Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
comércio

Jacundá: Feira do Produtor luta pela sobrevivência

A nossa intenção era a de reunir todos os agricultores e agricultoras para trazer sua produção e comercializar diretamente para o consumidor

Criada no dia 28 de julho do ano passado, em comemoração ao Dia do Produtor Rural, a feira livre de Jacundá luta pela sobrevivência no entra e sai de gestores públicos. Inicialmente reunida ao lado do prédio da Câmara Municipal, depois para o galpão da Feira Municipal e posteriormente para a Avenida Cristo e novamente para o galpão da Feira Municipal. A mudança tem deixado feirantes e fregueses num estado confuso.

Idealizado pelo Sindicato dos Trabalhadores Agricultores e Agricultoras de Jacundá, a Feira do Produtor Rural de Jacundá reuniu feirantes pela primeira vez no dia 28 de julho do ano passado ao lado do prédio da Câmara de Vereadores. “A nossa intenção era a de reunir todos os agricultores e agricultoras para trazer sua produção e comercializar diretamente para o consumidor. A ideia foi boa, mas o entra e sai de prefeito está afetando o andamento do projeto”, diz a presidente do Sindicado dos Trabalhadores Rurais, Vera Lúcia.

“Temos queijo Minas Frescal e queijo Minas frescal temperado de cheiro-verde, pimenta, azeitona e orégano. Temperado custa R$ 10 reais e frescal normal a R$ 8 reais. Entregamos à domicílio”. Com essa propagando, a feirante Pricila Paiva anuncia seus produtos. “Nos três lugares que passamos a minha preferência é pela Avenida”.

Do lado da Câmara de Vereadores, onde funcionou por três vezes, a Feira do Produtor foi realocada para o galpão da Feira Municipal por orientação do prefeito José Martins de Melo Filho, o Zé Martins. Após o seu segundo afastamento, o então prefeito Ismael Barbosa, através de reunião com feirantes a transferiu para a Avenida Cristo Rei. Ao retornar à Prefeitura, Zé Martins a levou de volta para o galpão da Feira Municipal. A próxima edição da feira está prevista para o dia 17, e para os feirantes resta saber onde ela funcionará, já que o prefeito é Ismael Barbosa.

Fotos: Rosilene Penalva
justiça

Ao estilo “fica rico, fica pobre”, prefeito de Jacundá é afastado pela 5ª vez

Lembrando trecho famoso de Chicó, do Alto da Compadecida, prefeito de Jacundá é afastado por determinação judicial
Com informações de Antonio Barroso – de Jacundá

O prefeito de Jacundá, José Martins de Melo Filho, o Zé Martins (PMDB), bem poderia ser comparado ao personagem Chicó, do Alto da Compadecida, por sua famosa frase “tô cansado dessa agonia fica rico, fica pobre”. No caso de Martins, a agonia é entrar e sair do cargo de prefeito, ora por determinação judicial, ora por decisão da Câmara Municipal. Entre idas e vindas lá se vão quatro chegadas e partidas no cargo de gestor municipal em sete meses.

O mais recente afastamento, ocorrido nesta quinta-feira, 1º de fevereiro, foi por determinação do Juízo da Comarca local. Apesar de a Comissão Processante da Câmara Municipal de Jacundá não ter encerrado seus trabalhos e apresentado relatório, o prazo ainda estava em vigência, devido à decisão liminar proferida em um Agravo de Instrumento que afastou Zé por um período de 180 dias.

O presidente da Câmara Municipal tem o prazo de 24 horas para retornar o vice-prefeito Ismael Barbosa para o comando da Prefeitura de Jacundá. A decisão da Justiça local foi favorável ao mandado de segurança impetrado pela vereadora Eliane Santos Pinheiro no dia 10 de janeiro. A multa pela desobediência é de R$ 5 mil por dia. O gestor municipal pode ficar afastado por 180 dias, enquanto a posse de Ismael acontecerá amanhã, em cerimônia na Câmara de Vereadores.

ENTENDA O CASO

A Câmara Municipal de Jacundá aceitou duas denúncias contra o prefeito José Martins. Uma para apurar crimes político- administrativos e a outra de investigação para apurar denúncias de improbidade administrativa. “A primeira comissão foi decidida pela

maioria dos vereadores pelo arquivamento na sessão do dia 26 de dezembro de 2017. Porém, o presidente, usando de suas atribuições de forma arbitrária e com motivação falsa e ilegítima, baixou decreto de cancelamento da referida comissão, da qual sou relatora, sem me comunicar e sem que eu entregasse algum relatório a ele e nem à justiça”, contesta a vereadora Lane Pinheiro.

