Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Redenção,

No último dia, eleitores lotaram pátio do Cartório para regularização do titulo

Nem mesmo o Sol quente intimidou os eleitores, que procuraram o TRE para regularizar, transferir e ou emitir titulo de eleitor.
Continua depois da publicidade

Hoje, 09, foi último dia do prazo dado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para os eleitores regularizarem o Titulo de eleitor. Em Redenção, no Sudeste do Estado, uma grande fila formou-se em frente ao Cartório Eleitoral, durante todo o dia.  Até o início desta noite ainda havia várias pessoas concentradas no prédio do Cartório Eleitoral e a previsão é de que todos serão atendidos, já que, de acordo com Marcio Queiroz, chefe de cartório eleitoral, todas as pessoas que compareceram ao cartório no dia de hoje e não conseguiram fazer o titulo, ou regularizar, automaticamente já tem um horário agendado para ser atendido nos próximos dez dias.

Em meio à fila encontramos Dona Maria Helena. Ela disse que só procurou o Cartório no último dia porque ela havia se esquecido do prazo. “Nem passou pela minha cabeça que hoje seria o último dia para regularizar o título. Cheguei às 6 horas e tinha bastante gente. Sabe como é brasileiro, né? Deixa tudo pra última hora”, disse a dona de casa.

Em meio a grande movimentação, vários vendedores ambulantes aproveitaram a ocasião para ganhar um trocadinho extra. Sr. Berne, vendedor de salgados, foi um deles, segundo ele, todos os dias pessoas teriam que se aglomerar em frente aos departamentos públicos. “Rapaz, com toda esta movimentação, quem sai ganhando somos nós vendedores, pois o povo tem que regularizar o título e nós ganhamos um  trocadinho extra”, informou Bene Soares.

Dentro e fora do Cartório Eleitoral havia uma grande aglomeração de pessoas de Redenção e Cumaru do Norte, que fazem parte da 059ª Zona Eleitoral do TRE-PA.

Este ano as eleições ocorrerão nos próximo dia 7 de outubro e eleitores de todo o País vão as urnas para escolher os novos deputados Estaduais, Federais, Senadores, Governadores e Presidente.

Polícia

Polícia prende, em SP, homicida de professora de Cumaru morta em Redenção em 2015

Maria Helena foi sequestrada quando fazia uma transação bancária em Redenção e foi levada para um cativeiro em Conceição do Araguaia.
Continua depois da publicidade

Em 10 de dezembro de 2015, a professora Maria Helena, funcionária do sistema de educação de Cumaru do Norte foi sequestrada e em sua conta foi retirada a quantia de R$50 mil. Posteriormente, o corpo da professora foi encontrado nas imediações do município de Redenção. O crime chocou o pequeno município de Cumaru, visto que, no dia 15 de dezembro, a Polícia Civil do Pará prendeu Cleudiane Moura dos Santos, Lourival Gomes dos Santos e Maurício Oliveira. A primeira era superior hierárquica da vítima, trabalhava junto com ela e tinha sua inteira confiança.

Maria Helena foi sequestrada quando fazia uma transação bancária em Redenção e foi levada para um cativeiro em Conceição do Araguaia. De acordo com informações da Polícia Civil, à época, logo após a confirmação do depósito bancário no valor de R$ 50 mil, que pagaria o resgate, os criminosos mataram a vitima a pauladas.

Os três suspeitos confessaram o crime e indicaram o autor do homicídio: David Nunes Inácio. Contra David foi expedido um mandado de prisão preventiva pela justiça de Redenção.

Passados quase três anos, a polícia civil de Redenção, por meio da Superintendência Regional do Araguaia Paraense e em parceria com a Polícia Militar do Estado de São Paulo acaba de cumprir o mandado de prisão preventiva contra David Nunes Inácio, em Santa Izabel, na grande São Paulo, onde estava residindo.

Segundo o delegado Antonio Miranda, David será recambiado para Redenção o mais rápido possível e ficará preso à disposição da justiça para responder pelo crime.

