Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Eventos

Alice Rodrigues, de Parauapebas, agita a festa do Papão da Curuzu nesta sexta (8)

Ela, que mora em Marabá, foi eleita a Musa do Paysandu em concurso nacional chamado a Musa do Brasileirão.

A grande festa de lançamento dos novos uniformes do Paysandu terá a presença especial da Musa do Papão, Alice Rodrigues. Ela foi escolhida em 2017 para representar o clube no concurso nacional Musa do Brasileirão. O Paysandu fará o lançamento do uniforme para 2018 nesta sexta (08), na casa de show Mauí, em Belém, a partir das 17 horas, com ingresso de R$50 para o público em geral e R$40 para os sócios-torcedores.

 A festa terá a apresentação da coleção Lobo e contará com atrações locais como o cantor Wanderley Andrade, as bandas Beto e Naldo, Sambloco e, claro, a musa do papão, Alice Rodrigues, escolhida pela torcida em votação. A Musa bicolor vai desfilar com o uniforme principal.

Alice Rodrigues é de Parauapebas e mora em Marabá. Casada com Augusto Rodrigues, empresário do ramo da agricultura, Alice tem uma filha de 11 anos. Participa de concursos de beleza desde os 11 anos e em 2017 foi eleita a Musa do Paysandu, em concurso nacional chamado a Musa do Brasileirão. Ela foi eleita após uma disputa com 400 outras mulheres, em título decidido por votação online e júri especializado. A final do Musa do Brasileirão 2017 será no dia 15 de dezembro em São Paulo, e reúne a mais bela torcedora de cada time. 

Futebol

CRAP conquista o título da 1ª divisão e Independente levantou o caneco da 2ª divisão do Campeonato Municipal de Parauapebas

As duas finais aconteceram no estádio Rosenão diante de um bom público

Por Fábio Relvas

A bola rolou neste sábado (02/12) para as finais do Campeonato Municipal de Parauapebas da 1ª e 2ª divisão. As duas partidas foram realizadas no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, e com um bom público. A segunda divisão abriu a jornada com a partida entre Independente e Juventude e logo em seguida a final da primeira divisão foi decidida no clássico entre CRAP (Clube Recreativo Associados Progressistas) e Vila Romana.

Na partida da 2ª divisão, o jogo foi acirrado do inicio ao fim, com as duas equipes buscando o gol. Melhor para o Independente que conseguiu assinalar ainda na primeira etapa em cobrança de pênalti convertido pelo atleta Valtércio. Na etapa derradeira a equipe do Juventude foi em busca do empate o que levaria a decisão para os tiros livres da marca da cal, mas não conseguiu chegar ao seu objetivo e a partida terminou mesmo em 1 a 0 para o Independente, que foi o grande campeão.

No jogo seguinte mais dramaticidade na partida da primeira divisão. Em campo, duas forças do futebol parauapebense, CRAP e Vila Romana, clássico municipal. Empurrado pela torcida, que sempre comparece em grande número, a equipe do CRAP foi para cima do adversário e marcou logo aos oito minutos da primeira etapa, através de Anderson, o popular Cara de Onça. Após o tento assinalado, o time se fechou e acabou chamando o Vila Romana para cima, e o adversário começou a gostar da partida.

Aos 43 minutos do primeiro tempo, após falha de marcação, o Vila Romana chegou ao empate com o bom atacante Airton. Na etapa derradeira, as duas equipes não se fecharam, e buscaram o título e o jogo ficou aberto. Logo aos quatro minutos, Airton aproveitou para virar
a partida para o Vila Romana, 2 a 1. Com isso o CRAP teve que ira trás do resultado e acabou sofrendo mais um, Dhiones não perdoou e ampliou para 3 a 1, aos 15 minutos.

Com vantagem de dois gols, o título estava próximo do Vila Romana, que acabou se fechando e chamando o CRAP para o ataque. Até que Bruninho acertou um belo chute de fora da área e diminuiu para o CRAP, aos 28 minutos. A equipe seguiu em cima em busca do empate e conseguiu no finalzinho da partida em outro chute de fora da área, desferido por Júnior Chico, tudo igual no Rosenão, 3 a 3, para a explosão da torcida do CRAP, que foi a loucura no estádio.

Depois disso, não teve tempo para mais nada e o árbitro encerrou a partida, e com isso a decisão foi para os pênaltis. Melhor para o CRAP que estava em uma noite mais inspirada para cobrar os tiros livres e ainda contar com a boa performance do goleiro Ernandes Santos, que pegou pênalti. Placar final: CRAP 4 X 2 Vila Romana. O CRAP conquistou o título inédito da 1ª divisão do Campeonato Municipal de Parauapebas.

O Campeonato Municipal de Parauapebas começou em setembro, chegando em sua final em dezembro. Em números da competição, pela 2ª divisão teve premiação para o goleiro menos vazado, Rony do Sociedade que sofreu apenas três gols. O artilheiro foi o Fernando do Rio Verde, que anotou 11 tentos. Seguindo ainda para o atleta destaque, Esquerdinha do Independente, que foi o time campeão, e a equipe mais disciplinada ficando com a representação do Águia Azul.

