Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Clube do Remo só empata diante do Manaus e está eliminado da Copa Verde 2018

O Leão Azul não teve forças para reverter o resultado e ficou no empate dentro do Mangueirão

Por Fábio Relvas

Os jogadores do Clube do Remo entraram em campo com uma faixa em homenagem ao ex-atleta do time, o meia Danilo Caçador, Danilinho, que faleceu nesta terça-feira (13), em um treinamento pelo Juazeirense-BA, clube no qual o jogador estava defendendo. Danilinho sofreu um mal-estar, precisou ser levado ao hospital e faleceu com uma arritmia seguida de parada cardíaca.

Em relação à partida, com o resultado adverso do jogo ida, quando o Remo caiu para o Manaus-AM pelo placar de 2 a 0, o time azulino não teve escolha e foi para o ataque tentar reverter a situação. Mas quem chegou primeiro foi o Gavião do Norte: após bola alçada na área, o goleiro Vinícius saiu mal do gol e Rossini pegou a sobra, mandando por cima. Apoiado pela torcida, o time azulino reagiu com Fernandes, que resolveu chutar e mandou para fora, sem muito perigo.

Depois de tentar envolver o adversário com alguns passes, o lateral-direito Levy também resolveu arriscar e a bola foi em cima do goleiro Milton. Levy cruzou para Felipe Recife, que testou, mas mandou para fora. O meia Rossini do Manaus recebeu na entrada da área e mandou para o gol, Vinícius defendeu bem para o Remo. O atacante remista Felipe Marques invadiu a área e disparou, o goleiro Milton mandou para escanteio.

O time do Leão Azul chegou mais uma vez, após uma bela jogada de Esquerdinha, que cruzou para Jefferson Recife cabecear e a bola passar assustando a meta do Gavião. Felipe Recife estava afim de experimentar o goleiro adversário e mandou um chute de longe, Milton defendeu bem para o Manaus. De tanto insistir, o Leão Azul conseguiu chegar mais perto em um pênalti marcado por Hamilton em cima do atacante Jayme.

Muita cera e catimba por parte da equipe do Amazonas impedindo a cobrança da penalidade. Isac pegou a bola e chamou a responsabilidade, mas, na cobrança, mandou uma pancada quase que no meio do gol, e o goleiro Milton espalmou para escanteio. Na sequência, Milton saiu atordoado da meta e dividiu a bola pela lateral com o atacante Felipe Marques. O árbitro deu arremesso para o Leão, mas o goleiro simulou uma contusão e obrigou a arbitragem paralisar a partida, causando um tumulto entre os jogadores de dentro do campo e os que estavam no banco de reservas, de ambas as equipes.

Com uma tremenda cera dos visitantes, o árbitro acrescentou mais sete minutos antes de terminar a primeira etapa. Nesse período, o Remo perdeu grandes chances de abrir o marcador. Após levantamento na área, Isac tocou de cabeça e a bola passou raspando o travessão. Em outra bola alçada na área, Jayme tocou de cabeça na segunda trave para a chegada de Isac, mas o atacante não alcançou, perdendo outra chance para os azulinos. Ainda deu tempo de Levy cruzar e Jayme cabecear para a defesa de Milton, que salvou para escanteio.

Sem conseguir marcar no primeiro tempo, o Leão Azul começou afobado no início da etapa derradeira; todo mundo querendo resolver a situação. Em uma bola pelo meio, o atacante Isac, tendo várias opções de passe, resolveu chutar e errou por muito, mandando longe da meta adversária. Outro afoito foi o volante Fernandes, que tentou surpreender e também quase mandou a bola para fora do Estádio Mangueirão. O desespero era visível nos atletas azulinos e o atacante Jayme também entrou na onda e isolou em um chute de fora da área.

O técnico Ney da Matta fez algumas alterações no time e parece que a turma do banco também estava sem pontaria. Adenilson pegou uma sobra e mandou um chute sem direção alguma da meta do Manaus. O time amazonense finalmente voltou a assustar quando Panda levantou na área para Rossini que, com um leve toque, tentou marcar, mas parou em Vinícius. Elielton, outro jogador que entrou no decorrer do segundo tempo, tocou com Felipe Recife, que cruzou na área em cima de Milton.

