Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!

Remo, Paysandu e Águia de Marabá avançam para as quartas de final da Copa Verde.

Confira também as últimas do Parazão 2017, que tem Paysandu e Remo liderando seus respectivos grupos

Por Fábio Relvas

O futebol paraense vem se destacando na Copa Verde 2017. Os três representantes do estado, Remo, Paysandu e Águia de Marabá, chegaram as quartas de final da competição sem muitas dificuldades.

O Clube do Remo enfrentou o Atlético-AC na primeira fase da competição. No jogo de ida, o Leão Azul ficou no empate fora de casa atuando no estádio Arena da Floresta, em Rio Branco. A partida terminou em 1 a 1, com o time mandante marcando primeiro com o atacante Careca, aos quatro minutos do 2ª tempo. O Remo chegou ao seu gol em um bonito chute do meia Flamel de fora da área, aos 30 minutos, igualando o placar.

Na partida de volta, a torcida do Remo fez a festa no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. Quase nove mil azulinos empurraram o Leão que deitou e rolou no time adversário. Mas os gols só saíram na etapa final de jogo, com o zagueiro Henrique marcando o primeiro de cabeça, aos quatro minutos, após escanteio da esquerda. Aos 11 minutos, Tsunami que atuou improvisado na lateral esquerda, deu um corte seco em Januário e bateu no ângulo, um golaço! O terceiro saiu aos 35 minutos, quando o atacante Gabriel Lima pegou a sobra na área e fuzilou para o fundo da meta do goleiro Babau. Para sacramentar a vitória e a classificação, o atacante Jayme dominou de frente para o crime e chutou com estilo: Remo 4 x 0 Atlético-AC. O próximo adversário do Leão Azul será o Santos-AP.

Já o Paysandu encarou o desconhecido Galvez, também do estado do Acre. Assim como o Leão, o Papão também atuou no estádio Arena da Floresta, na partida de ida. Jogo morno e o placar ficou no empate sem gols. Na partida de volta, no estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, o Paysandu encontrou um adversário tinhoso, que vendeu caro a derrota. O time paraense saiu na frente no chutaço de fora da área do meia Diogo Oliveira, aos 31 minutos da primeira etapa. Na etapa derradeira, com um futebol apático, o Papão foi deixando o adversário gostar do jogo e chegou a ameaçar a meta do goleiro Emerson. O lance polêmico da partida, aconteceu aos 47 minutos, quando o meia Ciel foi derrubado pelo zagueiro Fernando Lombardi dentro da área, e o árbitro André Rodrigo Rocha, do Tocantins, não marcou. No lance seguinte, o bicolor estadual foi para cima e o atacante Bergson acertou um chutaço no ângulo do goleiro Máximo, fechando o placar, em 2 a 0, e confirmando a classificação do Paysandu, que enfrenta o Águia de Marabá nas quartas.

Para chegar à classificação, o Águia de Marabá passou sufoco na partida de ida da 1ª fase. O Azulão foi derrotado pelo São Raimundo-RR pelo placar de 1 a 0, no estádio Vila Olímpica, em Boa Vista. O gol foi marcado pelo meio campo Ygor, que chutou a bola bateu na trave e sobrou para ele mesmo completar para o fundo das redes.

Na partida de volta, realizada neste domingo (19/03), no estádio Zinho Oliveira, em Marabá, o Azulão precisava vencer por dois gols de diferença para conquistar a vaga. Com promoção de ingressos e o fato das mulheres não pagarem, a torcida marabaense compareceu em peso para incentivar os donos da casa. O time paraense sufocou o adversário do início ao fim e os gols foram saindo naturalmente. Logo aos três minutos, Vinícius abriu o marcador para o Águia. O jovem atacante Tiago Mandi, cobrou falta com categoria e ampliou aos 40 minutos, 2 a 0, resultado que já daria a classificação ao Azulão. O time do técnico João Galvão não diminuiu o ritmo e seguiu em cima na segunda etapa, e aos dois minutos, Vinícius mais uma vez deixou sua marca e decretou a vaga para as quartas de final.

