Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Canaã dos Carajás

Correios de Canaã: portas fechadas, população de mãos atadas

Após ação ousada de criminosos na agência de Canaã dos Carajás, população que não tem mais a quem recorrer, está à mingua no estilo “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”.
Continua depois da publicidade

Aos 16 anos, o filho de Suely Barbosa Almeida, enfim está prestes a conquistar o tão sonhado primeiro emprego. Chamado para trabalhar como jovem aprendiz em uma empresa de Canaã dos Carajás, o estudante está a um passo de ver a oportunidade de ingressar no competitivo mercado de trabalho “descer pelo ralo”, é que a sua mãe, uma trabalhadora autônoma, tem procurado a agência dos Correios da cidade para emitir o CPF (Cadastro de Pessoa Física) e dar andamento no processo de contratação, e pela terceira vez seguida, voltou para casa de mãos vazias. “O meu filho é estudante, pegaram o nome dele pra concorrer a uma vaga de menor aprendiz, estamos correndo atrás da documentação necessária. Emprego já está difícil, e com os Correios fechados ele corre um grande risco de perder essa vaga que ele lutou tanto pra conseguir. A gente tem 20 dias pra estar com os documentos mãos, o prazo está acabando e até agora nada da agência abrir”, desabafou.

Entenda o caso

O atendimento está interrompido desde a manhã do dia 9/04, quando um bando, composto por quatro homens e duas mulheres, invadiu o prédio dos Correios localizado na Avenida dos Pioneiros no centro de Canaã dos Carajás.

Por aproximadamente quarenta longos minutos, cerca de trinta pessoas, entre funcionários e clientes, ficaram sob a mira dos assaltantes que agiam com agressividade.

Uma grande quantia em dinheiro foi levada do cofre.

 Um furgão do órgão foi utilizado na fuga dos criminosos. Funcionários foram levados como garantia de que a polícia não tentaria intervir.

De portas fechadas desde então, já que segundo um funcionário, toda a instalação elétrica foi destruída, entregas de encomendas, emissão de documentos e o atendimento ao público, não estavam sendo realizados. Somente esta semana, os serviços externos de entrega, mesmo que de ainda a passos lentos, devido ao acúmulo de mercadorias, voltou a funcionar.

Ainda traumatizado, um funcionário que não revelaremos sua identidade, afirmou que pela sexta vez ficou sob a mira de armas durante assaltos à agência, e que cada situação é única e difícil de descrever e quase impossível de superar. “Lá dentro está tudo destruído, os bandidos puxaram todos os fios, nada está funcionando. A situação toda foi muito difícil, esse é o sexto assalto que eu sou feito refém e toda vez é como se fosse a primeira”, relatou.

Informações davam conta de que o atendimento ao público retornaria nesta sexta-feira, (20) no entanto, a assessoria de comunicação dos Correios se manifestou através de nota, onde disse que o órgão está tomando todas as providências para que a unidade volte a funcionar o quanto antes, mas que ainda não há previsão.

Confira a nota na íntegra

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A agência de Canaã dos Carajás permanece fechada para atendimento ao público. A distribuição de cartas e encomendas para a localidade atendida pela unidade será realizada com apoio do Centro de Distribuição Domiciliária Parauapebas. Os Correios estão tomando todas as providências para que a unidade volte a funcionar o quanto antes, no entanto ainda não há uma data prevista para a regularização do atendimento.

Perguntamos também se o órgão disponibilizou atendimentos psicológicos às vítimas do assalto, no entanto, não obtivemos retorno.

Canaã dos Carajás

Após arrombamento, usuários do BB de Canaã dos Carajás continuam prejudicados

Transações simples e essenciais só podem ser feitas em cidades vizinhas, informa um aviso fixado na porta da agência
Continua depois da publicidade

Marcos Rodrigues da Silva, que é fazendeiro em Canaã dos Carajás, já perdeu as contas das vezes que deu “com a cara na porta” ao se dirigir até a Agência 4153 do Banco do Brasil de Canaã dos Carajás. Ele precisa mensalmente efetuar o pagamento dos funcionários de sua propriedade rural. O problema é que há quase 40 dias, a agência está com os serviços de atendimento ao cliente limitado. Segundo uma funcionária, os terminais eletrônicos estão disponíveis apenas para transferências e consultas de saldos, o que não é suficiente para clientes como o Marcos.

“Eu precisava fazer um saque, e agora, como é que faz? Como pago meus funcionários? Aqui, quando você encontra um caixa que transfere ainda é bom, difícil é encontrar”, destacou o fazendeiro.

