Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Desportiva Paraense vai mesclar juventude e experiência para surpreender na Segundinha

Walter Lima comanda a equipe de Marituba, que estreia contra o Parauapebas na segundinha, e vai em busca do acesso inédito para a elite do Parazão

Por Fábio Relvas

A Sociedade Desportiva Paraense (SDP) é um clube de empresários da cidade de Marituba e neste ano de 2017, vai para a sua terceira participação no Campeonato Paraense da segunda divisão e  está na Chave A2 ao lado de Parauapebas, Carajás, Tiradentes e Izabelense. Há três meses a equipe iniciou os trabalhos visando duas competições que coincidiram ao mesmo tempo: o sub-20 e a Segundinha.

Como o ideal do clube é garimpar novos talentos, a prioridade está sendo o Campeonato Paraense sub-20, já visando à participação na Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2018, vaga conquista após o vice-campeonato deste ano pelo sub-17, quando perdeu o título estadual da categoria para o Clube do Remo. O técnico da equipe é o experiente Walter Lima, que aposta na garotada e também em alguns jogadores mais experientes que vieram da equipe do São Francisco de Santarém, como o lateral-direito Andrei Lopes, o lateral-esquerdo Andrelino e os meias Juninho e Samuel. Esses atletas foram vice-campeões do Parazão em 2016.

“A Desportiva tem um plantel grande em se tratando das categorias sub-17 e sub-20, então são muitos jogadores e dentro desse quadro de jogadores é que nós dividimos as categorias. Hoje é da Segundinha e do sub-20. A minha ideia é que pudesse conciliar em função do calendário e que não coincidissem os jogos, mas infelizmente vai coincidir. Como a Segundinha é prioridade para dá uma base para a Copa São Paulo, agora são duas equipes para poder alternar e colocar os garotos para jogar e esse é o objetivo maior. Temos que ter sabedoria para conciliar e confiar nos atletas que irão”, afirmou Walter Lima.

O treinador não destaca jogadores dentro do grupo e sim o elenco como todo. A ideia na Segundinha é mesclar a experiência com a juventude da maioria dos atletas que estão a sua disposição para atuar na competição estadual. A melhor campanha da Desportiva na segunda divisão foi em 2015, quando chegou até a semifinal e foi eliminada pelo Águia de Marabá em jogo dramático no estádio Zinho Oliveira. Walter Lima vem acompanhando como pode o PFC, seu primeiro adversário na competição deste ano.

“Eu tenho acompanhando relativamente o time do Parauapebas. Hoje as informações elas viajam em uma velocidade muito rápida e te proporciona a ganhar o conhecimento e se embasar de conteúdo sobre alguma equipe. Tenho acompanhado assim, dessa maneira, nessas circunstâncias. Vejo a nível de escalação a equipe e os jogadores que estão no PFC. São jogadores que já estão acostumados a jogar, são qualificados, é uma boa equipe”, declarou Waltinho.

As principais informações que chegaram ao treinador sobre o Parauapebas Futebol Clube foi em relação aos jogos amistosos realizados pelo Gigante de Aço: um contra a Seleção de Canaã dos Carajás, no estádio Benezão, onde o placar terminou em 2 a 2 e outra partida diante do Gavião Kyikatejê, no estádio Rosenão, também com resultado de empate, desta vez em 0 a 0.
Waltinho sabe bem da qualidade do elenco adversário e aponta o PFC como um dos favorito para o acesso.

“No plano individual eu vejo assim as equipes mais fortes: Parauapebas, Tapajós, Bragantino e Tuna. São a equipes que procuraram pegar a nata dos jogadores que jogam no futebol paraense. Parauapebas até se reforçou com jogadores a mais que vieram de fora. Uma equipe que tem Thiago Potiguar, Flamel, Monga, Aleílson, Bilau e Wanderlan na defesa, é uma equipe super forte. Era uma equipe para disputar a primeira fase do Campeonato Paraense, não seria nem Segundinha. É uma equipe que dá ideia que está credenciada para subir para o Parazão em sua fase de elite. Seria um atropelo se não viesse essa classificação. É uma equipe muito qualificada, vejo assim dessa maneira”, finalizou o técnico.

