Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Brasileirão: Paysandu é o novo líder da Série B e Remo está fora do G4 da Série C

O Papão venceu o Internacional e o Remo empatou contra o Cuiabá, enquanto a dupla Rai-Fran foi derrotada na Série D

Por Fábio Relvas

O Paysandu venceu o Internacional, por 1 a 0, na tarde deste sábado (27/05), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O jogo foi válido pela 3ª rodada da Série B. O gol único da partida foi assinalado aos 17 minutos da etapa derradeira pelo meia Fernando Gabriel. A vitória deixou o Papão na liderança do Campeonato Brasileiro da Série B com sete pontos em três jogos disputados, enquanto que o Colorado é apenas o nono colocado com quatro pontos. O Paysandu volta a campo diante do América-MG, na próxima sexta-feira (02/06), às 19h15, no estádio Independência, em Belo Horizonte.

Série B – O jogo: Papão é líder!

Paysandu e Internacional entraram em campo fora do G4 do Campeonato Brasileiro da Série B, por isso o objetivo das duas equipes era de vencer para se aproximar do topo da tabela. O time gaúcho estava desfalcado de seu melhor jogador, o argentino D´Alessandro, que foi poupado pelo técnico Antônio Carlos Zago. O Colorado foi para cima e Nico López teve a primeira chance de marcar, quando a bola sobrou para o gringo, que chutou para fora, levando muito perigo à meta de Emerson. O Papão chegou na cobrança de falta de Peri, o goleiro Daniel defendeu bem.

Depois disso, o jogo caiu de rendimento. Os dois times não conseguiam criar no meio campo e ocorreram erros de passes para ambos os lados. O Paysandu tentou chegar em alta velocidade pelo meio, Rodrigo Andrade tocou para Wesley na esquerda, mas a zaga do Inter fez o corte na hora da chegada do lateral bicolor.

O lance acordou o time paraense que teve mais duas chances de marcar. Na primeira delas, após escanteio, o atacante Wellington Júnior cabeceou firme para marcar, Cuesta salvou em cima da pequena área e na sequência Roberson cometeu falta pertinho da grande área. Na cobrança de falta, Fernando Gabriel mandou por cima da meta gaúcha. O time do Internacional sentiu a pressão e quase o zagueiro Léo Ortiz entregou o ouro, quando recuou uma bola na fogueira para o goleiro Daniel, o arqueiro tentou driblar o atacante Marcão e não conseguiu e teve que dá um chutão para fora.

Em outro lance de ataque, a bola foi alçada na área colorada e Wellington Júnior cabeceou para fora. O Inter tentou responder quando Edenílson lançou para William Pottker, o zagueiro Gilvan entrou duro no atacante Colorado, acertando o abdômen do atleta. Com isso o jogador do Paysandu recebeu cartão amarelo. O lateral esquerdo Uendel fez uma boa tabela com Nico López, mas na hora de finalizar a arbitragem paralisou marcando impedimento. Em outro lance dos gaúchos, Felipe Gutiérrez cruzou da esquerda no meio da área para a cabeçada de William Pottker, a bola passou assustando o goleiro Emerson.

O Papão acordou e após erro de passe de Edenílson, Fernando Gabriel puxou contra-ataque e chutou forte de fora da área, o goleiro Daniel defendeu para o Inter. Felipe Gutiérrez, um dos jogadores mais perigosos do Colorado, recebeu pelo meio, limpou a jogada e mandou um chutaço, Emerson espalmou para escanteio.

No segundo tempo, o técnico Antônio Carlos Zago, tirou o volante Edenílson e colocou o atacante Marcelo Cirino. Sendo assim, no papel o Internacional estava com quatro atacantes em campo. Em poucos minutos na partida, Marcelo Cirino quase marcou, quando pegou uma sobra e chutou cruzado pela linha de fundo. O Paysandu chegou na cobrança de falta de Ayrton, o goleiro Daniel mandou de tapinha para escanteio. Em outra jogada do Papão, o zagueiro Gilvan apareceu livre na área e testou para fora.

O Colorado chegou após um escanteio, Felipe Gutiérrez tocou para Cuesta, que levantou na área, Nico López acertou um chutaço de primeira e marcou um golaço, mas a arbitragem assinalou impedimento. Se o gol do Internacional não valeu, o do Paysandu sim. Aos 17 minutos, Marcão recebeu pelo meio fez uma parede para a chegada de Fernando Gabriel, que dominou, driblou e chutou forte, o goleiro Daniel foi e não achou nada: Papão 1 a 0! Para alegria dos mais de 12 mil torcedores no Mangueirão.

O Internacional não sentiu o gol e no lance seguinte quase empatou, quando Roberson tocou para Nico López, o uruguaio chutou e a bola passou ao lado esquerdo do poste defendido pelo guardião Emerson. Só dava Colorado, em outra jogada na área, Felipe Gutiérrez se livrou da marcação e bateu com estilo, o goleiro Emerson realizou uma grande defesa. O Paysandu esperava o Inter, mas sabia sair para o jogo. Em uma descida perigosa, Wellington Júnior tentou por cobertura, Daniel espalmou salvando o Colorado.

