Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Cidadania

Canaã dos Carajás: Moradoras da Vila Bom Jesus começam curso de corte e costura

Projeto vem da parceria da Vila Bom Jesus, Vale, Agência Canaã, Senai e Prefeitura

Ela conta que aos sete anos já quebrava as agulhas da mãe e sonhava em fazer um curso para perder o medo de cortar um tecido e aprender a costurar. Hoje, ao 56, Antonia Mendonça voltou à sala de aula e começou a aprender a tão sonhada profissão. Além da prática em corte e costura, ela e outras 19 mulheres da Vila Bom Jesus terão treinamento sobre ética e cidadania, comunicação oral e escrita, matemática básica, gestão, qualidade, liderança e empreendedorismo.

“Com esse novo oficio e essas outras disciplinas, elas estarão sendo capacitadas, para poder inclusive ter seu próprio negócio”, disse o diretor do Senai, Carlos Felipe Sassin Francês. A iniciativa é fruto da parceria entre a comunidade da Vila, Vale, Agência Canaã, Senai e a prefeitura municipal, por meio da secretaria de Educação.

O curso foi sugerido pela própria associação de moradores durante comitês de diálogo realizados com as comunidades próximas aos empreendimentos da Vale. Segundo a moradora da Vila e proponente do projeto, Tatiane Viega, o desejo era promover uma ação voltada para mulheres. “Hoje sinto uma emoção muito grande, elas estão aqui e estão muito felizes e acreditando muito que vai dar certo. Meu sonho é que elas não parem, quem sabe montar um ateliê próprio, costurem para fora e gerem renda para as famílias e para a comunidade”, diz emocionada.

A aula inaugural foi prestigiada por representes das entidades parceiras, a diretora Executiva da Agência Canaã, Graça Reis, o secretário municipal de Educação, André Wilson, o gerente de Suporte às Operações do Cobre, Newton Menezes e a gerente de Relacionamento com Comunidades da Vale em Canaã, Silvia Cunha. A ação faz parte de parceria, com o objetivo de fomentar a geração de trabalho e renda no município.

Alimentos

Agricultoras da Zona Rural de Parauapebas participam de cursos de manipulação de alimentos e processamento de chocolates e frutas

O trabalho é uma parceria do Serviço Nacional de Aprendizado Rural (SENAR) com a Secretaria de Produção Rural de Parauapebas (SEMPROR).

14 mulheres da Associação – As Camponesas Filhas da Terra -, da região da Vila Paulo Fonteles e da APA do Gelado, na zona rural de Parauapebas, participam dos cursos de manipulação de alimentos e processamento de chocolates e frutas. O trabalho é uma parceria do Serviço Nacional de Aprendizado Rural (SENAR) com a Secretaria de Produção Rural de Parauapebas (SEMPROR).

As atividades foram iniciadas essa semana e acontecem na Estação Conhecimento, da APA. As agricultoras vão aprender a fazer bombons de chocolate e processamento de frutas. O objetivo é criar oportunidades de geração de renda para as mulheres de produtores rurais da região.

Um dos cursos realizados é a manipulação de alimentos, ministrado pela Médica Veterinária, Janaína Cheab, que há 9 anos trabalha na SEMPROR. Ela destaca que com mais conhecimento sobre o manuseio correto na hora de preparar o alimento, as agricultoras estarão evitando riscos à saúde. “Esse curso é de grande importância para as filhas da terra, porque o alimento produzido com qualidade e segurança evita uma série de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA’s), já que a taxa de mortalidade por diarreia cresce de uma forma exorbitante e na sua grande maioria causada pelas DTA’s”.

Para o Secretário de Agricultura de Parauapebas, Eurival Martins, a parceria com o Senar busca “qualificar o trabalhador que precisa estar atento ao mercado e a nova agricultura que está surgindo”.

