo e Sandro (São Raimundo)

Cartões vermelhos: Tetê e Bruno Limão (São Raimundo)

Gols: Isac, aos 45 minutos do 1º tempo para o Remo; Felipe Marques, aos 20 minutos do 2º tempo para o Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Renda: R$ 217.660,00

Pagantes: 7.249

Sócio-Torcedor: 1.757

Não pagantes: 1.550

Total: 10.556

Por Fábio Relvas
Foto: Fábio Will / Remo

Pará

Bragantino vence o Paysandu no Estádio Diogão e larga na frente por uma vaga na final do Parazão

O Tubarão do Caeté abocanhou o Papão e agora ficou bem perto da final do Campeonato Paraense
Continua depois da publicidade

Bragantino e Paysandu entraram em campo na tarde desta quarta-feira (21) para o jogo de ida da semifinal do Campeonato Paraense de 2018. O Tubarão do Caeté mostrou a sua força e derrotou o Papão pelo placar de 2 a 0, no Estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança. Os gols da equipe do Braga saíram somente no segundo tempo: o atacante Mauro Ajuruteua entrou em campo e marcou aos 17 minutos e o zagueiro Gabriel Gonçalves fechou o placar para o time do interior, aos 21 da etapa derradeira.

Com a vitória, o Tubarão do Caeté pode até perder por um gol de diferença no jogo da volta, que mesmo assim garante vaga na grande decisão do Parazão 2018, já o Papão vai ter que vencer de três gols para ainda sonhar com o tricampeonato. A próxima partida entre as duas equipes está marcada para sábado (24), às 18h, no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém.

O jogo: Tubarão 2 x 0 Papão – Andou na prancha, cuidado, tubarão vai te pegar!

O jogo começou fora das quatro linhas, quando uma cláusula nos contratos por empréstimo dos jogadores Paulo Ricardo (goleiro), Alan Calberg (meio-campo) e Aslen Kevin (atacante), diz que o trio não poderia jogar contra o Paysandu, caso contrário, a diretoria do Bragantino teria que pagar ao Papão R$ 500 mil por cada jogador em campo, já que os atletas são do time bicolor e estão apenas emprestados. Durante a semana, o técnico Arthur Oliveira do Tubarão, afirmou que iria escalar os jogadores, mas na hora da entrada em campo nenhum dos três estavam na relação para o jogo.

Com a bola rolando, o forte calor atrapalhou os dois times, que sentiram a pressão no gramado pegando “fogo” do Diogão. As duas equipes poucos chegaram às metas adversárias e o árbitro Joelson Nazareno Ferreira Cardoso autorizou a parada técnica para os atletas se hidratarem, isso aos 30 minutos de bola rolando. No retorno para a partida, o Paysandu quase abriu o placar, quando Mateus Muller cruzou e o zagueiro Edimar subiu para testar firme, o goleiro Deco Júnior salvou o Tubarão com uma grande defesa. Mais uma vez o Papão: Maicon Silva cruzou na direção de Cassiano, o zagueiro Gabriel Gonçalves chegou cortando e quase marcou contra, o goleiro Deco Júnior atento evitou. Em uma jogada rápida do Bragantino, Paulo de Tárcio ficou livre para marcar, mas a arbitragem paralisou toda a jogada do time da casa e assinalou impedimento do volante do Braga.

Na etapa final, o time bicolor quase abriu o placar em uma bola parada: Fábio Matos cobrou falta, o zagueiro Diego Ivo subiu de cabeça e mandou por cima. Empurrado pela torcida, o Bragantino começou a reagir: João Leonardo fez uma bonita tabela com PC Timborana, mas a arbitragem assinalou impedimento outra vez. Em um contra-ataque rápido, Cassiano tocou para Moisés, o  atacante bicolor deixou a bola escapar e o zagueiro Romário do Tubarão aliviou o perigo. Mike do Papão tentou se livrar do marcador e caiu, o árbitro mandou seguir com a posse de bola ficando com Paulo de Tárcio, do Braga.