Em relação à 1ª divisão, dois goleiros ganharam o título de menos vazado, Bruno do Primavera e Thiago do Asserp, ambos sofreram nove gols. O artilheiro ficou por conta de Maninho, atacante do Asserp com 11 gols. O CRAP, que foi o grande campeão, conseguiu mais duas conquistas individuais, o zagueiro Thiago Taylon levou como atleta revelação, e Júnior Chico se garantiu como o atleta destaque de toda a competição. O vice-campeão, o Vila Romana, ficou como a equipe mais disciplinada do campeonato.

Futebol

Parauapebas perde para o Bragantino nos pênaltis pela final da Segundinha do Parazão 2017

Com o vice-campeonato, o PFC vai estrear na elite do Parazão diante do Paysandu Sport Club, o atual bicampeão, na capital Belém

Por Fábio Relvas

Bragantino e Parauapebas fizeram um grande jogo pela final da Segundinha do Parazão 2017. A decisão foi realizada na tarde desta quinta-feira (30/11), no estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança. No tempo normal, a partida terminou empatada em 2 a 2. O Tubarão do Caeté abriu o placar com Alan, em cobrança de falta, aos 27 minutos, com falha do goleiro Cleriston. O Gigante de Aço empatou também em cobrança de falta com Thiago Potiguar, um golaço, aos 43 minutos.

Na etapa final, o PFC foi para cima e virou a partida com o gol marcado pelo lateral-esquerdo Neilson, que disparou um chutaço da entrada da área, em um outro golaço, aos 20 minutos.

Empurrado pela torcida e aproveitando o fato de ter dois jogadores a mais em campo, o Bragantino chegou ao empate com Rafinha, em cobrança de pênalti, aos 36 minutos. Com o empate em 2 a 2 a decisão foi para os pênaltis, melhor para o Bragantino que venceu por 5 a 4 e conquistou pela terceira vez a Segundinha do Parazão. Com o vice-campeonato da Segundinha, o Parauapebas Futebol Clube vai estrear na elite do futebol paraense em 2018 diante do bicampeão, o Paysandu Sport Club, na capital Belém.

A final: Bragantino 2 x 2 Parauapebas – Tubarão tricampeão nos pênaltis: 5 a 4

A torcida compareceu em massa no estádio Diogão para acompanhar a grande final da Segundinha do Parazão 2017. A partida começou com forte marcação, com muitas faltas sendo assinaladas para as duas equipes. A primeira tentativa real de gol saiu apenas aos 14 minutos
com o meia Flamel, que disparou um chute venenoso, a bola passou perto da meta do Bragantino.

Quem quase abriu o marcador foram os donos da casa. Keoma foi levando, entrou na área e disparou cruzado, a bola passou para fora, levantando a torcida do Tubarão. Mas momentos depois não teve jeito. Alan cobrou falta e o goleiro Cleriston acabou falhando no lance e tomou um frango, aos 27 minutos de jogo, 1 a 0 Bragantino. A torcida cantava nas arquibancadas: “Oh, o Tubarão voltou”.

O técnico Léo Goiano, que entrou apenas com um atacante, no caso o Monga, mudou de ideia, tirou o volante Matheus Moreno e colocou Danúbio, outro homem de frente. A mudança surtiu efeito e o PFC foi para cima. Thiago Potiguar cobrou uma falta com perfeição e marcou
um golaço, na gaveta do goleiro Marcelo Valverde, aos 43 minutos, 1 a 1, calando a torcida no estádio Diogão. O disputado e equilibrado primeiro tempo terminou no empate. A torcida do Bragantino pegou no pé da arbitragem na saída para os vestiários.

O técnico Artur Oliveira do Braga já voltou para a etapa derradeira com duas mudanças. Sacou os dois atacantes: Mauro Praia e Aslen Kevin e colocou Marcelo Maciel e João Leonardo, respectivamente. Ambos também atacantes. Quem chegou com perigo foi o PFC. Flamel acertou um chute de primeira e quase marcou um golaço, a bola passou assustando a meta de Marcelo Valverde. O time da casa deu o troco com Marcelo Maciel, que na velocidade ficou de frente e bateu cruzado, quase marcou o segundo do Tubarão do Caeté.

O vento forte em Bragança atrapalhou as equipes em determinadas jogadas em profundidade. O técnico Léo Goiano voltou a mexer no Pebas, tirando o atacante Monga e colocando EversonBilau no ataque. O jogo deu uma caída, a correria do primeiro tempo não se via mais no segundo tempo. Até que o lateral-esquerdo Neilson chegou na entrada da grande área e soltou o pé, aos 20 minutos, virando o jogo para o Gigante de Aço, 2 a 1.

O time do PFC de boa na partida começou a tocar a bola e fazer o adversário correr atrás dela. O Braga chegou, após cobrança de falta, Marcelo Maciel apareceu como um foguete, mas cabeceou para fora. Em uma rápida jogada, Thiago Potiguar deixou Danúbio na cara, mas o atacante perdeu um gol incrível. No lance seguinte, em um contra-ataque rápido do Bragantino, o zagueiro Cris cometeu pênalti e recebeu o segundo cartão amarelo e consequentemente o cartão vermelho.

