Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Paysandu vence o Atlético-ES e coloca a mão na taça da Copa Verde

O time bicolor não tomou conhecimento do adversário e venceu dentro de Cariacica por dois gols, no jogo de ida da final

Por Fábio Relvas

O Paysandu Sport Club ficou bem perto do bicampeonato da Copa Verde na noite desta quarta-feira (25). O Papão venceu o Atlético-ES, por 2 a 0, no Estádio Kleber Andrade, o Klebão, em Cariacica, no Espírito Santo, e colocou a mão na taça. Foi o jogo de ida entre as equipes, que voltarão ao campo para a grande decisão no dia 16 de maio, às 20h, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

O atacante Cassiano foi o destaque do Papão na partida, marcando os dois gols. No primeiro deles, aos nove minutos do segundo tempo, aproveitou a lambança do zagueiro Kleber Viana e tocou na saída do goleiro Bambu. No segundo, recebeu lançamento e ganhou do zagueiro Rhayne, marcando aos 27 minutos da etapa derradeira.

O jogo: Galo 0 x 2 Papão – Paysandu com a mão no bicampeonato da Copa Verde

O time do Atlético de Itapemirim, jogando em Cariacica, tomou a iniciativa do jogo: Uálisson Pikachu cruzou para Eraldo e a zaga do Paysandu chegou cortando para escanteio, com menos de um minuto de bola rolando. Logo depois,  o Papão começou a equilibrar as ações e se mandou para o ataque com Matheus Silva, que se livrou da marcação e cruzou para a chegada de Cassiano; a zaga prensou o chute e a bola se perdeu pela linha de fundo.

Em uma bobeira do adversário, o time bicolor roubou a bola com Moisés e partiu para o contra-ataque; após fazer tabela com Cassiano, o mesmo Moisés acabou chutando para fora, sem muito susto para o goleiro Bambu. O time da casa respondeu com Paulinho, que lançou para o destaque da equipe, Uálisson Pikachu, mas o chute explodiu no zagueiro Perema e, novamente, a bola se perdeu pela linha de fundo.

Outra vez, Uálisson Pikachu chegou com perigo: o atacante cruzou para Eraldo, que na hora de concluir, furou o chute, possibilitando o corte da zaga bicolor. O Paysandu voltou a atacar quando Matheus Silva cobrou escanteio e Perema cabeceou para fora. O Galo respondeu da mesma forma quando Uálisson Pikachu cobrou escanteio na medida para Kleber Viana, mas o zagueiro Edimar cortou, livrando a barra bicolor.

A última chance do primeiro tempo foi do time paraense: Mateus Muller cobrou falta, o zagueiro Kleber Viana cortou para escanteio e o árbitro Rodolpho Toski Marques, do Paraná, terminou a etapa inicial sem deixar o Papão cobrar o escanteio. Na segunda etapa, o Paysandu abriu o placar logo aos nove minutos, quando o atacante Cassiano roubou a bola do zagueiro Kleber Viana, arrancou e tocou na saída do goleiro Bambu, 1 a 0.

O time do Espírito Santo tentou reagir após sofrer o gol. Uálisson Pikachu cobrou escanteio, o goleiro Renan Rocha saiu mal de sua meta, a bola bateu no zagueiro Kleber Viana e tocou na rede pelo lado de fora; a torcida do Galo chegou a gritar gol no estádio. Pressão do Atlético: Marcos Felipe chutou, a bola passou por todo mundo e sobrou para Uálisson Pikachu, que passou da marcação e cruzou; o goleiro Renan Rocha deu um tapa na bola e, na sobra, Franklin chutou para outra defesa do arqueiro bicolor, que mandou para escanteio.

A torcida do Galo começou a acreditar em um possível empate. Uálisson Pikachu tocou para Paulinho, que cruzou para a cabeçada de Eraldo, mas a bola se perdeu pela linha de fundo. O Papão saiu em contra-ataque com Mateus Muller, que tocou para Moisés; o atacante bicolor descobriu Mike, que recebeu, driblou e chutou para fora. Na outra tentativa bicolor, foi fatal: Cassiano recebeu lançamento, ganhou na velocidade do zagueiro Rhayne e estufou as redes de Bambu, 2 a 0, aos 27 minutos. Foi o nono gol de Cassiano, artilheiro isolado da Copa Verde.