Em um lance de bobeira, Felipe Gutiérrez tentou driblar e perdeu a bola para Marcão, o atacante bicolor entrou de cara para marcar o segundo gol, o goleiro Daniel arrancou nos pés do atleta bicolor, tocando pela linha de fundo. No final da partida, o Internacional se atirou no ataque. Após cobrança de escanteio, Brenner subiu com estilo e cabeceou no travessão. Um minuto depois, William Pottker recebeu e lançou para Nico López, o atacante cortou para o meio e chutou, o zagueiro Gilvan se atirou no meio do caminho salvando o Papão. Final do jogo: Paysandu 1 x 0 Internacional.

Série D

O São Raimundo entrou em campo na tarde deste domingo (28/05), pela 2ª rodada do Grupo A2 do Campeonato Brasileiro da Série D. O adversário foi o Fast Clube na Arena da Amazônia, em Manaus. O Pantera perdeu de virada para o Rolo Compressor, por 3 a 2, e ficou com seus três pontos em segundo lugar na classificação. Já o Fast assumiu a liderança com quatro pontos. O Fast abriu o placar com Peninha em cobrança de falta, aos 34 minutos. O São Raimundo virou com Dedeco aos 38 do primeiro tempo e Guilherme aos 20 minutos do segundo tempo. O Fast empatou com Felipe aos 23 e Peninha novamente de falta virou e decretou a vitória aos 35 minutos da etapa final. O São Raimundo volta a campo contra o Baré-RR, no próximo domingo (04/06), às 18h30, no estádio Vila Olímpica, em Boa Vista.

O São Francisco foi outro time paraense a entrar em campo neste domingo (28/05), valendo pela 2ª rodada do Grupo A3 do Campeonato Brasileiro da Série D. O adversário foi o Rio Branco-AC, no estádio Jader Barbalho, o Barbalhão, em Santarém. Era a estreia do Leão santareno dentro de casa, onde contou com o apoio de sua torcida. Mas quem saiu sorrindo foi o Estrelão do Acre que venceu, por 1 a 0, e disparou na liderança do Grupo com seis pontos, enquanto que o São Francisco ainda não conseguiu vencer na competição e soma apenas um ponto em terceiro lugar. O próximo compromisso do Leão santareno será contra o São Raimundo-RR, no domingo (04/06), às 18h, no estádio Jader Barbalho, o Barbalhão, em Santarém.

O jogo: Fast Clube 3 x 2 São Raimundo – de virada!

O São Raimundo começou bem o jogo, depois de um lançamento para o atacante Tiago, a arbitragem paralisou o lance marcando impedimento. O Pantera chegou novamente, após cruzamento na área, o goleiro Maycki Douglas do Fast falhou no lance, e a bola passou de todo mundo. O Fast resolveu acordar quando em um escanteio a seu favor, Felipe tentou marcar de letra e a bola sobrou para Peninha que emendou de fora da área acertando o setor defensivo do time paraense. O lance levantou a torcida amazonense.

Em outra jogada do Fast, Robinho tentou um passe e mesmo errando, a bola sobrou para Leonardo que chutou e carimbou o travessão do goleiro Roger Kath. O São Raimundo voltou a atacar e chegou a marcar, quando a bola foi alçada na área e desviada no primeiro pau, Derlan acertou uma linda meia bicicleta e estufou as redes de Maycki Douglas, mas a assistente Anne Kesy Gomes de Sá, cortou o barato e assinalou impedimento.

O Fast Clube não tem nada haver com isso e chegou ao seu gol. Peninha cobrou falta diretamente para o gol, a bola tocou no travessão e morreu dentro da meta de Roger Kath, 1 a 0, aos 34 minutos. Não demorou muito e o Pantera chegou ao empate. A zaga do Fast parou pedindo impedimento, e Dedeco entrou livre para tocar com tranquilidade na saída de Maycki Douglas, tudo igual: 1 a 1, aos 38 minutos. O time da casa não sentiu o gol, Robinho cobrou escanteio e Roger Kath saiu mal da meta e para sorte do goleiro do São Raimundo não apareceu ninguém para completar.

No segundo tempo, o São Raimundo seguiu buscando a vitória. Em uma jogada individual de Denis Pedra, o volante do Pantera apareceu de surpresa pela ponta direita e bateu direto para o gol, a bola tocou na rede, mas pelo lado de fora. Aos 20 minutos, o time paraense chegou lá. Após cobrança de falta, Guilherme subiu mais alto de que todo mundo para testar firme e virar a partida: 2 a 1 São Raimundo.

Na mesma moeda, o Fast chegou ao empate. Cruzamento na área de Wagner Diniz para o cabeceio certeiro de Felipe, que praticamente nem saiu do chão para acertar firme na bola: 2 a 2, aos 23 minutos. O time amazonense cresceu em busca da virada e Werley tentou de fora da área, mas Roger Kath defendeu bem no meio de sua meta. O Pantera resolveu arriscar de fora da área com Valdanes, a bola passou pertinho da meta de Maycki Douglas. Mas o time amazonense tinha o meia Peninha, que em mais uma cobrança de falta com perfeição, virou o jogo para o Rolo Compressor, assim chamado o Fast, 3 a 2, aos 35 minutos, dando números finais a partida.

