Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Transporte

Vale tem pedido para ajustar metas de produção na Estrada de Ferro Carajás negado pela ANTT

Em nota,a Vale informou que o atual modelo de Agências prevê que as concessionárias devem ter metas de desempenho aferidas e avaliadas periodicamente.

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) decidiu indeferir um pedido da mineradora Vale para ajustar metas de produção para a Estrada de Ferro Carajás – EFC no ano de 2017, segundo publicação do órgão regulador no Diário Oficial da União desta segunda-feira.

De acordo com a resolução da ANTT, ficam mantidas as metas de produção definidas anteriormente para Carajás.

A publicação da ANTT não detalha qual era o pleito da Vale para as metas, mas, em nota enviada ao Blog, a Assessoria de Imprensa da Vale informou que “o ajuste anual de metas é um processo comum e regular junto à ANTT. O atual modelo de Agências prevê que as concessionárias devem ter metas de desempenho aferidas e avaliadas periodicamente. Como as metas de produção dependem do volume de clientes, e fatores externos podem impactar negativamente (quebra de safra, por exemplo), a legislação prevê a possibilidade de pedido justificado de ajustes anuais nas metas pactuadas, cabendo à Agência acatar ou não“.

A nota conclui informando que “a negativa não impacta a prestação adequada do serviço. A Vale sempre busca seguir todos os trâmites necessários e reforçar seus compromissos com o Poder Concedente, usuários e sociedade“.

Futebol

Parauapebas fica no empate sem gols diante do Carajás no estádio Rosenão, mas avança na Segundinha do Parazão

O time do Gigante de Aço vai aguardar a última rodada da 1ª fase para saber sua posição na Chave A2

Por Fábio Relvas

O Parauapebas Futebol Clube não conseguiu furar o bloqueio do Carajás e ficou só no empate sem gols na tarde deste domingo (05/11), no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. O jogo foi válido pela 4ª rodada da 1ª fase da competição estadual. Com o resultado, o PFC garantiu vaga na 2ª fase da Segundinha do Parazão. O Gigante de Aço foi para 8 pontos e segue líder da Chave A2 e vai aguardar o resultado da 5ª rodada entre Tiradentes e Izabelense para saber se fica em 1º ou em 2ª lugar. O time parauapebense folga na próxima rodada.

O jogo: 0 a 0
Antes do primeiro minuto de jogo, o PFC quase abriu o placar. O lateral Wanderson cruzou da direita, o zagueiro Martony chegou na frente salvando o Carajás. O Pica-Pau assustou logo depois, quando Caio encontrou Edinaldo na esquerda que cruzou para trás, Léo Rosa chutou cruzado, a zaga cortou mal e Ronaldo ficou de cara para abrir o placar, mas conseguiu chutar para fora.

Em um escanteio, Martony cabeceou para o meio e a bola passou na boca do gol e ninguém do Carajás chegou para completar. Com o forte calor no estádio Rosenão, o árbitro Olivaldo José Alves Moraes deu a parada técnica para os jogadores se hidratarem em campo. Na volta para o jogo, o PFC quase chegou lá, após a bela jogada de Aleílson, que tocou na esquerda para Neilson, mas o chute cruzado passou de todo mundo, levantando a torcida nas arquibancadas.

No segundo tempo, Bruno Leite arrancou pela direita e cruzou rasteiro em cima do goleiro Evandro Gigante. O Pica-Pau do Outeiro assustou, depois que o atacante Davi dividiu uma bola na área e ficou com a sobra, mas o tiro saiu por cima da meta de Cleriston. Em um cruzamento de Léo Rosa da direita, a bola ficou na área até o toque do zagueiro Alan e mais uma vez apareceu bem o goleiro Cleriston para defender.

O time do Carajás chegou em um chute de fora da área desferido por Marcos, o goleiro Cleriston de mão trocada mandou para escanteio.  Depois de levar sustos, finalmente o PFC chegou com Bruno Leite, que entrou livre e bateu cruzado, ninguém apareceu para marcar. Em uma sobra de bola, Gilberto cruzou para Aleilson, que cabeceou em cima do goleiro Evandro Gigante.

