Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Polícia

Traficantes presos e corpo encontrado em Parauapebas

A Polícia Civil desencadeou nesta quinta-feira a Operação Impacto III, com o apoio da Polícia Militar do Canil da Guarda Municipal de Marabá
Continua depois da publicidade

Desencadeada pela Polícia Civil, nesta quinta-feira (5), em Parauapebas, a Operação Impacto III teve por objetivo combater o tráfico de entorpecentes no município. Como resultado, foi realizada a apreensão de um volume considerável de drogas, entre crack, cocaína e maconha; aproximadamente R$ 2,5 mil; arma branca; joias; celulares e uma motocicleta. A ação teve o apoio da Polícia Militar, do Grupamento Aéreo de Segurança Pública e do Canil da Guarda Municipal de Marabá.

A caça ao tráfico teve à frente a delegada Simone Felinto, superintendente regional de Polícia Civil do Sudeste do Pará; o subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, major Emmett Alexandre Moulton e a diretora da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, Yanna Azevedo.

Durante a operação foi preso em flagrante o casal Elisângela Rodrigues Correa e Alair Freitas Barbosa, além de duas adolescentes – uma de 15 e outra de 17 anos – que estavam em sua companhia. Na casa do casal foram apreendidas drogas, dinheiro, telefones celulares, documentos e uma motocicleta roubada.

Ambos irão responder por tráfico, associação ao tráfico e corrupção de menores. Elisângela disse na delegacia que o casal resolveu traficar para custear o tratamento, medicamentos e exames do marido, que é cadeirante.

Desova

Também nesta quinta-feira, por volta de 1h da manhã, a Polícia Civil foi avisada, por meio do Centro de Controle Operacional (CCO), da existência de um cadáver no Bairro Novo Vitória, sentido Palmares Sul. No local, havia um corpo envolto em uma cortina e no forro de sofá.

Segundo os policiais que fizeram os primeiros levantamentos, há indícios de que ele foi assassinado em outro lugar e desovado ali. O cadáver é do sexo masculino; ele teve o pescoço cortado e dois dedos de uma das mãos decepados; tem uma estrela tatuada num dos pulsos e notas musicais nos bíceps; vestia uma camisa azul, bermuda com desenhos coloridos e cueca preta com cós vermelho. Quem souber de quem se trata deve ligar para o disque-denúncia da Polícia Civil, no número 181.

homem encontrado enrolado no lençol

 

Marabá

Conhecido DJ executado em Marabá na madrugada desta terça-feira

DJ Felipe ainda tentou fugir de seus algozes, mas foi alcançado e teria sido atingido por mais de 10 tiros
Continua depois da publicidade

Os profissionais da noite marabaense amanheceram hoje, terça-feira (5), enlutados e assustados com a morte do DJ Carlos Felipe Ferreira da Silva, ou “DJ Felipe”, como era mais conhecido. Ele foi executado por volta das 2 horas da madrugada, nas proximidades da Folha 10, Núcleo Nova Marabá, após ter sido perseguido por dois homens em uma moto. Felipe, que ainda tentou fugir dos pistoleiros, teria levado mais de 10 tiros, segundo as primeiras informações.

DJ Felipe, além de animador de festas e outros eventos, era empresário da noite e se dirigia a um dos dois empreendimentos do qual era sócio arrendatário, o Clube Dubai, antigo Cupu Night. Ele também era ex-tenente temporário do Exército e gozava de muito carinho a prestígio entre os colegas de profissão e demais artistas da noite marabaense.

O radialista Leverson Oliveira está abalado com a morte de Felipe, com quem trabalhava por 10 anos, e que o acompanhava ultimamente na Rádio Carajás FM. “Ainda ontem à tarde estivemos junto no programa”, conta Leverson. Ele afirma que nunca soube do envolvimento do DJ em algum negócio desonesto nem de algum envolvimento extraconjugal.

“Ele era um cara muito trabalhador, casado, bastante animado e sempre estava com o astral para cima. Trabalhávamos juntos havia 10 anos e eu nunca soube que ele tivesse inimigos ou alguma desavença”, testemunha o radialista.

As primeiras informações desta manhã dão conta de que a Polícia Civil já teria uma linha de investigação. Ao longo do dia o Blog publicará novas informações sobre o caso.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá
Parauapebas

Tatuador executado com seis tiros e menor baleado no Liberdade I

O crime aconteceu pouco antes da meia noite de ontem e foi executado por um indivíduo que chegou em uma moto Fan, preta
Continua depois da publicidade

O crime aconteceu pouco antes da meia noite de ontem e foi executado por um indivíduo que chegou em uma moto Fan, preta O tatuador Wemerson Rodrigues de Albuquerque, 20 anos, foi executado com seis tiros de pistola por volta das 23h40 de ontem, sexta-feira (13), na casa em que morava, na Rua Tocantins, Bairro Liberdade I. Na mesma ocasião o adolescente Fabrício do Carmo Portilho Franco, de 17 anos, também foi ferido a bala, mas sobreviveu e foi removido ao Hospital Municipal, onde passou por cirurgia.