O jogo: São Francisco 0 x 1 Rio Branco – Leão santareno segue sem vencer

Foi o Estrelão do Acre que começou melhor, após uma boa triangulação, Diogo apareceu livre para marcar o primeiro, mas perdeu a grande chance. O Leão santareno deu o troco em uma jogada rápida, Samuel deixou Balotelli livre, o atacante completou para o fundo do gol e saiu comemorando, mas a arbitragem assinalou impedimento para o desespero dos azulinos. Em outra jogada do time paraense, Samuel recebeu e bateu com estilo, o goleiro Ederson fez uma grande defesa e na sobra Balotelli tentou concluir, mas a zaga afastou o perigo.

A dobradinha Samuel e Balotelli estava dando certo. Em mais um lance da dupla, Samuel deu um belo lançamento para Anderson Balotelli, que emendou um chute cruzado, a bola passou atravessando a área do Rio Branco. Em uma bola parada, Di Maria cobrou falta para o São Francisco e a bola explodiu na barreira, o time acreano saiu em alta velocidade em um contra-ataque, Lukão apareceu na hora para rasgar e aliviar o perigo. Mais um gol foi anulado, desta vez para o Rio Branco. Araújo recebeu passe e estufou as redes do goleiro Labilá, mas a arbitragem marcou impedimento.

No segundo tempo, o Estrelão veio para tentar matar o jogo. Rodolfo lançou na grande área para Araújo que chutou e obrigou Labilá a praticar uma grande defesa. O São Francisco respondeu quando Mael deixou Samuel na boa, o chute passou por cima da meta acreana. Após cobrança de falta, a bola sobrou para Di Maria arriscar um chutaço, passando muito perto da trave. A torcida do Leão Santareno gritou “uh”. Em outra falta, desta vez para o Rio Branco, a bola foi alçada na área para Lucas que cabeceou firme e correu para o abraço, 1 a 0 Estrelão, aos 23 minutos.
Araújo, um dos jogadores mais perigosos do Rio Branco, cometeu falta e recebeu cartão amarelo, na sequência reclamou muito com o árbitro Wales Martins de Souza do Distrito Federal e recebeu o segundo amarelo e consequentemente o cartão vermelho. Isso tudo foi aos 40 minutos da etapa derradeira. O Leão Santareno tentou empatar, mas não conseguiu. Final: São Francisco 0 x 1 Rio Branco.

Série C

O Clube do Remo entrou em campo contra o Cuiabá-MT, na noite deste domingo (28/06), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O Leão precisava vencer para se firmar no G4 do Grupo A do Campeonato Brasileiro da Série C. Mas a vitória não veio e o Leão Azul só empatou com o Dourado e se complicou na classificação da terceirona. O Remo é apenas o sexto colocado com quatro pontos conquistados, enquanto que o Cuiabá segue na lanterna com apenas dois pontos. Os azulinos voltam a campo contra o Confiança-SE, na próxima sexta-feira (02/06), às 19h, no estádio Batistão, em Sergipe.

O jogo: Remo 1 x 1 Cuiabá – Leão Azul fora do G4

O Cuiabá chegou primeiro, após bola alçada na área, o goleiro Vinícius deu um soco aliviando o perigo. O clima esquentou logo aos dois minutos, quando o atacante Edgar do Remo sofreu falta e empurrão de Léo Salino. Os jogadores se estranharam e o árbitro Carlos Ronne Casas de Paiva do Acre, controlou a situação em campo e acalmou os ânimos. O Leão Azul quase marcou depois que Daniel Damião cruzou para Edgar que pegou de primeira, a bola explodiu na defesa e na sobra, Danilinho soltou o pé da entrada da área, passou tirando a tinta da trave.

O Dourado, como é chamado o Cuiabá, respondeu com Pereira que recebeu passe livre e bateu com força, o goleiro Vinícius conseguiu espalmar salvando os azulinos. O Leão Azul respondeu imediatamente e foi logo marcando. Danilinho na insistência cruzou da direita para Nino Guerreiro, que desviou para marcar, o goleiro Henal rebateu nos pés de Mikael que só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol, explodindo o Mangueirão aos 20 minutos, Remo 1 a 0.

O Leão cresceu no jogo, em outro lance de ataque, Edgar recebeu e bateu colocado, a bola passou perto da meta defendida por Henal. A torcida cantava nas arquibancadas e o Remo atacava em campo. Gerson cruzou da esquerda, a zaga afastou o perigo, João Paulo chegou batendo quase do meio campo, mas mandou para longe. O Cuiabá também arriscava, Elias mandou um chute venenoso, o goleiro Vinícius espalmou para o meio da área, a bola caiu para Bruno Moura que mandou um chutaço, mas isolou para sorte dos azulinos.

