Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Religião

13º Círio de Parauapebas, no próximo domingo, deve reunir mais de 30 mil pessoas

Assim como no ano passado, a procissão será realizada pela manhã.
Por Dayse Gomes

No próximo domingo, dia 22, com o tema “Mãe da Esperança e da Fé – Todos me Chamarão de Bem Aventurada”, será realizada a 13º Edição do Círio de Parauapebas, a maior festa religiosa católica da cidade e região. São esperados mais de 30 mil romeiros, numa procissão que inicia às 6h30 horas, no bairro Rio Verde.

Permanecerá a mudança do horário da procissão que, assim como no ano passado, será realizada pela manhã. Nos anos anteriores, o Círio iniciava a tarde e encerrava a noite. Para a organização da festa, a mudança é para que se mantenha a tradição católica que é a reunião da família com o almoço do Círio, como acontece em Belém.

O padre da Paróquia Cristo Rei, Udson Rodrigues da Silva, da coordenação do Círio de Parauapebas, disse que a cada ano aumenta o número de devotos de Nossa Senhora de Nazaré, padroeira dos paraenses. “No ano passado, segundo os órgãos de segurança, cerca de 30 mil fiéis participaram da romaria. A gente acredita que esse ano, teremos mais devotos participando. A vinda de moradores de cidades vizinhas tem crescido a cada edição. A gente tem também uma grande participação de todas as paróquias da cidade, com o envolvimento de toda a família”, disse o padre.

A berlinda que está sendo preparada para receber a imagem da santa, durante a procissão é protegida pela corda de 250 metros de extensão, carregada por milhares de romeiros. “A corda se tornou um símbolo sagrado de devoção de quem busca agradecer uma graça alcançada ou mesmo pedir a intercessão da Virgem Maria. Tocar a corda é como se tivesse tocando a berlinda”, destacou padre Udson. Ele também explicou que, diferente do Círio da capital, não é costume dos romeiros de Parauapebas cortar a corda, que é sempre recolhida no fim da procissão para ser usada na edição seguinte.

Neste sábado, dia 21, como já é tradição nas cidades que realizam a festa religiosa, será feita a troca do manto usado pela imagem de Nossa senhora de Nazaré, durante a celebração da missa, que começa às 18hs, na Igreja Bom Jesus, no bairro da Paz. Logo depois será feita a transladação da imagem até a Igreja São Francisco, no bairro Rio Verde, de onde sairá no domingo com a procissão.

Domingo de Círio
A celebração começa com a oração do terço, às 6 horas da manhã, na Igreja São Francisco, no bairro Rio Verde. Em seguida é iniciada a procissão do Círio de Parauapebas pela rua JK. A  caminhada segue pelos bairros da Paz, Beira Rio até o Parque dos Carajás, local onde será construída o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré. A missa campal será celebrada pelo bispo diocesano Dom Vital Corbelinni que encerra a romaria.

A programação do Círio, que teve início no dia 8 de outubro, com o envio das berlindas pelas paróquias, encerra no dia 28, com o show católico na Praça de Eventos.

Religião

37º Círio de Nazaré em Marabá teve 4 horas e 20 minutos de duração

Fora o atropelamento de um agente de trânsito por motociclista embriagado, antes da procissão, tudo transcorreu com tranquilidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Sem alterações e dentro do que foi planejado. Foi assim que Mauro de Souza, um dos diretores do 37º Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Marabá, definiu a grande romaria de 2017. Foram 4 horas e 20 minutos de caminhada entre a Praça Duque de Caxias, onde a procissão começou pontualmente às 7h a fazer o percurso de 7,3 km até chegar ao Santuário da Folha 16, na Nova Marabá,
às 11h20.

Durante o segundo Círio do Pará em número de fiéis, a santa padroeira recebeu várias homenagens, com fogos, cânticos e muita devoção. Na corda dos promesseiros, este ano com 400 metros de comprimento, cada centímetro foi disputado silenciosamente por mãos que agradeciam por alguma graça alcançada.

Até o clima colaborou para que o Círio deste ano em Marabá transcorresse com tranquilidade. Ao contrário de dias anteriores quando a temperatura estava muito alta, neste domingo o calor se mostrou suportável, sem romeiros passando mal ou desmaiando com insolação.

Segundo a Polícia Militar, que atuou com 128 homens na segurança da procissão, o número da ocorrência de pequenos furtos diminuiu bastante este ano, com 10 pessoas sendo detidas como suspeitas. Porém, como nada foi encontrado com elas, acabaram liberadas.

