Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Coluna

Rapidinhas

As últimas do cotidiano da região

Tribunal do júri

Alessandro Camilo de Lima, acusado de matar a comerciária Ana Karina Guimarães no dia 10 de maio de 2010 irá sentar no banco dos réus, em Parauapebas, no dia 29 de janeiro de 2018. Presidirá o julgamento o juiz Ramiro da 2ª Vara Penal de Parauapebas. Ana Karina estava grávida 9 meses e o pai da criança era o próprio Alessandro Camilo. Segundo a acusação ele matou Ana Karina para se livrar das despesas com o enxoval e uma futura pensão alimentícia.

Zenaldo Coutinho

O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB) seu vice, Orlando Reis, podem ter suas cassações confirmadas nesta quinta-feira (7) pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA); A sessão de julgamento terá início às 8h30. O prefeito de Belém já foi cassado duas vezes por afronta ao princípio administrativo da impessoalidade, abuso de poder político e desvirtuamento dos recursos materiais, humanos, financeiros e da administração púbica, mas recorreu e permanece no cargo.

Encolhendo

A Vale pretende investir US$ 3,8 bilhões em 2018, uma queda de 7,3% ante os US$ 4,1 bilhões previstos para este ano, segundo documento publicado pela mineradora nesta quarta-feira, durante o seu tradicional evento anual para investidores em Nova York, o Vale Day. A empresa prevê investir ainda US$ 4 bilhões de dólares, em 2019, e US$ 4,2 bilhões, em 2020. Além disso, a companhia também informou que prevê desinvestimentos de US$ 1,5 bilhão em ativos considerados “não essenciais” entre 2018 e 2020.

Sem mais buscas

O Ministério das Relações Exteriores deu por encerrada a busca pelos brasileiros que desapareceram nas Bahamas em novembro do ano passado. A informação foi dada em audiência pública realizada na terça-feira, 5, na Câmara dos Deputados. O grupo de 19 imigrantes (entre brasileiros, dominicanos e cubanos) desapareceu quando supostamente fariam uma travessia marítima ilegal das Bahamas para os Estados Unidos. O casal, Lucirlei Cárita e Regiane Viana, de Canaã dos Carajás, está no grupo de desaparecidos.

Fazendeiro preso

O fazendeiro José Marques Ferreira, conhecido popularmente em Parauapebas por Donizete, foi preso no início da noite desta quarta-feira (07) pela delegada Yanna Azevedo, diretora da 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas. Donizete é acusado de tentativa de homicídio contra Marcos Almeida. O fato delituoso aconteceu há quatro meses, quando Donizete teria disparado 2 tiros contra a vítima, mas a polícia estava encontrando dificuldades para ouvir as testemunhas. Esta não é a primeira vez que o fazendeiro responde a um processo por homicídio em Parauapebas. Em 2004 ele foi acusado de matar um senhor que teria chupado algumas laranjas de um pomar de sua propriedade rural. Ele também é acusado das mortes dos militantes do MST “Fusquinha” e “Doutor” na Fazenda Goiás II, em 1998.

Nova Ipixuna

Adão Lima de Jesus, ex vice-prefeito do município de Nova Ipixuna foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira dentro de sua residência, na Avenida Tocantins, centro do município. Adãozinho, como popularmente era conhecido estava despido e com um tiro na nuca, quando a polícia militar chegou ao local. Adão era proprietário de três fazendas em Nova Ipixuna e foi vice-prefeito pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), em 2004, na gestão de José Pereira de Almeida, o Zezão, do Partido dos Trabalhadores (PT).

TCM premia

O Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM-PA) procederá, na próxima segunda-feira (11/12), Dia Internacional Contra a Corrupção, a entrega do Selo Verde Gestor Transparente 2017 a 85 prefeitos e 60 presidentes de câmaras municipais, por terem cumprido 100% do TAG da Transparência 2017. Houve um avanço significativo na transparência pública municipal no Pará. Em 2016, a premiação foi entregue a 16 prefeituras e 8 câmaras municipais. A Diretoria de Planejamento e a Faculdade de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Pará fazem as análises referentes à situação dos Portais da Transparência dos municípios paraenses.

Delegado Bruno

Aconteceu hoje em Canaã dos Carajás a audiência de instrução e julgamento do processo que acusa o delegado Bruno Fernandes de Lima e outros dois investigadores que trabalhavam com ele na delegacia de Polícia Civil de Canaã dos Carajás de praticar crimes de associação criminosa, peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os promotores de Justiça Rui Barbosa Lamim e Emerson Costa de Oliveira assinam a denúncia. A audiência foi encerrada no início da noite e outra foi marcada para o dia 22 de janeiro de 2018, quando o restante das testemunhas arroladas deverão ser ouvidas.

Carajás

Carajás: destino preferido para eternizar momentos

Além da beleza natural, o clima e a segurança favorecem a escolha dos fotógrafos

O Parque Zoobotânico e o Núcleo Urbano da Serra dos Carajás, localizados há 25 km de Parauapebas, se tornaram o destino preferido de fotógrafos para eternizar momentos de grávidas, debutantes e noivos.

“Além do ambiente lindo, o clima favorece também, por estar sempre fresco e com uma luz natural maravilhosa, e, para mim o mais importante, a segurança. Sou comerciante e faço da fotografia meu hobby, apesar de me ocupar bastante ultimamente. Mas sempre penso no ambiente para não colocar em risco o meu equipamento, que é um investimento alto,” compartilha o fotógrafo Elienai Araújo, da Prime Fotos, que está há quatro anos no mercado de Parauapebas e região. Ele conta ainda que cerca de 90% dos seus clientes escolhem Carajás como ambiente para registrar seus momentos, uma decisão que ele aprova bastante. “Em Parauapebas, não tenho a mesma tranquilidade para fotografar como encontro em Carajás”.

Rosana e Magno percorreram mais de 80 quilômetros para fazer seu ensaio pré-casamento em Carajás: “viemos de Canaã [dos Carajás] por sugestão do nosso fotógrafo e gostamos do resultado. Já conhecia Carajás e agora esse cenário vai fazer parte também da nossa história de amor,” disse o noivo. “Amei o clima porque minha maquiagem ficou intacta. Agora estou ansiosa para conferir o resultado”, confessou a noiva.

Outro fotógrafo de Parauapebas que confirma a preferência dos clientes por subir a Serra dos Carajás é Kleiber de Souza e ele explica que tem um carinho pra lá de especial pelo destino. “Quando escolhem Carajás, eu fico feliz demais pois relembro os vinte e dois anos que morei lá. Os clientes sempre pedem pela beleza natural, o clima e a segurança”, revelou o profissional da Mídia Livre, que tem se destacado nos eventos de Parauapebas.

Então, se está pensando em eternizar seu momento e não ainda definiu o local, a Serra dos Carajás é uma opção de fácil acesso. A autorização é conseguida através do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) na portaria de Carajás e todos os profissionais de fotografia e filmagem já conhecem os procedimentos necessários.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Cotidiano

Novela: cantora Lia Sophia grava com núcleo paraense últimos capítulos de “A força do querer”

A cantora prepara lançamento de novo álbum

A cantora Lia Sophia, que se prepara para lançar novo álbum, gravou na última quinta-feira (12) uma participação especial em dois capítulos que vão ao ar nesta última semana de A força do querer. Ela vai cantar duas músicas na festa que Zeca, vivido por Marco Pigossi, vai ganhar a partir desta segunda-feira (16).

Lia vai animar o núcleo do Pará com as canções “Ai menina” e “Incendeia”, do novo trabalho. O disco é produzido por Pedro Luís e conta com canjas de Ney Matogrosso e Paulinho Moska.

“Eu já tinha vontade de fazer algum trabalho com o Pedro Luís. Ele trouxe referências do pop para conversar com o carimbó, com o merengue e com o zouk. Ele organizou mil ideias loucas que joguei em cima dele”, conta a bela cantora. Lia nasceu na Guiana Francesa e começou sua carreira em Belém.

Como descende de uma família de músicos, desde pequena está envolta neste universo, cantando em corais e igrejas. Lia viveu no Amapá até os 17 anos, mudando-se para Belém, no Pará, para cursar Psicologia. Foi a partir de então que começou a cantar nas casas noturnas da capital paraense, interpretando nomes das música regional e nacional.

