Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Vale seleciona trainees para operação de mina em Parauapebas

A partir do dia 2/5, próxima quarta-feira, a Vale abre inscrições para o processo seletivo do Programa de Formação Profissional, para 50 trainees, para atuação nas operações do complexo de Carajás.
Continua depois da publicidade

Estão  abertas as inscrições para o Programa de Trainee em Operação de Mina da Vale no Pará. Serão 50 vagas para atuação na área operacional da empresa em Carajás e na mina do Salobo. Os interessados devem se inscrever pelo site www.vale.com/oportunidades, no período de 2 a 11 de maio. Os candidatos às vagas precisam ser maiores de 21 anos, com ensino médio completo, residir em Parauapebas e possuir  CNH categoria “D”.

O processo seletivo ocorrerá entre os meses de maio e junho, dividido em seis etapas, todas eliminatórias. As fases incluem prova online, entrevista coletiva, dinâmica de grupo, além da avaliação psicológica, avaliação de documentação e exames médicos. Todas as etapas do processo podem ser acompanhadas pelo site.

A gerente de Recursos Humanos da Vale, no Pará, Carmene Abreu, destaca que a atividade de mineração contribui para o desenvolvimento da região e de Parauapebas. Segundo ela, entre as principais ações estão a capacitação e absorção de mão de obra local. “A Vale promove programas de capacitação de mão de obra, investindo na ampliação da capacidade de atuação e de empregabilidade na região. Nossos trainees, por exemplo, receberão formação teórica, desenvolvida com um parceiro, que nesta edição será o Senai, durante três meses. E a fase prática do programa, ocorrerá nas nossas operações, no Complexo de Carajás e na mina do Salobo”, explica.

O Programa de Trainee é um dos programas Porta de Entrada da Vale e tem como objetivo preparar jovens para o mercado de trabalho. Com duração de um ano, o início da formação dos trainees selecionados está previsto para a segunda quinzena de junho de 2018. Durante o período de treinamento operacional, os profissionais receberão uma bolsa no valor de cerca de R$ 1.550,00, e benefícios como assistência médica, seguro de vida, transporte, vale alimentação, entre outros.

O que: Programa de Trainee em Operação de Mina
Quando: 2 a 11 de maio de 2018
Quantidade de vagas: 50
Como se inscrever: www.vale.com/oportunidades

Marabá

OIT lança em Marabá a Agenda do Trabalho Decente

O documento tem o objetivo de nortear ações que possam garantir o trabalho com equidade, segurança e dignidade humana
Continua depois da publicidade

Aconteceu na manhã desta terça-feira (24), no auditório da Subseção Marabá da OAB-Pará, o lançamento da Agenda Regional do Trabalho Decente de Carajás. O livreto, de 62 páginas, mas com peso e força que podem mudar e conceito de trabalho, se bem aplicadas as suas estratégias, traz em seu conteúdo um diagnóstico detalhado do trabalho na região de Carajás, as prioridades que devem ser estabelecidas para que se alcance o desenvolvimento sustentável e com ele o trabalho decente e, em sua última parte, como operacionalizar as linhas de ação estabelecidas.

Na definição da OIT (Organização Internacional do Trabalho), trabalho decente é aquele produtivo e de qualidade, desempenhado em condições de liberdade, equidade, segurança e dignidade humana, fundamental para a superação da pobreza, a redução das desigualdades sociais, a garantia da governabilidade democrática e o
desenvolvimento sustentável.

Esse é um conceito foi formalizado pela OIT em 1999 e consiste no ponto de convergência dos quatro objetivos estratégicos da Organização: a promoção dos direitos no trabalho, a extensão da proteção social, a geração de mais e melhores empregos e o fortalecimento do diálogo social.

Desafios
E foram esses objetivos que nortearam o diagnóstico produzido pela OIT, com o apoio do Ministério Público do Trabalho PA/AP (MPT) e do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8), sobre o conjunto dos 39 municípios que compõem o sudeste paraense. O resultado dessa iniciativa levou à construção da Agenda do Trabalho Decente na Região de Carajás.