O time da Desportiva venceu o Cruzeiro, por 4 a 2, no Centro de Treinamento (CT) de Marituba, nesta quinta-feira (12/10), valendo pelas oitavas de final do Campeonato Paraense sub-20. Com isso, a equipe vai enfrentar o Clube do Remo, nas quartas de final da competição, no domingo, dia do jogo contra o PFC pela Segundinha. Sendo assim, Walter Lima vai ter um quebra-cabeça para montar os dois times em ambas competições.

A Desportiva Paraense chega no próximo sábado na capital do minério para a estreia na Segundinha na luta pelo acesso inédito a elite do Parazão. A partida contra o Parauapebas Futebol Clube está marcada para domingo (15/10), às 16h, no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão.

Esporte

Dupla de volantes acredita no trabalho do PFC e quer o acesso para a elite do Parazão

Ambos os jogadores chegaram no final de semana e querem a vaga que garante o Gigante de Aço no Parazão 2018

Por Fábio Relvas – de Parauapebas

Mais dois reforços chegaram para defender as cores do Parauapebas Futebol Clube (PFC) na Segundinha do Campeonato Paraense. Os dois atletas são volantes e vieram de fora do estado do Pará. Trata-se de Francesco Alvarenga, de 26 anos, natural de Goiânia, e Everton Luis, de 33 anos, natural de São Paulo. Ambos vieram com o aval do técnico Everton Goiano. Os dois jogadores já começaram a treinar com o restante do grupo se preparando para os amistosos e Segundinha.

Francesco Alvarenga tem passagens por clubes como: Atlético (GO), Bragantino (SP), Guarani (SP), Vila Nova (GO), Itumbiara (GO), Botafogo (SP), CRAC (GO) e Goiânia (GO). O volante sabe da responsabilidade de vestir a camisa do Gigante de Aço e acredita no trabalho que vem sendo feito ao comando de Everton Goiano.

“Os trabalhos estão sendo bem focados. O professor vem fazendo os esquemas e vem trabalhando sério pra gente conseguir botar o PFC na elite do Campeonato Paraense”, disse Francesco.

Já Everton Luis, com pouco mais de experiência, passou por equipes como: Rio Branco (SP), São Bento (SP), Bragantino (SP), América (RJ), Gama (DF), Ipatinga (MG), Brasiliense (DF), Cabofriense (RJ), Comercial (MS), Madureira (RJ), Iporá (GO) e Anapolina (GO). Everton vive a expectativa de atuar pela primeira vez em um time do futebol paraense.

“A preparação vem sendo forte, a expectativa é a melhor possível. Alguns atletas eu tive o prazer de jogar junto, outros eu enfrentei no Campeonato Goiano desse ano. O trabalho que vem sendo feito tá sendo muito bem, então a gente espera conquistar os objetivos do clube que é subir para a 1ª divisão”, afirmou o volante.

A diretoria do PFC desistiu da contratação do volante Mael, que estava quase certo com o time para a disputa da Segundinha.

Futebol

Federação Paraense divulga tabela da “Segundinha” do Parazão e Parauapebas Futebol Clube vai estrear em casa contra a Desportiva

Resta a Federação Paraense de Futebol definir o local e o horário do confronto, que deve ocorrer no estádio Rosenão

Por Fábio Relvas –  de Parauapebas

A Federação Paraense de Futebol (FPF) divulgou na tarde desta terça-feira (19/09), a tabela e o regulamento da Segundinha do Parazão 2017. Resta a entidade maior do futebol do estado divulgar os locais e os horários dos jogos que ficaram pendentes.

