Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Moradores protestam contra instalação de linhão em Parauapebas

A linha de distribuição Parauapebas II passará pelos bairros de Apoena, Nova Carajás, Amazonas e Aporá e, segundo os moradores, há risco de descarga elétrica. Celpa promete avaliar questões levantadas
Continua depois da publicidade

A construção da linha de distribuição elétrica Parauapebas II (chamada de linhão) está causando problemas entre a Celpa e os moradores dos bairros de Apoena, Nova Carajás, Amazonas e Aporá. Isso porque serão instalados postes de alta tensão (138 mil volts) em área residencial e, segundo a reivindicação dos moradores, há riscos para a saúde da população e danos à natureza.

A Celpa alega que a obra é de grande importância para atender ao fornecimento de energia do município. No entanto, os moradores apontam outras áreas na cidade onde o linhão poderia ser instalado. Entre eles está a PA-275. Só que a Prefeitura afirma que pretende duplicá-la e, por isso, não seria viável. Já o advogado da Associação de Moradores, Rafael Braz, explicou que esta justificativa não é válida, pois basta que a Prefeitura adeque o projeto de duplicação, inserindo a implantação destes postes.

Braz informou que a obra foi denunciada ao Ministério Público do Pará, mas que ainda não houve uma resposta. Também foi contratado um engenheiro eletricista, para que fizesse a avaliação técnica e, com este laudo, será aberta uma ação popular “para tentar na via judicial, conseguir defender os direitos dos moradores”, explicou.

Problemas estruturais também foram apontados pelo advogado. Por exemplo, largura das calçadas, transporte e aterramento dos postes, que podem colocar em risco a segurança de pedestres e a estrutura de imóveis. “Os postes têm 30 metros de altura e mais de um metro de largura. Precisariam ter uma área de servidão e de segurança de 16 metros em círculo (oito metros para um lado e oito metros para o outro) e não existe esse espaço nas calçadas. Sabemos que a calçada serve para que o cidadão tenha o seu direito de ir e vir garantido em todos os lugares da cidade. E isso a gente vai perder”, lamenta Braz. Quanto a esta denúncia, a Celpa informa que está adotando o padrão aplicável para áreas urbanas, mantendo 2,6 metros de distância de segurança, sendo 1,3 metros para cada lado, a partir do cabo condutor.

Em relação à altura dos postes, a empresa também esclarece que o projeto atende às normas vigentes, pois a distância mínima adotada será de 10,5 metros do solo, ficando 2,5 metros acima do que determina a norma e, assim, elimina os supostos riscos de exposição à radiação eletromagnética.

Os moradores também apresentaram outras denúncias, mas a Celpa informou para a nossa reportagem, através de sua Assessoria de Comunicação, que serão apuradas e avaliadas por sua área técnica.

Em relação ao aterramento, os cidadãos alegam que o adequado é feito com material específico, que seria um fio de cobre de espessura de 50cm, porém a Celpa está usando um fio de alumínio. “Ela está barateando o custo, em detrimento da segurança da população e de seu próprio projeto”, denuncia Braz.

Quanto à escavação, o laudo técnico do engenheiro contratado pelos moradores aponta que os postes têm 30 metros de altura e três metros de fundura, mas, segundo a regulamentação, seriam necessários 3,5 metros, no mínimo. O advogado também informou que a escavação está causando outro problema. Segundo ele, alguns lugares onde os postes serão fixados estão ao lado de encanamento que fornece água para a cidade toda. “Além do risco de contaminação, há ainda o risco de danificar um cano desses e parar o fornecimento de água na cidade”, denuncia.

Outra questão levantada é em relação ao transporte dos postes, que está sendo feito irregularmente. Braz nos explicou que é necessário que estes equipamentos sejam envoltos em uma manta específica, mas estão sendo levados de forma inadequada, o que prejudica sua estrutura. “Quando for instalado, o poste pode rachar, pode ter algum problema estrutural e, depois de algum tempo, se deteriorar e cair”, teme o advogado.

Pará

Celpa inicia por Marabá campanha para melhorar atendimento ao cliente

Ação deve sensibilizar cerca de mil colaboradores e parceiros para tentar mudar conceito que clientela tem da empresa
Continua depois da publicidade

A partir desta quinta-feira, dia 5, até a próxima sexta-feira, dia 13, a Celpa fará uma grande mobilização em todo o estado com os seus colaboradores e parceiros para buscar melhorias no atendimento. A ideia é fazer um trabalho para sensibilizar sobretudo a chamada linha de frente, que atua mais próxima dos clientes da concessionária. Nessa categoria estão incluídos os eletricistas, atendentes de agências, negociadores, leituristas, ente outros. No total, em pouco mais de uma semana, a empresa deve mobilizar cerca de mil trabalhadores no workshop “Como melhorar a experiência do cliente”.

