Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Educação

IFPA oferece 80 vagas para cursos técnicos em Parauapebas

As inscrições para os cursos de Eletromecânica e Meio Ambiente serão realizadas nos dias 11 e 12 de maio, na sede da instituição.

A partir desta quinta-feira (11), o campus Parauapebas do Instituto Federal do Pará (IFPA) abre inscrições para dois novos cursos técnicos subsequente, em Eletromecânica e Meio Ambiente. Ao todo, o IFPA oferece 80 vagas para ingresso nos cursos subsequente, respeitando a distribuição de vagas pelo Sistema de Cotas. As aulas dos dois cursos ocorrerão no turno noturno e têm duração de 2 anos.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas, presencialmente, das 8h às 12h e das 14h às 18h, na sede do campus, localizada na PA 275, S/N, próximo à portaria da Floresta Nacional de Carajás. Para se candidatar a uma vaga, é necessário que o interessado tenha concluído o Ensino Médio ou equivalente. O preenchimento do formulário de inscrição e do formulário socioeconômico é de inteira responsabilidade do candidato.

Para se inscrever no processo seletivo, o candidato deve apresentar, no ato da inscrição, Cadastro de Pessoa Física (CPF); certificado de conclusão do Ensino Médio ou equivalente; histórico escolar de conclusão de Ensino Médio ou ensino equivalente; documento oficial com foto e assinatura. No ato da inscrição, o candidato deverá escolher apenas um único curso ofertado.

O processo seletivo tem duas etapas. Sendo a primeira a fase de inscrições e a segunda a realização de redação em Língua Portuguesa, a ser realizada no dia 14 de maio. A sala e horário das provas serão divulgados em breve pela instituição. Os candidatos aprovados no processo seletivo deverão fazer a matrícula nos dias 19 e 22 de maio.

Como técnico em Eletromecânica, o profissional é habilitado a executar serviços de manutenção e reparos em equipamentos mecânicos e instalações elétricas em baixa tensão; atuar na execução de serviços de manutenção em equipamentos elétricos e eletrônicos, inclusive em equipamentos de acionamentos de cargas em processos industriais; executar e supervisionar a execução dos serviços de manutenção; auxiliar na elaboração e avaliar planos de manutenção; e administrar equipes, metas e resultados de manutenção eletroeletrônica industrial, comercial e predial.

Já o técnico em meio ambiente compreende os processos de gestão ambiental nos ecossistemas naturais, os impactos ambientais e poluições ambientais, processos produtivos e saúde coletiva para garantir a preservação e conservação do meio ambiente natural através do controle nos estabelecimentos urbanos e rurais. Tem a função de gerenciar esses diversos segmentos para garantir o desenvolvimento social, econômico e político da região, atua na organização de programa de educação ambiental, redução, reuso e reciclagem. Identifica os problemas ambientais, analisa suas consequências, operacionaliza e executa ações de preservação, conservação, otimização, minimização e remediação dos efeitos e causas.

Os cursos da forma subsequente são organizados e planejados para proporcionar formação profissional técnica de nível médio ao aluno, ampliando a qualificação profissional e inserção no mundo do trabalho. Ao concluir o curso, o aluno recebe diploma de técnico de nível Médio.

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Os candidatos com deficiência que desejarem participar do Processo Seletivo devem solicitar, por meio de formulário, atendimento especial nos dias 11 e 12 de maio e, também, laudo médio original e expedido no prazo máximo de 12 meses, atestando o topo e o grau de deficiência, com referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (Cid) e provável causa da deficiência. As pessoas com deficiência terão igualdade de condições com os demais candidatos no que se refere ao processo e critérios de aprovação. Com informações da Assessoria de Comunicação do IFPA – campus Parauapebas.

Unifesspa

Flexa Ribeiro e bancada do Pará conseguem liberação de Concurso Público para a Unifesspa

A contratação de mais servidores para a Unifesspa era um pleito antigo do reitor, Maurílio Monteiro, que defendia a liberação das vagas como forma de dar continuidade aos cursos em desenvolvimento nos campus de Rondon do Pará, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu e Xinguara.