Quartas de final da Copa Verde

Os confrontos já foram definidos com todos os jogos no próximo dia 29 de março, restando à CBF – Confederação Brasileira de Futebol -realizar o sorteio para saber a ordem de quem joga primeiro em casa. São eles:

Paysandu x Águia de Marabá /  Santos -AP x Remo / Luverdense-MT x Rio Branco-ES / Luziânia-DF x Rondoniense-RO

Parazão 2017

A bola rolou para a 8ª rodada do Parazão 2017. No sábado (18/03), Cametá e Castanhal ficaram no empate sem gols e se complicaram na tabela de classificação. A partida foi realizada no estádio Parque do Bacurau, em Cametá. Já o Independente não tomou conhecimento e venceu com facilidade a equipe do Pinheirense, no estádio Navegantão, em Tucuruí . O atacante Monga recebeu na área, girou o corpo e fuzilou o goleiro Adriano Paredão, abrindo o placar aos 34 minutos de jogo. O Galo Elétrico ampliou com o outro atacante, Diego Lira (ex-Parauapebas), que pegou a sobra e mandou para o fundo do gol aos 45 minutos. O parauapebense, Magno Ribeiro, fechou o placar em um golaço, após receber lançamento, o atacante, que também passou pelo PFC, driblou o zagueiro para o meio e mandou por cobertura, aos quatro minutos da etapa derradeira. Placar final: Independente 3 x 0 Pinheirense. Galo Elétrico já está classificado para a semifinal.

A rodada seguiu na tarde deste domingo (19/03), com a partida entre Remo x São Raimundo, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O Leão Azul embalado após goleada na Copa Verde, foi para cima do Pantera. A arbitragem marcou pênalti para o Remo do zagueiro Wanderlan em cima do ataque remista. O meia Marquinhos com muita categoria deslocou o goleiro, 1 a 0, aos 27 minutos. O árbitro Wesley do Couto assinalou outro pênalti para os azulinos em cima do lateral-direito Léo Rosa. Flamel cobrou, o goleiro defendeu e a bola acertou a trave direita da meta defendida por Roger Kath.

No intervalo da partida, o técnico Josué Teixeira, teve uma crise hipertensiva e seu auxiliar Márcio Roberto, foi quem comandou o Remo na segunda etapa. O Leão chegou ao terceiro gol com atacante Jayme, que mergulhou de peixinho após um cruzamento da direita, aos 14 minutos. O São Raimundo com o atacante Tiago Capim diminuiu o placar aos 26 minutos e ainda acertou uma bola na trave aos 49. Final de jogo: Remo 2 x 1 São Raimundo, o Leão Azul conquistou sua classificação para a semifinal sendo o líder isolado e o único invicto do Parazão 2017.

A rodada segue nesta terça-feira (21/03) com São Francisco x Paysandu, às 20h30, no estádio Jader Barbalho, o Barbalhão, em Santarém, e terá complemento na quarta-feira (22/03) com Águia x Paragominas, às 16h, no estádio Zinho Oliveira, em Marabá.

Classificação

 

Os dois primeiros de cada grupo disputam a semifinal do Parazão

Futebol

Bragantino é campeão do torneio início da 17ª edição da Copa Palmares de Futebol

Além de troféus e medalhas para o campeão e vice-campeão, o título do torneio início deu vaga para a 2ª fase da competição.

Por Fábio Relvas, direto da Palmares Sul

A bola rolou o dia inteiro neste domingo (19/03) para o torneio início da 17ª edição da Copa Palmares. As partidas foram realizadas na comunidade Palmares Sul, no estádio Castanheirão, que pertence ao Dallas Esporte Clube, e contou com a presença de um grande público para prestigiar o evento que já se tornou tradição em Parauapebas, sudeste do estado do Pará.

A competição é organizada pela Prefeitura Municipal de Parauapebas, através da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SEMEL), que neste ano inicia com uma nova gestão, tendo como presidente Laoreci Diniz. “As expectativas são boas. Organizamos uma ótima equipe para fazer parte da secretaria e contamos com o apoio da prefeitura, dando um padrão de qualidade e descentralizando o esporte”, afirmou Laoreci.

Antes da abertura do evento, houve toda uma cerimônia com direito aos hinos da cidade de Parauapebas e do Brasil, terminando com os discursos dos organizadores em cima do palanque montado. Representantes de cada time participaram de um sorteio para saber a sequência dos jogos. O torneio início contou com a participação de 34 equipes no sistema eliminatório e com as partidas tendo duração de 15 minutos corridos, sem intervalo e com algumas normas como critérios de desempate, entre elas: números de escanteios a favor, cartão vermelho do adversário, maior número de cartões amarelos do adversário e cobranças de pênaltis alternados.

Para passar credibilidade, a organização contou com uma arbitragem selecionada para comandar os jogos, mesclando juventude e experiência. A competição será uma espécie de seleção para a turma do apito visando futuros torneios na cidade. “Todos os campeonatos realizados pela SEMEL, vão ser arbitrados por profissionais locais. Estamos fazendo teste para apitar jogos da 1ª divisão da Liga Esportiva”, disse o árbitro Bruno Serejo.