Afim de pontuar em Belém, o Cuiabá saiu para o jogo na etapa derradeira. Em um contra-ataque rápido, Léo Salino passou para Pereira pelo lado direito, o jogador do Dourado chutou cruzado, Vinícius defendeu em dois tempos. O Remo deu a reposta logo em seguida, quando Nino Guerreiro atacou pela esquerda e deixou para o lateral Gerson, mas na hora de concluir, o atleta azulino saiu com bola e tudo. O atacante Edgar acertou um chute forte de fora da área, o goleiro Henal salvou o Cuiabá e defendeu bem. Quase o segundo do Leão Azul.

Depois do lance azulino, o Dourado começou a pressionar em busca do empate. Bruno Veiga recebeu na esquerda e cruzou para Douglas Mendes que desviou, a bola bateu em Bruno Costa e saiu pela linha de fundo. Em mais um cruzamento na área remista, Elias cabeceou para baixo e o goleiro Vinícius defendeu. O Leão teve uma falta perto da área, mas Tsunami mandou muito forte e longe da meta adversária.

O Dourado chegou ao empate. Elias recebeu pelo meio e na entrada da área deu um toque sutil por cima do goleiro Vinícius, marcando um golaço no Mangueirão e deixando tudo igual, aos 22 minutos, 1 a 1. A virada quase ocorreu minutos depois quando Gedeílson em disparada entrou na área e chutou, mas mandou por cima da meta azulina. O Remo perdeu um gol incrível na sequência. A bola foi alçada na área do Cuiabá, o goleiro e a defesa bateram cabeça e Ronny sozinho com o gol vazio conseguiu fazer o mais difícil, errar o chute. A torcida foi à loucura.

O Leão Azul foi para cima e se atirou completamente ao ataque, dando contra-ataque ao adversário. Com isso a partida ficou emocionante e eletrizante nos momentos finais. A forte chuva que caiu no final da partida, o chamado “toró”, atrapalhou as ações das equipes em campo. O Dourado achou uma brecha quando Pereira cruzou, a zaga não conseguiu afastar, mas Gedeílson não dominou e deixou a bola sair pela linha de fundo.

O Remo tentava chegar mais na vontade do que na técnica. Tsunami arrancou pelo meio e chutou forte de fora da área, o goleiro Henal defendeu sem dá rebote. Em um contra-ataque veloz do Cuiabá, Léo Salino fez tabela e na devolução foi derrubado pelo zagueiro Bruno Costa. A falta foi providencial do zagueiro remista que foi advertido com cartão amarelo. O atacante Bruno Veiga inverteu uma jogada na área do Remo, o lateral esquerdo Gerson tentou recuar de cabeça para o goleiro Vinícius e cometeu uma lambança testando direto para fora, cedendo escanteio para o Dourado. No escanteio cobrado por Pereira, a bola fez uma curva e quase surpreendeu Vinícius que salvou o Remo. Seria um gol olímpico no último lance da partida. Placar final: Remo 1 x 1 Cuiabá.

O Fenômeno Azul, como é chamada a torcida do Clube do Remo, soltou o grito de “burro” para o técnico Josué Teixeira e pediu a demissão do comandante azulino.

Futebol

Remo e Paysandu largam na frente por uma vaga nas semifinais da Copa Verde

O campeão da Copa Verde tem vaga assegurada nas oitavas de final da Copa do Brasil

Por Fábio Relvas

O Remo foi o primeiro time paraense a entrar em campo pelas quartas de final da Copa Verde 2017. O Leão Azul recebeu o time do Santos de Macapá no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, na noite da última quinta-feira (30/03).

Empurrado pelo Fenômeno Azul, o Remo tentou encurralar o adversário, mas não foi isso que aconteceu. O time do Peixe da Amazônia deu trabalho para os donos da casa, esperando o adversário e saindo no contra-ataque. Em um deles, o Santos abriu o marcador, após uma jogada rápida, o lateral-esquerdo Batata cruzou na medida na cabeça do atacante Luciano, que de frente com o goleiro André Luis, não perdoou e mandou para o fundo da meta azulina, 1 a 0, aos 31 minutos do 1º tempo. O fato curioso, é que o autor do gol macapaense, é filho do presidente do clube, Luciano Marba, que nesta partida estava como técnico interino, já que o treinador do peixe, Élcio do Rosário, cumpria suspensão, após expulsão diante do Fast-AM, na fase anterior da competição.

O jogo estava encardido para o Remo, que começou a receber pressão da torcida, com vaias em jogadas que não davam certo. O atacante Edgar, que foi perdoado pela diretoria, após o episódio de alcoolismo nas vésperas do Re x Pa, apareceu no jogo e foi fundamental para o gol de empate, que saiu de seus pés. Depois de uma boa arrancada pela esquerda, Edgar cruzou rasteiro para a chegada de Val Barreto, que com um leve toque tirou do goleiro Axel e correu para o abraço, aos 43 minutos, tudo igual: 1 a 1.