O responsável pela sensibilização será o Mestre em Administração Estratégica de Marketing, Mauro Romero. Ele explica que o cerne de todo esse trabalho está em oferecer um atendimento de excelência. “A gente precisa trabalhar com todos os colaboradores e parceiros a importância dos clientes para a empresa. É essencial que todos estejam cientes do seu papel que é atender bem, com qualidade e garantir satisfação e encantamento. A Celpa oferece um serviço essencial e de muita grandiosidade que é a energia elétrica, então é necessário que esse serviço esteja acima do ideal em todas as suas nuances,” afirma Romero.

A sensibilização iniciará por Marabá nesta quinta-feira (5); a cidade é o polo da Regional Sul da empresa, que compreende ainda Parauapebas, Tucuruí e Redenção. Sexta-feira (06), no sábado (07) e na segunda (09) o trabalho focalizará na Regional Norte, onde fica compreendida Belém e regiões do Baixo Tocantins e Ilha do Marajó. Já na terça-feira (10), a sensibilização ocorrerá em Castanhal, Regional Nordeste, que abriga Paragominas, Bragança e Capanema. De quarta (11) até sexta-feira (13), as ações ocorrerão em Altamira e Santarém, Regionais Centro e Oeste.

Para o presidente da Celpa, Nonato Castro, esse tipo de ação deve favorecer de forma efetiva os consumidores da empresa. “Nós estamos trabalhando arduamente para oferecer um serviço de qualidade à população e isso inclui o nosso atendimento da linha de frente. Nós precisamos que nossos eletricistas, leituristas e atendentes de agências estejam alinhados com os valores da Companhia, que se enquadram em atender de forma humanizada, assertiva e, acima de tudo, gerando satisfação,” declara o presidente.

NA PRÁTICA

Os participantes aprenderão como encarar os desafios do trabalho, perceber a importância da valorização das atividades, conhecer novos modelos de atendimento, saber como o cliente está avaliando a Celpa e quais as oportunidades de melhoria nas regiões. A expectativa é que os colaboradores, além de prestarem um bom serviço técnico, tenham um relacionamento pessoal, com melhorias no desempenho e na satisfação do cliente. A mobilização também se estenderá às lideranças da concessionária, como executivos e gerentes.

NOVOS INVESTIMENTOS

A concessionária vai iniciar neste mês de julho as obras de ampliação da subestação Cidade Nova, localizada em Marabá. No local, serão instalados quatro novos alimentadores, que vão compor carga com outros seis que já operam no fornecimento de energia dos quase 34 mil clientes que moram no núcleo Cidade Nova.

Serão investidos R$ 4,6 milhões na ampliação, com prazo de entrega para o mês de outubro. De acordo com o executivo de expansão, Welton Lameira, hoje Marabá conta com quatro subestações de energia e um dos objetivos da ampliação é aumentar a confiabilidade do sistema elétrico. “Esses novos alimentadores vão proporcionar melhor qualidade de energia para os moradores, além de melhor flexibilidade operacional para as equipes da Celpa. Isso quer dizer que durante uma perda de carga em um desses alimentadores, podemos trabalhar mais rápido o seu restabelecimento”, destaca.

Vale lembrar que cada subestação de energia é formada por um conjunto de alimentadores, responsáveis por levar a energia para os transformadores de distribuição e, a partir deles, para os consumidores. Quando ocorre alguma falha no fornecimento, é possível identificar qual alimentador está relacionado com aquela falha, e dessa forma, rastrear de onde vem o problema para resolvê-lo.

Para o executivo de relacionamento com o cliente, Gilliard Vaz, os constantes investimentos feitos na região mostram que melhorar o atendimento oferecido aos consumidores é prioridade da empresa. “O sul e sudeste do estado estão em constante crescimento. É uma região que recebe empresas, indústrias, e nós, como concessionária de energia, temos que oferecer as melhores condições para atender essa demanda, possibilitando a implantação de novos empreendimentos no estado,” avalia o executivo.

MAIS INVESTIMENTOS

Novos investimentos serão feitos e entregues à população do sul e sudeste do Pará ainda em 2018 pela concessionária. Entre eles, está o novo alimentador em Rondon do Pará, onde estão sendo implantados cinco quilômetros de rede. A ampliação vai possibilitar atender à crescente demanda da cidade e melhorar a confiabilidade da energia distribuída.

