Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Polícia

Traficantes presos e corpo encontrado em Parauapebas

A Polícia Civil desencadeou nesta quinta-feira a Operação Impacto III, com o apoio da Polícia Militar do Canil da Guarda Municipal de Marabá
Continua depois da publicidade

Desencadeada pela Polícia Civil, nesta quinta-feira (5), em Parauapebas, a Operação Impacto III teve por objetivo combater o tráfico de entorpecentes no município. Como resultado, foi realizada a apreensão de um volume considerável de drogas, entre crack, cocaína e maconha; aproximadamente R$ 2,5 mil; arma branca; joias; celulares e uma motocicleta. A ação teve o apoio da Polícia Militar, do Grupamento Aéreo de Segurança Pública e do Canil da Guarda Municipal de Marabá.

A caça ao tráfico teve à frente a delegada Simone Felinto, superintendente regional de Polícia Civil do Sudeste do Pará; o subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, major Emmett Alexandre Moulton e a diretora da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, Yanna Azevedo.

Durante a operação foi preso em flagrante o casal Elisângela Rodrigues Correa e Alair Freitas Barbosa, além de duas adolescentes – uma de 15 e outra de 17 anos – que estavam em sua companhia. Na casa do casal foram apreendidas drogas, dinheiro, telefones celulares, documentos e uma motocicleta roubada.

Ambos irão responder por tráfico, associação ao tráfico e corrupção de menores. Elisângela disse na delegacia que o casal resolveu traficar para custear o tratamento, medicamentos e exames do marido, que é cadeirante.

Desova

Também nesta quinta-feira, por volta de 1h da manhã, a Polícia Civil foi avisada, por meio do Centro de Controle Operacional (CCO), da existência de um cadáver no Bairro Novo Vitória, sentido Palmares Sul. No local, havia um corpo envolto em uma cortina e no forro de sofá.

Segundo os policiais que fizeram os primeiros levantamentos, há indícios de que ele foi assassinado em outro lugar e desovado ali. O cadáver é do sexo masculino; ele teve o pescoço cortado e dois dedos de uma das mãos decepados; tem uma estrela tatuada num dos pulsos e notas musicais nos bíceps; vestia uma camisa azul, bermuda com desenhos coloridos e cueca preta com cós vermelho. Quem souber de quem se trata deve ligar para o disque-denúncia da Polícia Civil, no número 181.

homem encontrado enrolado no lençol

 

Tucuruí

Tucuruí promove conscientização de combate às drogas

Intenção é chamar a atenção da população e educar jovens e crianças quanto aos problemas do tráfico e consumo de drogas
Continua depois da publicidade

Nesta terça-feira (26), a Prefeitura de Tucuruí através da Secretaria de Apoio à Segurança pública promoveu um evento alusivo ao dia internacional de luta contra o uso de drogas. A atividade reuniu uma multidão na Praça do Rotary para encorpar o enfrentamento às drogas no município.

Conforme Júnior Braga, secretário de Apoio à Segurança Pública, o objetivo do Ato Público Tucuruí Unida contra as Drogas é conscientizar a comunidade sobre os problemas relacionados ao uso de entorpecentes.

A intenção é chamar a atenção da população e educar jovens e crianças quanto aos problemas do tráfico e consumo de drogas. “Estamos enfrentando um problema sério e de impacto social muito forte. Mas por meio da educação e de ações de prevenção como a ronda ostensiva nas escolas, estamos conseguindo enfrentar esse problema”, explica o secretário.

A ação que será realizada cotidianamente na cidade e no campo é uma iniciativa da Prefeitura de Tucuruí, por meio das secretarias de Saúde, de Educação, Assistência Social e de Apoio à Segurança Pública, e que conta com a parceria do Ministério Público Estadual, Polícias Civil e Militar e entidade de classe.

Parauapebas

Após denúncia de vítimas, Polícia de Parauapebas captura dupla de assaltantes

Tiago Oliveira da Costa e Ezequiel Silva dos Santos são de Marabá e vinham cometendo assaltos em Parauapebas. Ezequiel é foragido do Crama desde 2016, com passagens por assalto a mão armada.
Continua depois da publicidade

Dois bandidos foram capturados pela Polícia Militar de Parauapebas, na manhã desta segunda-feira (25), após cometerem assaltos. A guarnição da PM que estava posicionada nas imediações do bambuzal, na PA-275, foi abordada por um cidadão informando que havia sido roubado por dois elementos numa motocicleta e que estava rastreando-os pelo aparelho celular.