O meia Flamel resolveu mostrar sua categoria e fez uma boa jogada para cima do zagueiro Alan do Carajás, que cometeu uma falta mais forte e acabou levando o segundo cartão amarelo e consequentemente o vermelho. Apesar de ter um jogador a mais, o Gigante de Aço não conseguiu se impor dentro de campo e não assustou o adversário. Placar final: Parauapebas 0 x 0 Carajás.

“Tivemos três chances no começo do jogo e infelizmente não colocamos para dentro. Fomos bem melhores no 1º tempo. No 2º tempo eles equilibraram o jogo com as mudanças deles e no final do jogo com a expulsão nossa com dez minutos que faltavam ficou mais complicado. Tentamos fechar ali com duas linhas de quatro e conseguimos buscar um ponto que era o objetivo nosso. Uma vitória é claro seria o primeiro, mas esse um ponto sem sombra de dúvida nos dá total condição de conseguir uma vitória (contra a Desportiva) lá em Belém e conseguir a classificação”, afirmou Lindomar de Jesus, técnico do Carajás.

“Um jogo bem disputado. A equipe deles a gente sabia que era forte, jogadores que tem uma rodagem boa. Foi uma deficiência nossa, já que faltou tranquilidade para trabalhar a bola, nós fizemos de 10 a 12 minutos com um elemento a mais. Acredito que hoje a grande diferença tenha sido a gente não ter conseguido o resultado positivo, da gente não ter caprichado nos passes, nos cruzamentos quando a gente chega na linha de fundo para fazer esse passe para trás. Vamos trabalhar isso e caprichar um pouco mais”, analisou Everton Goiano, técnico do Parauapebas.

FICHA TÉCNICA

PARAUAPEBAS: Cleriston; Wanderson (Bruno Leite), Cris, Wanderlan e Neilson; Francesco, Gilberto, Felipe Baiano e Thiago Potiguar (Flamel); Tozim (Danúbio) e Aleilson. Técnico: Everton Goiano.

CARAJÁS: Evandro Gigante; Léo Rosa, Martony, Alan e Caio (Marcos); Ricardo Capanema, Tanja, Ronaldo (Nadson) e Edinaldo; Daniel Papa-léguas (Marcelo Brás) e Davi. Técnico: Lindomar de Jesus.

Árbitro: Olivaldo José Alves Moraes

Assistentes: Ivaldo de Oliveira dos Santos e Antônio Alves Teixeira Filho

Quarto-árbitro: Elerson Fernandes da Silva

Cartões amarelos: Wanderson (Parauapebas); Alan e Caio (Carajás)

Cartão vermelho: Alan (Carajás)

Local: estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas

Resultados da Segundinha:
Chave A1
Vênus 1 x 1 Tuna

Chave A2
Izabelense 1 x 0 Desportiva
Parauapebas 0 x 0 Carajás

Chave A3
Tapajós 10 x 0 Paraense
Gavião Kyikatejê 0 x 0 Santa Rosa

Mineração

Vale bate recorde trimestral na produção de minério de ferro.

A produção de minério de ferro da Vale atingiu recorde trimestral de 95,1 milhões de toneladas de julho a setembro deste ano, aumento de 3,3% na comparação com o mesmo período de 2016.

A Vale produziu, no terceiro trimestre deste ano, 95,1 milhões de toneladas de minério de ferro, alta de 3,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram produzidas 92,09 milhões de toneladas da commoditie. Segundo o relatório trimestral da empresa, divulgado hoje (19), o aumento ocorreu devido a melhor performance operacional no Sistema Norte e ao ramp-up de S11D.

No acumulado dos nove primeiros meses deste ano, a produção de minério de ferro da mineradora aumentou 6,5% ante o mesmo período do ano passado, totalizando 275,15 milhões de toneladas.

“Conforme anunciado no Relatório de Produção do 2T17, a produção de minério de alta sílica originado nos Sistemas Sul e Sudeste foi reduzida em quantidade anualizada de 19 Mt. Desta forma, a produção ficará próxima ao limite inferior da faixa 360 – 380 Mt para 2017, em linha com a estratégia atual de maximização de margem. A Vale reafirma o caso base de sua meta de produção de longo prazo de 400 Mt por ano”, declarou a mineradora.

O Sistema Norte, que compreende Carajás, Serra Leste e S11D, atingiu recorde trimestral de 45 milhões de toneladas no terceiro trimestre deste ano, produzindo 16,4% a mais do que no mesmo período de 2016, devido ao ramp-up do S11D, que está avançando conforme o planejado, à melhor performance operacional na mina e na planta de Carajás e à sazonalidade climática.

Já o Sistema Sudeste, que compreende os complexos das minas de Itabira, Minas Centrais e Mariana, produziu 26,9 milhões de toneladas julho a setembro, queda de 1,3% ante as 27,2 milhões de toneladas produzidas no mesmo período do ano passado. “Isto se deveu, principalmente, à redução da produção em algumas minas com a finalidade de priorizar margens mais altas”, afirma a Vale.

O Sistema Sul, formado pelos complexos das minas de Paraopeba, Vargem Grande e Minas Itabirito, produziu 22,6 milhões de toneladas no terceiro trimestre, queda de 12% ante o mesmo trimestre do ano passado, queda de 12% na comparação com o mesmo período de 2016, quando foram produzidas 25,6 milhões de toneladas, devido, principalmente, à redução da produção em algumas minas, também como forma de priorizar margens mais altas.

O Sistema Centro-Oeste, que compreende as minas de Urucum e Corumbá, produziu 632 mil toneladas de julho a setembro, aumento de 13,9% ante as 554 mil toneladas do mesmo período de 2016, como resultado da estratégia corrente da Vale para otimizar margens.

Governo do Pará

Sete municípios da região Carajás ganham reforço na saúde básica com novas ambulâncias

Em 2017, até agosto, o Governo do Pará entregou o valor total de R$ 4.260.904,45 em equipamentos para a saúde, como resultado de emendas parlamentares de deputados estaduais.

Em cerimônia realizada nesta quinta-feira (05), os municípios de Bom Jesus do Tocantins, Curionópolis, Eldorado do Carajás, Marabá, Palestina do Pará, São Domingos do Araguaia e São Geraldo do Araguaia, na região Carajás, receberam do Governo do Estado ambulâncias para reforçar a saúde básica. No total foram 46 municípios paraenses contemplados.

Desde 2013, o governo já entregou 249 ambulâncias para municípios do Estado. Apenas os veículos entregues hoje representam um investimento de aproximadamente R$ 3,8 milhões e são originários de emendas de 28 deputados estaduais. Prefeitos e gestores das prefeituras contempladas estiveram na entrega, feita pelo governador Simão Jatene no Palácio do Governo.

As ambulâncias entregues são de simples remoção (tipo A), modelo 2016, zero quilômetro, tipo furgão flex, com motor mínimo de 1.6, na cor branca. Elas vêm com direção hidráulica, maca, balão de oxigênio e ar-condicionado. Para os prefeitos, a entrega representa avanços e a possibilidade de atender melhor à população. “Recebemos com gratidão esse equipamento, que é fruto do trabalho conjunto do governo e da Assembleia Legislativa. Para nós, que somos de municípios pequenos e com poucos recursos, esses veículos são muito importantes”, disse o prefeito de São Domingos do Araguaia, Pedro Paraná (PPS), presidente da Associação dos Municípios dos Municípios do Araguaia, Tocantins e Carajás (Amat Carajás).

O governador Simão Jatene destacou os avanços na saúde pública no Pará, com a construção de hospitais de alta e média complexidade em todas as regiões do Estado e o investimento maciço no aparelhamento dessas unidades. “Muitos podem pensar que uma ambulância não faz diferença, mas para quem vive a realidade do interior, esses veículos se somam à estratégia e à rede que temos construído de hospitais, destacando os regionais e que esse esforço conjunto tem como objetivo final atender as demandas da sociedade, além de salvar vidas”, afirmou. “É inegável que avançamos muito, e preciso aqui dar o crédito aos deputados, que são nossos parceiros, independente de partidos políticos”, continuou o governador.