Para Patrícia Lima, oficial de Projetos da OIT e peça fundamental na elaboração da agenda, que viajou por 32 municípios do sul e sudeste do Estado durante as audiências e levantamentos, o momento é de alegria, pois a agenda conta com a colaboração de 57 instituições e 25 prefeituras da região.

“Não é pouca coisa, quando a gente vê que um chamado desse, que foi uma provocação à OIT, de algumas instituições daqui, para pensar uma estratégia conjunta de desenvolvimento sustentável e, depois de mais um ano de trabalho, conseguir um documento que é fruto do que as pessoas querem”, destacou ela. O documento, segundo ela, é uma forma sistematizada da necessidade de uma estratégia de atuação articulada em conjunto e pensando o futuro. “E eu acho que é um dos grandes desafios porque
existem muitas demandas imediatas. Cada órgão envolvido tem seu dia a dia de demanda, muito especialmente a gestão pública, que às vezes tem uma demanda batendo à sua porta”.

O trabalho que queremos
“É muito difícil pensar e assumir compromissos em longo prazo e essa agenda nasce disso, do reconhecimento dos atores locais, de que é preciso mudar essa ideia do ciclo de desenvolvimento, que é de altos e baixos”, afirma ela, salientando que, em verdade, é preciso aproveitar as potencialidades da região para construir algo duradouro de longo prazo que “gere inclusão social e desenvolvimento para todos, que seja bom para o trabalhador, para o empregador, bom para a gestão, bom para todos”.

Para o desembargador Sérgio Rocha, do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, as expectativas em relação à Agenda do Trabalho Decente são muito boas. É um passo no caminho correto de estabelecer um dialogo com a sociedade “para construir o trabalho que queremos”.

O trabalho, na definição do desembargador, representa um valor permanente na nossa vida, mas o trabalho não é um valor em si. Ele é valorizado quando é prestado de determinada maneira, o trabalho decente prestado em condições dignas que reconheça a dignidade da pessoa humana que está prestando o trabalho, isso é muito importante e deve ser valorizado.

Um marco
“Então, iniciativas como essa, que reúnem Estado, entidades não governamentais e sociedade civil, são muito importantes no sentido de estabelecer um novo marco para desenvolvimento das relações de trabalho e dotar os trabalhadores da região de Carajás de uma nova perspectiva de que eles estarão ganhando o sustento da sua vida e
de seus familiares através de uma prática de trabalho que não seja opressiva, violadora da sua dignidade, e que possam redundar numa posição positiva para ele”, opina Sérgio Rocha.

Rafael Marques, procurador do Trabalho, avalia que o lançamento da Agenda do Trabalho Decente é um marco que representa um ganho muito grande para a região, porque, pela primeira vez, as representações de trabalhadores e empregadores, a sociedade civil organizada, o Estado e o município se dão as mãos em torno de um tema essencial para o ser humano: o trabalho.

“O trabalho deve dignificar, o trabalho deve trazer rendimentos para uma vivência digna. Mas, muitas vezes, não é o que se verifica nesta região especialmente, uma região que vivenciou a agrura de ciclos econômicos inadequados, que trouxeram violência no campo ou que trouxeram o trabalho escravo ou que trouxeram o tráfico de pessoas, e que permitiram o trabalho infantil”, salienta ele.

Construção coletiva
A agenda – afirma Rafael Marques – tem a importância, a missão e o desafio de combater o trabalho escravo, o trabalho infantil, propiciar o cooperativismo, a agricultura familiar sustentável e propiciar com que o ser humano desenvolva todas as suas potencialidades no trabalho.

Jorge Bittencourt, secretário Regional de Governo, lembra que é uma agenda que foi construída de forma coletiva aqui na região de Carajás, com a participação da equipe do governo, da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e da Seaster (Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda), trabalhando junto com a sociedade civil, o setor empresarial mais o Poder Judiciário e a OIT.

