Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Concurso para professor do Estado tem 177 vagas para Marabá e região

Governo do Pará lançou nesta terça-feira edital com 2.112 vagas para 12 disciplinas; Matemática tem a maior quantidade de oportunidades com salário que pode chegar a R$ 4.500,00
Continua depois da publicidade

A Secretaria de Estado de Administração (Sead) e a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) do Pará divulgaram nesta terça-feira, 20, realização de concurso público para provimento de cargos efetivos da carreira de Magistério da Educação Básica da rede pública de ensino.

São 2.112 vagas para o cargo de professor Classe I, Nível A. As inscrições serão feitas exclusivamente via internet a partir do dia 26 de março até o dia 2 de maio, no site www.consulplan.net.

Os docentes irão ministrar aulas nas disciplinas: Artes, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Inglês, Português, Matemática, Química e Sociologia. As provas serão aplicadas em 20 municípios paraenses.

A Região Metropolitana de Belém, com sete municípios, ficou com a maior quantidade de vagas: 669 no total, sendo 276 para matemática e 206 para Língua Portuguesa. A segunda Unidade Regional de Ensino (URE) mais bem aquinhoada com vagas é a de Marabá, que abrange 17 municípios da região sudeste. Das 177 vagas ofertadas para esta região, 50 são para matemática, 38 para Língua Portuguesa, 18 para Inglês, 15 para História, 12 para Filosofia, 10 para Sociologia, 9 para Geografia, 7 para Química, 6 para Física, 2 para Biologia, 2 para Educação Física. Do total, 13 vagas são destinadas a portadores de necessidades especiais.

Os municípios que compõem a URE de Marabá são Marabá, Parauapebas, Abel Figueiredo, Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia, Canaã dos Carajás, Curionópolis, Eldorado do Carajás, Itupiranga, Jacundá, Nova Ipixuna, Palestina do Pará, Piçarra, Rondon do Pará, São Domingos do Araguaia, São Geraldo do Araguaia e São João do Araguaia.

A remuneração é constituída de vencimento base que varia entre R$ 963,81 (novecentos e sessenta e três reais e oitenta e um centavos) para o cargo de Professor, Classe I, Nível A, 20 horas;  1.445, 89 (mil quatrocentos e quarenta e cinco reais e oitenta e nove centavos) para o cargo de Professor, Classe I, Nível A 30 horas; e R$ 1.927,37 (um mil, novecentos e vinte e sete reais e trinta e sete centavos) para cargo de Professor, Classe I, Nível A, 40 horas; ambos acrescidos de 80% de Gratificação de Escolaridade e 10% de Gratificação de Magistério, além de Auxílio Alimentação no valor de R$ 525,50. Com as gratificações, o salário pode chegar a mais de R$ 4.500,00.

As Provas serão realizadas nos municípios de Abaetetuba, Altamira, Bragança, Breves, Belém, Cametá, Capanema, Capitão Poço, Castanhal, Conceição do Araguaia, Itaituba, Mãe do Rio, Marabá, Maracanã, Monte Alegre, Óbidos, Santa Izabel, Santarém, Soure e Tucuruí, no Estado do Pará.

Com informações da Agência Pará
Jacundá

Jacundá: Aprovados em concurso querem homologação

Homologação por parte da prefeitura deveria ter sido feita em dezembro do ano passado
Continua depois da publicidade

Na manhã desta segunda-feira, uma manifestação pacífica na frente da Prefeitura de Jacundá pediu agilidade na homologação do concurso público aplicado ano passado. Concurseiros aprovados no certame reivindicam o cumprimento do Edital nº 001/2017 que trata da Reaplicação da Prova Objetiva do concurso. O prazo para homologá-lo seria dia 29 de dezembro do ano passado.

“Reivindicamos a homologação do concurso público da Prefeitura de Jacundá que deveria ter sido homologado pelo chefe do poder executivo em 29 de dezembro de 2017, segundo o cronograma da empresa organizadora do concurso. Além disso, exigimos a imediata convocação e nomeação dos aprovados, uma vez que a contratação de pessoal para atuar no serviço público municipal é uma constante, ato que contraria todas as leis federais estaduais e municipais que determinam que o concurso público é a única forma lícita de ingressar no serviço público”, explica um dos organizadores do movimento, o professor José Ailton.

Para pedir agilidade ao Poder Executivo na homologação do concurso público 2017, o pequeno grupo de consurseiros aprovados se reuniu em frente a Prefeitura Municipal. Alzira Alves diz que “até o momento não existe nenhum impedimento legal que impeça o Poder Executivo em homologar esse concurso. Temos direito líquido e certo nas nossas vagas, conforme manda a Legislação Federal. Então convidamos todos os 270 aprovados para participar dessa manifestação para que a legislação seja cumprida”.