O motivo dos dois crimes ainda é desconhecido para a Polícia Civil. Até o início da tarde deste sábado (14), nenhum parente de Wemerson ou de Fabrício, havia se dirigido à 23ª Seccional Urbana para registrar Boletim de Ocorrência.

Segundo a investigadora Fátima Marques, que esteve no local do crime, o atirador chegou em uma moto Fan, preta, em companhia de uma mulher, deixou a acompanhante na rua e entrou na casa, pertencente a uma senhora conhecida como Neta, dona do imóvel, que aluga os quartos. Foi direto para o quarto de Wemerson e disparou contra o rapaz, que não tinha a perna esquerda, matando-o. Em seguida, ainda de arma em punho, entrou em outro cômodo onde estava o adolescente, atirando contra ele também. Em seguida, saiu e tomou rumo ignorado.

Fátima Marques afirma que no local foram encontradas nove capsulas e, ainda segundo ela, Wemerson já havia morado em Parauapebas, porém, após se meter em confusão, mudou-se para Canaã dos Carajás, de onde havia retornado recentemente.

Reportagem: Ronaldo Modesto

polícia

Marabá: Testemunha confirma participação de mais um guarda municipal em crimes de tortura e homicídio

Delegada de Homicídios concedeu entrevista detalhando investigação que levou ao nome do GM Caldas
Continua depois da publicidade

A delegada Raissa Maria Soares Beleboni, titular do Departamento de Homicídios, da 23ª Seccional Urbana de Polícia Civil, em Marabá, concedeu entrevista na manhã desta sexta-feira (2), acerca do cumprimento de Mandado de Prisão Temporária contra os guardas municipais Alexsandro Caldas Pó e Rômulo Passos Soares. Ambos são acusados de terem matado, em 13 de outubro de 2017, Naiara Vieira Ribeiro, após terem-na torturado quatro dias antes. O prazo da prisão é de 30 dias, podendo ser prorrogado, caso as investigações devam se estender por maior período.

Caldas foi preso por volta do meio-dia de ontem, quinta-feira (1º), e Rômulo, que se encontra preso em Belém, terá sua remoção requerida para Marabá, onde, na semana que vem, deve participar de audiência sobre o caso, quando será notificado sobre o novo Mandado de Prisão.

Raissa Beleboni disse que o mandado foi expedido pela 3ª Vara Criminal, como resultado da investigação sobre o homicídio que vitimou Naiara Ribeiro, porque os trabalhos vêm avançando desde o dia do crime e agora, em fevereiro último, uma testemunha que presenciou o assassinato foi localizada e confirmou a participação dos dois servidores municipais.

“Conseguimos localizar e identificar uma testemunha presencial e apurar, com a certeza necessária, que os autores seriam os dois guardas municipais”, disse a delegada de Homicídios, ressaltando, entretanto, que durante os próximos 30 dias as diligências prosseguem a fim de configurar “a prática do crime, a motivação, a dinâmica do fato e demais elementos necessários para a conclusão das investigações”.

Ela também informou que, uma terceira investigação está em curso, envolvendo o assassinato de Alex Amaral Azevedo, em 7 de janeiro passado. Ele também foi torturado nas mesmas circunstâncias de Naiara. A delegada Raissa Beleboni quer saber se os dois homicídios têm ligação, o que complicaria mais ainda a situação de Caldas e Rômulo.

Relembre o caso

Em outubro de 2017, Rômulo foi preso acusado de tortura, extorsão e estupro contra três pessoas – dois homens uma mulher – apanhadas em um bar na Folha 34, Nova Marabá, e levadas na mala de um automóvel VW Voyage para lugar ermo no Bairro Cidade Jardim, distante, portanto, do perímetro urbano. Ali elas foram agredidas fisicamente, forçadas a manterem relações sexuais entre si, na presença dos torturadores e, depois de horas, abandonadas nuas em um matagal. As agressões ocorreram no dia 9 de outubro e no dia 13 Naiara foi executada a tiros na Folha 34.