“A pauta do trabalho decente é um dos compromissos assumidos pelo governador Simão Jatene, que está na pauta dos municípios sustentáveis, um trabalho no qual o Centro Regional está atuando também no fortalecimento da gestão municipal. Então, é uma pauta da sociedade”, destacou.

Desenvolvimento
A advogada Cláudia Chini, que representou a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), nos trabalhos que contribuíram para a elaboração da Agenda do Trabalho Decente, afirma que é uma alegria muito grande poder ter participado de forma diferenciada desse documento: “Ela é realizada com a maior participação da sociedade civil, E onde tive a oportunidade de, representando a OAB, poder articular, de convencer pessoas que estavam em cargos chaves a abraçarem a agenda e virem a importância do que significa o desenvolvimento para a nossa região”.

“Uma das coisas que mais me chamou atenção na agenda foi o debate contextualizado, onde os trabalhadores, em todas as suas categorias, e os empregadores puderam discutir também junto com o Legislativo e o Executivo”, afirmou Cláudia.

Participaram ainda do lançamento: Antônio Mello. coordenador do Programa de Prevenção e Eliminação do Trabalho Forçado da OIT; Martin Hahn, diretor do escritório da OIT no Brasil; Pedro Patrício de Medeiros, prefeito de São Domingos do Araguaia e presidente da Amat (Associação dos Municípios do Araguaia Tocantins); Ítalo Ipojucan Costa, presidente da Acim (Associação Comercial e Industrial de Marabá); Osmival Araújo, diretor da CUT/PA; Michel Durans, secretário de Justiça e Direitos Humanos do Pará; Fernanda Fernandes de Lima Melo, chefe de Fiscalização Regional do Trabalho em Emprego em Marabá; e Ismael Gaia, da OAB-Marabá.

Por Eleuterio Gomes – Correspondente em Marabá

Parauapebas

Morte de motorista em acidente na PA-275 deixa equipe Vale enlutada na região (atualizada)

Raimundo Paulino trabalhava havia mais de 30 anos em Carajás, 20 deles com a área de Comunicação da Mineradora
Continua depois da publicidade

Um acidente rodoviário, por volta das 13h desta segunda-feira (19), deixou enlutados os funcionários da Vale na região. Raimundo Paulino Medeiros Filho, 57 anos, que trabalhava havia mais de 30 anos na mineradora, 20 dos quais como motorista da Comunicação, morreu quando o carro que ele dirigia colidiu de  frente com outro, na PA-275, entre Curionópolis e Parauapebas. Chovia muito no momento do acidente e ainda não é possível saber qual dos carros passou para a contramão.

O condutor do carro que se chocou com o de Paulino saiu muito ferido do acidente e foi removido, pelo Samu, consciente ao hospital. Até o fechamento desta matéria ele ainda não havia sido identificado. O motorista dirigia o carro de uma prestadora de serviços da Vale, que ficou bem menos avariado que o de Paulino, e trafegava no sentido inverso: Parauapebas-Curionópolis.

O delegado de Polícia Civil José Euclides Aquino, que esteve no local do acidente, lamentou a morte e disse ao Blog que, as primeiras informações colhidas dão conta de que um dos carros deslizou e girou na lâmina d’água, mas ressaltou que só a perícia da Polícia Rodoviária Estadual é que pode determinar a causa da tragédia.

Pelos Bombeiros, o sargento Anchieta, que comandou a equipe de resgate, já que o corpo de Paulino ficou preso entre as ferragens do carro que ele dirigia, recebeu a informação de que um dos veículos teria tentado uma ultrapassagem forçada, mas disse que essas informações também não são precisas.

Paulino estava de férias, foi a Tucuruí, visitar os pais, e voltava para Parauapebas quando foi vítima da tragédia que ceifou sua vida. Ele era muito competente, admirado e muito querido por todos na Vale, conforme constatou o Blog. A morte dele deixou a todos os colegas e ex-colegas em estado de choque.

Colegas lembram que, como motorista da Vale, ele transportou muitas personalidades a Serra dos Carajás, a exemplo da princesa Diana e todos os presidentes da República que estiveram naquele
complexo mineral nas últimas décadas.

“Meu amigo e companheiro de trabalho, mais de 20 anos trabalhando juntos, na Comunicação. Muito triste mesmo”, disse há pouco o fotógrafo Salviano Machado.

Em nota, a Vale lamenta a perda de Paulino: “É com profundo pesar que a Vale comunica o falecimento de Raimundo Paulino Medeiros Filho, no início da tarde desta segunda-feira, 19/3, vítima de um acidente de carro na entrada do município de Parauapebas, retornando de viagem de férias. Paulino trabalhava como motorista na Vale. Profissional competente e admirado, trabalhava há mais de 30 anos em Carajás. Paulino deixa mulher e quatro filhos. A Vale se solidariza com os parentes e amigos e informa que está prestando toda a assistência necessária à sua família”.

Ainda não foi informado onde ocorrerá o velório e o enterro de Paulino.

Atualização:

Informamos que o velório do nosso amigo e colega de trabalho Raimundo Paulino Medeiros Filho será na Rua João Pessoa, número 26 – bairro Liberdade I, Parauapebas, atrás do Estádio Rosenão, hoje à noite (19/3), em horário a confirmar.

Comunicação Vale

Reportagem: Ronaldo Modesto
Pará

Luto: triatleta e antiga moradora de Carajás morre em São Luís

Lélia é filha do Sr. Venâncio, ex-funcionário Vale em Carajás nas décadas de 80 e 90
Continua depois da publicidade

É com profundo pesar que comunico o falecimento de Lélia Venâncio, de 37 anos. Lélia era triatleta do Centro de Treinamento e Performance Humana –  CTPH2 – em São Luiz do Maranhão.  Ela estava na piscina da academia quando passou mal e foi socorrida e levada para a Unidade de Pronto Atendimento do bairro dos Vinhas, mas não resistiu.

A causa da morte ainda não foi divulgada.

Lélia é filha de Antônio Carlos Lima Venâncio, ex-funcionário da Vale em Carajás nas décadas de 80 e 90, sendo responsável pelo Departamento de Meio Ambiente da Vale; chefiou a área de Segurança em Carajás e, posteriormente, foi gerente de Relações Institucionais.

Lélia, que é natural de Belém-PA, durante a estada de Venâncio em Carajás estudou no Colégio Pitágoras.

À família enlutada, nossos mais sinceros pêsames, e que Deus possa confortá-los nesse momento de profunda dor e pesar!

Entretenimento

Cinema de Carajás reabre, hoje, com programação atrativa

Depois de três anos fechado, Cineteatro ganha investimento para garantir qualidade nas exibições de filmes. O funcionamento terá 4 sessões nos finais de semana, além de espetáculos. O ingresso terá valor máximo de R$ 12
Continua depois da publicidade

O Cineteatro de Carajás volta a programação a partir de hoje (09) com exibição de filmes de arte, nacionais e voltado para o público infantojuvenil. Serão sessões às sextas-feiras (20h), sábados (19h) e aos domingos com dois horários (às 15h e às 18h). A cada semana, um novo filme legendado estará em cartaz. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Cineteatro antes de cada sessão com preços de R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia).

Para a reabertura Insubstituível é o filme escolhido, que é uma comédia dramática francesa, teve sua estreia em março de 2017. A história do médico Jean-Pierre (François Cluzet) que atende, cura e os tranquiliza a comunidade sete dias por semana, há anos. Com Jean-Pierre doente, Natalie (Marianne Denicourt), recém-formada, chega da cidade para tentar ajudá-lo e enfrenta dois grandes dilemas: conseguir se adaptar a esta nova vida e, principalmente, substituir o homem que a população acredita ser insubstituível.