Deslocando-se ao local apontado pelo rastreador, o bairro do Rio Verde, a guarnição escutou a população informando que havia ladrões pulando o muro. Os policiais conseguiram pegá-los. Dentro da residência, foram encontrados um revólver calibre 38 com numeração raspada, sete munições, 33,85 gramas de pedra de oxi; 6,65 gramas de maconha e produtos do roubo (celular, documentos, carteira e a bolsa de uma das vítimas). Também foi recuperada uma Honda Biz cinza, roubada no domingo à noite.

Segundo informou o Tenente Freitas, são dois elementos altamente perigosos, que vinham cometendo vários assaltos no início do dia. Ao checar os nomes, foi observado que um deles, Ezequiel Silva dos Santos (vulgo Neguinho), era foragido do sistema penal de Marabá desde 2016.

O tenente aproveitou nossa reportagem e fez um apelo para que, caso haja alguma outra vítima, compareça à delegacia para reconhecê-los. “Seria muito bom, pois, pelo menos assim, estes vagabundos ficarão presos por mais tempo”, explicou.

Segundo Tiago Oliveira da Costa (vulgo Orelha de Macaco), de 20 anos, ele nunca havia sido preso. Trabalhava como açougueiro em Parauapebas e justificou o crime por necessidades financeiras. “Estava sem dinheiro, precisando mesmo, estava passando fome. Pedi esse dinheiro a meu patrão, mas ele estava só me enrolando”.

Já Ezequiel Silva dos Santos, o Neguinho, tem 32 anos e não apresentou justificativa para o assalto. “Não tem nada que justifique. Não adianta eu botar desculpinha não, que desculpinha não resolve a vida de ninguém”. Ele assumiu a posse do revólver, mas quanto à droga apreendida, não reconheceu. “Eu não sei dessa droga não; o revólver é meu”.

Uma das vítimas, Gizael da Silva reconheceu os bandidos e nos contou que eles o abordaram às 7h30 de hoje, nas imediações da Câmara Municipal de Parauapebas. Levaram sua carteira, com todos os documentos e o valor de R$ 300,00. “Reconheci todos os dois, eles estavam numa moto Honda Biz vermelha”.

Violência

Em Canaã dos Carajás, homem é assassinado a tiros quando passeava com a esposa

Crime aconteceu próximo a rodoviária municipal, local famoso pela comercialização de drogas
Continua depois da publicidade

A violência anda solta em Canaã dos Carajás. Em menos de oito dias  já foram contabilizadas quatro mortes violentas, além dos homicidas, estupradores e ladrões presos, que elevam a taxa de criminalidade do município e põe os cidadãos locais em constante alerta. O medo é o estado comum da sociedade e a insegurança vivida pode se justificar pelos impactos sociais pós-implantação do projeto S11-D no município.

Na noite desta sexta-feira (23) mais um cruel assassinato reforçou as estatísticas do mal na cidade. Um homem, que aparentava ter cerca de 30 anos, andava de mãos dados com a sua esposa em local próximo a rodoviária municipal quando foi surpreendido pela ação criminosa. Os bandidos, dois, se aproximaram em uma motocicleta e, sem perguntar mais nada, efetuaram vários disparos contra a vítima. Sem chances de defesa, o homem, cuja a identidade não foi revelada pela Polícia Civil, morreu na hora.

Muitas pessoas viram o crime acontecer, mas ninguém quis falar nada à imprensa sobre o caso. A suspeita, no entanto, é que a motivação para o crime seja acerto de contas, já que o homem morto seria usuário de drogas e teria saído recentemente da prisão. As investigações sobre o caso continuam a acontecer.

A rodoviária de Canaã dos Carajás é improvisada e o projeto definitivo para o local ainda não saiu do papel. O local é conhecido pela intensa movimentação em torno do comércio de drogas. A PM já efetuou várias prisões no local, mas os crimes continuam a acontecer.

Redenção

Jovem de Redenção/PA é apreendido com 68 tabletes de maconha em ônibus na BR-153

A droga (55kg) teria saído de Uruaçu com destino a Redenção. O jovem receberia R$1 mil pelo transporte, informou a polícia
Continua depois da publicidade

Um rapaz de 17 anos de idade foi apreendido pela Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal na noite deste domingo(28) na BR 153 (Belém-Brasília), em Porangatu, transportando 68 tabletes de maconha.

O jovem que é residente em Redenção, no Estado do Pará, viajava em um ônibus que faz a rota Goiânia/Redenção e foi parado em abordagem de rotina da Polícia Rodoviária Federal em conjunto com a Polícia Civil, e ao checar as bagagens dos passageiros do veículo,  os agentes encontraram duas malas e uma caixa de papelão carregadas com 68 tabletes de maconha.

Após consultar as bagagens e poltronas do coletivo, os agentes constataram que pertenciam a um garoto, um menor de 17 anos.

Segundo depoimento do rapaz, ele é morador de Redenção/PA e veio até a cidade de Uruaçu onde recebeu as bagagens com a droga para transportá-las até a cidade paraense.

Ele informou ainda que pelo transporte da droga receberia cerca de um mil reais. Após serem pesados, os tabletes renderam 55 kg de maconha. Ocorrência encaminhada à Delegacia de Polícia Civil em Uruaçu.

Marabá

“Curicão” pega 7 anos de prisão 7 meses após ser preso com 18 papelotes de crack

Na sentença, juiz Alexandre Arakaki considerou grave o fato de o rapaz já ter antecedentes criminais e mandado de prisão em aberto
Continua depois da publicidade

Rápida e implacável. Foi assim que a Justiça agiu nesta semana para com Josiel Ramos Paixão, popularmente conhecida como “Curicão”, preso no dia 5 de setembro do ano passado em companhia de Antônio Carlos Santos em um bar no Bairro Jardim União, em Marabá. Com o primeiro a polícia encontrou 18 papelotes de droga e com o segundo uma pistola calibre 380 com numeração raspada.

Segundo a acusação do Ministério Público, no dia 5 de setembro de 2017, policiais militares receberam informações, via Disque Denúncia, indicando um local onde pessoas estariam em posse de arma de fogo e de drogas. A fim de averiguar a delação, os agentes da lei foram ao local indicado e ao chegarem ali, passaram a realizar revista nas pessoas ali presentes. Durante estas buscas, encontraram com Antônio Carlos Santos Araújo uma pistola 380 com numeração suprimida, com 14 munições não deflagradas, e uma munição alimentada na câmara, pronta para o disparo, bem como um papelote da droga conhecida como maconha, contendo 1,5 gramas.

Dando continuidade às buscas pessoais, as autoridades policiais encontraram com Josiel Ramos Paixão 18 pequenas porções da droga conhecida como crack, que depois a perícia confirmou que 5,9 gramas do entorpecente. Logo em seguida, os agentes deslocaram-se à residência de Josiel e, após a revista, encontraram várias munições deflagradas e três ainda intactas, de calibre 380.

Apesar da acusação do Ministério Público, para o juiz Alexandre Hiroshi Arakaki não ficou claro que a pistola fora encontrada, de fato, em poder de Antônio Carlos Santos. Testemunhas relataram que ela estava próxima do acusado, mas não exatamente com ele. Por causa disso, ele foi considerado inocente e colocado em liberdade.

Todavia, o caldo engrossou para Josiel Curicão. As provas foram consideradas robustas contra ele, além do fato de não ser réu primário. Por isso, foi sentenciado a sete ano, nove meses e dez dias de prisão em regime fechado.

Em seu interrogatório, Josiel negou as práticas criminosas imputadas contra ele, afirmando ter sido vítima de um flagrante armado e arquitetado pelos policiais militares. “Acatar a tese do réu seria infirmar todos os depoimentos prestados pelas testemunhas advertidas e compromissadas nos termos da lei e ouvidas em contraditório.  Percebo na versão do acusado o caráter fantasioso e desarrazoado, pois trata-se de narrativa claramente inócua e dissociada de qualquer outro elemento de prova. Há, claramente, a tentativa de se esquivar da aplicação da lei penal”, disse o magistrado.

Como Josiel “Curicão” já cumpriu pena em regime fechado no Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (Crama) por assalto, e havia saído em 2014 e que também tinha um mandado de prisão em aberto pelo crime de homicídio, ele começará a responder a cumprir a pena em regime fechado. (Ulisses Pompeu)

Parauapebas

Em Parauapebas, PM prende funcionário do TRE dirigindo alcoolizado, portando maconha e vestido de saia

Rolim admitiu que havia saído de um ponto de venda de drogas, mas negou que tenha desacatado os policiais: "Foi só um aborrecimentozinho”.
Continua depois da publicidade

A Polícia Militar do Pará apresentou na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas,  por volta das 5h30 da madrugada do sábado (24), o bacharel em Direito Cristiano Rebelo Rolim, 38 anos. Ele foi preso na companhia de um adolescente de 17 anos, portando maconha em seu carro, um HB20 de placas QEW-0781, Belém/PA. À
Reportagem do Blog, ele admitiu que havia saído de uma boca de fumo, “com um saquinho da droga”, mas foi abordado por uma guarnição da PM ao fazer uma contramão. Denunciado por alcoolemia, posse de entorpecente e desacato, ele nega que tenha desacatado os policiais. “Foi só um aborrecimentozinho, até pedi desculpas ao comandante”, disse Cristiano, que é funcionário público federal, lotado como Analista na 106ª Zona Eleitoral, em Parauapebas.