AS CAMPONESAS FILHAS DA TERRA

A Associação de Mulheres existe desde 2004 e foi criada para fortalecer ações que garantissem às agricultoras, a produção e comercialização de seus produtos, além de ajudar os maridos nas despesas da casa. A presidente da associação, Nubia Gurgueia Bezerra lembra que antes, apenas os maridos –  produtores rurais – recebiam benefícios e capacitação. “Conhecimento nunca é demais e como temos planos de construir uma cozinha industrial, devemos saber noções de higiene no manuseio dos alimentos, garantindo a qualidade do produto”, destacou Núbia.

Para a agricultora, Joseli Cardoso, a iniciativa além de garantir uma renda extra também qualifica a mão de obra das agricultoras da associação. “ Nunca tivemos um curso de manipulação de alimentos. Ele vai ajudar na higiene, na qualidade do produto, no alimento seguro e sem contaminação”.

Agricultura

Parauapebas sedia curso Sistema Cupuaçuzeiro para o Sudeste do Pará

O curso em Parauapebas teve a articulação de Totô, da Sempror

Começou nesta terça-feira (04) o Curso Sistema  de Cupuaçuzeiro para o Sudeste do Pará,  com o renomado especialista da Embrapa Raphael Moises Alves,  autoridade nacional no assunto.

O Curso, promovido pela Secretaria de Produção Rural de Parauapebas, vai até quinta-feira, quando acontecerá a parte prática nos cupuzais da vila Sororó.

Participam do evento técnicos, produtores rurais, alunos e professores da UFRA.

Parauapebas é um dos maiores produtores da fruta, e no ano passado a Cooper comprou dos produtores locais 200 toneladas de cupuaçu.

A vassoura de bruxa, tipo de doença ou sintoma de doença de plantas em que ocorre um desenvolvimento anormal do tecido meristemático ou superbrotamento da planta, tem tomado conta das plantações regionais.

No PA Palmares Sul, em Parauapebas, uma produtora que possui em torno de 800 pés do fruto teve sua plantação infestada pela vassoura de bruxa. Ela participa do curso para aprender a fazer a poda e enxertia para tentar salvar a produção.

Trânsito

Mototaxistas de Curionópolis concluem formação profissional

O curso foi ministrado por agentes do DETRAN a convite do prefeito Adonei Aguiar

Por Francesco Costa 

Após concluírem curso com uma carga horária de 30 horas/aulas dividido em três módulos: básico (ética, cidadania, saúde e noções básicas de legislação); específico (Legislação específica); e prático (Exame no circuito com passageiro), 23 mototaxistas de Curionópolis se tornaram aptos a exercer a função de transporte de passageiros e fretamento.

O curso foi ministrado por agentes do DETRAN a convite do prefeito daquele Município, Adonei Aguiar, que vem trabalhando para organizar o trânsito e os transportes em Curionópolis.

“Nosso objetivo é manter a população em segurança e o transporte de passageiros somará para o bem de todos”, afirmou Adonei Aguiar, dando conta ainda de que o trânsito é outra de suas muitas preocupações. Por isso, após reunir os mototaxistas e parabenizá-los pela conquista, conversou com os agentes municipais de trânsito à respeito da instalação do Departamento Municipal de Trânsito, traçando metas e planejamentos para o início do funcionamento do órgão.

O presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Curionópolis, Antônio Martins contou que tão logo o governo municipal convidou para fazer o curso os operadores do transporte de passageiros atenderam e vieram fazê-lo. Ele disse ainda que ao todo são 51 associados no sindicato e os demais ainda deverão fazer o curso para tornarem-se aptos à função.

“Para nós é de grande aproveitamento este curso, pois nos prepara para atender melhor os clientes, além de nos trazer mais segurança”, avaliou Martins.

O coordenador da equipe de instrutores do DETRAN, Edmilson Lima, conversou com os profissionais qualificados e os incentivou a fazer o certo, sendo multiplicadores daquilo que aprenderam. Com isso, os concluintes receberam certificação e credenciamento junto ao DMTC (Departamento Municipal de Trânsito de Curionópolis). Ato ocorrido na manhã de hoje, no gabinete do prefeito Adonei Aguiar.