O meia Rafinha chamou a responsabilidade e cobrou o pênalti com categoria deixando tudo igual no Diogão, para a explosão da massa do Tubarão, aos 36 minutos, 2 a 2. Após o gol, o meia Thiago Potiguar descontrolado foi expulso de campo e com isso o Gigante de Aço ficou com dois jogadores a menos, se complicando em campo. O árbitro Djonaltan Costa Araújo acrescentou mais quatro minutos. O zagueiro Romário do Bragantino cometeu falta forte em Everson Bilau e recebeu cartão vermelho. Final de jogo: Bragantino 2 x 2 Parauapebas.

A decisão da Segundinha do Parazão foi para os pênaltis.

O Bragantino iniciou a série dos cinco e fez com João Leonardo, Rafinha, Keoma e Marcelo Maciel, enquanto que Paulo de Tarcio chutou para fora. Pelo Parauapebas assinalaram Flamel, Neilson, Felipe Baiano e Bruno Leite, já Wanderlan parou na defesa do goleiro Marcelo Valverde.

Nos pênaltis alternados, Bruninho marcou para o Tubarão e Everson Bilau acertou na trave perdendo para o PFC.

Placar final: Bragantino 5 a 4 nos pênaltis. Bragantino conquistou o tricampeonato da Segundinha do Parazão.

FICHA TÉCNICA

BRAGANTINO: Marcelo Valverde; Diego Macapá, Romário, Rodrigo Reis e Gabriel Lima; Paulo de Tarcio, Rafinha, Keoma e Alan (Bruninho); Mauro Praia (Marcelo Maciel) e Aslen Kevin (João Leonardo). Técnico: Artur Oliveira.

PARAUAPEBAS: Cleriston; Wanderson (Bruno Leite), Cris, Wanderlan e Neilson; Matheus Moreno (Danúbio), Gilberto, Felipe Baiano, Flamel e Thiago Potiguar; Monga (Everson Bilau). Técnico: Léo Goiano

Árbitro: Djonaltan Costa Araújo (CBF/PA)

Assistentes: Hélcio Araújo Neves (CBF/PA) e Nayara Lucena Soares

Quarto-árbitro: Joquetam Moreira Guimarães

Quinto-árbitro: Mosenias Machado dos Santos Galvão

Cartões amarelos: Romário (Bragantino); Felipe Baiano, Neilson e Cris (Parauapebas)

Cartões vermelhos: Romário (Bragantino); Cris e Thiago Potiguar (Parauapebas)

Gols: Alan de falta, aos 27 minutos do 1º tempo para o Bragantino; Thiago Potiguar de falta, aos 43 minutos do 1º tempo para o Parauapebas; Neilson aos 20 minutos do 2º tempo para o Parauapebas; Rafinha de pênalti, aos 36 minutos do 2º tempo para o Bragantino

Local: Estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança.

futebol

Parauapebas Futebol Clube vai forte para cima da Tuna Luso em busca de uma vaga na semifinal da Segundinha do Parazão

A partida é válida pelas quartas de final em jogo único no Rosenão e sem vantagem para nenhuma das equipes
Por Fábio Relvas

Após o empate sem gols diante do Carajás no dia (05/11), no estádio Rosenão, valendo pela quarta rodada da fase de classificação da Segundinha do Parazão, o Parauapebas Futebol Clube (PFC) teve um bom período para se preparar visando as quartas de final. De lá para cá, muitas coisas mudaram. A primeira delas foi a troca de comando, saindo o técnico Everton Goiano e assumindo o seu conterrâneo Léo Goiano. Outra mudança foi a forma de atuar da equipe, coisa visível nos treinamentos, coletivos e jogo treino realizado no último final de semana, quando o PFC massacrou a seleção local por 10 a 0.

Na última segunda-feira (13/11), a Federação Paraense de Futebol (FPF), realizou o sorteio das quartas de final da Segundinha do Parazão. A Tuna Luso Brasileira, tradicional equipe da capital Belém, caiu como a adversária do Gigante de Aço na competição estadual. Um duelo de jogo único que promete fortes emoções, já que ambas as equipes montaram bons elencos para subir e voltar a tão sonhada elite do futebol paraense.

“A preparação está intensa, o jogo entre Parauapebas e Tuna Luso vai pedir um nível de concentração muito alto. Qualidade técnica, qualidade física, qualidade tática muito grande, mas o grupo tem assimilado muito bem, tudo aquilo que nos temos proposto e isso aumenta a confiança de todos para que a gente possa fazer um grande jogo no próximo domingo no Rosenão”, afirmou Léo Goiano, técnico do PFC.

Assim que foi acertada a sua volta ao Parauapebas Futebol Clube, o técnico Léo Goiano indicou mais um atleta para reforçar o grupo. Trata-se do lateral-esquerdo Jaquinha, que atuou com o próprio treinador no Clube do Remo, onde disputou o Campeonato Brasileiro da Série C deste ano, mas para esse duelo diante da Elite do Norte, o novo reforço ainda não vai poder estrear, devido a sua regularização.

“Gostaríamos muito de contar com ele, infelizmente não vamos poder contar nesses jogos finais, mas o grupo é forte, o grupo tem consciência de tudo aquilo que se tem que fazer. Não vamos poder contar com ele, mas vamos com todos aqueles que estão a disposição. A contratação do Jaquinha foi devido a ter somente o Neilson para esquerda e o mesmo está pendurado com dois cartões amarelos”, disse Léo Goiano.