Ela alegou à Justiça que não houve conclusão dos trabalhos da comissão no prazo de 60 dias, prorrogáveis por mais 30 dias. E o prazo final para conclusão dos trabalhos ocorreu no dia 5 de dezembro do ano passado, sem que a comissão tivesse praticado qualquer ato, a exceção do próprio afastamento do prefeito.

E o juiz entendeu que “apesar de a comissão não ter encerrado seus trabalhos e apresentado relatório, o prazo ainda estava em vigência, devido à decisão liminar proferida em um Agravo de Instrumento que afastou o prefeito por seis meses. Esse prazo foi razoável pela desembargadora Rosileide Maria da Costa Cunha, relatora do referido processo, para que a Câmara Municipal ultimasse os trabalhos de apuração das supostas irregularidades que deram origem ao afastamento de Zé Martins”, explica Lane.

O juiz da Comarca de Jacundá, Edinaldo Antunes Vieira, decidiu por três atos. “A suspensão do Decreto Legislativo que extinguiu a Comissão Especial instituída pela própria Câmara; restabelecimento dos efeitos de um Decreto Legislativo com o consequente afastamento do prefeito Zé Martins, conforme decidido liminarmente em Agravo de Instrumento; e, por último, o retorno do vice Ismael Gonçalves Barbosa ao cargo de prefeito municipal de Jacundá, observando-se o prazo de 180 dias assinado pela desembargadora relatora do Agravo de Instrumento.

Lindomar Marinho, presidente da Câmara, tem o prazo de 24 horas para cumprir a ordem da Justiça. “A presente decisão deverá ser cumprida pelo impetrado no prazo máximo de 24 horas, contado da intimação da presente decisão”, determinou o magistrado.

A Reportagem do blog contatou o presidente Lindomar Marinho, que anunciou que convocará reunião com os vereadores da base aliada para analisar a situação jurídica com a Procuradoria da Câmara de Vereadores. Todavia, não confirmou se pretende recorrer ou se vai cumprir a decisão.

sindicato

Jacundá: Sindicato dos Trabalhadores reúne categoria

Cerca de cem agricultores e agricultoras familiares do município de Jacundá, sudeste do Estado, debateram no sábado, 27, os rumos do desenvolvimento rural e ao mesmo tempo aprovaram relatório das atividades de 2017.

Há dois anos à frente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do município de Jacundá, a sindicalista Vera Lúcia Batista, explica que o encontro teve quatro objetivos: apresentação de relatório das atividades desenvolvidas durante o ano passado, prestação de contas da diretoria executiva, discussão e votação do planejamento anual estratégico e discussão e votação do orçamento sobre o programa deste ano. “Nós, como representante da classe trabalhadora, precisamo prestar contas de tudo que realizamos, e ouvir a categoria para traçar novas metas”.

Como exemplos de conquistas de 2017, a sindicalista lista a realização da Feira do Produtor, a legalização do sindicato e reuniões com agentes fomentadores. “Além disso, intermediamos a aquisição de 40 toneladas de calcário e compramos 5 quilos de sementes de açaí, pois sabemos que o desenvolvimento de Jacundá está ligado à agricultura, porém, com muitos desafios”.

Entre esses desafios, Vera Lúcia cita problemas relacionados à infraestrutura do município. “Estradas e pontes representam uma pedra no sapato. Não se pode falar em desenvolver o campo sem ter boas estradas”. Para que seja solucionada essa questão, ela aponta para que seja implementada uma política de desenvolvimento capitaneada pelo governo municipal.

Para este ano, a líder sindical acredita que os trabalhos serão redobrados. “Pretendemos dobrar o volume de calcário transportado para Jacundá e trabalhar a recuperação de áreas degradas a partir do plantio de fruticultura, como o açaí”.

Durante o encontro os sindicalistas participaram de palestras sobre INSS Digital e perdas de direitos sociais. O deputado estadual Carlos Bordalo e a advogada Cláudia de Souza Vieira e o advogado Renan Freitas discorreram sobre previdência social.

Jacundá

Jacundá: Aprovados em concurso querem homologação

Homologação por parte da prefeitura deveria ter sido feita em dezembro do ano passado

Na manhã desta segunda-feira, uma manifestação pacífica na frente da Prefeitura de Jacundá pediu agilidade na homologação do concurso público aplicado ano passado. Concurseiros aprovados no certame reivindicam o cumprimento do Edital nº 001/2017 que trata da Reaplicação da Prova Objetiva do concurso. O prazo para homologá-lo seria dia 29 de dezembro do ano passado.

