Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Sul e Sudeste do Pará

Deputado Gesmar chama atenção para o abandono da região e lamenta morte de prefeito

Em discurso inflamado, o deputado que é da base de Jatene cobrou o reinício das obras e respostas aos eleitores da região.

Nesta terça-feira (16),  o deputado estadual Gesmar Costa (PSD) usou a Tribuna da Assembleia Legislativa do Pará e nos minutos regimentais a ele concedidos parabenizou as cidades de Parauapebas e Curionópolis pela passagem dos 29 anos de emancipação político-administrativa, ocorrida no último 10 de maio.

Usando a sua costumeira sinceridade, o parlamentar chamou a atenção para a ausência do estado na região. “Infelizmente, nós não tivemos o prazer de inaugurar, de levar nada do Estado para Parauapebas, aliás, isso não é de agora. O descaso de todos os governantes ao longo desses 29 anos de emancipação política de Parauapebas é muito grande. O que nós temos lá são obras paradas e uma sensação de insegurança, e eu, como parlamentar, base aliada do governo, não posso calar diante dessa situação”.

Sobre a grande quantidade de obras paradas em Parauapebas, o parlamentar voltou a abordar o tema. “Um município da envergadura e da grandeza de Parauapebas para o nosso estado do Pará merecia mais zelo e mais cuidado por parte do governo estadual. É lamentável que nesse início de legislatura, com 5 meses aqui no parlamento eu não tenha conseguido muita coisa para as regiões sul e sudeste do Pará. Aqui as coisas não caminham, e nos causa indignação, essa é a palavra. Fica difícil voltar à cidade, onde nós tivemos 25% dos votos válidos em 2014 e chegarmos lá de mãos abanando, não termos respostas para nada. As perguntas são muitas, “quando reiniciam as obras? ‘Quando é que instala isso? Quando instala aquilo?” E a gente, fazendo parte desta base, não tem respostas”.

Completando o tempo na Tribuna, o deputado aproveitou para falar da sua profunda tristeza e indignação pelo assassinato do prefeito de Breu Branco, Diego Kolling. “Não é de hoje que isso acontece, mas, só chama atenção quando morre uma autoridade. Eu não consigo entender como as coisas são dessa maneira e quando às vezes conseguem prender o meliante, o processo emperra no Poder Judiciário. É de indignar mesmo por que a gente se sente impotente nesse Parlamento. Aqui se fala tanto em segurança, todos os dias e nós somos impotentes, não conseguimos reagir a questão da violência no nosso Estado. Infelizmente não dá para ficar calado diante dessa situação”.

A fala do deputado repercutiu nas suas bases, no sudeste do Estado.

Mineração

Marabá: Parlamento Amazônico debate avanço da mineração (até em área indígena)

O Encontro aconteceu em Marabá com várias autoridades políticas e da mineração

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Assuntos polêmicos, debate acirrado. Assim pode ser definida a 10ª reunião ampliada do Colegiado de Deputados do Parlamento Amazônico, realizada no Plenário da Câmara Marabá nesta quinta-feira, o qual contou com a participação de deputados estaduais de nove estados que compõem a Amazônia Legal.

O Parlamento Amazônico percorreu, entre 2015 e 2016, todas as capitais dos estados-membros e Marabá foi o primeiro município do interior a sediar o evento. Ao todo, quatorze deputados dos estados do Pará, Amazonas, Rondônia, Roraima, Acre e Tocantins, além de vereadores de vários municípios do sudeste do Pará, participaram da 10ª reunião ampliada do Parlamento Amazônico.

O presidente do Parlamento, deputado Sinésio Campos, do Estado do Amazonas, elogiou os colegas paraenses João Chamon e Dirceu ten Caten, por terem sensibilizado o colegiado a realizar uma reunião em Marabá.

O presidente da Alepa, Márcio Miranda, falou da importância de uma reunião desse porte ser ocorrer no sudeste do Pará, em uma cidade tão importante quanto Marabá. Para ele, os nove estados da Amazônia têm interesses em comum e precisam juntar esforços em torno do desenvolvimento sustentável da região.

Um dos propositores da 10ª Reunião Ampliada do Parlamento Amazônico em Marabá, Dirceu ten Caten ressaltou que as políticas públicas não podem ser pensadas de forma universal, e que a realidade amazônica deve ser compreendida de forma global. “Não podemos dar tratamento igual aos desiguais”.