Balanço

Em 2017, até agosto, o Governo do Pará entregou o valor total de R$ 4.260.904,45 em equipamentos para a saúde, como resultado de emendas parlamentares de deputados estaduais. Foram destinadas aos municípios 33 ambulâncias tipo A, três ambulâncias tipo B, duas ambulanchas e quatro equipamentos da área de saúde, além de quatro novos modelos de ambulâncias de alta resolução para os municípios de Pacajá, Jacundá, Xinguara e Belém.

Apenas em 2016, o Pará repassou R$ 12.709.114,45 para a área de saúde nos municípios, como resultado de emendas parlamentares de deputados estaduais. Foram entregues 119 ambulâncias a mais de 50 prefeituras do interior (cerca de R$ 8,131 milhões investidos), além de onze equipamentos de saúde (R$ 927.210) e dez ambulanchas (R$ 1.655 milhão).

Municípios contemplados nesta quinta (5):

Abaetetuba, Anapu, Augusto Corrêa (2), Bom Jesus do Tocantins, Bonito, Bragança, Breu Branco, Bujaru (2), Cametá, Capitão Poço, Curionópolis, Eldorado dos Carajás, Floresta do Araguaia, Inhangapi, Ipixuna do Pará, Irituia, Itupiranga, Jacundá, Marabá, Mãe do Rio, Marapanim, Nova Esperança do Piriá (2), Nova Timboteua, Novo Progresso, Oeiras do Pará, Ourilândia do Norte, Palestina do Pará, PauD’Arco, Prainha, Quatipuru, Rurópolis, Santa Izabel do Pará, Santa Maria das Barreiras, Santa Maria do Pará (2), Santarém (3), Santarém Novo, São Domingos do Araguaia, São Francisco do Pará, São Geraldo do Araguaia (2), São João de Pirabas, São Miguel do Guamá, Soure, Tomé-Açu, Tracuateua, Trairão e Tucumã.

Por Luiz Carlos Santos/Agência Pará

Transporte coletivo

Prefeitura de Parauapebas autoriza aumento no preço das passagens de vans para Carajás e Vila Palmares

Valor da tarifa das vans para Carajás foi pra R$6,00. Já para a Vila Palmares II os usuários passarão a pagar R$7,20

Desde ontem, dia 2, a passagem da van que faz linha Parauapebas/Carajás está mais cara. Subiu de R$ 4,50 para R$ 6,00. O aumento da tarifa foi autorizado pela Prefeitura de Parauapebas através de um Decreto publicado no dia 19 de setembro. A correção da tarifa foi solicitada pela Cooperativa de Condutores Autônomos de Carajás (Coopavel).

Na portaria da Vale, quem procurou pelo transporte foi surpreendido com o valor reajustado e reclamou. “Já pensou pagar 12 reais todo dia? Pra quem trabalha de segunda a sexta, como eu, vai ter que desembolsar por semana uns 60 reais. E olha que ainda somos obrigados a pagar mais 6 reais do transporte daqui da portaria até o nosso bairro, já que a van só nos deixa até aqui”, desabafou Maria de Fátima, que trabalha no Núcleo Urbano de Carajás, mas mora no bairro da Paz.

As 18 vans que fazem o percurso de Parauapebas/Carajás são da Coopavel. O presidente da cooperativa, Manoel Alves, justificou que o aumento foi para corrigir as perdas da categoria com os sucessivos aumentos no preço do combustível. Alves explicou que o último reajuste no valor da passagem das vans foi em março de 2015 e por isso era necessária a correção da tarifa, porque havia risco das vans paralisarem o serviço.

“Nós já estávamos com quase 3 anos sem aumento. Além do reajuste do combustível, a nossa linha não pega passageiro no percurso e a Vale nos proíbe de carregar passageiro em pé. Tudo isso diminui a arrecadação de dinheiro para custear o serviço, ao ponto de que quase não estávamos conseguindo operar”, argumentou Alves, informando ainda que, dos 18 veículos, apenas 12 realizam o serviço em sistema de rodízio, em virtude da falta de passageiros.

