Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Vereadores conclamam a população para que compareça à Audiência Pública que vai debater o desenvolvimento de Marabá e região

O evento acontece na próxima sexta-feira, dia 11, na Câmara Municipal, com a presença de representantes do setor produtivo e de políticos paraenses das esferas estadual e federal

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Acontece na próxima sexta-feira (11), no Plenário da Câmara Municipal de Marabá (CMM), a partir das 9h, uma Audiência Pública para discutir o desenvolvimento socioeconômico do município e região. O evento está sendo organizado pela Comissão Especial de Desenvolvimento, da CMM, com suporte técnico da Acim (Associação Comercial e Industrial de Marabá).  O objetivo é colocar a sociedade civil organizada a par de informações atualizadas sobre os seguintes empreendimentos: reabertura da atividade siderúrgica, Hidrelétrica de Marabá, Hidrovia, situação das rodovias federais BR-155, BR-222 e BR-230 (Transamazônica), reativação do Distrito Industrial de Marabá, Zona de Processamento de Exportação, Ferrovia Paraense, Porto Público e curso de Medicina da Unifesspa.

Para isso, foram convidadas as entidades de classe do setor produtivo local, representantes da mineradora Vale, deputados federais da bancada do Pará no Congresso Nacional, deputados estaduais, secretários de Estado e senadores do Pará.

Em coletiva na manhã desta quarta-feira (9), os vereadores membros da Comissão, falaram da importância da participação da população na audiência e pediram a colaboração dos meios de Comunicação locais para propagar amplamente e evento. Todos foram unânimes em afirmar que é preciso tomar pé da situação uma vez que, como representantes do povo, os vereadores recebem cobranças diariamente, sobretudo diante da crise em que está mergulhado o município – reflexo da crise nacional -, com mais de 30 mil pessoas desempregadas.

Na oportunidade, ainda de acordo com os vereadores, a Câmara, em nome da sociedade, pedirá a ajuda dos políticos das esferas estadual e federal para que intercedam em Belém e Brasília (DF) a fim de que os empreendimentos que de alguma forma estejam emperrados possam ter uma solução e prosseguir com sua execução.

Fazem parte da Comissão os vereadores Irismar Melo (PR), Pastor Ronisteu (PTB), Marcelo Alves (PT), Gilson Dias (PCdoB), Cristina Mutran (PMDB), Frank Carreiro (PSB) e Nonato Dourado (PMDB).

Desenvolvimento

Marabá: Câmara fará audiência sobre desenvolvimento econômico em agosto

Além dos vereadores, a audiência terá participação de representantes do governo do Estado, deputados federais e representantes de grandes empresas, como Cevital e Vale.

Com objetivo de promover discussão sobre o desenvolvimento socioeconômico do município, a Comissão Especial de Desenvolvimento da Câmara Municipal de Marabá (CMM) agendou para o dia 11 de agosto uma audiência pública para discutir métodos de atração de empresas para a cidade. Além dos vereadores, a audiência terá participação de representantes do governo do Estado, deputados federais e representantes de grandes empresas, como Cevital e Vale.

No último dia 29, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, esteve na CMM discutindo a atração de novos investimentos que visam beneficiar o município e a região sudeste do Pará. Empresários ligados à Associação Comercial e Industrial de Marabá (ACIM), também participaram do encontro.

Demachki explicou que o projeto da Cevital (de aços laminados) está sendo redimensionado pela empresa para se adequar à relação custo-benefício, mas, quando estiver pronto, ela e a Vale farão o anúncio em conjunto. Por outro lado, fez questão de observar que, até lá, vários passos precisam ser dados, como a criação da ZPE (Zona de Processamento de Exportação), que depende do governo federal.

Ainda de acordo com o secretário, existe um esforço em várias frentes para a instalação do empreendimento. “Criamos um grupo de trabalho para discutir a Siderúrgica em Marabá, para estudar os modais já existentes, como Ferrovia e hidrovia do Rio Tocantins”, explicou o secretário.

Representante da ACIM, Eugênio Alegretti disse que o setor produtivo precisa ser insistente com os projetos desenvolvimentistas instalados não apenas em Marabá, mas na região, sobretudo quando esses empreendimentos dialogam com a verticalização do aço.

A Cevital, empresa argelina, adquiriu da Vale o projeto de aços laminados da Alpa, estimado em torno de R$ 4,5 bilhões. A ideia é que 20 mil empregos sejam gerados no período de construção civil. Quando pronto, o empreendimento deve gerar 2,6 mil empregos diretos e milhares de postos de trabalho indiretos em Marabá e região.

Foto: Ascom/Câmara Municipal

Pará

Valor Econômico promove debate sobre oportunidades de crescimento do Estado do Pará

Pará 2030 – Um mundo de oportunidades” discutirá projetos e ideias sustentáveis para maior desenvolvimento do Estado

O Valor Econômico promove no dia 26 de fevereiro, na Fiesp, em São Paulo, o evento “Pará 2030 – Um mundo de oportunidades”, que terá como principal objetivo discutir as estratégias do Projeto Pará 2030, plano de iniciativas prioritárias, de médio e longo prazo, que visa a construção integrada do Plano de Desenvolvimento Econômico do Pará em um horizonte dos próximos 15 anos.

O fórum terá como base de discussão um estudo realizado pela Mckinsey&Company, empresa de reputação internacional no mercado na área de projetos estratégicos, que apontou todas as oportunidades de desenvolvimento nas várias partes da cadeia produtiva do Estado e os desafios e esforços requeridos para tal concretização.