Dirceu reconheceu que o debate sobre a Lei Kandir é importante e observou que observou que ela foi criada numa época em que o País precisava, mas deveria haver uma compensação, que até hoje não foi regulamentada. “O Pará deixou de arrecadar mais de 40 bilhões de reais desde que foi sancionada a lei. Não adianta ficar vivendo num estado dito rico e com tantas desigualdades sociais”.

O deputado João Chamon Neto lembrou ainda que, a seu pedido, a Alepa realizará em março uma sessão ordinária para debater a implantação da siderúrgica Cevital, sendo necessário que a população e entidades participem do debate.

Chamon disse que a intenção do evento é justamente ouvir de perto a realidade da região, buscando, assim, soluções para os problemas vivenciados na Amazônia e almejando alternativas que aliem desenvolvimento sustentável e crescimento econômico. “Pautas como mineração e meio ambiente, exploração mineral em terras Indígenas; perspectivas acerca da lei de compensação de perdas em virtude da Lei Kandir são temas importantíssimos que serão discutidos nesta reunião”, anunciou o parlamentar marabaense.

Segundo ele, que após a implementação da Lei Kandir, o Pará deixou de receber o montante de perdas acumuladas de 1997 a 2014 para exportações de produtos básicos e semielaborados cerca de R$ 44,168 bilhões. “A esse número, se soma ainda o fato de que, nos últimos dez anos, o Pará também teve perdas de R$ 21 bilhões com a arrecadação de ICMS sobre a energia aqui gerada – e consumida em outros estados, o que gera um montante de perda da ordem de 67 bilhões de reais”, concluiu o deputado.

Pedro Correa, presidente da Câmara, considerou muito importante a criação de um fórum permanente de debate na região amazônica e também criticou a “famigerada” Lei Kandir, que há duas décadas vem tirando direitos básicos da população do Pará, trazendo prejuízos nas mais diversas áreas, como saúde, infraestrutura das vias públicas. “É preciso que haja dedicação da classe política para que se faça uma vigília e haja avanços na questão da aprovação da regulamentação da Lei Kandir, corrigindo, em parte, as distorções que existem entre as regiões do País”, disse Pedrinho.

Palestras

As polêmicas vieram, principalmente, com as palestras. O geólogo Marcelo Pinto apresentou discorreu sobre Mineração e Meio Ambiente e falou aos presentes que os dois não podem andar em caminhos opostos. “No conceito de desenvolvimento sustentável, devemos ter ambiente, governo e social trabalhando juntos. A alternativa à mineração tem impactos, muitos condenam a mineração, mas gostam do conforto concedido por ela através de aparelhos eletrônicos como o celular”, ironizou.

O geólogo Onildo João Marini, que já atuou no DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral) e hoje presta assessoria a empresas e entidades nesta área, falou sobre a possibilidade de realizar mineração em área indígena, afirmando que a terra indígena em si não é entrave à mineração, mas sim, a não legalização da matéria. “Ela merece legislação especial. Não dá para considerar que essas terras sejam entraves. O DNPM ainda acata requerimento em cima de terra indígena, mas aguarda para dar decisão sobre legalização. Nenhum título de extração mineral foi concedido até hoje nessas áreas”, disse o ex-assessor.

Ele lembrou que na mineração, há atividades agressivas, mas outras mais brandas, como coleta de água mineral, e extração de rocha para produção de brita. “Metade da produção mineral brasileira é de agregado, brita e areia”, disse.

Segundo ele, o Canadá é referência em mineração em terras indígenas e seria interessante analisar o  modelo daquele País da América do Norte para tirar lições para a realidade brasileira.

Procuradora do Governo do Estado, Carol Perachi apresentou palestra abordando as novas perspectivas sobre a Lei Kandir e a desoneração da exportação. “O Brasil perdeu competitividade de produtos e retirou ICMS de mercadorias primárias e semi-elaboradas. Com isso, estados exportadores como o Pará, foram bastante prejudicados, porque a lei atingiu a exportação de minério”, frisou Carol.