Além de troféus e medalhas para o campeão e vice-campeão, o título do torneio início daria vaga para a 2ª fase da competição, uma motivação para os participantes, que correram atrás de seus objetivos durante mais de dez horas de bola rolando. A final foi decidida entre Bragantino e ARTCOM, que ficaram no empate em 0 a 0. A disputa seguiu para os pênaltis e as duas equipes converteram todas as penalidades, deixando o placar em 4 a 4. Como o estádio não tinha iluminação e a partida já estava no período da noite, a arbitragem decidiu jogar a moedinha para cima e deu Bragantino como o grande campeão do torneio início.

A competição terá inicio no próximo sábado (25/03) com os jogos sendo realizados no estádio Castanheirão e tem como o principal objetivo priorizar a participação de atletas da Palmares Sul e aqueles atletas que não tem oportunidade de participar de competições oficiais. Todos os times que disputaram o torneio início irão entrar na fase de mata-mata, com jogos de ida e volta, com exceção do ADEP que foi campeão em 2016 e já se garantiu na 2ª fase entre os 18 melhores, assim como o Bragantino, campeão do torneio início. “É um torneio sério, viemos para conquistar mais um título e tentar fazer história na Copa Palmares, uma competição difícil”, enfatizou o meio campo e capitão, Dinho Marcos, do ADEP.

Times que vão disputar a 17ª edição da Copa Palmares: ADEP, Dallas, Grêmio, VS-10, Bragantino, Real Madri, Real Massa, Novo Brasil, Estação, Rio Branco, Garimpo das Pedras, Açaí, ARTCOM, Vila Romana, Cidade Jardim, Palmares, Estrela Verde, Parazão, Internacional, Pontilhão, Tigre, Cobreloa, B.E.C, Primavera, Força Jovem, Águia Azul, Fênix Sport, União, MP, Jatobá, ASSERP, Atlético Paraense, Santa Cruz e Brasiliense.

Futebol

Águia vence Cametá fora de casa no Parazão 2017

Embora tenha começado ditando o ritmo de jogo, o Cametá sofreu com erros de finalização.

Ulisses Pompeu – de Marabá

Pela segunda vez seguida no Campeonato Paraense, o Águia de Marabá venceu o Cametá (apelidado de Mapará) fora de casa, com gol de Tiago Mandi. A partida aconteceu na tarde desta quarta-feira, 1º de fevereiro, válida pela segunda rodada da competição.

Com chuva no Parque do Bacurau, no segundo tempo, o Cametá amargou sua segunda derrota na competição, já que na primeira partida perdeu de goleada para o Clube do Remo: 5 a 0.

O Águia não produziu quase nada no primeiro tempo de jogo. As duas equipes ficaram acanhadas, erraram passes e irritaram o torcedor da casa. O meia marabaense Felipinho, de 19 anos, não conseguiu se conscientizar que é o mentor das jogadas e pouco produziu. O Zagueiro Marquinhos, do Águia, não estava tão tranquilo em campo e quase entregou o ouro em duas oportunidades. Seu colega, Bernardo, fez mais uma partida segura, sem erros que pudessem comprometer a equipe.

Embora tenha começado ditando o ritmo de jogo, o Cametá sofreu com erros de finalização, principalmente de seu homem de referência, Rafael Paty, que mostrou falta de boa forma física.

No intervalo da partida, Galvão agiu com sabedoria e sacou de campo o meia Felipinho, colocando em seu lugar o ex-atacante Robert, que agora cumpre missão de criação de jogo. Além disso, sacou o atacante Bruno (muito ruim em campo) e pôs Guga para jogar. Foi aí que as coisas mudaram.

No segundo tempo, os donos da casa começaram melhor de novo, mas isso até os 15 minutos. A frustração da torcida do Cametá veio aos 18 minutos do segundo tempo, quando Tiago Mandi marcou o único gol da partida.

A jogada do gol iniciou com o jovem Eric, que invadiu a área, bateu firme e a bola voltou para Guga, que trocou passe com Mandi, que bateu tirando do goleiro Evandro.

O resultado deixou o Azulão na terceira posição do grupo A2, com três pontos. Sem pontuar, os cametaenses são lanternas do A1. Na próxima rodada, no sábado, o Águia joga contra o Paragominas, fora de casa, enquanto o Cametá visita o Castanhal.

Alegria e tristeza

Ao final da partida, Tiago Mandi comemorou demais e disse que aquele era um dos dias mais felizes de sua vida. “Trabalhei muito para esse gol chegar. Ofereço para todos os moradores de Itupiranga, minha cidade natal, mas também para meu amigo Saraiva, de Marabá”, emendou.

O jovem Eric, por sua vez, reconheceu que o cansaço da viagem influenciou no primeiro tempo, mas no intervalo, com as orientações e mexidas do treinador João Galvão, as coisas se resolveram, foi possível equilibrar a equipe.

