Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Bancos

Governo auxiliará Banco da Amazônia a renegociar dívidas do FNO contraídas até dezembro de 2011

A lei 13.340 oferece aos produtores rurais a possibilidade de quitar o financiamento com um desconto de até 85% no valor total da operação ou renegociar o principal com juros baixos ou parcelar com três anos de carência e dez anos para pagamento do valor negociado.

A Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), em conjunto com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), está organizando uma força-tarefa para apoiar o Banco da Amazônia na recuperação de créditos e quitação de financiamentos contratados com recursos do Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Norte (FNO) até 31 de dezembro de 2011, aproveitando as vantagens oferecidas pela Lei 13.340, sancionada pelo governo federal. “A inadimplência dos produtores rurais hoje é um entrave para a contratação de novas operações de crédito e as condições oferecidas para a renegociação são excelentes”, afirmou o titular da Sedap, Giovanni Queiroz.

O Banco da Amazônia programou para a próxima segunda-feira (24) o Dia D, quando todas as agências estarão mobilizadas para atender os produtores interessados em renegociar ou quitar as dívidas. Os escritórios regionais da Sedap e da Emater vão ajudar na mobilização.

A lei 13.340 oferece aos produtores rurais a possibilidade de quitar o financiamento com um desconto de até 85% no valor total da operação ou renegociar o principal com juros baixos – entre 0,5% e 3,5% – e ainda três anos de carência e dez anos para pagamento do valor negociado.

A organização da força-tarefa foi discutida em reunião nesta quinta-feira (21), na sede da Sedap. Participaram do encontro, além do secretário Giovanni Queiroz, o presidente da Emater, Paulo Pedroso, o diretor comercial do Banco da Amazônia, Luiz Cláudio Sampaio, executivos da instituição e técnicos da Sedap e da Emater. “Nós precisamos divulgar maciçamente os benefícios da lei no estado. Só no Pará temos mapeadas 120 mil operações que se enquadram na renegociação, mas até agora pouco mais de 7% destas dívidas foram revistas e o prazo para a concessão de benefícios se encerra no dia 29 de dezembro. Precisamos aumentar urgentemente esse percentual de adesão”, explicou o diretor comercial do Banco da Amazônia.

As facilidades oferecidas pela legislação valem tanto para os produtores rurais que estão em dia com o pagamento quanto para os inadimplentes, e são estes últimos o maior foco de preocupação tanto da Sedap quanto do Banco da Amazônia, porque estão impedidos de realizar novas operações de crédito. E, se a inadimplência é muito alta em uma determinada cidade, todos os produtores do município ficam impedidos de contratar créditos por meio do FNO.

Emater

Prefeitura de São Domingos do Araguaia entrega 11 mil mudas de açaí a agricultores

A Prefeitura Municipal de São Domingos do Araguaia, através da Secretaria Municipal de Agricultura, que tem a frente o secretário Lourival Pimentel, realizou cerimônia de entrega de 11.000 (onze mil) mudas de Açaí BRS-Pará (precoce), no último dia 23, a 150 agricultores presentes ao evento. Esta ação visa o incentivo a produção de alimentos e a recuperação de nascentes e córregos. Os trabalhos de produção, distribuição e orientação foram coordenados pelos técnicos agrícolas, engenheira agrônoma, engenheira ambiental e o secretario.

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Pará (Emater-Pará) participou como uma das parceiras. Na ocasião, o coordenador do escritório local, técnico agrícola, Rudinei Ribeiro Magalhães compôs a mesa de abertura dos trabalhos do evento e proferiu uma palestra sobre a importância da produção de açaí. Em sua fala, ele destacou pontos importantes “como o fato do cultivo do fruto contribuir para estabilizar alguns fatores socioeconômicos vitais, como empregabilidade, estabilidade financeira, segurança alimentar, entre outros.”

Segundo Rudinei Magalhães, o Brasil passa por uma crise que tem causado sérios impactos na economia, “mas graças a Deus não chega a causar falta de alimentos”. Ele reiterou aos presentes, incluindo produtores assentados e não assentados, a maioria assistida pela Emater e residente na região da Vila Santana, que “essa quantidade de mudas de açaí aqui recebida dá pra plantar uma área de 27,5 hectares, o que corresponde a uma produção de 275 toneladas e a uma receita de R$ 275 mil”. Cada agricultor recebeu 70 mudas de açaí.