O Manaus estava jogando por uma bola e ela surgiu aos 25 minutos: Wander recebeu lançamento na medida e sozinho chutou por cima de Vinícius e correu para o abraço, calando os mais de 12 mil azulinos no Mangueirão, 1 a 0 Gavião do Norte. Com o gol sofrido, o Remo teria que marcar quatro para avançar. Jayme resolveu chutar de longe e isolar mais uma chance remista na partida. Negueba recebeu o segundo cartão amarelo, e consequentemente, o vermelho, sendo expulso de campo, deixando o Manaus com menos um.

O Clube do Remo sentiu o gol, mas chegou a igualar o marcador: Rodriguinho cobrou escanteio, a bola tocou na coxa do zagueiro Mimica e foi para o fundo do barbante, aos 33 minutos, tudo igual no Mangueirão, 1 a 1. O Leão Azul precisava de mais três para classificar. As esperanças terminavam, quando em uma sobra de bola, o zagueiro Bruno Maia mandou muito longe da meta de Milton.

O Fenômeno Azul começava a deixar o estádio, mas ainda viu Adenilson pegar uma sobra de bola na marca do pênalti e mandar longe. O Azulinos ainda tentaram pelo menos sair com a vitória, mas Jayme, sozinho na pequena área, parou na grande defesa do goleiro Milton, o grande destaque da partida. Placar final: Remo 1 x 1 Manaus. Em cinco edições da Copa Verde, essa foi a pior participação do Clube do Remo, que saiu precocemente ainda na primeira fase. Já o Manaus, classificado para as quartas de final, aguarda o vencedor do duelo entre Rio Branco-AC e São Raimundo-RR.

Futebol

Jogadores do Águia têm palestra motivacional antes do treinamento

O time não vai ter folga para o carnaval: o período da folia será de treinos para o Azulão

Eleutério Gomes – de Marabá

Os jogadores do time do Águia de Marabá tiveram ontem (9) uma sexta-feira diferente: nada de academia, nada de campo. O plantel se reuniu em um auditório para um momento de reflexão e conversa com o consultor Emerson Caldas, que tem conduzido o processo de montagem do Plano de Gestão Estratégica com a diretoria do clube. O encontro teve o objetivo de orientar os jogadores sobre o Projeto Águia 2022, e a respeito do papel que cada um tem a desenvolver no restante do Campeonato Paraense 2018.

A consultoria com os 27 jogadores e a comissão técnica contou com a exibição de vídeos motivacionais, apresentação da missão e visão do Águia Futebol Clube, dinâmicas e um momento em que os jogadores puderam expor seus pontos de vista a respeito do momento vivido pelo time. O ponto chave foi levar os jogadores à reflexão do papel de cada um no Campeonato e no projeto do Águia.

O lateral direito Ari foi um dos que usaram o momento para falar como o grupo vem se sentindo após quatro derrotas seguidas: “Eu não estou contente com essa situação. É muito difícil chegar em casa carregando só derrotas, é muito ruim. Estamos tristes com esse momento, por nós, pelas nossas famílias e pela nossa torcida. Mas, esse momento foi muito bom, pois todo aprendizado é bem-vindo e vamos sair daqui com os ânimos renovados”, disse o jogador.

O goleiro Guibson, que entrou na última partida no lugar de Bernardo, que sofreu uma falta grave e teve de ser atendido em um hospital de Castanhal, também compartilhou o que vem passando: “Eu saí de casa cedo, em busca de melhoria de vida para a minha família, assim como milhares de outros jogadores. E agora que estou tendo essa chance, estou dando o meu melhor, mas vou me esforçar mais ainda para realizar o que eu me propus a fazer pelo Águia”, afirmou ele.

No encerramento da consultoria, o juiz trabalhista e conselheiro do Águia Jônatas Andrade falou: “Esse momento que vocês viveram foi inspirador e transformador, especialmente porque temos quatro jogos pela frente. O nosso objetivo maior é o Projeto Águia 2022, quando nós pretendemos levar o Águia à elite do futebol. Temos percalços pelo caminho sim, como este de agora, mas vamos seguir em frente, confiante no trabalho da equipe”, disse ele.