A publicação do resultado final da Prova Objetiva para todos os cargos aconteceu no dia 29 de novembro de 2017, enquanto o resultado da classificação final da prova objetiva + título para todos os cargos de nível superior foi finalizado no dia 22 de dezembro. Em seguida, deveria ser homologado pelo prefeito municipal, no caso José Martins de Melo Filho, o Zé Martins.

O prefeito José Martins de Melo Filho está viajando e não pode conversar com os manifestantes, que prometeram retornar amanhã, terça-feira (23), para continuarem a reivindicação. A Reportagem entrou em contato com a chefia de gabinete da PMJ, que confirmou a viagem do gestor.

Concurso Público

Em Jacundá, homologação do concurso público está atrasada

A data marcada para a homologação passou e os mais de 270 candidatos aprovados estão sem explicações sobre o que está acontecendo.
Continua depois da publicidade

Por Antonio Barroso – correspondente em Jacundá

Conforme Edital nº 001/2017, que trata da Reaplicação da Prova Objetiva do concurso público da Prefeitura de Jacundá, o prazo para homologá-lo seria dia 29 de  dezembro do ano passado. A data passou e os mais de 270 candidatos aprovados estão sem explicações sobre o que está acontecendo.

A empresa Inaz do Pará foi a responsável pela aplicação do certame. O concurso teve seu resultado questionado judicialmente e como consequência acabou cancelado em sua primeira aplicação, em 2016. Em outubro do ano passado uma nova prova foi aplicada para os candidatos. E mais ações chegaram à Justiça, sem êxito. Uma denúncia originada por candidatos considerados lesados se encontra no Ministério Público Estadual, mas sem data de análise.

A publicação do resultado final da Prova Objetiva para todos os cargos aconteceu no dia 29 de novembro de 2017. Enquanto o resultado da classificação final da Prova Objetiva + Título para todos os cargos de Nível Superior foi finalizado no dia 22 de dezembro. Em seguida deveria ser homologado pelo prefeito municipal, no caso José Martins de Melo Filho, o Zé Martins.

No total foram ofertadas quase 350 vagas para 23 funções. Com 62 vagas oferecidas, o cargo de auxiliar de serviços gerais teve a maior procura. Segundo o representante da empresa responsável pelo certame, Diego Reis, de cada dez candidatos que fizeram as provas, 6 escolheram a função. Auxiliar de Serviços Urbanos, Auxiliar Administrativo e Agente Municipal de Trânsito oferecem 71 vagas. Outra área que oferece um número maior de vagas é o cargo de professor séries iniciais para a zona urbana, com 37 vagas.

A reportagem manteve contato com a Procuradoria Geral do Município questionando o motivo do atraso na homologação do concurso. De acordo com um dos advogados, em decorrência do afastamento do prefeito, que só retornou ao cargo no dia 27 de dezembro, o setor jurídico está analisando a situação. Enquanto se aguarda uma resposta, mais de 270 candidatos aprovados esperam ansiosamente pela conclusão final do concurso.

Jacundá

Denúncia sobre concurso público de Jacundá no Ministério Público

A nova denúncia traz nomes de servidores e até de ex-servidores da Prefeitura; aponta também o nome de um vereador da cidade
Continua depois da publicidade

Um documento de seis páginas e endereçado ao Ministério Público Estadual em Jacundá expressa, logo no início, que “por motivo de segurança e no intuito de preservar a estrutura física e mental dos candidatos envolvidos na denúncia que segue, gostaríamos que a mesma seguisse em segredo de justiça”; isso não aconteceu. Por algum motivo, o material vazou e caiu nas redes sociais. Nele, inúmeras denúncias contra o concurso público de Jacundá aplicado no ano passado para o provimento de vagas na administração pública municipal. A Reportagem não citará nomes dos denunciados em decorrência de o Ministério Público ainda estar analisando o documento.

A reaplicação das provas do concurso público da Prefeitura de Jacundá aconteceu no dia 29 de setembro do ano passado. Antes, o mesmo ocorreu em 2016. E diante de dezenas de irregularidades apontadas pelos candidatos, a empresa Inaz do Pará aceitou o cancelamento referendado pela Prefeitura de Jacundá, contratante do certame.

A nova denúncia traz nomes de servidores e até de ex-servidores da Prefeitura, e aponta também o nome de um vereador da cidade; acusa ainda um ex-presidente de licitação à época. “Quatro concorrentes ligados ao ex-presidente da Comissão de Licitação, e inclusive o próprio ex-presidente foram aprovados, conforme é possível conferir no site da empresa que realizou o concurso”. O documento denuncia quatro familiares do ex-presidente da comissão passaram no certame.