O atacante Magno Ribeiro entrou no jogo e na primeira bola que pegou, saiu driblando e chutou forte para a defesa do goleiro Bambu, seria um golaço bicolor. O árbitro Rodolpho Toski Marques, do Paraná (FIFA), levou até aos 49 minutos e não mostrou nenhum cartão durante toda a partida. Placar final: Atlético-ES 0 x 2 Paysandu.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-ES: Bambu; Paulinho, Rhayne, Kleber Viana e Marcos Felipe; Vitor, Araruama (Charles) e Fabiano (Pagode); Franklin, Uálisson Pikachu (Chiquinho) e Eraldo.
Técnico: Zé Humberto

PAYSANDU: Renan Rocha; Diego Ivo (Douglas Mendes), Edimar e Perema; Matheus Silva (Willyam), Nando Carandina, Renato Augusto e Matheus Muller; Moisés, Mike (Magno) e Cassiano.
Técnico: Dado Cavalcanti

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Bruno Raphael Pires (GO)
Quarto-árbitro: Dyorgines Jose Padovani de Andrade (ES)
Quinto-árbitro: Fabiano da Silva Ramires (ES)

Gols: Cassiano, aos 9 minutos e aos 27 do 2º tempo para o Paysandu

Local: Estádio Kleber Andrade, o Klebão, em Cariacica, no Espírito Santo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Futebol

Parauapebas vence amistoso contra Águia em treino para Campeonato Paraense Sub-17

A partida foi realizada no Estádio Zinho Oliveira, em Marabá, e nem chegou até o final por falta de arbitragem

A garotada do Sub-17 do Parauapebas Futebol Clube entrou em campo, no último sábado (21), para um amistoso diante do Águia de Marabá, no Estádio Zinho Oliveira. Como a Federação Paraense de Futebol (FP) adiou o estadual da categoria, o técnico João Paulo, do PFC, pôde acompanhar a sua equipe em ritmo de jogo com um adversário que também vai disputar a competição.

“Foi uma excelente avaliação para o grupo. Sentimos um pouco a viagem, além da ansiedade, visto que são atletas muitos jovens. Porém, no lado coletivo tático, me agradou muito na fase defensiva, com a compactação e um bom balanço defensivo; vamos procurar melhorar nossas transições, apesar de neste jogo ter proporcionado perigo ao adversário em vários momentos. Na fase ofensiva, nosso time é muito rápido e com muitas qualidades individuais, porém, temos que ter mais paciência para manter a posse de bola um pouco mais,” afirmou João Paulo.

O Parauapebas venceu a partida amistosa pelo placar de 1 a 0, com um gol assinalado pelo atacante Tauan, aos 23 minutos do primeiro tempo. O detalhe é que a partida não terminou, pelo fato de não ter arbitragem. Quem comandou o apito do jogo foi o preparador de goleiros do Águia de Marabá, que acabou irritando o PFC pelas jogadas que estava invertendo, principalmente em favor do time da casa e pela expulsão de Riquelme, o destaque da equipe do Gigante de Aço.

“Ele estava invertendo falta; marcou dois impedimentos que não existiram e onde provavelmente iriam sair gols, pois tinham dois jogadores nossos contra o goleiro deles; e também, jogador nosso levou cotovelada e não fizeram nada; expulsou sem motivos o nosso melhor atleta da partida, que era o Riquelme. Então, por todos esses motivos, estava carregando o jogo e o time saiu de campo para evitar algo maior e prevenir nossos atletas,” relatou João Paulo.

A partida terminou aos 30 minutos do segundo tempo e, apesar do PFC ter desistido de continuar o jogo, foi declarado como o vencedor do amistoso. A turma de Marabá pediu desculpas pelos acontecimentos durante a partida. O time do Parauapebas entrou em campo com o futebol de: Ednaldo Junior; David, Wendel Pará (capitão do time), Marcos e Janiel; Thiago, Matheus, Marcelo e Riquelme; Will e Tauan. Essa deverá ser a base para a estreia no Campeonato Paraense.

“No aspecto geral, estou muito satisfeito. O time foi aguerrido e teve muita vontade em campo, isso vai estar no DNA da nossa equipe. Vamos trabalhar muito forte essa semana para concertar alguns erros e também para valorizar aquilo que já vem dando certo; minha expectativa aumentou com esse grupo. Vamos lutar todo jogo pela vitória, para representar da melhor forma o município de Parauapebas,” finalizou João Paulo.

O técnico João Paulo pretende trabalhar durante toda a semana com os garotos para o melhor entrosamento da equipe que foi bem em Marabá. Se não houver mais adiamento do início do Campeonato Paraense Sub-17, o Parauapebas Futebol Clube vai estrear contra o Atlético Barbarense no próximo domingo (29), às 9h30, no Estádio Municipal Arlindo Cardoso, o Cardosão, no município de Santa Bárbara do Pará, região metropolitana de Belém.

Por Fábio Relvas
Futebol

Série D: São Raimundo e Independente estrearam empatando contra times de Rondônia

Valendo pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série D, Pantera e Galo Elétrico abriram com empates

São Raimundo e Independente estrearam com empates no Campeonato Brasileiro da Série D neste domingo (22). O primeiro a entrar em campo foi o Pantera santareno, que empatou diante do Real Ariquemes-RO, em 1 a 1, no Estádio Colosso do Tapajós, em Santarém. Em relação ao Galo Elétrico, o time de Tucuruí encarou o Barcelona-RO e também ficou no empate, em 1 a 1, no Estádio Portal da Amazônia, em Vilhena.

