Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Remo perde para o Confiança e se aproxima do Z4 do Grupo A da Série C

O Leão Azul deu vexame dentro de casa e decepcionou mais de 13 mil torcedores
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Foto: Fábio Will / Ascom Remo

O Clube do Remo decepcionou os mais de 13 mil torcedores que foram, na noite deste domingo (20), ao Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O Leão Azul perdeu para o Confiança-SE, por 3 a 0, em partida válida pela sexta rodada do Grupo A do Campeonato Brasileiro da Série C.

Os gols do Confiança só foram marcados no segundo tempo, com Léo Ceará, aos 26 minutos, Everton Santos, aos 38, e Bruno Maia (contra), aos 46.

Com o resultado, o Clube do Remo caiu na tabela e agora é o oitavo colocado, com sete pontos do Grupo A. O Leão Azul volta a campo contra o ABC-RN, no próximo sábado (26), às 20h, no Estádio Frasqueirão, em Natal.

O jogo: Remo 0 x 3 Confiança-SE

O Confiança mostrou que não foi passear em Belém e, logo aos dois minutos, quase abriu o placar com atacante Diogo, que mandou um chutaço e o goleiro Vinícius fez milagre salvando para escanteio. Em seguida, Iago experimentou de fora da área, mas a bola passou pela linha de fundo. Duas chegadas perigosas dos visitantes. O Remo chegou com Elielton, que também bateu de fora da área e mandou para fora.

O time sergipano era muito perigoso no ataque: em outra jogada de Iago, o meia se livrou de dois marcadores e bateu pela linha de fundo, perdendo uma grande chance. O Leão estava dando espaço e o Confiança atacando. Em uma sobra de bola, Rafael Villa chutou e a bola desviou na zaga remista, indo para escanteio. O time azulino tentou reagir com o criticado Isac, que disparou e a bola desviou no adversário, se perdendo pela linha de fundo.

Os times estavam arriscando de longe; em mais uma tentativa dos visitantes, Iago disparou para fora. O atacante Isac tentou marcar, mas parou na boa defesa de Genivaldo. Jayme também arriscou um bolaço que passou tirando a tinta da trave sergipana. O atacante Elielton teve a chance de abrir o marcador para o Leão, mas também parou em Genivaldo.

Pressão azulina: Everton cobrou escanteio, Dudu desviou e a bola passou assustando o goleiro adversário, quase o primeiro do jogo. A torcida sentiu o momento e começou a incentivar o Remo. Em uma falha da defesa do Confiança, Jayme pegou a sobra e bateu para a defesa de Genivaldo. Isac recebeu na área e na hora da finalização, a zaga apareceu, desviando para escanteio. Em outra descida do time paraense, Elielton encarou a marcação e chutou para outra defesa de Genivaldo, muito seguro e sendo o destaque do jogo.

Na etapa final, Rafael Villa cobrou falta para o Confiança e a bola foi para fora. A zaga do Remo cochilou e Léo Ceará chegou, batendo forte no canto direito do goleiro Vinícius, que pulou e não achou nada, aos 26 minutos, 1 a 0 Confiança. Minutos depois, Iago teve a oportunidade do segundo gol, mas perdeu uma grande chance para o Dragão sergipano. O Leão já estava no desespero e o lateral-direito Gustavo mandou um chute pela linha de fundo.

Para o desespero dos remistas, o Confiança chegou ao segundo: Everton Santos recebeu passe e bateu de primeira de fora da área, um golaço no Mangueirão, aos 38 minutos, 2 a 0 Dragão.

Jayme teve a chance de diminuir para o Remo, mas mandou um chute para fora. O atacante Frontini teve a chance do terceiro, mas parou na defesa de Vinícius. Para fechar a conta, Iago cruzou da direita, o zagueiro Bruno Maia foi cortar e mandou para o fundo do barbante, gol contra, aos 46 minutos. Placar final: Remo 0 x 3 Confiança.

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Gustavo, Mimica, Bruno Maia e Jefferson Recife (Levy); Dudu, Leandro Brasília e Everton; Jayme, Elielton (Gabriel Lima) e Isac (Eliandro).
Técnico: Givanildo Oliveira

CONFIANÇA: Genivaldo; Ângelo, Gabriel, Simon e Radar; Diogo, Everton Santos, Rafael Villa e Raí (Caxito); Léo Ceará (Frontini) e Iago (Thiago Silvy).
Técnico: Luizinho Lopes

Árbitro: Jefferson Ferreira de Moraes (GO)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)

Cartões amarelos: Dudu, Isac e Gabriel Lima (Remo); Ângelo e Rafael Villa (Confiança)
Gols: Léo Ceará, aos 26, Everton Santos, aos 38, e Bruno Maia (contra), aos 46 minutos do 2° tempo para o Confiança

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém
Renda: R$ 264.300,00
Pagantes: 10.448
Sócio Nação Azul: 1.250
Credenciados: 1.630
Total: 13.928

Futebol

Parauapebas é goleado pelo Clube do Remo pelo Campeonato Paraense Sub-17

O Leão Azul passeou no Estádio Rosenão, em partida válida pela terceira rodada da competição
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas

Em comemoração aos 30 anos de emancipação da cidade de Parauapebas, a diretoria do PFC conseguiu trazer o jogo contra o Clube do Remo para o Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. A partida foi válida pela terceira rodada do Campeonato Paraense da categoria Sub-17 e realizada na noite desta quinta-feira (10). O Leão Azul não contou conversa e foi um visitante bem indigesto, vencendo de goleada pelo placar de 4 a 0.

A partida começou movimentada e, logo aos 10 segundos de bola rolando, o PFC chegou com muito perigo quando Tauan recebeu lançamento, tocou no canto do goleiro Lucas e a bola bateu na trave. O árbitro Jânio Balzac Pereira assinalou gol para o Gigante de Aço, mas o assistente Antônio Alves Teixeira Alves levantou a bandeira e avisou para o árbitro central que a bola não entrou, causando Jânio a voltar atrás e desmarcar o gol do time da casa.

Depois do susto, o time azulino começou a se encontrar em campo e foi para cima. O primeiro gol não demorou a sair e chegou quando David Lima fez um belo lançamento para o meia Breno, que dominou e tocou por cima do goleiro Edinaldo Júnior; 1 a 0 Leão Azul, aos 18 minutos. Após o gol, o time azulino tomou conta da partida, acertando a trave por quatro vezes.

O segundo gol dos remistas saiu após uma falta cobrada por David Lima: a bola tocou no travessão e, na sobra, o zagueiro Reinaldo tentou cortar, mas acabou mandando para o fundo do barbante, marcando gol contra, aos 46 minutos. Na segunda etapa, o Clube do Remo seguiu superior ao adversário e, logo no início, uma bola que parecia perdida dentro da área acabou em um pênalti marcado em cima do zagueiro Davi do Leão, que recebeu um carrinho por trás, de um defensor do PFC.

David Lima, um dos destaques da equipe da capital, cobrou com muita categoria e deslocou o goleiro Edinaldo Júnior; 3 a 0 Leão Azul, aos três minutos. Sem forças para reagir, o PFC só assistiu o time azulino tocar a bola em campo. Na cobrança de falta, David Lima cruzou da esquerda para o chute de primeira do zagueiro Caio, aos 13 minutos do segundo tempo, fechando o placar no Estádio Rosenão: Parauapebas 0 x 4 Clube do Remo.

Com o resultado, o Leão Azul segue com 100% de aproveitamento no Campeonato Paraense Sub-17, com três jogos e três vitórias. Já o Parauapebas conheceu a sua segunda derrota na competição e segue com três pontos, em três partidas realizadas.

FICHA TÉCNICA 

PARAUAPEBAS: Edinaldo Júnior; Victor (Thiago), Reinaldo (Wanderson), Kelfithi (Francisco) e Janiel; Maiquel, Ramon (Marcos) Carlos e Rickelme; Hitallo (Isaías) e Tauan.
Técnico: João Paulo

CLUBE DO REMO: Lucas; Capanema, Caio, Davi (Arielton) e Ramon; Luizinho, Breno (Pedro Afonso), Ariel e Edward; Rafael e David Lima (Jefferson Bruno).
Técnico: Raimundo Pereira

Árbitro: Jânio Balzac Pereira
Assistentes: Isael da Silva e Antônio Alves Teixeira Filho
Quarto-árbitro: Edinaldo Alves de Souza
Delegada: Tânia Lopes da Silva

Cartões amarelos: Victor, Wanderson e Janiel (Parauapebas); Caio (Remo)
Gols: Breno, aos 18 minutos, e Reinaldo (contra), aos 46 do 1° tempo, David Lima, aos 3 minutos, e Caio, aos 13 minutos, do 2º tempo para o Clube do Remo
Local: Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas

Este slideshow necessita de JavaScript.

Futebol

Clube do Remo vence o Paysandu e sai na frente na briga pelo título do Campeonato Paraense de 2018

O Leão Azul derrotou o Papão pela terceira vez consecutiva neste Parazão e joga pelo empate no próximo clássico, para ficar com o título
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Foto: Fábio Will/Remo

O Clube do Remo, mais uma vez, venceu o Paysandu pelo Campeonato Paraense de 2018. Na tarde deste domingo (1), o Leão Azul derrotou o Papão, por 2 a 1, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, e largou na frente pela conquista do título do Parazão. A partida foi válida pelo jogo de ida da decisão do estadual.

O Leão saiu na frente depois que o árbitro Raphael Claus-SP (FIFA) marcou pênalti de Maicon Silva, em cima de Elielton. Isac cobrou bem, deslocou o goleiro Marcão e correu para o abraço, aos 29 minutos, 1 a 0. O Papão empatou em outro pênalti, quando Perema se enroscou com Mimica dentro da área. Cassiano cobrou no canto esquerdo de Vinícius, que foi, mas não alcançou, 1 a 1, aos 43 minutos.

Na segunda etapa, o Leão venceu com uma pintura do meia Rodriguinho, que havia acabado de entrar, e acertou um lindo chute no ângulo do goleiro Marcão, marcando um golaço, aos 34 minutos, 2 a 1, explodindo de vez o Mangueirão.

Clube do Remo e Paysandu voltam a se enfrentar no próximo domingo (8), às 16h, no Mangueirão, no jogo de volta da final do Campeonato Paraense de 2018. O Leão joga pelo empate para ficar com o título, enquanto o Papão vai ter que vencer por dois gols de diferença para garantir a taça. Uma vitória bicolor, por um gol de diferença, leva a decisão para os pênaltis.

O jogo: Paysandu 1 x 2 Remo – Mais um vitória do Leão, a terceira em três clássicos! 

O árbitro Raphael Claus, da FIFA, concedeu um minuto de silêncio pela morte do jogador Aru. Em uma jogada rápida do Paysandu, pela direita, a bola foi para área e Cassiano desviou de letra, mas ninguém apareceu para completar. Em outra jogada bicolor, a bola sobrou para Walter, que emendou um chutaço de fora da área; o goleiro Vinícius espalmou para o lado, salvando o Leão.

Os azulinos responderam quando Dudu tocou para o atacante Jayme, que disparou na primeira vez, estourando na zaga bicolor e, no rebote, mandou muito forte por cima da meta de Marcão. Outra chance com Jayme, que bateu forte cruzado e mandou para fora. Elielton deu uma caneta em Mateus Muller e cruzou na área, a bola passou de todo o ataque remista e foi para fora.

Mike arrancou pelo meio e deixou para Moisés, que bateu de primeira, mas o goleiro Vinícius defendeu; na volta, a bola bateu na mão de Walter e o árbitro parou a jogada. Que chance perdeu o Paysandu. A chuva chegou mais forte no Mangueirão. Em uma falta de muito longe, Mateus Muller cobrou por cima da meta de Vinícius. Mimica cobrou falta, Elielton dominou e foi derrubado por Maicon Silva dentro da área: pênalti assinalado pelo árbitro Raphael Claus. Isac cobrou com muita categoria e deslocou o goleiro Marcão, 1 a 0 Leão, aos 29 minutos.

Foto: Samara Miranda/Remo

Danilo Pires cobrou uma falta para o Papão e mandou, como diz na gíria, “para fora do Mangueirão”. Mais uma bola na área remista, Perema e Mimica se enroscaram e o árbitro Raphael Claus marcou outro pênalti: Cassiano cobrou no canto esquerdo, Vinícius foi, mas não alcançou, 1 a 1, aos 43 minutos. O Paysandu teve a chance com Moisés, que dominou e chutou de fora da área, mandando para fora.