Para o motorista, Ivaldo Ribeiro Dutra, que trabalha há 17 anos com transporte, a nova tarifa é uma garantia de manter o emprego dele e dos colegas. “A gente não estava conseguindo pagar as contas. Temos o compromisso de subir até a Serra, mesmo com as vans quase vazias. Muitos passageiros acabam pegando carona. E são 25 quilômetros daqui até o núcleo. Muito mais longe que Palmares 2, que teve um aumento no preço maior ainda”, destacou Ivaldo, falando sobre o reajuste de R$ 6,00 para R$ 7,20 da linha Parauapebas/Palmares 2, também autorizado pela Prefeitura. “Lá o percurso é menor, de 20 quilômetros, e as vans pegam passageiros no meio do percurso que também vão em pé. Então eles têm mais condições de faturar que a gente”, disse Ivaldo.

Câmara de Vereadores
Algumas moradoras do Núcleo Urbano de Carajás, que pagam o transporte das domésticas procuraram a Câmara de Vereadores nesta terça-feira, dia 3, para buscar apoio. A assistente social, Irenice Almeida, explicou que o reajuste vai comprometer o orçamento. “Isso vai pesar  no nosso bolso porque vamos pagar 6 reais da van, mais 3 reais para o transporte nos bairros, e isso dá uns 18 reais por dia, multiplicando por 30, são 540 reais que temos que bancar”.

Irenice e outras patroas querem que volte a implantação da carteirinha das domésticas que existia na gestão da ex-prefeita Bel Mesquita, quando a prefeitura custeava maior parte das passagens e as diaristas pagavam uma taxa por mês. “A gente pede à essa Casa de Leis que olhe por nós porque se Carajás é um bairro de Parauapebas queremos os mesmos direitos dos passageiros daqui”, concluiu a assistente social.

aniversário

Conheça a história do aeroporto de Carajás, que completa 35 anos neste sábado (23)

Imagens, vídeos e depoimentos sobre o aeroporto que é referência na região norte

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – INFRAERO – comemora neste sábado (23) o trigésimo quinto aniversário de fundação do Aeroporto de Carajás, no município de Parauapebas, sudeste do Pará. E o blogger foi conferir de perto como andam as operações naquele aeroporto, que já recebeu figuras ilustres como os presidentes João Figueiredo, Sarney, Itamar Franco, Fernando Henrique, Collor, Lula; a princesa Daiana; o presidente argentino Raúl Alfonsín; embaixadores, cônsules, cantores, artistas e atletas; entre outros.

Inaugurado em 1982, o terminal foi construído para atender à demanda das atividades da maior jazida de ferro do mundo – explorada pela Vale –, por meio do Programa Grande Carajás, do Governo Federal. Em 1985, a Infraero assumiu a jurisdição técnica, administrativa, comercial, operacional e de navegação aérea do aeroporto, por meio de convênio com a Vale S/A. Ao longo dessas três décadas, o aeródromo se tornou a principal porta de entrada de investidores do mercado financeiro mundial que visitam a região em busca de negócios com a mineradora.

Roberto de Santana Campos, de 55 anos de idade, quase metade deles vividos em Carajás, é o atual superintendente do aeroporto. Na véspera do aniversário, Campos me recebeu para falarmos sobre esses 35 anos do aeroporto. Para ele, o terminal tem grande importância para o desenvolvimento do país, e “com sua localização privilegiada, cerca de 90% do movimento que acontece no aeroporto está ligado diretamente as atividades da Mina de Ferro Carajás e do Projeto S11-D da Vale”.

Por ser considerado um aeroporto de pequeno porte, Carajás impressiona por seus números. Segundo dados da Infraero, nesses 35 anos o aeroporto recebeu 45 mil pousos/decolagens; 1,04 milhão de embarques e 1,05 milhão de desembarques. Somente em 2016, o terminal registrou 162.160 viajantes, entre operações de embarque e desembarque.

