Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Bancos

Sicredi realiza leilão de imóveis nos municípios de Parauapebas, Marabá e Redenção.

Em Parauapebas, o leilão ocorrerá no dia 24 de julho, às 10 horas, na agência Sicredi localizada na Rua E, bairro Cidade Nova.

A cooperativa Sicredi Sudoeste MT/PA vai realizar leilão de imóveis nos municípios de Parauapebas, Marabá e Redenção. Serão ofertados diversos imóveis como terrenos, chácaras, áreas rurais, imóveis residenciais e comerciais.

Vale destacar que os imóveis poderão ser arrematados por associados e também por não associados da cooperativa.

Em Parauapebas, o leilão ocorrerá no dia 24 de julho, às 10 horas, na agência Sicredi localizada na Rua E, bairro Cidade Nova.

Já em Marabá, será no dia 27 de julho, às 10 horas, na agência Sicredi localizada na Av. VP-8, Folha 32, bairro Nova Marabá.

No caso de Redenção, será no dia 09 de agosto, às 10 horas, na agência Sicredi com endereço na Av. Brasil, Centro.

Todos os leilões ocorrerão na modalidade presencial e online. Outras informações, assim como o edital dos leilões e a participação online, poderão ser acessadas pelo site www.norteleiloes.com.br.

O Sicredi – Sistema de Crédito Cooperativo – opera com 118 cooperativas de crédito, representada com 1.523 unidades de atendimento e postos avançados, distribuídos em 20 estados brasileiros.

Energia Elétrica

Estado do Pará receberá investimentos de R$ 1,2 bilhão em energia

Linhas de transmissão que atenderão região oeste do estado foram incluídas a pedido do ministro Helder Barbalho

O estado do Pará vai receber investimentos de mais de R$ 1,2 bilhão em linhas de transmissão de energia. O leilão de transmissão nº 5/2016, promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), foi realizado nesta segunda-feira, dia 24, em São Paulo. Foram oferecidos 35 lotes. Os cinco lotes ofertados com empreendimentos no Pará foram todos arrematados e resultarão em mais desenvolvimento econômico para o estado e novas oportunidades para a população paraense.

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, destacou o sucesso do leilão das linhas de transmissão, que representam investimentos superiores a R$ 12 bilhões em 20 estados brasileiros. “De forma particular o estado do Pará foi atendido com alguns lotes”, destacou o ministro Fernando Coelho Filho.

Para o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, os investimentos em energia resolverão problemas de apagões e permitirão a implantação de plantas industriais no estado. “Eu gostaria de festejar com a população do Pará, de uma maneira muito especial a região oeste do estado, da Transamazônica, da região do Xingu como também da região do Baixo Amazonas e da Calha Norte, a respeito dos leilões ocorridos hoje em São Paulo”, comemorou ele. “São investimentos na área da energia que, nos próximos 60 meses, irão garantir que esta região do Pará possa ter oferta de energia resolvendo problemas de apagões, sendo utilizada para o consumo doméstico e também para reforçar toda a cadeia produtiva da região”.

O primeiro dos lotes arrematados no leilão com empreendimentos no Pará foi o de número 26. Venceu o certame a Energisa S.A., que ofereceu R$ 46,3 milhões, o que representa deságio médio de 29,57% em relação à Receita Anual Permitida (RAP) inicial estabelecida pela Aneel. Esse lote possui 592 km de linhas de transmissão e 300 MVA de potência de uma subestação. As obras visam reforço para o suprimento à região de Santana do Araguaia e aumento na qualidade e confiabilidade do atendimento aos clientes da região nordeste de Mato Grosso. A Energisa terá que fazer investimentos de R$ 329,7 milhões.

O segundo lote foi o de número 31, arrematado pela Equatorial Energia S.A. A empresa deu um lance de R$ 126,8 milhões, com deságio de 9,5% em relação à RAP inicial estabelecida pela Aneel. São 436 km de linhas de transmissão e uma subestação de 300 MVA de potência localizadas no Pará. Esse lote, que visa atendimento à região oeste do estado e aumento da confiabilidade do sistema, contempla os trechos Xingu – Altamira; Altamira – Transamazônica; Transamazônica – Tapajós; Tapajós – Compensador Síncrono; e Rurópolis – Compensador Síncrono. A Equatorial precisará fazer investimentos de R$ 671,2 milhões nessas linhas.