Na obra, serão investidos R$ 400 mil, utilizados na instalação de uma rede de 1​3,8 quilovolts e 78 postes novos, que serão incluídos em todo o percurso, beneficiando cerca de 10.500 famílias. Outro investimento robusto feito pela Celpa é na construção da terceira subestação de energia em Parauapebas. Estão sendo investidos mais de R$17 milhões na obra, que vai beneficiar cerca de 120 mil famílias. A previsão é que a primeira etapa seja entregue no final de julho e a segunda em agosto.

Canaã dos Carajás

Após 10 dias no escuro por causa de “gato”, Praça em Canaã volta a ficar iluminada

Prefeitura de Canaã dos Carajás diz que dentro de 60 dias situação será legalizada definitivamente junto à Celpa
Continua depois da publicidade

Foram dez dias às escuras. Levar a família para um passeio ou até mesmo se exercitar na academia ao ar livre da Praça “Noel Cirino de Carvalho”, popularmente conhecida como Praça da Juventude Papai Noel, só se fosse durante o dia. Localizado no Bairro dos Maranhenses, em Canaã dos Carajás, o espaço público estava ligado a um famoso “gato” e a Celpa acabou cortando o fornecimento de energia durante dez longos dias. Mas no último sábado, 23, a situação foi contornada.

Com os mais de R$2,5 milhões investidos em infraestrutura, esqueceu-se ainda de resolver pendências com a concessionária de energia, de regularizar a instalação elétrica do local. Com isso, após a inauguração, a praça passou a funcionar de forma clandestina, com o famoso “gato”. A Celpa agiu de forma implacável, entrou em cena e interrompeu o fornecimento de energia elétrica para a praça pública, inaugurada no último dia 12 de maio.

A energia foi reestabelecida provisoriamente no sábado (23). Através de nota, a prefeitura de Canaã dos Carajás informou que um prazo 60 dias foi estabelecido pela Celpa para que o serviço seja legalizado junto à concessionária. A nota diz ainda que a Prefeitura está adotando medidas para que a empreiteira seja responsabilizada pelo corte de energia.

Leia a nota da Prefeitura

“A energia elétrica da Praça da Juventude Papai Noel, que havia sido desligada na última semana, já foi restabelecida no último sábado (23). A solução do problema foi possível devido a intervenção da administração junto à concessionária de energia, solicitando ligação provisória com prazo determinado de 60 dias, até que haja um tempo hábil para que o empreiteiro regularize a situação junto à concessionária.

A energia no local foi desligada devido à falta de acompanhamento por parte da empreiteira – que ainda é responsável pelo local – do processo de viabilidade técnica junto à concessionária de energia.

Vale lembrar que todo o ônus da intervenção feita pela administração será posteriormente adicionado à medição da empresa responsável pela obra, e o valor referente a isso pode deixar de ser pago na conclusão do contrato”.

Brasil

Crise do combustível obriga Celpa a adotar plano emergencial

Concessionária de energia elétrica avisa que vai priorizar apenas atendimento a serviços emergenciais e ocorrências que possam comprometer a segurança da população
Continua depois da publicidade

A reboque da crise da falta de combustível que afeta todo o País por conta da paralisação dos caminhoneiros, a Celpa acaba de emitir nota em que informa a população sobre um plano emergencial de atuação enquanto houve falta de combustível. Leia a íntegra da nota:

“A Celpa informa que está adotando um plano emergencial de atuação devido à falta de combustível causada pelas paralisações realizadas por caminhoneiros em todo o país desde segunda-feira (21). A ação é necessária uma vez que a crise no abastecimento de combustível tem afetado a operação da frota de veículos de campo da Celpa, bem como o recebimento de materiais para a execução das atividades.

As equipes operacionais estão priorizando o atendimento a serviços emergenciais e ocorrências que possam comprometer a segurança da população.

Informa ainda que, os municípios que fazem parte do sistema isolado, que são atendidos por 22 Usinas Termoelétricas, podem ter o fornecimento de energia comprometido, uma vez que dependem de combustível para gerar energia aos moradores das localidades.

É importante ressaltar que por conta do desabastecimento e também de pontos de bloqueios em diversas rodovias nas áreas de concessão, os prazos de atendimento podem ser comprometidos.

A Celpa pede a compreensão dos clientes e reforça que se trata de uma situação atípica e fora do controle da Companhia, e que está mobilizando todos os seus recursos para minimizar os impactos a seus clientes”.