São Raimundo 1 x 1 Real Ariquemes

Pela primeira rodada do Grupo A3 da Série D, o time do São Raimundo, quarto colocado do Parazão, encarou de frente, o Real Ariquemes, equipe de Rondônia. O Pantera abriu o placar aos 15 minutos de bola rolando, quando Kleyton mandou um chutaço de fora da área, não dando chance ao goleiro Jeferson, 1 a 0 São Raimundo. O Furacão de Rondônia quase empatou com Pacujá, que disparou e a bola passou perto da meta alvinegra.

Na segunda tentativa do Real Ariquemes, a bola foi morrer no fundo do barbante: Leleco aproveitou o cochilo da zaga e marcou mandando no canto esquerdo do goleiro Jader, aos 25 minutos, 1 a 1, no Estádio Barbalhão. Em mais uma bola perigosa na área do São Raimundo, o goleiro Jader teve que se virar para fazer a defesa. Na segunda etapa, Valtinho cobrou falta e a bola passou assustando a meta do goleiro Jader.

A bola parada virou arma do São Raimundo também, e Léo cobrou uma falta quase que frontal, o goleiro Jeferson salvou o Furacão. Com poucas chegadas das equipes, a partida terminou empatada em 1 a 1. A renda do jogo entre São Raimundo e Real Ariquemes foi de R$ 12.550, com um público total de 1.271 pessoas, sendo 652 pagantes e 619 não pagantes.

Na outra partida do grupo, o Nacional-AM venceu o São Raimundo-RR, por 3 a 0, no Estádio da Colina, em Manaus.

Barcelona 1 x 1 Independente

O confronto entre Pará e Rondônia seguiu neste domingo com a partida entre Barcelona e Independente, no Estádio Portal da Amazônia, em Vilhena, valendo pelo Grupo A2 da Série D. O Galo Elétrico quase abriu o marcador, depois de uma bela troca de passes, o lateral-direito Bruno Limão acertou a trave. Depois da bola na área, o baixinho Leandrinho quase marcou de cabeça para o Independente, a bola passou assustando.

Só dava Galo Elétrico, em outra jogada, Bruno Limão cruzou quase na marca do pênalti para a chegada de Wegno, que bateu e perdeu uma grande chance de inaugurar o marcador. Escanteio para o Independente, Wegno emendou para o gol e a bola explodiu na trave do Barça. Ray Gol fez um carnaval na zaga adversária, driblou três marcadores, mas chutou para fora, outra chance desperdiçada pela equipe paraense.

Aquele famoso ditado do futebol, de quem não faz leva, aconteceu no Estádio Portal da Amazônia. Na primeira chegada do time da casa, Fagner apareceu na área e abriu o marcador para o Barcelona, aos 41 minutos do primeiro tempo, 1 a 0. Na segunda etapa, o time de Tucuruí teve a chance do empate nos pés de Tetê, mas o atleta do Galo Elétrico errou o chute na cara do gol. Na outra tentativa, Tetê chutou e a bola tocou na mão do jogador do Barça dentro da área e o árbitro marcou pênalti. O atacante Wegno cobrou e não deu chance ao goleiro Rocha, 1 a 1, aos 27 minutos.

O Independente cresceu na partida e em uma cobrança de falta de Tetê, o goleiro Rocha fez uma grande defesa salvando o time da casa. O técnico Sinomar Naves colocou o time para cima e em um chute forte, o goleiro Rocha fez outra defesa difícil. Em um contra-ataque do Barcelona, Robinho chutou para a boa defesa do goleiro Dida. O jogador Xavão cometeu falta e recebeu cartão vermelho, deixando o time de Rondônia com um a menos, aos 44 minutos. O Galo Elétrico era só pressão, e após  levantamento na área, o lateral-esquerdo João Victor cabeceou para a defesa do goleiro Rocha. Em seguida, outra expulsão para os donos da casa, desta vez o vermelho foi para Emerson, aos 47 minutos. Apesar de ter dois jogadores a mais, o time de Tucuruí não conseguir chegar ao gol da virada e a partida terminou mesmo no empate
em 1 a 1. A renda do jogo foi de R$ 2.630,00, para um público pagante de 263 torcedores.

Na outra partida do grupo, Plácido de Castro-AC e Santos-AP, empataram em 2 a 2, no Estádio Ferreirão, no Acre.

Classificação do Campeonato Brasileiro da Série D

Grupo A2

1° Plácido de Castro-AC: 1 ponto
1° Santos-AP: 1 ponto
3° Barcelona-RO: 1 ponto
3° Independente-PA: 1 pontos

Grupo A3

1° Nacional-AM: 3 pontos
2° Real Ariquemes-RO: 1 ponto
2° São Raimundo-PA: 1 ponto
4° São Raimundo-RR: 0 ponto

Próximos jogos:

2ª rodada do Grupo A2

 – Independente x Plácido de Castro – domingo (29/04), às 16h, no Estádio Navegantão, em Tucuruí

 – Santos x Barcelona – domingo (29/04), às 16h, no Estádio Zerão, em Macapá

2ª rodada do Grupo A3

 – São Raimundo-RR x São Raimundo-PA – sexta-feira (27/04), às 21h, no Estádio Vila Olímpica, em Boa Vista

 – Real Ariquemes x Nacional –domingo (29/04), às 18h, no Estádio Valerião, em Ariquemes