O Parauapebas Futebol Clube (PFC), está na Chave II e vai fazer sua estreia no dia 15 de outubro, provavelmente no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, diante da Desportiva Paraense, clube da cidade de Marituba. Na segunda rodada, o Gigante de Aço vai atuar fora de casa contra o Tiradentes no dia 21 de outubro. Apesar do Tigre (como é conhecido o Tiradentes) ser um clube da capital Belém, geralmente manda suas partidas no estádio Lourival Cunha, em Barcarena. O terceiro adversário será o Izabelense de Santa Izabel do Pará, com provável partida no estádio Edilson Abreu no dia 24 de outubro. Para fechar sua participação na primeira fase, o PFC encara o Carajás, time da Ilha do Outeiro, com possível jogo no Rosenão, no dia 12 de novembro.

A Diretoria de Competições da FPF programou a semifinal para o dia 26 de novembro e a final para o dia 03 de dezembro. Segundo Maurício Bororó, vice-presidente da Federação Paraense de Futebol, nenhum dos 15 times desistiram da disputa e estão divididos em três chaves. O regulamento diz que os dois primeiros, ou seja, os finalistas da Segundinha garantem vaga na elite do Parazão 2018. Com isso, o Campeonato Paraense de 2018 vai seguir com 10 times na disputa: Paysandu, Remo, Independente, São Raimundo, Águia, Castanhal, Cametá, Paragominas e mais os dois classificados da Segundinha.

Chave A1: BRAGANTINO, SPORT BELÉM, PEDREIRA, VÊNUS, TUNA.

Chave A2: PARAUAPEBAS, CARAJÁS, DESPORTIVA, IZABELENSE, TIRADENTES.

Chave A3: PARAENSE, TAPAJÓS, GAVIÃO, SANTA ROSA, VILA RICA.


Futebol

Águia de Marabá começa temporada atrasado e aposta na base para o Parazão

Com dificuldades financeiras, Azulão inicia preparação apenas 15 dias antes da estreia na competição.

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

O Águia é o último entre os dez times do Campeonato Paraense a iniciar os treinamentos visando à estreia no Campeonato Paraense de 2017. A competição inicia no dia 28 deste mês e o Azulão marabaense só começou os preparativos nesta terça-feira, dia 10, portanto, 19 dias antes do primeiro jogo, contra o São Raimundo, no estádio Zinho Oliveira, em Marabá.

O time, mais uma vez comandado pelo “concursado” João Galvão, mescla jogadores experientes com as revelações da categoria de base. Os atletas foram apresentados à Imprensa e aos representantes de torcidas organizadas em uma cerimônia simples e rápida pouco antes do início dos treinos na sede do clube, no bairro Cidade Nova, em Marabá.

Ao todo, 18 jogadores já estão confirmados no elenco, alguns deles experientes, mas outros ainda sem nenhuma partida disputada em time profissional. É o caso do meia Felipinho, 20 anos, que foi destaque pelo Águia no Sub-20 e será aproveitado na equipe principal. Com ele, outros oito jogadores têm 20 anos ou menos. O caçula é Ricardo, 18 anos.

O presidente do Águia, Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, informou que o técnico João Galvão ainda vai avaliar outros jogadores da categoria de base para saber se algum deles tem condições de ser aproveitado no time principal.

Os 18 jogadores que já estão confirmados no elenco são:

  • goleiros Maieki Douglas, Marcelo e Derik;
  • lateral direito Carlos Eduardo;
  • zagueiros Roberto e Bernardo;
  • lateral esquerdo Edinaldo;
  • volantes Ramon, Wando, Robert e Caique;
  • meias Filipinho e Erick;
  • atacantes: Bruno, Vinícius, Cléo, Tiago Mandi e Dias.

Filipinho foi o único do Sub-20 que mereceu destaque de Galvão. Ele disse que observou bastante o atleta durante os jogos da base e ficou encantado com o que viu. Todavia, advertiu que não se pode colocar tanta responsabilidade sobre seus ombros e que o jogador precisa mostrar humildade e disciplina para atuar bem.