Carlos Alberto Guilarducc Moreira, o Moreira, 70 anos, ex-funcionário da Vale, onde trabalhou por 35 anos, inclusive na construção do aeroporto de Carajás na década de 80, testemunhou o primeiro voo, que aconteceu às 11h30 do dia 21 de dezembro de 1981, sendo a aeronave um Boing Super 200, da empresa VASP –  fretado pela Companhia Brasileira de Projetos e Obras -CBPO para levar os empregados para passarem a festa do Natal em suas casas – a primeira aeronave a aterrissar em Carajás, que na época era conhecido por Aeroporto Serra Norte, como mostra a imagem do “Jornal da Serra”, de 1981.

Em 5 de março de 1985, o aeroporto foi absorvido pela Infraero, que hoje trabalha com apenas 24 funcionários para atender a demanda, já que, fiscalização de bagagem e passageiros, os bombeiros, as cargas e o estacionamento são serviços executados por terceirizadas.

No dia 8 de setembro de 1987, o jatinho em que estava o então ministro da Reforma Agrária, Marcos Freire e o engenheiro José Eduardo Vieira Raduan (Presidente do INCRA),  explodiu no ar pouco depois de decolar em Carajás. O laudo das causas do acidente foi muito questionado, pois o avião ficou pousado no aeroporto de Carajás à véspera do acidente. Ele concluiu que pássaros entraram nas turbinas e foram responsáveis pela derrubada do avião.

Em 1997 o voo 265 da Varig saiu de Belém com destino à Brasília, com escalas em Carajás e Marabá. Às 12h30, horário de Brasília, o pouso em Carajás aconteceu, mas chovia muito, o boeing 737-200, prefixo PP- CJO saiu da pista e bateu em árvores, o co-piloto morreu. O acidente foi notícia no Jornal Nacional, no ano de 1997, conforme vídeo abaixo.

Em 5 de novembro de 1999, um helicóptero que transportava 289 quilos de ouro do Projeto de ouro Igarapé Bahia, em Carajás, foi tomado de assalto tão logo pousou no aeroporto. Os bandidos dominaram a tripulação de um avião bimotor, que transportaria o ouro para o Banco Central, em Brasília, e o sequestraram em uma operação planejada por uma quadrilha de dez homens fortemente armados. Os assaltantes ocuparam o aeroporto disparando centenas de tiros, destruindo toda a comunicação do aeroporto e levaram a aeronave com o ouro, que foi descarregado em uma pista clandestina a 390 km de Carajás próxima à cidade de São Félix do Xingu.

Segundo Roberto Campos, o sítio aeroportuário do aeroporto de Carajás tem 2.872 milhões de m²; o terminal de passageiros tem 833,45 m²; a pista de pouso e decolagem tem 2 mil metros de comprimento e 45 metros de largura; o estacionamento tem capacidade para 75 veículos. Campos informa que o estacionamento foi recentemente terceirizado e que medidas estão sendo tomadas para que o atendimento seja melhorado.

A Infraero produziu um vídeo sobre o aeroporto, que está sendo divulgado em mídia in door.

 O avião que estamos habituados a ver em exposição no aeroporto de Carajás, modelo Douglas, DC-3 (versão civil), C-47 (versão militar), faz 75 anos em 2017. Hoje ele é um dos cartões postais da cidade. O que poucos sabem é sua longa trajetória até chegar onde está.

Após a Segunda Guerra Mundial a aeronave foi vendida para a companhia aérea Taca Airlines de El Salvador, e, em seguida, foi transferida para a Taca Airlines da Costa Rica, e finalmente em 01 de Junho de 1954 foi enviado para o Brasil para uma companhia do mesmo grupo a Real/Aerovias Brasil onde recebeu a matricula brasileira PP-AVJ e o nome “Bahia”, que por sua vez foi vendida para a VARIG em agosto de 1961. VARIG vendeu a aeronave para o Governo do Estado da Guanabara, que alterou sua matricula para PT-CGL, que a empregou no Departamento de Serviços Aéreos e Defesa Civil, no entanto quem a operava era a Jahu Transportadora Aérea Ltda, onde recebeu o nome de “Esperança”.