Um aviso fixado à porta de entrada da agência informa que não há previsão para o funcionamento de serviços em guichês de caixas. Os usuários estão sendo prejudicados desde o mês passado, após um arrombamento a três cofres da agência, ocorrido na madrugada do dia 10 de março. Na ocasião, um buraco feito no muro do prédio facilitou o acesso ao interior do Banco. A quantia levada ainda não foi divulgada.

A respeito da previsão da normalização dos serviços, nossa equipe tentou entrar em contato com a Central de Atendimento do BB, no entanto, não obtive retorno até o fechamento  desta reportagem.

Enquanto transações simples e essenciais, como a realização de saques, depósitos e pagamentos, entre outros serviços, não estiverem disponíveis, os usuários estão sendo
orientados por funcionários a se dirigirem até as agências mais próximas, no caso, em Xinguara ou Parauapebas.

“A gente não tem esse tempo disponível, de ir até outras cidades pra resolver nossos problemas. A gente pergunta e eles [funcionários] não falam nada. Precisamos de uma
solução, e rápido”, desabafou Marcos.

Correios

O mesmo acontece na Agência dos Correios de Canaã dos Carajás, também alvo de assaltantes no início do mês. Ela está de portas fechadas para o público e até então não há previsão de reabertura. Na oportunidade, vários funcionários foram feitos reféns e passam por tratamento psicológico. Enquanto isso, a população de Canaã está sem os serviços.

Parauapebas

Agência dos Correios do Bairro Cidade Nova é atacada por trio de assaltantes

Eles roubaram os caixas e tentaram abrir o cofre. A ação, porém, não se concretizou porque o gerente fugiu e deu o alarme, colocando os bandidos para correr
Continua depois da publicidade

Usuários e funcionários da agência dos Correios do Bairro Cidade Nova, em Parauapebas, passaram momentos de susto na manhã desta quarta-feira (21), quando três indivíduos assaltaram os caixas e tentaram assaltar o cofre da repartição. O “serviço”, porém, ficou pela metade, porque o gerente José Augusto Lopes Ferreira, aproveitando um momento de distração dos assaltantes, conseguiu fugir e gritou por socorro, fazendo com que eles saíssem imediatamente, sem disparar as armas ou ferir alguém.

José Augusto conta que o expediente transcorria normalmente, quando os dois primeiros chegaram e sentaram nas cadeiras do atendimento, como se fossem usuários normais. Logo depois chegou o terceiro, caminhou pela agência, sondando o ambiente e, em seguida, puxou a arma da cintura e anunciou o assalto, gesto imitado pelos outros dois, que também estavam armados.

Dos caixas, segundo o gerente, pouco levaram, sem que os funcionários que trabalham ao fundo da agência percebessem.

Em seguida, se dirigiram à tesouraria, onde o funcionário responsável pelo setor trabalhava a portas fechadas. Bateram, anunciaram o assalto, ele abriu e os assaltantes perguntaram pela combinação da fechadura do cofre.

Nesse momento Augusto conseguiu escapar e, ao perceberem que ele deu o alarme, abandonaram a agência rapidamente, não se sabe se de carro ou moto. Segundo o gerente, que registrou Boletim de Ocorrência na Polícia Civil, eles agiram de cara limpa, sem capacetes ou máscaras, somente de óculos escuros, e podem ser identificados pelas imagens das câmeras de monitoramento, que registaram toda a movimentação.

Ninguém foi molestado ou saiu ferido. A única ocorrência foi de uma funcionária que sofre de hipertensão, que ficou muito nervosa e com a pressão alta, a qual depois foi controlada e ela ficou mais calma.

Reportagem: Ronaldo Modesto
Marabá

Marabá: Carteiros fazem greve por plano de saúde e férias

Trabalhadores temem perder direito às férias e lutam para não pagar coparticipação maior quando usarem plano de saúde. Adesão chega a 90%.
Continua depois da publicidade

Nos últimos oito anos, não houve um ano sequer sem greve de funcionários dos Correios em Marabá, que geralmente aderem ao movimento paredista nacional. Nesta segunda-feira, dia 12 de março, eles voltaram a cruzar os braços por tempo indeterminado. Por enquanto, os funcionários do setor administrativo, como atendentes, não aderiram à greve na cidade e o atendimento aos usuários está normal. As entregas, por outro lado, estão totalmente paralisadas. A última greve dos funcionários dos Correios foi há cerca de 6 meses e durou 17 dias.