Cristiano é de Belém, alegou estar há apenas um mês em Parauapebas e, segundo o cabo Rebelo que fazia ronda sob o comando do sargento Ademilson, Cristiano dirigia pela Rodovia PA-275 quando, de repente, entrou em alta velocidade na Rua 11, mas pela contramão, o que chamou atenção dos policiais. Feita a abordagem, segundo o cabo, Cristiano já desceu do carro informando que é advogado, “como se quisesse intimidar a guarnição”. No entanto foi avisado de que, mesmo assim, a revista ao carro dele seria feita. No veículo foi encontrada a droga e, imediatamente, ele recebeu voz de prisão.

Rabelo conta que, uma coisa que chamou atenção da guarnição era que o advogado (consultando o site da OAB-PA, verifica-se que Rolim está com sua inscrição na OAB-PA com o status “cancelada”) estava vestido de saia e, em determinado momento, empurrou os PMs que o cercavam, correu para dentro de casa, próximo do local da abordagem, onde entrou e trancou o portão com cadeado, depois saiu já de calças. “Com medo de ser apresentado de saia na delegacia, ele foi trocar de roupa”, contou o cabo.

Cabo Rabelo também relatou que, num primeiro momento, Cristiano admitiu que a maconha pertencia a dele, mas depois, tentou pressionar o adolescente a dizer que, ele sim, era dono do entorpecente. O rapaz, porém, se recusou a fazê-lo. Já na Delegacia de Polícia, o menor assumiu a condição de testemunha e ainda cobrava um dinheiro que o advogado estaria lhe devendo.

Ao chegar à DP, Cristiano Rolim, algemado, fez várias poses para as fotos e ainda pediu algumas para postar no seu perfil no Facebook.

Mais tarde Cristiano foi conduzido até a sala de audiências da 1ª Vara Criminal da Comarca de Parauapebas para a realização da Audiência de Custódia, que foi presidida pela juíza plantonista Eline Salgado Vieira.  Na audiência estavam presentes, além de Cristiano e seu advogado de defesa, um representante do Ministério Público do Pará. Segundo a magistrada, foram observados todos os direitos constitucionais assegurados ao investigado.  Em juízo, Cristiano admitiu ser dependente de maconha, cocaína, crack, LSD, e bebida alcoólica.

A juíza homologou o auto de prisão em flagrante, mas decretou a liberdade provisória de Cristiano, arbitrando fiança em 03 (três) salários mínimos, R$ 2.862,00 (dois mil oitocentos e sessenta e dois reais). Para tanto, impôs as seguintes condições:

 a) comparecer bimestralmente em Juízo para justificar suas atividades e demonstrar residência fixa na Comarca;

 b) Manter distância/Não se relacionar com adolescentes, homens ou mulheres;

 c) Proibição de frequentar bares ou lugares congêneres;

 d) Não manter contato com as testemunhas de nenhuma forma, principalmente do adolescente LCP, seja por SMS, contato telefônico, Whatsapp;

 e) recolher-se em seu domicílio das 23h00 às 06h00, exceto se estiver em exercício laboral;

 f) não se ausentar da Comarca sem prévia autorização do juízo, sob pena de revogação da medida, com base nos arts. 282, I e II e 319, II do CPP, com nova redação da Lei nº 12.403/11;

 g) realização de tratamento no Centro de Atenção Psicossocial  – CAPS – de Parauapebas por um período mínimo de 12 (doze) meses;

As condições para a liberdade provisória de Cristiano terão prazo máximo de 18 (dezoito meses).

Reportagem: Ronaldo Modesto

Parauapebas

Polícia Militar apreende maconha pronta para ser comercializada em Parauapebas

O traficante, que é reincidente, fugiu antes que a polícia chegasse
Continua depois da publicidade

A apreensão de 3,5 kg de maconha prensada e já sendo preparada para circular no mercado do tráfico em Parauapebas se deu por  volta das 15 horas de ontem, quarta-feira (14), quando uma guarnição da Polícia Militar flagrou um menor de 14 anos portando uma pequena porção de maconha. Os policiais indagaram, então, onde o menor havia comprado a droga e ele deu o endereço, no Bairro União.

A guarnição, comandada pelo tenente Freitas, se dirigiu ao endereço indicado, mas, ao chegar, não encontrou o responsável pela boca de fumo. Na casa, foram encontrados tabletes da droga, balança de precisão, material para embalagem a Carteira de Identidade do dono da boca, Romário da Silva de Sousa, 21 anos, que, na pressa para escapar de ser preso, deixou até o documento para trás.

Segundo o tenente Freitas, Romário já foi preso pelo mesmo crime, mas acabou ganhando liberdade e já é conhecido da polícia. “Vamos continuar as buscas, porém, e assim que ele for localizado será preso novamente”, disse o oficial.

A equipe que fez a apreensão da droga é formada ainda pelo sargento Pinto, cabo Batalha e soldado Décio.

Reportagem: Ronaldo Modesto