No segundo tempo, o técnico Josué Teixeira deu um puxão de orelha em seus atletas e colocou o Leão Azul mais ofensivo para mudar a história da partida. Com duas chances claras de virar o resultado do duelo, uma com o atacante Edgar e outra com o meia Eduardo Ramos, quem conseguiu marcar o gol da vitória foi o zagueiro Henrique, que recebeu passe de Edgar e dentro da área só fez escorar para o fundo da meta do Peixe da Amazônia, 2 a 1 Leão, aos 43 minutos. Com a vitória o Remo joga pelo empate no jogo da volta marcado para a próxima segunda-feira (03/04), às 20h15, no estádio Olímpico Zerão, em Macapá.

Já Águia e Paysandu fizeram o duelo de times paraenses pelas quartas de final da Copa Verde. A partida aconteceu nesta sexta-feira (31/03), no estádio Zinho Oliveira, em Marabá. Devido a forte chuva que caiu na cidade durante o dia inteiro, o gramado ficou quase que impraticável, com muita lama, dificultando a vida das duas equipes.

O Águia começou a partida arriscando contra a meta bicolor, mas o goleiro Emerson atento tranquilizava com boas defesas. O Paysandu conseguiu abrir o placar depois da arrancada do atacante Alfredo, que deixou o marcador para trás e chutou para a chegada de Wilkerson, completando para o fundo do gol, aos 33 minutos, 1 a 0 Papão.

Na etapa derradeira, o Águia sufocou os visitantes e teve chance de marcar por duas vezes, uma com o zagueiro Fernando Lombardi do próprio Paysandu, que quase marcou contra e outra com Bernardo que na hora de concluir furou na pequena área. O Azulão empatou em um pênalti marcado, quando Hayner derrubou Tiago Mandi. O lateral esquerdo Edinaldo cobrou e deixou tudo igual, aos 29 minutos, 1 a 1.

O Papão não sentiu o gol do adversário e voltou a sair para o jogo. Ayrton arrancou pela direita, fez uma linda tabela com Daniel Sobralense, que devolveu de calcanhar para a chegada do próprio Ayrton que fuzilou para a meta do goleiro Maycki Douglas, aos 38 minutos, decretando a vitória do Paysandu, por 2 a 1.

As duas equipes voltam a campo na próxima terça-feira (04/04), às 19h15, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

Esporte

Liga Esportiva de Parauapebas realiza rifa beneficente. Renda será usada para melhorias do Estádio Rosenão

O sorteio dos prêmios será realizado dia 10 de maio, às 16 horas, no Estádio Rosenão

Desde que assumiu a direção da Liga Esportiva de Parauapebas (LEP), em janeiro deste ano, a nova gestão tem desenvolvido uma série de ações em benefício do esporte amador de Parauapebas. Uma delas é a reforma do Estádio Rosenão, que é de propriedade da LEP, mas que ficou de uma certa forma abandonado nos últimos anos por falta de cuidados básicos em sua infraestrutura.

 A reforma está em andamento e é onerosa. É preciso levantar fundos para que a entidade consiga honrar com seus compromissos. Pensando nisso, a direção da LEP decidiu realizar uma rifa beneficente com este objetivo. Serão diversos prêmios sorteados, dentre eles um moto Honda CG Fan 125, que contou com o apoio da Revemar Moto Center.

O sorteio dos prêmios será realizado dia 10 de maio, às 16 horas, no Estádio Rosenão, durante atividades comemorativos em alusão ao aniversário de Parauapebas. Essas atividades serão realizadas pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel). “Nós estamos empenhados em dar o nosso melhor pelo esporte amador da nossa cidade e em reestruturar a Liga”, afirmou o presidente da LEP, Eldemarte dos Santos. Em breve serão divulgados os pontos de vendas da rifa

Futebol

Bragantino é campeão do torneio início da 17ª edição da Copa Palmares de Futebol

Além de troféus e medalhas para o campeão e vice-campeão, o título do torneio início deu vaga para a 2ª fase da competição.

Por Fábio Relvas, direto da Palmares Sul

A bola rolou o dia inteiro neste domingo (19/03) para o torneio início da 17ª edição da Copa Palmares. As partidas foram realizadas na comunidade Palmares Sul, no estádio Castanheirão, que pertence ao Dallas Esporte Clube, e contou com a presença de um grande público para prestigiar o evento que já se tornou tradição em Parauapebas, sudeste do estado do Pará.

A competição é organizada pela Prefeitura Municipal de Parauapebas, através da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SEMEL), que neste ano inicia com uma nova gestão, tendo como presidente Laoreci Diniz. “As expectativas são boas. Organizamos uma ótima equipe para fazer parte da secretaria e contamos com o apoio da prefeitura, dando um padrão de qualidade e descentralizando o esporte”, afirmou Laoreci.

Antes da abertura do evento, houve toda uma cerimônia com direito aos hinos da cidade de Parauapebas e do Brasil, terminando com os discursos dos organizadores em cima do palanque montado. Representantes de cada time participaram de um sorteio para saber a sequência dos jogos. O torneio início contou com a participação de 34 equipes no sistema eliminatório e com as partidas tendo duração de 15 minutos corridos, sem intervalo e com algumas normas como critérios de desempate, entre elas: números de escanteios a favor, cartão vermelho do adversário, maior número de cartões amarelos do adversário e cobranças de pênaltis alternados.