Outro lote ofertado foi o 33, vencido pelo Consórcio Pará, integrado pelas empresas MALV Empreendimentos e Participações S/A, com 30%; Primus Incorporação e Construção Ltda, com 40%; e DISBENOP – Distribuidora de Bebidas Ltda, com 30%. O grupo arrematou o lote oferecendo R$ 20,5 milhões, com deságio de 16,14% em relação à Receita Anual Permitida prevista pela Aneel. O lote 33 possui uma linha de transmissão com 126 km e uma subestação de 200 MVA de potência localizadas no Pará. Os empreendimentos visam atendimento às cargas das regiões metropolitana de Belém e nordeste do Pará e equacionamento das dificuldades de suprimento de energia elétrica às cargas das regiões de Paragominas e Tomé-Açu. Essas linhas de transmissão necessitarão de investimentos de R$ 120,5 milhões.

O Consórcio Omnium Energy arrematou o lote 34. O grupo é composto pelas empresas Testotrans Holding Ltda, com participação de 1%, e Patrimonium Fundo de Investimentos em Participações Multiestratégia, com 99%. A oferta pelo lote foi de R$ 5,7 milhões, que representou deságio de 40,50% em relação ao preço inicial de receita estipulado pela Aneel. A subestação possui 300 MVA de potência e servirá para atendimento às cargas das regiões metropolitana de Belém e nordeste do Pará e demandará investimentos de R$ 45,6 milhões.

O último lote oferecido foi o 35. Este lote foi arrematado pelo Consórcio BRDigital, BREnergia e Lig Global, composto pelas empresas Brasil Digital Telecomunicações Ltda, com participação de 79,60% no consórcio; BREnergia Energias Renováveis Ltda, com 0,40%; e LIG Global Service Tecnologia em Implantação, Sistemas Telecomunicações e Energia Ltda, com 20%. O grupo ofereceu R$ 18,7 milhões, com deságio de 30,42% em relação à receita inicial estabelecida pela Aneel. Esse lote possui uma linha de transmissão com 12 km de extensão e servirá para suprir a região metropolitana de Belém.

Atendendo pedido da Associação Comercial

O ministro Fernando Coelho Filho relembrou o compromisso assumido diante da associação comercial de Altamira, durante uma visita na cidade, este ano. “Em relação ao lote 31, eu estive recentemente acompanhando o ministro Helder Barbalho na cidade de Altamira e na cidade de Santarém, fui questionado pela Associação Comercial, pelos investidores, pelos comerciantes, falando da dificuldade na qualidade no fornecimento de energia. Nós nos comprometemos a pedido do ministro Helder de incluir novamente esse lote, que teve problema no passado, dentro da nova modalidade do leilão, que tem sido sucesso. O lote hoje 31 foi bidado. R$ 671 milhões de investimentos pra Região Oeste”, comemorou o ministro Fernando Filho. “O prazo pra execução é de 60 meses e a nossa expectativa é que essa obra além de gerar emprego e renda na região vai também levar uma energia de melhor qualidade, estável pra que a gente possa desenvolver toda essa região”, disse.

O lote ao qual o ministro se refere foi arrematado pela Equatorial Energia, que terá que investir em mais de 400 quilômetros de linhas de transmissão ligando os trechos Xingu – Altamira; Altamira – Transamazônica; Transamazônica – Tapajós; Tapajós – Compensador Síncrono; e Rurópolis – Compensador Síncrono.

Leilão

Consórcio paga R$ 68,2 milhões por concessão de terminais no Porto de Santarém

Ambos são terminais de madeira usados para o abastecimento de combustível na região

O Consórcio Porto Santarém venceu nesta quarta-feira (23) o leilão para dois terminais de cargas líquidas no Pará. Pelo primeiro terminal (STM 04), o grupo pagou R$ 18,2 milhões, após uma rodada de lances em viva-voz disputada com mais dois concorrentes. A proposta inicial do consórcio pela concessão, válida por 25 anos, era de R$ 11, 2 milhões.