Por Fabio Relvas

Esporte

Clube Atlético Paraense realizou desafio contra o Clube da Bola de Marabá

A programação foi vasta na arena do CAParaense, em Parauapebas, envolvendo partidas amistosas das categorias de base

A manhã deste domingo (22) foi bastante movimentada na arena do Clube Atlético Paraense (CAP), e com a presença de um bom público. É que o presidente do CAParaense, Rafael Lopes, convidou a turma da escolinha Clube da Bola, da cidade de Marabá para um desafio de jogos amistosos envolvendo as categorias de base das duas instituições. A bola rolou para valer no sintético do clube para as categorias: Baby Fut (que são crianças de cinco a sete anos), Sub-10, Sub-12, Sub-13 e Sub-15.

A programação começou depois das 9h envolvendo a criançada do Baby Fut. Os pais, como os maiores incentivadores de seus filhos, acompanharam de perto a partida e vibraram a cada lance com os futuros craques. O time da casa, o CAParaense, até que começou bem o jogo, abrindo dois gols, mas depois viu o adversário crescer na partida e acabou perdendo pelo placar de 6 a 5. O time do Clube da Bola venceu o primeiro desafio. O resultado foi o que menos importou para os técnicos do CAParaense, Reginaldo Júnior e Haydée Sayuri, que pela primeira vez, testaram a criançada em uma partida pelo Baby Fut.

“O que vale, principalmente, é a diversão deles e o desenvolvimento dentro de campo, e mesmo com placar não ter sido a favor nosso, eu vejo jogadores em evolução com o trabalho que está sendo bem feito. O importante é isso. A gente começa por essa parte, a diversão com os nossos atletas. Tem muito na idade deles de ir todo mundo para cima da bola ao mesmo tempo, e esquecem um pouco da posição. Fiquei rouco justamente por isso, de mandar o zagueiro para trás, que ele queria ser atacante”, disse Reginaldo Júnior.

“Estamos iniciando o trabalho de desenvolvimento com eles, são pequenos ainda, mas é muito bacana. A gente tenta trabalhar da melhor forma com eles tentando colocar suas posições. Só que como se viu ali, a gente trás eles mesmos para poder se diverti, para poder mesmo ter uma diversão com os colegas e uma interação. O placar foi muito bom, excelente para a idade deles já que foram feitos cinco gols, para gente foi um pouco desvantagem, porque pegamos seis, mas foi ótimo o jogo, o que vale é a diversão deles”, afirmou Haydée Sayuri.

Em seguida mais categorias entraram no sintético do CAParaense. Pelo Sub-10, o placar foi de 8 a 2 para o Clube da Bola, que envolveu os comandados do técnico Big. Na sequência, uma partida mais acirrada pelo Sub-12 e o garotos marabaenses saíram felizes outra vez, ao vencerem mais uma equipe comandada pelo treinador Big, 3 a 2 para o Clube da Bola. No Sub-13, o presidente do CAParaense assumiu o time na beira do campo, mas o placar foi adverso com vitória de 7 a 0 para o Clube da Bola. A escolinha que veio da cidade de Marabá fez o convite para a presidência do Clube Atlético Paraense, para levar os garotos de Parauapebas até a cidade vizinha para mais um desafio.

“Nós estamos muito felizes com o convite feito pelo Rafael para a nossa escolinha está presente nesse grandioso evento. Muito bacana essa interação com a garotada daqui. Jamais vou falar de resultados, é o que menos importa, e sim a cordialidade por parte do CAP e por ajudar a mostrar também o nosso trabalho. Já fiz o convite para uma possível ida do clube daqui para Marabá e ter esses grandes jogos em nossa casa”, falou Heltinho, técnico da escolinha Clube da Bola.

Para finalizar o desafio, a categoria mais aguardada, o Sub-15. A bola rolou em um sol escaldante, e os garotos do CAParaense queriam a primeira vitória no desafio e foram para cima. Com um time bem mais entrosado, comandado também pelo presidente Rafael Lopes, o Clube Atlético Paraense atropelou o adversário com um placar elástico de 8 a 2. Destaques para alguns atletas que tiveram em campo, como o goleiro Carlos Mateus, que defendeu até pênalti, além de João Pedro, Ricardo e Wanderson, que marcaram e fizeram a maioria das jogadas que resultaram em gols.

“Um evento onde a gente conseguiu dá uma outra dimensão para os atletas, onde a gente conseguiu trazer a competitividade, trazer a estrutura emocional mais perto. Com isso, a gente conseguiu dá outra dinâmica fora dos treinamentos, onde o garoto precisa e tem que começar está mais próximo dos amistosos. Nem vou falar de placares e sim agradecer a presença da escolinha Clube da Bola de Marabá, que engrandeceu o evento aqui na arena”, finalizou Rafael Lopes, presidente do Clube Atlético Paraense.