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, garantiu à bancada do Pará que irá liberar a realização de concurso público para o preenchimento de vagas para a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). A confirmação se deu durante reunião, realizada na noite de ontem, a pedido do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA). Além da demanda da universidade, os parlamentares paraenses defenderam a suplementação no orçamento das BRs-155, 158 e 163, principais corredores logísticos do Pará e do Brasil.

A contratação de mais servidores para a Unifesspa era um pleito antigo do reitor da Unifesspa, Maurílio Monteiro, que defendia a liberação das vagas como forma de dar continuidade aos cursos em desenvolvimento nos campus de Rondon do Pará, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu e Xinguara. Dada a importância para o Estado, a demanda foi acolhida por toda a bancada, que passou a defendê-lo junto ao governo. No início deste ano, o senador Flexa Ribeiro esteve reunido com o ministro da Educação, Mendonça Filho, para apresentar a necessidade real da instituição de ensino. “De pronto o ministro Mendonça acatou nosso pleito por entender a importância das vagas para a consolidação dos cursos já em andamento. Apesar do seu apoio, o titular do MEC nos havia informado que a decisão estaria condicionada a uma autorização do Planejamento. Marcamos a reunião e saímos com a informação de que o governo vai liberar as vagas”, comemorou o senador Flexa Ribeiro.

A Unifesspa solicita, em caráter emergencial, a liberação de 156 vagas, sendo 90 para técnicos alocados na sede e 66 para professores dos cursos de Medicina Veterinária e Zootecnia, no campus de Xinguara; Engenharia Civil, em Santana do Araguaia; Jornalismo, na unidade de Rondon do Pará; e Letras/Espanhol, no campus de São Félix do Xingu.

De acordo com o ministro Dyogo, técnicos do Planejamento entrarão em contato com servidores do Ministério da Educação já nos próximos dias para dar andamento a liberação do concurso público. “Tem todo nosso apoio. Vamos manter contato com o MEC e dar andamento a essa questão. Nosso objetivo é garantir que as coisas em andamento tenham continuidade”, afirmou.

Rodovias – A urgência nas obras de pavimentação dos principais corredores logísticos do Pará foi outro tema defendido pela bancada junto ao ministro do Planejamento. Os parlamentares pediram ao ministro a suplementação do orçamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) como forma de dar celeridade às obras de pavimentação das BRs-155, 158 e 163, consideradas as principais vias de escoamento dos grãos produzidos no sudeste do Pará e na região centro-oeste do Brasil.

Em reunião realizada com a bancada do Pará no início do mês, o diretor-geral do Dnit, Valter Casimiro, disse que seria preciso a suplementação de R$ 200 a R$ 300 milhões no seu orçamento para dar celeridade às obras no Estado. “Essa suplementação é necessária para que o Dnit possa dar velocidade nas construções e reparos na 158 e 155, incluindo as pontes, e também acelerar o processo da 163, de tal forma que ela esteja concluída até o final de 2018. Metade será feita nesse verão e a outra metade no verão do próximo ano. Saímos da reunião com o apoio do ministro para que, junto com o Ministério dos Transportes, ele possa fazer a suplementação desse orçamento”, comemorou o senador Flexa.

Além de Flexa Ribeiro, participaram da reunião com o ministro do Planejamento, o senador Paulo Rocha (PT), e os deputados federais Beto Salame (PP), Joaquim Passarinho (PSD), Júlia Marinho (PSC) e Zé Geraldo (PT).

Parauapebas

Manifesto dos aprovados no concurso 001/2014 da Prefeitura roubou a cena na sessão desta terça-feira na CMP

Além da pauta provocada pelos manifestantes, outros assuntos foram discutidos na sessão e a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar foi formada.

A sessão desta terça-feira (11) começou tranquila, porém, meia hora depois de iniciado os trabalhos, um grupo dos representantes dos aprovados no concurso 001/2014 da Prefeitura de Parauapebas começou a se manifestar de tal forma que o presidente teve que convidá-los para uma reunião, ao término da sessão.