Aos 17 minutos, delírio do torcedor do Tubarão: Paulo de Tárcio cruzou, o zagueiro Diego Ivo tentou cortar desviando a bola, que sobrou para Mauro Ajuruteua, o atacante dominou e fuzilou para o fundo do barbante do goleiro Marcão, 1 a 0, Bragantino. Minutos depois, o atacante Moisés recebeu bom passe e mandou um chutaço, o goleiro Deco Júnior fez uma grande defesa salvando o time da casa. O Bragantino saiu em alta velocidade, o atacante Pecel chutou firme e parou na boa defesa do goleiro Marcão que espalmou para escanteio. Na sequência do lance, após cobrança do escanteio, a zaga bicolor não conseguiu afastar, a bola ficou com o zagueiro Gabriel Gonçalves, que tentou duas vezes e ampliou para o Tubarão, aos 21 minutos, 2 a 0, explodindo de vez o torcedor nas arquibancadas.

A torcida não parava de cantar e o Braga seguia atacando o Paysandu: Keoma experimentou um chute forte em cobrança de falta, a bola passou raspando a meta do goleiro Marcão.

Tímido para atacar, o Papão quase diminuiu, quando Danilo Pires cruzou para Cassiano, que não alcançou a bola. Em um contra-ataque quase que fulminante, o atacante Mauro Ajuruteua entrou livre e de cara, mandou para fora. O time bicolor começou a se arriscar mais: Maicon Silva cruzou na área, a zaga cortou e Mike mandou um chutaço, parando na defesa do goleiro Deco Júnior. Outra vez o time alviceleste no ataque, Mateus Muller cruzou para Maicon Silva, que cabeceou para fora e perdeu outra chance para o Paysandu. A última chance do Papão no jogo foi quando o volante Nando Carandina chutou sem direção, a bola acabou desviando e quase enganou o goleiro Deco Júnior. Placar final: Bragantino 2 x 0 Paysandu.

FICHA TÉCNICA

BRAGANTINO: Deco Júnior; Serafim, Romário, Gabriel Gonçalves e PC Timborana (Gabriel Lima); Keoma, Paulo de Tárcio, Eneilson e Kleber Queiroz (João Leonardo); Pecel e Romarinho (Mauro Ajuruteua). Técnico Artur Oliveira.

PAYSANDU: Marcão; Maicon Silva, Edimar, Diego Ivo e Matheus Muller; Nando Carandina, Cáceres (Danilo Pires) e Fábio Matos (Renan Gorne); Mike, Moisés (Walter) e Cassiano. Técnico Dado Cavalcanti.

Árbitro: Joelson Nazareno Ferreira Cardoso-CBF

Assistentes: José Ricardo Guimarães Coimbra-CBF e Dimmi Yuri das Chagas Cardoso-CBF

Quarto-árbitro: Gustavo Ramos Melo-CBF

Quinto-árbitro: Vering da Silva Farias

Cartões amarelos: Mauro Ajuruteua (Bragantino); Maicon Silva e Nando Carandina (Paysandu)

Gols: Mauro Ajuruteua, aos 17 minutos do 2º tempo e Gabriel Gonçalves, aos 21 minutos do 2º tempo para o Bragantino

Local: Estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança

Renda: R$ 135.000,00

Pagantes: 4.750

Credenciados: 250

Total: 5.000

Por Fabio Relvas – Foto: Fernando Torres / Ascom Paysandu

Marabá

A melancólica jornada de um Águia sem time e sem rumo

Diretoria dispensará nas próximas horas todo o elenco e futuro do técnico João Galvão ainda não está definido
Continua depois da publicidade

O Águia de Marabá venceu o último jogo pelo Campeonato Paraense neste domingo, 18, mas se despediu da competição com melancolia. A diretoria do Azulão se reforçou, planejou um time voando alto em 2022, batendo asas para cima a cada ano. Mas logo nos primeiros meses, amargou a mesmice: não se classificou para as semifinais e apenas celebrou o fato de não ter caído para a Segundinha da competição.