Para passar credibilidade, a organização contou com uma arbitragem selecionada para comandar os jogos, mesclando juventude e experiência. A competição será uma espécie de seleção para a turma do apito visando futuros torneios na cidade. “Todos os campeonatos realizados pela SEMEL, vão ser arbitrados por profissionais locais. Estamos fazendo teste para apitar jogos da 1ª divisão da Liga Esportiva”, disse o árbitro Bruno Serejo.

Além de troféus e medalhas para o campeão e vice-campeão, o título do torneio início daria vaga para a 2ª fase da competição, uma motivação para os participantes, que correram atrás de seus objetivos durante mais de dez horas de bola rolando. A final foi decidida entre Bragantino e ARTCOM, que ficaram no empate em 0 a 0. A disputa seguiu para os pênaltis e as duas equipes converteram todas as penalidades, deixando o placar em 4 a 4. Como o estádio não tinha iluminação e a partida já estava no período da noite, a arbitragem decidiu jogar a moedinha para cima e deu Bragantino como o grande campeão do torneio início.

A competição terá inicio no próximo sábado (25/03) com os jogos sendo realizados no estádio Castanheirão e tem como o principal objetivo priorizar a participação de atletas da Palmares Sul e aqueles atletas que não tem oportunidade de participar de competições oficiais. Todos os times que disputaram o torneio início irão entrar na fase de mata-mata, com jogos de ida e volta, com exceção do ADEP que foi campeão em 2016 e já se garantiu na 2ª fase entre os 18 melhores, assim como o Bragantino, campeão do torneio início. “É um torneio sério, viemos para conquistar mais um título e tentar fazer história na Copa Palmares, uma competição difícil”, enfatizou o meio campo e capitão, Dinho Marcos, do ADEP.

Times que vão disputar a 17ª edição da Copa Palmares: ADEP, Dallas, Grêmio, VS-10, Bragantino, Real Madri, Real Massa, Novo Brasil, Estação, Rio Branco, Garimpo das Pedras, Açaí, ARTCOM, Vila Romana, Cidade Jardim, Palmares, Estrela Verde, Parazão, Internacional, Pontilhão, Tigre, Cobreloa, B.E.C, Primavera, Força Jovem, Águia Azul, Fênix Sport, União, MP, Jatobá, ASSERP, Atlético Paraense, Santa Cruz e Brasiliense.

Futebol

Águia vence Cametá fora de casa no Parazão 2017

Embora tenha começado ditando o ritmo de jogo, o Cametá sofreu com erros de finalização.

Ulisses Pompeu – de Marabá

Pela segunda vez seguida no Campeonato Paraense, o Águia de Marabá venceu o Cametá (apelidado de Mapará) fora de casa, com gol de Tiago Mandi. A partida aconteceu na tarde desta quarta-feira, 1º de fevereiro, válida pela segunda rodada da competição.

Com chuva no Parque do Bacurau, no segundo tempo, o Cametá amargou sua segunda derrota na competição, já que na primeira partida perdeu de goleada para o Clube do Remo: 5 a 0.

O Águia não produziu quase nada no primeiro tempo de jogo. As duas equipes ficaram acanhadas, erraram passes e irritaram o torcedor da casa. O meia marabaense Felipinho, de 19 anos, não conseguiu se conscientizar que é o mentor das jogadas e pouco produziu. O Zagueiro Marquinhos, do Águia, não estava tão tranquilo em campo e quase entregou o ouro em duas oportunidades. Seu colega, Bernardo, fez mais uma partida segura, sem erros que pudessem comprometer a equipe.

Embora tenha começado ditando o ritmo de jogo, o Cametá sofreu com erros de finalização, principalmente de seu homem de referência, Rafael Paty, que mostrou falta de boa forma física.

No intervalo da partida, Galvão agiu com sabedoria e sacou de campo o meia Felipinho, colocando em seu lugar o ex-atacante Robert, que agora cumpre missão de criação de jogo. Além disso, sacou o atacante Bruno (muito ruim em campo) e pôs Guga para jogar. Foi aí que as coisas mudaram.

No segundo tempo, os donos da casa começaram melhor de novo, mas isso até os 15 minutos. A frustração da torcida do Cametá veio aos 18 minutos do segundo tempo, quando Tiago Mandi marcou o único gol da partida.

A jogada do gol iniciou com o jovem Eric, que invadiu a área, bateu firme e a bola voltou para Guga, que trocou passe com Mandi, que bateu tirando do goleiro Evandro.

O resultado deixou o Azulão na terceira posição do grupo A2, com três pontos. Sem pontuar, os cametaenses são lanternas do A1. Na próxima rodada, no sábado, o Águia joga contra o Paragominas, fora de casa, enquanto o Cametá visita o Castanhal.