Para o artilheiro Rafael Paty só restou a lamentação e frustração. Disse que tem certeza que o último lance do jogo foi pênalti, quando o zagueiro Marquinhas tirou a bola com a mão.

Futebol

Águia de Marabá perde no fim e frustra a torcida

Bilau fura defesa do Águia com bela cobrança de falta aos 44 do 2º tempo.

Ulisses Pompeu – de Marabá

O gramado encharcado pela forte chuva que caiu na noite foi determinante para que a partida de estreia entre Águia de Marabá e São Raimundo se transformasse em um jogo “feio”, marcado por muitos chutões. Raros momentos com troca de passes e finalizações ocorreram na partida, que foi dominada a maior parte do tempo pelo Azulão.

O jogo aconteceu na tarde deste domingo, no estádio Zinho Oliveira, em Marabá, e quem saiu sorrindo de campo foi o time visitante, que venceu o confronto por 1 a 0. O único gol do confronto foi marcado aos 44 minutos do segundo tempo, pelo atacante Everson Bilau, que havia entrado na segunda etapa.

A vitória coloca o São Raimundo na segunda colocação do grupo A1, enquanto que o Águia fica na vice-lanterna da Chave A2. As duas equipes voltam a campo no meio de semana, sendo que o Pantera pega o Castanhal na terça-feira (31) e os marabaenses encaram o Cametá.

O Estádio Zinho Oliveira recebeu um bom público na tarde deste domingo, para acompanhar a estreia da equipe. Essa mesma torcida compreendeu os chutões do jogo e incentivou a equipe de João Galvão em vários momentos, apesar de uma bola na trave perigosa numa finalização do meia Wendel Oliveira

A segunda etapa foi marcada por domínio do Águia sobre o Pantera. O meia Felipinho e o lateral esquerdo Ednaldo tiveram chances claras para marcar, estando dentro da área. Todavia, o excesso de preciosismo e dribles fizeram com que os dois errassem a finalização.

E o Águia pagou caro pelo duplo desperdício. No final, aos 44 minutos, o zagueiro Bernardo fez uma falta do lado esquerdo e, na cobrança, Bilau encobriu o goleiro Maick Douglas e acertou o anglo esquerdo do arqueiro. Foi a festa para os meninos do técnico Lecheva, que só precisaram administrar os minutos finais e levar três pontos na bagagem para Santarém.

Na entrevista ao final da partida, Galvão lamentou o resultado ruim, mas elogiou sua equipe, formada principalmente por jovens jogadores e considera que com o gramado enxuto eles vão dar alegrias à torcida.

Solicitado pela reportagem do blog a apontar o melhor e pior em campo, de sua equipe, o técnico do Azulão fugiu da proposta e preferiu dizer que “todo o time jogou bem”. Todavia, foi nítido que o meia Eric foi o jogador mais contundente, enquanto o atacante Andrew Bruno não teve uma boa atuação.

Nesta segunda-feira, 30, o Águia volta a se apresentar para treinar e viajar na terça-feira pela manhã para Cametá, onde enfrenta o time da cidade na quarta-feira, dia 1º de fevereiro, pela segunda rodada. O Águia está na penúltima colocação em seu grupo, à frente do próprio Cametá, que perdeu de goleada (5 a 0) para o Remo, também neste domingo.

Futebol

Águia de Marabá completa hoje (22) seu 35º aniversário. Conheça um pouco mais da história do clube

A equipe azulina chegou a disputar a Série C do Campeonato Brasileiro de 2008 a 2015, mas atualmente participa da Série D e da Copa Verde.

Fundado em 1982, o Águia de Marabá comemora 35 anos neste domingo, 22 de janeiro. Clube de história recente, recebeu apoio de empresas locais e associou-se à Federação Paraense de Futebol em 1999, mesmo ano em que as torcidas Filhos e Amigos de Marabá e Torcida do Águia de Marabá se juntaram para dar origem a TOAM – Torcida Organizada do Águia de Marabá.

A equipe azulina chegou a disputar a Série C do Campeonato Brasileiro de 2008 a 2015 mas atualmente participa da Série D e da Copa Verde. Na galeria de conquistas do time paraense estão:

          – Campeonato do Interior (2000/01);

          – 1º turno da Taça Cidade de Belém (2008);

           – Taça Estado do Pará (2010).

No Ranking de Clubes CBF de 2017, o Águia de Marabá foi classificado na 61ª colocação.