A mãe de uma das vítimas procurou a polícia para denunciar a barbaridade e um dos torturadores identificado pelas três pessoas torturadas foi o GM Rômulo, contra o qual já havia denúncia de que, em 2014, junto com outros cinco colegas, cometeu o crime de tortura, pelo qual foi condenado e cumpre pena em presídio da capital. Agora, com o desenrolar das investigações, a Polícia Civil chegou também ao GM Caldas.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá   
Marabá

Operação Verão na Paz reduz em 32% as ocorrências criminais no Pará

Continua depois da publicidade

Na primeira semana da Operação Verão na Paz 2014, o Pará registrou redução de 32,28% nas ocorrências criminais. Foram 8.395 registros na primeira semana de julho de 2013, contra 5.769 na primeira semana do mês neste ano. Nos municípios paraenses onde ocorre o reforço do efetivo policial do Sistema Estadual de Segurança Pública Defesa Social, a redução das ocorrências criminais ficou em 30,94% (6.023 ocorrências em 2013 contra 4.159 em 2014).

Resize

Houve queda dos principais crimes em todas as regiões integradas de Segurança Pública. Nos municípios que recebem o reforço policial da Operação Verão, houve redução de 55% nos registros de estupro (40 em 2013 e 18 em 2014); 47,5% nos casos de furto (1.668 em 2013 e 874 em 2014); 29,14% nos de roubo (1.568 em 2013 e 1.111 em 2014); e de 20,54% nos casos de lesão corporal (331 em 2013 e 181 em 2014). Também houve redução de 67,4% nos registros de lesão no trânsito (181 em 2013 e 59 em 2014) e de 58,33% nas mortes no trânsito (12 em 2013 e 5 em 2014). O homicídio sofreu variação de 31, em 2013, para 33, em 2014. Entre os municípios abrangidos pela Operação Verão, destacam-se:

Altamira – Apresentou redução de 42,69% nas principais ocorrências (178 em 2013 e 102 em 2014). Em 2013, no período, foram registrados 3 homicídios. Este ano foi registrado 1. O furto reduziu 63,33% (60 em 2013 e 22 em 2014). O roubo apresentou uma variação de 21 para 22 registros.

Bragança – O município apresentou queda de 23,89% nas principais ocorrências (113 em 2013 e 86 em 2014), sendo que o furto caiu 57,14% (28 em 2013 e 12 em 2014) e o roubo, 33,33% (18 em 2013 e 12 em 2014). Não houve nenhum registro de homicídio.

Belém – A capital registrou uma queda de 26,58% (3.227 em 2013 e 2.369 em 2014) nas principais ocorrências criminais. O furto reduziu 44,65% (795 em 2013 e 440 em 2014); o estupro 56,25% (16 em 2013 e 7 em 2014); o roubo caiu em 27,62% (1.122 em 2013 e 812 em 2014). O homicídio sofreu variação de 11 casos para 12.

Cametá – Apresentou diminuição de 52,8% nas principais ocorrências (89 em 2013 e 42 em 2014). O furto caiu 42,1% (38 em 2013 e 22 em 2014) e o roubo, 85,71% (sete em 2013 e um em 2014). Não houve registro de homicídio e nem de estupro.

Marabá – Apresentou redução de 40,71% nas principais ocorrências, sendo que o homicídio caiu 66,66% (seis em 2013 e dois e 2014);o furto, 51,11% (90 em 2013 e 44 em 2014) e o roubo, 53,42% (73 em 2013 e 34 em 2014).

Mosqueiro – Houve redução de 95,68% (116 em 2013 e 59 em 2014) nas principais ocorrências. Além de nenhum registro de homicídio, o furto reduziu em 50% (28 em 2013 e 14 em 2014) e o roubo em 58,82% (17 em 2013 e 7 em 2014).

Parauapebas – A cidade registrou queda de 35,07% nas principais ocorrências (191 em 2013 e 124 em 2014), sendo que o furto reduziu 41,09% (73 em 2013 e 43 em 2014) e o roubo 38,23% (34 em 2013 e 21 em 2014).

Salinópolis – Apresentou redução de 11,11% nos principais crimes (72 em 2013 e quatro e 2014). Além de não ter registrado nenhum homicídio, estupro e morte no trânsito, houve redução de 59,09% nos casos de furto (22 em 2013 e nove e 2014) e de 33,33% no roubo (nove em 2013 e seis em 2014).

Santarém – Houve redução de 38,29% nas principais ocorrências criminais (282 em 2013 e 174 em 2014). Nenhum homicídio foi registrado, assim como também ocorreu redução de 61,29% no crime de furto (93 em 2013 e 36 em 2014).

Tucuruí – A cidade teve redução de 25,97% nas principais ocorrências (77 em 2013 e 57 em 2014), sendo que o furto reduziu 41,17% (17 em 2013 e dez em 2014) e o roubo 66,66% (nove em 2013 e seis em 2014). Não houve registro de estupro.

Operação integrada reforça a segurança

O esquema de segurança da Operação Verão envolve ações integradas, preventivas, ostensivas, de resgate, salvamento e fiscalização, nos municípios da Região Metropolitana de Belém e interior do Estado, com destaque para as cidades paraenses que registram um grande fluxo de visitantes durante o mês de julho.