Alegria e tristeza

Ao final da partida, Tiago Mandi comemorou demais e disse que aquele era um dos dias mais felizes de sua vida. “Trabalhei muito para esse gol chegar. Ofereço para todos os moradores de Itupiranga, minha cidade natal, mas também para meu amigo Saraiva, de Marabá”, emendou.

O jovem Eric, por sua vez, reconheceu que o cansaço da viagem influenciou no primeiro tempo, mas no intervalo, com as orientações e mexidas do treinador João Galvão, as coisas se resolveram, foi possível equilibrar a equipe.

Para o artilheiro Rafael Paty só restou a lamentação e frustração. Disse que tem certeza que o último lance do jogo foi pênalti, quando o zagueiro Marquinhas tirou a bola com a mão.

Futebol

Águia de Marabá perde no fim e frustra a torcida

Bilau fura defesa do Águia com bela cobrança de falta aos 44 do 2º tempo.

Ulisses Pompeu – de Marabá

O gramado encharcado pela forte chuva que caiu na noite foi determinante para que a partida de estreia entre Águia de Marabá e São Raimundo se transformasse em um jogo “feio”, marcado por muitos chutões. Raros momentos com troca de passes e finalizações ocorreram na partida, que foi dominada a maior parte do tempo pelo Azulão.

O jogo aconteceu na tarde deste domingo, no estádio Zinho Oliveira, em Marabá, e quem saiu sorrindo de campo foi o time visitante, que venceu o confronto por 1 a 0. O único gol do confronto foi marcado aos 44 minutos do segundo tempo, pelo atacante Everson Bilau, que havia entrado na segunda etapa.

A vitória coloca o São Raimundo na segunda colocação do grupo A1, enquanto que o Águia fica na vice-lanterna da Chave A2. As duas equipes voltam a campo no meio de semana, sendo que o Pantera pega o Castanhal na terça-feira (31) e os marabaenses encaram o Cametá.

O Estádio Zinho Oliveira recebeu um bom público na tarde deste domingo, para acompanhar a estreia da equipe. Essa mesma torcida compreendeu os chutões do jogo e incentivou a equipe de João Galvão em vários momentos, apesar de uma bola na trave perigosa numa finalização do meia Wendel Oliveira

A segunda etapa foi marcada por domínio do Águia sobre o Pantera. O meia Felipinho e o lateral esquerdo Ednaldo tiveram chances claras para marcar, estando dentro da área. Todavia, o excesso de preciosismo e dribles fizeram com que os dois errassem a finalização.

E o Águia pagou caro pelo duplo desperdício. No final, aos 44 minutos, o zagueiro Bernardo fez uma falta do lado esquerdo e, na cobrança, Bilau encobriu o goleiro Maick Douglas e acertou o anglo esquerdo do arqueiro. Foi a festa para os meninos do técnico Lecheva, que só precisaram administrar os minutos finais e levar três pontos na bagagem para Santarém.

Na entrevista ao final da partida, Galvão lamentou o resultado ruim, mas elogiou sua equipe, formada principalmente por jovens jogadores e considera que com o gramado enxuto eles vão dar alegrias à torcida.

Solicitado pela reportagem do blog a apontar o melhor e pior em campo, de sua equipe, o técnico do Azulão fugiu da proposta e preferiu dizer que “todo o time jogou bem”. Todavia, foi nítido que o meia Eric foi o jogador mais contundente, enquanto o atacante Andrew Bruno não teve uma boa atuação.

Nesta segunda-feira, 30, o Águia volta a se apresentar para treinar e viajar na terça-feira pela manhã para Cametá, onde enfrenta o time da cidade na quarta-feira, dia 1º de fevereiro, pela segunda rodada. O Águia está na penúltima colocação em seu grupo, à frente do próprio Cametá, que perdeu de goleada (5 a 0) para o Remo, também neste domingo.

Esporte

Parauapebas Futebol Clube tem novo presidente

"Uai" assumiu após a renúncia de Robervaldo Freitas

Apesar de o ato não ter tido a divulgação necessária, Robervaldo Vieira de Freitas renunciou ao cargo de presidente do Parauapebas Futebol Clube -PFC – no dia 28 de novembro passado alegando que o fez por falta de apoio para tocar o clube da forma como deve. Em seu lugar assumiu o vice-presidente, João Luiz Ribeiro, popularmente conhecido como “Uai”. “O Parauapebas é uma paixão que tenho, e para o qual sonho dias melhores”, disse Uai, afirmando que assumiu a presidência do clube pelo simples motivo da renúncia de Robervaldo, mas admitindo que sempre aguardou a oportunidade para assumir a agremiação esportiva.

Ainda de acordo com “Uai”, uma das principais motivações para a renúncia de Robervaldo foi a política.

Se depender de estrutura, agora o clube chegará no topo, pois “Uai” vem preparando nos últimos anos um excelente Centro de Treinamento onde o time poderá treinar e se preparar para os torneio. O local fica na margem esquerda da PA-275, sentido Curionópolis, próximo a Parauapebas. “Já estou arregaçando as mangas e buscando recursos para alavancar o clube, que deve pelo menos R$ 1 milhão entre direitos trabalhistas e dívidas no comércio como, por exemplo, restaurante e lojas de artigos esportivos.