A vitória deste último domingo aconteceu diante de um São Raimundo desleixado, que não queria jogar (já estava classificado) e aceitou a pressão de um Águia quase amador. Por isso, o jogo foi tosco, chato e com o estádio com menos de um terço de torcedores em relação ao confronto com o Remo.

O ano acabou para o Águia antes mesmo do final do terceiro mês de 2018. Não tem mais Campeonato Paraense, Copa Verde, Terceira Divisão do Brasileiro, não tem mais nada. Só resta juntar os cacos e esperar o tempo passar. Se vier, novamente, com time caseiro para 2019, o risco de acontecer o mesmo é tão certo quanto a dinastia Galvão-Ferreirinha à frente do clube.

E o pior é que ninguém quer ser presidente do Águia de Marabá. Muitos torcedores, empresários e até mesmo a Imprensa criticam a longevidade de Sebastião Ferreira Neto como presidente, mas principalmente a eternidade do treinador João Galvão. E quem vai assumir a função de presidente? A de treinador é mais fácil, mas a responsabilidade sob gestão do clube ninguém quer ter sobre seus ombros.

Todos os anos se fala em mudança, após as competições. Mas elas não chegam. Os torcedores fazem suas conjecturas, se esguelam nas redes sociais, no próprio estádio, xingam Galvão. Mas os membros da diretoria se mantêm insensíveis, dizem tudo parte de um grupo pequeno de revoltados e não da torcida mesmo, de uma forma geral.

O presidente Ferreirinha alega que não pôde montar um time competitivo, com jogadores de mais peso e “rodados”, porque os recursos de patrocinadores não era suficiente para isso. Nos últimos anos, o número de empresas na camiseta do Águia foi diminuindo, deixou de ser uma poluição visual. Saiu Leolar, entrou Líder.

O presidente também aponta que o fato de o time ter jogado as primeiras partidas com mando de jogo fora de Marabá, enquanto o estádio Zinho Oliveira estava em reforma para troca do gramado, atrapalhou bastante o desempenho da equipe.

É possível que o projeto Águia 2022 seja sepultado no mesmo ano em que nasceu.

Por Ulisses Pompeu – correspondente em Marabá

Pará

Independente e São Raimundo estão de olho na classificação em um duelo que promete no Estádio Navegantão

Os dois times entram em campo com chance de classificação para a semifinal do Parazão de 2018
Continua depois da publicidade

Independente e São Raimundo fecham a nona rodada da primeira fase do Campeonato Paraense de 2018, nesta quarta-feira (14), às 20h, no Estádio Municipal Antônio Dias, o Navegantão, em Tucuruí. As duas equipes estão brigando por vaga na semifinal do estadual. No jogo de ida, os times aturam no Estádio Barbalhão, em Santarém, onde na ocasião ficaram no empate em 2 a 2.

Pelo lado do Galo Elétrico de Tucuruí, o técnico Júnior Amorim praticamente definiu a onzena titular em um coletivo apronto realizado na tarde desta segunda-feira. As novidades do time para o jogo diante do Pantera são os retornos do zagueiro Ezequias e meia Chicão, que não atuaram na última partida diante do Parauapebas. O zagueiro estava machucado, enquanto que o meia cumpriu suspensão após expulsão contra o Clube do Remo.

A baixa do time é o zagueiro Charles, que levou o terceiro cartão amarelo contra o PFC e vai ter que cumprir suspensão. Se o técnico Júnior Amorim manter a lógica da equipe base, o Independente Tucuruí deve entrar em campo com: Dida; Léo Rosa, Ezequias, Hallyson e Mocajuba; Leandrinho, Chicão e Fabricio; Wegno, Ray Gol e Betinho. O jogo virou uma decisão para o Galo Elétrico.