“Reivindicamos a homologação do concurso público da Prefeitura de Jacundá que deveria ter sido homologado pelo chefe do poder executivo em 29 de dezembro de 2017, segundo o cronograma da empresa organizadora do concurso. Além disso, exigimos a imediata convocação e nomeação dos aprovados, uma vez que a contratação de pessoal para atuar no serviço público municipal é uma constante, ato que contraria todas as leis federais estaduais e municipais que determinam que o concurso público é a única forma lícita de ingressar no serviço público”, explica um dos organizadores do movimento, o professor José Ailton.

Para pedir agilidade ao Poder Executivo na homologação do concurso público 2017, o pequeno grupo de consurseiros aprovados se reuniu em frente a Prefeitura Municipal. Alzira Alves diz que “até o momento não existe nenhum impedimento legal que impeça o Poder Executivo em homologar esse concurso. Temos direito líquido e certo nas nossas vagas, conforme manda a Legislação Federal. Então convidamos todos os 270 aprovados para participar dessa manifestação para que a legislação seja cumprida”.

A publicação do resultado final da Prova Objetiva para todos os cargos aconteceu no dia 29 de novembro de 2017, enquanto o resultado da classificação final da prova objetiva + título para todos os cargos de nível superior foi finalizado no dia 22 de dezembro. Em seguida, deveria ser homologado pelo prefeito municipal, no caso José Martins de Melo Filho, o Zé Martins.

O prefeito José Martins de Melo Filho está viajando e não pode conversar com os manifestantes, que prometeram retornar amanhã, terça-feira (23), para continuarem a reivindicação. A Reportagem entrou em contato com a chefia de gabinete da PMJ, que confirmou a viagem do gestor.

Matemática

Obmep premia educação de Jacundá

A OBMEP - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas já está em sua 13° edição e é uma realização da Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).
Por Antonio Barroso – correspondente em Jacundá

Em mais uma edição de premiação da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), o município de Jacundá foi bem representado ao conquistar 18 premiações. A cerimônia de entrega de medalhas e certificados revelou alunos das escolas Rosália Correia, Coronel João Pinheiro, Maria da Glória R. Paixão e Raimundo Ribeiro, e também a escola particular Arte de Educar.

O estudante da escola Maria da Glória Rodrigues Paixão, Thiago Henrique Marques, é medalhista na OBMEP. Ele conquistou sua primeira medalha no certame de conhecimento matemático. Com uma medalha de prata, o estudante é destaque entre os municípios paraenses a conquistar a premiação.

Gabriela Silva Martins, aluna da E.M.E.F. Rosália Correia; Camille Santos Leal – E.M.E.F. Professora Maria da Glória. R. Paixão; Ana Karolina Sousa Dias – E.M.E.F. Deputado Raimundo Ribeiro; Milena Pereira Cruz – E.M.E.F. Rosália Correia; e Pedro Rafael Rocha Stermer – Escola Arte de Educar também receberam premiação.

Os alunos de Jacundá participam da Obmep desde 2005. Em 12 anos, diversas medalhas foram conquistadas, inclusive, uma medalha de ouro no ano de 2014. Ao longo desses 12 anos o município de Jacundá vem ganhando seu espaço através da participação de alunos da cidade e do Campo com Menções Honrosas, Medalhas de Bronze, Prata e Ouro. Jacundá também é destaque com a participação e premiação de alunos surdos, o que é fruto de um importante processo de inclusão e diversidade.

A OBMEP – Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas já está em sua 13° edição e é uma realização da Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

comércio

Ideflor-bio vai cadastrar pescadores e compradores do Lago de Tucuruí

O cadastramento faz parte das atribuições prevista na lei de criação da APA Lago de Tucuruí

O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio) vai realizar o cadastramento do todos os pescadores e compradores de pescado (intermediários) que utilizam os recursos pesqueiros do Mosaico de Unidades de Conservação Lago de Tucuruí.

O cadastro inicia por Tucuruí e Breu Branco a partir do dia 22 e seguindo até o dia 3 de fevereiro. Pescadores e compradores dos municípios de Novo Repartimento, Goianésia do Pará, Jacundá, Itupiranga, Nova Ipixuna e Marabá também deverão realizar o cadastro até o dia 10 de março, prazo final do cadastramento.