História

O Águia de Marabá Futebol Clube foi fundado em 22 de janeiro de 1982, sob o nome de Águia Esporte Clube e teve como primeiro presidente, o desportista Emivaldo Milhomem, que contou com o apoio de Valtemir Pereira Lima, o Bezourão, para fundar a agremiação que foi criada para disputar o Campeonato Marabaense da Segunda Divisão daquele ano. O time era composto por jogadores amadores, sendo os mais destacados: Déca, Gamito e Keneddi. A equipe ganhou o título da Segunda Divisão em 1984, cuja conquista deu à equipe, o direito de disputar o Campeonato Marabaense da Primeira Divisão, no ano seguinte.

Primeiros anos e profissionalização

Nesta etapa de sua história o Águia teve como presidente José Atlas Pinheiro. Neste período o time conquistou três títulos municipais nos anos de 1989, 1992 e 1993, além de quatro vices campeonatos em 1988, 1994, 1996 e 1998. Quando do último vice-campeonato, o presidente já era Jorge Nery, que, procurado pelo vereador Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, no ano de 1999, concordou em profissionalizar a equipe. A proposta ganhou apoio do então presidente da Federação Paraense de Futebol (FPF), Antônio Carlos Nunes, da Companhia Vale e do empresariado local.

Em 2000, no ano seguinte como profissional, o Águia conquistou o título da Copa Ferreirinha, torneio criado para homenagear o idealizador da profissionalização do time, e disputado por equipes dos estados do Maranhão e Tocantins, além do time anfitrião, que no ano seguinte ficou em segundo lugar do torneio, tendo perdido a final para o Clube do Remo..

No Campeonato Paraense de Futebol de 1999 o time terminou entre os quatro melhores colocados, com um plantel forte, onde se destacavam: Marcos Garça, Damião, Berg, Paulinho Santarém, Gilberto Pereira, Maurinho e Corujito; este último marcou três gols na competição e sagrou-se artilheiro da equipe no campeonato.

Nos dois anos seguintes, o time sagrou-se campeão do interior, título dando a equipe interiorana melhor classificada no campeonato estadual, e justamente devido a este boa performance no torneio, a equipe marabaense garantiu direito de disputar a Série C do Campeonato Brasileiro, onde teve atuações discretas, porém, acima da expectativa da diretoria e torcida aguiana.

Década da consolidação: 2002 – 2012

Em 2002 o time não teve boa participação no certame estadual, e terminou a temporada sendo treinado pelo diretor de futebol João Galvão. No entanto sob o comando de Galvão a equipe realizou a uma grande façanha, que foi a conquista da Copa MaPaTo (conjunto de siglas para Maranhão, Pará e Tocantins), o título regional mais notório da equipe.

Em 2008, quando a equipe conquistou acesso ao Brasileirão – Série C, o Águia teve seu período de maior regularidade, somando oito participações consecutivas. Em 2008 a equipe passou muito perto de ascender á Série B, ficando em quinto lugar geral (somente quatro subiam).

Neste mesmo ano, 2008, a equipe ganhou a “Taça Cidade de Belém”, equivalente ao primeiro turno do estadual, ficando com o vice-campeonato após disputa com o Remo. Em 2010 o time conquistou a “Taca Estado do Pará”, título do segundo turno do certame estadual. Contudo ao disputar a final como Paysandu, perdeu a disputa pela “Taça Açaí”, o título do Parazão 2010.

Declínio e rebaixamento: 2013 – 2015

No Parazão de 2013 a pífia atuação do time rendeu-lhe o rebaixamento para a divisão de acesso do campeonato (primeira fase da primeira divisão estadual). Pelo Parazão 2013/2014 esteve disputando a “Taça ACLEP”, entretanto em mais uma atuação inglória, não conseguiu acesso a divisão principal, terminando o certame em terceiro colocado (somente as duas melhores equipes são classificadas).

Na disputa da Série C de 2014, passou muito perto de ser rebaixado, safando-se somente na última rodada. Neste mesmo ano, em sua pior campanha desde então, foi rebaixado para a Segunda Divisão do Campeonato Paraense.

Porém, na Série C de 2015, depois de perder para o Fortaleza por 4×1, o Águia foi rebaixado para a Série D do Brasileirão de 2016.

Parazão Série B

No ano de 2015, conseguiu, numa campanha invicta (pouco depois de sua queda à série D do Brasileirão), o título de campeão da Segunda Divisão do Parazão, vencendo São Raimundo por 1×0 no Zinho Oliveira.

Torcidas

Em 1999 foi organizado na Casa do Estudante Marabaense (CEMAB) em Belém, sob os auspícios dos estudantes e desportistas Denner e Donner, e mais dois amigos, Sidney Jr. e Jorge, a “Torcida dos Filhos e Amigos de Marabá”, que no ano seguinte se uniu à “Torcida do Águia de Marabá”, para realizarem a fusão que resultou na “Torcida Organizada do Águia de Marabá” (TOAM), que a partir daquele ano, passou a acompanhar o time durante as disputas oficiais e amistosas; a TOAM é a maior das organizadas do Águia.