O grupo reclama da atitude da gestão municipal, que convocou uma quantidade menor de aprovados do que a real necessidade de profissionais para o seu quadro, segundo eles, apenas 39 foram convocados, mas ainda faltam pelo menos 115 candidatos serem chamados, conforme o levantamento que o Sindicato dos Servidores Públicos de Parauapebas (Sinseppar) fez, a partir de dados fornecidos pela própria gestão. O prazo de validade do concurso encerra na próxima segunda-feira (17). Vários vereadores manifestaram apoio à causa dos manifestantes.

“Se não tem orçamento para convocar os concursados por que então uma lista enorme de contratados? No caso da saúde soubemos que tem funcionários fazendo excesso de plantões e horas extra. Vejo que vocês foram abandonados, pelo sindicato, pela imprensa. Eu me sensibilizo com a causa de vocês e vou tentar ajudar, apoio o Projeto Criar, mas também apoio a convocação dos aprovados no concurso”, afirmou Joelma Leite.

“Imagino o quanto essas pessoas gastaram para se preparar para um concurso tão concorrido como o de Parauapebas. Vocês realmente foram abandonados, inclusive por aqueles que foram convocados recentemente. Nós nos colocamos à disposição para ajudá-los no que for possível, mas quem assina a caneta é o prefeito da cidade”, reforçou Marcelo Parceirinho.

“Cadê os vereadores que no ano passado questionavam a gestão a favor da convocação dos aprovados? Sumiram? Se calaram? Onde está o sindicato, que tanto cobrou essas convocações? Que tanto questionou o Projeto Criar no ano passado?”, questionou o vereador Pavão.

Encaminhamento da reunião dos vereadores com manifestantes

A reunião começou com cinco vereadores: Elias, Pavão, Braz, Marcelo Parceirinho e Joelma Leite. “Vem aí um feriadão e o prazo do concurso encerra na segunda, não sei se terá um chamamento dentro da data, colocamos isso em questão junto aos vereadores, que se comprometeram em fazer uma reunião com o executivo para fiscalizar e entender a situação do quadro”, informou Fabilson Barros, que integra a comissão dos aprovados no concurso.

“Questionamos também a situação do Projeto Criar, que vai criar mais de 2.500 bolsas, cada uma a mil reais, o que vai dar 2,5 milhões de reais por mês. Se tem dinheiro para contratar, por que não chamar os concursados? Não somos contra o Projeto, queremos apenas que nos chamem logo, temos direito garantido pela lei. Além disso, denunciamos que já foram feitas mais de duas mil contratações, o próprio Sinseppar tem um relatório com a lista de vários contratados que estão em desvio de função”, relatou Fabilson Barros.

O grupo deve ir ao Ministério Público amanhã para solicitar apoio e, caso a convocação não ocorra dentro do prazo limite do concurso, os candidatos entrarão com uma ação civil pública contra a Prefeitura, com apoio do sindicato, conforme informações repassadas durante a reunião com os vereadores.

Comissão de Ética

Além da pauta provocada pelos manifestantes, outros assuntos foram discutidos na sessão e a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar foi formada. Foram eleitos, para mandato de dois anos, os parlamentares Marcelo Parcerinho (PSC), Eliene Soares (PMDB), Horácio Martins (PSD), Ivanaldo Braz (PSDB) e Joel do Sindicato (DEM).

Também foram eleitos os cinco suplentes: Luiz Castilho (Pros), Francisca Ciza (DEM), Joelma Leite (PSD), Kelen Adriana (PTB) e João do Feijão (PV).

Posteriormente, os membros titulares vão se reunir para eleger presidente e vice-presidente, e em seguida designarão os relatores.

Competências
A Comissão de Ética tem a função de zelar pela observância dos preceitos éticos da atividade parlamentar e pelas imunidades e prerrogativas asseguradas pela Lei Orgânica e Regimento Interno, em relação aos(as) vereadores(as) no exercício de seus mandatos, bem como pela imagem do Poder Legislativo.