Para o segundo tempo, o técnico Dado Cavalcanti teve que tirar o atacante Cassiano, que sentiu uma contusão e deu lugar para o volante Willyam. A bruxa estava solta no Papão: o lateral-direito Maicon Silva também sentiu sozinho e foi substituído por Matheus Silva, ainda com três minutos da etapa derradeira. Minutos depois, aos oito, foi a vez do volante Cáceres, que sentiu e foi trocado pelo meia Fábio Matos.

O Clube do Remo ganhou uma falta perigosa, mas Adenilson cobrou muito alto. O time bicolor saiu em contra-ataque, Moisés recebeu na direita, cortou para o meio e chutou muito longe da meta azulina. O Paysandu cruzou na área e Walter emendou de calcanhar, a bola passou assustando Vinícius. Pressão bicolor: Fábio Matos cruzou, a bola bateu no zagueiro Mimica – os bicolores pediram pênalti; na volta, Willyam cruzou, a bola passou da zaga e do goleiro Vinícius, sendo afastada por Bruno Maia.

O goleiro Vinícius cobrou falta do campo remista, a bola foi dividida e sobrou para o meia Rodriguinho, que havia acabado de entrar na partida e disparou um chutaço de fora da área: um golaço do Leão no Mangueirão, aos 34 minutos, 2 a 1, explodindo o Fenômeno Azul nas arquibancadas. Rodriguinho cobrou escanteio e quase marcou gol olímpico, mas Marcão espalmou de volta para escanteio. O Papão quase empatou quando Willyam levantou para o toque de cabeça de Walter, mas o goleiro Vinícius espalmou para escanteio. O árbitro levou até os 48 minutos. Placar final: Paysandu 1 x 2 Remo.

“A sensação é incrível. Vai ser inesquecível esse clássico. Passei bastante tempo fora do Brasil, e o que pesou para voltar foi escolher um time de massa, como o Clube do Remo, com essa torcida fantástica. Olhar para a torcida e ver eles gritando e vibrando vai ser inesquecível. A gente fica ali no banco se imaginando; estava com essa convicção de que eu iria entrar e iria marcar o gol da vitória,” afirmou Rodriguinho, meio-campo do Clube do Remo, que decidiu
com o gol da vitória.

FICHA TÉCNICA 

PAYSANDU: Marcão; Maicon Silva (Matheus Silva), Perema, Edimar e Mateus Muller; Cáceres (Fábio Matos), Danilo Pires e Walter; Mike, Moisés e Cassiano (Willyam).
Técnico: Dado Cavalcanti

REMO: Vinícius; Gustavo, Bruno Maia, Mimica e Esquerdinha; Felipe Recife (Fernandes), Dudu e Adenilson (Rodriguinho); Elielton, Jayme e Isac (Jefferson Recife).
Técnico: Givanildo Oliveira

Árbitro: Raphael Claus-SP (FIFA)
Assistentes: Fabrício Vilarinho-GO (FIFA) e Rogério Pablos Zanardo-SP (CBF)
Quarto-árbitro: Wasley do Couto Leão-PA (CBF)
Quinto-árbitro: Nadilson Sousa dos Santos-PA
Quinta-árbitra: Nayara Lucena Soares-PA

Cartões amarelos: Maicon Silva, Danilo Pires e Edimar (Paysandu); Gustavo, Isac e Esquerdinha (Remo)
Gols: Isac, de pênalti, aos 29 minutos do 1º tempo para o Remo; Cassiano, de pênalti, aos 43 minutos do 1º tempo para o Paysandu; Rodriguinho, aos 34 minutos do 2º tempo para o Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém
Renda: R$ 448.375,00
Pagantes: 16.019
Não pagantes: 3.000
Total: 19.019

Futebol

São Raimundo vence o Remo no Estádio Barbalhão e abre vantagem para o jogo de volta em Belém

O Pantera jogou com um a menos durante boa parte da partida e conseguiu segurar o Leão
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas

O São Raimundo abriu vantagem sobre o Clube do Remo, por uma vaga na final do Campeonato Paraense de 2018. O Pantera venceu o Leão Azul, por 1 a 0, na noite desta quinta-feira (22), no Estádio Municipal Colosso do Tapajós, o Barbalhão, em Santarém, na partida de ida da semifinal do estadual. O único gol da partida foi assinalado pelo atacante Jefferson Monte Alegre, aos 23 minutos do primeiro tempo, em cobrança de pênalti.

Com o resultado positivo, o Pantera vai para Belém jogando pelo empate, já o Clube do Remo terá que vencer por dois gols de diferença se quiser avançar para a final do Parazão, ou devolver o placar de um gol e levar a decisão da vaga para os pênaltis. As duas equipes voltam ao campo no próximo domingo (25), às 16h, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

O jogo: Pantera 1 x 0 Leão – Mesmo com um jogador a menos

A partida começou truncada no Estádio Barbalhão. Felipe Marques tentou marcar para o Remo e o goleiro Jader fez a defesa. O São Raimundo teve uma falta cobrada pelo atacante Chocolate, mas a bola foi por cima da meta remista. Mais uma vez o Leão Azul com Felipe Marques: após o chute, o goleiro Jader mandou para escanteio. O time azulino começou com mais posse de bola.

Mas quem marcou mesmo foi o Pantera. O atacante Jefferson Monte Alegre foi derrubado, dentro da área, pelo lateral-direito Levy, fazendo o árbitro Djonaltan Costa Araújo assinalar pênalti para o São Raimundo e cartão amarelo para o jogador remista. Jefferson Monte Alegre cobrou rasteiro no canto esquerdo do goleiro Vinícius, que foi na bola, mas não alcançou, aos 23 minutos, 1 a 0, para festa da torcida santarena.

O time da casa estava tímido no jogo, mas voltou a atacar com Bruno Limão, que chutou e a bola tocou na zaga, ficando nas mãos de Vinícius. O Clube do Remo tentou chegar em cobrança de falta, mas o goleiro Jader afastou de soco. Logo depois, o meia Kleyton, do São Raimundo, atingiu forte o lateral Esquerdinha, do Leão, e recebeu o cartão vermelho diretamente, aos 42 minutos. A torcida ficou irritada com a arbitragem.

Com um jogador a mais, o Remo foi para cima. Após cruzamento de Esquerdinha, Isac ajeitou de cabeça para o chute de primeira de Felipe Marques; a bola subiu demais. Em outra tentativa dos azulinos, a bola foi tocada para Felipe Marques, que bateu por cima da meta de Jader. No segundo tempo, o São Raimundo veio com mudança: o técnico Vladimir de Jesus tirou o autor do gol, Jefferson Monte Alegre, e colocou Romário.