Cantora, compositora e instrumentista, Lia Sophia mistura ritmos da Amazônia, como o Carimbó e a Guitarrada, com batidas internacionais como o zouk, para criar uma música tropical e dançante. Com quatro discos lançados, Livre (2005), Castelo de Luz (2009), Amor Amor (2010) e Lia Sophia (2014), um EP – Salto Mortal (2011) e um Single – Sempre Te Esperei (2015), a artista emplacou várias músicas em trilhas de TV, com destaque para Ai Menina, trilha sonora da novela Amor Eterno Amor da Rede Globo, música que tornou-se sucesso em todo o Brasil. Além de Lero Lero, Quando eu Te Conheci, Amor de Promoção e Um Beijo que também embalaram a trilha sonora da série global A Grande Família.

Eleita por Nelson Motta como a grande revelação de 2012, já esteve em diversos programas de televisão como o Som Brasil’, Programa do Jô, Encontro com Fátima Bernardes, Criança Esperança, Sábado Total, Superpop, Bem Estar, Vídeo Show, Legendários e outros.

Em 2014, Lia assumiu publicamente seu casamento de oito anos com sua produtora Taísa Fernandes, a quem dedicou a canção Cheio de Flor.

Tecnologia

Grupo de WhatsApp “Umbora” propõe mais atividades presenciais e menos interação virtual

Três amigos criaram o “Umbora”, grupo de WhatsApp que ironicamente promove a diminuição do uso do aplicativo.

O WhatsApp é o aplicativo de interação social mais famoso dos últimos tempos, considerado como umas das mais poderosas ferramentas de mídia social. A maior parte dos seus usuários utiliza grupos criados no aplicativo com assuntos específicos para se comunicar, trocar informações, comprar, entreter-se, trabalhar, e assim, cumprir com o objetivo principal de um grupo, que é a interação, e isto faz com que as pessoas fiquem ligadas, uma boa parte do seu tempo, no WhatsApp.

Indo na contramão deste objetivo e com uma proposta de fazer com que as pessoas se desconectem um pouco do mundo virtual e vivenciem mais a interação presencial, três amigos criaram o “Umbora”, grupo de WhatsApp que ironicamente promove a diminuição do uso do aplicativo.

“Estávamos voltando de um passeio em uma cachoeira, na Vila Sanção. A experiência foi tão boa. Daí, durante as nossas conversas sobre como deveríamos fazer isso mais vezes, o Carlos teve a ideia de criar o grupo”, disse Wesley de Almeida Guedes, um dos idealizadores do grupo.

“Percebemos que quando a gente sai, todo mundo fica ligado no WhatsApp. A ideia foi criar um grupo que pudesse estimular as pessoas a se desconectar um pouco mais desse mundo virtual, a se movimentar, e assim, promover mais interação presencial”, disse Carlos Alessander, criador do grupo. Atualmente são 45 integrantes do Umbora, e o detalhe interessante é que todos são administradores.

Praticamente todo grupo tem regras de participação. No Umbora, os integrantes não devem: cumprimentar, apresentar-se, postar correntes ou informações comerciais. Somente enviar convites para eventos, passeios, viagens ou mesmo para uma caminhada ou para ajudar em uma mudança de casa.

O convite para eventos ou qualquer tipo de atividade deve ser feito a partir da criação de um subgrupo, desta forma já foram criados o Umbora para o cinema, Umbora para a cachoeira, Umbora na roça, Umbora para Belém, Umbora fazer uma mudança, Umbora caminhar, entre outros subgrupos desde a criação do grupo principal, em 28 de agosto de 2015. Não importa o tipo de atividade, o objetivo é tirar os integrantes do WhatsApp por um período e proporcionar mais contato presencial.

No início de janeiro deste ano teve o Umbora Docenorte, clube de esporte e lazer localizado em Carajás e, recentemente, foi criado o Umbora Rio de Janeiro, uma viagem que promete muitas aventuras e um belo passeio pela cidade maravilhosa à um custo impressionantemente baixo.

“Eu encontrei passagens à R$ 250,00, ida e volta, de Carajás para o Rio de Janeiro. Logo que postei essa informação no grupo o pessoal se interessou e agente começou a organizar a viagem. Conseguimos também um hotel, em Copacabana, por R$ 225,00 para cada pessoa, sete dias de hospedagem”, comemorou Wesley Guedes. Onze pessoas estão programadas para o Umbora Rio de Janeiro, que será entre os dias 8 e 15 de março.