Pará

Ação emergencial vai restabelecer o tráfego em vicinais de 17 municípios do Sul e Sudeste do Pará

O investimento por município não poderá ultrapassar o teto de 400 mil reais, ressaltando que as obras serão realizadas não para reconstruir vias, mas para restabelecer a trafegabilidade
Continua depois da publicidade

Uma parceria entre a Secretaria de Estado de Transportes (Setran), o Centro Regional de Governo do Sudeste do Pará e a Defesa Civil vai possibilitar a intervenção em 17 municípios do Estado que tiveram caracterizadas situações de emergência, em função das fortes chuvas que têm atingido, especialmente, as regiões sul e sudeste do Pará.

Em reunião de diretoria ocorrida na manhã desta segunda-feira (2), no auditório da Setran, com a participação do secretário Regional de Governo, Jorge Bittencourt, e de representantes da Defesa Civil, o secretário de Estado de Transportes, Kleber Menezes,  informou a todos sobre a autorização do governador Simão Jatene para que ações imediatas sejam realizadas na região, no sentido de garantir a trafegabilidade nas vicinais.

Os trabalhos serão garantidos por meio de convênios com as prefeituras que não tenham restrições fiscais e previdenciárias. No caso daquelas que tenham, as ações serão via contratação direta com dispensa de licitação, após análise da Diretoria Técnica da Setran e aval da Consultoria Jurídica do órgão.

Serão beneficiados os municípios de Conceição do Araguaia, Redenção, Tucumã, Itupiranga, Pau D’Arco, São Félix do Xingu, Quatipuru, Santa Maria das Barreiras, Eldorado dos Carajás, Cumaru do Norte, Marabá, Água Azul do Norte, Rio Maria, Bannach, Xinguara, Oriximiná e Parauapebas.

“A necessidade de cada município é que nos dirá o valor do investimento, que não poderá ultrapassar o teto de 400 mil reais, ressaltando que as obras serão realizadas não para reconstruir vias, mas para restabelecer a trafegabilidade, devolvendo à população o direito de ir e vir”, explicou o secretário Kleber Menezes.

Por Karlla Catete

Grupo Móvel resgata 5 trabalhadores que atuavam na reforma de uma ponte em uma fazenda em Cumaru, no Pará

Continua depois da publicidade

Uma ação do Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM) realizada no norte do Pará resgatou cinco trabalhadores submetidos a condições análogas a de escravo. A ação, ainda em curso, começou no dia 20 de agosto numa fazenda em Cumaru, onde o grupo atuava na reforma de uma ponte de madeira sobre o Rio Cristalino.

Alojados em condições precárias, dormindo em barracas de lona, os trabalhadores resgatados não tinham acesso a instalações sanitárias, água potável nem a alimentação em condições apropriadas. Eles também não tinham garantidos direitos trabalhistas, como descanso, salário, registro em carteira e nem a transporte da frente de trabalho para se deslocarem até a cidade mais próxima, além de não utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Conforme relato do coordenador do Grupo Móvel,  auditor fiscal do Trabalho José Weyne Nunes Marcelino, a água servida aos trabalhadores era “visivelmente” imprópria para consumo humano, uma vez que a fonte de suprimento do líquido sofria a incidência de insetos e  dejetos de animais, sendo a mesma utilizada para saciar os animais da fazenda.

Segundo o coordenador, as condições do ambiente de trabalho “eram tão degradantes” que o local de preparo das refeições resumia-se a um barraco coberto com lona, construído com madeira extraída da vegetação nativa, sem paredes, portas e janelas, fato que permitia o livre acesso de animais peçonhentos, roedores e  insetos. “Os alimentos eram preparados sobre piso de chão batido e sem nivelamento, não existiam armários ou depósito para a guarda dos gêneros alimentícios – que eram dispostos diretamente sobre o piso”, relata.

Com a situação encontrada, os proprietários da fazenda foram autuados pela fiscalização do MTE e chamados a reconhecerem o vínculo empregatício dos trabalhadores. Diante da negativa, os auditores providenciaram a emissão das guias para o pagamento do Seguro-Desemprego aos resgatados e garantiram o retorno deles à Redenção, cidade de origem da maioria dos trabalhadores.