O evento será dividido em três painéis e contará com a participação do Governador do Estado do Pará, Simão Janete, além de outras autoridades e especialistas do assunto. Estará em pauta temas relacionados a infraestrutura, logística, biodiversidade, mineração, metalurgia, indústria e sustentabilidade do Estado.

O seminário é aberto ao público e as inscrições podem ser realizadas pelo site do Valor Econômico. Acesse: http://www.valor.com.br/seminarios/para2030/inscrições.

Canaã dos Carajás realiza seminário sobre desenvolvimento municipal

Adnan DemachkiNa noite de desta quarta-feira, 25, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki (foto) fará a palestra de abertura do Seminário de Desenvolvimento Municipal de Canaã dos Carajás  abordando os desafios de se administrar um município minerador. A intenção do secretário é apresentar estratégias para a união de forças entre a administração pública, sociedade civil organizada e a iniciativa privada, para o enfrentamento das dificuldades naturais de um município com vocação minerária.

O estreitamento dos diálogos com municípios mineradores, explica Adnan Demachki, é uma das estratégias previstas no Plano Estadual de Mineração, para estimular esses municípios a trabalhar outras atividades econômicas para além da mineração, procurando levar o município ao seu desenvolvimento e a não depender exclusivamente da atividade minerária.

Brasil

Especialistas debatem desenvolvimento local na Amazônia

O tema será abordado no seminário da série Diálogos Capitais Metrópoles Brasileiras, que ocorre nesta terça-feira no Hangar

A Amazônia tem 51% do território brasileiro, 25% da população e responde por 8% do PIB (Produto Interno Bruto) do país, segundo dados Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para colocar em pauta a relevância da região e aprofundar a discussão sobre o desenvolvimento, envolvendo atores importantes, como o poder público, empresas privadas e entidades do terceiro setor, Belém recebe nesta terça-feira (09), o seminário da série Diálogos Capitais Metrópoles Brasileiras, que abordará o tema “Geração de Renda e Desenvolvimento Local”. O evento será realizado pela revista CartaCapital, sob curadoria do Instituto Envolverde, às 8h, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia e será aberto ao público.

Dal MarcondesPara o jornalista Dal Marcondes, colunista de CartaCapital e diretor executivo do Instituto Envolverde, o seminário Diálogos Capitais dá a oportunidade de se debater políticas públicas que normalmente não são tratadas pela mídia ou ao menos com um enfoque diferente. “Queremos lançar um olhar isento de ranços partidários sobre temas fundamentais para a qualidade de vida e o desenvolvimento das grandes cidades brasileiras. A série Diálogos Capitais – Metrópoles Brasileiras tem sido uma experiência importante ao lançar luz sobre temas relevantes”, destaca o jornalista, informando que após o evento serão produzidas matérias especiais que serão publicadas, posteriormente, pela revista CartaCapital.

A série teve início em 2014, com encontros realizados em São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre. Em São Paulo foram abordados diversos temas, como habitação, segurança e mobilidade, enquanto nas outras capitais os diálogos foram focados em um único tema. Belo Horizonte debateu mobilidade urbana, Recife assistiu um relevante diálogo sobre segurança pública e Porto Alegre discutiu cidadania e economia criativa.

Em Belém, serão discutidos temas relacionados ao desenvolvimento local, como os desafios da Amazônia e o papel da agricultura e da pecuária. A abertura do seminário será realizada pelo prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, seguida da palestra “Modelos de desenvolvimento para a Amazônia e para o Brasil”, que será ministrada pelo Secretário Executivo da Rede Nossa Belém, José Francisco Ramos. A Rede atua junto ao poder público local em questões de desenvolvimento urbano e social.

Após a palestra magna será realizado o diálogo “Geração de renda e desenvolvimento local”, com a participação de Suênia de Souza, diretora do Centro Sebrae de Sustentabilidade, João Meirelles, diretor do Instituto Peabiru e João Coral, diretor de Energia e Institucional da Vale  no Pará. O diálogo será mediado pelo jornalista Dal Marcondes.

O ambientalista João Meirelles, diretor geral do Instituto Peabiru, ressalta que o encontro ampliará a abordagem de questões fundamentais para a região. “O evento dá a oportunidade de se discutir temas ‘invisíveis’ para a metrópole e que precisam ser abordados como segurança alimentar, educação de qualidade e segurança fundiária”, observa.

Dal Marcondes frisa a importância do seminário da série Diálogos Capitais chegar a Belém. “A cidade é uma metrópole cosmopolita e entrada para a Amazônia brasileira, além de ser a capital de um dos estados mais dinâmicos da região, com uma economia que ainda busca caminhos menos predatórios em relação ao ambiente e ao desenvolvimento social. Um evento na cidade tem o potencial de chamar a atenção para novos formatos de desenvolvimento”, acredita.

Programação

  • 8h-9h – Credenciamento e wellcome coffee
  • 9h1-9h40– Abertura Zenaldo Coutinho – Prefeito de Belém
  • 9h40- 10h30 – Palestra “Modelos de desenvolvimento para a Amazônia e para o Brasil” – José Francisco Ramos, Secretário Executivo da Rede Nossa Belém
  • 10h30-10h45 – Coffee Break
  • 10h45 – 12h15 – Mesa de Diálogos“Geração de renda e desenvolvimento local”
    Suênia de Souza – Diretora do Centro Sebrae de Sustentabilidade
    João Meirelles – Diretor do Instituto Peabiru e Escritor
    João Coral – Diretor-Executivo de Recursos Humanos, diretor de Energia e Institucional da Vale, no Pará
    Mediação – Dal Marcondes, jornalista Envolverde/Carta Capital