Agente atropelado
Homens do DMTU, Bombeiros e Guarda Municipal também atuaram na romaria e um único incidente foi registrado no trânsito, quando o motociclista Fernando da Silva Cruz, por volta das 6h30, pilotando embriagado, conforme constatado pelo teste do etilômetro (bafômetro), atropelou o agente de trânsito Carpegiani.

Conforme o diretor do DMTU, Jocenilson Silva Souza, o atropelamento se deu na Avenida Antônio Maia, fechada para o trânsito de veículos desde as 5 horas. Fernando chegou a furar o bloqueio e foi advertido por Carpegiani que desse meia volta. A princípio ele pareceu ter seguido a orientação, mas, logo em seguida, acelerou em frente batendo no agente. Fernando acabou preso na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil, para onde foi levado, e Carpegiani, com o dos braços deslocado, removido ao Hospital Municipal, onde foi atendido. Liberado em seguida, o agente se encontra em casa, se recuperando.

Agradecimento
Ao final da procissão, na missa campal na praça em frente ao Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, na Folha 16, o bispo dom Vital Corbellini disse estar emocionado com a participação de todos no Círio 2017, os sacerdotes, os colaboradores, os voluntários, profissionais de Comunicação, que propagaram amplamente a grande festa religiosa, e aos fiéis. Depois pediu as bênçãos e a proteção de Nossa Senhora de Nazaré às famílias, reforçou a fé e a esperança em Maria e desejou que todos vivam em comunhão com Deus, por meio da padroeira. “Saímos daqui, do Círio, irmãos e irmãs, mais fortalecidos, pedindo bênçãos à nossa cidade de Marabá, pedindo água, pedindo bênçãos aos homens e mulheres, aos nossos filhos. Clamaremos a ela e ela vai levar tudo a Jesus”, disse Dom Vital.

Indagado sobre o número de fiéis que acompanhou a 37ª romaria, Mauro de Souza disse ainda não ter a informação oficial, mas estima que havia mais romeiros que em 2016, quando, segundo a Polícia Militar, cerca de 240 mil pessoas seguiram na procissão. Contatado pelo Blog, o comando do 4º BPM disse que os cálculos ainda estão sendo feitos e devem ser divulgados em breve.

Igreja

Missa da quarta-feira (13) dá início às celebrações do 37º Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Marabá

A romaria, que segundo o bispo diocesano, já leva 240 mil fiéis aos 6 km de percurso, acontece em 15 de outubro próximo

 

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Missa na próxima quarta-feira (13), a partir das 19h30, no Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, na Folha 16, Nova Marabá, marca o início oficial das celebrações do 37º Círio de Nazaré marabaense. Este ano, o tema da grande romaria de 6 km, que acontece no terceiro domingo de outubro é “Ó Maria ajudai-nos a viver a fé, esperança e caridade”. De acordo com o bispo diocesano de Marabá, Dom Vital Corbellini, 57 anos, quase cinco dos quais na Diocese local, o tema está relacionado ao Ano Mariano, pelos 300 anos de Nossa Senhora Aparecida, considerada a Rainha do Brasil.

Ele diz que, além de colocar a importância da vivência das virtudes teologais cristãs católicas, que vêm da tradição, e evangélicas, porque se refere à fé, todos pedem a Maria que lhes dê a graça da fé, que aumente essa fé. “Depois, vem a esperança. Maria foi uma pessoa de esperança, acreditava na vinda do Messias. Então, que sejamos pessoas de esperança neste mundo, muitas vezes desacreditado, com problemas sociais, mas em que devemos colocar o valor da esperança”, explica o bispo.

Por último – continua Dom Vital – vem a caridade que, coroa todas as virtudes, é o amor a Deus, o amor ao próximo e o amor a si mesmo. “ Então, pedimos a Maria que nos dê essas graças e que nos leve a Jesus por meio dessas virtudes e assim também testemunhando Jesus no mundo de hoje, no qual Maria também é uma força na caminhada”.

Indagado acerca de como estão os preparativos para o 13º Círio, o bispo diocesano informa que, na semana passada, aconteceu uma das últimas reuniões, de toda a equipe das diretorias e os trabalhos estão bem encaminhadas. “Já temos os cartazes e os livrinhos logo estarão nas paróquias, nas comunidades. Na quarta-feira, 13, daremos abertura, com a missa no Santuário. Depois, nos dias seguintes, a imagem percorrerá a Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré”, detalha o religioso.

Em seguida, ainda segundo ele, a imagem de Nossa Senhora vai ao interior e, na volta, passa por todas as paróquias da cidade.