Filipinho disse que ficou bastante eufórico com o chamado para o time principal do Águia, mas que vai observar bastante os jogadores mais experientes e ouvir os conselhos do novo “professor” para poder evoluir. Bastante inseguro na entrevista, Filipinho confessou que a timidez é permanente, mas que em campo as pernas falam mais alto e o jogo flui com naturalidade.

Ferreirinha informou que a mini pré-temporada deverá terá como palco o campo da Estação Conhecimento, no núcleo São Félix. “Todos sabem que estamos passando por dificuldades financeiras, mas mesmo assim a equipe está sendo montada para disputar as duas competições que teremos neste primeiro semestre, com ajuda de alguns parceiros importantes”, disse Ferreirinha.

Um dos patrocinadores mais antigos da equipe, a Leolar, enfrenta dificuldades financeiras e por isso não estampa mais a marca na camiseta do Águia para esta temporada. A Prefeitura também é outra que está impossibilitada de injetar dinheiro na equipe. Por conta disso, a diretoria está focada no apoio de novos sócio-torcedores.

DIRETORIA AFINADA

Os discursos dos quatro membros da diretoria do Águia durante a apresentação dos jogadores foi marcado por uma palavra em comum: “união”. E motivos para a superação não faltam: a equipe é a última do Parazão a iniciar os preparativos e ainda uma das mais baratas, com vários jogadores sem experiência profissional.

O presidente Sebastião Ferreira Neto contou o bê-a-bá à equipe, repetindo a palavra “união” exatamente 13 vezes. Um a um ele apresentou os atletas, dizendo de onde vinham e a posição em que vão jogar.

Ferreirinha reconheceu o momento de fragilidade financeira, mas garantiu que a diretoria vai correr atrás para garantir o pagamento dos jogadores, como sempre fez. “Estamos iniciando atrasados por vários problemas”.

O presidente agradeceu a presença e apoio do vice-presidente do Águia, vereador Pedro Correa, do deputado estadual João Chamon, juiz federal Jonatas dos Santos Andrade, do treinador João Galvão, do gerente de futebol José Wilton, massagista Nivaldo, preparador de goleiros Wellington Ramos e do novo preparador físico do time, Alexandre Barreto. “As torcidas organizadas têm sido fundamentais para nossa equipe, inclusive neste momento de dificuldades”, reconheceu.

O vereador e presidente da Câmara Pedro Correa disse que, no passado, muito se criticou porque a dupla Galvão-Ferreirinha não dava espaço para a “prata da casa”, mas agora os jogadores jovens, de Marabá e região, estão tendo oportunidade de ouro para jogar na equipe principal. “Não se faz campeão com medalhões. Tenho certeza que a base vai mostrar seu valor neste campeonato. Temos muitos compromissos, mas tiramos um tempo em nossa agenda apertada para trabalhar para o Águia, e esperamos que vocês valorizem isso”, disse Pedrinho.

O juiz Jonatas Andrade lembrou que, no passado, Marabá era conhecida pela violência, mas a trajetória do Águia, levando o nome da cidade, ajudou a amenizar essa imagem. “A sociedade está empenhada em se livrar do estigma de violenta. E o Águia é quem melhor transmite essa mensagem. A intenção é superar o momento ruim e crescer, como fizeram a Chapecoense e o Ituano”, comparou o magistrado, que também é membro da diretoria.

Pará

Campeonato paraense: em confronto de líderes, Parauapebas encara o São Raimundo

Neste sábado, três jogos abrem a quarta rodada da Taça Estado do Pará, segundo turno do Campeonato Paraense. O Parauapebas, líder do Grupo A1 com cinco pontos, encara o primeiro colocado do Grupo A2, São Raimundo, que possui seis pontos. O jogo será no estádio Rosenão, em Parauapebas, às 20 horas.