Quanto a patrimônio do clube, “Uai” afirma não ter “recebido seque uma bola, camisa ou chuteira, quanto mais uma time”. Além disso, o clube está com as contas bancárias bloqueadas pela justiça. “Em resumo, do PFC só existe a diretoria da qual agora presido”.

Sobre o time, “Uai”informou que nos últimos anos o time é sempre montado de última na hora, às vésperas dos campeonatos, situação que em sua gestão será diferente. “Pretendo fazer uma “peneira” ainda nesse início de ano para encontrar talentos na região e assim formar a base do time. À essa base serão contratados apenas alguns jogadores mais experientes para completar o grupo.

A estrutura de treinamento do clube e ainda a assessoria de comunicação são indispensáveis, afirmou “Uai. “As pessoas só ficavam sabendo dos assuntos relativos ao clube se fossem ao estádio. Agora isso deve mudar, pois teremos uma assessoria de comunicação para levar as notícias do time”.

Os recursos para manutenção do clube e toda sua estrutura o presidente diz que buscará principalmente no poder público e nos empresários que devem anunciar no uniforme do time.

Quanto a dívida trabalhista (R$ 600 mil), “Uai” diz que pretende reduzí-la e saná-la pela força de negociação. Para o presidente, o regate da credibilidade e da identidade do clube é o ponto principal a ser trabalhado para que o torcedor volte ao estádio para prestigiar o clube.

UAI tem garantido apenas o restante do mandato deixado por Robervaldo, mas este se encerra em julho deste ano, período em que diz pretender trabalhar para sua reeleição e concluir seus projetos para o clube. “Conto com a ajuda do torcedor, dos empresários, da imprensa e do governo municipal – parceiros indispensáveis para o bom andamento de nossos projetos -, e com eles estou confiante que clube Parauapebas Futebol Clube voltará com tudo a divulgar de forma benéfica o nome do município.

O PFC deverá disputar a 2ª Divisão do Campeonato Paraense de Futebol, programada para novembro. Todavia, o presidente quer que o clube participe dos campeonatos sub-17 e sub-20 para criar uma base forte visando a competição de novembro.

Nos bastidores da Federação Paraense de Futebol há rumores de que pretende-se antecipar a 2ª Divisão para maio. Para tanto a FPF espera apoio do governo do Estado. Conversas nesse sentido já foram iniciadas.

Com informações de Francesco Costa.

Seleção brasileira de handebol feminino chega nesta quinta-feira em Belém

 

O evento vai abrir oficialmente o calendário da seleção brasileira após os Jogos Olímpicos Rio 2016. Após chegar até as quartas de final nas Olimpíadas, o Brasil se renovou com jogadoras que atuam em países como França, Hungria, Alemanha e Polônia, além de atletas de São Paulo e Santa Catarina. O técnico Morten Souback vai testar a nova formação do time neste II Torneio Quatro Nações.

A secretária da Seel, Renilce Nicodemos, pede por um grande envolvimento de estudantes no evento. Para ela, o handebol é uma modalidade de natureza escolar e de fácil adaptação por parte dos alunos. “Queremos mostrar para os nossos estudantes que por meio do esporte é possível construir um novo momento em suas vidas. As jogadoras brasileiras serão as porta-vozes desse momento. O Brasil vive um momento muito importante, de renovação da equipe depois dos jogos olímpicos do Rio, por isso, nós queremos fazer uma festa linda, com muito carinho e hospitalidade”, disse a titular da Seel.

A arena Guilherme Paraense está recebendo os preparativos para o torneio. O piso especial já foi montado e os assentos estão sendo numerados. Os serviços de limpeza e manutenção seguem normalmente, conforme informações da diretora Cláudia Moura, que também está finalizando os preparativos de transporte, segurança, hospedagem e acomodações especiais às Seleções do Brasil e do exterior. “A marca paraense é da alegria, da hospitalidade, então, vamos receber a seleção com muito carinho”, disse.

Para o técnico da seleção brasileira, Morten Soubak, o torneio e o período de treino em Belém, a partir do dia 24 de novembro, serão bem aproveitados para a preparação do grupo, renovado após as Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016: “O nosso trabalho será um recomeço. Temos que renovar em vários aspectos, não somente porque várias atletas de alto nível não estão mais disponíveis para a Seleção. Temos que pensar no estilo que estávamos jogando e nos aprofundarmos nas novas regras que foram implantadas para os Jogos do Rio e que devem permanecer”, disse o treinador ao site da CBHb. Ele pretende avaliar os novos rumos da equipe: “Vamos dar chance para algumas atletas jovens e outras que fizeram parte do trabalho, mas que não ficaram na equipe para as Olimpíadas. Vamos pensar muito nas características de cada uma e, possivelmente, criar outro jeito de jogar, de acordo com esse perfil, pois o anterior era muito baseado nas atletas que estavam”, afirmou Morten.