Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
saúde

Prefeitura de Marabá realiza mais de 1.200 cirurgias eletivas em dois meses

Cerca de 8 mil pacientes aguardavam desde 2008 e agora estão sendo chamados para serem submetidos às cirurgias

Desde dezembro último, a Prefeitura de Marabá vem convocando pacientes que estavam em fila de espera desde 2012 para a realização de cirurgias eletivas. Os Hospitais Municipal e Materno Infantil, da rede pública municipal, e o Hospital Santa Terezinha e uma clínica oftalmológica, estes da rede privada, vêm atendendo a uma demanda reprimida que chega perto de 8 mil pessoas. Atendentes dos postos de saúde e funcionários designados pela própria SMS (Secretaria Municipal de Saúde) estão entrando em contato com os pacientes em lista de espera e agendando o atendimento.

Para que esse mutirão fosse realizado, a prefeitura investiu recursos próprios além de recursos federais, para equipar os hospitais, para os quais foram adquiridos kits instrumentais, o que não ocorria desde 2008. Equipes de cirurgiões estão fazendo em forma permanente o mutirão, atingindo uma meta histórica de 1.261 procedimentos nos últimos dois meses.

Pessoas que estão sendo beneficiadas pelo mutirão dizem que já tinham perdido a esperança, como é o caso do paciente Advan de Jesus, de 59 anos, que passou por cirurgia de catarata: “Eu estava correndo o risco de ficar cego. Hoje me sinto agradecido pelo atendimento”, comemora ele.

Dona Maria Miguel de Araújo, de 63 anos, estava na fila havia mais de dois anos. “Eu recebi a ligação do pessoal do postinho e eles já me disseram a data e o lugar onde eu ia fazer a cirurgia. Agora eu tô feliz”, completa.

Seu Tivenio, de 68 anos, mora há 45 anos em Marabá e estava em fila de espera havia cinco anos. “Nunca vi um serviço feito desse jeito. Ligaram pra mim, marcaram e em uma semana tava tudo resolvido”.

Segundo a diretora de alta e média complexidade da Secretaria Municipal de Saúde, Dármina Duarte, todo o esforço está sendo feito para zerar a demanda, pois “o mutirão só termina quando todos forem atendidos”.

Ela ressalta ainda que muitos cadastros estão desatualizados e que há certa dificuldade em fazer contato com alguns pacientes. Dármina apela aos pacientes que estiverem com a documentação, mesmo que desatualizada, de requerimento de cirurgias, que entrem em contato com o posto de saúde mais próximo e atualizem o cadastro para que sejam convocados.

A atual gestão ressalta que o mutirão seguirá continuamente como pauta prioritária, dentro das limitações do município, até que seja cumprida a meta de zerar a demanda acumulada há anos.

Os números

Em dezembro foram realizadas:

– 187 cirurgias de hérnias (inguinal, epigástrica e umbilical);

– 65 colecistectomias (retirada de cálculos);

– 265 de catarata;

– 16 histerectomias;

– 04 postectomias (procedimento de próstata);

– 03 orquidopexias (correção de má formação de testículos);

– 02 hidroxilas (retirada de líquido testicular);

– 14 de hemorroida;

– 149 laqueaduras

Já em janeiro, os hospitais e clínica credenciados fizeram 561 cirurgias, sendo 95 no Hospital Santa Terezinha, 72 no HMI, 172 no HMM e 222 nas clínicas oftalmológicas.

error: Conteúdo protegido contra cópia!