O Remo teve uma falta quase que frontal, mas Adenilson pegou muito mal na bola e mandou longe da meta de Jader. Um princípio de tumulto se viu nas arquibancadas, entre as torcidas do São Raimundo e do Remo. O Leão jogou bola na área, o zagueiro Mimica subiu de cabeça para a bela defesa do goleiro Jader, mas a arbitragem assinalou impedimento. Apesar de ter muito mais posse de bola, o time azulino não conseguia criar boas jogadas e o tempo foi se passando.

Dudu, em jogada individual, dominou e chutou para o gol; a bola desviou na zaga do Pantera e foi para escanteio. O Remo quase empatou: Levy cruzou da direita, Felipe Marques ajeitou para o chute de Rodriguinho, que mandou para fora, perdendo uma chance de ouro. O jogador Ciro, do São Raimundo, reclamou demais no banco de reservas e recebeu cartão amarelo, mesmo estando fora das quatro linhas. Placar final: São Raimundo 1 x 0 Remo.

FICHA TÉCNICA

SÃO RAIMUNDO: Jader; Bruno Limão, Moisés, Sandro e João Victor; Tetê, Léo (Felipe), Jeová e Kleyton; Jeferson Monte Alegre (Romário) e Chocolate (Jean).
Técnico: Vladimir de Jesus

REMO: Vinícius; Levy, Mimica, Bruno Maia e Esquerdinha; Dudu, Felipe Recife (Rodriguinho) e Adenilson; Elielton, Isac (Jefferson Recife) e Felipe Marques.
Técnico: Givanildo Oliveira

Árbitro: Djonaltan Costa Araújo-CBF
Assistentes: Márcio Gleidson Correia Dias-CBF e Hélcio Araújo Neves-CBF
Quarto-árbitro: Walter Francisco N. dos Santos
Quinto-árbitro: Romário Ramos da Silva

Cartões amarelos: Moisés, Ciro e Jader (São Raimundo); Levy, Bruno Maia, Rodriguinho e Mimica (Remo)
Cartão vermelho: Kleyton (São Raimundo)
Gol: Jefferson Monte Alegre de pênalti, aos 23 minutos do 1º tempo para o São Raimundo

Local: Estádio Municipal Colosso do Tapajós, o Barbalhão, em Santarém
Público pagante: 3.786
Credenciados: 793
Total: 4.579
Renda: R$ 73.900,00

Futebol

Clube do Remo volta a vencer o Paysandu no Parazão e quebra os 100% do técnico Dado Cavalcanti

O atacante Felipe Marques decidiu o jogo com o gol único da partida, que teve duas expulsões, uma para cada lado
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas

O Clube do Remo voltou a vencer o Paysandu Sport Club, em mais um clássico dentro do Campeonato Paraense de 2018. Na tarde deste domingo (11), o Leão Azul passou pelo maior rival, por 1 a 0, com o gol único marcado pelo atacante Felipe Marques, aos 41 minutos do primeiro tempo.

Com o resultado, o Clube do Remo acabou com os 100% de aproveitamento do técnico Dado Cavalcanti, do Paysandu, e confirmou matematicamente a sua vaga para a semifinal do Parazão. O clássico foi realizado no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão , em Belém, válido pela nona rodada do estadual.

As duas equipes estão classificadas para a semifinal do Parazão; o Paysandu é líder da Chave A1, com 19 pontos, e o Clube do Remo é líder da Chave A2, com os mesmos 19 pontos. Ambos encerram suas participações na primeira fase do Campeonato Paraense no próximo domingo (18): o Papão recebe o Paragominas, às 16h, no Estádio da Curuzu, enquanto o Clube do Remo vai até o Parque do Bacurau, enfrentar o já rebaixado Cametá, no mesmo horário.

O jogo: deu Leão novamente em cima do Papão. Freguês?

O Paysandu levou perigo logo no primeiro minuto: após bola na área remista, Mike se antecipou a zaga e finalizou, mas Vinícius fez a defesa. Com 10 minutos de bola rolando, o lateral-direito Levy, do Clube do Remo, sentiu a lesão na coxa e foi substituído por Gustavo, garoto da base azulina.

Mais uma vez, o atacante Mike, pelo lado do Papão; o chute de fora da área assustou o goleiro Vinícius. Depois dos lances, o jogo caiu de qualidade, com os rivais se arriscando menos. A chuva veio com intensidade no Mangueirão e o gramado ficou pesado, com os jogadores entrando mais fortes em algumas jogadas.

Quem explorou mais o contra-ataque foi o Clube do Remo. Em um deles, Felipe Marques recebeu, passou no meio de dois marcadores e tocou com muita categoria no canto direito do goleiro Marcão, que ficou sem ação, explodindo o Fenômeno Azul no Mangueirão, 1 a 0, aos 41 minutos. O Leão Azul quase ampliou no lance seguinte, quando Esquerdinha arrancou bem e experimentou um chutaço; a bola bateu na rede pelo lado de fora, com muita gente gritando gol.

Para o segundo tempo, o técnico Dado Cavalcanti, do Paysandu, apostou no atacante Walter e tirou Moisés. Na primeira bola, Walter recebeu na área e disparou um belo chute de primeira, o goleiro Vinícius encaixou bem e fez a defesa. A chuva desabou de vez no Mangueirão, no chamado “toró”. Walter cobrou falta, o goleiro Vinícius espalmou e a bola foi desviada para escanteio.

O time do Paysandu perdeu a bola no meio de campo e, no contra-ataque remista, Elielton recebeu na esquerda, sozinho, chutando torto para fora. O Papão foi para o abafa: Maicon Silva cruzou na área, Cassiano dominou e, na hora de finalizar, carimbou no zagueiro Mimica. O meia Fábio Matos, do time bicolor, deu um carrinho por trás e recebeu cartão vermelho direto, aos 36 minutos.

O Remo quase ampliou: Isac recebeu passe e frente a frente com Marcão, soltou a bomba e parou na defesa do goleiro bicolor. No lance seguinte, o próprio Isac deu uma cotovelada no adversário e também foi expulso de campo direto, aos 42 minutos. Deu tempo para a torcida azulina gritar “olé” no Mangueirão. O árbitro Rodolpho Tosky Marques-PR da FIFA levou até 49 minutos, mas ninguém voltou a marcar. Placar final: Remo 1 x 0 Paysandu.