Redenção

Celpa inicia Semana de Negociação em Redenção

Parcelamento de dívidas e consumo não registrado podem ser negociados até o próximo sábado
Continua depois da publicidade

Iniciou ontem, segunda-feira (14), e segue até o próximo sábado (19), a Mega Ação Celpa, que tem o objetivo de regularizar clientes inadimplentes. O consultor de Relacionamento da concessionária, Maycon Cavalcante, disse ao Blog que o principal objetivo é negociar e renegociar faturas e consumo não registrado. A ação já aconteceu em Xinguara e Canaã do Carajás e, segundo ele, foi um sucesso.

“Após realizarmos a Mega Ação Celpa nesses municípios, resolvemos estender a Redenção. O objetivo é ajudar pessoas que estejam com nomes negativados. Teremos uma flexibilidade maior nos parcelamentos das dividas, negociação que cabe no bolso do consumidor”, explicou Maycon.

Além da negociação, a Celpa, está realizando outros procedimentos, como cadastro na tarifa social Baixa Renda, onde o consumidor terá até 60% de desconto na conta de energia.

O atendimento acontece das 8h às 18, no escritório da Celpa, na Avenida José Paulo Carrion, 1901, centro da cidade, em frente à Praça da Bíblia. Os interessados devem comparecer levando os documentos pessoais.

Canaã dos Carajás

Celpa promove Semana de Negociação em Canaã dos Carajás

Durante seis dias os clientes que possuem débitos com a Celpa poderão negociar com condições especiais e flexibilidade.
Continua depois da publicidade

Entre os dias 23 e 28 de abril, os moradores de Canaã dos Carajás terão maior flexibilidade para negociar suas dívidas com a Celpa durante a Semana de Negociação. Os atendimentos serão feitos na agência da concessionária no município e também pelos agentes de campo.

Além de negociar com condições mais flexíveis, a ação também vai oferecer para os moradores o cadastro no Programa Tarifa Social de Energia Elétrica, que concede descontos de até 65% de descontos na conta de luz. As equipes também estarão aptas a fazer arrecadação com máquinas de cartão de crédito* para que o cliente não precise enfrentar filas de bancos e lotéricas.

Os clientes poderão ainda solicitar inspeções nas instalações das residências, receber orientações sobre como ler uma fatura de energia, conhecer as normas do sistema elétrico e os programas da Celpa.

Com maior flexibilização no momento de negociar os débitos, o cliente consegue organizar o orçamento familiar e utilizar os serviços prestados pela concessionária de maneira mais tranquila.

Serviço

Semana de Negociação em Canaã dos Carajás

Período: 23 à 27 de abril na agência e sábado com os agentes pela cidade.

Horário: 8h às 17h

Local: Agência da Celpa de Canaã dos Carajás – Rua Benedito Costa, nº 537 – Bairro Centro – Esquina com a Avenida Weyne Cavalcante

Parauapebas

Câmara quer explicação da Celpa sobre cortes de fornecimento

O vereador Ivanaldo Braz diz que a concessionária ignora lei municipal que proíbe a suspensão em determinados dias. A Celpa argumenta que não é regida por leis municipais
Continua depois da publicidade

A Câmara Municipal de Parauapebas aprovou, por unanimidade, na sessão da última terça-feira (17), requerimento do vereador Ivanaldo Braz Simplício (PSDB) exigindo o comparecimento da Celpa (Centrais Elétricas do Pará), por meio de seus representantes, e do Procon Municipal àquela Casa para prestar esclarecimentos. O motivo da convocação são os cortes de energia às sextas-feiras, sábados, domingos e vésperas de feriado, que a concessionária de energia elétrica vem efetuando em Marabá, em desobediência à Lei Municipal 4.331/2007, que proíbe a suspensão do fornecimento nesses dias, mesmo que o consumidor esteja em débito.

O vereador afirma que, embora a lei exista desde 2007, a empresa elétrica não a cumpre. “A população não tem conhecimento sobre essa legislação e, mesmo as pessoas que conhecem, estão tendo seus direitos desrespeitados. Se a Celpa diz que a lei é inconstitucional, a empresa terá de derrubá-la na Justiça”, argumenta Braz.

Em nota enviada ao Blog, a Celpa diz que, em relação à Lei nº 4.331/2007, aprovada pela Câmara Municipal de Parauapebas, a qual prevê a proibição da suspensão do fornecimento energia elétrica nos finais de semana, esclarece que, como concessionária do serviço público federal de energia elétrica, está submetida à legislação do setor elétrico brasileiro e às normas definidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que é responsável por regular e fiscalizar a produção, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica, em conformidade com as políticas e diretrizes do governo federal.