Além da TOAM, destacam-se mais duas organizadas: Revolução Azul e Fiel da Folha 28

Futebol

Águia de Marabá começa temporada atrasado e aposta na base para o Parazão

Com dificuldades financeiras, Azulão inicia preparação apenas 15 dias antes da estreia na competição.

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

O Águia é o último entre os dez times do Campeonato Paraense a iniciar os treinamentos visando à estreia no Campeonato Paraense de 2017. A competição inicia no dia 28 deste mês e o Azulão marabaense só começou os preparativos nesta terça-feira, dia 10, portanto, 19 dias antes do primeiro jogo, contra o São Raimundo, no estádio Zinho Oliveira, em Marabá.

O time, mais uma vez comandado pelo “concursado” João Galvão, mescla jogadores experientes com as revelações da categoria de base. Os atletas foram apresentados à Imprensa e aos representantes de torcidas organizadas em uma cerimônia simples e rápida pouco antes do início dos treinos na sede do clube, no bairro Cidade Nova, em Marabá.

Ao todo, 18 jogadores já estão confirmados no elenco, alguns deles experientes, mas outros ainda sem nenhuma partida disputada em time profissional. É o caso do meia Felipinho, 20 anos, que foi destaque pelo Águia no Sub-20 e será aproveitado na equipe principal. Com ele, outros oito jogadores têm 20 anos ou menos. O caçula é Ricardo, 18 anos.

O presidente do Águia, Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, informou que o técnico João Galvão ainda vai avaliar outros jogadores da categoria de base para saber se algum deles tem condições de ser aproveitado no time principal.

Os 18 jogadores que já estão confirmados no elenco são:

  • goleiros Maieki Douglas, Marcelo e Derik;
  • lateral direito Carlos Eduardo;
  • zagueiros Roberto e Bernardo;
  • lateral esquerdo Edinaldo;
  • volantes Ramon, Wando, Robert e Caique;
  • meias Filipinho e Erick;
  • atacantes: Bruno, Vinícius, Cléo, Tiago Mandi e Dias.

Filipinho foi o único do Sub-20 que mereceu destaque de Galvão. Ele disse que observou bastante o atleta durante os jogos da base e ficou encantado com o que viu. Todavia, advertiu que não se pode colocar tanta responsabilidade sobre seus ombros e que o jogador precisa mostrar humildade e disciplina para atuar bem.

Filipinho disse que ficou bastante eufórico com o chamado para o time principal do Águia, mas que vai observar bastante os jogadores mais experientes e ouvir os conselhos do novo “professor” para poder evoluir. Bastante inseguro na entrevista, Filipinho confessou que a timidez é permanente, mas que em campo as pernas falam mais alto e o jogo flui com naturalidade.

Ferreirinha informou que a mini pré-temporada deverá terá como palco o campo da Estação Conhecimento, no núcleo São Félix. “Todos sabem que estamos passando por dificuldades financeiras, mas mesmo assim a equipe está sendo montada para disputar as duas competições que teremos neste primeiro semestre, com ajuda de alguns parceiros importantes”, disse Ferreirinha.

Um dos patrocinadores mais antigos da equipe, a Leolar, enfrenta dificuldades financeiras e por isso não estampa mais a marca na camiseta do Águia para esta temporada. A Prefeitura também é outra que está impossibilitada de injetar dinheiro na equipe. Por conta disso, a diretoria está focada no apoio de novos sócio-torcedores.

DIRETORIA AFINADA

Os discursos dos quatro membros da diretoria do Águia durante a apresentação dos jogadores foi marcado por uma palavra em comum: “união”. E motivos para a superação não faltam: a equipe é a última do Parazão a iniciar os preparativos e ainda uma das mais baratas, com vários jogadores sem experiência profissional.

O presidente Sebastião Ferreira Neto contou o bê-a-bá à equipe, repetindo a palavra “união” exatamente 13 vezes. Um a um ele apresentou os atletas, dizendo de onde vinham e a posição em que vão jogar.

Ferreirinha reconheceu o momento de fragilidade financeira, mas garantiu que a diretoria vai correr atrás para garantir o pagamento dos jogadores, como sempre fez. “Estamos iniciando atrasados por vários problemas”.