Por outro lado, o empresário Divaldo Salvador opinou que o Pará devia copiar Minas Gerais, que utiliza as grandes empresas para financiar projetos sociais. “Deveríamos ter um fundo de participação dividido pela renda per capita, distribuindo melhor a participação. A desoneração precisa existir, senão o Brasil sai da concorrência. Melhor ter 30% de PIB, do que não ter nada. Se a Lei Kandir não existisse, não haveria venda de minério no Brasil. O mundo inteiro desonera a exportação para concorrer no mercado mundial”, avaliou o empresário.

Divaldo disse que, no caso da mineração em terras indígenas, precisa ser elaborado um projeto sustentável, avaliando que “as terras deles (indígenas) não podem ser apenas contemplativas, precisa produzir também”.

Segundo Dan Baron, representante do projeto Rios de Encontro, em geral, as palestras sobre Exploração Mineral em Terras Indígenas e a Lei Kandir foram de qualidade razoável. Mas o fato de que elas foram realizadas num fórum questionador, critico e bem diverso, em si, é um passo importantíssimo. Argumentos fracos dos geólogos representando a mineração foram logo percebidos por todos, mas o plenário foi participativo, aberto e diverso, bem coordenado pelos deputados organizadores”, elogiou.

Outros representantes da sociedade civil também apresentaram argumentos contra e a favor do avanço da mineração e todas as opiniões foram recebidas pelo Parlamento Amazônico.

A próxima reunião do Colegiado de Deputados do Parlamento Amazônico será em Imperatriz-MA, no dia em 27 de abril.  Contudo, no dia 3 de março o Parlamento estará em Toronto, no Canadá, para discutir questões relacionadas à mineração.

Estiveram também no encontro os vereadores Mariozan Quintão, Cristina Mutran, Irismar Melo, Marcelo Alves, Nonato Dourado, Morivaldo Marçal e Silva, Márcio do São Félix, Edinaldo Machado, Pastor Ronisteu, Tiago Kock e Miguel Gomes Filho, todos de Marabá.

E ainda os deputados Francisco Souza (AM); Heitor Júnior e Luiz Gonzaga (AC); Ribamar Araújo, Aélcio da TV e Léo Moraes (RO); Lenir Rodrigues e Gabriel Picanço (RR), Wanderlei Costa (TO) e Gesmar Costa (PA).

E por falar em Gesmar Costa, o deputado de Parauapebas mostrou-se preocupado com os rumos que está tomando o novo Código Minerário, porque está sendo fatiado em três no Congresso Nacional, e avisou que vai acompanhar as propostas de mudança de perto. Ele também elogiou a criação do Comitê da Bacia do Rio Tocantins e colocou-se à disposição para participar do mesmo.

Parauapebas

A cinco dias da eleição, pesquisa DOXA aponta alto índice de indecisos em Parauapebas

Pesquisa DOXA aponta vitórias de Marina, Helder Barbalho, Paulo Rocha, Marcelo Catalão e Coutinho em Parauapebas. Índice de indecisos ainda é muito alto.

A Doxa Comunicação realizou pesquisa eleitoral no município de Parauapebas no período compreendido entre os dias 24 e 27 de setembro. A pesquisa, registrada no TRE sob o número 0038/2014, colheu 400 entrevistas e tem margem de erro de 3 pontos percentuais, com margem de segurança de 95%. Em Parauapebas, segundo o TRE, 111.144 eleitores estão aptos a votar.

Para presidente Dilma Rousseff (PT) perde a eleição no município em todas as simulações para o segundo turno. O Blogger estranhou esse resultado por algumas razões. O PT é disparado o partido com maior número de simpatizantes no município; o candidato Helder Barbalho, coligado com o PT, vence seu principal oponente mas não transfere os votos para a presidente Dilma; o mesmo acontece com Paulo Rocha, candidato ao Senado, Marcelo Catalão (federal) e Coutinho (estadual), que lideram as intenções de voto em Parauapebas e que apoiam Dilma Rousseff.

Para o governo do Estado, Helder Barbalho do PMDB venceria, segundo a pesquisa, Simão Jatene (PSDB) no primeiro e no segundo turno em Parauapebas.

Para o Senado o vencedor em Parauapebas será o petista Paulo Rocha.

As consultas para deputado federal apontaram o candidato Marcelo Catalão (DEM) como o mais votado no município, seguido muito de perto pelo ex-prefeito Faisal Salmen (PPS).