“Conheci a ideia do grupo através de uma boa e velha carona do Carlos. Me interessei principalmente porque estava há apenas dois meses na cidade e queria me enturmar. Participei de várias atividades. Muita gente entrou e depois saiu por não compreender a metodologia. Hoje posso dizer que o Umbora é o melhor grupo do meu aplicativo, não é chato. Sei que quando começa a chegar mensagens é por que vai rolar algo, daí eu opto por participar ou não, sem estresse, sem cobranças. Com o grupo conheci mais pessoas, lugares e comidas diferentes”, disse a enfermeira Lígia Miranda.

O jovem servidor público Abimael Oliveira Sousa mora sozinho em Parauapebas e também esteve envolvido na criação do grupo. Ele conta que a partir de sua participação conseguiu estabelecer novas amizades na cidade, “achei uma ideia inovadora, pois tira as pessoas do ‘zap’ e faz a gente ter experiências legais”, acrescentou.

“Fico sem palavras ao refletir sobre todas as histórias do grupo e ver que o objetivo foi cumprido: de sair do isolamento da vida moderna e usar a tecnologia para juntar as pessoas, fazendo com que todos se percebam numa grande família”, relatou Carlos Alessander.

Marabá

Exoneração de peritos trava resultados no IML de Marabá

Concurso Público para suprir no CPC "Renato Chaves" não é feito há 10 anos.

Ulisses Pompeu – de Marabá

Com a exoneração de peritos do IML (Instituto Médico Legal) de Marabá nos últimos dias, órgão sofre para obter resultados de perícias, que demoram cerca de 15 dias para o material ir a Belém e retornar.

Augusto Andrade, gerente regional da unidade do CPC “Renato Chaves” em Marabá, confirmou que apenas o CPC tem hoje 18 peritos e atualmente apenas seis médicos legistas, tendo perdido três que possuíam convênio com o órgão. O ideal para que o serviço pudesse ser prestado com qualidade, diz, seriam 15 profissionais. “Está havendo política de contingenciamento do estado para corte de gastos e fomos informados que deveríamos desligar três médicos credenciados”, diz.

Além disso, afirma, neste ano foi desligado um auxiliar de necropsia e no final do ano passado dois motoristas também tiveram o contrato encerrado. “Em menos de um ano perdemos oito funcionários”. Do Instituto de Criminalística não houve exonerações, uma vez que todos os peritos são concursados.

Ele destaca que desde 2007 – dez anos atrás – não é realizado concurso público para suprir vagas do CPC Renato Chaves. “Havia previsão de ser realizado no final do ano passado, mas por uma decisão do estado foi adiado. Em 2007 tínhamos, por exemplo, seis motoristas concursados e quatro contratados. Era um quadro de 10 funcionários, hoje temos cinco. Eram 17 cargos administrativos, hoje temos cinco e não há previsão de entrar mais gente”, exemplificou.

Questionado sobre quais os problemas que acarretam em função dessa defasagem de servidores, Augusto destaca que o encaminhamento de material que é analisado em Belém, por exemplo, antigamente era feito semanalmente e hoje acontece a cada duas semanas. Dentre os exames feitos na capital estão dosagem alcoólica e histopatológico, colhidos nas necropsias. Exames de DNA e documentoscopia também são realizados apenas em Belém. Além disso, acrescenta, a redução no quadro de médicos poderá complicar em breve a escala de atendimento, que atualmente ocorre 24 horas por dia, além de causar demoras na liberação de corpos.

O deputado estadual João Chamon disse que pretende encampar a luta para fortalecer o IML de Marabá na Assembleia Legislativa do Estado. “Nós já temos uma demanda extremamente grande para o pouco número de funcionários. Me comprometo junto aos peritos e pessoas que trabalham na área – e já venho atuando neste setor há bastante tempo – para agora, em 1º de fevereiro, quando retornarmos às sessões – fazermos um contundente pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa”.

Em seguida, acrescenta, pretende se reunir novamente com os peritos e dirigentes da categoria a fim de, juntos, criarem uma força tarefa para falar com o Governador do Estado. “Para que ele possa entender que essa é uma área extremamente prioritária e precisa haver uma mudança de atitude urgente. Isso não é apenas na nossa região, sendo deputado pelo estado, recebemos reclamações em todas as regiões. Todo este estado precisa mudar de atitude e entender que este é um setor extremamente importante para a vida das pessoas e para os setores afins”, declarou.

