Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Tucuruí

MEC suspende implantação de curso de medicina em Tucuruí

Edital previa que Tucuruí teria inicialmente 50 vagas para o curso de graduação
Continua depois da publicidade
O Ministério da Educação e Cultura suspendeu a implantação do curso de medicina em Tucuruí. A decisão foi divulgada em Portaria Ministerial publicada no último dia 10 de maio, mas somente ontem o documento ficou disponível para consulta no portal do MEC.

No documento, o Ministério, por meio da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (SERES), cumpre à decisão proferida nos autos do Processo número 1004915-80.2018.4.01.0000, em trâmite no Tribunal Regional Federal da 1a. Região, e considerando o Parecer de Força Executória número  0255/2018/COASPEQUAD/PRU/AGU, que decidiu suspender o prosseguimento da chamada pública para autorização de funcionamento de cursos de medicina nos municípios de Tucuruí, no Pará, e em Limeira, em São Paulo.

Com isso, o processo de implantação do curso de medicina em Tucuruí está suspenso.

A Instituição de Ensino Superior que havia sido classificada para implantar o curso em Tucuruí, a faculdades Minas Gerais Educação S/A, não se pronunciou sobre a decisão.

O Ministério da Educação comunicou que o processo de implantação está suspenso e não cancelado. O MEC informou que “vai respeitar a decisão judicial e que só dará continuidade ao processo caso haja uma decisão judicial para a continuidade”.

Tucuruí estava apto a receber o curso desde 2015, no entanto, na primeira seleção nenhuma das seis Instituições que se candidataram conseguiram passar no processo seletivo, quando o Ministério da Educação (MEC) lançou o edital para a seleção de propostas de funcionamento de novos cursos de medicina no país.

Em julho o MEC abriu a seleção para as mantenedoras de instituições de educação superior do sistema federal de ensino. Além de Tucuruí foram contemplados os municípios de Limeira, em São Paulo, e Ijuí, no Rio Grande do Sul.

O edital previa que o curso em Tucuruí teria 50 vagas para o curso de graduação e sete mantenedoras enviaram propostas. O MEC analisou a capacidade econômico-financeira, o mérito das propostas, e a experiência regulatória, que inclui a verificação qualidade institucional da IES e seus cursos, além da experiência na oferta de cursos de graduação e pós-graduação na área de saúde.

O chamamento do MEC para a criação de novos cursos de medicina acontece dentro do programa Mais Médicos, que seleciona os municípios a partir de critérios que levam em consideração a relevância e a necessidade social da oferta do curso de medicina e a estrutura de equipamentos públicos.

Pará

Unifesspa e IFPA assinam acordo de cooperação técnica para ações de ensino

Reitor da universidade, em discurso empolgado e veemente, afirma que o fundamental na construção de uma Nação e o ensino público de qualidade, mas, para isso, é preciso eliminar as assimetrias
Continua depois da publicidade

A Unifesspa (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará) e o IFPA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará) assinaram na manhã desta segunda-feira (23) Acordo de Cooperação Técnica tendo em vista ações conjuntas que assegurem a realização de atividades de interesse das duas instituições. O Plano de Trabalho do acordo visa o desenvolvimento tecnológico regional, por meio de ensino, pesquisa e extensão. Num primeiro momento estão previstas um conjunto de ações envolvendo o IGE (Instituto de Geociências e Engenharia), pela Unifesspa; e o Campus Tecnológico e Marabá, pelo IFPA.

A cooperação será dividida em etapas independentes, em níveis crescentes de inserção, que podem ser desde visitas técnicas às instituições, pesquisa, uso de equipamentos, espaço físico ou, até mesmo, aulas experimentais.

O IFPA, visando a melhoria na qualidade do ensino tecnológico na região, discutiu a ampliação da área de atuação e obteve recursos material, físico e humano para o Campus Avançado de Marabá, enquanto o IGE apresenta demandas de laboratórios e profissionais qualificados.