Riquezas de detalhes fornecidas no documento dão uma noção da gravidade das supostas irregularidades encontradas na aplicação do concurso: “não podemos deixar de citar aqui também os nomes das pessoas que todos nós concurseiros sabíamos que seriam cartas marcadas para o cargo de Agente de Trânsito. Inclusive, foram feitos vários posts nas redes sociais com as iniciais dos possíveis fraudadores, com a divulgação do resultado parcial e final divulgado pela empresa Inaz do Pará, só veio confirmar a veracidade das suspeitas que nós já tínhamos. Todos os nomes abaixo são citados, em outra suspeita de fraude, durante a primeira aplicação da prova escrita no ano de 2016, onde a empresa Inaz do Pará divulgou uma lista em que nenhum dos concorrentes aparece como classificado e logo em seguida a empresa exclui a mesma, e divulga outra lista onde os mesmos aparecem como aprovados”.

Ao final do documento, “requerem-se ao Ministério Público que sejam tomadas as providências cabíveis, abrindo-se investigação minuciosa, quebra do sigilo telefônico dos envolvidos afim que sejam tomadas todas as medidas para a elucidação desta grave denúncia que, se continuar impune, vem a prejudicar a ordem da justiça e violar o direito de milhares de pessoas que se sentem lesadas neste momento”.

E finaliza com os seguintes anexos:

  1. Assinaturas dos candidatos colaboradores da denúncia;
  2. Lista parcial de agente de trânsito, 2016;
  3. Lista final de agente de trânsito ,2016;
  4. Lista final de agente de trânsito, 2017;
  5. Gabarito agente de trânsito 2016;
  6. Gabarito agente de trânsito, 2017;
  7. Publicação do Facebook, 2017;
  8. Gabarito, nível fundamental completo, 2016;
  9. Resultado final para agente de trânsito, 2017.
Manifestação

Aprovados em concurso público no município de Jacundá fazem protesto e exigem respostas

Certame foi cancelado pela Prefeitura Municipal por recomendação do Ministério Público Estadual
Continua depois da publicidade

Ulisses Pompeu – de Marabá

Realizado em 13 novembro do ano passado, o concurso público da Prefeitura de Jacundá, a 110 km de Marabá, tem causado transtornos para os milhares de inscritos e que fizeram a prova. Tudo porque o Ministério Público Estadual identificou falhas no certame e recomendou ao município o cancelamento do certame, o que foi cumprido.

O concurso foi realizado pela empresa INAZ Pará Serviços de Concursos Públicos Ltda, de Belém, para preencher 233 vagas de profissionais para os seguintes cargos: auxiliar de Serviços Gerais, Auxiliar de Serviços Urbanos, Auxiliar Administrativo, Agente Municipal de Trânsito, Tradutor/Intérprete de Libras – Zona Urbana NM, Técnico em Enfermagem, Médico, Enfermeiro e Professor de diversas disciplinas.

Esta semana, o blog recebeu e-mail de uma das pessoas que fizeram o concurso e diz não entender por que a situação ainda não foi resolvida. Ela informa que um grupo de pessoas que participou do certame fez uma manifestação na última segunda-feira, 23, cobrando solução para o caso, tanto por parte da Prefeitura, quanto do Ministério Público.

O relato explica que Jacundá estava há 7 anos sem realizar concurso público e afirma que o nepotismo impera na cidade. Em função disso, o promotor de Justiça Sávio Ramon firmou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) em maio do ano passado, estabelecendo um prazo de seis meses para a realização de concurso público.

O referido concurso teve suas provas realizadas 13 de novembro de 2016 e teria seguido o cronograma corretamente até que em determinado momento, às proximidades da homologação, o promotor de Jacundá pediu o cancelamento das provas. “Até o momento, as provas das tais irregularidades são inexistentes”, diz o queixoso, que pediu reserva de seu nome, temendo represália.

Ainda segundo a narrativa dele, os aprovados no concurso procuraram o promotor Sávio Ramon, mas o mesmo não os recebeu em audiência. Segundo ele, o município de Jacundá não possui defensor público e todos os que fizeram a prova “estamos à mercê dos políticos que não desmancham os palanques após a eleição. Nós, os concursados, só queremos o que é nosso, pois estudamos, nos dedicamos e fomos aprovados e agora vemos políticos contratando para as vagas que eram para serem nossas”.

O ato da última segunda-feira, segundo ele, foi realizado em prol do não cancelamento do certame, uma vez que estão se sentindo lesados. “Os tais erros que alegam foram todos corrigidos pela Inaz do Pará, que é a banca organizadora do certame”, diz.

A reportagem do blog em Marabá tentou contato com a Prefeitura de Jacundá, mas os números de telefone que constam no site da Prefeitura (Fones: (94) 3345-1181 | e (94) 3345-1183) contam como inexistentes.

Por telefone, conversamos com uma secretária do promotor do município, de prenome Clayde, que recebeu o recado na última quarta-feira, e disse que passaria o contato para o representante do MP, que retornaria no mesmo dia, o que não aconteceu até a publicação desta reportagem.