Em 1966, a VARIG comprou o avião de volta e alterou novamente sua matricula para PP-VDM “inscrição que vemos atualmente”, a VARIG vendeu novamente a aeronave para a Companhia Meridional de Mineração S.A. em janeiro de 1972, que por fim a vendeu para a Amazônia Mineração em 1980. Em 1992 a aeronave recebeu sua primeira recuperação; em 2013 a segunda e última desde que foi colocado na entrada do aeroporto de Carajás.

Confira a história do aeroporto de Carajás em imagens:

Religião

No próximo domingo, Igreja Católica apresenta manto de Nossa Senhora de Nazaré que será usado no Círio de Carajás.

Esta será a sexta edição do Círio de Carajás, que a cada ano vem ganhando mais adeptos.

Esta será a sexta edição do Círio de Carajás, a 25 quilômetros do centro de Parauapebas, no sudeste do Pará. A abertura oficial foi no último domingo com a Romaria das Crianças e, no próximo dia 27, será realizada na Igreja Matriz do Núcleo Urbano, a celebração da missa com apresentação do manto de Nossa Senhora de Nazaré que será usado no Círio.

A cada ano, a Romaria traz um tema diferente e a imagem da Santa também ganha um novo manto que é confeccionado em Belém. Segundo o padre, Allison Lima de Castro, pároco da Igreja Matriz, este ano o Círio tem como tema: Eia, Advogada Nossa. “A missa da apresentação do manto da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, do Círio da Serra dos Carajás, é marcada por forte emoção e muita fé”, destacou o padre.

Mas a grande expectativa é para a realização do Círio de Carajás, no dia 03 de setembro. A programação começa com a missa, às 17hs, celebrada pelo Bispo Diocesano, Dom Vital Corbelini, na Concha Acústica. Em seguida é iniciada a procissão dos romeiros que percorrem as principais ruas do Núcleo Urbano de Carajás, encerrando o Círio na Concha Acústica.

A face de Cristo

A Igreja espera que esse ano o Círio atraia centenas de romeiros como aconteceu no ano passado. Quem participou da última edição foi surpreendido com uma imagem que se formou no vidro da Berlinda durante a procissão. Para os devotos de Nossa senhora de Nazaré, seria o rosto de Cristo. “Um sinal do céu”, nas palavras do Padre Allison.

PROGRAMAÇÃO DO CÍRIO DE CARAJÁS

27/08 – Missa na Igreja Matriz, às 18hs, com apresentação do Manto.

03/09 – Missa na Concha Acústica, às 17hs. Em seguida, a Procissão do Círio de Carajás.

Comércio

Basa disponibiliza mais de R$ 90 milhões para investimentos na região de Carajás

A Instituição realizou visita à Parauapebas na última sexta-feira (26) para apresentar suas propostas de crédito ao empresariado local

Grandes e pequenos empreendedores, na zona urbana ou rural, podem contar com linhas de créditos facilitadas pelo Banco da Amazônia (Basa), por meio do Fundo Constitucional do Desenvolvimento do Norte (FNO). A instituição financeira está realizando uma série de visitas aos municípios pólos da Região Norte para apresentar as propostas de crédito: é a ROTA do FNO.

Parauapebas foi o décimo primeiro município que recebeu a caravana da ROTA do FNO, o evento contou com a parceria da Prefeitura e ocorreu no auditório do Centro Administrativo, nesta sexta-feira (26). Entre outras destinações, o crédito pode ser disponibilizado para a aquisição de máquinas e equipamentos, custeio ou capital de giro, com uma margem de juros baixa – dependendo da opção, pode chegar à 0,53% ao ano.

De acordo com Luiz Sampaio, diretor comercial do Basa, são 90 milhões de reais de investimentos destinados às cidades de Parauapebas, Canaã dos Carajás, Curionópolis e Eldorado dos Carajás. “Sei que muitos estão temerosos em investir, mas temos dados que apontam para um novo aquecimento na economia, tanto que vamos criar uma nova superintendência do Basa só para atender a região sul e sudeste do Pará”, adiantou o representante do banco.

O empresariado local compareceu em peso ao evento e saiu satisfeito, não só com as facilidades de crédito apresentadas pela instituição financeira, mas também com as notícias compartilhadas pelo prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, sobre as ações locais para o desenvolvimento da economia.

