Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Parauapebas: mais de 200 estudantes realizam prova do Prise

prise

A terceira etapa do Programa de Ingresso Seriado (Prise), da Universidade do Estado do Pará (Uepa), ocorreu na manhã desta segunda-feira (07). Em Parauapebas, 48 estudantes realizaram a prova com 54 questões objetivas de conhecimentos gerais e uma redação valendo 30 pontos.  De acordo com a Uepa, o candidato que obtiver menos de 12 pontos na prova objetiva e menos de seis pontos na prova de redação será automaticamente eliminado.

O candidato Pedro Silva, de 18 anos, conta que se preparou estudando na escola e em casa, e está confiante na aprovação para o curso de Matemática. “Fiquei um pouco nervoso na hora da prova, mas mesmo assim acredito que alcancei uma boa pontuação”, comenta.

A prova aplicada na Escola Estadual Eduardo Angelim, no bairro Rio Verde, aconteceu também na manhã do último domingo (06), quando 161 estudantes participaram da segunda fase do processo. Os candidatos tiveram cinco horas para responder 60 questões objetivas de conhecimentos gerais e Língua Estrangeira.

Os cursos mais concorridos na terceira etapa do Prise são da área de saúde. 1º lugar: Medicina em Marabá com 19 candidatos para uma vaga; 2º lugar: Biomedicina em Belém, com 12,7 candidatos; e 3º lugar: Fisioterapia também na capital com 10,8 concorrentes para uma vaga, na categoria de não cotista.

Para a condição de cotista, a concorrência apresenta em 1º lugar: Enfermagem em Tucuruí, com 6,5 candidatos por vaga; 2º lugar: Medicina em Marabá, com 6,2 candidatos por vaga; 3º lugar: Fisioterapia em Belém, com 5,8 candidatos para uma vaga.

O resultado da terceira fase está previsto para o final de janeiro de 2016, pois a Universidade aguarda a divulgação do resultado do Enem para anunciar a lista de aprovados do  Prise e do Prosel juntos.

Brasil

Desfile cívico de 7 de setembro retrata diversidade e pluralidade no Brasil

IMG_6826Em comemoração aos 192 anos da Independência do Brasil, os estudantes da rede municipal de ensino de Parauapebas e os demais pelotões – compostos por representantes de entidades sociais, militares e órgãos públicos deram  um show de civismo, desenvoltura e criatividade, durante o desfile cívico de 7 de setembro, que este ano aborda o tema Brasil: Diversidade e pluralidade.

Os mais de 1.500 participantes, entre eles mais de 800 alunos de 23 escolas públicas, retrataram a diversidade e pluralidade brasileira em um espetáculo de cores, faixas e sons, por meio dos seguintes eixos temáticos: Literatura Brasileira, Defensores dos Direitos Humanos: Personagens e entidade, Esporte, Artes Visuais, Fauna e Flora, Diversidade Humana, Lendas e Mitos Regionais/Paraenses, Música e Festas Populares.

Fonte:Ascom

Eventos

Astronauta Marcos Pontes premia alunos de Parauapebas

A Prefeitura de Parauapebas realizará um momento de premiação para os 24 alunos medalhistas na XVI Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) 2013. O evento, organizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), terá a presença do engenheiro Marcos Pontes, primeiro astronauta brasileiro e será realizado na próxima quinta-feira (7), às 15h, no Tatersal do Parque de Exposições Lázaro de Deus Vieira Neto.

Realizada em maio de 2013, a Olimpíada contou com a participação de estudantes das escolas municipais Cecília Meireles, Eduardo Angelim e Antônio Matos Filho, além do colégio Conexão. Ao todo, 436 alunos foram inscritos e receberão certificado de participação. Destes, 24 foram contemplados com medalhas, sendo 11 de bronze, nove de prata e quatro de ouro.

A OBA é organizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e pela Agência Espacial Brasileira (AEB). Este ano reuniu mais de 775 mil alunos de quase nove mil escolas de ensinos fundamental e médio, das redes pública e privada, de todas as regiões do país. A OBA contou ainda com o auxílio de mais de 62 mil professores.

Na oportunidade, Marcos Pontes estará disponível para entrevista coletiva à imprensa às 14 h, no mesmo local do evento e às 15h será a premiação

Data: 07/11/2013
Local: Tatersal do Parque Lázaro de Deus Vieira Neto
Horário: 14h

Universitário de Marabá passa mal e morre durante pesquisa no Tocantins

imageO estudante de geologia da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Marabá, Yego Cunha Leal, de 21 anos, foi encontrado morto no final da manhã desta quarta-feira (28), na região de Babaçulândia, extremo norte do Tocantins.

Ele estava desaparecido desde o último domingo (25), quando fazia um treinamento de mapeamento geológico no local.

Conforme informações do Corpo de Bombeiros, o corpo estava a 15 km do lugar onde o jovem foi visto pela última vez. Ainda segundo bombeiros que participaram das buscas, não foram verificadas marcas de violência no corpo do jovem. Uma hipótese é que ele tenha morrido por desidratação, já que estava em um local onde é muito quente nessa época do ano. A área foi isolada para aguardar a chegada da perícia. O corpo será levado para o Instituto Médico Legal de Araguaína, cidade a cerca de 60 km do local.

Desde segunda-feira (26), os bombeiros faziam buscas para encontrar o jovem. E na terça-feira, os policiais receberam uma informação falsa sobre o paradeiro e o estado de saúde de Yego, se deslocaram até o local indicado, a Serra do Cavalo, mas não acharam o rapaz. A namorada do estudante, Milena Costa, também recebeu a notícia de que Yego havia sido resgatado com vida e chegou a comemorar. Milena acreditava que o desaparecimento de Yego seria “apenas um susto”, e fazia planos para reencontrá-lo assim que ele fosse resgatado.

Os colegas de Yego Cunha Leal, que permanecem no Tocantins, estão abalados com a notícia da morte dele. Felipe Oliveira, um dos amigos do estudante, conheceu Yego antes mesmo de ingressarem no curso de geologia da UFPA. “Nós fizemos cursinho juntos lá em Belém. O Yego é de uma cidade perto de Belém e por isso escolheu fazer cursinho lá. Foi onde a gente se conheceu”, relata.

De acordo com Oliveira, o jovem era apaixonado pelo curso de geologia e muito querido pelos colegas. “Ele gostava de fazer piadas e era um cara companheiro. Não é à toa que todos ficamos aqui”, desabafa. O colega conta que a turma está no quinto dos dez períodos do curso e que Yego já tinha experiência em atividades de campo: “Esta é a quarta vez que a gente vem ao Tocantins. O Yego conhecia bem esta região.”

No último domingo (25), o grupo de estudantes participava de um treinamento de mapeamento geológico na região entre Babaçulândia e Wanderlândia, norte do Tocantins, quando dois colegas de Yego teriam passado mal por insolação.

Ele, acompanhado do professor Antônio Emídio de Araújo Santos Júnior, foram buscar o carro para socorrê-los. No caminho Yego também teria passado mal pela mesma razão. O professor pediu que ele esperasse no local até que voltasse com o carro, mas quando retornou o estudante havia sumido.

Por Paulo Costa – de Marabá

error: Conteúdo protegido contra cópia!