Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Canaã dos Carajás

Empreendedores participam de ciclo de palestras motivacionais em Canaã

A primeira palestrante foi Milla Coelho, que se formou em Contabilidade, mas chegou ao sucesso se especializando em dermopigmentação
Continua depois da publicidade

O primeiro ciclo de palestras motivacionais para os empreendedores de Canaã dos Carajás aconteceu na noite desta segunda-feira (28), no auditório da Semdec (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico). Na ocasião, dezenas de empreendedores do ramo da beleza e outros segmentos conheceram, por meio da jovem empresária e especialista em dermopigmentação, Milla Coelho, um pouco do que seria a “chave para o sucesso”.

“O primeiro passo para o sucesso é fazer a sua escolha: você é o responsável por fazer dar certo. O segredo do sucesso é nunca desistir. Desde o dia em que eu abri o meu primeiro negócio, eu já sabia que ia dar certo”, disse ela.

Milla conta que se comprometeu cada segundo, pois queria que desse certo. “Com dois anos de Canaã, abri minha empresa e levei adiante os meus sonhos. No meu primeiro salão tínhamos uma cadeira de plástico e um espelho na parede. Mas, eu sempre quis ter o sucesso. Além disso, amo mudança, pois isso é o que nos leva para frente”, ensina.

Em tempos de crise, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Jurandir José dos Santos, destacou a importância da palestra motivacional para o município. “Palestras como essa colaboram com o crescimento profissional de pessoas que se arriscam na missão de empreender. Devemos sempre estar atentos aos bons exemplos e a Milla, com certeza, é um modelo de sucesso a ser seguido. Todos nós temos muito a aprender”.

Milla, que é formada em Contabilidade, também ressaltou o momento crítico em que se encontra o Brasil, destacando: “Eu acredito que a crise é uma desculpa para as pessoas que não querem realmente focar no seu sucesso. Para quem é focado e quer vencer na vida, a crise definitivamente não chegou”.

A expectativa da Semdec é promover mensalmente ao menos uma palestra motivacional para os empreendedores da cidade.

Parauapebas

Acip realiza o 1º Café de Negócios em Parauapebas

O objetivo é facilitar a interação entre fornecedores e compradores para a realização de negócios
Continua depois da publicidade

Quem faz parte do mundo dos negócios provavelmente já ouviu falar em Networking. Caso contrário, podemos dizer que se trata no desenvolvimento de uma rede de contatos formada por pessoas ligadas ao seu campo de atuação.

Pensando nisso, a Associação Comercial e Industrial de Parauapebas (Acip) vai realizar na próxima terça-feira, 17, o 1º Café de Negócios. O intuito é fomentar o Networking criando novas oportunidades de negócios.

O evento, que contará com a participação da mineradora Vale, é destinado às empresas que trabalham com manutenção e calibração de equipamentos de laboratório; aferição de tacógrafos; manutenção de tendas e galpões; manutenção de empilhadeiras; e com maquinas de solda.

“Queremos que as grandes empresas absorvam os produtos e serviços dos fornecedores locais, contribuindo de forma bastante significativa com a economia do município. Desta forma, buscamos facilitar a interação entre os empresários para a realização de grandes negócios”, destaca Humberto Costa, presidente da Acip.

O evento contará com ao apoio do Sebrae, que contribuirá com a condução da rodada de negócios. Segundo Raimundo Nonato, gerente do escritório do Sebrae em Parauapebas a ideia é ampliar, usar e cuidar da rede de relacionamentos, que é vital para o sucesso empresarial. Inclusive esta é uma das características empreendedoras trabalhadas no Curso EMPRETEC e nos demais cursos de empreendedorismo do Sebrae.

“É necessário que o empresário consiga identificar instituições e pessoas com conhecimentos e influência que de alguma forma possam ser úteis para o seu negócio. Além disso, planejar aproximação e manutenção de relacionamento colaborativo é fundamental. O empresário deve fazer uma boa gestão de sua rede aproveitando toda oportunidade para ativar o relacionamento, evitando passar muito tempo sem contato”, destaca Raimundo.