“Tudo isso é muito bom, sou cliente do Basa há 17 anos e 98% da minha movimentação financeira é toda por lá. Fiquei também muito satisfeito em ouvir do prefeito os investimentos e ações para as áreas de turismo e formação superior. Precisamos reagir, nossa cidade tem potencial”, disse o pecuarista Magliano Baesse Carvalho, um dos clientes que assinou contrato de financiamento com a Basa, durante o evento.

As dificuldades enfrentadas pelos empresários do município também foram destacadas durante o evento. “Nossos colegas empresários estão pedindo socorro; pessoas competentes, que estão no mercado há anos, estão com suas empresas quebrando”, relatou Leonardo Pinheiro, que representou a Associação Comercial e Industrial em Parauapebas (ACIP), durante o evento.

Cenário com boas perspectivas

Darci Lermen apresentou uma série de possibilidades de desenvolvimento da economia local em seu discurso e elencou algumas ações que a gestão municipal tem realizado no sentido de diversificar a economia e de reaquecer o movimento no mercado local. “Temos que fazer um pacto por essa cidade, precisamos nos unir”, declarou o prefeito, deixando os empresários animados quando informou que, dentro de poucos dias, mais de R$ 30 milhões estarão nas mãos dos professores da rede pública, graças ao repasse de verbas da educação, conquistado depois de um processo judicial.

“Quase 100 mil metros cúbicos de madeira estão se estragando em Carajás. Com essa quantidade, é possível o pessoal do Pólo Moveleiro trabalhar por uns 10 anos, gerando emprego e renda, por isso estamos lutando para conseguir esse matéria-prima junto à Vale; temos um potencial turístico enorme: são 111 mil hectares de floresta, com cavernas, cachoeiras, temos aldeias indígenas, águas termais; o porto-seco também é outro foco de trabalho nosso, em junho faremos a primeira visita; vamos contar com o apoio do ministro Helder Barbalho para asfaltar até as Quatro Bocas, o que vai possibilitar a implantação de frigorífico; temos o projeto da Orla, os consultores contratados pelo BID já estão em nossa cidade, é uma obra de 400 milhões de reais; na agricultura familiar, estamos implantando 140 pastos rotacionados, para o pequeno produtor trabalhar com o leite, temos um laticínio subutilizado na Estação do Conhecimento, na Apa, precisamos investir lá; até o final do ano, Parauapebas contará com um curso de medicina, de uma faculdade particular, e estamos avançando para a implantação do Campus da UEPA, que foi iniciado na gestão anterior”, acrescentou Darci Lermen.

Seguindo a “Rota do FNO”

A Rota do FNO é uma ação promovida pela área comercial do Banco da Amazônia e que objetiva dinamizar a aplicação do FNO através da divulgação das linhas de crédito de forma próxima aos empreendedores de todos os portes e segmentos da cadeia produtiva.

Assim, foi traçado um percurso e cronograma de realização dos eventos que ocorrerão em 25 municípios pólos de toda a Região Norte, abrangendo os Estados do Pará, Amapá, Rondônia, Tocantins, Amazonas, Roraima e Acre. Na oportunidade, serão apresentadas as linhas de financiamentos disponíveis para fomentar os negócios do empreendedor individual, agricultor familiar, produtor rural, micro e pequena empresa, bem como a média e grande empresa, e com destaque para as contratações destinadas ao custeio agrícola e pecuário, capital de giro e aquisição de máquinas e equipamentos, utilizando a metodologia de crédito pré-aprovado.

Para atender toda demanda existente, o Banco da Amazônia dispõe de R$4,6 bilhões de recursos do FNO para o ano de 2017, e quem participar da Rota do FNO irá conhecer o diferencial do Banco da Amazônia que são suas linhas de crédito, tanto comercial e de fomento. Terá a oportunidade de conhecer também sobre às condições de acesso ao FNO, linhas de crédito com prazos, limites e encargos financeiros diferenciados. Além disso, conhecerá sobre os benefícios da Lei 13.340 que informa sobre soluções para liquidar ou renegociar suas dívidas, com descontos de até 85%.

error: Conteúdo protegido contra cópia!