Pará

Isac marca de pênalti e Remo vence Globo-RN no Mangueirão pela Série C

Foi a primeira vitória azulina na competição nacional na estreia do Leão dentro de casa

O Clube do Remo venceu o Globo-RN, por 1 a 0, na tarde deste sábado (21), no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. Foi à estreia do Leão Azul dentro de casa no Campeonato Brasileiro da Série C. A partida foi válida pela 2ª rodada do Grupo A da competição nacional.

O Leão Azul chegou ao gol da vitória, quando Elielton entrou na área e foi derrubado pelo goleiro Welligton, pênalti assinalado pelo árbitro Célio Amorim, de Santa  Catarina. O atacante Isac, chamou a responsabilidade e cobrou forte no canto esquerdo e saiu para o abraço, aos 28 minutos do 1° tempo.

Com a vitória, o Clube do Remo somou seus três primeiros pontos na Série C e alcançou o terceiro lugar do Grupo A da competição. O próximo compromisso dos azulinos será diante do Juazeirense-BA, no próximo domingo (29),às 19h, no Estádio Adauto Moraes, o Adautão, na cidade de Juazeiro da Bahia. A partida será válida pela 3ª rodada.

O jogo: Leão 1 x 0 Águia – Primeira vitória azulina na Série C

O Clube do Remo entrou em campo pressionado pela derrota na estreia da Série C e partiu para cima do Globo-RN. O meia Adenilson cobrou falta na área e o zagueiro Moisés estreante, subiu de cabeça, a bola passou perto da meta potiguar. Em outra bola parada, que foi um escanteio cobrado por Adenilson, Isac cabeceou por cima da trave do goleiro Welligton, deixando a torcida remista no “uh”.

Em uma jogada individual de Elielton, o atacante azulino arrancou dentro da área e foi derrubado pelo goleiro Welligton, pênalti assinalado pelo árbitro Célio Amorim de Santa Catarina. O atacante Isac cobrou no canto esquerdo de Welligton que foi e não achou nada, abrindo o placar no Mangueirão, aos 28 minutos. O Globo conseguiu chegar em um escanteio cobrado por Érick, Victor desviou e a bola passou perto da meta do goleiro Vinícius.

O Remo voltou a atacar e após uma boa troca de passes, Esquerdinha ficou de cara para o gol, mas chutou muito forte e a bola passou por cima. Na segunda etapa, o time potiguar resolveu sair mais para o jogo e levou perigo em algumas investidas. Após passes envolvendo a zaga azulina, Reinaldo chutou e a bola explodiu no zagueiro Moisés. O Leão deu o troco com Felipe Marques, que cruzou para Isac, o atacante com um desvio quase ampliou o marcador.

Em outra descida perigosa da equipe paraense, o cruzamento saiu da direita na cabeça de Felipe Marques, que mandou para fora perdendo uma grande oportunidade. O Globo chegou em um escanteio cobrado por Geovane, Victor subiu no meio da zaga e cabeceou para uma defesa espetacular do goleiro Vinícius, que espalmou de mão trocada para fora. O jogo era lá e cá, desta vez Esquerdinha cruzou e Isac desviou, a bola bateu na zaga potiguar e se perdeu pela linha de fundo.

O Globo tentou arrisca nos contra-ataques e em um deles, Romarinho apareceu livre, mas a arbitragem assinalou impedimento. Geovane tentou o empate em cobrança de falta, mas mandou longe da meta remista. O Leão esperava o adversário para dá o bote, mas em uma jogada de ataque, Elielton apareceu impedido na frente. A zaga potiguar se complicou na saída de bola e Isac tentou por cobertura, o goleiro Welligton espalmou para fora.

Nos minutos finais, Isac tocou para Elielton que disparou para a boa defesa de Welligton, que evitou mais uma vez o segundo gol do Leão. Após uma lambança da zaga, a bola ficou com Felipe Marques que acabou se atrapalhando e perdeu a chance de ampliar no Mangueirão.

Placar final: Remo 1 x 0 Globo. O Leão Azul conquistou seus três primeiros pontos no Campeonato Brasileiro da Série C.

Ficha técnica

REMO: Vinícius; Levy (Gustavo), Moisés, Mimica e Esquerdinha; Dudu, Fernandes (Leandro Brasília) e Adenilson (Everton); Elielton, Felipe Marques e Isac. Técnico: Givanildo Oliveira

GLOBO-RN: Welligton; Geovane, Victor, Alexandre e Diego; Galiardo, Vanger, Reinaldo e Érick (Jean Natal); Mateus (Alex Sandro) e Romarinho (Negueba). Técnico: Fernando Tonet

Árbitro: Célio Amorim-SC

Assistentes: Johnny Barros de Oliveira e Eder Alexandre, ambos de Santa Catarina

Cartões amarelos: Moisés, Levy, Esquerdinha e Leandro Brasília (Remo); Alexandre e Galiardo (Globo)

Gol: Isac, de pênalti, aos 28 minutos do 1° tempo para o Clube do Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Renda: R$ 140.310,00 – Pagantes: 6.542 – Nação Azul: 2.022  – Credenciados: 1.670 – Total: 8.212

Por Fabio Relvas – Foto: Samara Miranda / Ascom Remo

Futebol

Com direito a apagão, Paysandu vence o Londrina e segue 100% na Série B

O gol único do jogo foi assinalado pelo atacante Mike e, com a vitória, o time bicolor ficou na vice-liderança do Brasileirão

Por Fábio Relvas
Foto: Fernando Torres / Ascom Paysandu

O Paysandu Sport Club voltou a vencer pelo Campeonato Brasileiro da Série B, em jogo válido pela segunda rodada da competição nacional. O Papão passou pelo Londrina-PR, por 1 a 0, na noite desta sexta-feira (20), e assumiu a vice-liderança, com seis pontos, em dois jogos disputados. A partida foi realizada no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém.