O gestor da Emater no município também ressaltou que, por ser a cadeia produtiva do açaí “uma prioridade do Governo do Estado através do Programa Pró Açaí”, o trabalho desenvolvido pela Empresa é fundamental, “por sua competência técnica, proximidade e apoio aos agricultores e à produção familiar, ajudando-os a alavancar a produção estadual”. Ao final da palestra, ele abordou técnicas de preparo de cova, adubação, irrigação, espaçamento e desbaste, que contribuem para melhorar o cultivo de açaí.

Marabá

Diretor técnico da EMATER visita regional de Marabá

O diretor técnico da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Pará (EMATER – PARÁ) Rosival Possidônio do Nascimento visitou ontem, 18, a regional de Marabá. A visita teve como objetivos principais avaliar as ações de ATER e articular as condições mínimas de trabalhos, mesmo diante da crise política e econômica em curso no Brasil.

Logo pela manhã Rosival visitou o escritório local de Marabá, onde realizou uma reunião coletiva e ouviu extensionistas rurais da EMATER. Posteriormente, respondeu os questionamentos sobre a gestão da empresa. “Enquanto não se resolve o problema administrativo, não resolvemos o problema técnico. Por isso trabalhamos integrados em regime colaborativo”, explicou Possidônio.

Rosival reafirmou que “o retorno da taxa de ATER para os escritórios regionais e locais (campo) é um compromisso, está garantido, e vem sendo cumprido pela Diretoria da EMATER no percentual de 20%, mas reconhece que o ideal seria de 50 %”.

Algumas ações estão sendo estruturadas na EMATER em âmbito central: uma coordenação de crédito rural; equipe de captação de recursos financeiros; e regularização para cobranças de serviços prestados pela empresa: declarações, elaboração de projetos e outros.

Foi recomendado que a Diretoria da EMATER busque parcerias com as empresas que desenvolvem grandes empreendimentos na área de mineração e energia: Vale e Eletronorte. Exemplo: no regional de Altamira já foi estabelecido convênio com a Norte Energia para construção de escritório e equipamentos.

Em relação à construção ou reforma do prédio da EMATER em Marabá, o diretor técnico se comprometeu eme incluir no orçamento de 2017, bem como a possibilidade de articular uma emenda parlamentar.

Na programação da visita em Marabá foram realizadas a entrega de um viveiro de mudas em parceria com Ideflor no Projeto de Assentamento Escada Alta, onde tem a ação de implantação de um Sistema Agroflorestal (SAF) em desenvolvimento; conversa com agricultora Jovair Soares – maior produtor de abacaxi do município; avaliação in loco da estrutura da Escola Família Agrícola (EFA) e de um empreendimento de produção de hortaliças em sistema de hidroponia (bem na entrada da cidade de Itupiranga).

Marabá

EMATER e Banco da Amazônia buscam estratégias para fortalecer produção de abacaxi em Marabá

Próximo a completar um ano da entrega simbólica da chave de um caminhão Acello 815/44 Mercedes Benz, no valor de R$ 149.129,00 (cento e quarenta nove mil e cento vinte nove reais), em noite memorável na Expoama, a equipe do escritório de Marabá da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em conjunto com a gerente Leila Micherle e a agrônoma Sheila Patrícia Gomes, do Banco da Amazônia – Agência Nova Marabá, visitaram no último dia 25 (segunda-feira) a propriedade da família Soares para reforçar a parceria em favor da agricultura familiar com ênfase na produção de abacaxi.

Desde 2006, a família se estabeleceu no Assentamento Belo Vale, localizado a 18 Km da sede do município de Marabá. Iniciaram as atividades com a produção e comercialização de hortaliças, mas a perspectiva da família era a cultura do abacaxi, que foi implantada naquele mesmo ano, em uma área inicial de 05 ha, atualmente a cultura ocupa 08 hectares da propriedade.

Toda a produção é comercializada no mercado local, nas feiras de Marabá. Com o aumento da produção, a aquisição de um caminhão através do Pronaf Mais Alimentos, elaborado pela EMATER e contratado pelo Banco da Amazônia, foi essencial para garantir a comercialização da produção sem a necessidade de atravessadores.

A gerente da agência do Banco da Amazônia da Nova Marabá, Leila Micherle Souza pôde constatar in locu a experiência da família, e não teve dúvidas quanto à viabilidade do projeto elaborado pela EMATER para aquisição do caminhão.

E, no que depender da família, o caminhão será muito bem utilizado, pois pretendem aumentar a produção de abacaxi, limão e ponkan, que hoje juntas ocupam 12 ha e geram uma renda bruta anual de aproximadamente R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais). Além de outras culturas que completam a renda e alimentação da família, tais como o milho, a melancia e hortaliças.

O técnico em agropecuária da EMATER Richardson Mourão constatou que a experiência do Sr. Jovailton e sua família têm influenciado seus vizinhos, pois muitos já estão diversificando a produção com a implantação da cultura do abacaxi e citros. Além disso, produtores de outros municípios, como Novo Repartimento, já adquiriram mudas de abacaxi com Sr. Jovailton e estão diversificando a produção.

A socióloga Franceli Sousa Silva (EMATER) explicou: “trata-se de uma experiência inovadora, pois em uma região onde predomina a bovinocultura são raras as experiências de diversificação da produção, especialmente com fruticultura. Que tenham êxito em todas as etapas da cadeia produtiva, ou seja, desde a produção até a comercialização”.

Para o engenheiro agrônomo Weberson Rodrigues Rocha coordenador local da EMATER em Marabá “o cultivo do abacaxi fortalece a agricultura familiar no município de Marabá e também na economia local, pois produz e gera renda dentro do município, além de dispor de frutas frescas, produzidas localmente, gerando trabalho e renda”.

Piçarra: Emater e Banco da Amazônia liberam crédito que contempla energia elétrica

Picarra Eletrificacao Rural FlavioA Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) através do escritório local de Piçarra, em parceria com agente financeiro Banco da Amazônia – Agência Xambioá – Tocantins, no âmbito do Plano Safra 2015/2016, contratou em novembro de 2015 um projeto de financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), na linha “Mais Alimentos”, no valor R$65.463,60 (sessenta e cinco mil e quatrocentos e sessenta e três reais e sessenta centavos), para agricultor familiar Francisco Silva do Projeto de Assentamento Oziel Pereira para compra de matrizes e construção de reservatório de água. Com um item especial o financiamento da eletrificação rural no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais), que visa o desenvolvimento da pecuária leiteira:

A equipe da Emater e os/as agricultores/as comemoraram esta possibilidade de financiamento via PRONAF, considerando que o Programa Luz Para Todos ainda não atingiu cobertura de 100% e muitas famílias não tiveram acesso à energia elétrica. Para Flávio Vidal “do nosso conhecimento é primeiro projeto que contemplam a eletrificação rural.” Outros projetos semelhantes estão sendo estudados pela Emater, em vista de beneficiar maior número de agricultores/as familiares.

Agora em fevereiro de 2016 foi um carnaval de alegria para o senhor Francisco Silva e família com a chegada da energia elétrica na propriedade com impacto na qualidade de vida da família e melhoria na produção agrícola. “O terreno ali é bem seco. Tendo energia, o produtor pretende construir um poço semi-artesiano, que ajudará na criação de pequenos animais e produção de hortaliças.”, explica o técnico em agropecuária e gestor ambiental da Emater Flávio Vidal.

Emater distribui sementes de feijão Caupi em São Domingos do Araguaia

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), através do escritório local de São Domingos do Araguaia distribuiu 200 kg (duzentos quilos) de feijão Caupi obtidos através de doação junto a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), pleito atendido pelo gerente regional da Sedap, Marivan Oliveira Sousa.

feijao caupi sdaForam atendidos 35 (trinta e cinco) olericultores (produtores de hortaliças) e agricultores/as da Chamada Pública do Leite. Para o coordenador local, o técnico Anselmo Caldas Filho, “a intenção é que os agricultores possam futuramente reproduzir a sua própria semente”. Um dos produtores, José de Souza Queiroz, plantou consorciado feijão com quiabo e já está prestes a colher os primeiros grãos, já que o plantio aconteceu em novembro. A sua propriedade está localizada no km 48 da rodovia Transamazônica.

Vale ressaltar que Emater executa na região Chamada Pública SAF/ATER/MDA nº 07/2013 – Lote nº 4  – cujo objeto é a assistência técnica e extensão rural para promoção da agricultura familiar na cadeia produtiva do leite –  visando atender 500 famílias em dez municípios. A técnica em agropecuária da Emater, Raimunda Maria Santos Silva, informou que “em São Domingos do Araguaia são assistidas 45 famílias, e que está em fase de implantação duas Unidades de Referências, distribuídas em dois núcleos: 1 Região do Água Fria e 2 Região Vila Santana.”

O extensionista rural Rudinei Ribeiro Magalhães informou que já foram realizadas as seguintes atividades pela Chamada do Leite: reunião para planejamento; visitas às famílias; diagnóstico (DRP). Atualmente está na fase de planejamento de oficinas temáticas (cursos), elaboração do projeto produtivo e consolidação das unidades de referências.

O zootecnista Diego Pinheiro ressaltou a existência de duas unidades de referência para produção de leite, e, em uma delas, a parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) liberou um crédito para desenvolvimento nesta unidade de aproximadamente R$ 30.000.00 ( trinta mil reais) na propriedade do agricultor Márcio Iop para instalação de um rotacionado irrigado para o gado leiteiro de raça Jersey . O zootecnista tem prestado assistência na região de São Domingos auxiliando na produção animal, principalmente sobre a criação de suínos e formulação de ração para gado de leite utilizando ureia com cana e utilização de técnicas de suplementação para períodos secos (estação).

Sudeste do Pará

Sedap e Emater entregam mudas de banana a agricultores do sudeste paraense

20160120_105133A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio) entregaram, no último dia 20, para os municípios da região sudeste do Pará, 30 (trinta) mil mudas de bananas de três variedades resistentes às doenças. As mudas foram compradas pelo Governo do Estado junto à Embrapa – Cruz das Almas – Bahia.

Os municípios beneficiados foram: Canaã dos Carajás, Eldorado dos Carajás, São Domingos do Araguaia, Itupiranga, Nova Ipixuna, São João do Araguaia, Breu Branco e Marabá, pois já haviam feito uma solicitação prévia.

O evento seu deu no Viveiro de Mudas de Marabá, em fase de implantação, que deverá ser o melhor e maior no âmbito público. O secretário Jorge Bichara se colocou a disposição da parceria em favor da agricultura.

Estiveram presentes, entre outros, o Secretário de Estado Hildegardo Nunes, titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), órgão do governo estadual ao qual a Emater é vinculada.

O gerente regional da Sedap, Marivan Oliveira Sousa elogiou a parceria com Emater, que dá assistência no âmbito municipal. Por outro lado, o supervisor Regional da EMATER em Marabá, Francisco da Silva Ferreira informou que esta é apenas uma de mais ações que virão em 2016 em convênio com Sedap e Ideflor, sempre visando a melhoria da produção rural e florestal.

Pecuária

Ração de mandioca sustenta gado durante seca prolongada em São Geraldo do Araguaia

Quarenta agricultores, assentados da reforma agrária no PA Vale da Mucura II, em São Geraldo do Araguaia, no sudeste do Pará, estão comemorando um rebanho consideravelmente mais produtivo graças a uma iniciativa inovadora do escritório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (EMATER) na região: uma ração exclusivamente à base de folha e raiz de mandioca. A ração de mandioca é uma alternativa já comum no nordeste do Brasil, mas ainda pouco difundida no Pará.

sga 2

A suplementação na alimentação tem garantido a engorda dos animais durante o período de seca, que costuma durar seis meses e este ano tem se mostrado ainda mais prolongado, além de aumentar a produtividade do leite em cerca de 30 %. Na seca, o gado tende a emagrecer devido às perdas nas pastagens, o que repercute diretamente na produção de leite.

“Cada animal tem engordado em média 700g por dia, o que é até mais do que a média de engorda do “período verde” (época de chuvas). E a produtividade em relação ao leite é um ótimo indicativo”, aponta o chefe do escritório local da EMATER em São Geraldo, o técnico em agropecuária Edilson Pereira.

A mandioca da qual se origina a ração é plantada pelos próprios pecuaristas, com adubação e correção do solo. O processo de fabricação da ração é todo artesanal e envolve etapas de limpeza e dissecamento, entre outras. O excedente tem sido estocado para o inverno do ano que vem ou vendido para comunidades vizinhas.

Um evento de Demonstração Técnica (DT) foi realizado pela EMATER no fim de outubro, para divulgação entre os/as agricultores/as. A ideia é expandir o procedimento entre o maior número de beneficiários atendidos.

Para o Supervisor Regional de Marabá Francisco da Silva Ferreira “França” são os primeiros resultados de muitos que virão frutos da Chamada Pública ATER/SAF/MDA nº 07/2013 para a promoção da agricultura sustentável na cadeia produtiva do leite.

error: Conteúdo protegido contra cópia!