Para deputado estadual, Coutinho (PMDB) é disparado o mais votado no município, seguido por Gesmar Rosa (PSD).

A apenas cinco dias da eleição, é de se estranhar o alto índice de eleitores que afirmaram não saber em quem  irão votar nas eleições de domingo próximo. Para governador são 24,1% os indecisos, para o Senado 38,7%; para deputado federal 49,8%; e para deputado estadual 33,4%.

Confira o resultado:

Intenção de voto para governador (Espontânea)

image

Intenção de voto para governador (Estimulada)

image

Intenção de voto para Senador

image

Intenção de voto para deputado estadual (Espontânea)

image

Intenção de voto para deputado Federal (Espontânea)

image

Intenção de Voto para Presidente da República ( Estimulada)

image

Segundo Turno – Presidente – Dilma x Aécio
image

Segundo Turno – Presidente – Dilma x Marina

image

A pesquisa foi encomendada por Amazônia C. Marketing Ltda ME e custou R$10.000,00.

Técnica de amostragem: do parâmetro de eleitores foi estabelecida a estratificação respeitando a proporcionalidade das variáveis que atuam como filtros adequados da amostragem: sexo, idade, renda e nível de instrução do eleitorado. Masculino 51,9%; Feminino 48,1%. Faixa etária 16 a 24 anos 22,3%; 25 a 34 anos 27,3%; 35 a 44 anos 22,3%; 45 a 59 anos 19,6%; acima de 59 anos 8,6%. Sem escolaridade 2,3%; Ensino fundamental 29,6%; ensino médio 53,7%; superior/pós 14,4%. Até 01 Salário Mínimo 27,8%; Acima de 1 até 2 salários mínimos 45,6; Acima de 2 até 3 salários mínimos 5,2% Acima de 3 até 4 salários mínimos 0,9%; Acima de 5 salários mínimos 2,4%. A margem de erro amostral: respeitando o intervalo de confiança estimada foi de 95% e significância de 5% (bicaudal), tendo a margem de erro amostral de 3,0 pontos percentuais para mais ou para menos na amostra.

Pará

Pesquisa Doxa aponta favoritos para estadual e federal no Pará

A Doxa pesquisou as intenções de voto para deputado estadual e federal em todo o estado do Pará. A pergunta foi feita de maneira espontânea, em que não se apresenta os nomes dos candidatos. Para estadual, Coronel Neil aparece em primeiro lugar com 2,2% das intenções de voto. Chamon é o segundo colocado com 1,9%. Fabrício vem em terceiro lugar, 1,7%; Cilene Couto, Tião Miranda e Wanderlan Quaresma se destacam na quarta colocação com 1,5%. Antonio Tonheiro é quinto colocado na corrida à Assembleia Legislativa.

Já pra federal, Eder Mauro, Vlad e Beto Salame lideram a corrida.

Na tabela abaixo os demais candidatos pontuados na pesquisa.

Serviço:

A pesquisa foi registrada no T.R.E sob o número PA-0009/2014. Foram entrevistados 1.200 eleitores, a margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos do resultado final. Intervalo de confiança é de 95%. Período de coleta: 26 a 29 de agosto de 2014.

Deputado Estadual

image

Deputado Federal

image

Brasil

Candidata à deputada estadual, Irmã Luzinete inaugura Comitê Central

LUZINETE 1Lideranças de vários municípios, simpatizantes, filiados e amigos estiveram presentes na noite do último sábado (23) para prestigiar a inauguração do Comitê Central da candidata a deputada estadual pelo Partido Verde (PV) vereadora Irmã Luzinete, localizado a Rua Rio Claro 206, bairro Beira Rio, próximo ao terminal rodoviário.

Entre as autoridades, o evento contou com a presença do candidato ao senado do PV, Professor Simão Bendayan; o prefeito de Marabá, João Salame, sua esposa a jornalista Bia Cardoso, que na ocasião estava representando o irmão Beto Salame que é candidato a deputado federal; o também candidato a deputado federal, Faisal Salmen; pastor Ozias; vereador Maridé; a titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), delegada Maria Regina e a secretaria municipal da Mulher, Irmã Teca.