Meio Ambiente

Guarda Municipal de Marabá terá Grupamento de Proteção Ambiental

O objetivo e atuar na proteção ao meio ambiente, fiscalizando, prevenindo e coibindo crimes ambientais

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Acontece na próxima segunda-feira (10), às 14h, no auditório da Subseção da OAB-PA, a aula inaugural do I Curso de Formação em Proteção Ambiental (CFPA), da Guarda Municipal de Marabá (GMM). O objetivo é formar um Grupamento Ambiental para atividades de proteção do meio ambiente, desenvolvendo ações de preservação, prevenção, repressão aos crimes ambientais e ampliação das políticas de sustentabilidade.

O inspetor Roberto Lemos, superintendente-geral da GMM, afirma que o Grupamento de Proteção Ambiental atuará isoladamente ou em parceria com órgãos e secretarias que atuam na preservação do meio ambiente, como Ibama, Instituto Chico Mendes, Sema, Semma e Comam.

De acordo com ele, o Grupamento atuará na fiscalização das diversas áreas relativas ao meio ambiente, coibindo condutas ilegais, atuando em áreas de preservação ambiental, no resgate e captura de animais silvestres, fiscalização ambiental, educação ambiental, prestação de socorro em áreas de reservas e preservação  ambiental. “Auxiliará ainda no combate a incêndio em áreas de matas e reservas ambientais, entre outros crimes relacionados ao meio ambiente”, explicou o inspetor.

Seleção

Os alunos foram selecionados dentro do universo de inspetores e guardas, onde cada candidato deveria ser voluntário, ser classificado no quesito comportamento, com pontuação mínima de “Bom”, não ter sido condenado a pena de suspensão do cargo ou função, estar apto no exame médico e físico e saber nadar, entre outros requisitos.

O processo seletivo será constituído de duas fases: a primeira é a avaliação médica, de caráter eliminatório, que visa auferir a aptidão de saúde. O candidato deverá gozar de boas condições físicas. Na segunda etapa acontece o teste de aptidão física, também de caráter eliminatório, em que o candidato deve atingir o mínimo desempenho desejável em todos os exercícios de flexão de barra fixa, abdominal remador, flexão de braço, corrida de 12 minutos e natação.

Os agentes receberão ainda aulas expositivas, teóricas e práticas, com emprego de recursos audiovisuais, exercícios simulados, além de instruções práticas de campo, a fim de demonstração prática de acordo com a conveniência e oportunidade.

Será formado um efetivo total de 40 agentes de segurança, 25 entre guardas e inspetores da GMM. As demais 15 vagas serão destinadas a outros órgãos de segurança que também participarão do curso de formação, o qual começa no próximo dia 10 de abril e termina previsto no dia 5 de maio, com 135 horas de duração.

Polícia Civil do Pará

Polícia Civil inicia cursos de capacitação de policiais civis no município de Marabá

Entre as aulas práticas estão as técnicas de entrada de ambientes confinados, abordagem e outras atividades de operações policiais.

A Polícia Civil iniciou, nesta segunda-feira, 27, os cursos de capacitação voltados ao aperfeiçoamento dos policiais civis do Pará, em Marabá, no sudeste paraense. Mais de 20 profissionais da área policial, que atuam em Marabá e cidades da região, participam, até sábado, dos cursos teóricos e atividades práticas de tiro policial, uso e manuseio de armamento no município. Hoje, os policiais civis assistiram às palestras sobre qualidade no atendimento ao público e direitos humanos, e cursos de atividade de inteligência e investigação policial, no auditório da Superintendência Regional da Polícia Civil, em Marabá. Os cursos são coordenados pela Academia da Polícia Civil (Acadepol) em parceria com instrutores do Grupo de Pronto-Emprego (GPE).

Nesta quarta-feira, 29, os policiais civis farão atividades práticas de defesa pessoal, imobilização e uso de algemas na sede da Superintendência.

Na quinta e sexta-feira, os policiais farão atividades de tiro policial com manuseio do novo armamento da Polícia Civil, a carabina CT 30, e da pistola ponto 40, em um clube de tiro na cidade.