O jogo ficou paralisado por 32 minutos, após um apagão dos refletores do Estádio da Curuzu. O único gol da partida foi assinalado pelo atacante Mike, após falha do goleiro Vagner e da defesa do Tubarão paranaense, em um cruzamento que chegou do atacante Moisés pela esquerda, aos 62 minutos do primeiro tempo.

O Paysandu volta a campo diante do Atlético-ES, na próxima quarta-feira (25), às 21h30, no Estádio Kléber Andrade, em Cariacica, pelo jogo de ida da grande final da Copa Verde de 2018.

O jogo: Papão 1 x 0 Tubarão

As duas equipes entraram em campo motivadas, já que estrearam com vitória na Série B do Campeonato Brasileiro. O Londrina chegou primeiro: em cobrança de falta, o goleiro Renan Rocha pegou bem no centro do gol. Outra vez o Tubarão, Marcelinho chegou até a linha de fundo e cruzou, o zagueiro Edimar se esticou e cortou de cabeça. Nando Carandina arriscou de longe, mas a bola passou sem susto para a meta do goleiro Vagner.

Melhor na partida, a equipe paranaense chegou com perigo outra vez, quando Moisés Gaúcho deu um belo lançamento para o atacante Marcelinho, que entrou livre para marcar, mas arbitragem assinalou impedimento; lance no mínimo duvidoso. Em uma falta frontal à meta bicolor, Thiago Primão cobrou na barreira e, na sobra, tocou na frente para Marcelinho, mas outra vez a arbitragem parou o ataque do Tubarão e marcou impedimento.

O Papão reagiu quando Renato Augusto mandou um chutaço de fora da área e a bola passou raspando o travessão do goleiro Vagner. Novamente, o Paysandu: Cassiano em jogada individual chutou para o gol, a bola desviou na zaga e, na sobra, Mike disparou sem muita força para a defesa de Vagner. Os jogadores do time paraense foram para cima da arbitragem pedindo pênalti no primeiro lance.

Imediatamente o Londrina respondeu com Marcelinho, que recebeu passe e, na hora de finalizar, acabou escorregando, mas, mesmo assim, a bola passou assustando a meta defendida por Renan Rocha. Roberto avançou bem pela esquerda e foi derrubado pelo zagueiro Perema, do Paysandu. A turma paranaense ficou na bronca com a arbitragem, pelo fato do defensor já ter recebido um cartão amarelo; apenas a falta foi marcada.

Aos 29 minutos do primeiro tempo, uma parte da iluminação do Estádio da Curuzu apagou e o árbitro Dênis da Silva Ribeiro Serafim, de Alagoas, paralisou a partida. Após muita espera das equipes, os refletores foram acessos e a partida reiniciou aos 61 minutos, ou seja, 32 minutos depois. Melhor para o time bicolor, que chegou ao gol logo em seguida: após bola alçada na área, a zaga do Londrina bateu cabeça e o atacante Mike, sozinho, apenas teve o trabalho de empurrar para o fundo do barbante: 1 a 0 Papão, aos 62 minutos.

Depois do gol, a Fiel Bicolor se animou nas arquibancadas e começou a empurrar mais o time. Cassiano roubou a bola e foi para cima da marcação, recebendo uma falta. Após cobrança da falta, o goleiro Vagner cortou mal e a bola caiu nos pés de Moisés, mas o chute do atacante bicolor passou longe. O Tubarão respondeu quando Reginaldo cruzou na cabeça de Alisson Safira, que testou firme para a defesa quase que milagrosa do goleiro Renan Rocha, que
espalmou para escanteio.

Pressão paranaense, a defesa do Paysandu afastou mal e a bola sobrou para Diego Lorenzi, que chutou forte estourando no zagueiro Diego Ivo. Em uma cobrança de falta, o lateral-esquerdo Roberto cobrou por cima da meta de Renan Rocha. Em um contra-ataque bicolor, Moisés arrancou e cruzou para Cassiano, que, com um leve toque, tirou do goleiro Vagner, mas a bola foi para fora. No último lance perigoso no movimentado primeiro tempo, Thiago Primão lançou para Alisson Safira; a bola passou do atacante, mas sobrou para Dudu, que não conseguiu acertar a finalização.