Também procuramos, por e-mail e mensagem no Facebook, a empresa INAZ Pará Serviços de Concursos Públicos Ltda – EPP, mas ela também não se manifestou sobre o assunto.

Os inscritos pagaram taxas que variam entre R$ 60,00 a R$ 80,00 e esperavam receber salários que variam de R$ 880,00 a R$ 4.919,91, pelo desempenho de atividades em jornadas semanais de até 44 horas.

Pará

FADESP divulga resultado preliminar de aprovados em concurso da PM do Pará

Continua depois da publicidade

A FADESP, organizadora do concurso da Polícia Militar do Pará, divulgou nesta segunda-feira (29) o resultado preliminar de candidatos aprovados e classificados na 1ª Etapa – Prova de Conhecimentos (Objetiva e Redação), por curso (Feminino e Masculino). O concurso ofereceu o total de 2.194 vagas para Soldados, Oficiais e Oficiais da área da Saúde.

CLIQUE E VEJA O RESULTADO

Os cargos com as maiores concorrências nos três editais foram os de Oficial Feminino (286,94 candidatas por vaga), Praça Feminino (113,76 candidatas por vaga) e Oficial com especialidade em Fisioterapia (250 para cada vaga ofertada). (DOL)

Pará

Concurso: SUSIPE – PA anuncia Processo Seletivo com mais de 100 vagas para Agente Prisional

Continua depois da publicidade

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará – SUSIPE -, anunciou o edital do Processo Seletivo, que objetiva a contratação de 135 Agentes Prisionais. No total são 106 vagas para homens e 29 para mulheres, e dentre os requisitos para participar, é necessário que tenham no mínimo dezoito anos de idade e ensino médio completo.

As vagas serão preenchidas nas seguintes regiões: Metropolitana (15), Guamá (18), Rio Capim (12), Rio Caeté (6), Araguaia (6), Carajás (29), Tocantins (2), Baixo Amazonas (15), Lago Tucuruí (7), Tapajós (2), Xingu (12) e Marajó (4), nas unidades prisionais de Belém, Ananindeua, Marituba, Mosqueiro, Santa Izabel, Castanhal, Tomé Açu, Paragominas, Salinópolis, Capanema, Bragança, Redenção, Marabá, Parauapebas, Abaetetuba, Mocajuba, Cametá, Santarém, Almeirim, Tucuruí, Itaituba, Altamira e em Breves e Soure.

Os profissionais vão atuar em regime de plantão/ escala 24h x 48h ou conforme a necessidade de trabalho, e receberão remuneração de R$ 2.304,00.

As inscrições serão realizadas pelo site www.processoseletivo.susipe.pa.gov.br, no período de 24 a 30 de agosto de 2016. Não será cobrada taxa de participação.

Os inscritos serão classificados por meio de Análise Curricular, Pesquisa Social e Treinamento Básico. A validade deste Processo Seletivo é de seis meses, a contar da publicação da homologação do resultado final no Diário Oficial do Estado.

Para mais informações acesse o edital de abertura completo disponível em nosso site.

Prefeitura de Curionópolis homologa resultado final do concurso

Continua depois da publicidade

O prefeito Wenderson Chamon, publicou decreto homologando o resultado final do concurso público 001/2015 para preenchimento de cargos vagos no quadro de pessoal da Prefeitura Municipal de Curionópolis. O resultado foi homologado conforme as disposições do edital e do relatório final apresentado pela comissão organizadora do concurso, com parecer prévio da Faculdade Integrada Carajás – FIC.

Curionópolis concurso homologado

A relação dos classificados obedece à seguinte organização:

  • 1. cargo;
  • 2. localidade;
  • 3. área administrativa para a qual se inscreveu;
  • 4. ordem de classificação.

No decreto, também consta a determinação para publicar a lista nos quadros de avisos da Prefeitura e da Câmara Municipal de Vereadores de Curionópolis, bem como no site da prefeitura.

De acordo com o documento assinado pelo prefeito, o resultado final do concurso obedeceu rigorosamente aos prazos para recursos quanto a questões da prova objetiva, quanto ao resultado preliminar e quanto à pontuação de títulos, além dos critérios de desempate previstos no edital. O decreto será encaminhado ao Tribunal de Contas dos Municípios do Estado Pará e ao Ministério Público da Comarca de Curionópolis.

O prefeito também determinou que a Secretaria Municipal de Administração encaminhasse ao Tribunal de Contas dos Municípios, cópias da lei de cargos e salários dos servidores em geral, com suas alterações; do ato de nomeação da comissão do concurso; do edital principal, com todas as retificações e complementações; do resultado final do concurso e o decreto de homologação.

Veja o resultado final do concurso aqui.