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Levy (Gustavo), Mimica, Bruno Maia e Esquerdinha; Dudu, Fernandes (Felipe Recife) e Adenilson (Rodriguinho); Felipe Marques, Elielton e Isac.
Técnico: Givanildo Oliveira

PAYSANDU: Marcão; Maicon Silva, Perema, Edimar e Victor Lindenberg; Nando Carandina (Renato Augusto), Cáceres e Fábio Matos; Mike (Magno Ribeiro), Moisés (Walter) e Cassiano.
Técnico: Dado Cavalcanti

Árbitro: Rodolpho Tosky Marques-PR (FIFA)
Assistentes: Bruno Boschila-PR e Neuza Inês Back-SC
Quarto-árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva-PA (FIFA)
Cartões amarelos: Dudu, Mimica, Elielton, Fernandes, Esquerdinha e Gustavo (Remo); Nando Carandina (Paysandu)
Cartões vermelhos: Fábio Matos (Paysandu) e Isac (Remo)
Gol: Felipe Marques, aos 41 minutos do 1º tempo para o Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém
Renda: R$ 627.970,00
Pagantes: 20.277
Credenciados: 2.860
Total: 23.137

Lado A Clube do Remo
Renda: R$ 262.855,00
Líquido: R$ 140.893,75
Pagantes: 8.433 (Nação Azul: 1.837)
Credenciados: 1.430

Lado B Paysandu
Renda: R$ 366.115,00
Líquido: R$ 235.260,84
Pagantes: 11.844 (Sócio Bicolor: 2.901)
Credenciados: 1.430

Jogos da 9ª rodada do Parazão

  • Parauapebas 1 x 1 Águia (Rosenão)
  • Castanhal 0 x 1 Bragantino (Modelão)
  • Paragominas 2 x 0 Cametá (Arena Verde)
  • Remo 1 x 0 Paysandu (Mangueirão)

Quarta-feira (14/03)

  • Independente x São Raimundo – às 20h – no Estádio Navegantão

Classificação do Parazão 2018

Chave A1
Paysandu: 19 pontos
Bragantino: 16 pontos
Independente: 13 pontos
Águia: 8 pontos
Cametá: 4 pontos

Chave A2
Remo: 19 pontos
São Raimundo: 13 pontos
Castanhal: 10 pontos
Paragominas: 10 pontos
Parauapebas: 8 pontos

Obs: O Cametá está rebaixado para a Segundinha do Parazão.

Futebol

Remo volta a vencer e quebra a invencibilidade do Independente Tucuruí no Campeonato Paraense

O atacante Elielton foi o destaque do jogo, marcando duas vezes para o Leão Azul
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Fotos: Fábio Will/Ascom Remo

O Clube do Remo voltou a vencer após quatro jogos: na noite desta quarta-feira (28), o Leão Azul bateu o Independente, por 3 a 1, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. Com isso, o Remo acabou com o jejum de vitórias e, de quebra, bateu o último invicto do Campeonato Paraense de 2018. A partida foi válida pela sétima rodada do estadual.

O atacante Elielton marcou dois gols para os azulinos, aos 20 e aos 38 minutos. O Galo diminuiu ainda na primeira etapa, com o gol do zagueiro Halysson, aos 41. Na etapa derradeira, o Remo mostrou superioridade e chegou ao terceiro, com o gol assinalado por Jefferson Recife, aos 35 minutos.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo (4): o Clube do Remo vai até Marabá para encarar o Águia, às 17h, no Estádio Zinho Oliveira, enquanto o Independente recebe, no mesmo horário, o Parauapebas, no Estádio Navegantão, em Tucuruí.

O jogo: Leão 3 x 1 Galo – Remo quebrou a invencibilidade do Independente

O Independente de Tucuruí, único time invicto, até então, do Campeonato Paraense de 2018, não se intimidou e foi para cima do Remo em pleno Mangueirão. Em uma arrancada pelo meio, Fabrício lançou para Leandrinho na direita, que dominou, avançou e chutou para a boa defesa de Vinícius. No lance seguinte, Fabrício novamente levou perigo quando cruzou na área para o atacante Betinho, mas o jogador do Galo Elétrico não alcançou a bola e perdeu uma grande chance de abrir o marcador.

O Leão Azul respondeu na mesma moeda, quando Elielton fez jogada pela direita e cruzou para a chegada de Felipe Marques, mas a bola passou na boca do gol e se perdeu pela linha de fundo. O zagueiro Ezequias se machucou e o técnico Júnior Amorim teve que alterar o Independente, colocando Hallyson. Isac tentou marcar de longe para o Remo, o goleiro Dida fez a defesa em dois tempos. Os azulinos começaram a pressionar. Levy cobrou escanteio e Adenilson cabeceou para fora.

De tanto insistir, o Leão Azul foi logo marcando, aos 20 minutos: Dida cobrou mal o tiro de meta e a bola caiu para Isac, que lançou para Elielton; o atacante entrou na área e mandou um golaço, sem chances para o goleiro do Galo, 1 a 0 Remo. O time da casa não perdeu o ritmo, e quase ampliou o marcador, quando Felipe Marques recebeu e mandou um chutaço, o goleiro Dida fez milagre e salvou para escanteio.

Depois de pegar uma pressão, o Independente resolveu sair para o jogo. O atacante Wegno mandou um chute forte de fora da área, a bola passou raspando o travessão remista. Ray Gol cruzou da direita e Fabrício, embaixo da trave, conseguiu perder uma chance incrível. O Remo voltou a atacar, Levy, na insistência, conseguiu cruzar e Elielton cabeceou em cima do goleiro Dida.

Mais uma vez, Levy cruzou; a bola sobrou para Mimica, que chutou, o zagueiro Halysson salvou de cima da linha. Elielton estava endiabrado e marcou seu segundo gol no jogo: após receber um passe na frente, o atacante soltou um foguete no ângulo, 2 a 0 Leão, aos 38 minutos. Entretanto, o Galo diminuiu logo em seguida, quando Fabrício cobrou escanteio, Charles desviou de cabeça e Halysson escorou para o fundo do barbante de Vinícius, 2 a 1, aos 41 minutos.