A campanha do Gigante de Aço vem sendo satisfatória na Segundinha do Parazão. O time segue invicto. Em quatro jogos, a equipe somou oito pontos, sendo duas vitórias e dois empates, marcando sete gols e sofrendo apenas dois, tendo um saldo positivo de cinco bolas. Com esse retrospecto a equipe alcançou na fase de classificação 66,7% de aproveitamento, terminando em primeiro lugar na Chave A2 da competição.

“Nós todos trabalhamos firmes durante a semana em busca do nosso objetivo, que é a vitória no domingo diante da Tuna Luso. Espero que a gente possa fazer o nosso melhor no domingo para passar para a próxima fase que é semifinal e ficar a um passo do nosso principal objetivo, que é subir a equipe aqui da cidade, o Parauapebas Futebol Clube”, falou Cristiano Conceição, zagueiro do PFC.

A única vantagem do Parauapebas em relação a Tuna Luso nas quartas de final é de atuar em casa. Segundo o regulamento da competição, caso as partidas das fases eliminatórias terminem no empate, a disputa para se conhecer o vencedor será nos tiros livres da marca da cal. Nesse quesito, o Gigante de Aço está bem servido, já que conta com o goleiro Cleriston, que afirmou nunca ter perdido em disputa de pênaltis.

“As expectativas é das melhores. A gente vem trabalhando forte para que possamos conseguir o resultado positivo no domingo. Sabemos das dificuldades do adversário que vamos enfrentar, uma grande equipe e tradicional do futebol paraense, mas aqui também tem jogadores de qualidade, então vamos trabalhar firme durante esses poucos dias que temos agora para que possamos fazer um grande jogo no final de semana e sairmos coroados com essa vitória. Já passei por disputas de pênaltis na minha carreira e graças a Deus ganhei todas”, declarou Cleriston, goleiro do PFC.

A diretoria do Parauapebas já iniciou as vendas dos ingressos para a partida diante da Tuna Luso. O valor segue o mesmo dos jogos anteriores, diante da Desportiva Paraense e Carajás, custando R$ 10. O bilhete pode ser adquirido até o dia do jogo no estádio Rosenão.  A cúpula do Gigante de Aço e o técnico Léo Goiano, acreditam em casa cheia no domingo. É a grande chance do time da Capital do Minério chegar bem próximo de seu objetivo.

“Você conhecer seu campo, você jogar diante da sua torcida, você tem que fazer isso prevalecer, essa condição de mandante. Você precisa ser forte, você precisa ser muito organizado, apesar de que vamos enfrentar uma equipe muito qualificada, uma equipe que é protagonista também na competição, mas vai ser um grande jogo e a gente espera ser muito forte no domingo e alcançar o objetivo que nós traçamos desde a minha chegada”, finalizou Léo Goiano.

A partida entre Parauapebas e Tuna Luso está marcada para o próximo domingo (19/11), às 16h, no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. O árbitro principal será Raimundo Gilson Gonçalves de Brito, tendo as assistências de José Jacemir Gonçalves de Brito e Ivaldo de Oliveira dos Santos. O quarto-árbitro fica por conta de Edinaldo Alves de Souza.

Série B

Paysandu perde para o Ceará na Arena Castelão com mais de 45 mil torcedores

Foi o recorde de público da Série B em 2017. Agora o Papão precisa de um simples empate diante do Santa Cruz-PE para fugir do rebaixamento.
Por Fábio Relvas

O Paysandu Sport Club não está tendo vida fácil nesta Série B do Campeonato Brasileiro. O time bicolor voltou a perder na competição, desta vez para o Ceará-CE, por 2 a 0, na noite desta terça-feira (14/11), na Arena Castelão, em Fortaleza. O lateral-direito Pio abriu o placar em uma bela cobrança de falta, aos 16 minutos de jogo, e o atacante Elton fechou o marcador, aos 20 minutos da etapa derradeira.

Com o resultado, o Papão caiu uma posição na tabela de classificação e agora é o 12º colocado com 45 pontos. Já o Ceará segue firme em terceiro com 63 pontos, a uma vitória ou dois empates do acesso para a Série A de 2018. A partida foi válida pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

O próximo compromisso do Paysandu será diante do já rebaixado Santa Cruz-PE, no próximo sábado (18/11), às 16h30, no estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém.  A matemática em bem simples para o Papão. Basta empatar que se livra do rebaixamento para a Série C.

A partida: Vozão 2 x 0 Papão

Precisando da vitória para ficar com um pé na Série A de 2018, o Ceará partiu para cima do Paysandu. Após cruzamento da direita, o meio-campo Roberto cabeceou sozinho e quase abriu o placar logo aos seis minutos de jogo. Em uma cobrança de falta de Pio, a bola foi alçada na área bicolor, mas a arbitragem anulou o lance marcando impedimento do zagueiro Luiz Otávio que apareceu de surpresa.

Blitz total do Vovô. O volante Pedro Ken mandou um chutaço e a bola explodiu no travessão do goleiro Emerson. De tanto insistir, o Vozão chegou lá. O lateral-direito Pio cobrou falta de longe, surpreendendo Emerson e abrindo o placar, aos 16 minutos de jogo, 1 a 0 Ceará. Após o gol, o clima esquentou entre os jogadores e muita confusão no gramado do Castelão. O Paysandu tentou marcar com Peri, que mandou um chute forte, mas parou na boa defesa de Éverson.