Mariana Bogéa, gerente do Mosaico do Lago de Tucuruí, explica que o cadastramento faz parte das atribuições prevista na lei de criação da APA Lago de Tucuruí e será integrado ao Sistema de Monitoramento do Desembarque Pesqueiro e Aquícola do Mosaico Lago de Tucuruí, que irá emitir o documento oficial de identificação dos usuários dos recursos pesqueiro do Mosaico, assim como o comprovante de produção dos pescadores. “O cadastro é gratuito, e os pescadores e comerciários não pagarão nenhuma taxa para efetivar o cadastramento e nem para adquirir a declaração junto às entidades do setor da Pesca”, enfatiza a gerente.

O Sistema de Monitoramento tem o apoio da Justiça Federal, Ministério Público Federal e da Polícia Federal, com o objetivo de auxiliar nas práticas adotadas por esses órgãos para coibir os ilícitos que envolvem o setor da pesca.

Os convocados deverão comparecer aos locais indicados no Chamado Público publicado no Diário Oficial do Estado do Pará n° 33527, de posse dos documentos pessoais e de específicos como o original e cópia da carteira de Pescador Profissional Artesanal (RGP); carteira da entidade de classe a qual é filiado; declaração da entidade representante de classe preenchida e assinada pelo representante legal da entidade; documento de comprovação de propriedade de embarcação, quando houver.

Mais informações:

Sede das colônias de Pescadores dos municípios envolvidos.

Sede do Ideflor-bio em Belém (AV. João Paulo II, s/n. Curió-Utinga) ou em Tucuruí (Rua Groelândia, n°01. Vila Marabá), de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

Ou por meio do e-mail: grtuc.ideflorbio@gmail.com

Os cadastramentos serão realizados nos seguintes períodos e locais:

Período

Público

Local de cadastramento

Horário

22/01/2018 à 03/02/2018

Pescadores e Compradores dos municípios de Tucuruí e Breu Branco

Sede do Mosaico Lago de Tucuruí (Rua Groelência, n°01. Vila Marabá-Tucuruí)

08:00 às 12:00 e de 14:00 às 18:00 horas.

05/02 à 10/02/2018

Pescadores e Compradores do Município de Novo Repartimento

Barracão da Colônia de Pescadores Z-78 Novo Repartimento – Polo Pesqueiro.

12/02 à 17/02/2018

Pescadores e Compradores do município de Goianésia do Pará

Sede da Colônia de Pescadores Z-61 Goianésia do Pará, na Vila São Pedro.

19/02 à 24/02/2018

Pescadores e Compradores do município de Jacundá

Sede da Colônia de Pescadores Z-43 de Jacundá.

26/02 à 03/03/2018

Pescadores e Compradores do município de Itupiranga e Nova Ipixuna

Sede da Colônia de Pescadores Z-44 Itupiranga.

05/03 à 10/03/2018

Pescadores e Compradores do município de Marabá

Sede da Colônia de Pescadores Z-30 de Marabá.

Jacundá

Denúncia sobre concurso público de Jacundá no Ministério Público

A nova denúncia traz nomes de servidores e até de ex-servidores da Prefeitura; aponta também o nome de um vereador da cidade

Um documento de seis páginas e endereçado ao Ministério Público Estadual em Jacundá expressa, logo no início, que “por motivo de segurança e no intuito de preservar a estrutura física e mental dos candidatos envolvidos na denúncia que segue, gostaríamos que a mesma seguisse em segredo de justiça”; isso não aconteceu. Por algum motivo, o material vazou e caiu nas redes sociais. Nele, inúmeras denúncias contra o concurso público de Jacundá aplicado no ano passado para o provimento de vagas na administração pública municipal. A Reportagem não citará nomes dos denunciados em decorrência de o Ministério Público ainda estar analisando o documento.

A reaplicação das provas do concurso público da Prefeitura de Jacundá aconteceu no dia 29 de setembro do ano passado. Antes, o mesmo ocorreu em 2016. E diante de dezenas de irregularidades apontadas pelos candidatos, a empresa Inaz do Pará aceitou o cancelamento referendado pela Prefeitura de Jacundá, contratante do certame.

A nova denúncia traz nomes de servidores e até de ex-servidores da Prefeitura, e aponta também o nome de um vereador da cidade; acusa ainda um ex-presidente de licitação à época. “Quatro concorrentes ligados ao ex-presidente da Comissão de Licitação, e inclusive o próprio ex-presidente foram aprovados, conforme é possível conferir no site da empresa que realizou o concurso”. O documento denuncia quatro familiares do ex-presidente da comissão passaram no certame.