Esforço conjunto

Logo, o Acordo de Cooperação Técnica entre as duas instituições viabiliza estrutura comum para o desenvolvimento das atividades relacionadas a ensino, pesquisa e extensão, como gerador de conhecimentos na região. O aspecto relevante disso será a fixação de profissionais na região, além do desenvolvimento de tecnologias por esses mesmos profissionais.

Ao falar à plateia do auditório do Campus 1 da Unifesspa, formada pro acadêmico, professores e funcionários da universidade, o diretor-geral do IFPA – Campus Industrial de Marabá, Marcelo Edgar Maia, destacou que a assinatura do Acordo de Cooperação foi a culminância de eventos que já há algum tempo vêm acontecendo, por meio do esforço das duas instituições para se unirem oficialmente.

“Em verdade essa união, essa cooperação já existe informalmente, há alguns anos. Eu diria que não é uma coisa que precisa dar certo, pois vem dando certo, só precisava oficializar mesmo”, salientou Marcelo, acrescentando que, ao tornar oficial a parceria a tendência é ampliar essa cooperação, por meio da área de ensino, de graduação e até de pós-graduação.

Crescer junto

“Nós temos muito que crescer aqui na nossa região, as duas instituições são novas e estão crescendo. Então temos de crescer juntas. Ninguém cresce sozinho e, nós, que estamos já há algum tempo aqui em Marabá, sabemos que, quanto mais nos unirmos, mais vamos crescer”, enfatizou o diretor-geral do IFPA, reafirmando não ter dúvida de que isso vai acontecer “e, agora, de maneira bem mais rápida”.

O reitor do IFPA, Cláudio Alex Jorge da Rocha, em seu discurso, lembrou que a Unifesspa tem sido parceira constante do instituto, e que este precisa dessas oportunidades. Salientou que as instituições estão vivendo um declínio acentuado de investimentos públicos na Educação, o que impede, por exemplo, de fazer ampliações, “impactando as ações dos campi, principalmente do Campus Industrial, que está limitado num espaço físico, que, se fosse maior, já teria crescido muito mais”.

Cláudio Alex disse ainda esperar que essa relação com a Unifesspa continue cada vez mais estreita, a fim de que as duas instituições possam melhorar, se aperfeiçoar, ampliar o intercâmbio de professores e alunos das duas instituições e que o IFPA possa promover cursos de stricto senso, em parceria, sempre com foco no desenvolvimento da região.

Construindo uma Nação

“A gente acredita, todos nós acreditamos que é a Educação que vai transformar o mundo. A educação que nós oferecemos, tanto a universidade quanto os institutos, tem dentro do seu contexto não só o ensino, o que alavanca ainda mais esse desenvolvimento, afirmou o reitor, completando: “O nosso forte é a pesquisa, a extensão e a inovação”.

Maurílio Monteiro, reitor da Unifesspa, por seu turno, disse que será muito bom ter alunos do IFPA convivendo diuturnamente com os alunos da Unifesspa, porque essa convivência dá o sentido de ensino generalizado. “É muito importante essa integração”, reforçou ele.

O reitor discorreu ainda sobre as vantagens que encerra a Cooperação, para as duas instituições, se empolgou com mais essa parceria, dirigiu palavras de elogio ao colega Cláudio Alex e aos demais membros do corpo docente do IFPA, lembrando que, no início da cerimônia foi executado e cantado o Hino Nacional, e dizendo que aquilo não era uma mera formalidade, enfatizando: “Nós estamos aqui em nome de um projeto de Nação. Nós procuramos diminuir as assimetrias. Os alunos que estão aqui têm de ter as mesmas condições de um aluno de uma escola privada de São Paulo. Isso é o que constrói uma Nação”, assinalou, acrescentando que “para conseguir isso é preciso ser criativo”.

Simetria

“A simetria significa que nós tenhamos as condições iguais. Ou seja, melhor ensino, melhores laboratórios, melhor qualificação dos professores e integração para construir um projeto de Nação. E, nesse projeto de Nação, uma coisa é fundamental: a educação pública de qualidade. E o que nós estamos fazendo aqui é isso, um esforço criativo para obter, no projeto de Nação, viva, presente e crescente a perspectiva de diminuir as assimetrias com um ensino público de qualidade”, frisou Maurílio Monteiro.

Participaram ainda da cerimônia: Elias Fagury, pró-reitor de Ensino e Graduação da Unifesspa; Carlos Vinícius de Paes Santos, diretor substituto de Ensino do IFPA – Campus Industrial de Marabá; Riguel Feltrin Contente diretor de Pesquisa, Extensão, Pós-Graduação e Inovação Tecnológica do IFPA – Campus Industrial de Marabá; e José de Arimatéia Costa de Almeida, diretor do IGE da Unifesspa, além de representantes do Exército e outras autoridades.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá
Educação

UNAMA está com as inscrições abertas para mestrado e doutorado

Editais são para os programas de Administração; Comunicação, Linguagens e Cultura; Desenvolvimento e Meio Ambiente Urbano e Direitos Fundamentais
Continua depois da publicidade

Estão abertas as inscrições de processos seletivos para turmas de 2018 dos Programas de Mestrado e Doutorado em Administração; Comunicação, Linguagens e Cultura; e Desenvolvimento e Meio Ambiente Urbano da Universidade da Amazônia (UNAMA). Os editais estão disponíveis no site da instituição.

As inscrições podem ser realizadas no site da universidade até o dia 8 de janeiro de 2018, de 14h às 21h, ou nas secretarias dos programas. A exceção é o programa de Administração, que segue com inscrições até dia 29 de dezembro. As etapas são compostas por prova discursiva, análise de projeto de dissertação ou tese, entrevista e análise de currículo.

De acordo com a Pró-Reitora de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da UNAMA, Dra. Ana Vasconcellos, a universidade segue rigorosamente as orientações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), fundação do Ministério da Educação (MEC), para o processo seletivo. “Os cursos de mestrado e doutorado têm por objetivo formar recursos humanos em alto nível para atuar em pesquisa, ensino, desenvolvimento científico e tecnológico e, ainda, no campo de trabalho onde se exige cada vez mais profissionais capazes de responder a problemas práticos complexos”, afirma.

Ensino Superior

Tucuruí tem faculdades selecionadas e habilitadas para implantação do curso de Medicina

Edital prevê que Tucuruí terá inicialmente 50 vagas para o curso de graduação
Continua depois da publicidade

Duas instituições de curso superior foram selecionadas pela Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) para a implantação futura do curso de Medicina. A notícia foi divulgada pela Seres nesta terça-feira (19) informando que estão habilitadas as faculdades Minas Gerais Educação S/A e a Faculdades Integradas Brasil Amazônia S/S Ltda., respectivamente em primeiro e segundo lugar.

Tucuruí estava apto a receber o curso desde 2015, no entanto, na primeira seleção, nenhuma das seis Instituições que se candidataram conseguiram passar no processo seletivo, quando o Ministério da Educação (MEC) lançou o edital para a seleção de propostas de funcionamento de novos cursos de medicina no país.

Em julho, o MEC abriu a seleção para as mantenedoras de instituições de educação superior do sistema federal de ensino e além de Tucuruí, foram contemplados os municípios de Limeira, em São Paulo, e Ijuí, no Rio Grande do Sul. 

O edital prevê que o curso em Tucuruí tenha 50 vagas para o curso de graduação. No total, sete mantenedoras enviaram propostas. O MEC analisou a capacidade econômico-financeira; o mérito das propostas e a experiência regulatória, que inclui a verificação qualidade institucional da IES e seus cursos, além da experiência na oferta de cursos de graduação e pós-graduação na área de saúde.

O chamamento do MEC para a criação de novos cursos de medicina acontece dentro do programa Mais Médicos, que seleciona os municípios a partir de critérios que levam em consideração a relevância e a necessidade social da oferta do curso de medicina e a estrutura de equipamentos públicos.

Ao fim do processo, o município de Tucuruí deverá se comprometer em oferecer à instituição de ensino superior vencedora a estrutura da rede pública de saúde para a implantação e funcionamento de novo curso de graduação em medicina, que deverá incluir programas de residência médica nas modalidades de Medicina Geral de Família e Comunidade.

Ensino superior

UFPA abre nesta terça-feira (03) inscrições para PS 2018. Serão ofertadas 7.350 vagas para 83 cursos.

As inscrições vão até 30 de outubro e podem ser feitas no site do Centro de Processos Seletivos (Ceps).
Continua depois da publicidade

Começa nesta terça-feira (3) o período de inscrições para o Processo Seletivo 2018 (PS 2018) da Universidade Federal do Pará (UFPA). As inscrições vão até 30 de outubro e podem ser feitas no site do Centro de Processos Seletivos (Ceps).

A UFPA está ofertando o total de 7350 vagas para 83 diferentes habilitações. De acordo com o edital, 5903 dessas vagas são distribuídas no PS 2018 e outras 1450 (20%) disponibilizadas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação (Mec).

Taxa de inscrição

A taxa de inscrição para o PS 2018 aumentou para R$50. O valor é uma das mudanças em comparação ao PS 2017, quando a inscrição custava R$35.

São isentos do pagamento da taxa todos os alunos cotistas e candidatos que estudaram todo o Ensino Médio em escola pública ou em escola privada, mas com bolsa integral. Para aqueles que não se enquadram no perfil de isentos, o pagamento deve ser efetuado até dia 31 de outubro.

Cota PCD

Outra mudança foi no Sistema de Cotas para Pessoas com Deficiência (PCD). Até o PS 2017, a UFPA realizava um sistema de cotas próprio, em que era disponibilizado uma vaga em cada curso para os candidatos declarados Pessoas com Deficiência (PCD).

Com a nova lei federal nº 13.409, de 28/12/2016, e do Decreto nº 9.034, de 20/04/2017, a demanda PCD, obrigatoriamente, passou a ser incluída no sistema geral de cotas, levando em consideração o percentual de pessoas com deficiência atestado pelo último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Novo curso

Em 2017 a UFPA está ofertando um novo curso de Bacharelado em Desenvolvimento Rural, com 45 vagas. O curso é criado com base no Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural.

“Levando em consideração as especifidades da nossa região, na qual se tem um incentivo muito grande para a agricultura familiar, percebeu-se a necessidade de formar gestores nessa área. Portanto este curso visa forma a mão de obra necessária”, explicou o assessor do Ceps, Arquimimo de Almeida Filho.

Serviço

Inscrições para o PS 2018 da UFPA

Período: de 3 a 30 de outubro de 2017

Pagamento da taxa: até 31 de outubro de 2017

Acesse aqui o catálogo de cursos ofertados pela UFPA

Fonte: G1-PA

Ensino Superior

Senador Paulo Rocha (PT-PA) propõe a criação da Universidade Federal do Xingu – UFX

A proposta é desmembrar a Universidade Federal do Pará para criar a instituição, que terá sede em Altamira.
Continua depois da publicidade

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte analisa uma proposta do senador Paulo Rocha (PT-PA) que autoriza a criação da Universidade Federal do Xingu – UFX – (PLS 359/2017). A ideia é desmembrar a Universidade Federal do Pará para criar a instituição, que terá sede em Altamira, no sudoeste paraense, e ficará vinculada ao Ministério da Educação.

Segundo Paulo Rocha, o projeto pretende dar continuidade à interiorização e expansão do ensino superior federal, e gerar desenvolvimento da Região Norte, que é uma imenso campo de pesquisas científicas e tecnológicas, especialmente sobre hidrelétrica, mineração e biodiversidade.

A proposta está em análise na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, onde aguarda a escolha do relator.