O presidente agradeceu a presença e apoio do vice-presidente do Águia, vereador Pedro Correa, do deputado estadual João Chamon, juiz federal Jonatas dos Santos Andrade, do treinador João Galvão, do gerente de futebol José Wilton, massagista Nivaldo, preparador de goleiros Wellington Ramos e do novo preparador físico do time, Alexandre Barreto. “As torcidas organizadas têm sido fundamentais para nossa equipe, inclusive neste momento de dificuldades”, reconheceu.

O vereador e presidente da Câmara Pedro Correa disse que, no passado, muito se criticou porque a dupla Galvão-Ferreirinha não dava espaço para a “prata da casa”, mas agora os jogadores jovens, de Marabá e região, estão tendo oportunidade de ouro para jogar na equipe principal. “Não se faz campeão com medalhões. Tenho certeza que a base vai mostrar seu valor neste campeonato. Temos muitos compromissos, mas tiramos um tempo em nossa agenda apertada para trabalhar para o Águia, e esperamos que vocês valorizem isso”, disse Pedrinho.

O juiz Jonatas Andrade lembrou que, no passado, Marabá era conhecida pela violência, mas a trajetória do Águia, levando o nome da cidade, ajudou a amenizar essa imagem. “A sociedade está empenhada em se livrar do estigma de violenta. E o Águia é quem melhor transmite essa mensagem. A intenção é superar o momento ruim e crescer, como fizeram a Chapecoense e o Ituano”, comparou o magistrado, que também é membro da diretoria.

Esporte

Parauapebas Futebol Clube tem novo presidente

"Uai" assumiu após a renúncia de Robervaldo Freitas

Apesar de o ato não ter tido a divulgação necessária, Robervaldo Vieira de Freitas renunciou ao cargo de presidente do Parauapebas Futebol Clube -PFC – no dia 28 de novembro passado alegando que o fez por falta de apoio para tocar o clube da forma como deve. Em seu lugar assumiu o vice-presidente, João Luiz Ribeiro, popularmente conhecido como “Uai”. “O Parauapebas é uma paixão que tenho, e para o qual sonho dias melhores”, disse Uai, afirmando que assumiu a presidência do clube pelo simples motivo da renúncia de Robervaldo, mas admitindo que sempre aguardou a oportunidade para assumir a agremiação esportiva.

Ainda de acordo com “Uai”, uma das principais motivações para a renúncia de Robervaldo foi a política.

Se depender de estrutura, agora o clube chegará no topo, pois “Uai” vem preparando nos últimos anos um excelente Centro de Treinamento onde o time poderá treinar e se preparar para os torneio. O local fica na margem esquerda da PA-275, sentido Curionópolis, próximo a Parauapebas. “Já estou arregaçando as mangas e buscando recursos para alavancar o clube, que deve pelo menos R$ 1 milhão entre direitos trabalhistas e dívidas no comércio como, por exemplo, restaurante e lojas de artigos esportivos.

Quanto a patrimônio do clube, “Uai” afirma não ter “recebido seque uma bola, camisa ou chuteira, quanto mais uma time”. Além disso, o clube está com as contas bancárias bloqueadas pela justiça. “Em resumo, do PFC só existe a diretoria da qual agora presido”.

Sobre o time, “Uai”informou que nos últimos anos o time é sempre montado de última na hora, às vésperas dos campeonatos, situação que em sua gestão será diferente. “Pretendo fazer uma “peneira” ainda nesse início de ano para encontrar talentos na região e assim formar a base do time. À essa base serão contratados apenas alguns jogadores mais experientes para completar o grupo.

A estrutura de treinamento do clube e ainda a assessoria de comunicação são indispensáveis, afirmou “Uai. “As pessoas só ficavam sabendo dos assuntos relativos ao clube se fossem ao estádio. Agora isso deve mudar, pois teremos uma assessoria de comunicação para levar as notícias do time”.

Os recursos para manutenção do clube e toda sua estrutura o presidente diz que buscará principalmente no poder público e nos empresários que devem anunciar no uniforme do time.

Quanto a dívida trabalhista (R$ 600 mil), “Uai” diz que pretende reduzí-la e saná-la pela força de negociação. Para o presidente, o regate da credibilidade e da identidade do clube é o ponto principal a ser trabalhado para que o torcedor volte ao estádio para prestigiar o clube.

UAI tem garantido apenas o restante do mandato deixado por Robervaldo, mas este se encerra em julho deste ano, período em que diz pretender trabalhar para sua reeleição e concluir seus projetos para o clube. “Conto com a ajuda do torcedor, dos empresários, da imprensa e do governo municipal – parceiros indispensáveis para o bom andamento de nossos projetos -, e com eles estou confiante que clube Parauapebas Futebol Clube voltará com tudo a divulgar de forma benéfica o nome do município.