À tarde, os jogadores participaram de treinamento comandado pelo preparador físico Gesiel Pasiani em um campo sintético particular, e assim será todo o período do carnaval. O Águia ainda pode alcançar 12 pontos nas próximas quatro rodadas, enfrentando o Paragominas, no dia 22; o Clube do Remo, no dia 4 de março; o Parauapebas, no dia 10 de março; e o São Raimundo, em 14 de março.

O Blog levantou que há possiblidade de que jogo contra o Paragominas já seja disputado em casa, no Estádio Municipal “Zinho Oliveira”, cujo novo gramado recebe os últimos retoques.

Ainda conforme informações de bastidores, apesar de parte da torcida exigir a saída do técnico João Galvão, o treinador permanece na equipe.

Workshop de Gestão 

O trabalho com os jogadores foi uma continuidade do workshop realizado com a diretoria do clube sobre o Planejamento Estratégico. O encontro, realizado no último dia 6, teve como principal assunto a reformulação da estrutura organizacional administrativa do clube, que objetiva seguir firme com o Projeto Águia 2022.

Participaram desse encontro Sebastião Ferreira Neto, presidente do clube; Pedro Corrêa, vice-presidente, os conselheiros Tony Cunha, Ítalo Ipojucan, Jônatas Andrade, Inaldo Antônio e Dennys Rocha. (Com informações da Assessoria de Comunicação do Águia)

Futebol

Meio-campo Djalma, ex-Paysandu, já está treinando no Parauapebas Futebol Clube para a disputa do Parazão

O atleta chegou nesta quinta, treinou com o restante do grupo, e está à disposição do técnico Léo Goiano para a próxima partida justamente contra o seu ex-clube

Por Fábio Relvas

Após dispensar cinco atletas do elenco: Tiago Baiano (lateral-direito), Ângelo, João Grilo, Will (meias) e Heliton (atacante), a diretoria do Parauapebas Futebol Clube (PFC) anunciou a contratação do meio-campo Djalma, que é fruto da base do Paysandu Sport Club. O atleta chegou nesta quinta-feira (8) na capital do minério e já foi treinando no Estádio Rosenão com o restante do grupo, ao comando do técnico Léo Goiano.

Benedito Moia Varela, ou simplesmente Djalma, tem 25 anos e é natural da cidade de Cametá, do interior do estado do Pará. Iniciou sua carreira na base do Paysandu Sport Club e tem no currículo dois títulos do Campeonato Paraense: 2010 e 2013, além de dois acessos com o clube paraense para a Série B: em 2012 e 2014. Inclusive, na conquista do estadual de 2013, marcou o primeiro gol bicolor no jogo de ida, contra o Paragominas, quando o Papão goleou, por 4 a 0, na Arena Verde; depois, o alviceleste voltou a vencer, por 3 a 1, no Mangueirão e foi campeão.

Djalma atuou em mais de cem jogos com a camisa do Paysandu, e sua é toda voltada ao futebol: seu irmão Fabricio também foi jogador, além de seu tio Varela, que atuou com a camisa do Clube do Remo na década de 90. Depois do Papão, o jogador ainda teve passagens pelo ASA-AL, Barretos-SP e São Raimundo-PA.

O atleta chega ao PFC com as melhores expectativas e explica por que é chamado de Djalma: “Djalma é um apelido de infância que um amigo meu colocou e ficou até hoje; graças a Deus, porque narrar Benedito seria muito esquisito. Sou sobrinho do Varela, jogador que atuou no Remo. Em relação ao PFC, a expectativa é muito boa. Os jogadores me receberam muito bem e eu já conhecia o professor Léo Goiano. A expectativa é que a gente já possa, com todo respeito à equipe do Paysandu, conseguir o objetivo que são os três pontos nesse próximo jogo, já que perdemos o último dentro de casa. Esperamos que, a cada jogo, possamos conquistar o nosso objetivo e classificar o time para a semifinal”, afirmou o meia.

O presidente João Luiz, popularmente conhecido como “Uai”, sabe que o time não vai bem dentro do Parazão de 2018, e alguma coisa teria que ser feita para tentar melhorar o desempenho do PFC em sua campanha no estadual. Sendo assim, a primeira medida tomada foi liberar alguns atletas e buscar outros nomes para fortalecer o plantel, almejando uma possível vaga na semifinal.