Pelo segundo terminal (STM 05), o consórcio foi o único a apresentar propostas e pagou mais de três vezes a outorga mínima de R$ 15 milhões, com um lance de R$ 50 milhões.

Ambos são terminais de madeira usados para o abastecimento de combustível na região. O vencedor deverá fazer investimentos de R$ 29,8 milhões para ampliação dos tanques de abastecimento de gasolina, etanol e diesel. Além dos valores de outorga, o grupo terá de pagar aluguel de R$ 2,5 mil por mês pelo STM 04 e uma taxa de R$ 1,35 por tonelada movimentada. O STM 05 demandará custo fixo mensal de R$ 25 mil e um valor de R$ 5,40 por tonelada movimentada.

O diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Adalberto Tokarski, destacou que os contratos de operação dos terminais estavam vencidos, o que poderia gerar problemas de abastecimento na região. “Esses dois terminais não dão suporte só para a região de Santarém, mas para toda a região amazônica”, enfatizou.

BR-163

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintela, disse que o governo tem atuado para melhorar as condições da BR-163, que dá acesso aos terminais e que enfrentou problemas há algumas semanas. “O Exército será acionado em uma operação quase de guerra”, ressaltou o ministro sobre as ações de pavimentação que serão feitas na via. “Nossa expectativa é que esse tenha sido o último ano com esse tipo de problema na BR-163.”

Em fevereiro, por causa das chuvas intensas na região e do aumento do tráfego de caminhões carregados, a rodovia enfrentou a formação de vários pontos de atoleiro, em um trecho de 47 quilômetros, localizado entre as comunidades de Santa Luzia e Bela Vista do Caracol. As dificuldades de tráfego chegaram a formar 50 quilômetros de filas de caminhões. No início deste mês, os problemas se repetiram, e a circulação foi interrompida, no último dia 4, no sudoeste do Pará.

A BR-163, conhecida como Rodovia Cuiabá-Santarém, é a principal ligação entre a maior região produtora de grãos do país, em Mato Grosso, e os portos da Região Norte, principalmente em Miritituba e Santarém, no Pará.

Do Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

Pará

Receita Federal realiza leilão de mercadorias para pessoas físicas e jurídicas

Receita Federal recebe propostas, a partir desta segunda-feira, 18/7, para o leilão de mercadorias apreendidas, realizado pela DRF/Santarém-PA em conjunto com diversas Unidades da RFB na 2ª Região Fiscal. Veículos, motocicletas, eletrônicos, mídias de DVD, maquinários, peças para motocicletas, são destaques do leilão eletrônico, aberto também a pessoas físicas.

A Receita Federal, por meio da Delegacia da Receita Federal do Brasil em Santarém, realizará no dia 29 de julho, em conjunto com diversas Unidades da RFB na 2ª Região Fiscal, um leilão composto de 233 (duzentos e trinta e três) lotes de mercadorias apreendidas pelo órgão. Entre os produtos leiloados, destaca-se grande quantidade de veículos leves, caminhão, maquinários, motocicletas. Também serão leiloados outros produtos como: peças para motocicletas, sacos plásticos para embalagem, filmadora, panos para redes de pesca; dentre outros.

Os lotes disponibilizados neste leilão estão armazenados nas localidades descritas no item 3.1 do Edital e seu anexo:

A lista completa das mercadorias pode ser conferida no Edital do Leilão, que se encontra disponível para consulta no site da Receita Federal, www.receita.fazenda.gov.br, no link “Leilão” na Seção “Informações”. Como se trata de um leilão conjunto, deverá ser acessado o LEILÃO 0210200/001/2016 – SANTARÉM, em “Leilões Abertos para Propostas”.

O site da Receita também oferece o “Manual do Licitante”, com todas as orientações para os interessados participarem dos leilões disponíveis.