No mesmo horário, o Paragominas enfrenta o Águia de Marabá, na Arena Verde, em Paragominas, às 20 horas. Já no Parque do Bacurau, em Cametá, o Cametá tenta entrar no G-2 do Grupo A1 diante do Independente, vice-líder do Grupo A1.

No domingo, às 16 horas, no estádio Mangueirão, o clássico Re-Pa agita a rodada. A expectativa é de casa cheia, já que o estádio foi liberado para um público de 35 mil pessoas e o preço do ingresso chega a ser de R$ 30.

O Paysandu, mandante do jogo, ocupa a terceira posição do Grupo A2 com cinco pontos, enquanto o Remo está em quarto no Grupo A1 com dois pontos.

A última partida da rodada acontece às 18 horas, no estádio Colosso dos Tapajós. O time da casa, que está em quinto do Grupo A2 com quatro pontos, recebe o São Francisco, que tem a mesma pontuação, mas é vice-líder do Grupo A1.

 

 

Banpará garante patrocínio aos clubes paraenses até o fim da temporada

Na próxima quarta-feira (23), os dez clubes que disputam o Campeonato Paraense de Futebol 2016 começam a receber a cota de patrocínio referente ao convênio celebrado pelo governo do Estado, por meio do Banpará (Banco do Estado do Pará) com a FPF (Federação Paraense de Futebol).

O convênio foi assinado nesta segunda-feira (21), e vai garantir aproximadamente R$ 3,5 milhões para todos os clubes na temporada de 2016: Águia de Marabá, Cametá, Independente, Paysandu, Paragominas, Parauapebas, Remo, São Francisco, São Raimundo e Tapajós. Dentre desse valor, o banco repassará R$ 120 mil ao campeão paraense de 2015, e, pela meritocracia, os três melhores colocados também recebem um valor em dinheiro.

Para o presidente do Banpará, Augusto Costa, a assinatura do convênio fortalece cada vez mais a sua política social de incentivo às práticas esportivas no Pará, bem como contribui fortemente com o entretenimento da população paraense. Pela Federação estiveram presentes o presidente, Adelcio Torres e o vice-presidente Maurício Bororó.

Segundo o presidente da FPF, Adelcio Torres, a parceria com o Banco demonstra o interesse que ambos possuem em valorizar cada vez o futebol paraense. “Hoje nós estamos oficializando a assinatura com o Banpará para fazer o repasse para os clubes, e acreditamos que essa parcela é de extrema importância para a realização do campeonato”, apontou. (APN)

Pará

Sicredi apoia Campeonato Paraense de Futebol

SicredO Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 3,1 milhões de associados no Brasil, marca presença nos gramados do futebol profissional paraense. Com a parceria o Sicredi reforça o apoio da instituição cooperativa ao esporte e a valorização das comunidades onde o Sicredi atua. Símbolos da parceria, placas com a marca Sicredi estarão nos campos em todos os jogos do campeonato, até maio.

“É uma honra pra nós, do Sicredi, apoiar essa legítima manifestação popular, que é o futebol. Nós vemos nesse importante esporte marcas que também são as do cooperativismo: a união de pessoas e o orgulho de pertencer a determinada cidade ou comunidade”, destaca o presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Carlos Spenthof. A Central responde pelas cooperativas do Sicredi nos Estados do Pará, Mato Grosso, Rondônia e Acre.

Para Ricardo Marques, presidente da Sicredi Carajás PA, cooperativa que atua na região sudeste do Pará, o apoio ao campeonato paraense reforça “o processo de expansão do Sicredi no estado, uma vez que o cata-vento da cooperação, símbolo do Sicredi, estará cada vez mais presente e visível a toda população do estado do Pará”.

O Campeonato Paraense de Futebol Profissional da 1º Divisão começou no dia 30 de janeiro e vai até o dia 08 de maio. A temporada 2016 reúne 10 times do Estado. A tabela completa dos jogos e mais informações podem ser conferidas pelo torcedor no site da Federação Paraense de Futebol (FPF), pelo www.fpfpara.com.br.

Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa com mais de 3,1 milhões de associados e 1.390 pontos de atendimento, em 11 Estados do País (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Pará, Rondônia e Goiás . Organizado em um sistema com padrão operacional único, conta com 95 cooperativas de crédito filiadas, distribuídas em quatro Centrais Regionais, acionistas da Sicredi Participações S.A., uma Confederação, uma Fundação e um Banco Cooperativo, que controla uma Corretora de Seguros, uma Administradora de Cartões e uma Administradora de Consórcios.

Paysandu vence o Remo nos pênaltis e conquista o 1º turno do Campeonato Paraense 2016

paysandu_1O Paysandu é o campeão da Taça Cidade de Belém. O Papão só ficou com a taça após vencer o arquirrival Remo, em pleno Mangueirão, por 4 a 1 nas penalidades máximas. No tempo normal, o Papão vencia até aos 39 minutos do segundo tempo, quando sofreu o gol de empate.

Com isso, o Paysandu já está confirmado na Copa do Brasil e na Copa Verde 2017, pois ficará entre os três melhores do Campeonato Paraense.

O JOGO
Clássico é clássico e vice-versa. Remo e Paysandu fizeram um primeiro tempo com boas chances de gols. O cartão de boas-vindas foi do Papão num belo voleio de Betinho, que passou rente ao travessão. A resposta foi de Lecy, que chutou para a grande defesa de Emerson. Na sobra, Ciro tentou, mas também ficou no arqueiro.

Paysandu derrota Remo e é campeão

Paysandu derrota Remo e é campeão

Aos 30 minutos, uma infelicidade do meia Eduardo Ramos fez o Paysandu abrir o marcador. Após cobrança de falta de Marcelo Costa, o jogador do Remo jogou contra a própria rede. O árbitro, porém, assinalou para o meia do Papão. Apesar da forte chuva que caiu em Belém, a partida seguia à todo vapor. Atrás do placar, o Remo esboçou uma reação final, mas não conseguiu passar pelo bloqueio adversário.

No segundo tempo, o panorama do jogo mudou, foi praticamente um ataque contra defesa. O Paysandu recuou e deu campo para o Remo, que foi para a pressão em busca do empate. Aos 18 minutos, Welthon invadiu a área e chutou para defesa do goleiro Emerson, que jogou a bola para escanteio.

Apesar de ter três atacantes em campo, o Papão marcava atrás da linha da bola, porém, acabou surpreendido aos 39 minutos. Welthon foi derrubado pelo goleiro Emerson, que acabou expulso, e o árbitro marcou penalidade máxima. Na cobrança, Eduardo Ramos se reabilitou e levou o jogo para os pênaltis.

Na marca da cal, Leandro Cearense, Bruno Veiga, Augusto Recife e Raphael Luz foram o responsáveis pelo título do Papão. O Remo marcou apenas o primeiro com Eduardo Ramos. Léo Paraíba e Ciro desperdiçaram suas cobranças.

FICHA TÉCNICA – PAYSANDU 1 (4) X (1) 1 REMO

  • PAYSANDU – Emerson; Roniery, Fernando Lombardi, Pablo e Lucas; Ricardo Capanema, Augusto Recife, Raphael Luz e Marcelo Costa (Bruno Veiga); Fabinho Alves (Marcão) e Betinho (Leandro Cearense). Técnico – Dado Cavalcanti.
  • REMO – Fernando Henrique; Murilo (João Victor), Ítalo, Henrique e Levy; Michel, Alisson, Yuri (Léo Paraíba), Marco Goiano (Welthon) e Eduardo Ramos; Ciro. Técnico – Leston Junior.

ÁRBITRO – Joelson Nazareno,

RENDA: R$ 350.265,00 – PÚBLICO PAGANTE: 15.584  – CREDENCIADOS: 2.535  – PÚBLICO TOTAL: 18.119

LOCAL – Estádio Mangueirão, em Belém (PA)

error: Content is protected !!