Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Vacinação contra gripe continua em Parauapebas

Continua depois da publicidade

imageEmbora a 15ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe tenha sido encerrada oficialmente na sexta-feira (10) pelo Ministério da Saúde, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) resolveu continuar a vacinação até o fim das doses disponíveis.

Adultos a partir de 60 anos, profissionais da saúde, portadores de doenças crônicas, crianças entre 6 meses e menores de 2 anos de idade, gestantes de qualquer idade gestacional, indígenas e puérperas (mulheres em pós-parto) são o público alvo da campanha.

Prevista originalmente para o período de 15 a 26 de abril, a campanha foi prorrogada por não ter atingido a meta de 31,30 milhões de pessoas em todo território nacional. Fato esse que se repetiu no município de Parauapebas.

A Semsa esperava vacinar aproximadamente 21 mil pessoas (80% do público-alvo na cidade), mas, de acordo com dados do próprio ministério e do Departamento de Vigilância em Saúde do município, apenas 14.583 pessoas compareceram aos postos de saúde de Parauapebas, totalizando 76,93% da meta.

Para o diretor do departamento, Marcelo Monteiro, a melhor forma de evitar o H1N1 é a prevenção, feita através da vacinação. Ainda assim, Parauapebas superou a vizinha cidade de Marabá, que conseguiu 71,10%, mas ficou abaixo de Canaã dos Carajás, que superou a meta, alcançando quase 90% do previsto.

Casos em Parauapebas

De acordo com o Departamento de Vigilância em Saúde não houveram casos confirmados de H1N1 no município no ano de 2012. Atualmente a Semsa aguarda o resultado que confirme ou não a doença em um adulto morador da cidade.

Parauapebas

Parauapebas está com baixo índice de vacinação

Continua depois da publicidade

Os dados atualizados das campanhas de vacinação divulgados hoje pela secretaria de saúde de Parauapebas apresentam um índice abaixo da meta nacional. Dos 39.380 moradores que estão dentro da meta de vacinação da SEMSA para receber a vacina H1N1, apenas 24.145 compareceram aos postos. Isso dá um percentual de pouco mais de 61%, contra os 80% da meta nacional. É preciso que a população observe a data de encerramento da campanha e procure os postos de vacinação para tomar a vacina e erradicar de vez essa terrível doença de nosso país.

Acompanhe os números divulgados pela SEMSA:

Vacinas Grupo Idade Meta Vacinados Encerramento
H1N1 Crianças 02 a 04 anos 8.272 4.517 02/07/10
H1N1 Doentes crônicos Todas 8.358 5.886 02/07/10
H1N1 Adultos Jovens 30 a 39 anos 22.750 13.742 02/07/10
Influenza Sazonal Gripe (Influenza) A partir de 60 anos 6.607 3.687 30/06/10
Sabin Crianças 0 a 04 anos 17.107 10.135 25/06/10

O Brasil ultrapassou a meta de vacinar pelo menos 80% do público-alvo para a estratégia de imunização contra a gripe H1N1. Até às 18h de ontem, dos 92 milhões de pessoas nos grupos definidos como prioritários, 81 milhões já haviam recebido a dose da vacina, de acordo com os dados informados pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, o que representa uma cobertura de 88%.

O Estado que atingiu maior cobertura foi o Paraná, com 106%, o que significa que um grupo fora do esperado foi vacinado. Em seguida, São Paulo e Santa Catarina, ambos com 97% de vacinação.

Apenas oito estados não alcançaram a meta de vacinação estabelecida,  são eles:  Roraima (69%), Amazonas (70%), Bahia (73%), Pará (75%), Mato Grosso (76%), Ceará (77%), Sergipe (77%) e Tocantins (79%).

Outras campanhas – Parauapebas

Outro dado que também está deixando a desejar em Parauapebas é o da vacina influenza sazonal, onde apenas 55% de nossos idosos compareceram para se vacinarem. Já a Sabin, contra a poliomielite, só 59% das crianças foram vacinadas.

Alerta

Se você ainda não se vacinou ou não levou seu filho, procure um posto de vacinação imediatamente. Esqueça essas bobagens que andam dizendo sobre vacinas, isso é coisa de gente ignorante e que não tem o que fazer. Só nos vacinando regularmente poderemos evitar essas doenças. Prevenir é o melhor remédio.

[ad code=3 align=center]

Saúde

Vacina contra H1N1 pode causar diagnóstico falso para Aids

Continua depois da publicidade

Pessoas que foram vacinadas contra a gripe suína podem ter falsos diagnósticos positivos para Aids caso façam o exame de HIV em menos de 30 dias após terem recebido a dose. A constatação levou o Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde a encaminhar uma nota técnica aos profissionais de saúde alertando para a necessidade de se fazer contraprova em pacientes nesta situação.

De acordo com o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, o “falso positivo” para Aids ocorreu em um número reduzido de pessoas. “As pessoas que se vacinaram e tiverem de fazer o exame devem aguardar 30 dias. Caso seja uma questão de urgência, como as grávidas, devem avisar que foram vacinadas e, caso o resultado dê positivo, devem fazer a contraprova”, explicou o ministro. “Isso acontece num número pequeno de pessoas”, afirmou em nota à imprensa, o departamento de DST/AIDS explicou que a alteração no resultado se dá pelo aumento do nível de anticorpos (IGM) após a vacina.