Na segunda etapa, o Papão chegou em cobrança de falta, Éverson teve que se virar para salvar o Ceará. O Paysandu veio com uma outra proposta e ameaçou mais uma vez. Após cobrança de falta, Jhonnatan recebeu na boa e chutou pertinho da meta adversária, levando muito perigo. O time da casa voltou a atacar também em cobrança de falta desferida por Pio, Emerson salvou para escanteio.

Na cobrança de escanteio, houve uma bate-rebate dentro da área e a bola sobrou para o atacante Elton que não perdoou e marcou o segundo para o Ceará, aos 20 minutos, 2 a 0, para o delírio da torcida cearense na Arena Castelão. Após o gol mais confusão e o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães do Rio de Janeiro, acabou expulsando o próprio Elton, autor do gol e o zagueiro Perema do Paysandu.

A torcida não parava de cantar e empurrava o Ceará para cima do time paraense. Em uma falta cobrada na área, o zagueiro Rafael Pereira desviou e quase marcou o terceiro tento para o Vovô. O lateral-direito Pio, o nome do jogo, mandou mais um chute cheio de veneno em cobrança de falta, a bola passou assustando a meta bicolor. Final de partida: Ceará 2 x 0 Paysandu. O público total foi de 45.197 torcedores, o recorde do ano na Arena Castelão e do Campeonato Brasileiro da Série B.

FICHA TÉCNICA

CEARÁ: Éverson; Pio, Rafael Pereira, Luiz Otávio e Romário (Rafael Carioca); Richardson, Pedro Ken, Ricardinho, Lima e Roberto (Maikon Leite);  Elton. Técnico: Marcelo Chamusca.

PAYSANDU: Emerson; Ayrton, Perema, Rafael Dumas e Peri; Augusto Recife, Rodrigo Andrade (Anselmo), Jhonnatan e Fábio Matos (Welinton Junior); Caion (Alan Pirulito) e Bergson. Técnico: Marquinhos Santos.

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães-RJ

Assistentes: Rodrigo F. Henrique Correa-RJ e Thiago Henrique Neto Correa Farinha RJ

Cartões amarelos: Éverson, Pedro Ken e Ricardinho (Ceará); Ayrton, Augusto Recife, Rodrigo Andrade, Bergson e Peri

Cartões vermelhos: Elton (Ceará) e Perema (Paysandu)

Gols: Pio aos 16 minutos do 1º tempo e Elton aos 20 minutos do 2º tempo para o Ceará

Local: Arena Castelão, em Fortaleza-CE

Público pagante: 44.172

Não pagante: 1.025

Total: 45.197

Renda: R$ 1.026.630,00

Futebol

Brasil de Pelotas surpreende, vence o Paysandu dentro da Curuzu e ultrapassa o time paraense na Série B

O segundo tempo do jogo foi até aos 65 minutos devido ao apagão dos refletores do estádio Leônidas Castro. Com o resultado, o Papão agora é o 11º colocado.

Por Fábio Relvas – Foto: Fernando Torres / Paysandu

Mais de 11 mil torcedores do Paysandu foram ao estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, na tarde deste sábado (11/11), para ver o Papão confirmar de vez sua permanência na Série B em 2018. Mas o time bicolor decepcionou sua fiel torcida e perdeu para o Brasil de Pelotas-RS pelo placar de 3 a 2.

O Xavante saiu na frente com o lateral-direito Ednei em cobrança de falta aos 23 minutos do 1º tempo. O Paysandu chegou ao empate com o atacante Bergson, aos 45 minutos da primeira etapa. O time do técnico Clemer surpreendeu na segunda etapa e o atacante Cassiano marcou duas vezes, aos 13 e aos 46 minutos. O Papão chegou a diminuir o placar com o atacante Juninho aos 59 minutos. O árbitro Rodrigo Batista Raposo do Distrito Federal teve que paralisar a partida devido a um apagão nos refletores do estádio da Curuzu e acrescentou 20 minutos além do tempo regulamentar. A partida foi válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Com a derrota, o Paysandu caiu uma posição e agora é o 11º colocado com 45 pontos, enquanto que a vitória deixou o Brasil de Pelotas com a mesma pontuação em 10º lugar devido ao critério de desempate. O Xavante tem uma vitória a mais que o Paysandu na competição nacional, 13 a 12. O time paraense volta a campo contra o Ceará-CE na próxima terça-feira (14/11), às 20h30, na Arena Castelão, em Fortaleza.

O jogo: Papão 2 x 3 Xavante
O Paysandu tentou impor um ritmo forte de jogo e começou em cima. Após cobrança de falta de Diogo Oliveira, o zagueiro Perema subiu de cabeça, mas mandou por cima da meta de Marcelo Pitol. No lance seguinte, Bergson recebeu, girou e chutou, a bola foi para fora. O Brasil de Pelotas, muito tímido na partida chegou no chute de Calyson, mas mandou sem perigo contra a meta de Emerson.

Quem assustou mesmo foi o Papão. Após uma sobra de bola na área, o lateral-esquerdo Guilherme Santos mandou um chute forte cruzado, que passou raspando a meta do goleiro Marcelo Pitol. O Xavante poderia chegar em bola parada e foi o que aconteceu. O lateral- direito Ednei cobrou uma falta na área, o goleiro Emerson falhou e a bola foi diretamente para o fundo do barbante bicolor, aos 23 minutos do 1º tempo, 1 a 0 para a equipe gaúcha.