Na segunda etapa, muita chuva no Mangueirão. O Remo quase ampliou logo no primeiro lance: quando Leandro Brasília tocou para Felipe Marques, o atleta azulino disparou por cima  da meta de Dida. Esquerdinha teve a chance em cobrança de falta quase que frontal, mas mandou por cima da meta do Galo Elétrico. Só dava Remo. Elielton cruzou na área, Chicão cortou e a bola ficou com Gustavo, que bateu por cima.

O Independente conseguiu chegar com Chaveirinho, que cruzou para o desvio de Betinho; a bola foi fraca e ficou fácil para a defesa de Vinícius. Chaveirinho entrou na área em velocidade, o goleiro Vinícius fechou o ângulo e desviou para escanteio. Esquerdinha cobrou outra falta para o Remo, mas a bola passou raspando o poste de Dida. O atacante Isac, do Leão Azul, foi substituído por Jefferson Recife e recebeu uma grande vaia de todo o Estádio Mangueirão. O jogador saiu quase chorando para os vestiários.

Elielton fez grande jogada individual e recebeu carrinho forte de Halysson; o jogador do Galo Elétrico recebeu cartão amarelo. O Leão foi para cima e chegou ao terceiro: Felipe Marques foi lançado, driblou o goleiro Dida, que saiu afobado do gol, e tocou para Jefferson Recife, que, sozinho, escorou para o fundo do barbante, aos 35 minutos, 3 a 1 Remo. O time azulino começou a tocar bola e o torcedor aproveitou para gritar o tradicional “olé”.

O árbitro Andrey da Silva e Silva acrescentou mais quatro minutos, tempo para o volante Chicão, do Independente, ser expulso, após receber o segundo cartão amarelo no jogo. Alexandre Santana cruzou para Betinho, que desviou para uma grande defesa do goleiro Vinícius, espalmando para escanteio. Final de jogo: Remo 3 x 1 Independente. O Leão quebrou a invencibilidade do Galo e voltou a vencer depois de quatro jogos.

FICHA TÉCNICA 

REMO: Vinícius; Levy (Gustavo), Mimica, Bruno Maia e Esquerdinha; Dudu, Leandro Brasília e Adenilson (Geandro); Elielton, Isac (Jefferson Recife) e Felipe Marques.
Técnico: João Neto

INDEPENDENTE: Dida; Léo Rosa, Charles, Ezequias (Halysson) e Mocajuba; Leandrinho, Chicão e Fabrício (Alexandre Santana); Wegno (Chaveirinho), Ray Gol e Betinho.
Técnico: Júnior Amorim

Árbitro: Andrey da Silva e Silva
Assistentes: José Ricardo Guimarães Coimbra e Rafael Ferreira Vieira
Quarto-árbitro: Nadilson Sousa dos Santos

Cartões amarelos: Gustavo (Remo); Leandrinho, Hallyson, Chicão e Charles (Independente)
Cartão vermelho: Chicão
Gols: Elielton, aos 20 e aos 38 minutos do 1º tempo para o Remo; Halysson, aos 41 minutos do 1º tempo para o Independente; Jefferson Recife, aos 35 minutos do 2º tempo para o Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém
Renda: R$ 21.555,00
Despesas: R$ 39.446,66
Déficit: R$ 17.891,66
Pagantes: 1.708
Sócios Nação Azul: 868
Credenciados: 1.255
Total: 2.963

Classificação do Parazão 2018

Chave A1

Paysandu: 16 pontos
Bragantino: 12 pontos
Independente: 12 pontos
Águia: 7 pontos
Cametá: 4 pontos

Chave A2

Remo: 13 pontos
São Raimundo: 13 pontos
Castanhal: 7 pontos
Paragominas: 6 pontos
Parauapebas: 6 pontos

Futebol

Clube do Remo empata diante do Cametá no Mangueirão e segue há quatro jogos sem vencer

O resultado não foi bom para ambas as equipes, com o Leão seguindo na segunda posição da Chave A2 e o Mapará na lanterna da Chave A1
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Fotos: Fábio Will (Ascom/Remo)

Clube do Remo e Cametá se enfrentaram na noite deste sábado (24), no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. A partida foi válida ainda pela quinta rodada do Campeonato Paraense de 2018, já que havia sido adiada, devido ao carnaval cametaense, quando inicialmente estava marcada para o Estádio Parque do Bacurau, em Cametá, mas o policiamento não garantiu segurança na ocasião para os dois eventos: carnaval e futebol.

Com a bola rolando, as duas equipes não passaram de um empate em 1 a 1. O Leão Azul saiu na frente com o gol marcado pelo meia Adenilson, que acertou um chute de primeira, aos 26 minutos do 1º tempo. O Mapará não desistiu e chegou ao empate quando Ronaldo foi derrubado pelo goleiro Vinícius dentro da área, e o árbitro Gustavo Ramos Melo assinalou pênalti: Odair cobrou forte e deixou tudo igual, aos 14 minutos do 2º tempo. O placar não foi bom nem para o Clube do Remo e nem para o Cametá.

Após o empate, o técnico Ney da Matta, deixou seu cargo à disposição no Clube do Remo. A situação foi à mesma quando o Leão Azul foi eliminado para o Internacional-RS na Copa do Brasil, mas a diretoria não confirmou ainda a saída do treinador.

Com o resultado, o Cametá segue sem vencer no Parazão e é o lanterna com apenas três pontos na Chave A1, enquanto o Remo continua na segunda colocação na Chave A2 com 10 pontos.

O jogo: Remo 1 x 1 Cametá – Tudo igual no Mangueirão!

Após três jogos sem vencer, o Clube do Remo entrou pressionado, principalmente o técnico Ney da Matta, que precisava dar uma resposta ao torcedor. Em apenas uma semana, o Leão Azul foi eliminado da Copa Verde e Copa do Brasil. Por outro lado, apesar da equipe cametaense ser a única sem vencer no Parazão e com problemas de dispensas e salários atrasados dos jogadores, o Cametá entrou motivado com a contratação do técnico Cacaio. O comandante acompanhou a partida das cadeiras, cumprindo suspensão de quando foi punido  ainda  como treinador do Paragominas. O diretor de futebol Ferreti foi quem comandou a equipe no banco.

O Leão tentou tomar logo a iniciativa do jogo, quando Felipe Marques entrou na área, passou da marcação e cruzou para Adenilson, a zaga chegou rasgando e aliviou o perigo. Na sequência, Jefferson Recife ganhou na raça e tentou levar em jogada individual, mas a bola foi cortada para escanteio: Esquerdinha cobrou e Jefferson Recife cabeceou para fora. O Cametá teve a chance em cobrança de falta, mas Rossales acertou na barreira remista. Outra vez o Mapará no ataque, Odair cruzou na área e Caio tentou marcar de cabeça, mas mandou longe da meta de Vinícius.