Compete à comissão a observância dos preceitos do Código de Ética da Câmara, atuando no sentido da preservação da dignidade do mandato parlamentar; cuidar do funcionamento harmônico do Poder Legislativo, cuidando de sua imagem, nos termos do Regimento Interno e da legislação pertinente; apresentar proposições atinentes à matéria de sua competência, bem como consolidações, visando à manutenção da dignidade e do decoro parlamentar, além de promover cursos preparatórios sobre ética e atividade parlamentar.

Cabe à Comissão de Ética também instruir processos contra vereadores(as) e elaborar projetos de resolução que importem em sanções éticas que devam ser submetidas ao plenário; instaurar processo disciplinar e proceder a todos os atos necessários à sua instrução, nos casos de transgressão à norma regimental; propor a aplicação de medida disciplinar e manter contato com órgãos legislativos estaduais e federais, visando a troca de experiências sobre ética parlamentar; bem como organizar e manter o Sistema de Acompanhamento e Informações do mandato parlamentar.

À Comissão de Ética e Decoro Parlamentar são concedidas as mesmas prerrogativas de uma Comissão Parlamentar de Inquérito. ,

Fonte: Com informações da ASCOM/CMP

Parauapebas

Aprovados em concurso da prefeitura acionam o Ministério Público para garantia de convocação

Caso a prefeitura não faça as convocações até o dia 17 de abril, o MP irá ingressar com uma ação Civil Pública ou mandado de segurança coletiva

Desde o ano passado um grupo formado pelos aprovados no concurso público 001/2014, da Prefeitura de Parauapebas, tem batalhado pela garantia de sua convocação, legalmente amparada. As reivindicações se intensificaram neste ano pois, em função do período eleitoral, a gestão municipal estava impossibilitar de efetivar convocação entre julho e dezembro de 2016.

O grupo já realizou manifestações na Prefeitura e Câmara, reuniões com os representantes do governo e até agora ninguém tem um posicionamento oficial da convocação. O prazo do concurso encerra dia 17/04. Enquanto isso, vários profissionais foram contratados e estão em desvio de funções, exercendo atividades que deveriam ser ocupada pelos aprovados no concurso. Foi o que informou ao Blog o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Mardem Henrique.

“No quadro funcional da secretaria de saúde existem apenas 10 vagas para Agente de Saneamento, por exemplo, mas foram contratados muito mais, pelo menos uns 30. Lá no Same mesmo, que é um departamento do Hospital Geral, tem uns seis, todos exercendo as atividades de auxiliar administrativo”, denunciou o presidente do Conselho.

Depois de tanto peregrinarem por respostas, os aprovados solicitaram apoio ao Ministério Público (MP). “Fomos ao MP, eles devem fazer uma nova recomendação para que a prefeitura faça as convocações respeitando as vagas em aberto do edital, as vagas dos desistentes. Essa recomendação será feita para os cargos de auxiliar administrativo e cargos da saúde, que são os que têm mais demandas com vagas em aberto do concurso. Caso a prefeitura não faça as convocações até o dia 17 de abril, o MP irá ingressar com uma ação Civil Pública ou mandado de segurança coletiva”, relatou um dos aprovados.

Para endossar o pedido dos candidatos aprovados, o Conselho de Saúde fez um levantamento do número de horas extras realizadas pelo corpo de enfermagem do HGP, HMP e UPA. A média encontrada foi de mais de 15 mil horas extras praticadas por esses profissionais. Esses e outros dados foram repassados ao MP em formato de relatório.

O promotor de justiça do MP em Parauapebas, Hélio Rubens, confirmou o recebimento da demanda por parte dos aprovados no concurso e disse que a recomendação para a Prefeitura está sendo elaborada e deve ser encaminhada na próxima semana para a gestão municipal. O Blog solicitou informações da Assessoria de Comunicação sobre o assunto mas, até o fechamento da matéria, não teve retorno.

Entenda o caso

Todos os aprovados e classificados no concurso 001/2014 foram convocados na última gestão, porém, muitos profissionais ou não tomaram posse, ou desistiram da vaga. Essas informações foram levantadas pelo Sindicato dos Servidores Públicos de Parauapebas (Sinseppar), junto à Coordenadoria de Treinamento e Recursos Humanos (CTRH), da Prefeitura.