Para o parlamentar, o Governo do Estado precisa entender que o trabalho de um perito é fundamental para a família, para a conclusão de inquéritos e processos criminais. “Na Assembleia Legislativa, nestes dois anos, nós temos nos reunido bastante, eu e colegas deputados, temos conversado com o sindicato da categoria e temos nos reunido com os peritos que reclamam de salários atrasados, incompatíveis com a função, e falta de isonomia na categoria”, comentou.

Artigo

Wellington Valente: Mudanças e Escolhas

Artigo de Wellington Valente, causídico de Parauapebas, sobre as mudanças e escolhas que fazemos em nossas vidas.

Inicia-se um novo ano e também um tempo de definição de novos objetivos e projeções pessoais, onde nos deparamos com a oportunidade de estabelecermos novas perspectivas em nossas vidas, sabendo de antemão que para que possamos atingir os resultados pretendidos, precisamos inovar e quase sempre ousar. Ousar até mesmo em nos desafiar a sair da mesmice e da malsinada acomodação. Observe que tal comportamento pode ser empregado em qualquer área de nossa vida, seja na pessoal, profissional e até mesmo em nossas relações interpessoais. A chave é saber usar nossa capacidade de nos libertamos de nossos velhos hábitos e adotarmos novos comportamentos voltados para a realização de nossos sonhos.

Para que estas mudanças aconteçam, a meu ver precisamos estar cada vez mais motivados e comprometidos com nossa infinita capacidade de transformação e ela, a transformação, deve ser de dentro pra fora, ou seja, de nosso íntimo para o exterior.

Entretanto, não basta apenas querer mudar. É preciso ter de forma clara o entendimento acerca do que precisa ser mudado, para que não gastemos energia com aquilo que não nos fará melhor, sendo que neste sentido precisamos exercitar nossa capacidade de realizar o autoexame para que possamos ter condições de identificar e reconhecer onde temos falhado e quais das nossas práticas precisamos abandonar, além de efetivamente identificarmos quais de nossas habilidades podem ser ainda mais desenvolvidas.

Porém, não basta examinar, identificar e reconhecer os pontos em que precisamos nos aprimorar. É preciso que saiamos do exame para a prática, pois mudanças não acontecem por meio de discursos vazios. Seja o verbo e não o substantivo da sua vida.

Mas não saia por ai contando para todo mundo seus planos e seus novos objetivos, pois nem sempre aqueles que nos rodeiam conseguem compreender o que efetivamente queremos e às vezes de forma não intencional e até mesmo por inveja, podem se manifestar de forma a tentar nos tirar do novo rumo que escolhemos para nossa vida.

Atitude e a palavra chave, pois a ação é que gera a transformação. Objetivo se atitude para fazer com que o mesmo efetivamente aconteça é mera intenção. A nova forma de agir e se comportar é o elemento que possibilita alcançar as metas estabelecidas, pois não podemos nos acomodar, principalmente quando sabemos que somente podemos nos acomodar com ou mesmo em situações que não conseguimos transformar.

Ao mesmo tempo se prepare para fortalecer sua capacidade de resistir e vencer o grande desafio que é mudar atitudes e comportamentos mesmo quando está inserido em um ambiente em que as mudanças não irão acontecer de forma geral, principalmente pelo simples fato de que provavelmente continuará interagindo com familiares, amigos e colegas de trabalho, que na maior parte do tempo não estão na mesma sintonia da mudança em que você se encontra.

Ao manter-se firme no seu propósito de mudar e agir de forma consciente e eficaz no sentido de se livrar de velhos hábitos e comportamentos, abrindo espaço em sua vida para novas práticas, você estará construindo um tempo melhor em sua vida e ao mesmo tempo passando da condição de passageiro para a de condutor das transformações necessárias e que permitirão um tempo melhor para se viver e ser feliz.

A escolha certa reside em saber o que queremos para nossa vida. Ser feliz é a pedida principal deste ano que se inicia. Sejamos, pois, felizes e vivamos um dia de cada vez.

Opinião

O dia seguinte…

Qual o sentimento do prefeito Valmir Mariano e de seus assessores em 1º de janeiro de 2017, logo após deixarem os poder?