“A situação em que nos encontramos dentro do campeonato é um pouco incômoda; nós temos que mexer, temos que fazer algo, temos que trabalhar. Esses atletas que dispensamos, foram porque a gente trouxe, eles trabalharam, mas não deram o rendimento técnico que esperávamos; é normal dentro de um time de futebol, a gente estar dispensando e contratando. Estamos trabalhando para trazer novos nomes, atletas com o nível mais alto, para realmente dar o resultado que esperamos. Trouxemos o Djalma, ex-Paysandu e agora estamos atrás de um atacante para definir jogos”, disse Uai.

Futebol

Clube do Remo vence o Atlético-ES e avança para a segunda fase da Copa do Brasil 2018

Os atacantes Isac e Felipe Marques foram os autores dos gols que levaram o Leão para a próxima etapa da competição nacional
Por Fábio Relvas

O Clube do Remo foi o único time do estado do Pará que avançou na Copa do Brasil. Na tarde desta quarta-feira (07), o Leão Azul venceu Atlético-ES, por 2 a 0, e está classificado para a segunda fase da competição nacional. Os gols azulinos foram marcados por Isac, aos 39 minutos do 1º tempo, e Felipe Marques, aos 36 do 2º tempo. A partida foi realizada no estádio José Olívio Soares, em Itapemirim, no Sul do Espírito Santo e válida pela primeira fase da competição.

Com o isso, o Clube do Remo encara o Internacional-RS, em jogo único, pela segunda fase da competição. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), ainda não definiu a data do duelo, que poderá ocorrer no dia 20 ou 21 de março, mas o local será no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. Segundo o regulamento, quem vencer avança para a terceira fase e caso de empate, a decisão vai para as cobranças de pênaltis.

A partida: Atlético-ES 0 x 2 Remo – Leão Azul é Pará na Copa do Brasil!

Como jogava pelo empate, o Clube do Remo esperou um pouco mais a iniciativa de jogo pelo adversário. E na primeira investida do Atlético de Itapemirim, Felipe Foca cruzou da direita para Eraldo, que se antecipou a zaga remista e disparou na trave e na sobra, Mimica aliviou o perigo que estava rondando a meta de Vinícius. Em uma falta cobrada na área, Pikachu levantou e o goleiro Vinícius afastou de soco.

O Clube do Remo resolveu sair para o jogo. Esquerdinha cruzou na área e o atacante Isac cabeceou, a bola tocou na rede pelo lado de fora, levando a torcida remista que foi até o Espírito Santo. O Atlético tentou marcar quando Eraldo ajeitou de peito para o chute de Fabiano, que mandou longe da meta azulina. Outra vez os donos da casa chegaram, na pancada de fora da área desferida por Marcos Felipe a bola passou muito perto assustando Vinícius.

Aos 39 minutos de jogo, o Leão Azul chegou lá. Rodriguinho cobrou escanteio, a defesa não cortou e o atacante Isac mandou de perna direita para o fundo do barbante, 1 a 0, Remo. Mais uma vez o time paraense chegou com Rodriguinho, que cruzou para o toque de cabeça do zagueiro Mimica, o goleiro Bambu ficou com a bola. No início do segundo tempo, Eraldo tocou  para o volante Araruama do Galo, que se livrou da marcação e mandou um chute forte, a bola passou perto.

O time da casa ganhou fôlego e quase chegou ao empate com Felipe Foca, que avançou livre pela direita e mandou um chutaço, o goleiro Vinícius salvou o Remo. Pikachu pegou uma sobra de bola e tentou surpreender o goleiro remista, mas mandou por cima da meta. O Leão reagiu quando Geandro cruzou da esquerda, o goleiro Bambu saiu mal de sua meta e zaga conseguiu afastar o perigo. O Galo atacou novamente e após receber sozinho dentro da área, Kaio chutou em cima de Vinícius.

Após alguns sustos, o Leão acordou para o jogo. Lançamento chegou para Isac, que percebeu a saída do goleiro Bambu e tentou por cobertura, a bola passou por cima da meta. Em mais uma descida dos azulinos para o ataque, Levy arrancou e tocou para Felipe Marques, que com muita tranquilidade tirou do goleiro Bambu e correu para o abraço, aos 36 minutos, 2 a 0, Remo. Os donos da casa queriam pelo menos diminuir o placar e quase chegaram ao gol, depois do escanteio cobrado, Vinícius afastou de soco e na sobra, Kaio mandou um chute na trave azulina.