O exame comum de HIV (Elisa) acaba confundindo este aumento com o soropositivo, mas o mesmo não ocorre com a contraprova feita através do exame Western Blot. “O Elisa é um exame muito sensível, que detecta muitos tipos de infecção. Já o Western Blot é mais preciso”, explicou o infectologista Edmilson Migowski, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Segundo o infectologista, as vacinas contra a gripe comum também provocam este tipo de resultado, nestas condições. “Isto vem escrito, inclusive, na bula”. De acordo com Migowski, o prazo ideal para que o sistema imunológico não acuse o “falso positivo” é de 3 meses. Segundo a assessoria de imprensa do departamento, nenhum paciente chegou a receber o resultado positivo por engano, uma vez que sempre que há um primeiro laudo que confirme o soropositivo, o material é submetido ao exame Western Blot antes da comunicação ao paciente.

CONTRAPROVA

A nota técnica recomendando a contraprova aos pacientes que se submeteram a vacina em menos  de 30 dias foi enviada a profissionais de saúde de todo o País, no dia 6 deste mês. Segundo a assessoria de imprensa, a medida foi tomada depois que uma publicação estrangeira alertou para o fato. O Ministério da Saúde reiterou a importância de que os grupos prioritários tomem a vacina contra H1N1.

Fonte: Agência Estado

[ad code=2 align=center]

Notícias

H1N1

Continua depois da publicidade

A Justiça Federal do Paraná determinou ontem, em decisão liminar, que a vacina contra a gripe A (H1N1) seja disponibilizada para toda a população do Estado, e não apenas para os grupos estabelecidos no cronograma de vacinação do Ministério da Saúde.

O Pará, campeão de óbitos decorrentes do vírus, também poderia tomar essa atitude. Com a palavra o MP.

[ad code=1 align=center]

Continua depois da publicidade

10 de abril – sábado – este será o Dia D de vacinação contra H1N1 para a população parauapebense de 20 a 29 anos. A ação vacinação estará acontecendo nas Unidades Básicas de Saúde – UBS, nas escolas Primavera, Eunice Moreira Cecilia Meireles, Faruk Salmen, Igrejas Católica – Comunidade São Pedro e Assembleia de Deus Terra Santa, bem como CRAS e Hospital Yutaka Takeda, em Carajás.

Notícias

Agora são 26 o número de mortos por gripe suína no Pará

Continua depois da publicidade

A Secretaria Estadual de Saúde do Pará informou nesta quarta-feira que subiu para 26 o número de mortes por gripe suína no Estado no período de 3 de janeiro a 3 de abril. Oito vítimas eram grávidas.

Ao todo, segundo a secretaria, já foram notificados 491 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave com hospitalização. Desses, 183 foram confirmados para Influenza pandêmica, 230 foram descartados após análises e outros 78 pacientes ainda aguardam resultado de exames laboratoriais.

Os óbitos ocorreram em 17 dos 143 municípios do Estado, sendo a maioria no nordeste e na região metropolitana paraense. As cidades onde mais houve óbitos foram a capital e Parauapebas, no sudeste do estado, com três mortes, além de Ananindeua, na região metropolitana e Santarém, no oeste paraense, com duas mortes cada.

O Hospital Santa Casa de Misericórdia confirmou nesta quarta que o caso de um índio Munduruku de 59 anos, nascido no município de Itaituba, sudoeste paraense, é gripe A. O índio está internado no hospital desde o dia 24 de março e teve seu diagnóstico confirmado no dia 29 do mesmo mês. De acordo com o boletim médico, o indígena tem estado geral bom.

Saúde

Em uma semana o Pará registrou 5 mortes por gripe suína e 283 novos casos. Em 2010, já são 478 casos.

Continua depois da publicidade

Os casos de gripe suína confirmados no Pará aumentaram 1/3 em apenas uma semana.

De acordo com os números do último boletim da Coordenação de Vigilância Sanitária à Saúde da Secretaria de Saúde Pública  (SESPA), divulgados ontem, entre 3 de janeiro e 6 de março foram notificados 195 casos de infecção pelo vírus H1N1. Já no período entre os dias 7 e 13 de março, ou seja, em apenas uma semana, foram registrados 283 casos, um aumento de 41%.

Os dados da SESPA mostram que 17 pessoas morreram infectadas pelo vírus H1N1 em 74 dias e que houve um aumento de cinco casos fatais em apenas uma semana, Entre os óbitos, estão sete grávidas. Duas mortes suspeitas ainda não foram confirmadas e aguardam resultado de exame laboratorial.

Parauapebas

No município de Parauapebas, conforme informações do Secretário de Saúde, Evaldo Benevides Alves, foram 4 casos de infecção pelo vírus H1N1 confirmados via exames laboratoriais. Existem ainda 40 casos suspeitos que aguardam resultados.

Ainda segundo o secretário, está confirmado que o vírus H1N1 circula em nosso município. Fato que eleva Parauapebas à ser classificada, pela classe médica, como de risco e merecedora de atenção especial. É preciso que a população fique atenta aos sintomas provocados pelo vírus H1N1 e procure imediatamente ajuda profissional nos postos de saúde ou hospitais, já que o resultado dos exames demoram cerca de 10 dias para serem confirmados pelo LACEN – Laboratório Central, responsável pelos exames no Estado do Pará.

[ad code=2 align=center]

Parauapebas

H1N1

Continua depois da publicidade

A equipe da vigilância sanitária da Secretaria de Saúde de Parauapebas estará se reunindo na próxima sexta-feira, a partir das 8:00 horas, na Câmara Municipal, para uma palestra visando esclarecer os professores da rede pública de ensino sobre a Influenza A (H1N1).

A campanha de vacinação teve início ontem para os funcionários da saúde. No sábado (6) será o dia “D” para imunizar as gestantes, que deverão comparecer nos seguintes locais para receber a vacina:

Centro de Saúde dos bairros: Cidade Nova, Rio Verde, Liberdade, Altamira, Palmares I e II, no Materno Infantil e Hospital Yutaka Takeda.