“Acabou nosso carnaval
Ninguém ouve cantar canções
Ninguém passa mais
Brincando feliz
E nos corações
Saudades e cinzas
Foi o que restou”.

O texto acima foi extraído da música “A marcha da Quarta-feira de Cinzas”, dos inesquecíveis Vinicius de Moraes e Carlinhos Lyra. Acabei de ouví-la, o que me remeteu ao dia 1º de janeiro de 2017. Nesse dia tomará posse como prefeito de Parauapebas o peemedebista Darci Lermen, pondo fim ao governo de Valmir Queiroz Mariano.

Dia 1º de janeiro de 2017 será um domingo. Todavia, para o grupo de Valmir Mariano será uma quarta-feira, de cinzas.

O seleto e fechado grupo de Valmir Mariano certamente sentirá o término do poder. Deve ser difícil estar acima de tudo e de repente voltar a ser um simples mortal. Andar pelas ruas da cidade que governou por qutro anos. Verificar que nem tudo que precisava ser feito o foi. E, acredito que a pior parte, ver que tanta coisa errada, ruim, incabível no atual momento, poderia não mais existir, mas existe simplesmente porque não se teve a atenção devida, ou o carinho necessário para resolver.

Mas não é disso que quero tratar nesse post. Quero que os leitores tentem se colocar na posição do prefeito Valmir Mariano como ex-prefeito, tentem pensar em como será seu cotidiano doravante.

O prefeito de Parauapebas, não só Valmir, mas todos eles, sempre tiveram um grupo de pessoas que cuidaram da logística do gabinete e da vida pessoal dos gestores. Eles sempre viveram enclausurados no gabinete ou em suas residências em reuniões intermináveis; ou em poltronas de aviões em viagens necessárias para uma boa gestão. Tiveram suas vidas privadas meio que interrompidas por quatro longos anos e a volta ao cotidiano pode e deve ser difícil. Normalmente os que deixam o cargo viajam por um período para novamente tentar se adaptar a rotina do dia a dia normal de um cidadão comum.

O mesmo acontece com os asseclas do primeiro escalão. Alguns deles se consideram hoje verdadeiros deuses. Não atendem ligações, não respondem mensagens via WhatsApp, não dão sequer um bom dia à ninguém. São, em sua maioria, emergentes temporários cuja a função subiu à cabeça e, devido ao pouco preparo para a vida, não sabem reconhecer que tudo, tudo nessa vida é passageiro, nada é infinito.

Deve ser difícil acordar no dia seguinte e não ter nenhum puxa-saco a tiracolo. Deve ser legal, também, saber que doravante a responsabilidade por tudo que acontece na cidade não é mais sua.

Eu sou daqueles que anda pela cidade observando tudo. Volta e meia me coloco na posição de gestor e me pego pensando em como resolveria esse ou aquele problema fosse eu o responsável por isso. Desde um simples bueiro entupido por centenas de dejetos que a população insiste em jogar na rua, até a falta de empregos, hoje tão comum nos municípios brasileiros.

Para quem teve a oportunidade de resolver deverá ser difícil, no futuro, olhar um problema e ver que ele não foi resolvido. Lembrar os motivos que levaram à não solução… Certamente quem já esteve lá tem um modo diferente de olhar a cidade e uma resposta convincente por não ter resolvido esse ou aquele caso pontual.

Boa sorte a quem está saindo. Que no futuro colham todos os frutos que plantaram, sejam eles bons ou ruins.

Darci Lermen assume no domingo. Ele já passou por isso. Deixou a cidade depois de oito anos na prefeitura e já sabe o que é estar no poder e fora dele. Acredito que isso é bom para Parauapebas. Pequenas situações que foram negligenciadas por ele no passado certamente terão mais atenção do novo gestor no futuro. Falei com Darci logo após a posse de Valmir, em 2013. Ele me disse que saia, à época, com o sentimento do dever cumprido. Quiçá, em janeiro de 2021, a população de Parauapebas tenha o sentimento de que Darci foi o melhor prefeito que essa cidade já viu, porque, na verdade, o que importa é o sentimento do povo. Este sim, deve estar com o sentimento, voltando ao poeta, de que:

“A tristeza que a gente tem
Qualquer dia vai se acabar
Todos vão sorrir
Voltou a esperança
É o povo que dança
Contente da vida
Feliz a cantar”.

error: Conteúdo protegido contra cópia!