No segundo tempo, o técnico Dado Cavalcanti mexeu no time bicolor: entrando Willyam e Alan Calbergue, saindo Matheus Silva e Renato Augusto, respectivamente. Mateus Muller cobrou falta fechada para a cabeçada de Mike, mas o goleiro Vagner espalmou para fora, salvando o Londrina. Na sequência do escanteio, o zagueiro Perema desviou e, outra vez, o goleiro Vagner apareceu bem e defendeu para o Tubarão.

O Paysandu teve outra chance, agora em cobrança de falta, mas o meia Alan Calbergue, mandou por cima da meta de Vagner. Outra vez, o bicolor estadual: Alan Calbergue deixou para Willyam, que cruzou direto para o gol e quase surpreendeu o goleiro Vagner. Pressão bicolor: Alan Calbergue cobrou um escanteio com efeito, mas a arbitragem paralisou o lance, dizendo que a bola fez a curva por fora antes de chegar na área.

Em outra roubada de bola, o atacante Cassiano avançou e chutou, mas mandou para fora a chance de ampliar para o Papão. O Paysandu pressionava a saída de bola do Londrina, mas o zagueiro Lucas Costa conseguiu dar um chapéu no atacante Mike, do time paraense. O Tubarão chegou depois que Dudu cruzou para a cabeçada de Alisson Safira; a bola passou por cima da meta de Renan Rocha.

O Londrina tentou ir para o tudo ou nada e Wesley, que tinha acabado de entrar, se livrou da marcação, mas mandou para fora, sem muito perigo. No último lance de perigo do jogo, o Tubarão teve um escanteio: a zaga do Papão cortou mal e Moisés Gaúcho, na segunda trave e sem goleiro, conseguiu mandar para fora a chance de ouro da equipe paranaense. Placar final: Paysandu 1 x 0 Londrina.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Renan Rocha; Edimar, Diego Ivo e Perema; Matheus Silva (Willyam), Nando Carandina, Renato Augusto (Alan Calbergue) e Mateus Muller; Moisés, Mike (Magno) e Cassiano.
Técnico: Dado Cavalcanti

LONDRINA: Vagner; Reginaldo, Luizão, Lucas Costa e Roberto; Moisés Gaúcho, Diego Lorenzi (Wesley), Dudu e Thiago Primão (Patrick Vieira); Marcelinho (Dalberto) e Alisson Safira.
Técnico: Marquinhos Santos

Árbitro: Dênis da Silva Ribeiro Serafim-AL
Assistentes: Pedro Jorge Santos de Araújo e Rondinelle dos Santos Tavares, ambos de Alagoas
Cartões amarelos: Perema (Paysandu); Luizão, Moisés, Marcelinho, Diego Lorenzi e Patrick Vieira (Londrina)
Gol: Mike, aos 62 minutos do 1º tempo para o Paysandu

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém
Renda: R$68.190,00
Pagantes: 4.209
Sócio Bicolor: 2.375
Credenciados: 1.438
Total: 5.647

Pará

Clube do Remo perde para Atlético Acreano na estreia do Brasileiro da Série C

O Leão Azul pecou nas finalizações e acabou derrotado pelo Galo Carijó na Arena da Floresta

O jogo: Galo Carijó 1 x 0 Leão Azul

Na primeira tentativa do Clube do Remo, o atacante Elielton entrou livre, mas a arbitragem assinalou impedimento. Em outra jogada do campeão paraense, o Isac também foi flagrado em posição irregular. Adenilson cobrou escanteio e o zagueiro Mimina cabeceou para o chão e a bola foi para fora. O time azulino tentava chegar de qualquer maneira e o atacante Isac apareceu impedido outra vez.

Adenilson entrou pela esquerda e cruzou para o meio, a bola passou na frente de todo mundo e o Remo perdeu uma boa chance de abrir o placar. Felipe Marques arriscou um chute de longe, o goleiro Ruan defendeu em dois tempos. Em um contra-ataque do time da casa, o meia Polaco deixou Neto na boa para marcar, o atacante do Atlético-AC chutou rasteiro, a bola passou assustando o goleiro Vinícius.

As duas equipes erravam demais em campo com um nível técnico muito fraco. Quando tudo parecia que iria terminar empatado no primeiro tempo, o Galo Carijó conseguiu abrir o marcador. Após jogada de Polaco, o meia tocou para Neto, o volante Dudu do Remo cortou mal e deu nos pés de Eduardo, que sozinho só teve o trabalho de empurrar para o fundo da meta azulina, 1 a 0, aos 41 minutos.

Na segunda etapa, o Clube do Remo melhorou e foi em busca do gol de empate. O atacante Felipe Marques recebeu passe e na hora da finalização foi travado pela defesa adversária. Em outra tentativa do Leão Azul, Adenilson cobrou escanteio e Elielton sozinho cabeceou para fora. Pressão azulina, agora Felipe Marques recebeu lançamento e chutou para a boa defesa do goleiro Ruan.

Blitz total do Remo, desta vez a bola sobrou na entrada da área para o atacante Jayme, que mandou para fora. Após um chutão da zaga remista, o zagueiro Diego furou feio e a bola caiu nos pés de Felipe Marques, o atacante azulino encheu o pé e parou no paredão chamado Ruan, que salvou a pátria acreana. Na última chance remista na partida, Jefferson Recife chutou cruzado, o atacante Jayme sozinho desviou para fora. Placar final: Atlético-AC 1 x 0 Remo.