O PFC deverá disputar a 2ª Divisão do Campeonato Paraense de Futebol, programada para novembro. Todavia, o presidente quer que o clube participe dos campeonatos sub-17 e sub-20 para criar uma base forte visando a competição de novembro.

Nos bastidores da Federação Paraense de Futebol há rumores de que pretende-se antecipar a 2ª Divisão para maio. Para tanto a FPF espera apoio do governo do Estado. Conversas nesse sentido já foram iniciadas.

Com informações de Francesco Costa.

Colunas

Rapidinhas

As últimas do cotidiano da região

Serra Pelada

O início da fase de operação do projeto da “montoeira”, que visa a exploração do rejeito do garimpo produzido em Serra Pelada, em Curionópolis, deve acontecer em março do ano que vem. A afirmação foi feita por representantes da Sona Mineração, empresa que está à frente dos trabalhos, durante a Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 4 deste mês com a Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp).

Vereadores

A sessão da Câmara Municipal de Parauapebas desta terça-feira será agitada. Além da entrega de títulos de Cidadã (o) Honorária (o), os vereadores discutirão o Projeto de Lei nº 41/2016, de autoria do Poder Executivo, que estima a receita e fixa a despesa do município de Parauapebas para o exercício de 2017.

Nomes fortes

Em conversas ao pé do ouvido com alguns articuladores da campanha vitoriosa do prefeito eleito Darci Lermen em Parauapebas cheguei à conclusão que ele (Darci) vai manter o povo que o apoiou incondicionalmente. Dito isso, aconselho ao Edson Luiz Bonetti, Kenniston Braga, Dr. Francisco II, João Correa e Pastor Jorge Guerreiro a providenciarem o terno da posse. Eles deverão ocupar, respectivamente, a chefia de gabinete, Fazenda, Semsa, e Assistência Social, a partir do dia 1º de janeiro.

Nomes fortes II

Claro que a informação acima é extra-oficial, já que o futuro alcaide já disse mais de uma vez que os nomes dos secretários só serão divulgados no dia 28 de dezembro.

Águia de Marabá

Ferreirinha, sempre ele, foi eleito ontem por aclamação presidente do Águia de Marabá par ao biênio 2017/2018. Com as finanças em baixa, ninguém apareceu para carregar a cruz.

Precatórios 

O Governo Federal deverá repassar nos próximos dias um valor milionário ao município de Parauapebas em decorrência da condenação da União ao pagamento das diferenças devidas a título de complementação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério – Fundef -, o qual foi substituído pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb. Estima-se que Parauapebas receberá algo em torno de R$61 milhões oriundos desse precatório, que está na justiça há mais de 10 anos.

Precatórios II

A direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará – Subsede de Parauapebas – fez circular nas redes sociais, no último fim de semana, um manifesto assinado por Raimundo Moura, Coordenador Geral em Parauapebas, conclamando os professores para uma manifestação em frente ao prédio da prefeitura de Parauapebas no sentido de pressionar o executivo para “repartir” tais recursos. Segundo o manifesto de Moura, cada professor teria direito a cota equivalente a R$50 mil de bônus, pagos pela prefeitura.

Precatórios III

A manifestação aconteceu e Moura pôs na mesa, creio, seu verdadeiro objetivo: pagamento dos honorários advocatícios aos corpo jurídico do Sindicato. Ora, a ação foi proposta em 20/04/2006 pelo então prefeito Darci Lermen, que contratou a empresa Morais e Fontelles Advogados Associados para tal. Em decisão do juiz Marcelo Honorato, da 1ª Vara Federal, em Marabá, fica explicito a quem deverão ser pagos os honorários R$12.355.588,10 ( doze milhões, trezentos e cinquenta e cinco mil, quinhentos e oitenta e oito reais e dez centavos) pela propositura da ação à referida empresa. O juiz determinou, também, o valor a ser repassado ao município de Parauapebas: R$61.778.440,51 ( sessenta e um milhões, setecentos e setenta e oito mil, quatrocentos e quarenta reais e cinquenta e um centavos)

Precatórios IV

Desde que o mundo é mundo o dinheiro sempre conduziu o homem para o bem ou para o mal. E em Parauapebas, claro, isso não seria diferente. Causou estranheza (para não dizer coisa pior) em muitos, o fato da vereadora Eliene Soares (PMDB) ter apresentado somente ontem (12) – depois de ter passado quatro anos sem o benefício – um requerimento encaminhado ao secretário de Educação de Parauapebas para que sua licença como professora efetiva do município fosse cancelada, acumulando assim ao cargo de vereadora. Mas claro, isso não passa de uma grande coincidência. A vereadora não estaria de olho nos R$50 mil citados pelo coordenador Moura em seu manifesto.