As reivindicações começam pela alteração no plano de carreira e salários e retirada de benefícios, com cobrança de mensalidades e retirada de dependentes do plano de saúde; suspensão de férias a partir de abril para carteiros, atendentes e operadores de cargas; redução da carga horária e do salário de funcionários da área administrativa; extinção do cargo de operador de triagem e transbordo (responsável pelo processo de tratamento e encaminhamento de cartas e encomendas); fechamento de mais de 2.500 agências próprias por todo o Brasil; não realização de concurso público desde 2011 e planos de demissão voluntária que reduziram o número de funcionários.

Segundo os Correios, a questão do plano de saúde foi discutida “exaustivamente” com as representações dos trabalhadores, tanto no âmbito administrativo quanto em mediação pelo Tribunal Superior do Trabalho e que, após diversas tentativas sem sucesso, a forma de custeio segue para julgamento pelo TST.

O delegado sindical dos servidores dos Correios em Marabá, Walclécio Valente de Souza explica que eles exigem a contratação de novos funcionários via concurso público, uma vez que o Centro de Distribuição no município acumula muitas encomendas e falta pessoal para fazer a entrega qualificada.

 “É um movimento nacional contra uma série de fatores e a favor do nosso convênio médico que o Governo quer reformular os moldes de como é cobrado. Atualmente, pagamos 10% sobre consultas e exames quando utilizamos, mas o Governo pretende cobrar uma mensalidade em torno de R$ 200 e mais 30% sobre exames e consultas”, lamenta o sindicalista.

Ainda segundo Walclécio, a questão das férias incomoda os trabalhadores. “Este ano não haverá mais férias para ninguém, quem tirou, tirou, quem não tirou está suspensa sob a alegação de enxugar a máquina. Eles querem fazer isso cobrando do trabalhador e não podemos pagar essa conta”.

Ainda nesta segunda-feira, os Correios publicaram a seguinte nota sobre a greve:

“A greve é um direito do trabalhador. No entanto, um movimento dessa natureza, neste momento, serve apenas para agravar ainda mais a situação delicada pela qual passam os Correios e afeta não apenas a empresa, mas também os próprios empregados.

Esclarecemos à sociedade que o plano de saúde, principal pauta da paralisação anunciada para a próxima segunda-feira (12) pelos trabalhadores, foi discutido exaustivamente com as representações dos trabalhadores, tanto no âmbito administrativo quanto em mediação pelo Tribunal Superior do Trabalho.

Após diversas tentativas de acordo sem sucesso, a forma de custeio do plano de saúde dos Correios segue, agora, para julgamento pelo TST.

A empresa aguarda uma decisão conclusiva por parte daquele tribunal para tomar as medidas necessárias, mas ressalta que já não consegue sustentar as condições do plano, concedidas no auge do monopólio, quando os Correios tinham capacidade financeira para arcar com esses custos”.

Polícia Militar

Itupiranga: Assaltantes de carga dos Correios pegos em flagrante na manhã desta quarta-feira

Os sete indivíduos foram pegos de surpresa, após o sinal do caminhão ter desaparecido da central de rastreamento
Continua depois da publicidade

Foram pegos em flagrante pela Polícia Militar, por volta das 8h desta quarta-feira (7), e estão presos da Delegacia de Polícia de Itupiranga os indivíduos Ismauro Dias Almeida, 19 anos; Adriano Araújo Lisboa, 37; Moisés Almeida de Araújo, 31; Eduardo Damião de Lima, 27, que se identificava como Mailson Ramos da Silva, 24; Fabrício Reis Lopes, 39; Janilson Alves Simões, 32; e Arielson da Silva Souza, 46. Todos são acusados de terem  assaltado um caminhão baús dos Correios, no Km 100 da Rodovia BR-230 – Transamazônica -, em Itupiranga.

Os assaltantes não contavam com o fato do veículo de carga estar sendo rastreado via satélite, cujo sinal desapareceu da central de monitoramento depois do Km 90, logo após Vila Cajazeiras. Imediatamente a PM foi avisada, e via NIOP (Núcleo Integrado de Operações), comunicou as guarnições de Itupiranga e de Cajazeiras e ainda uma guarnição do GTO (Grupamento Tático Operacional).

Logo em seguida, os policiais receberam a informação de que  parte do produto do roubo já havia sido transferida do caminhão, dirigido pelo condutor Rones Fernandes Leal, 28 anos, para uma caçamba e estava a caminho de Marabá.