Participe

O 1º Café de Negócios da Acip será realizado na próxima terça-feira, 17, a partir das 08h30, no auditório da instituição que fica na Rua 24 de março, nº 2, no bairro Rio Verde.

Os empresários interessados em participar devem fazer a inscrição através do e-mail: gerencia@acipparauapebas.com.br ou pelos telefones: (94) 9 9239–2558 ou 3356- 1871.

Marabá

Marabá entra no Sistema Redesim e cria a Sala do Empreendedor

Medida visa diminuir o sofrimento de quem pretende abrir uma empresa e tem vencer a demorada burocracia que cerca os diversos procedimentos necessários
Continua depois da publicidade

Aconteceu na noite de ontem (28), em Marabá, o III Seminário Intermunicipal Redesim, realizado pela Jucepa (Junta Comercial do Estado do Pará) em parceria com a prefeitura e outros 13 órgãos estaduais e federais. Redesim é a Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios. É um sistema integrado que permite a abertura, fechamento, alteração e legalização de empresas em todas as Juntas Comerciais do Brasil, simplificando procedimentos e reduzindo a burocracia ao mínimo necessário.

Para se adequar à REDESIM a Prefeitura de Marabá promoveu também ontem, treinamento aos funcionários de todas as secretarias envolvidas no processo de abertura, fechamento e outros procedimentos relativos à movimentação de empresas, tendo em vista Decreto Municipal 09/2018, de 16 de março, criando a Sala do Empreendedor, órgão ligado à Sicom (Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Ciência, Tecnologia, Mineração e Turismo).

Segundo Ricardo Pugliese, titular da Sicom, apesar de a Redesim existir há mais de 10 anos, o sistema ainda não funcionava em Marabá. Agora, o prefeito Tião Miranda recomendou a implantação dessa ferramenta na cidade. Pugliese avaliou o seminário como excelente, com a presença de aproximadamente 180 pessoas de Marabá e municípios vizinhos.

O presidente da Acim (Associação Comercial e Industrial de Marabá), Ítalo Ipojucan Costa, destacou que o Brasil ocupa a 123ª posição entre os países e que a burocracia causa demora na abertura de empresas.

Segundo ele, são 119 dias, enquanto na Nova Zelândia o interessado abre ou encerra uma empresa em apenas um dia e sem pagar um centavo, enquanto no Brasil, o custo é o mais alto do mundo: R$ 2.038,00 por empresa registrada.

Ítalo alerta que a Sala do Empreendedor, agora fazendo parte do Redeseim, era um pleito antigo da Associação Comercial, haja vista as dificuldades que o empresariado tem para abrir e fechar um negócio, conseguir um alvará, renovar o alvará, tirar uma licença ambiental ou uma licença do Corpo de Bombeiro,

“Tudo é uma dificuldade, são várias estruturas e o empresário tem de visitar cada uma delas, com a mesma papelada, replicando os mesmos movimentos. E isso pode ser muito bem otimizado tendo uma fonte de referência e uma porta de entrada”, afirma Ítalo Ipojucan, alertando, entretanto: “Não adianta, porém, entrar no sistema pela primeira vez e tudo funcionar e, depois, quando for a época de renovar as licenças, cair na vala comum novamente e andar de secretaria em secretaria. Aí não funciona”.

A diretora de Registro de Comércio da Jucepa, Ieda Carvalho, representou a presidente da Junta, Cilene Sabino, desatacando a força de Marabá como 4º lugar no ranking de municípios com 17.860 empresas operando. Falou dos avanços conquistados pela instituição durante os 10 anos de existência da Redesim e estimulou a todos aderirem ao sistema.

O público assistiu ainda a nove minipalestras, cada uma com duração de 20 minutos, sobre Regularização de Empresas no Corpo de Bombeiros pelo Integrador Pará, O TCE e o Controle Externo, Contador e Tecnologia: Rivais ou Aliados, O Papel da Codec no Apoio aos Novos Negócios, E-Social: uma nova era nas relações entre empregados, empregadores e governo, Jucepa Digital: facilitando seu registro, O Apoio ao Empresariado Local à Redesim, A Prefeitura de Marabá da Redesim e Pará 2030 – Avanços do Programa de Perspectiva da Economia Paraense.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá