Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Ensino superior

UFPA abre nesta terça-feira (03) inscrições para PS 2018. Serão ofertadas 7.350 vagas para 83 cursos.

As inscrições vão até 30 de outubro e podem ser feitas no site do Centro de Processos Seletivos (Ceps).

Começa nesta terça-feira (3) o período de inscrições para o Processo Seletivo 2018 (PS 2018) da Universidade Federal do Pará (UFPA). As inscrições vão até 30 de outubro e podem ser feitas no site do Centro de Processos Seletivos (Ceps).

A UFPA está ofertando o total de 7350 vagas para 83 diferentes habilitações. De acordo com o edital, 5903 dessas vagas são distribuídas no PS 2018 e outras 1450 (20%) disponibilizadas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação (Mec).

Taxa de inscrição

A taxa de inscrição para o PS 2018 aumentou para R$50. O valor é uma das mudanças em comparação ao PS 2017, quando a inscrição custava R$35.

São isentos do pagamento da taxa todos os alunos cotistas e candidatos que estudaram todo o Ensino Médio em escola pública ou em escola privada, mas com bolsa integral. Para aqueles que não se enquadram no perfil de isentos, o pagamento deve ser efetuado até dia 31 de outubro.

Cota PCD

Outra mudança foi no Sistema de Cotas para Pessoas com Deficiência (PCD). Até o PS 2017, a UFPA realizava um sistema de cotas próprio, em que era disponibilizado uma vaga em cada curso para os candidatos declarados Pessoas com Deficiência (PCD).

Com a nova lei federal nº 13.409, de 28/12/2016, e do Decreto nº 9.034, de 20/04/2017, a demanda PCD, obrigatoriamente, passou a ser incluída no sistema geral de cotas, levando em consideração o percentual de pessoas com deficiência atestado pelo último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Novo curso

Em 2017 a UFPA está ofertando um novo curso de Bacharelado em Desenvolvimento Rural, com 45 vagas. O curso é criado com base no Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural.

“Levando em consideração as especifidades da nossa região, na qual se tem um incentivo muito grande para a agricultura familiar, percebeu-se a necessidade de formar gestores nessa área. Portanto este curso visa forma a mão de obra necessária”, explicou o assessor do Ceps, Arquimimo de Almeida Filho.

Serviço

Inscrições para o PS 2018 da UFPA

Período: de 3 a 30 de outubro de 2017

Pagamento da taxa: até 31 de outubro de 2017

Acesse aqui o catálogo de cursos ofertados pela UFPA

Fonte: G1-PA

Ensino Superior

Senador Paulo Rocha (PT-PA) propõe a criação da Universidade Federal do Xingu – UFX

A proposta é desmembrar a Universidade Federal do Pará para criar a instituição, que terá sede em Altamira.

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte analisa uma proposta do senador Paulo Rocha (PT-PA) que autoriza a criação da Universidade Federal do Xingu – UFX – (PLS 359/2017). A ideia é desmembrar a Universidade Federal do Pará para criar a instituição, que terá sede em Altamira, no sudoeste paraense, e ficará vinculada ao Ministério da Educação.

Segundo Paulo Rocha, o projeto pretende dar continuidade à interiorização e expansão do ensino superior federal, e gerar desenvolvimento da Região Norte, que é uma imenso campo de pesquisas científicas e tecnológicas, especialmente sobre hidrelétrica, mineração e biodiversidade.

A proposta está em análise na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, onde aguarda a escolha do relator.

Educação

“Educa Mais Brasil” disponibiliza bolsas de estudo em Eldorado dos Carajás

Para ser contemplado é preciso não ter condições de pagar o valor integral da mensalidade e realizar a inscrição por meio do site.

Estar qualificado tornou-se o maior desejo de muitos brasileiros. Isso porquê uma boa formação educacional, além de destacar o currículo e valorizar o profissional, ajuda a obter uma dose extra de conhecimentos. Porém, planejar a capacitação na área almejada parece ser uma realidade distante quando o investimento não cabe no orçamento.

Se você se encaixa nesse perfil, não se preocupe. O Educa Mais Brasil te dá a oportunidade para alcançar o seu objetivo profissional por meio de bolsas de estudo com até 70% de desconto. Este programa de inclusão educacional já ajudou mais de 450 mil alunos durante os seus 14 anos de atuação em todo o país.

O ingresso a uma educação de qualidade vai além de atingir o sucesso profissional, como pontua a Diretora de Expansão e Relacionamento do Educa Mais Brasil, Andreia Torres: “o Educa Mais Brasil oferece o ponto de partida para que uma pessoa possa alcançar um propósito de vida, ajuda também a evoluir cada vez mais os conhecimentos e escrever uma história”.

Neste semestre de 2017.2, o programa dispõe de 250 mil bolsas de estudo, conta com a adesão de mais de 18 mil instituições parceiras e inscreve estudantes de todas as regiões do país. No estado do Pará são oferecidas mais de 45.400 mil bolsas de estudo nas modalidades presencial e EAD. Em Eldorado dos Carajás, as oportunidades são para Graduação, Pós-Graduação, Idiomas, Preparatório para Concursos, Cursos Profissionalizantes e Pré-Vestibular/Enem.

O Educa Mais Brasil também atende a população das cidades vizinhas, sendo possível verificá-las no site. Para ser contemplado é preciso não ter condições de pagar o valor integral da mensalidade, realizar a inscrição por meio do site: www.educamaisbrasil.com.bre ficar atento ao regulamento do Programa.

Mais informações podem ser obtidas na central de atendimento pelos telefones 4007-2020 para Capitais e Regiões Metropolitanas ou 0800 724 7202 para demais localidades.

Educação

Ministros Helder Barbalho e Mendonça Filho articulam a implementação de novos cursos de ensino superior em Parauapebas

Saúde é um dos principais setores a serem beneficiados pela iniciativa, que visa gerar oportunidades a jovens estudantes paraenses

Os ministros da Integração Nacional, Helder Barbalho, e da Educação, José Mendonça Filho, se reuniram nesta quinta-feira (24) para viabilizar a implementação de novos cursos de ensino superior aos estudantes do município de Parauapebas, no Pará.  O objetivo da iniciativa é gerar novas oportunidades aos jovens paraenses, sobretudo na área de saúde, e com isso estimular o desenvolvimento regional. A reunião contou com a presença do prefeito da cidade, Darci Lermen, que informou que o projeto vem sendo planejado já há algum tempo, e do reitor da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Marcel Botelho.

“Estamos trabalhando para viabilizar mais oportunidades aos jovens paraenses, sobretudo nas áreas de saúde, uma demanda latente no estado. Esta parceria com o Ministério da Educação nos faz vislumbrar a possibilidade, de que em futuro próximo, esta importante iniciativa seja concretizada”, ressaltou o ministro da Integração, Helder Barbalho.

Para o ministro da Educação, José Mendonça, a iniciativa contribui para a expansão do ensino superior no Pará. “Tendo em vista as vastas possibilidades geradas pelos avanços no ensino superior, decidimos apoiar este projeto e criar uma estrutura que possibilite ainda mais o crescimento para a região de Parauapebas”, afirmou.

O prefeito da cidade destacou que este é um passo muito significativo para o desenvolvimento sustentável da região. “Esta é a realização de um projeto que vem sendo planejado ha bastante tempo. Agora é hora de trabalharmos intensamente para avançarmos neste projeto e colocar em prática tudo aquilo que sonhamos para os nossos jovens”, enfatizou Darci Lermen.

Notícia de que a Unifesspa não terá mais o curso de Medicina desencadeia reação na sociedade civil organizada de Marabá

Representantes da Associação Comercial e Industrial, e de mais 23 entidades, se reuniram com a reitoria da universidade para exigir explicações

Por Eleutério Gomes – de Marabá

A notícia de que o curso de Medicina não será mais implantado na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) desencadeou reação instantânea nos órgãos e instituições representativas da sociedade civil organizada de Marabá. Em movimento encabeçado pela ACIM (Associação Comercial e Industrial), e apoiado por outras 23 entidades, foi entregue à vice-reitora da universidade, Idelma Santiago da Silva, na tarde desta quinta-feira (20), um documento no qual é feita uma exposição de motivos pelos quais o curso deve ser instalado, citando, inclusive, que o bloco destinado a ela, no Campus III, já está com sua estrutura física pronta.

O ofício traça um diagnóstico da cidade do ponto de vista de logística, número de unidades hospitalares, modais de transporte e disponibilidade de moradia a professores e alunos no entorno do Campus III. “O descrito identifica na cidade um cenário favorável em uma nova dinâmica nos segmentos de educação superior, principalmente para a área médica, haja vista que Marabá já está na condição de Polo Universitário, além do que a própria universidade já tem estrutura física preparada para receber o Curso de Medicina”, diz o documento.

Ouvida pelo Blog, Idelma Santiago justificou que o curso de Medicina, cujo valor de implantação é bastante alto, estava previsto dentro do Programa Mais Médicos, do governo federal, porém, desde o ano passado, o programa entrou em extinção: “Deixamos de receber recursos e também ficamos sem previsão sobre a implantação do curso. Recentemente, tivemos notícias de que o governo federal estaria liberando a implantação do curso de Medicina, mas, para instituições privadas. Para a nossa universidade, não temos previsão”, afirmou Idelma.

A vice-reitora – que atendeu as entidades representando o reitor Maurílio Monteiro, que está de férias – também é de opinião que a sociedade, assim como a comunidade acadêmica, lute para que a Unifesspa se concretize totalmente, conforme foi previsto na lei que a criou em 2013, “incluindo o curso de Medicina”.

Também ouvido pelo Blog, o diretor Financeiro da ACIM, Raimundo Nonato Araújo Júnior, disse que, com o passar do tempo, Marabá vem adquirindo o status de cidade universitária, e isso tem trazido melhoria da qualificação do trabalhador da cidade e da região. “Tem trazido novos investimentos para Marabá e região, e o próprio desenvolvimento, com a abertura do mercado para novos investimentos que antes Marabá não possuía”, afirmou ele.

Para Raimundo, esse relacionamento entre sociedade e universidade é fundamental para que Marabá possa garantir que a população seja servida de boa educação, de boa qualificação, de nível superior.

Segundo ele, o movimento que a ACIM desencadeou, em conjunto com outras entidades da sociedade civil organizada, tem o papel de fazer com que a comunidade dialogue com a universidade para apoiá-la em suas demandas, e também verificar de que maneira pode contribuir para, não só a permanência dos cursos que já existem, quanto pela implementação de novos cursos.

“O curso de Medicina é o sonho de qualquer cidade, de qualquer região. E esse murmúrio de que não viria mais para Marabá desencadeou um movimento para buscar a universidade, a fim de que possamos unir forças e garantir que o curso seja efetivamente instalado em Marabá”, reforçou o diretor da ACIM.

Assinaram o documento entregue à Unifesspa, além da ACIM, as seguintes entidades: Conojve, Sindicom, Acomac Sul do Pará, Sinprorural, Prefeitura de Marabá, Câmara Municipal, OAB/PA –Subseção Marabá, Semed, SMS, Seasp, CME, CMS, CMAS, Lojas Maçônicas e clubes de Rotary e Lions.

Unifesspa

Flexa Ribeiro e bancada do Pará conseguem liberação de Concurso Público para a Unifesspa

A contratação de mais servidores para a Unifesspa era um pleito antigo do reitor, Maurílio Monteiro, que defendia a liberação das vagas como forma de dar continuidade aos cursos em desenvolvimento nos campus de Rondon do Pará, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu e Xinguara.

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, garantiu à bancada do Pará que irá liberar a realização de concurso público para o preenchimento de vagas para a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). A confirmação se deu durante reunião, realizada na noite de ontem, a pedido do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA). Além da demanda da universidade, os parlamentares paraenses defenderam a suplementação no orçamento das BRs-155, 158 e 163, principais corredores logísticos do Pará e do Brasil.

A contratação de mais servidores para a Unifesspa era um pleito antigo do reitor da Unifesspa, Maurílio Monteiro, que defendia a liberação das vagas como forma de dar continuidade aos cursos em desenvolvimento nos campus de Rondon do Pará, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu e Xinguara. Dada a importância para o Estado, a demanda foi acolhida por toda a bancada, que passou a defendê-lo junto ao governo. No início deste ano, o senador Flexa Ribeiro esteve reunido com o ministro da Educação, Mendonça Filho, para apresentar a necessidade real da instituição de ensino. “De pronto o ministro Mendonça acatou nosso pleito por entender a importância das vagas para a consolidação dos cursos já em andamento. Apesar do seu apoio, o titular do MEC nos havia informado que a decisão estaria condicionada a uma autorização do Planejamento. Marcamos a reunião e saímos com a informação de que o governo vai liberar as vagas”, comemorou o senador Flexa Ribeiro.

A Unifesspa solicita, em caráter emergencial, a liberação de 156 vagas, sendo 90 para técnicos alocados na sede e 66 para professores dos cursos de Medicina Veterinária e Zootecnia, no campus de Xinguara; Engenharia Civil, em Santana do Araguaia; Jornalismo, na unidade de Rondon do Pará; e Letras/Espanhol, no campus de São Félix do Xingu.

De acordo com o ministro Dyogo, técnicos do Planejamento entrarão em contato com servidores do Ministério da Educação já nos próximos dias para dar andamento a liberação do concurso público. “Tem todo nosso apoio. Vamos manter contato com o MEC e dar andamento a essa questão. Nosso objetivo é garantir que as coisas em andamento tenham continuidade”, afirmou.

Rodovias – A urgência nas obras de pavimentação dos principais corredores logísticos do Pará foi outro tema defendido pela bancada junto ao ministro do Planejamento. Os parlamentares pediram ao ministro a suplementação do orçamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) como forma de dar celeridade às obras de pavimentação das BRs-155, 158 e 163, consideradas as principais vias de escoamento dos grãos produzidos no sudeste do Pará e na região centro-oeste do Brasil.

Em reunião realizada com a bancada do Pará no início do mês, o diretor-geral do Dnit, Valter Casimiro, disse que seria preciso a suplementação de R$ 200 a R$ 300 milhões no seu orçamento para dar celeridade às obras no Estado. “Essa suplementação é necessária para que o Dnit possa dar velocidade nas construções e reparos na 158 e 155, incluindo as pontes, e também acelerar o processo da 163, de tal forma que ela esteja concluída até o final de 2018. Metade será feita nesse verão e a outra metade no verão do próximo ano. Saímos da reunião com o apoio do ministro para que, junto com o Ministério dos Transportes, ele possa fazer a suplementação desse orçamento”, comemorou o senador Flexa.

Além de Flexa Ribeiro, participaram da reunião com o ministro do Planejamento, o senador Paulo Rocha (PT), e os deputados federais Beto Salame (PP), Joaquim Passarinho (PSD), Júlia Marinho (PSC) e Zé Geraldo (PT).

Direitos

Polícia Civil promove palestras sobre direitos da mulher em Parauapebas

Delegada Ana Carolina Abreu, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) foi quem ministrou as palestras

A Polícia Civil esteve presente em duas palestras realizadas neste final de semana em Parauapebas, em decorrência das comemorações pela semana alusiva ao Dia Internacional da Mulher. Com as temáticas sobre violência doméstica e aplicação da Lei Maria da Penha, a delegada Ana Carolina Abreu, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) do município prestou informações e esclarecimentos ao público em geral, em especial estudantes, presentes na Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e no Instituto Federal do Pará (IFPA), campus de Parauapebas.

O tema da palestra foi “Os Direitos da Mulher”. A DEAM de Parauapebas está presidindo uma extensa programação alusiva à Semana da Mulher desde o dia 3 deste mês, por meio de rodas de conversas com o tema “Coisa de Gênero”, voltadas às mulheres da comunidade e universitários.

No último dia 8, data do Dia Internacional da Mulher, a delegada coordenou um bate-papo com mulheres, na sede da DEAM para esclarecer dúvidas sobre a Lei Maria da Penha. Em outra palestra, realizada na sede da Faculdade Metropolitana, em Parauapebas, a titular da DEAM do município palestrou sobre violência de gênero, para alunos de Direito e Engenharia.

Ensino superior

UEPA implanta 1º Mestrado Profissional em Marabá

Curso em nível stricto sensu oferece 12 vagas em duas linhas de pesquisa

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Em parceria com a Unimed Sul do Pará, a Universidade do Estado do Pará (UEPA) apresentou a proposta de Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Cirurgia e Pesquisa Experimental (Cipe), da Universidade do Estado do Pará (Uepa). São ofertadas 12 vagas, divididas em duas áreas de concentração: Cirurgia Experimental e Pesquisa Experimental.

A proposta foi apresentada esta semana a profissionais da Unimed Sul do Pará pelo médico Antonio Márcio Nunes Alves, professor do curso de Medicina da UEPA em Marabá, a qual foi acatada e assinada pelos diretores da Unimed Sul do Pará, Jorge Bichara Neto, Juarez Dias Brito e Tarcízio Franzosi, pelo coordenador do mestrado professor doutor Marcus Vinícius Henriques Brito e o reitor da UEPA, professor doutor Juarez Simões Quaresma.

Sob coordenação do professor Marcus Vinicius Henriques Brito, este é um dos três melhores mestrados profissionais do Brasil.

A metade das vagas será disputada pela ampla concorrência. A outra metade pelos servidores da Uepa, sendo três vagas para os lotados em Belém e três vagas para os demais servidores lotados nos campi dos municípios do Estado.

A Uepa esclarece que o curso terá uma inserção social de alto impacto na região para ensino, pesquisa e extensão. Esta é quarta turma do mestrado, mas a primeira a ser realizada em Marabá. Podem participar médicos, enfermeiros e outros profissionais da área de saúde.

A seleção ocorrerá em três etapas. A primeira será uma Prova Objetiva de conhecimentos específicos, realizada amanhã, 10 de fevereiro, às 14h, e terá a duração de 4h. A segunda fase é de Análise de Documentos e do Currículo Lattes. A terceira, de entrevista. O resultado final será divulgado em 17 de março próximo. Segundo a coordenação, há 87 inscritos e 21 deles são de Marabá.

O professor doutor Marcus Vinícius esclarece que este mestrado possui duas áreas: cirurgia experimental e outra em pesquisa experimental. “O curso é credenciado pela Capes (Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior), o órgão do Ministério da Educação responsável pelo reconhecimento e a avaliação de cursos de pós-graduação stricto-sensu (mestrado profissional, mestrado acadêmico e doutorado) em âmbito nacional.

Alguns profissionais de Marabá já formaram nas primeiras turmas e alguns já defenderam suas dissertações. Boa parte deles já está atuando em cursos de Medicina, Enfermagem e Saúde Coletiva, ministrados em Marabá pela UEPA, Faculdade Carajás e Unifesspa, respectivamente. “Em breve, outras turmas serão abertas e mais profissionais terão oportunidade de ampliar seus conhecimentos e melhorar o currículo”, diz o professor doutor Marcus Vinícius.

error: Content is protected !!