Dom Vital lembra que este ano, acontece pela terceira vez consecutiva o Círio Missionário, criado por ele. “A imagem vai estar junto e vamos fazer missão. Este ano ela se alonga a outras paróquias da cidade. Até 2016 era mais nas paróquias de Nossa Senhora da Conceição, Sagrada Família e São Francisco. Agora não, teremos então Círio Missionário em Nossa Senhora de Fátima, Sagrado Coração, Nossa Senhora de Nazaré, Bom Pastor e São José Operário”, afirma.

Para isso, conforme o bispo, aconteceu a formação dos novos missionários leigos, seminaristas, postulantes e sacerdotes. “Eu também, na medida do possível, vou acompanhar esse Círio Missionário, que ajuda a pessoa a ter a referência para os dias 14 e 15 de outubro”, explica.

Sobre a participação do povo católico no Círio de Marabá, Dom Vital Corbellini afirma que é sempre crescente, “com o povo de Deus indo para as ruas, louvando Nossa Senhora, louvando a Cristo”. “Então é uma participação bem popular, a alegria de ter esse Círio porque dá um novo fervor, uma nova alegria ao povo. Afinal de contas é uma manifestação pública na fé cristã católica na imagem de Nossa Senhora”, descreve ele, acrescentando que hoje cerca de 240 mil pessoas acompanham a romaria.

“Nós não adoramos Nossa Senhora, mas, por meio dela, queremos chegar mais perto de Jesus. É uma participação sempre melhor e maior no sentido de que as pessoas participam sempre vivenciam a fé”, afirma o bispo, que tem sob sua responsabilidade 29 paróquias e 600 comunidades de 16 municípios que totalizam cerca de 700 mil habitantes.

Religião

Círio de Carajás, em Parauapebas, reúne cerca de 1.500 pessoas

Católicos homenagearam Nossa Senhora de Nazaré com orações e cânticos pelas ruas do Núcleo Urbano.

Foram quase quatro horas de devoção e fé à padroeira dos paraenses, a Nossa Senhora de Nazaré, durante a realização da sexta edição do Círio de Carajás, a 25 km de Parauapebas  no último domingo, 3.

As homenagens começaram, às 17 horas, durante a missa na Concha Acústica celebrada pelo Bispo Diocesano, Dom Vital Coberlini e pelo pároco da igreja matriz, Allison Lima de Castro. Os fiéis puderam ver de perto os cinco mantos usados pela imagem da Santa, nas edições anteriores do Círio, que foram colocados em exposição.

Cerca de 1.500 fiéis, entre crianças, adultos, idosos e doentes, lotaram a área destinada aos romeiros. No fim da missa, a imagem foi levada por Dom Coberlini até a Berlinda, que estava ornamentada com cerca de seis mil flores. Muitas pessoas aproveitaram para registrar o momento, em que a imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi colocada dentro da Berlinda por um dos 31 guardas do Círio que organizaram o início da procissão.

No começo da romaria estavam os coroinhas vestidos de branco, enfileirados. Em seguida, vinha o carro das crianças vestidas de anjinhos e na frente da Berlinda, mais de cem pessoas puxavam a corda dos “promesseiros”. Muitos pedidos se repetiam entre os fiéis: a saúde de parentes, a busca pelo emprego, a casa própria. Também havia aqueles que agradeciam pela graça alcançada. “Nossa senhora nos abençoou com a recuperação da minha filha que estava doente”, falou a dona de casa, Maria da Guia que mora em Parauapebas, mas sempre vem à Serra para acompanhar o Círio.

Durante todo o trajeto as músicas em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré eram intercaladas com a oração do terço. Nas portas das casas, a imagem da Santa foi colocada pelos moradores que aguardavam a passagem da Berlinda. Os fogos de artifício anunciavam a chegada da Imagem de Maria que recebia muitos aplausos. “São 224 anos de celebração do Círio de Nazaré na capital paraense e nós temos a alegria de celebramos, aqui em Carajás, o sexto ano do Círio de Nazaré. Maria também nos escolheu para testemunharmos a nossa fé, àquela que foi escolhida por Deus, para ser a mãe do Salvador. Maria é a nossa advogada. Obrigada Jesus, por nos ter dado a nossa mãe porque sem ela, a cruz que todos os dias carregamos, seria mais pesada”, falou emocionado, o pároco.

Depois de 4 quilômetros percorridos, a procissão retornou a Concha Acústica, onde foi dada a bênção final da Virgem Maria, a todos que participaram do Círio de Carajás.

error: Conteúdo protegido contra cópia!