Riquezas de detalhes fornecidas no documento dão uma noção da gravidade das supostas irregularidades encontradas na aplicação do concurso: “não podemos deixar de citar aqui também os nomes das pessoas que todos nós concurseiros sabíamos que seriam cartas marcadas para o cargo de Agente de Trânsito. Inclusive, foram feitos vários posts nas redes sociais com as iniciais dos possíveis fraudadores, com a divulgação do resultado parcial e final divulgado pela empresa Inaz do Pará, só veio confirmar a veracidade das suspeitas que nós já tínhamos. Todos os nomes abaixo são citados, em outra suspeita de fraude, durante a primeira aplicação da prova escrita no ano de 2016, onde a empresa Inaz do Pará divulgou uma lista em que nenhum dos concorrentes aparece como classificado e logo em seguida a empresa exclui a mesma, e divulga outra lista onde os mesmos aparecem como aprovados”.

Ao final do documento, “requerem-se ao Ministério Público que sejam tomadas as providências cabíveis, abrindo-se investigação minuciosa, quebra do sigilo telefônico dos envolvidos afim que sejam tomadas todas as medidas para a elucidação desta grave denúncia que, se continuar impune, vem a prejudicar a ordem da justiça e violar o direito de milhares de pessoas que se sentem lesadas neste momento”.

E finaliza com os seguintes anexos:

  1. Assinaturas dos candidatos colaboradores da denúncia;
  2. Lista parcial de agente de trânsito, 2016;
  3. Lista final de agente de trânsito ,2016;
  4. Lista final de agente de trânsito, 2017;
  5. Gabarito agente de trânsito 2016;
  6. Gabarito agente de trânsito, 2017;
  7. Publicação do Facebook, 2017;
  8. Gabarito, nível fundamental completo, 2016;
  9. Resultado final para agente de trânsito, 2017.
festival

Daniel Batista vence 1º FestGospel de Jacundá

Daniel Batista, com nome artístico de Dan Batista, tem 20 anos, e canta desde os 4 anos de idade. “Sempre gostei de música e canto na igreja”.

O campeão do 1º Fest Gospel Jacundá é o jovem Daniel Batista, da Igreja Batista Nacional Missionária. Com a música “Dependo de ti”, composta por Paulo César Baruk, o cantor fez uma interpretação contagiante. Ele concorria com mais 14 candidatos. O evento foi realizado na noite de sábado, 30, no salão de evento da Loja Maçônica de Jacundá.

Ailton Caldas, idealizador e também um dos organizadores do evento, disse que o festival de música gospel de Jacundá reuniu 70 participantes. Os candidatos enfrentaram três fases. A primeira etapa aconteceu logo após as inscrições, foram as audições. Depois veio a apresentação pública onde 30 candidatos participaram. “E no sábado, 30 de dezembro, realizamos a final do festival com a participação de 15 cantores”, diz Ailton.

Daniel Batista, com nome artístico de Dan Batista, tem 20 anos, e canta desde os 4 anos de idade. “Sempre gostei de música e canto na igreja”. Sobre o resultado do concurso, ele disse que não ambicionava. “Surpreso, pois não esperava, e bastante alegre não só pelo prêmio, mas por ter conseguido ter feito uma performance que fosse aprovada nos quesitos de julgamento dos jurados”.

Dan considera que todos os finalistas são vencedores. “Na verdade penso que todos venceram por conseguirem ir pra final. Vencerem o medo e cantaram bem e com a alma. Não sei explicar o que me fez vencedor. Acho que cantar bem, não é cantar alto ou gritar, cantar bem é dominar a música e conseguir mostrar técnicas dentro da afinação é melodia e harmonia”.

Classificação do Festgospel

1º Daniel Batista – Música: Dependo De Ti – Composição: Paulo César Baruk – Igreja: Batista Nacional Missionária.

2º Jadison Oliveira – Música: Uma Coisa Nova – Composição: Marquinhos Gomes – Igreja: Adventista.

3º Kassandra Oliveira – Música: Aquieta Meu Coração – Composição: Zoe – Igreja: Quadrangular.

4º Cleyza Ribeiro – Música: Basta Acreditar – Composição: Sarah Beatriz – Igreja: Assembleia de Deus.

5º Camila Trindade – Música: Para Sempre – Composição: Ministério Avivah – Igreja: Assembleia de Deus Madureira.

6º Magno Negreiro – Música: Águas Profundas – Composição: Tony Allyson – Igreja: Católica.

error: Conteúdo protegido contra cópia!