A torcida começava a ficar impaciente com o Remo, até que Adenilson deu um belo lançamento para Felipe Marques, que dominou no peito e chutou, mas foi travado pela defesa cametaense e a bola se perdeu pela linha de fundo. O Leão Azul teve uma falta perigosa e Adenilson cobrou sem muita força, facilitando a defesa do goleiro Douglas Palagi. Logo em seguida, o Remo chegou lá: a zaga do Cametá cortou para frente e a bola caiu nos pés de Adenilson, que soltou uma bomba de primeira, explodindo na trave e morrendo no fundo das redes, 1 a 0, aos 26 minutos.

O Mapará tentou o empate no chute de longe desferido por Alisson, mas a bola foi para fora. Em outra tentativa do Cametá, também de fora da área, Allan Peterson disparou muito longe da meta de Vinícius. O Remo tentou marcar o segundo em um contra-ataque, quando Jefferson Recife mandou na medida para Levy, mas a arbitragem paralisou o lance e assinalou impedimento duvidoso.

Em mais uma jogada do Leão pela direita com Levy, que cruzou na medida para a cabeçada de Isac, a bola foi desviada na hora “H” pela zaga e se perdeu pela linha de fundo. O atacante Felipe Marques disparou na velocidade em um contra-ataque remista e chutou para fora, sem perigo contra a meta cametaense. Em mais um contra-ataque do Remo, Adenilson levou bem pelo meio e tocou para Jefferson Recife, que experimentou de primeira e mandou para fora.

Na segunda etapa, o Cametá foi para o tudo ou nada. Após cobrança de escanteio, George cabeceou e o goleiro Vinícius fez a defesa sem rebote. Pressão cametaense e em outra bola alçada na área do Remo, Vinícius saiu de soco aliviando o perigo. Em uma falta de longe, Odair pediu a preferência e disparou para fora. O Leão reagiu na cobrança de escanteio de Adenilson, Jefferson Recife cabeceou e a bola foi por cima da meta e ainda tocou na rede pelo lado de fora.

Os cametaenses tentavam surpreender em bola parada. Em uma delas, Ronaldo cobrou falta e a bola foi desviada pela zaga remista, até que Ronaldo entrou na área e foi derrubado pelo goleiro Vinícius: o árbitro Gustavo Ramos Melo marcou pênalti e mostrou cartão amarelo para o arqueiro azulino. Odair cobrou forte no meio do gol e deixou tudo igual no Mangueirão, aos 14 minutos, 1 a 1.

A torcida do Remo voltou a vaiar o time após o empate cametaense. O técnico Ney da Matta foi alterando a equipe titular, queimando as três substituições. Em uma blitz total azulina na área, a zaga do Cametá conseguiu cortar do jeito que deu. A bola explodiu no peito do zagueiro Allan Peterson que desabou no gramado de jogo. O Leão Azul não desistia e Levy cruzou da direita, a defesa mais uma vez cortou o perigo. Em um lance mais forte, o zagueiro Mimica do Remo e o atacante George do Cametá, se chocaram no meio de campo, rosto com rosto. O árbitro imediatamente parou o jogo e chamou o atendimento médico.

O Remo foi para o desespero: Elielton cruzou a zaga cortou, Levy pegou a sobra e levantou na área, Felipe Marques não alcançou e a bola se perdeu pela linha de fundo. O Leão Azul foi para cima, Alisson deu carrinho em Felipe Marques e o árbitro marcou falta em uma boa posição para a cobrança. Rodriguinho cobrou por cima da meta de Douglas Palagi. O atacante Isac, sumido no jogo, mandou um chutaço e a bola passou tirando a tinta da trave, assustando a equipe do Mapará.

O árbitro Gustavo Ramos Melo acrescentou mais três minutos. Em mais uma bola alçada na área, Isac meteu a cabeça, mas mandou longe da meta de Douglas Palagi. Na última jogada remista, Levy cruzou a zaga, mas afastou erradamente, Isac pegou a sobra e chutou, caindo pela linha de fundo. Placar final: Remo 1 x 1 Cametá. O placar não foi bom para nenhuma das duas equipes, com o Leão Azul não vencendo há quatro jogos e o Mapará segue sem vencer no Parazão 2018. A torcida azulina não poupou vaias à equipe.

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Levy, Mimica, Martony e Esquerdinha; Felipe Recife (Dudu), Fernandes, Adenilson (Rodriguinho) e Jefferson Recife (Elielton); Felipe Marques e Isac.
Técnico: Ney da Matta

CAMETÁ: Douglas Palagi; Rossales, Ivson (Dener), Allan Peterson e Wesley; Odair, Tetê (Ronaldo), Alisson e Maicon Talheti; Caio (Super) e George.
Técnico: Ferreti

Árbitro: Gustavo Ramos Melo
Assistentes: Heronildo Sebastião da Silva e Rafael Bastos Cardoso
Quarta-árbitra: Elaine da Silva Melo
Cartões amarelos: Levy, Vinícius e Rodriguinho (Remo); Ronaldo e Maicon Talheti (Cametá)
Gols: Adenilson, aos 26 minutos do 1º tempo para o Remo; Odair, aos 14 minutos do 2º tempo para o Cametá.

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém
Renda: R$ 35.675,000
Pagantes: 3.024
Sócios-torcedores: 1.347
Credenciados: 1.255
Público total: 4.279

Futebol

Bragantino vence o Clube do Remo no estádio Diogão e assume a vice-liderança da Chave A1 do Parazão

O Tubarão não quis saber de conversa e abocanhou o Leão Azul, vencendo por 3 a 2
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas

Bragantino e Clube do Remo entraram em campo na tarde deste domingo (18), no Estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança. A partida foi válida pela 6ª rodada do Campeonato Paraense de 2018. O técnico Ney da Matta, do Leão Azul, poupou alguns jogadores considerados titulares, já pensando no jogo contra o Internacional-RS na próxima quarta-feira (21), pela Copa do Brasil.