O Paysandu deu o troco na mesma moeda. Diogo Oliveira cobrou falta e o goleiro Marcelo Pitol afastou o perigo metendo um soco na bola. Bergson tentou surpreender de fora da área, mas errou o alvo e mandou para fora. O time visitante chegou com o volante Itaqui que tentou marcar e chutou mal, torto sem direção. Ayrton recebeu na área e mandou um chute forte para a boa defesa do goleiro do Xavante que salvou para escanteio.

O Papão era blitz total em busca do empate. Guilherme Santos cruzou para a cabeçada de Bergson, o goleiro Marcelo Pitol operou um verdadeiro milagre na Curuzu e salvou mais uma vez sua equipe. O meio-campo Calyson recebeu e tentou marcar para os visitantes, mas Emerson defendeu com uma certa tranquilidade. O atacante Bergson recebeu, arrancou e mandou forte para o gol, a bola passou perto.

O gol do Paysandu era uma questão de tempo, um verdadeiro bombardeio bicolor. Bergson recebeu cruzamento da esquerda e mandou de cabeça, a bola passou pertinho da meta do Xavante. Até que aos 45 minutos, outro cruzamento na área, desta vez Guilherme Santos mandou certeiro na cabeça do artilheiro Bergson, que subiu no meio da zaga adversária e mandou para o fundo do gol, tudo igual na Curuzu, 1 a 1.

No intervalo, o técnico Clemer substituiu o goleiro Marcelo Pitol, que saiu machucado e colocou em seu lugar Carlos Eduardo. Logo aos dois minutos da etapa final, Ayrton fez uma grande jogada e mandou uma bomba, o goleiro Carlos Eduardo fez boa defesa mostrando segurança na meta. Após o susto, o Brasil de Pelotas chegou lá mais uma vez. Misael fez boa jogada na área e cruzou para o atacante Cassiano, que ganhou da marcação e correu para o abraço, 2 a 1 Xavante, aos 13 minutos, calando novamente a Curuzu.

O Papão não sentiu o gol adversário e voltou a pressionar. Após cobrança de falta de Guilherme Santos, o goleiro cortou e a bola ficou pingando dentro da área, até que o zagueiro Leandro Camilo afastou o perigo. Em um escanteio cobrado por Guilherme Santos, o zagueiro Perama subiu firme e testou para baixo, a bola tocou no gramado e passou por cima da meta de Carlos Eduardo.

Só dava Papão. Em outra cabeçada de Perema, a zaga afastou em cima da linha. O Paysandu teve tudo para empatar, depois da cobrança de escanteio, a bola passou de Carlos Eduardo e sem goleiro, o atacante Juninho cabeceou para fora, enlouquecendo a Fiel Bicolor na Curuzu. O desespero começou a bater e o atacante Magno Ribeiro mandou um chute muito longe da meta adversária.

Aos 30 minutos, o árbitro Rodrigo Batista Raposo do Distrito Federal, paralisou a partida devido a um apagão nos refletores do estádio Leônidas Castro, a Curuzu. Depois de 15 minutos de paralisação o jogo recomeçou aos 45 minutos. O volante João Afonso do Brasil de Pelotas
arriscou de fora da área, a bola desviou no zagueiro Perema e sobrou limpa para o atacante Cassiano, que com muita tranquilidade tirou do alcance do goleiro Emerson e correu para o abraço, marcando o seu segundo gol no jogo, aos 46 minutos, 3 a 1 Xavante. O árbitro deu 20 minutos de acréscimo devido o tempo que o jogo ficou parado. O Paysandu se espertou e marcou o segundo gol. Após cruzamento da direita, a bola sobrou para o atacante Juninho, que não desperdiçou e diminuiu aos 59 minutos. Apesar de ter um tempo para buscar o empate, o time bicolor não conseguiu chegar e o placar final ficou em 3 a 2 para o Brasil de Pelotas.

FICHA TÉCNICA

Paysandu: Emerson; Ayrton, Perema, Diego Ivo (Rafael Dumas) e Guilherme Santos; Renato Augusto, Augusto Recife, Rodrigo Andrade (Juninho) e Diogo Oliveira (Magno); Caion e Bergson. Técnico: Marquinhos Santos.

Brasil de Pelotas: Marcelo Pitol (Carlos Eduardo); Ednei, Leandro Camilo, Teco e Breno; Leandro Leite, Itaqui (João Afonso) e Calyson (Aloísio); Cassiano, Lincom e Misael. Técnico: Clemer.

Árbitro: Rodrigo Batista Raposo-DF

Assistentes: José Reinaldo Nascimento Júnior-DF e Daniel Henrique da Silva Andrade-DF

Cartões amarelos: Edinei e Lincom (Brasil de Pelotas)

Gols: Ednei aos 23 minutos do 1º tempo para o Brasil de Pelotas; Bergson aos 45 minutos do 1º tempo para o Paysandu; Cassiano aos 13 e 46 minutos do 2º tempo para o Brasil de Pelotas; Juninho aos 59 minutos do 2º tempo para o Paysandu.