Educação

“Educa Mais Brasil” disponibiliza bolsas de estudo em Eldorado dos Carajás

Para ser contemplado é preciso não ter condições de pagar o valor integral da mensalidade e realizar a inscrição por meio do site.
Continua depois da publicidade

Estar qualificado tornou-se o maior desejo de muitos brasileiros. Isso porquê uma boa formação educacional, além de destacar o currículo e valorizar o profissional, ajuda a obter uma dose extra de conhecimentos. Porém, planejar a capacitação na área almejada parece ser uma realidade distante quando o investimento não cabe no orçamento.

Se você se encaixa nesse perfil, não se preocupe. O Educa Mais Brasil te dá a oportunidade para alcançar o seu objetivo profissional por meio de bolsas de estudo com até 70% de desconto. Este programa de inclusão educacional já ajudou mais de 450 mil alunos durante os seus 14 anos de atuação em todo o país.

O ingresso a uma educação de qualidade vai além de atingir o sucesso profissional, como pontua a Diretora de Expansão e Relacionamento do Educa Mais Brasil, Andreia Torres: “o Educa Mais Brasil oferece o ponto de partida para que uma pessoa possa alcançar um propósito de vida, ajuda também a evoluir cada vez mais os conhecimentos e escrever uma história”.

Neste semestre de 2017.2, o programa dispõe de 250 mil bolsas de estudo, conta com a adesão de mais de 18 mil instituições parceiras e inscreve estudantes de todas as regiões do país. No estado do Pará são oferecidas mais de 45.400 mil bolsas de estudo nas modalidades presencial e EAD. Em Eldorado dos Carajás, as oportunidades são para Graduação, Pós-Graduação, Idiomas, Preparatório para Concursos, Cursos Profissionalizantes e Pré-Vestibular/Enem.

O Educa Mais Brasil também atende a população das cidades vizinhas, sendo possível verificá-las no site. Para ser contemplado é preciso não ter condições de pagar o valor integral da mensalidade, realizar a inscrição por meio do site: www.educamaisbrasil.com.bre ficar atento ao regulamento do Programa.

Mais informações podem ser obtidas na central de atendimento pelos telefones 4007-2020 para Capitais e Regiões Metropolitanas ou 0800 724 7202 para demais localidades.

Educação

Ministros Helder Barbalho e Mendonça Filho articulam a implementação de novos cursos de ensino superior em Parauapebas

Saúde é um dos principais setores a serem beneficiados pela iniciativa, que visa gerar oportunidades a jovens estudantes paraenses
Continua depois da publicidade

Os ministros da Integração Nacional, Helder Barbalho, e da Educação, José Mendonça Filho, se reuniram nesta quinta-feira (24) para viabilizar a implementação de novos cursos de ensino superior aos estudantes do município de Parauapebas, no Pará.  O objetivo da iniciativa é gerar novas oportunidades aos jovens paraenses, sobretudo na área de saúde, e com isso estimular o desenvolvimento regional. A reunião contou com a presença do prefeito da cidade, Darci Lermen, que informou que o projeto vem sendo planejado já há algum tempo, e do reitor da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Marcel Botelho.

“Estamos trabalhando para viabilizar mais oportunidades aos jovens paraenses, sobretudo nas áreas de saúde, uma demanda latente no estado. Esta parceria com o Ministério da Educação nos faz vislumbrar a possibilidade, de que em futuro próximo, esta importante iniciativa seja concretizada”, ressaltou o ministro da Integração, Helder Barbalho.

Para o ministro da Educação, José Mendonça, a iniciativa contribui para a expansão do ensino superior no Pará. “Tendo em vista as vastas possibilidades geradas pelos avanços no ensino superior, decidimos apoiar este projeto e criar uma estrutura que possibilite ainda mais o crescimento para a região de Parauapebas”, afirmou.

O prefeito da cidade destacou que este é um passo muito significativo para o desenvolvimento sustentável da região. “Esta é a realização de um projeto que vem sendo planejado ha bastante tempo. Agora é hora de trabalharmos intensamente para avançarmos neste projeto e colocar em prática tudo aquilo que sonhamos para os nossos jovens”, enfatizou Darci Lermen.