A legislação estabelece que, se houver vaga disponibilizada em concurso, o órgão público não deve fazer contratação temporária para aquele cargo específico e sim convocar os classificados.

O Blog denunciou contratações irregulares na matéria intitulada “Na contramão da Lei, Prefeitura de Parauapebas contrata para vagas que deveriam ser ocupados por concursados”, publicada em 10 de fevereiro.

 

Marabá

Notícia publicada pelo blog repercute e provoca reação do prefeito Tião Miranda

Após ter a legitimidade dos processos seletivos colocada sob suspeita em sessão da Câmara, o Executivo enviou ofício ao Legislativo

Por Eleutério Gomes – De Marabá

Notícia publicada ontem (28) por este blog, dando conta de questionamentos feitos pela vereadora Irismar Nascimento Melo (PR) em relação aos métodos de avaliação aplicados para a aprovação de concorrentes dos processos seletivos da Prefeitura de Marabá repercutiu no Executivo Municipal.

Durante a sessão plenária, Irismar Melo pôs em xeque a legitimidade dos processos seletivos para a contratação de servidores temporários, justificando que pessoas com experiência comprovada em várias funções em governos anteriores se inscreveram para concorrer às vagas, mas outras, sem experiência, é que foram aprovadas.

Apesar de ter falado de todos os processos já realizados, ela se referiu mais enfaticamente às secretarias de Assistência Social e de Saúde. Sobre esta, a vereadora afirmou ter provas de que várias pessoas contratadas ali sequer passaram pelo processo seletivo.

Em seus questionamentos, Irismar Melo foi acompanhada pelos colegas Marcelo Alves (PT) e Tiago Koch (PMDB), que também se pronunciaram sobre o assunto e exigiram explicações.

Reação

Neste quarta-feira (29), o prefeito Sebastião Miranda Filho (PTB) enviou ofício endereçado ao presidente da Câmara Municipal de Marabá (CMM), vereador Pedro Correa Lima (PTB), no qual coloca quatro secretários municipais à disposição do Legislativo.

“Sirvo-me do presente para informar a Vossa Excelência que os Secretários Municipais de Educação (SEMED), Assistência Social (SEASP), o Superintendente de Desenvolvimento Urbano (SDU) e a Presidente da Casa da Cultura estão à disposição deste Poder Legislativo para prestar esclarecimentos quando ao Processo Seletivo Simplificado relativo às suas pastas”, diz o documento.

Legislativo

Marabá: vereadora Irismar Melo lança suspeita sobre os processos seletivos da Prefeitura de Marabá

Administração Municipal se defende, diz que não se podem levantar dúvidas sem o amparo legal e cita itens do edital. Líder do governo silencia.

Por Eleutério Gomes – De Marabá

Na sessão desta terça-feira (28), da Câmara Municipal de Marabá, a vereadora Irismar Nascimento Melo (PR) questionou o Executivo Municipal a respeito dos processos seletivos que a prefeitura vem realizando, em várias secretarias, para a contratação de servidores em regime temporário.

Ela lembrou que um grupo de motoristas que dirigiram ônibus escolares da Secretaria Municipal de Educação (Semed) em outros governos procurou o Ministério Público Estadual para denunciar que, embora acumulassem experiência de muitos anos nesse tipo de condução, foram preteridos, apesar de terem sido inscritos no processo seletivo.

Depois, se referiu à Secretaria Municipal de Assistência Social (Seasp), lembrando que determinada servidora, mesmo tendo dirigido um dos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) por vários anos, não foi recontratada, apesar de sua larga experiência. “São muitos os questionamentos”, afirmou Irismar.

Em aparte, o vereador Marcelo Alves dos Santos (PT) disse que havia recebido informações de que na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) “muita gente” já havia sido contratada sem ter passado por qualquer processo seletivo.

Irismar voltou à carga e disse que não se tratava somente de suspeita. “Isso é verdadeiro, posso provar”, afirmou, questionando sobre o assunto o líder do governo, vereador Antônio Márcio Gonçalves (PSDB) – o Márcio do São Félix, que se manteve calado.