Já o adversário, o São Raimundo de Santarém, joga por um simples empate para conquistar a classificação. O técnico Vladimir de Jesus teve algumas baixas no elenco, com jogadores pedindo para deixar o clube na semana passada. Os atacantes Luiz Carlos “Imperador”, Sabino e Júnior Mineiro, além do zagueiro Renan, pediram liberação do Pantera santareno. Segundo informações da diretoria do clube, o quarteto alegou problemas pessoais. A surpresa maior foi à saída do atacante Luiz Carlos, que estava sempre atuando na equipe titular e correspondendo as expectativas. O Imperador atuou em quatro partidas com a camisa do São Raimundo, assinalando dois gols no Campeonato Paraense. Os atacantes Luiz Carlos e Sabino devem atuar juntos em um clube do futebol do nordeste. O técnico Vladimir de Jesus ainda não confirmou o time titular.

O jogo entre Independente e São Raimundo terá o apito de Wasley do Couto Leão-CBF, tendo as assistências de José Ricardo Guimarães Coimbra-CBF e Heronildo Sebastião Ferreira da Silva-CBF. O quarto árbitro será Melck Muller Soares de Almeida. Os ingressos estão a venda no valor de R$ 10.

Classificação do Parazão 2018

Chave A1
1° Paysandu: 19 pontos
2° Bragantino: 16 pontos
3° Independente: 13 pontos
4° Águia: 8 pontos
5° Cametá: 4 pontos

Chave A2
1° Remo: 19 pontos
2° São Raimundo: 13 pontos
3° Castanhal: 10 pontos
4° Paragominas: 10 pontos
5° Parauapebas: 8 pontos

Remo e Paysandu já estão classificados para a semifinal do Parazão e agora restam duas vagas. O Cametá está rebaixado para a Segundinha e outro clube será conhecido após a última rodada do dia 18 de março.

Futebol

Com garra em campo e cerveja na arquibancada, Águia recebe o Remo neste domingo

Confronto marca a reestreia do técnico Ginavildo Oliveira à frente do Leão e liberação de bebida alcoólica no estádio Zinho Oliveira após 10 anos
Continua depois da publicidade

Logo mais, às 17 horas, o Águia de Marabá recebe o Clube do Remo no Estádio Zinho Oliveira, para um duelo que vale muito para o Azulão de Marabá, que precisa vencer para continuar sonhando com classificação para as finais do Campeonato Paraense 2018.

Com o domingo de sol, a expectativa é que o campo não esteja pesado, como aconteceu no jogo contra o Parauapebas, na quinta-feira, na rodada anterior da competição. Após atuar longe de seus domínios durante todo o primeiro turno do Estadual, o que refletiu em uma má campanha, o Águia retornou ao Zinho Oliveira na rodada passada, conquistando uma boa vitória por 2 a 0 sobre o Paragominas. De acordo com o técnico João Galvão, a volta do time à praça esportiva é um dos elementos que ajudarão o Azulão a brigar por uma vaga na semifinal.

“Nosso estádio estava em reforma. Tivemos que atuar em Parauapebas como mandante, e isso nos prejudicou. Aqui o Remo não vai ter vida fácil. Respeitamos, é time grande. Mas aqui a coisa é diferente. Se vencer a partida encostamos na briga e é isso que queremos”, disse.

Ainda de acordo com o treinador, o time não fará mistério e jogará como vem jogando. “Queremos manter a regularidade. Temos um time de jovens, que precisam da sequência”, pontuou o treinador.

Depois de muita badalação ao redor da sua contratação, Givanildo Oliveira, enfim, poderá colocar toda sua experiência em prática à frente da comissão técnica do Clube do Remo, em confronto diante do Águia, às 17h de hoje, no estádio Zinho Oliveira, em Marabá.

Devido ao curto tempo que teve para treinar e se atualizar do grupo, o técnico não deverá alterar a escalação que foi mandada a campo na quarta-feira passada (28), com três atacantes. Contudo, apesar da manutenção na onzena, é esperada uma mudança significativa na postura do time ao longo dos 90 minutos, principalmente pela maneira incisiva de trabalho do Velho Giva, que pretende estrear com o pé direito, a exemplo da maioria de suas passagens anteriores pelo Leão.

CERVEJA E CHOPP

Por outro lado, independente do resultado, a torcida dos dois times têm o que comemorar. Esta semana, um Projeto de Lei aprovado na Câmara Municipal de Marabá permitiu a venda e o consumo de bebidas alcoólicas (exclusivamente cervejas e chopes) no estádio Zinho Oliveira já a partir deste domingo, dia 4 de março. O referido Projeto de Lei é de autoria do vereador Pedro Corrêa Lima, o Pedrinho, presidente da Câmara Municipal, que estendeu o alcance da referida legislação a ginásios e arenas desportivas durante a realização de eventos esportivos no município de Marabá.

De acordo com a Lei Municipal, o fornecedor deverá ser habilitado, mediante obtenção de alvará específico, laudos técnicos da Vigilância Sanitária, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, para poder realizar a venda de bebidas alcoólicas derivadas de cevada, preservando-se o que reza o art. 28 da Lei Federal nº 10.671, de 15 de maio de 2003.

As únicas bebidas alcoólicas que poderão ser vendidas e consumidas em recintos esportivos são a cerveja e o chopp, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

A venda deverá ser iniciada duas horas antes de começar a partida, durante os períodos de intervalo das partidas, provas ou equivalentes, encerrando dez minutos após o término do segundo tempo. A venda e o consumo de cerveja somente poderão ser realizadas em copos plásticos, descartáveis, admitindo o uso de copos promocionais de plástico ou de papel e somente em bares, lanchonetes, arquibancadas, camarotes e áreas VIP.

É proibida a venda e a entrega de bebida alcoólica derivada de cevada a pessoas menores de 18 anos, podendo o fornecedor ou pessoa física responsável por tais condutas, responder civil e criminalmente, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Por Ulisses Pompeu – Correspondente em Marabá

Futebol

Paysandu vence o São Raimundo de virada no Barbalhão e fica perto da vaga para a semifinal do Parazão

O Papão conseguiu virar para cima do Pantera no 2º tempo e disparou na Chave A1 com 19 pontos conquistados
Continua depois da publicidade

O Paysandu Sport Club voltou a vencer no Campeonato Paraense de 2018. Na noite deste sábado (03), o time do Papão bateu de virada o São Raimundo, por 2 a 1, no Estádio Municipal Jader Fontenelle Barbalho, o Barbalhão, em Santarém, e disparou na Chave A1 com 19 pontos. Já o Pantera segue na 2ª colocação da Chave A2 com 13 pontos somados.

O São Raimundo saiu na frente com o gol assinalado pelo atacante Felipe, aos 28 minutos do 1º tempo. Mas na segunda etapa, o Paysandu foi melhor e empatou com o gol do atacante Renan Gorne, e virou o marcador com Victor Lindenberg. O detalhe é que os dois jogadores que marcaram para o Paysandu, vieram do Botafogo-RJ.

O jogo: São Raimundo 1 x 2 Paysandu – De virada, Papão!

O Paysandu tentou surpreender o adversário com bolas na área e em uma delas, o zagueiro Derlan subiu para cortar e quase marcou contra, dando um susto no torcedor de Santarém. O São Raimundo deu o troco também com bola área na área, o zagueiro Sandro subiu bem de cabeça e o goleiro Marcão salvou o time bicolor. Na sequência, mais Pantera pelo lado direito com Jefferson Monte Alegre, o atacante mandou um balaço cruzado e Marcão salvou com os pés.

Embalado pela torcida, o São Raimundo chegou ao gol. Aos 28 minutos, Felipe entrou na área e bateu, o goleiro Marcão tentou salvar, mas a bola foi para o fundo das redes, 1 a 0, para delírio do torcedor no Barbalhão. Logo em seguida, o atacante Mike do Papão, tentou cavar um pênalti e o árbitro Joel Alberto Teixeira Rezende mostrou cartão amarelo por simulação para o jogador do time da capital.