A fiscalização tem previsão de término no dia 30 de agosto, quando a fiscalização pretende autuar os proprietários, aplicar multas e providenciar o pagamento das rescisões trabalhistas devidas.

Fonte: ASCOM/MTE

Emater fecha parceria com nove prefeituras do sul do estado

Continua depois da publicidade

Por Kenny Teixeira – Emater

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) está firmando parcerias com nove prefeituras da região por meio do escritório regional de Conceição do Araguaia. O último convênio será fechado ainda esta semana, entre a diretoria executiva da Emater e a Prefeitura de Bannach. Os acordos, que buscam o fortalecimento institucional da Empresa por meio da gestão compartilhada, focam na execução de projetos destinados à implementação e desenvolvimento de políticas públicas voltadas ao meio rural, por meio de uma atuação conjunta com as secretarias de Agricultura, Meio Ambiente e de Assistência Social desses municípios.

Segundo a pedagoga Elizamar Pupio, supervisora adjunta do Regional de Conceição do Araguaia, a assistência técnica e extensão rural esse trabalho será feito junto aos agricultores familiares, assentados por programa de reforma agrária, extrativistas, ribeirinhos, indígenas, quilombolas, pescadores artesanais, e outros públicos dos programas mantidos pelo Governo do Estado e pelos municípios. “Até o momento as prefeituras de Conceição do Araguaia, Floresta do Araguaia, Xinguara, Sapucaia, Ourilândia do Norte, Santa Maria das Barreiras, Redenção e Cumaru do Norte já firmaram parceria, restando apenas selar o convênio com a Prefeitura de Bannach”, relatou a técnica da Emater.

Em Cumaru do Norte, por exemplo, as ações em parceria serão focadas no desenvolvimento da horticultura, o chamado Cinturão Verde, cuja produção será destinada à realização de uma feira para comercialização de produtos hortigranjeiros, o abastecimento do comércio local e à merenda escolar. Já no município de Conceição do Araguaia, além do Cinturão Verde, os técnicos vão atuar na revitalização de um viveiro para a recuperação de nascentes em Área Preservação Permanente (APPs).

Notícias

Câmaras Criminais Reunidas receberam ações penais contra os prefeitos de Redenção e Cumarú do Norte

Continua depois da publicidade

Prefeitos teriam incorrido em crime de responsabilidade ao não dar cumprimento à decisão judicial e não ter prestado contas da administração financeira do município.

À unanimidade, as Câmaras Criminais Reunidas receberam, na sessão desta segunda-feira, 29, ação penal movida pelo Ministério Público contra o prefeito do município de Redenção, Wagner Oliveira Fontes. A acusação é de descumprimento de ordem judicial, alegando o órgão ministerial que o prefeito não acatou decisão que determinava a reintegração ao cargo de uma servidora.

Em sua defesa, o prefeito afirmou ter acatado a decisão, porém, que reintegrou a servidora em outro cargo, mas que a mesma teria abandonado o trabalho e, por isso, foi exonerada. A relatora da ação penal, juíza convocada Nara Nadja Cobra Meda, recebeu a denúncia, uma vez que considera que a servidora deveria ser reintegrada no mesmo cargo. Ao negar o cumprimento da decisão judicial, o prefeito, conforme o MP, teria incorrido em infração ao artigo 1º, inciso XIV, do Decreto Lei 201/67 (Crimes de responsabilidade dos Prefeitos Municipal).

Também à unanimidade de votos, os desembargadores aceitaram denúncia oferecida pelo Ministério Público que vai apurar denúncias em desfavor do prefeito de Cumaru do Norte, Vilmar Farias Valim. Segundo o MP, o prefeito deixou de prestar contas referente ao ano de 2011, o que configuraria infração ao artigo 1º, inciso 6, do Decreto Lei 201/67.

De acordo com os autos, o prefeito foi intimidado pela Justiça para apresentar balanço geral do referido ano e mesmo assim teria deixado de apresentar os números. O relator da Ação Penal, desembargador Raimundo Holanda Reis, votou pelo recebimento da denúncia, sendo acompanhado pelos desembargadores das Câmaras.