O vereador Tiago Batista Koch, líder do PMDB, também se referiu ao assunto, citando como exemplo os processes seletivos do Governo do Estado, nos quais, quem já tem experiência na função desejada, entra com pontuação de vantagem.

Outro lado

Procurada pelo blog, a Prefeitura de Marabá, por meio de sua Ascom (Assessoria de Comunicação) enviou nota na qual diz que os processos seletivos de todas as secretarias seguem as normas a que foram submetidas e estão abertos ao público para quaisquer esclarecimentos. “Colocar em dúvida o processo sem amparo legal não se justifica, porque no próprio edital existe prazo de recursos e contestação que o próprio candidato tem o direito de fazer”, afirma a nota.

Vale lembrar – segue o comunicado – que processo da Semed contou com mais de 11 mil candidatos, o processo seletivo da SDU com mais de 1.900 candidatos e o da Seasp com mais de 3 mil candidatos, “todos com ciência completa do edital por parte do candidato e com pouquíssimos recursos impetrados e devidamente analisados”.

“Quanto à qualificação de cada candidato, a comissão analisou caso a caso, não constando nenhum tipo de anormalidade. Quem foi contratado tem aptidão para o cargo. Quanto ao questionamento da SMS, a assessoria informa que todos os dados sobre contratação emergencial estão à disposição dos vereadores e principalmente da população na secretaria para os devidos esclarecimentos”, finaliza.

Fotografia

Expedição Imerys inscreve a partir desta segunda

A grande novidade deste ano é a premiação na categoria “Júri Popular”, que elegerá o autor da imagem que obtiver o maior número de compartilhamentos no Facebook com a utilização da hashtag #expedicaoimerys.

Nesta segunda-feira (06) começam as inscrições para a Expedição Imerys 2017, que será aberta para fotógrafos profissionais e amadores de todo o Brasil, maiores de 18 anos. As inscrições serão gratuitas e realizadas, exclusivamente, pelo hotsite http://imerysnopara.com.br/expedicaoimerys até o dia 20 de março. Em sua segunda edição, o evento fotográfico idealizado pela Imerys, mineradora que atua com caulim nos municípios de Barcarena e Ipixuna do Pará, busca apoiar e valorizar a arte da fotografia, além de divulgar as ações de responsabilidade social da empresa no Pará.

A inscrição será realizada em duas etapas. Na primeira fase, que será o momento de triagem, serão avaliados perfil técnico/artístico dos candidatos inscritos e serão selecionados, para a segunda etapa, até 60 fotógrafos. Os escolhidos receberão uma confirmação da seleção e o convite para a reunião que dará todos os detalhes sobre a iniciativa cultural.

Os fotógrafos terão como inspiração a Casa Imerys, maior projeto social da mineradora no Estado. Eles terão um dia para capturar, com um olhar mais artístico, as atividades desenvolvidas nas duas unidades do projeto localizadas em Barcarena e selecionar as cinco melhores fotos para inscrever na Expedição Imerys. Em cinco anos de atuação no Estado, a iniciativa social já beneficiou mais de 9 mil pessoas, com cursos de capacitação gratuitos, inclusão social, atividades esportivas, oficinas de lazer para todas as idades e ações de promoção de saúde, como o Programa Sorriso Saudável. Em 2016, a Casa Imerys recebeu o Prêmio Socioambiental Chico Mendes 2016, na categoria Ação e Cases de Natureza Socioambiental, e o Selo Verde Chico Mendes.

Uma Comissão Julgadora fará a seleção de 20 imagens que farão parte da Expedição Imerys. Cada participante poderá ter apenas uma foto escolhida.Dentre as 20 fotos selecionadas, a Comissão escolherá as duas imagens que mais representam a proposta do projeto social Casa Imerys, o que dará direito aos autores selecionados uma viagem de seis dias para participação no Valongo Festival Internacional da Imagem 2017, em Santos/SP. Os selecionados serão revelados durante a vernissage de abertura da “Expedição Imerys 2017”, prevista para o mês de junho em Belém.

A grande novidade deste ano é a premiação na categoria “Júri Popular”, que elegerá o autor da imagem que obtiver o maior número de compartilhamentos no Facebook com a utilização da hashtag #expedicaoimerys. O prazo para o participante atingir essa meta é até às 23h59 do dia 30 de maio. Como prêmio, o vencedor receberá um “Vale Workshop” da Associação Fotoativa, entidade que atua com fotografia em Belém.

Juliana Carvalho, coordenadora de Comunicação & Relações com a Comunidade da Imerys, destaca que a primeira edição da Expedição Imerys foi um sucesso, recebendo 140 inscrições, e espera que o êxito se repita neste ano. “Os olhares sobre os nossos projetos retrataram, em 2015, com muita leveza e beleza, a importância desse trabalho e desse relacionamento que estabelecemos com as comunidades. As expectativas para a Expedição de 2017 são as melhores possíveis. Esperamos contar com a participação cada vez maior dos apaixonados por fotografia para mostrar à população do Pará a importância da atuação social da Casa Imerys por meio da educação, da saúde e da geração de renda para as comunidades”.

Serviço: As inscrições para a Expedição Imerys 2017 serão realizadas de 06 a 20 de março, exclusivamente, pelo  hotsite http://imerysnopara.com.br/expedicaoimerys, que contém o regulamento completo do evento.

Gestão

33% das vagas disponíveis via concurso público na Câmara de Parauapebas estão desocupadas

O último concurso público realizado pela CMP foi em fevereiro de 2010

O Quadro de Efetivos da Câmara Municipal de Parauapebas (CMP) conta com 124 vagas para servidores concursados, conforme disponibilizado no Portal da Transparência da referida Casa de Leis. Deste total, apenas 83 vagas estão ocupadas, ou seja, 33% do total das vagas ainda estão disponíveis. São 41 postos de trabalho. Mas, reforçando, essas vagas somente podem ser ocupadas via concurso público.

O último concurso público realizado pela CMP foi em fevereiro de 2010 e diante dos números apresentados constata-se necessidade urgente de realização de certame para provimento das referidas vagas, que são as seguintes: Agente Parlamentar (11); Agente Técnico Legislativo (4); Analista de Controle Interno (1); Artífice de Manutenção (3); Auxiliar de Serviços Gerais (8); Auxiliar Técnico de Informática (2); Bibliotecário (1); Motorista (3); Operador de Som (2); Polícia Legislativa (4); Analista Jurídico Legislativo (2).

Tendo como base a Folha de Pagamento (FOPAG) referente ao mês de fevereiro de 2017, a CMP conta com 328 servidores, incluindo os vereadores. Deste total, 231 vagas são ocupadas por servidores em cargos comissionados, que não têm vínculo efetivo com o legislativo e não carecem passar pelo crivo do concurso público. Esse grupo representa nada mais nada menos do que 70% dos servidores da Câmara.

“No primeiro contato que tivemos com a mesa diretora cobramos a isso”, informou Carlos Alessander, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Parauapebas (Sinseppar), informando também ao Blog que será realizada uma reunião nesta sexta-feira (3), às 12 horas, com os servidores da Câmara, e um dos pontos abordados será a busca de apoio para realização de novo concurso.

Quando se fala de valores, os números impressionam. Apesar da redução de  121 vagas de servidores comissionados, realizado a partir de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado entre a Câmara e o Ministério Público no fim do ano passado, a FOPAG da CMP continua elevada. Em fevereiro ela fechou em R$ 1.225.512,36 (um milhão, duzentos e vinte e cinco mil, quinhentos e doze Reais e trinta e seis centavos), o que representa 47,43% da receita total.

A maior parte da FOPAG é direcionada ao pagamentos dos servidores em cargos comissionados, R$ 700.442,55 (setecentos mil, quatrocentos e quarenta e dois Reais e cinquenta e cinco centavos)no total. Já os valores referentes à remuneração dos servidores concursados totalizam R$ 396.789,84 (trezentos e noventa e seis mil, setecentos e oitenta e nove Reais e oitenta e quatro centavos) e o dos 15 vereadores em R$ 128.279,97 (cento e vinte e oito mil, duzentos e setenta e nove Reais e noventa e sete centavos).