O Tubarão do Caeté não quis nem saber de conversa e abocanhou o Leão, vencendo pelo placar de 3 a 2. Pedro Henrique abriu o placar logo aos quatro minutos para o time da casa. O Remo chegou ao empate através de Adenilson, de cabeça, aos 28 minutos. O Bragantino não deu chance e marcou o segundo com Pecel, aos 30 minutos do 1º tempo, e o terceiro com Kleber Queiroz, aos 19 minutos do 2º tempo. O Leão Azul chegou a diminuir o placar com Elielton, aos 37 da etapa derradeira.

Com o resultado, o Bragantino subiu para o segundo lugar da Chave A1, com 12 pontos conquistados, já o Clube do Remo desceu para a segunda posição na Chave A2 permanecendo com seus 9 pontos.

O jogo: Bragantino 3 x 2 Remo 

Nem bem a bola começou a rolar no Estádio Diogão, em Bragança, e o Bragantino foi logo marcando: após uma falha de marcação da zaga do Clube do Remo, Keoma tocou para Pedro Henrique na área, que recebeu e chutou no canto direito do goleiro Douglas Dias, aos quatro minutos, 1 a 0, enlouquecendo a torcida fanática do Tubarão do Caeté. O Leão Azul quase chegou ao empate, quando Jefferson Recife recebeu na esquerda e cruzou para trás, Rodriguinho chegou batendo e a bola tocou no pé da trave do goleiro Paulo Ricardo.

Os azulinos começaram a pressionar o adversário. Após cobrança de falta, Bruno Maia cabeceou e a bola bateu na trave do goleiro Paulo Ricardo, mas a arbitragem assinalou impedimento. Outra vez o Remo chegou pela esquerda, a bola foi rolada para trás e Adenilson chutou fraco em cima de Paulo Ricardo que fez a defesa. De tanto insistir, o Leão Azul chegou ao empate: após cobrança de falta de Rodriguinho, Adenilson subiu firme de cabeça para marcar, aos 28 minutos, 1 a 1.

Só que a alegria dos remistas durou muito pouco. Aos 30 minutos, o cruzamento saiu da direita para o atacante Pecel, que se esticou todo e meio esquisito conseguiu tocar na bola e mandar para o fundo do barbante da meta de Douglas Dias, 2 a 1. O jogo pegou fogo, com o time da capital se atirando mais ao ataque. Leandro Brasília recebeu na área e foi derrubado pelo goleiro Paulo Ricardo, pênalti. Rodriguinho teve a chance do empate, mas, na cobrança, parou na defesa do goleiro do Braga.

O atacante Jayme, do Leão, acabou saindo machucado, dando lugar para Felipe Marques. O Remo tocava bem a bola e tentou chegar, mas o meia Jefferson Recife acabou errando feio na hora do cruzamento. Em outra tentativa, o mesmo Jefferson Recife teve a chance do empate, mas cabeceou torto para fora. Antes de descer para os vestiários, os jogadores do Clube do Remo se reuniram em campo para uma conversa rápida, sendo puxada pelo meio-campo Adenilson.

No início da segunda etapa, as duas equipes deram uma segurada na correria que se viu no primeiro tempo. O árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva paralisou o jogo devido a um drone, que estava sobrevoando sobre o Estádio Diogão. No recomeço da partida, a bola foi trabalhada pela esquerda e, após cruzamento para área, Kleber Queiroz bateu de primeira, a bola passando por baixo das pernas do goleiro Douglas Dias: 3 a 1 Bragantino, aos 19 minutos.

A torcida do Braga seguiu fazendo a festa e soltando o grito “Oh, o Tubarão voltou”. O Remo sentiu o gol, mas quase diminuiu o placar quando Geandro ficou sozinho e finalizou para a defesa de Paulo Ricardo, que salvou para escanteio. O Leão buscava a todo instante o segundo gol. Na bola alçada na área, Martony subiu de cabeça e testou forte, acertando no travessão. Após pressão, os azulinos chegaram lá. Seguindo uma cobrança de escanteio, Elielton apareceu na segunda trave e tocou para o fundo do gol, aos 38 minutos, 3 a 2.

O técnico Ney da Matta gritava todo momento com o time, pedindo para buscar o empate. O atacante Elielton quase deixou tudo igual, quando cortou bem da marcação, mas chutou em cima de Paulo Ricardo. Em outra jogada na área, depois do desvio de cabeça, o goleiro Paulo Ricardo salvou quase em cima da linha. Placar final: Bragantino 3 x 2 Remo.

FICHA TÉCNICA

BRAGANTINO: Paulo Ricardo; Pedro Henrique, Romário, Ronny e Keoma; Gabriel Lima, Paulo de Tarcio, Kleber Queiroz e Pecel (Aslen); Alan Calbergue (Rodrigo Reis) e Romarinho (Marcelo Maciel).
Técnico: Artur Oliveira

REMO: Douglas Dias; Yuri (Gustavo), Martony, Bruno Maia e Jefferson Recife; Leandro Brasília, Geandro, Rodriguinho (Andrey) e Adenilson; Jayme (Felipe Marques) e Elielton.
Técnico: Ney da Matta

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva – FIFA-PA
Assistentes: Dimmi Yuri das Chagas Cardoso e Luiz Diego Nascimento Lopes
Quarto-árbitro: Joquetan Moreira Guimarães

Cartões amarelos: Romarinho e Alan Calbergue (Bragantino); Yuri, Martony e Leandro Brasília (Remo)
Gols: Pedro Henrique, aos quatro minutos do 1º tempo (Bragantino); Adenilson, aos 28 minutos do 1º tempo (Remo); Pecel, aos 30 minutos do 1º tempo (Bragantino); Kleber Queiroz, aos 19 minutos do 2º tempo (Bragantino); Elielton, aos 37 minutos do 2º tempo (Remo)

Local: Estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança
Renda: R$ 110.000,00
Pagantes: 5.000

Resultados da 6ª rodada do Parazão 2018

Castanhal 4 x 1 Águia (Modelão)
Parauapebas 1 x 2 Paysandu (Rosenão)
Paragominas 2 x 2 Independente (Arena Verde)
Bragantino 3 x 2 Remo (Diogão)
Cametá 0 x 1 São Raimundo (Parque do Bacurau)

Classificação do Parazão 2018

Chave A1
Paysandu: 13 pontos
Bragantino: 12 pontos
Independente: 12 pontos
Águia: 4 pontos
Cametá: 2 pontos

Chave A2
São Raimundo: 10 pontos
Remo: 9 pontos
Castanhal: 7 pontos
Paragominas: 6 pontos
Parauapebas: 5 pontos