Fechado há quase três anos, desde 2015, o funcionamento do Cinema Carajás valoriza a cultura e oferece mais uma opção de lazer para a comunidade. “Houve investimento na troca do servidor por um modelo mais moderno, com o objetivo de garantir qualidade das exibições. A bomboniere (lanchonete) também reabrirá durante as sessões. Nossa expectativa é que o público compareça e aproveitem mais essa alternativa com a proposta de oferecer uma programação diferenciada e mais voltada aos filmes que não passam no circuito comercial”, explica Tiago Bento, analista do Núcleo de Carajás.

Os moradores estão em festa com a nova possibilidade de entretenimento. É o caso da moradora do núcleo urbano de Carajás há menos de um ano, Cleide Carneiro, que vai curtir a programação indo a pé, por morar pertinho do Cineteatro. “Estou muito feliz e o sentimento é o mesmo de todos os moradores. Pela praticidade de ser perto de casa e não precisar de enfrentar a estrada, além de ser uma programação diferente para meu filho. Eu amo filme, amo cinema e unir minhas duas paixões pertinho de casa será maravilhoso. Agora quero incentivar essa paixão em meu filho, pois não tinha muita possibilidade de leva-lo ao cinema, ao teatro”, se alegra a contadora.

Espetáculo Infantil:

O Cineteatro, que tem capacidade para 400 pessoas, recebe também no dia 18 de março, às 10 horas, o grupo de teatro Cia Belém Kids com o maior festival infantil e as presenças da turma do LadyBug, Patrulha Canina e Moana. Os ingressos são vendidos antecipados no Clube Doce Norte por R$ 20,00 e no dia o valor fica em R$ 40,00. E crianças de até 2 anos são isentas do pagamento do ingresso. Mais informações pelo telefone: (94) 3328-1717.

Carajás

Moradores de Carajás são surpreendidos com nova taxa de moradia

Da rádio peão para a confirmação: funcionários e sindicato comentam que o aumento conquistado no Acordo Coletivo vai retornar para a Vale
Continua depois da publicidade

*Todos os funcionários entrevistados não serão identificados nesta reportagem

Os moradores do Núcleo Urbano de Carajás foram surpreendidos nos últimos dias de 2017 com a “fofoca” de que em 2018 o valor de contribuição de moradia seria reajustado a partir do salário do funcionário da Mineradora Vale, administradora do condomínio destinado aos empregados que tem a função de técnico especializado a gerência na empresa.

Após o Blog receber várias mensagens desse “burburinho” em Carajás, moradores confirmaram que a nova tabela do “Aluguel Residencial Imóvel Próprio”, nome dado a taxa que é descontada no contracheque dos moradores, será reajustada a partir de março e foi apresentada aos gestores numa reunião no dia 27 de dezembro no Cine Teatro. Por conta do recesso de Ano Novo, muitos funcionários souberam da mudança na cobrança por outros moradores, antes mesmo de receber a informação do gestor.

A Assessoria de Imprensa da Vale confirmou que os valores atuais terão uma adequação para manutenção das moradias, das áreas verdes comuns e limpeza urbana. A Assessoria enfatizou a todo momento que os moradores não perderam o benefício e que “não se trata de aluguel e sim de valor a título de encargos pela concessão de moradia e manutenção paga pelos empregados Vale, que residem em Carajás, desde a criação do Núcleo Urbano”.

Uma funcionária, que já viveu os anos dourados de benefícios da Mineradora Vale, está indignada com a nova cobrança: “Eu achei a maior sacanagem que a Vale poderia fazer conosco que moramos em Carajás. Até mesmo porque a base utilizada para pagarmos o aluguel não foi a mesma utilizada para recebermos o aumento no último Acordo Coletivo, ou seja, o que recebi de aumento vou retornar para a Vale como taxa da minha moradia”, desabafou.

De acordo com informações passadas por funcionários, o cálculo será pelo tamanho do imóvel, a partir do salário do funcionário beneficiado pela moradia. O Blog não teve acesso a nenhuma tabela, mas simulamos a partir do depoimento dos nossos entrevistados:

[supsystic-tables id=1 ]

Outro funcionário, que está há mais de 5 anos na empresa e mora há mais de 2 anos em Carajás, já se despede do Pará. A justificativa: a redução de benefícios o fez aceitar uma proposta de trabalho para estar mais próximo da família. “O norte do Brasil ainda é uma região carente de infraestrutura como estradas, saúde, segurança e lazer. O transporte aéreo demasiadamente caro. O atrativo principal da região para mão de obra especializada ainda é o financeiro. Nos últimos anos, a empresa reduziu gradativamente os benefícios dos empregados além da própria redução de funcionários, o que agregou mais demanda aos que permaneceram. Com isso, a diferença financeira que atraía mão de obra especializada para cá está equalizada com as regiões mais desenvolvidas. E o mercado, atualmente, tem mostrado sinal de aquecimento. Tenho acompanhado um número maior de pessoas saindo da Vale em busca de oportunidades em regiões mais desenvolvidas”, esclarece o funcionário que aceitou uma proposta que atende financeiramente a demanda familiar e não diferencia do que recebe atualmente.

É o mesmo embasamento do presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Mineração – Metabase Carajás Raimundo Amorim, conhecido como “Macarrão” que comentou que a “Vale está com dificuldade para contratar mão de obra especializada e está acabando com os atrativos para trazê-los para nossa região, inclusive está com risco de complicar operação, como por exemplo o S11D, por falta de profissionais especializados”.

Macarrão também se disse surpreso com a decisão de aumentar a cobrança para os moradores de Carajás. “O problema de moradia é geral para os funcionários, então trabalhamos na reivindicação coletiva dos 13 mil funcionários das 5 minas localizadas na região. O Acordo Coletivo visa negociar moradia, educação, saúde e os demais benefícios. Porém, a Vale oferece casa, promoção, educação para quem quer sem nenhum critério, trata os funcionários desiguais. Não temos como entrar nessa causa dos moradores de Carajás, por representarem uma minoria, mas deixamos o nosso Jurídico à disposição para nosso filiado recorrer dessa decisão, gratuitamente”, relata o presidente do Metabase.

O Blog solicitou a Assessoria da Vale o número de funcionários que moram no Núcleo Urbano, assim como a quantidade de residências e o custo de manutenção, porém essas informações não foram fornecidas até o fechamento dessa reportagem.

O que é o benefício da moradia em Carajás:

De acordo com a Mineradora, o empregado que mora do Núcleo Urbano paga uma taxa simbólica que dá direito a moradia com o consumo de água e luz.

Agora, os moradores temem também a mudança nessa realidade, pois muitos receberam a justificativa de que o aumento no valor é como equiparação aos funcionários que moram em Canaã dos Carajás. O Blog conversou com um funcionário que confirmou pagar atualmente uma taxa pela moradia de pouco mais de R$ 100 e que já foi informado que terá que arcar com o consumo de água e energia.

Sobre a possibilidade da cobrança em Carajás, a Celpa informou que não possui medidores instalados e que a Vale é uma cliente híbrida, ou seja, ela compra energia como a Celpa e distribui a partir da demanda. A Assessoria da Celpa acrescentou que está aberta para atender a demanda de clientes em Carajás.

Carajás

Carajás: destino preferido para eternizar momentos

Além da beleza natural, o clima e a segurança favorecem a escolha dos fotógrafos
Continua depois da publicidade

O Parque Zoobotânico e o Núcleo Urbano da Serra dos Carajás, localizados há 25 km de Parauapebas, se tornaram o destino preferido de fotógrafos para eternizar momentos de grávidas, debutantes e noivos.

“Além do ambiente lindo, o clima favorece também, por estar sempre fresco e com uma luz natural maravilhosa, e, para mim o mais importante, a segurança. Sou comerciante e faço da fotografia meu hobby, apesar de me ocupar bastante ultimamente. Mas sempre penso no ambiente para não colocar em risco o meu equipamento, que é um investimento alto,” compartilha o fotógrafo Elienai Araújo, da Prime Fotos, que está há quatro anos no mercado de Parauapebas e região. Ele conta ainda que cerca de 90% dos seus clientes escolhem Carajás como ambiente para registrar seus momentos, uma decisão que ele aprova bastante. “Em Parauapebas, não tenho a mesma tranquilidade para fotografar como encontro em Carajás”.

Rosana e Magno percorreram mais de 80 quilômetros para fazer seu ensaio pré-casamento em Carajás: “viemos de Canaã [dos Carajás] por sugestão do nosso fotógrafo e gostamos do resultado. Já conhecia Carajás e agora esse cenário vai fazer parte também da nossa história de amor,” disse o noivo. “Amei o clima porque minha maquiagem ficou intacta. Agora estou ansiosa para conferir o resultado”, confessou a noiva.

Outro fotógrafo de Parauapebas que confirma a preferência dos clientes por subir a Serra dos Carajás é Kleiber de Souza e ele explica que tem um carinho pra lá de especial pelo destino. “Quando escolhem Carajás, eu fico feliz demais pois relembro os vinte e dois anos que morei lá. Os clientes sempre pedem pela beleza natural, o clima e a segurança”, revelou o profissional da Mídia Livre, que tem se destacado nos eventos de Parauapebas.

Então, se está pensando em eternizar seu momento e não ainda definiu o local, a Serra dos Carajás é uma opção de fácil acesso. A autorização é conseguida através do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) na portaria de Carajás e todos os profissionais de fotografia e filmagem já conhecem os procedimentos necessários.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sindicatos

Atualizado: Metabase Carajás assinou ontem (22) Acordo Coletivo 2017/2018 com a Vale

Após três Assembleias, funcionários aceitaram a proposta da empresa e agora aguardam o salário mais incrementado em dezembro. Mineradora Vale vai desembolsar mais de R$50 milhões em 1º de dezembro.
Continua depois da publicidade

O Sindicato dos Trabalhadores da Mineração – Metabase Carajás – assinou ontem (22) a noite o Acordo Coletivo 2017/2018 com a Vale referentes aos benefícios de 13 mil funcionários das Minas de Carajás, Manganês, Serra Leste, Sossego, S11D e Salobo.

Depois das Assembleias, que iniciaram na sexta-feira (17) e encerraram na terça-feira (21), os funcionários aprovaram por unanimidade a proposta da empresa. Agora, eles aguardam os salários com os valores reajustados em 2,5%, mais abono de R$ 1.200,00 pela retirada da cobertura dos tratamentos ortodônticos e implantes, e cartão alimentação com o valor duplicado de R$ 1.435,00.

“A folha de pagamento da Vale totalizando os quatro municípios no sudeste do Pará é de mais de R$ 38 milhões. Com os benefícios do acordo aprovado, dia 01 de dezembro, a empresa vai injetar na economia local cerca de R$ 53 milhões. Só os supermercados vão receber cerca de R$ 18 milhões, em função do valor dobrado, referente ao 13º do cartão alimentação”, explicou o presidente do Metabase Carajás, Raimundo Amorim, conhecido como “Macarrão”.

Esses valores animam o comércio local para esquecer um pouco da crise e, de acordo com conversa do Blog com alguns funcionários, a maior parte dos recursos será utilizado para quitar dívidas acumuladas no ano.

 

Datas de pagamentos dos benefícios
Dia 25 de novembro/2017
Pagamento do 13° crédito do cartão de alimentação no valor de R$ 735,00 (Já considerando o resíduo de R$ 17,50 do crédito do mês de novembro);

Dia 30 de novembro/2017
Pagamento do crédito de dezembro do cartão de alimentação no valor de R$ 717,50(Valor vigente do cartão de alimentação);

Dia 01 de dezembro/2017
Pagamento da indenização no valor de R$1.200,00 (não haverá desconto de Imposto de Renda, como a Vale informou anteriormente).