O bando foi interceptado num trecho próximo a Cajazeiras, em uma camionete Hilux preta, de placas NSN-3006, com cinco indivíduos, a qual também transportava mercadorias roubadas, onde foi encontrada uma pistola calibre 380.

Os PMs encontraram ainda um caminhão basculante VW/13.190 CRM 4X2, de placas OZU-7951/Catité- BA, com os dois indivíduos que estavam conduzindo a carga dos Correios. Além da arma, foram apreendidas nove munições, quatro celulares de uso pessoal dos integrantes do bando, três relógios de pulso e vasta quantidade de material roubado do caminhão dos Correios, como com caixas lacradas com TV, notebook, celular, roupas, cosméticos e outros objetos.

A guarnição de Itupiranga foi formada pelos sargentos Aldir e Nilson Silva, cabos Aldemir, Joakson e Wendel e soldado Marinho. De Cajazeiras, participaram da missão os cabos Walter e Vanes; e pelo GTO estiveram em ação os cabos Jairo e Lira e os soldados Conde e Diego.

Operação Looters

Correios: PF desarticula quadrilha de assalto a cargas no PA

De acordo com os levantamentos, o bando foi responsável por mais de seis assaltos a cargas na região de Goianésia e Tucuruí, gerando um prejuízo de mais de R$ 100 mil aos Correios.
Continua depois da publicidade

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (7) a Operação Looters, com o objetivo e desarticular quadrilha especializada em assalto a cargas transportadas por caminhões dos  Correios, notadamente entre os municípios de Goianésia do Pará e Tucuruí, na Rodovia PA-263. Ao todo, foram cumpridos 10 mandados judiciais, todos em Tailândia, sendo quatro mandados de prisão temporária, dois de prisão preventiva e quatro mandados de busca e apreensão. As ordens judicias foram expedidas pela Justiça Federal do Pará.

As investigações iniciaram em fevereiro de 2017 e avançaram durante o ano, quando a quadrilha praticou uma série de roubos, os quais permitiram concluir que se tratava do mesmo bando de criminosos. Quase sempre à luz do dia e no mesmo local na PA 263, os caminhões eram interceptados, os motoristas rendidos com o uso de armas de fogo e os veículos eram levados para uma vicinal, onde as cargas eram saqueadas. Os assaltantes selecionavam os objetos que iriam subtrair e geralmente levavam bens de valor agregado como telefones celulares, máquinas fotográficas e outros itens que podem ser revendidos facilmente no mercado paralelo.

De acordo com os levantamentos, o bando foi responsável por mais de seis assaltos a cargas na região de Goianésia e Tucuruí, gerando um prejuízo de mais de R$ 100 mil aos Correios.

O grupo responderá pelos crimes de associação criminosa e roubo majorado pelo uso de arma de fogo e pela restrição de liberdade dos motoristas dos caminhões. Ao todo as penas pelos crimes investigados podem alcançar mais de 30 anos. Os presos foram encaminhados para presídios da cidade de Tucuruí, onde ficarão à disposição da Justiça Federal.

O nome da operação é uma alusão aos saqueadores do passado que aterrorizavam pequenas cidades isoladas da Europa. (Fonte: Ascom PF)

Polícia

Bandidos atacam Agência dos Correios de Bom Jesus do Tocantins e empreendem fuga

Veja o vídeo da fuga, feito por um cinegrafista amador enviado ao Blog
Continua depois da publicidade

Policiais militares lotados em Bom Jesus do Tocantins e em Abel Figueiredo estão embrenhados nas matas que margeiam a Rodovia BR-222, em busca de dois bandidos que atacaram a agência dos Correios de Bom Jesus, a 70 km de Marabá. A dupla assaltou o estabelecimento por volta das 11h30, mas levou apenas uma pequena soma que estava nos caixas, segundo informou a delegada Simone Felinto, diretora da 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Marabá.

A delegada confirmou ainda que os bandidos, de fato, levaram dois reféns que foram liberados pouco tempo depois que os bandidos deixaram a cidade, seguindo na direção de Abel Figueiredo. O veículo usado na fuga, que seria de um dos funcionários levado como refém, também foi após abandono numa estrada vicinal.

Veja o vídeo da fuga, feito por um cinegrafista amador enviado ao Blog:

Cotidiano

Correios devolvem, em média, dois mil objetos ou correspondências por dia em Parauapebas

Parauapebas já conta com mais de 90 bairros, segundo a Semurb, mas os Correios só atendem doze deles.
Continua depois da publicidade

Os Correios alegam que por falta de sinalização das ruas e numeração irregular das residências há um número elevadíssimo de objetos ou correspondências que retornam para o remetente: em média dois mil por dia. E isto porque a empresa realiza entrega, de fato, em apenas doze dos mais de cem bairros que compõe Parauapebas.