Curso iniciado em MarabáEntre as aulas práticas estão as técnicas de entrada de ambientes confinados, abordagem e outras atividades de operações policiais.

Kleiton Amancio, instrutor da Academia da Polícia Civil (Acadepol), explica que os cursos são realizados dentro do projeto denominado “Academia Itinerante”, que leva treinamentos de capacitação e aperfeiçoamento aos policiais civis na capital, região metropolitana de Belém e aos municípios que sediam as regiões do interior do Estado. Os treinamentos foram iniciadas em janeiro deste ano, para policiais civis lotados em Unidades Policiais da Região Metropolitana.

Além de Redenção, já passaram pelos treinamentos policiais civis que trabalham em Delegacias da região do Marajó Ocidental, em Breves. Já os policiais civis que trabalham em cidades vinculadas às Superintendências de Castanhal e de Abaetetuba, no nordeste paraense, participaram dos cursos na sede do Instituto de Ensino de Segurança do Pará (IESP), em Marituba, na Grande Belém. A meta da Acadepol é, até o final do primeiro semestre deste ano, capacitar todos os policiais civis. (Ascom PC-PA)

Exército

Pela primeira vez, Exército vai formar turma de oficiais em Marabá

Anteriormente, quando um jovem pretendia ingressar na carreira de oficial militar através do Exército, tinha de sair de Marabá e ir para grandes centros

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Trinta homens foram incorporados esta semana ao Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva que irá funcionar no 52º Batalhão de Infantaria de Selva e no 23º Batalhão Logístico de Selva (BLogSl), em Marabá, a partir deste ano. De acordo com o comandante do 52º BIS, tenente coronel Temístocles da Rocha Torres, esta é a primeira vez que oficiais temporários serão preparados em Marabá. Vinte serão destinados à infantaria e 10 serão formados oficiais intendentes.

Eles foram chamados ao término da seleção do serviço militar obrigatório, para o qual se alistaram normalmente. Para poderem passar pelo curso, os interessados precisam ter finalizado o Ensino Médio ou estar cursando Ensino Superior. Como em Marabá muitos já estavam matriculados em faculdades, o Exército Brasileiro deu prioridade a eles.

“É o primeiro ano de funcionamento na guarnição de Marabá. Isso tem um valor simbólico para a gente, bastante significativo e histórico porque a partir de hoje, aqui, está se dando essa oportunidade ao filho da cidade e das regiões próximas de poderem participar desse núcleo de preparação onde serão formados oficiais do EB”, comentou.

De acordo com ele, a seleção tem início logo no alistamento militar, que foi realizado nos últimos meses. “Depois do processo normal eles são pré-selecionados para passar pela seleção deste curso, onde passam por testes de aptidão física e intelectual”. Os trinta irão passar ao menos um ano no curso – o equivalente ao serviço militar obrigatório – e ao finalizarem terão a oportunidade de darem continuidade ao aprendizado.

“Assim como os soldados que permanecem como engajados, há a possibilidade de eles permanecerem – dependendo do número de vagas – no serviço por até sete anos. Primeiro eles vão passar um ano nesse curso de formação, que é o correspondente ao serviço militar. Depois, vão ter o complemento que é o estágio de preparação e instrução de oficial temporário, feito em 2018, com duração de um mês. Os que tiverem as melhores classificações e forem voluntários, dependendo do número de vagas, podem continuar como tenente, fazendo estágio de corpo de tropa”, explica o comandante.

Agora em 2017, os selecionados serão submetidos a três aspectos de treinamento: formação cognitiva, equivalente ao conhecimento, formação na área afetiva – onde são trabalhados atributos como coragem e liderança – e também a parte psicomotora, através do treinamento físico. “Após um ano eles podem servir em qualquer lugar onde haja vaga para oficial temporário, sendo aproveitados provavelmente nas unidades da 23ª Brigada de Infantaria de Selva”, finalizou.

Anteriormente, quando um jovem pretendia ingressar na carreira de oficial militar através do Exército, tinha de sair de Marabá e ir para grandes centros onde há o referido curso.