O Clube do Remo começou a cadenciar o jogo. Ainda deu tempo do Galo assustar pela última vez, sempre com o perigoso Kaio, que saiu da marcação e chutou para a boa defesa de Vinícius. Placar final: Atlético-ES 0 x 2 Remo.

Com a classificação garantida para a segunda fase da Copa do Brasil, o Leão Azul vai receber uma premiação no valor R$ 600.000,00. O time azulino já tinha  recebido da Confederação Brasileira de Futebol, a quantia de R$ 500.000,00, cota de participação na primeira fase. Sendo assim, o time paraense já arrecadou R$ 1.100.000,00.

Futebol

Parazão: Águia de Marabá entra em campo hoje contra o Castanhal já com novo reforço

O Azulão tenta se recuperar na competição, sobretudo após a retumbante derrota de 4 a 0 em Santarém

Já está em Castanhal com o restante do plantel o jogador Elton Cléber Santos Rovere. A mais nova contratação do Águia de Marabá é atacante, tem 22 anos, 1,80m de altura, canhoto e começou sua carreira no Esporte Pará. Esta foi a segunda contratação do time azulino nesta semana, uma atitude da diretoria do time em busca de melhorar o desempenho do Azulão nesta segunda fase do Campeonato Paraense.

A outra contratação é o também atacante Élcio Magno Dutra, de 20 anos. Com passagens pela Desportiva e Bahia, o jogador se apresentou em Castanhal, onde já treinou com o restante do grupo e pode estrear hoje no jogo contra o Japiim. O técnico João Galvão já fez a escalação do time azulino, que começa a jogar com: Bernardo, Ari, China, Marquinhos, Rafael Vieira, Mael, Juninho, Samuel, Felipinho, Erick Di Maria e Guga. Léo Azevedo cumpre suspensão automática devido expulsão sofrida no último jogo, quando o Águia perdeu para o São Raimundo pelo placar de 4 a 0.

Para este jogo, o time aguiano espera um resultado favorável, na tentativa de reverter situação. A fim de dar apoio aos jogadores, uma comissão formada por integrantes da diretoria do time já está
na Cidade Modelo.

O jogo entre Castanhal e Águia de Marabá acontece hoje, a partir das 20h30, no estádio Maximino Porpino Filho, o “Modelão”.

Futebol

Após vexame dentro de casa, a diretoria do Parauapebas anunciou a dispensa de cinco jogadores

Tiago Baiano, Ângelo, Will, João Grilo e Helinton, foram dispensados do plantel do Gigante de Aço

Por Fábio Relvas

O clima não é o dos melhores no Parauapebas Futebol Clube (PFC). Após o vexame do último domingo (4), quando o Gigante de Aço perdeu para o Bragantino, por 4 a 2, em pleno estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, a diretoria anunciou uma lista de dispensas com nomes de cinco atletas, são eles: Tiago Baiano (lateral-direito), Ângelo, Will e João Grilo
(meias) e Helinton (atacante).

Uma lista que surpreendeu pelo fato de ter jogadores que praticamente pouco atuaram ou até mesmo não jogaram com a camisa do PFC. O lateral-direito Tiago Baiano, chegou a jogar algumas partidas pelo fato de Rodrigo, que é titular da posição, ser improvisado em determinadas partidas como zagueiro, ou suspenso. O meia Ângelo era reserva imediato da posição, quando Léo Goiano precisava mexer no andamento dos jogos, acionava o atleta.

Will, outro meia da equipe, pouco foi utilizado pelo comandante do PFC. Em relação a João Grilo, também meio-campo, o atleta nem chegou a atuar com a camisa do clube no Parazão. O atacante Helinton, cria da base do Clube do Remo e com passagem pelo Paysandu, teve seu nome na lista da diretoria. O jogador teve pouca chance no time, sendo utilizado somente no decorrer de dois  jogos.

Apesar das dispensas, até o momento, a diretoria não confirmou a contratação de nenhum atleta.

O Parauapebas não vem bem na disputa do Campeonato Paraense de 2018. Foram cinco pontos conquistados, em 15 disputados. O time atuou em cinco jogos, com uma vitória, dois empates e duas derrotas. O PFC marcou quatro gols e sofreu seis, tendo um saldo negativo de dois tentos. O clube ocupa a quarta posição da Chave A2.