Ainda na sessão, os desembargadores concederam habeas corpus para mudar de regime semi-aberto para aberto a pena de João Cícero de Alencar, acusado de posse ilegal de arma de fogo. O réu havia sido condenado a 2 anos, um mês e 15 dias de prisão, mas já havia cumprido mais da metade da pena enquanto se encontrava preso provisoriamente. O voto do relator do HC, desembargador João Maroja, foi acompanhado à unanimidade.

Fonte: TJ-PA

Ibama desativa garimpo ilegal de ouro próximo a reserva Kayapó, em Cumaru do Norte

Continua depois da publicidade

Terreno Indígena fica em Cumaru do Norte, no sudeste do Pará. Dezenove bombas-hidráulicas e meio quilo de mercúrio foram apreendidos.

Do G1 PA

Agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreenderam, na última semana, dezenove bombas-hidráulicas, utilizadas na extração ilegal de ouro, e meio quilo de mercúrio durante a operação Soberania, realizada nas proximidades da Reserva Indígena Kayapó, em Cumaru do Norte, sudeste do Pará. O responsável pela atividade irregular, um conhecido garimpeiro da região, foi multado em R$ 378 mil e ainda teve a propriedade embargada pelo instituto.

O uso sem controle do mercúrio, que é uma substância tóxica, coloca em risco solo, rios, peixes e também os trabalhadores envolvidos na garimpagem. Cerca de 130 hectares de área sofreram graves danos ambientais para a retirada do ouro, com derrubada da vegetação e “lavagem” do solo.

O responsável pela atividade irregular, um conhecido garimpeiro da região, foi multado em R$ 378 mil e ainda teve a propriedade embargada pelo instituto (Foto: Divulgação)
O responsável pela atividade irregular, um conhecido garimpeiro da região, foi multado em R$ 378 mil e ainda teve a propriedade embargada pelo instituto (Foto: Divulgação)

De acordo com o coordenador da operação, Leonardo Tomaz, “informações indicam que o mercúrio era adquirido de dentistas no município de Redenção, e pago com ouro”. Ele informa que o caso será denunciado à Polícia Federal.

As ações de fiscalização são feitas de helicóptero desde 15 de junho. Além da desativação do garimpo ilegal de ouro, foram flagradas também duas serrarias clandestinas operando a 10 km da reserva indígena.

Com o apoio da Funai, as serrarias ilegais foram desmontadas e o maquinário retirado de caminhões da área protegida. As madeireiras buscavam ajuda dos índios para explorar a floresta da área dos Kayapós.

Cumarú do Norte: BNDES aprova projeto de R$ 755 mil para o município

Continua depois da publicidade

A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou mais um projeto do Fundo Amazônia, o “SOS Cumaru Norte”. O Fundo destinará R$ 755 mil para a Prefeitura de Cumaru do Norte, no Pará, para apoiar o fortalecimento da gestão ambiental do município, incluído na lista dos maiores desmatadores na Amazônia, de acordo com o Ministério de Meio Ambiente.

O projeto visa fomentar a agricultura sustentável no município, cuja principal atividade econômica é a pecuária, praticada de forma extensiva. Para tal, o município pretende ampliar o viveiro de mudas já existente para permitir sua distribuição aos agricultores da região. O projeto contempla ainda a formação de agentes ambientais, jovens que vivem na região, para auxiliar os produtores do município no processo de recuperação de áreas degradadas em suas propriedades.

Objetiva, também a ampliação da estrutura física e operacional da Secretaria de Meio Ambiente, propiciando condições para o monitoramento e fiscalização das áreas com maior risco de ocorrência de desmatamento. A ampliação da infraestrutura, que ocorrerá em um mesmo espaço físico no qual estão instalados outros órgãos municipais, possibilitará ainda uma maior integração e sinergia das atividades desenvolvidas pela prefeitura.

O conjunto de ações previstas contribuirá para a conscientização ambiental e estimulará a adequação das propriedades rurais à legislação ambiental, com vistas à regularização da cadeia produtiva.

Fonte: Fundo Amazônia