O time da casa tinha espaço para atacar e em outra jogada de Jefferson Monte Alegre, o atacante do Pantera soltou o pé e parou em mais uma grande defesa do goleiro Marcão. Com dificuldades de entrar tocando na defesa adversária, os bicolores também resolveram arriscar de longe e quase o atacante Mike marcou, a bola passou perto da meta do goleiro Jader. O São Raimundo continuou alçando bolas na área e em outra tentativa, o meia Jeová quase ampliou de cabeça, o goleiro Marcão ficou só olhando.

Na volta para o 2º tempo e como precisava marcar o técnico Dado Cavalcanti do Paysandu colocou o atacante Walter, que é referência na frente, sacando Peu. Mas quem quase marcou foram os donos da casa. Após bate rebate dentro da área bicolor, Jefferson Monte Alegre cabeceou para a defesa de Marcão. A torcida se animou nas arquibancadas e o Pantera foi para cima. Wendell disparou de longe, a bola passou perto do travessão de Marcão. Só que foi o Papão que marcou.

Após boa jogada individual de Mateus Müller, Renan Gorne recebeu passe e teve tranquilidade para vencer o goleiro Jader e correr para o abraço, tudo igual: 1 a 1, aos 12 minutos. O zagueiro Sandro recebeu o segundo cartão amarelo e consequentemente o vermelho, sendo expulso de campo e deixando o Pantera com um jogador a menos, aos 14 minutos. Wendell estava testando os tiros de longa distância e em mais uma tentativa, a bola passou perto da trave de Marcão.

Em mais uma investida do São Raimundo, Jefferson Monte Alegre se livrou do marcador e chutou, parando em mais uma defesa do goleiro Marcão, que estava inspirado no jogo. Outra expulsão aconteceu aos 24 minutos, desta vez pelo lado do Paysandu. O lateral-esquerdo Mateus Müller, cometeu falta e recebeu o segundo cartão amarelo no jogo e em seguida o vermelho. O Papão quase virou com Fábio Matos, que em jogada individual soltou um petardo de longe, a bola passou muito perto.

O time bicolor conseguiu a virada com Victor Lindenberg, que arrancou em velocidade e chutou forte, aos 35 minutos, 2 a 1, enlouquecendo a Fiel Bicolor no Barbalhão. O Pantera não desistiu e quase empatou no finalzinho, com o sempre perigoso atacante Jefferson Monte Alegre, que recebeu bom passe e ficou de frente com Marcão, mas parou na defesa do goleiro alviceleste. Placar final São Raimundo 1 x 2 Paysandu.

FICHA TÉCNICA

SÃO RAIMUNDO: Jader; Bruno Limão, Moisés, Sandro e João Victor; Romário (Hércules), Wendell, Léo (Ciro) e Jeová (Tetê); Felipe e Jefferson Monte Alegre. Técnico: Vladimir de Jesus.

PAYSANDU: Marcão; Matheus Silva, Derlan, Edimar e Mateus Müller; Cáceres, Willyam e Fábio Matos; Mike (Magno Ribeiro), Peu (Walter) e Renan Gorne (Victor Lindenberg). Técnico: Dado Cavalcanti.

Árbitro: Joel Alberto Teixeira Rezende

Assistentes: Dimmi Yuri das Chagas Cardoso – CBF e Silvério Ferreira Pinto

Quarto-árbitro: Vanaldo Nascimento dos Santos Júnior

Cartões amarelos: Sandro e Bruno Limão (São Raimundo); Mike e Mateus Müller (Paysandu)

Cartões vermelhos: Sandro (São Raimundo) Mateus Müller (Paysandu)

Gols: Felipe, aos 28 minutos do 1º tempo para o São Raimundo; Renan Gorne, aos 12 minutos

Local: Estádio Municipal Jader Fontenelle Barbalho, o Barbalhão, em Santarém

Renda: R$ 118.950,00

Pagantes: 6.031

Credenciados: 774

Público Total: 6.805

Por Fábio Relvas