O Parauapebas volta a campo diante do Paysandu no próximo dia (18/02), às 16h, no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. A partida será válida pela 6ª rodada do Campeonato Paraense de 2018. As duas equipes precisam pontuar para não correr risco de perder posições na tabela de classificação. O último encontro dos times ocorreu na 1ª rodada, com vitória do Papão, por 1 a 0, no estádio da Curuzu, em Belém.

Futebol

Após goleada, diretoria do Águia recebe ameaça de torcedores

O presidente do clube minimizou a ameaça, mas anunciou novas medidas para melhorar o desempenho do time azulino

Nas redes sociais mais populares – e também nas elitizadas – o domingo e segunda-feira foram dias para desabafar contra o Águia de Marabá e, principalmente, o treinador João Galvão e presidente Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha.

Houve quem sugerisse a saída imediata de Galvão, outros criticaram a escolha dos atletas jovens demais para uma competição profissional. Um solitário o comparou ao Temer, que não sai do cargo por nada e, outros ainda, fizeram ameaças veladas à diretoria.

No Facebook do próprio Águia, onde há uma enxurrada de reclamações, uma pessoa que se identifica como Patrick Xavier escreveu o seguinte: “Vamos marcar um dia para nois (sic) ir tocar o terror para essa diretoria, tirar essa imudice (sic)”. Um outro, que se identifica como “Azulão Marabaense” postou uma mensagem confirmando e dando a entender que já existe um grupo de pessoas preparando alguma manifestação mais radical: “Tamos (sic) marcando um dia, falta só confirmar”.

A Reportagem do blog “printou” as mensagens e enviou ao presidente Sebastião Ferreira Neto, que minimizou a ameaça. “Não me preocupo. Esses indivíduos não conseguem juntar seis pessoas para fazer manifesto em lugar nenhum do mundo. Não são torcedores do Águia. Os torcedores colaboram, vão lá no estádio, torcem, ajudam. Não há credibilidade alguma. Se eu fosse você, nem escreveria sobre isso. Eles querem atenção, estão querendo aparecer”, sugeriu Ferreirinha.

Por outro lado, o presidente do Azulão anunciou ao repórter do Blog uma decisão tomada na tarde desta segunda-feira e enviou uma nota com pedido de publicação:

“A Diretoria do Águia de Marabá esteve reunida na tarde de hoje, 05, para cuidar de diversos assuntos, especialmente o desempenho do time azulino. Uma das decisões do grupo foi a contratação do atacante Élcio Magno Dutra, de 20 anos de idade. Natural de Belém, o jogador tem passagens pela Desportiva e pelo Bahia e já se encontra em Castanhal, juntamente com o restante do elenco. De acordo com o presidente do time, todos os esforços estão sendo feitos para que o jogador faça sua estreia já na quarta-feira, 07, contra o Castanhal.

Além disso, Ferreirinha anunciou ainda que mais um atacante deve ser contratado ainda esta semana. Outra medida tomada pela diretoria é a ida de um grupo, entre diretores e conselheiros do time, até Castanhal, para prestigiar a equipe, buscando a melhoria do seu desempenho”.

Lembrando da crise financeira do Águia, o presidente reconheceu que grupo de jogadores está limitado, “mas nossa folha de pagamento é a menor do Campeonato Paraense, ficando em torno de R$ 60 mil, com apenas 23 jogadores. Vários deles nunca atuaram profissionalmente”, recorda.

Ele também faz questão de frisar que sete atletas do elenco nunca atuaram profissionalmente e pediu compreensão por parte do torcedor. “Estamos com várias dificuldades nesta temporada. Todas as nossas partidas foram longe de Marabá e não tivemos um jogo de mando de campo perto da torcida ainda”, lamenta, recordando que o Estádio Zinho Oliveira está em reforma.

Por fim, o presidente do Azulão ressalta que, com as dificuldades de entrosamento e preparo físico, a equipe vai ficar o período de Carnaval todo treinando para corrigir as falhas apresentadas nos últimos jogos.