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém

Renda: R$ 147.720,00

Pagantes: 8.359 – Sócio Bicolor: 1.841 – Credenciados: 1.480 – Total: 11.839

futebol

Tiradentes vence o Izabelense no Mamazão pela Chave A2 da Segundinha do Parazão

Com o resultado, o Parauapebas confirmou o 1º lugar da Chave A2 da competição e vai decidir as quartas de final no Rosenão
Por Fábio Relvas

Tiradentes e Izabelense se enfrentaram na tarde desta sexta-feira (10/11), no estádio Luiz Omar Pinheiro, o Mamazão, em Outeiro, valendo pela quinta e última rodada da primeira fase da Segundinha do Parazão. O Tigre venceu o Frangão da Estrada e ainda sonha com uma vaga nas quartas de final da competição estadual. O gol único do jogo foi assinalado por Dok, aos 36 minutos do primeiro tempo.

O Parauapebas foi o grande beneficiado com o resultado e mesmo sem jogar confirmou o 1º lugar da Chave A2 com oito pontos e com isso vai decidir as quartas de final em jogo único no estádio Rosenão. Apesar da derrota, o Izabelense conquistou o 2º lugar com sete pontos. O Tiradentes com seis pontos vai aguardar o restante da última rodada para tentar classificar como um dos dois terceiros melhores colocados.

Algumas situações negativas chamaram a atenção na partida. Não havia ambulância, médicos, maca, gandula e apenas uma bola para os 90 minutos de jogo. A diretoria do Izabelense não gostou do que viu em Outeiro já que na partida contra o Parauapebas, no estádio Edilson Abreu, em Santa Izabel, o Frangão da Estrada teve que providenciar tudo que é pedido e exigido pela Federação Paraense de Futebol (FPF) para a bola poder rolar.

Precisando do resultado o Tiradentes foi para cima do Izabelense no início de jogo. Em uma tentativa de fora da área da equipe do Tigre da Polícia Militar, o goleiro André Luís salvou para escanteio o que seria o primeiro gol da partida. O Frangão da Estrada deu o troco e em duas tentativas no mesmo lance, Helisson bateu por último para a defesa do goleiro Neto e perdeu uma chance de ouro.

A partida deu uma queda de rendimento e poucas vezes as equipes chegaram as metas adversárias. Até que o meia Ramon ficou de cara com Neto e bateu fraquinho para a defesa do arqueiro do Tiradentes. A zaga do Izabelense fez lambança com Dudu, a bola ficou com o Tigre, no primeiro chute André Luís defendeu, mas na sobra Dok marcou aos 36 minutos, 1 a 0 Tiradentes. Foi o que de melhor aconteceu no primeiro tempo.

Os times começaram atacando na etapa derradeira. O Tiradentes tinha mais posse de bola, mas sem muita objetividade em campo. Os atletas jovens do Tigre estavam dando uma canseira nos jogadores do Frangão da Estrada. O Izabelense teve chance em uma bola parada quase que frontal ao gol adversário. Na cobrança de falta, Negueba mandou por cima da meta do goleiro Neto.

O lance deu um ânimo ao time de Santa Izabel, que chegou mais uma vez após cruzamento na área, Júnior cabeceou, mas pegou fraco na bola e ficou fácil para a defesa de Neto. Depois dessa chance, o Izabelense deu uma blitz para cima do Tiradentes. A bola rondava na área do Tigre, mas com muita teimosia insistia em não entrar. Em uma tentativa de Helisson, que pegou a sobra e chutou, o goleiro Neto chegou a tocar na bola e a zaga afastou quase em cima da linha.

Quem perdeu a chance de matar o jogo foi o Tiradentes. A bola passou pelo goleiro André Luís, e o meia Giovanni sozinho conseguiu fazer o mais difícil, chutar na trave e perder o gol. O Izabelense já estava indo mais na raça do que na técnica. Em uma chance de Eré, o jogador do Frangão da Estrada ficou livre, mas a zaga chegou para aliviar o perigo cedendo escanteio. O árbitro deu seis minutos de acréscimo e ninguém conseguiu chegar. Placar final: Tiradentes 1 x 0 Izabelense.

Resultados da 5ª rodada da Segundinha

Chave A2

Tiradentes 1 x 0 Izabelense (Estádio Mamazão)

Desportiva 3 x 2 Carajás (Estádio Mangueirão)

Classificação da Chave A2

1º Parauapebas: 8 Pontos (Classificado para as quartas de final)

2º Izabelense: 7 Pontos (Classificado para as quartas de final)

3º Tiradentes: 6 Pontos (Aguardando um possível melhor terceiro lugar)

4º Carajás: 4 Pontos (Eliminado)

5º Desportiva: 3 Pontos (Eliminada)

A Federação Paraense de Futebol (FPF) vai reunir com os representantes das equipes classificadas na próxima segunda-feira (13/11) para realizar o sorteio das quartas de final da Segundinha do Parazão.

Futebol

Paysandu quebra tabu, vence o Náutico em Recife, e praticamente se livra do rebaixamento

O Papão não tomou conhecimento do Timbu e venceu dentro da Arena Pernambuco, chegando aos sonhados 45 pontos.