Quem mora em bairros como Nova Vida, Amazônia, Linha Verde, Nova Carajás, entre outros, não consegue receber encomendas ou correspondências via correio em suas residências, sendo necessário disponibilizar o endereço de alguém conhecido, que reside em um dos doze bairros atendidos pela empresa ou buscar encomendas e correspondências direto no Centro de Distribuição Domiciliar (CDD), localizado no bairro Beira Rio.

Somente quem reside nos seguintes bairros pode contar com o serviço de entrega dos Correios: Primavera; Cidade-Nova; União; Rio Verde; Liberdade I; Chácaras do Sol, Lua e das Estrelas; da Paz; Guanabara; Beira Rio I. No Cidade Jardim a empresa consegue realizar entrega até na quarta etapa, porém, a cada 10 objetos que saem com esta finalidade, sete retornam.

Luiz Carlos Silva, estudante universitário que mora no bairro Novo Tempo, é uma dificuldade enorme para receber livros adquiridos para o curso. “Eu tenho que dar o endereço de uma tia para receber os livros que compro para poder acompanhar o meu curso, pois os Correios não atendem o meu bairro”

Já Antônio Pereira, músico, diz que parte do seu bairro, o Cidade Jardim, é atendido, mas onde mora a prefeitura ainda não colocou placas de identificação nas ruas e numeração nas casas, o que impossibilita o serviço dos Correios. “Eu até já chamei os vizinhos pra gente colocar os números da quadra e dos lotes nas casas, para facilitar para os carteiros, mas uma andorinha só não faz verão, explicou Pereira.

“É impossível para nossos carteiros localizar tantos endereços sem os nomes das ruas e também com numerações irregulares”, afirma Natanael Batista Alves, gerente do CDD dos Correios em Parauapebas, acrescentando que a implantação de novos CEP’s (Código de Endereçamento Postal) na cidade facilitaria muito o serviço de entrega e possibilitaria o atendimento em toda a zona urbana do município.

“Nós temos um projeto de implantação de novos CEP’s em Parauapebas encaminhado, mas dependemos que a Prefeitura nos repasse um Plano Diretor atualizado da cidade para embasar e nortear a distribuição dos espaços. Estamos há mais de três anos em conversa com a Prefeitura, mas não conseguimos avançar ainda neste sentido”, afirma o gerente.

Em nota, a Prefeitura informou que o Plano Diretor está em fase de elaboração e que ainda não tem uma data de entrega. Sobre a sinalização das ruas foi informado que o processo será retomado, mas também não foi esclarecido o prazo para que os serviços sejam executados.

Segundo a Secretaria Municipal de Urbanismo, hoje já foram catalogados cerca de noventa bairros em Parauapebas, grande parte deles ainda de forma irregular.

Já para o site Wikipédia, são 76 bairros no município: Altamira, Amazônia, Apoema, Bairro da Paz, Bairro dos Minérios, Bela Vista, Beira Rio I, Beira Rio II, Betânia, Caetanópolis, Carajás, Casas Populares I, Casas Populares II, Cidade Jardim, Cidade Nova, Cinco Estrelas, Chácara da Lua, Chácara das Estrelas, Chácara do Sol, Esperança, Esplanada, Guanabara, Guanabara II, Ipiranga, Ipiranga II, Jardim América, Jardim América II, Jardim Canadá, Jardim Canadá II, Jardim Tropical, Jardim Tropical II, Karajás Sul, Liberdade I, Liberdade II, Linha Verde, Loteamento Ipê, Maranhão, Maranhão II, Montes Claros, Nova Carajás, Nova Vida, Nova Vida II, Novo Brasil, Novo Horizonte, Novo Tempo, Novo Viver, Palmares II, Palmares Sul, Parque dos Carajás, Panorama, Parque das Nações, Parque das Nações II, Polo Moveleiro, Primavera, Residencial Alto Boa Vista, Residencial Bambuí, Residencial Brasília,Residencial Morada Nova, Residencial Martini, Residencial Porto Seguro, Residencial Rio Verde, Residencial Vale do Sol, Residencial Vila Nova, Residencial Vista do Vale, Rio Verde, São José, São Lucas, São Lucas II, São Luíz, Serra Azul, Vale dos Carajás, Vida Nova, Vida Nova II
Vila Rica, e União