Diz ainda que “as normas referentes ao setor elétrico vigentes autorizam a suspensão no fornecimento de energia em todos os dias úteis” e segue argumentado que “de acordo com a Constituição Federal, somente a União detém a competência para legislar sobre energia elétrica”.

Consequentemente – segue o comunicado – leis estaduais ou municipais que tratem sobre tarifas, cortes, prazos de vencimentos de faturas de energia elétrica, bem como sobre outros assuntos relacionados ao fornecimento de energia elétrica, inevitavelmente “conflitam com a Constituição Federal e devem ter a sua constitucionalidade analisada pelo Poder Judiciário”.

A concessionária por meio de sua Assessoria de Comunicação, colocando-se “à disposição para prestar qualquer outro esclarecimento necessário”. A Câmara Municipal ainda não marcou a data da audiência.

Marabá

Apae de Marabá ganha reforço de R$ 290 mil da Celpa

Apae tem 20 anos de atuação e atualmente atende a 523 alunos e conta com 64 funcionários
Continua depois da publicidade

Emoção e alegria marcaram a divulgação do Projeto Celpa Mais Desenvolvimento Social na Associação de Pais e Amigos, a Apae de Marabá, que há 20 anos atende pessoas com deficiência intelectual e múltipla. O anúncio foi feito na sede da instituição e contou com a presença de colaboradores, usuários e familiares. A concessionária investirá cerca de R$ 290 mil para a compra de móveis e equipamentos, além de aquisição de materiais que serão utilizados em adequações das estruturas do local.

Para a analista da área de Responsabilidade Social da Celpa, Cláudia Michelle Miranda, o investimento na Apae mostra a importância de apoiar pessoas com deficiência. “A Celpa vai investir mais de R$ 4 milhões em projetos sociais em todo o Estado. Em 2016, abrimos um edital e tivemos 68 instituições inscritas. Foi muito difícil selecioná-las, pois sabemos da importância e necessidade de cada uma, mas escolher a Apae significa para nós apoiar a inclusão das pessoas com deficiência. Além disso, o apoio se estende às famílias, que são fundamentais na luta por um tratamento digno”, destaca a analista.

Inaugurada em 1998, a Apae Marabá atende hoje 523 alunos e conta com 64 funcionários, entre equipes especializadas e de apoio. Os recursos para manter os serviços oferecidos à comunidade são provenientes de doações e parcerias com empresas e o município. Por isso, iniciativas sociais como a da Celpa são de extrema importância para ajudar a suprir necessidades do dia a dia da instituição.

Para a diretora da Apae, Socorro Cavalcante, o recurso será utilizado para suprir as necessidades estruturais das pessoas atendidas na instituição. “Participar do projeto foi muito gratificante. Sempre que vemos um edital aberto, nós elaboramos projetos verificando sempre quais são as necessidades mais urgentes. E tudo que recebemos é sempre muito bem-vindo. Foi surpreendente porque a gente vive buscando parcerias e que alguém acredite e queiram defender a pessoa com deficiência. Nós trabalhamos para que os usuários possam ter o direito de viver numa sociedade mais justa e solidária. Hoje, temos mais de 28 pessoas com deficiência intelectual inseridas no mercado de trabalho. Isso para nós é enriquecedor”, avalia a diretora.

Além da Apae, o projeto também beneficiou a Associação Caminhos do Emaús, em Conceição do Araguaia, onde serão investidos cerca de R$ 400 mil para a construção de uma casa de formação.

RESPONSABILIDADE SOCIAL – Em 2016, a Celpa investiu cerca de R$ 2,4 milhões em iniciativas de responsabilidade social. Entre as instituições contempladas está a Fundação Zoobotânica de Marabá, onde foram investidos R$ 750 mil na construção do centro de reabilitação de animais. A estrutura inclui um hospital para os animais, em que é possível fazer desde procedimentos de primeiros socorros até cirurgias. Também conta com uma sala de necropsia, ambiente para preparação de alimentos, espaço administrativo e uma jaula com cerca de 200m², que abriga um casal de onças pintadas. Com o recurso, também foi viabilizada a compra de um aparelho de raio x, uma máquina de ultrassonografia, macas, estolas, pistolas de tranquilizantes, entre outros materiais para atender com mais comodidade e conforto todas as espécies da região. (Divulgação Celpa)