O evento começou com o uso da fala de alguns dos presentes e logo Irmã Teca secretária da mulher em Parauapebas, disse que as mulheres devem continuar na luta em beneficio das melhorias da classe, e ela confia na irmã Luzinete pra desenvolver esse trabalho, agora sendo candidata à deputada estadual, mais recursos chegarão ao estado como um todo e facilitar a vida das mulheres do Pará. “Acredito no trabalho da nossa vereadora e nossa futura deputada estadual, vamos à luta e chegaremos lá”, disse a secretária.Faisal Salmen tem bastante experiência do mundo político e afirmou que a candidata é uma das mais preparadas para assumir esse lugar de deputada no Pará, Faisal ainda falou a respeito do trabalho enganoso que a Vale vem fazendo a todos os paraenses. “Nós temos que abrir os olhos para esse vilão, que vai levando as riquezas da nossa cidade e deixando apenas um rastro de pobreza e desemprego”, disse Faisal.

O professor e candidato a vaga do senado no PV Simão Bendayan afirmou toda sua assistência à candidata, Simão mostrou que está seguro em relação a sua vaga no senado, já com várias formações acadêmicas, hoje ele se disse cansado das mesmas pessoas, as velhas raposas da política, querendo voltar e perpetuar no poder. “Não podemos mais deixar isso acontecer, chegou a hora de dar um basta nessa situação, por isso eu coloquei meu nome limpo, pra assumir uma cadeira dessa, vou fazer a diferença em Brasília”, disse. Em outro momento de seu discurso Simão disse que seu voto pessoal será de Luzinete Batista, pois ele vê nela muita disposição, garra, força e coragem pra enfrentar a quantidade de pilantras que se esconde num mandato e enganando o povo, por isso escolheu uma mulher de luta e garra, pediu o voto a todos os presentes e também para Luzinete, foi aplaudidíssimo.

O prefeito de Marabá, João Salame fez questão de prestigiar a inauguração do Comitê Central da candidata, ao usar a palavra, fez um resumo de sua trajetória política até chegar à prefeitura de Marabá. João que defende a bandeira sobre a criação do Estado de Carajás tem a certeza que Irmã Luzinete como deputada estadual não deixará a esperança do povo desta região morrer. “Vim para dá meu apoio, sei o quanto é importante a criação de Carajás para nós desta região, quem ganha com tudo isso é o povo, temos que votar em candidatos desta região para ficar mais fácil cobrar melhorias”, salientou ele em menção também ao candidato Beto Salame. João ainda falou que seu irmão Beto Salame que foi escolhido ser candidato de um grande grupo políticos de Ficha Limpa, por isso ela apoiava a candidatura de Luzinete para estadual e Beto Salame para Federal.

LUZINET 2

A primeira dama de Marabá, a jornalista Bia Cardoso, também fez seu discurso e marcou sua presença feminina ao pedir votos para Luzinete Batista, falou da emoção de ver as mulheres aumentando as e representatividade ao longo dos anos e cada vez mais as mulheres buscando poderes. “Quero deixar aqui meu abraço a todas as mulheres de luta que está presente hoje nesse evento, vamos acreditar que juntas poderemos ser mais fortes, a cada dia estamos chegando mais próximas dos poderes judiciários, legislativos e executivos, sempre bem humoradas e fazendo o que é preciso, até mesmo melhor que muitos homens, acreditem nessa mulher, acreditem que Luzinete pode representar e bem nossa classe”, frisou.

Outro que fez o uso da palavra e trouxe algumas explicações plausíveis foi o pastor Ozias, segundo ele várias igrejas estão firmes nas propostas da candidata Luzinete e denominação Casa da Benção que é a igreja que Luzinete congrega, existem 78 delas em todo Pará, são mais de 150 pastores envolvidos nesse projeto que levará Luzinete a Assembleia Legislativa, ainda segundo o pastor o presidente nacional da Casa da Benção, fez um pedido a todos os pastores do Pará, que apóiem e votem em Luzinete Batista, pois existe um mal muito grande falecendo as famílias brasileiras e os cristãos precisam entrar nessa luta da família, por isso tão importante o apoio a Luzinete Batista.

Ao final do evento que estava completamente lotado, as pessoas puderam ouvir as propostas da candidata a deputada estadual Luzinete Batista do PV, nas suas palavras Luzinete não esqueceu de agradecer todas as pessoas que estava envolvidas no projeto desta candidatura, segundo a candidata em sua grande maioria dos presentes estavam num trabalho voluntário em torno da sua candidatura.

Logo após a candidata agradeceu o prefeito de Marabá João Salame Neto e sua esposa, que dedicaram seu tempo para sair de Marabá e vir até a inauguração do seu Comitê Central, ainda segundo a candidata entre tantos candidatos que tem nessa região, ela foi a escolhida para fazer a parceria com Beto Salame, seu candidato a federal. No seu discurso ela também disse que esse é o momento das mulheres chegar com mais força na Assembleia Legislativa do Estado, e ela estava colocando seu nome a disposição do sul e sudeste do Pará em prol dos benefícios de todos. No momento que antecedeu sua fala um vídeo foi colocado para ser apreciado pelos presentes, onde contava a história da candidata e apresentava seus projetos caso fosse eleita. “Quero dizer a todos os presentes, que na eleição passada a maioria das pessoas não acreditavam em nosso projeto, por isso que fomos a surpresa daquela eleição que me levou a Câmara Municipal de Parauapebas e mais uma vez vamos renovar essa surpresa a todos nossos irmãos a Câmara dos Deputados, porque esse projeto não é só meu, esse projeto é do povo de Deus, e nós vamos conduzir ele direitinho até chegar no destino final, nossa proposta é viável e justa, conto com todos os senhores e senhoras”, afirmou a candidata.

Fonte: Assessoria Imprensa Irmã Luzinete

Parauapebas

TRE-PA indefere mais três candidatos de Parauapebas

O TRE-PA indeferiu os pedidos de registro de candidatura de Chico das Cortinas (PHS) e Adelson Fernandes (PSC), ambos disputariam uma vaga para deputado estadual.

Chico das Cortinas foi indeferido por não apresentar certificado de escolaridade. Adelson por falta de documentos. Ambos, assim como Claudio Almeida, que havia sido indeferido, já recorreram da decisão.

Também teve seu pedido de registro de candidatura a deputado federal indeferido o vereador Charles Borges (SDD).

Os demais candidatos de Parauapebas, com exceção do candidato Faisal Salmen (ainda não julgado), estão aptos a concorrerem.

Parauapebas

Gesmar confirma candidatura e Parauapebas se destaca na convenção estadual do PSD

 A convenção estadual do PSD, realizada em Belém na segunda-feira (30), contou com a presença de pré-candidatos e lideranças de todo o Pará, mas o destaque ficou mesmo com Parauapebas. A militância do partido fez uma grande festa para celebrar a confirmação da candidatura a deputado estadual do ex-gestor do SAAEP, Gesmar Costa, que recebeu várias declarações de apoio, inclusive do prefeito de Parauapebas, Valmir Mariano.

Reforçaram a comitiva de Parauapebas lideranças políticas dos municípios de Curionópolis, São João do Araguaia, Canaã dos Carajás, Itupiranga e Eldorado dos Carajás.  Gesmar agradeceu o apoio de todos e reafirmou o compromisso de defender os interesses da região, entre eles a criação do Estado do Carajás. “Toda a região sul e sudeste pode ter certeza, o sonho não acabou, vamos continuar lutando pela criação do Estado”, garantiu.

O prefeito de Parauapebas – e presidente municipal do PSD -, Valmir Mariano, convocou os filiados e militantes a aderirem à candidatura de Gesmar a deputado estadual. “Precisamos eleger candidatos do PSD, precisamos eleger o Gesmar a deputado estadual, precisamos de um deputado preparado para defender o nosso projeto de desenvolvimento para todo o Pará”, discursou.

Na convenção, foram confirmados o apoio do PSD à candidatura de Simão Jatene à reeleição para o Governo do Estado e a de Helenilson Pontes ao Senado Federal.

Pará

PT de Parauapebas aprova dobradinha Milton Zimmer e Eliene Soares

Em reunião ocorrida no final da tarde desta quinta-feira (26) na sede do  Diretório do Partido dos Trabalhadores em Parauapebas, ficou acertado que o diretório local aprovou e irá indicar os nomes da Vereadora Eliene Soares como pré-candidata a Deputada Estadual e de Milton Zimmer, atual deputado estadual, para pré-candidato a Deputado Federal.

A convenção Estadual do PT acontece no próximo dia 30, em Belém, e tem a presença confirmada do ex-presidente Lula.

Foto: Robervaldo Freitas