Por Fábio Relvas

O Paysandu Sport Club finalmente chegou aos 45 pontos no Campeonato Brasileiro da Série B, pontuação que segundo os matemáticos de plantão, pode ter livrado a equipe do rebaixamento. O Papão venceu o Náutico-PE, por 3 a 1, na noite desta terça-feira (07/11) dentro da Arena Pernambuco. O time paraense marcou com Bergson aos 13 minutos de jogo e na sequência, aos 14, o zagueiro Perema marcou gol contra em favor do Náutico. Na etapa derradeira o Paysandu foi melhor e chegou a vitória com dois gols do atacante Caion, aos 19 e 49 minutos. A partida foi válida pela 34ª rodada da Série B.

Com o resultado positivo o Paysandu subiu uma posição, é o 10º colocado na classificação com 45 pontos e ainda conseguiu quebrar um tabu de nunca ter vencido o Náutico em Recife. Até então, eram oito jogos com cinco vitórias do Timbu e três empates. O próximo desafio do Papão será diante do Brasil de Pelotas-RS, no próximo sábado (11/11), às 18h, no estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém.

O jogo: Papão 3 a 1

O jogo começou agitado com o Náutico tendo a primeira chance clara de gol logo aos 25 segundos de bola rolando. O atacante William recebeu na frente e sozinho carimbou em cima do goleiro Emerson do Paysandu. Mais uma vez William, agora recebeu cruzamento na área e na hora de finalizar foi travado por Guilherme Santos. Quem não faz leva. Em uma bobeira da zaga do Timbu, Bergson recebeu passe dentro da área e fuzilou para o fundo da meta de Jeferson, abrindo o placar na Arena Pernambuco, 1 a 0 Papão, aos 13 minutos.

Não deu nem para o Paysandu comemorar. O zagueiro Perema foi querer recuar uma bola para o goleiro Emerson, e acabou marcando um belo gol contra de cabeça, aos 14 minutos, 1 a 1. O gol fez com que o Timbu partisse para cima. O volante Amaral recebeu na direita e mandou um chutaço, a bola passou perto da meta bicolor. O Papão deu o troco e quase marcou um golaço. Guilherme Santos recebeu dentro da área e bateu de primeira, a bola caprichosamente acertou na trave do goleiro Jeferson.

O time paraense começou a gostar do jogo. Bergson recebeu passe e mandou de fora da área, a bola desviou na zaga e quase vai para o fundo da meta do Timbu. O resultado não era bom para nenhuma das equipes e o desespero começou a bater para o Náutico. O meia Rafinha arrancou com a bola e mesmo com espaço, mandou um chute muito longe da meta bicolor, irritando o torcedor do Alvirrubro.

No segundo tempo, a equipe pernambucana tentou chegar em bola parada. Na cobrança de falta de Aislan, a bola passou perto levantando a torcida. Em outro lance dos donos da casa, o atacante William ganhou da zaga bicolor, mas errou o chute perdendo uma chance de ouro. O que aconteceu no primeiro tempo, se repetiu no segundo. Depois de passar por sustos, o Papão voltou a marcar. O meia Fábio Matos deu belo passe no meio dos zagueiros e o atacante Caion apareceu livre, e finalmente marcou seu gol com a camisa bicolor, aos 19 minutos, 2 a 1
Paysandu.

O Náutico teve que sair outra vez para o jogo e Dico mandou um chute forte rasteiro, o goleiro Emerson defendeu bem para o Papão. O Paysandu começou a ter espaço para puxar contra-ataque e em um deles, Caion recebeu, invadiu a área e chutou, o goleiro Jeferson salvou o Alvirrubro de levar o terceiro. Em mais uma tentativa bicolor, Guilherme Santos arriscou de fora da área, a bola cheia de curva passou por cima do travessão.

Para fechar de vez o caixão do Náutico, o Papão chegou ao terceiro gol. Jhonnatan deu um passe açucarado para o atacante Caion, que com muita tranquilidade marcou o terceiro tento bicolor e correu para o abraço, aos 49 minutos, para a alegria da pequena torcida  paraense presente na Arena Pernambuco. Placar final: Náutico 1 x 3 Paysandu.

FICHA TÉCNICA

NÁUTICO: Jeferson; David, Breno, Aislan e Henrique Ávila; Amaral (Leilson), Diego Miranda (Iago), Bruno Mota e Rafinha (William Schuster); Dico e William. Técnico: Roberto Fernandes.

PAYSANDU: Emerson; Ayrton, Perema, Diego Ivo e Guilherme Santos; Augusto Recife (Jhonnatan), Renato Augusto, Fábio Matos (Rafael Dumas) e Juninho (Diogo Oliveira); Caion e Bergson. Técnico: Marquinhos Santos.

Árbitro: Felipe Gomes da Silva-PR

Assistentes: Ivan Carlos Bohn-PR e Luciano Roggenbaum-PR

Cartões amarelos: Breno e Aislan (Náutico); Diogo Oliveira e Jhonnatan (Paysandu)

Gols: Bergson aos 13 minutos do 1º tempo para o Paysandu; Perema aos 14 minutos do 1º tempo marcou contra em favor do Náutico; Caion aos 19 e 49 minutos do 2º tempo para o Paysandu.

Local: Arena Pernambuco, em Recife

Público total: 2.310 pessoas

Renda: R$ 21.920,00

Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press

error: Conteúdo protegido contra cópia!