Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
comércio

Ideflor-bio vai cadastrar pescadores e compradores do Lago de Tucuruí

O cadastramento faz parte das atribuições prevista na lei de criação da APA Lago de Tucuruí

O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio) vai realizar o cadastramento do todos os pescadores e compradores de pescado (intermediários) que utilizam os recursos pesqueiros do Mosaico de Unidades de Conservação Lago de Tucuruí.

O cadastro inicia por Tucuruí e Breu Branco a partir do dia 22 e seguindo até o dia 3 de fevereiro. Pescadores e compradores dos municípios de Novo Repartimento, Goianésia do Pará, Jacundá, Itupiranga, Nova Ipixuna e Marabá também deverão realizar o cadastro até o dia 10 de março, prazo final do cadastramento.

Mariana Bogéa, gerente do Mosaico do Lago de Tucuruí, explica que o cadastramento faz parte das atribuições prevista na lei de criação da APA Lago de Tucuruí e será integrado ao Sistema de Monitoramento do Desembarque Pesqueiro e Aquícola do Mosaico Lago de Tucuruí, que irá emitir o documento oficial de identificação dos usuários dos recursos pesqueiro do Mosaico, assim como o comprovante de produção dos pescadores. “O cadastro é gratuito, e os pescadores e comerciários não pagarão nenhuma taxa para efetivar o cadastramento e nem para adquirir a declaração junto às entidades do setor da Pesca”, enfatiza a gerente.

O Sistema de Monitoramento tem o apoio da Justiça Federal, Ministério Público Federal e da Polícia Federal, com o objetivo de auxiliar nas práticas adotadas por esses órgãos para coibir os ilícitos que envolvem o setor da pesca.

Os convocados deverão comparecer aos locais indicados no Chamado Público publicado no Diário Oficial do Estado do Pará n° 33527, de posse dos documentos pessoais e de específicos como o original e cópia da carteira de Pescador Profissional Artesanal (RGP); carteira da entidade de classe a qual é filiado; declaração da entidade representante de classe preenchida e assinada pelo representante legal da entidade; documento de comprovação de propriedade de embarcação, quando houver.

Mais informações:

Sede das colônias de Pescadores dos municípios envolvidos.

Sede do Ideflor-bio em Belém (AV. João Paulo II, s/n. Curió-Utinga) ou em Tucuruí (Rua Groelândia, n°01. Vila Marabá), de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

Ou por meio do e-mail: grtuc.ideflorbio@gmail.com

Os cadastramentos serão realizados nos seguintes períodos e locais:

Período

Público

Local de cadastramento

Horário

22/01/2018 à 03/02/2018

Pescadores e Compradores dos municípios de Tucuruí e Breu Branco

Sede do Mosaico Lago de Tucuruí (Rua Groelência, n°01. Vila Marabá-Tucuruí)

08:00 às 12:00 e de 14:00 às 18:00 horas.

05/02 à 10/02/2018

Pescadores e Compradores do Município de Novo Repartimento

Barracão da Colônia de Pescadores Z-78 Novo Repartimento – Polo Pesqueiro.

12/02 à 17/02/2018

Pescadores e Compradores do município de Goianésia do Pará

Sede da Colônia de Pescadores Z-61 Goianésia do Pará, na Vila São Pedro.

19/02 à 24/02/2018

Pescadores e Compradores do município de Jacundá

Sede da Colônia de Pescadores Z-43 de Jacundá.

26/02 à 03/03/2018

Pescadores e Compradores do município de Itupiranga e Nova Ipixuna

Sede da Colônia de Pescadores Z-44 Itupiranga.

05/03 à 10/03/2018

Pescadores e Compradores do município de Marabá

Sede da Colônia de Pescadores Z-30 de Marabá.

Produção em tanques redes no Lago de Tucuruí é uma das maiores do Brasil

Criação de peixes em tanque rede

A região possui um Mosaico de Unidades de Conservação para ajudar na pesca e aquicultura, que servem de fomento à economia local.

O programa Nossa Terra, da Rádio Nacional da Amazônia, falou sobre a produção em tanques redes no Lago do Tucuruí, uma das maiores do Brasil. A edição dessa quarta-feira (7) trouxe ao conhecimento dos ouvintes o trabalho do Mosaico de Unidades de Conservação do lago, local onde a pesca e aquicultura servem de fomento à economia da região.
O programa entrevistou o produtor do Projeto Piscicultura Paraíso, Gilberto Vaz, que explicou como funciona o trabalho em tanques redes na região do Lago do Tucuruí. Ele contou que em 2007 o projeto iniciou suas atividades por lá, com a instalação de 63 tanques redes fabricados por ele mesmo, a pedido do prefeito. Naquela época, o objetivo era a criação de pirapitinga, a única espécie permitida para ser criada em tanques redes no lago.

Projeto no Pará incentiva criação de peixes em tanques de lona
Após algumas dificuldades no manejo da espécie e de outras que foram inseridas no projeto com o tempo, Gilberto Vaz explicou que a Piscicultura Paraíso tem conseguido fazer dois ciclos por ano, de seis meses cada. “Foi um feito que realmente nos deu grande estímulo e um salto na nossa produtividade”, ressaltou.
Atualmente, o projeto conta com 163 tanques instalados, o que representa 200 toneladas de peixe por ano. “Hoje, a nossa produção é escalonada e tirarmos uma base de 12 toneladas por mês”, disse Gilberto Vaz.

Fonte: Rádios EBC

Produção de tambaqui no Lago Tucuruí atenderá a 35 mil famílias

Cidade de Breu Branco será a primeira beneficiada pelo projeto. Com 52.498 habitantes, sua economia regional se destaca pelo grande potencial de desenvolvimento nas atividades da aquicultura

lago de TucuruiO Projeto Tambaqui no Lago do Tucuruí, localizado no sudeste do Pará, foi o tema do encontro do ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, com o deputado federal pelo Pará Miriquinho Batista (PT), o prefeito de Breu Branco, Adimilson Mezzomo, e a vereadora da cidade Rosana Loureiro na quarta-feira (21).

O município de Breu Branco será o primeiro beneficiado pelo projeto. Com 52.498 habitantes, sua economia regional se destaca pelo grande potencial de desenvolvimento nas atividades da aquicultura. O convênio já firmado com o MPA garantirá a construção e instalação de uma unidade de beneficiamento de pescado

De acordo com o deputado Miriquinho o projeto está em discussão há 9 anos e já foram realizados estudos técnicos que comprovaram o tambaqui como a melhor espécie para reprodução no lago. Ao todo, a criação desse pescado na região do lago atenderá em média a 35 mil famílias.

A vereadora Rosana Loureiro acredita em novo marco para o desenvolvimento sustentável da região do lago. “A economia local será alavancada, e vai melhorar o padrão de vida dos ribeirinhos que ali vivem”, destacou a vereadora.

error: Conteúdo protegido contra cópia!