Apesar de o leilão estar previsto para o dia 29 de julho, os interessados devem registrar antecipadamente as suas propostas até o dia 28 de julho, no Sistema de Leilão Eletrônico (SLE) no Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte (e-CAC), na página da Receita Federal do Brasil na Internet.

Com a realização do leilão na forma eletrônica, a localização geográfica do interessado deixa de ser uma barreira, pois a apresentação das propostas podem ser feitas de qualquer lugar do país. Podem participar do leilão eletrônico apenas as pessoas físicas ou jurídicas que utilizem a tecnologia de Certificação Digital*.

A participação das pessoas físicas é restrita a lotes específicos do leilão, conforme estabelecido no edital. Os bens arrematados por pessoas físicas somente poderão ser destinados a seu uso ou consumo, sendo vedada a comercialização.

Alertamos para os interessados que verifiquem atentamente o item 6.2 do Edital, que trata da emissão de certidões negativas, antes da realização do leilão. Assim, não correrá o risco de serem inabilitados na primeira fase do certame.

Maiores informações poderão ser solicitadas pelos interessados à Comissão de Licitação da Delegacia da Receita Federal do Brasil em Santarém, na Avenida Tapajós, 277 – Centro ou pelo telefone (93) 3523 2077 ou 3512 5400 ou nas Unidades da Receita Federal do Brasil elencadas no item 3.1 do Edital.

Como funciona o leilão eletrônico da Receita Federal do Brasil

O leilão eletrônico é realizado em 2 etapas: na 1ª etapa, o participante acessa o serviço disponível na Internet utilizando certificação digital e apresenta uma proposta de valor de compra para cada lote que tenha interesse em adquirir. Na 2ª etapa, em uma sessão pública virtual, é verificada a regularidade jurídica e fiscal dos proponentes que participaram da 1ª etapa (habilitação), e são selecionadas as maiores propostas para cada lote. É, então, iniciada a fase de disputa dos lotes por meio de ofertas sucessivas e progressivas de valores de lances pela Internet. Somente participam da fase de lances na 2ª etapa os proponentes que tiverem apresentado as melhores propostas para cada lote na etapa anterior, ou seja, a proposta de maior valor e as demais que forem até 10% inferiores. Todo o procedimento é realizado com total transparência, sendo possível o acompanhamento da sessão de lances em tempo real pela internet.

Existe ainda a obrigatoriedade, para verificação da regularidade fiscal, que as certidões negativas estejam emitidas, e válidas, até a data anterior a realização do leilão.

Onde obter o seu certificado digital

Todos os interessados (pessoas físicas ou jurídicas) poderão obter informações acerca da aquisição do Certificado Digital nas Agências dos Correios ou órgão certificador de sua cidade.

*Certificados Digitais são documentos eletrônicos que visam garantir a identidade das partes envolvidas em transações realizadas no mundo digital, especialmente pela Internet.

Pará

Leilão de portos do Pará em junho ofertará só 1 dos 6 terminais previstos

O governo decidiu manter o leilão de áreas portuárias no Pará no dia 10 de junho, mas leiloará só um dos seis lotes originalmente previstos: a área destinada à construção de um terminal de fertilizantes em Santarém. Os outros cinco (um em Santarém, um em Barcarena e três em Outeiro) foram retirados do leilão para “aguardar a consolidação de alternativas logísticas de escoamento pelo Arco Norte que já vêm sendo adotadas pelo setor privado, como a utilização de Terminais de Uso Privado (TUPs)”, segundo informou o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. “Neste período, a modelagem dos editais poderá ser reavaliada com o objetivo de tornar a concessão mais atrativa e adequada à demanda.”

A decisão foi tomada um dia depois que o ministro da pasta, Maurício Quintella Lessa, passou o dia reunido com potenciais concessionários para sondar as chances de sucesso do leilão. Segundo o ministério, os empresários se mostraram interessados nos empreendimentos, mas disseram que o momento não é o mais adequado para o leilão, devido a perdas no setor agrícola e ao quadro econômico ainda instável. (Estadão)

Pará

Governo federal adia leilão de 6 terminais portuários no Pará.