Outro número que chama a atenção é o salário base dos Procuradores do Legislativo, R$ 19.936,26. Cinco servidores ocupam essa função na CMP, o pagamento deles totalizam R$ 99.290,30 (noventa e nove mil, duzentos e noventa Reais e trinta centavos) por mês. Além disso, tem as gratificações, que custaram, em fevereiro, R$ 17.043,15 (dezessete mil, quarenta e três Reais e quinze centavos) aos cofres públicos.

Dos 231 cargos comissionados ocupados na CMP, 203 são de Assessores Parlamentares, distribuídos entre os gabinetes dos vereadores. Elias Ferreira de Almeida Filho é o vereador que tem o maior número de assessores lotados em seu gabinete, 14, que geram um custo mensal de R$ 42.962,04 (quarenta e dois mil, novecentos e sessenta e dois Reais e quatro centavos) mensal. Já para a presidência da CMP, ocupada por Elias Ferreira, foram destinados oito assessores que custam R$ 23.366,45 (vinte e três mil, trezentos e sessenta e seis Reais e quarenta e cinco centavos) na FOPAG.

O segundo gabinete mais pesado financeiramente falando é o de Ivanaldo Braz, com 13 assessores cujos salários somados chegam à R$ 40.963,13 (quarenta mil, novecentos e sessenta e três Reais e treze centavos). Em terceiro está o da vereadora Kellen Adriana, também com 13 assessores e uma folha de R$ 35.552,01 (trinta e cinco mil, quinhentos e cinquenta e dois Reais e um centavo. Todos os demais gabinetes contam também com 13 assessores, com exceção do Vereador Coutinho, que tem 12 e também contabiliza o menor custo com folha de pagamento, R$ 32.228,16 (trinta e dois mil, duzentos e vinte e oito Reais e dezesseis centavos).

O orçamento da Câmara municipal de Parauapebas para 2017 é de R$ 31 milhões. Em 2016 esse orçamento foi R$ 43 milhões.

Na contra-mão do quem vem acontecendo na Câmara, o presidente Elias Ferreira pautou para a sessão de ontem (02) a Indicação nº 012/2017, de sua autoria, que indica ao Poder Executivo que baixe o decreto que regulamenta a Lei Municipal nº 4.634/2015, que instituiu o Programa de Geração de Oportunidade de Trabalho e de Capacitação Profissional. Ato posterior, que realize a execução do programa.

O Blog já solicitou junto à Assessoria de Comunicação da Câmara uma entrevista com o presidente da Casa de Leis para falar sobre planos de realização de concursos;questionamentos sobre a FOPAG Fev/2017 e a indisponibilidade da FOPAG Dez/2016 no Portal da Transparência; aplicação dos recursos recebidos pela Prefeitura e se no planejamento da presidência haverá devolução de recursos para a PMP no fim do ano.

Em resposta, a Assessoria da Câmara Municipal de Parauapebas informou que o presidente não concederá entrevista, mas enviou a seguinte nota:

1 – O Presidente retirou de pauta proposição que seria votada na sessão desta quinta-feira (2) e vai apresentá-la na próxima sessão de terça-feira (7);

2 – Folhas de pagamento questionadas (dez 2016 e fev 2017) estão publicadas no Portal da Transparência;

3 – Muito cedo ainda para levantar se haverá devolução de recursos para o Poder Executivo no final do presente exercício financeiro. A Câmara Municipal conta com orçamento menor que o anterior, pois houve uma queda na receita em 25%. Mais detalhes podem ser adquiridos no Portal da Transparência.

A nota não comenta o cerne da matéria, a realização de concurso para o preenchimento das vagas disponíveis, e nem teria como, já que o assunto seria pauta da entrevista e um desdobramento do assunto Fopag. Seria importante o presidente conceder a entrevista, já que há tantos questionamentos sobre o papel do vereador em Parauapebas. Seria interessante saber, entre outros, como anda a relação dele com os outros vereadores, já que vários acordos que o levaram à presidência estão pendentes. Mas, se ele acha melhor responder tais questionamentos via Assessoria de imprensa, que seu desejo seja respeitado.