Ficha Técnica

Atlético – AC: Ruan; Matheus, Diego, João Marcus e Jeferson; Leandro (Wilson), Kássio e Polaco (Ancelmo); Eduardo, Rafael Barros e Neto (Araújo Jordão). Técnico: Álvaro Miguéis

Remo: Vinícius; Levy, Mimica, Martony e Esquerdinha; Dudu, Fernandes (Rodriguinho) e Adenílson (Jefferson Recife); Elielton (Jayme), Felipe Marques e Isac. Técnico: Givanildo Oliveira

Árbitro: Ivan da Silva Guimarães Júnior (AM)

Assistentes: Uesclei Regison Pereira dos Santos e Anne Kesy Gomes de Sá, ambos do Amazonas

Cartão amarelo: Elielton (Remo)

Gol: Eduardo, aos 41 minutos do 1° tempo para o Atlético-AC

Local: Arena da Floresta, em Rio Branco, no Acre

Renda: R$ 17.580,00 – Pagantes: 862

Por Fábio Relvas

Barca da Bola conquista o 14° Copão Intermunicipal Abel Figueiredo de Futebol

A partida contra a Aldeia Kriamretijêfoi acirrada do início ao fim, terminando empatada em 3 a 3 no tempo normal, com vitória do Barca da Bola nos pênaltis

O Barca da Bola, time de futebol amador da cidade de Parauapebas, conquistou um feito inédito. O time que leva o nome de um bloco carnavalesco foi o grande campeão do 14° Copão Intermunicipal Abel Figueiredo de Futebol, no último sábado (14), no Estádio Britão, em Abel Figueiredo. A decisão foi diante da aldeia Kriamretijê do município de Bom Jesus do Tocantins do estado do Pará. No tempo normal, as equipes empataram em 3 a 3, e nos pênaltis deu Barca da Bola, vencendo por 4 a 3.

A partida foi acirrada do início ao fim e quem saiu na frente foi o time da aldeia Kriamretijê. O Barca da Bola foi em busca do empate e chegou lá através do meia Juninho, ex-PFC. Mas aos 40 minutos, ainda do 1° tempo, o time indígena voltou a marcar e foi para o intervalo na vantagem. O vestiário mais uma vez fez a diferença para a equipe de Parauapebas, que voltou mais concentrada em busca do objetivo.

Logo no comecinho do 2° tempo, o Barca da Bola igualou o placar, com o gol do zagueiro Rodriguinho. A alegria durou pouco tempo, pois cinco minutos depois, a equipe da aldeia Kriamretijê, muito forte fisicamente, marcou o terceiro tento e ficou outra vez na frente do marcador. O time de Parauapebas não sentiu o golpe e buscou até o fim o empate e ele veio aos 30 minutos, com o gol assinalado por Matheus, filho do professor Santos, que é auxiliar técnico da equipe.

Com o resultado de empate no tempo normal em 3 a 3, a disputa foi para os pênaltis. Melhor para o time do Barca da Bola, que venceu, por 4 a 3. Rafinha foi o único que perdeu a cobrança, enquanto que: Wildeglan, Lucas Pará (Pão de Queijo), ítalo do Doce Norte e Uelson (Gordinho volante do Crap), marcaram para o time do Barca da Bola, que comemorou o título em Abel Figueiredo.

O time titular do Barca da Bola entrou em campo para a final escalado pelo técnico João Maciel, o popular Maranhão, com o futebol de: Tiago; Renatinho (ítalo), Ronalth, Rodriguinho e Matheus ; Jorge, Matheus Moreno (Rafinha), Juninho (Uelson) e Júnior Chico (Paulinho); Higo (Wildeglan) e Lucas Pará. O time do Barca da Bola conta também com uma comissão formada por Santos (auxiliar técnico), Dinho Marcos (preparador físico), Mão de Onça (preparador de goleiros) e Handerson (massagista).

“O sentimento que tivemos quando fomos campeões foi de dever cumprido, já que sabemos o quanto temos jogadores com potência de estar no profissional e o objetivo maior que é está tentando resgatar a valorização do amador, resgatar aquilo que todo mundo sabe que aqui em Parauapebas tem o melhor campeonato amador da região. Resgatar nossa seleção amadora para está disputando essas competições”, afirmou Júnior Chico, meia e um dos destaques da equipe do Barca da Bola.

A competição teve uma premiação de R$ 12.800, sendo R$ 10.000 para o campeão e R$2.800 para o vice. O Copão Intermunicipal Abel Figueiredo é considerado o maior e o melhor campeonato de futebol amador da região sudeste do estado do Pará. O time do Barca da Bola fez história e em quatro partidas, sempre eliminatórias, venceu três e empatou uma, e apesar de já existir há sete anos, o Copão foi a primeira competição oficial da equipe fora da cidade de Parauapebas.

Por Fábio Relvas