A Secretaria de Portos anunciou nesta segunda-feira (28) o adiamento o leilão de seis terminais portuários no Pará. Esses leilões, marcados para quinta-feira (31), faziam parte de um lote de 20 terminais portuários em portos públicos que o governo federal anunciou em janeiro que seriam repassados à iniciativa privada este ano.

Os terminais no porto de Outeiro, Santarém e Vila do Conde foram projetados para melhorar o escoamento de produtos agrícolas pela região Norte, com potencial de redução de custo de 30%.

Segundo a Antaq (Agência Nacional de Transporte Aquaviário), o leilão foi adiado por até 30 dias para que sejam respondidos 48 questionamentos ao edital feito por interessados. Esses questionamentos passam a fazer parte do edital e as empresas usam as informações para preparar suas propostas.

O primeiro leilão de terminais portuários, que faz parte do PIL 2 (Programa de Investimento em Logística), realizado em novembro passado, teve baixa disputa e arrecadação. Parte dos terminais foi retirada da concorrência antes do início por risco de falta de interessados. O governo teve que refazer o edital para torná-lo mais atrativo ao setor privado e estava tentando fazer o leilão nesta semana.

De acordo com estudo da CNI (Confederação Nacional da Indústria) um conjunto de investimentos em rodovias, ferrovias, hidrovias e portos na região do Pará teriam a capacidade de gerar uma economia de R$ 9 bilhões por ano nos custos de escoamento dos produtos brasileiros para o exterior. (Folhapress)

Pará

MRN realiza leilão online de veículos

leilao(3)A Mineração Rio do Norte (MRN) leiloará, por meio do site Superbid (www.superbid.net), 60 automóveis Fiat Palio Fire Economy (2011/2011 e 2011/2012) e caminhonetes Mitsubishi LX200 4×4 GL 2011/2011, organizados em lotes individuais. O prazo para registro de lances vai até o dia 17/3.

Os veículos ficarão expostos na sede da empresa, em Porto Trombetas (PA), até o dia 16/3, das 8h às 11h. Interessados poderão agendar visita e solicitar mais informações por meio dos telefones (93) 3549-7806/7684 ou (93) 99203-8704 (falar com Marcel ou Francion).

Podem participar do leilão pessoas físicas (a idade mínima é de 18 anos) ou jurídicas domiciliadas e residentes no Pará (o arrematante terá que apresentar comprovantes).

Pará

Aneel aprova leilão para contratação de energia nos Sistemas Isolados no Pará e Amazonas

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o leilão para contratação de energia nos Sistemas Isolados atendidos pela Celpa, no Pará, e Eletrobras Amazonas Energia, no Amazonas. As sessões públicas da licitação serão realizadas no dia 21 de março, em Manaus, e 22 de março, em Belém.

O leilão terá um lote único no Pará, para atender 23 localidades e potência instalada de 131,7 megawatts (MW), ou 516 mil megawatt-hora por ano (MWh/ano). As localidades serão atendidas por usinas a óleo diesel, com preço máximo de R$ 1.361,00 por MWh.

Já o Amazonas terá três lotes, em 33 localidades, com potência instalada de 177,96 MW, ou 653,4 mil Mwh/ano. Dois lotes serão atendidos por usinas a diesel: o lote 2 terá preço-teto de R$ 1.258,00 por MWh, e o lote 3, de R$ 1.263,00 por MWh. Já o lote 1, a ser atendido por usinas movidas a gás natural, terá preço máximo de R$ 593,00 por Mwh.

Sobras de energia

A Aneel também abriu audiência pública para discutir o tratamento das sobras de energia das distribuidoras. Com a queda do consumo, motivada pelo tarifaço de 2015 e pela desaceleração da economia, as empresas ficaram sobrecontratadas, ou seja, possuem mais energia do que o necessário para atender o mercado.

O pedido foi feito pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), com o objetivo de neutralizar os impactos dessa sobrecontratação. A audiência pública ficará aberta de 18 de fevereiro a 8 de março. (IstoÉDinheiro)

error: Conteúdo protegido contra cópia!