Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Saúde

Médico adverte quanto aos efeitos do excesso de comida e de álcool nas festas de final de ano

Nagilson Amoury é plantonista de dois dos três hospitais públicos de Marabá e alerta também quanto a acidentes e violência doméstica
Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Contagem regressiva para o final do ano – faltam três dias – e as pessoas se preparando para as comemorações, que incluem muita comida e muitos litros de bebida alcoólica, na maioria das vezes, ambas ingeridas em excesso. Sobre o assunto, o Blog ouviu o médico Nagilson Rodrigues Amoury, gastroenterologista, cirurgião-geral e plantonista do Hospital Municipal e do Hospital Regional.

Ele afirma que, “olhando pelo lado da estatística”, 57% das doenças que acometem o ser humano são relacionadas ao meio ambiente, e este, relacionado ao sedentarismo e à alimentação. “Sobretudo em relação ao número de calorias que o organismo ingere, mas que não é gasto e vai acumulando no corpo”, observa.

O médico diz que um grama de proteína equivale a quatro calorias; uma grama de açúcar, quatro calorias; um grama de gordura, nove calorias; e um mililitro de álcool equivale a uma vez e meia a quantidade de açúcar normal, seis calorias. “Ou seja, um copo de cerveja de 200 mililitros equivale a 1.200 calorias e a pessoa toma vários, muitos”.

“Para a população jovem, isso não tem problema algum, até certo ponto pode comer e beber, abusar um pouco. Porém, aquelas pessoas obesas, de mais idade, que são sedentárias e bebem demais e se alimentam de forma errada, têm de evitar o excesso”, aconselha o médico.

Nagilson afirma que no dia logo após as festividades de passagem do ano, chegam aos hospitais muitos casos de gastroenterite, uma infecção causada pelo alimento mal preparado, e de cólica biliar.

“A pessoa come muita gordura e, às vezes, não sabe que tem pedra na vesícula. O excesso de gordura estimula a vesícula a trabalhar e entope a via biliar. Aí, essas pessoas têm de ser operadas de emergência. Já os pacientes diabéticos descompensam e entram em coma. No final de ano é onde existe mais atendimentos a obesos, diabéticos e hipertensos”, conta o médico.

Acidentes e violência

Amoury também adverte quanto ao excesso de álcool na direção de carros e motocicletas, sobretudo nesta época de festas. Segundo ele, atualmente, 50% dos leitos de UTI do Hospital Regional são ocupados por pessoas acidentadas de motos. “Mais de 75% das enfermarias também estão ocupadas por vítimas desse tipo de acidente”, complementa ele, aconselhando as pessoas a não tentarem dirigir alcoolizadas. “A pessoa perde os reflexos, fica mais agitada”, diz, acrescentando: “Todos os leitos da Ortopedia do Hospital Municipal também estão ocupados por vítimas de queda de moto”.

O médico lembra também dos casos de violência, como agressões a arma branca, bala ou pauladas, que aumentam também devido aos excessos causados pelo álcool. “É importante notar que 80% desses casos ocorrem dentro das casas e não nas ruas. É a violência doméstica acirrada pelos desentendimentos em meio à bebedeira”, encerra.

Procura por passagens aumenta em Parauapebas neste fim de ano

Continua depois da publicidade

População enfrenta dificuldades no terminal rodoviário do município.

Nos últimos dias do ano de 2012, o terminal rodoviário de Parauapebas, no sudeste do Pará, tem ficado cada vez mais lotado e muitas pessoas enfrentam dificuldades para garantir sua passagem de ônibus. Mas para passar as festas de fim de ano perto da família, qualquer esforço vale a pena.

Segundo as empresas de transporte rodoviário, nesta época do ano houve um aumento de mais de 100% na venda das passagens. Uma empresa que utilizava apenas dois ônibus em períodos normais, precisou aumentar a frota para oito veículos nesse último mês.

Os destinos mais procurados para os querem sair de Parauapebas são: Belém, São Luís (MA) e Santa Inês (MA).

Fonte: G1-PA