Futebol

Parauapebas é goleado pelo Bragantino dentro do estádio Rosenão e cai para o quarto lugar da Chave A2

O Tubarão do Caeté não tomou conhecimento e deitou e rolou no segundo tempo em cima do PFC

Por Fábio Relvas
Fotos: Carlos Campos

O Parauapebas Futebol Clube decepcionou o seu torcedor na tarde deste domingo (04), quando caiu para o Bragantino, pelo placar de 4 a 2, e despencou na Chave A2 do Campeonato Paraense. O time ocupa agora o 4º lugar com cinco pontos conquistados. A partida foi realizada no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, válida pela quinta rodada do estadual.

O jogo: Parauapebas 2 x 4 Bragantino – Que tiro foi esse PFC!

As duas equipes enfrentaram a chuva e o gramado pesado do Estádio Rosenão. O Bragantino chegou primeiro com Kleber Queiroz, que cruzou e a bola passou assustando; Max Carrasco respondeu para o Parauapebas, mas o chute foi por cima da meta. O Tubarão do Caeté chegou pela segunda vez e foi fatal: Alan Calbergue cobrou falta e o zagueiro Ronny Taperaçu subiu com estilo para marcar, aos 17 minutos do 1º tempo, 1 a 0 para os visitantes.

Com o gol sofrido, o PFC se soltou mais em campo. O lateral-esquerdo Rafinha chutou e a bola passou perto. Em seguida, o atacante Monga ganhou na dividida e chutou para a boa defesa de Paulo Ricardo, que colocou para escanteio. De tanto insistir, o Gigante de Aço chegou lá: Maninho tocou pelo meio para Max Carrasco, que ajeitou para o chute certeiro de Luiz Fernando, a bola foi no ângulo, um golaço, aos 36 minutos, 1 a 1.

Na segunda etapa, em menos de um minuto, Romarinho pegou uma sobra de bola e mandou um chutaço, na gaveta: outro belo gol no Rosenão, 2 a 1, Bragantino. Logo depois, aos cinco minutos, o PFC voltou a empatar, quando Maninho passou da marcação e bateu forte no canto, deixando o goleiro Paulo Ricardo sem ação, 2 a 2. O jogo pegou fogo e logo depois, o Gigante de Aço quase virou a partida: Ângelo fez boa jogada pela direita e cruzou para Maninho, que sozinho mandou para fora.

O time do PFC seguiu em cima. Tiago Baiano cruzou da direita para Monga, o atacante bateu de primeira e o goleiro Paulo Ricardo fez a defesa. Em uma jogada mais forte, o meia Wellington Cabeça derrubou o adversário e recebeu o segundo cartão amarelo e consequentemente o vermelho. Daí em diante, o Parauapebas se perdeu em campo. Alan Calbergue chutou de fora da área, e Bruno salvou para escanteio.

Maninho fez grande jogada individual, se livrou da marcação, mas chutou em cima de Paulo Ricardo. O Tubarão do Caeté teve a chance com Paulo de Tárcio, que mandou de voleio para a defesa do goleiro Bruno. Romarinho fez jogada pela esquerda e cruzou rasteiro, o goleiro Bruno salvou na primeira e na sobra Felipe Maracanã não perdoou e marcou, aos 36 minutos.

Para fechar o placar, o lançamento na frente chegou para Dock, que driblou o goleiro Bruno e ampliou, 4 a 2, aos 39 minutos.

FICHA TÉCNICA

PARAUAPEBAS: Bruno; Tiago Baiano, Cris, André Ribeiro e Rafinha; Max Carrasco, Amaral (Ângelo), Wellington Cabeça e Luiz Fernando; Monga (Matheus Moreno) e Evandro (Maninho).
Técnico: Léo Goiano

BRAGANTINO: Paulo Ricardo; Pedro Henrique, Romário, Ronny Taperaçu e Gabriel Lima; Keoma (Felipe Maracanã), Paulo de Tárcio, Kleber Queiroz (Dock) e Alan Calbergue; Pecel (Aslen Mendes) e Romarinho.
Técnico: Artur Oliveira

Árbitro: Joel Alberto Teixeira Rezende
Assistentes: Jhonathan Leone Lopes e Antônio Alves Teixeira Filho
Quarto-árbitro: André Michel Petri Galina

Cartões amarelos: André Ribeiro, Max Carrasco e Wellington Cabeça (Parauapebas); Pecel (Bragantino)
Cartão vermelho: Wellington Cabeça

Local: Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão

Este slideshow necessita de JavaScript.

error: Conteúdo protegido contra cópia!