Radialista é preso por estelionato virtual e receptação em Altamira

Continua depois da publicidade

Quadrilha é especializada em forjar e-mails de um portal de compras online. Golpe pode ter rendido cerca de R$ 1 milhão ao autor do crime.

Do G1 PA

Um radialista foi preso em flagrante nesta segunda-feira (10) na cidade de Altamira, no sudoeste do Pará, pelos crimes de estelionato e receptação, na operação “Merry Christmas” da Superintendência Regional do Xingu. Ele é apontado como integrante de uma quadrilha interestadual especializada em forjar e-mails de um conhecido portal de compras online e fraudar a ferramenta de pagamento seguro utilizado pelo site. As investigações irão prosseguir para identificar outros envolvidos no crime.

O golpe pode ter rendido cerca de R$ 1 milhão ao autor do crime, que é apontado como membro da quadrilha, que tem base no Rio de Janeiro. Durante as investigações, realizadas pela Delegacia de Repressão a Crimes Tecnológicos (DRCT), foi descoberto que os envolvidos compravam produtos de vendedores no site e forjavam e-mails fazendo com que o vendedor acreditasse que a negociação havia sido concluída com êxito e que a forma de pagamento estivesse correta.

“Então os produtos eram enviados para o endereço dele, mas o pagamento não era realizado”, explicou o delegado Rodrigo Leão, responsável pela investigação e execução da operação. Após as investigações, a equipe policial passou a monitorar as ações do suspeito, bem como a entrega dos produtos, os quais já se sabiam ser adquiridos por meio da fraude.

A prisão ocorreu quando o suspeito retirava da sede dos Correios de Altamira um Iphone 5 e um notebook, avaliados em mais de R$ 3 mil cada. Os policiais fizeram uma busca na casa do radialista, onde foram encontrados documentos que comprovaram o envolvimento dele com outros integrantes de uma quadrilha que atua em outros estados.

Segundo o delegado, as vítimas são os vendedores que enviaram as mercadorias e não receberam o valor do pagamento dos produtos negociados no site. “O prejuízo é estimado em aproximadamente R$ 800 mil”, explica Leão. Segundo o policial civil, o volume de pedidos aumentaria por conta da época natalina que injeta mais dinheiro no comércio de compras eletrônicas.

Notícias

Pará reduz exploração de madeira ilegal

Continua depois da publicidade

O Imazon lançou neste início de agosto o Boletim Transparência Manejo Florestal do Pará, que avaliou a situação da exploração madeireira no estado de agosto de 2009 a julho de 2010. O estudo mostra uma redução no corte de madeira não autorizado pelo órgão responsável. Mesmo com a diminuição, esse número continua bastante alto.

De acordo com o boletim, mais de 120 mil hectares de floresta foram explorados no período. Deste total, 65% não foi autorizado pela Sema (Secretaria de Meio Ambiente do Estado), contra 35% autorizados. Comparando com o período anterior (de agosto de 2008 a julho de 2009), observou-se uma redução de 16% na exploração não autorizada e um aumento de 33% na exploração autorizada.

Da exploração ilegal, a grande maioria (84%) ocorreu em áreas privadas, devolutas ou sob disputa; outros 13% em assentamentos de reforma agrária, e apenas 3% em Áreas Protegidas. Os cincos municípios com as maiores áreas exploradas sem autorização foram: Rondon do Pará (na região da BR-222), Paragominas (BR-010), Goianésia do Pará (PA-150), Dom Eliseu (BR-010) e Uruará (BR-230).

Segundo André Monteiro, pesquisador do Imazon, a redução da ilegalidade em Áreas Protegidas se deve muito ao efeito da fiscalização. “O que ocorre muito nessas áreas são roubos de madeira. Quando o Ibama obtém essas informações, acabam agindo para aumentar suas atividades. Quando eles estão presentes há a redução, quando saem do local a tendência é que a ilegalidade volte.”

Também foi verificado no período um aumento expressivo de exploração sem autorização na maioria dos assentamentos de reforma agrária do estado, abrangendo uma área de 10.436 hectares de floresta. O Projeto de Assentamento Corta Corda, onde o Greenpeace denunciou corte não-autorizado no ultimo mês de abril, foi um dos mais críticos, detendo 11% da exploração.

“Acredito que devemos alcançar o desmatamento zero no futuro. Hoje, quase não há mais autorização para o corte raso, a grande parte é ilegal. Do corte seletivo ilegal, grande parte da área cortada deve ser desmatada nos dois, três anos seguintes. Quando é ilegal não há nenhuma preocupação em manter a floresta lá. Já do manejo autorizado, grande parte da floresta é preservada”, afirmou o pesquisador.

Fonte: Greenpeace