Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Marabá: Juiz decreta prisão preventiva de médico que atacou a ex-namorada

Afonso von Grapp arrastou a moça pelos cabelos, a esmurrou e ainda jogou um copo no rosto dela. Agora está preso no Centro de Triagem Masculino
Continua depois da publicidade

O juiz Alexandre Arakaki, da 3ª Vara Criminal de Marabá, decretou nesta quinta-feira (12) a prisão preventiva do médico Afonso Ferreira von Grapp. Ele foi enquadrado na Lei Maria da Penha por ter, por volta de meia noite de ontem, quarta-feira (11), arrastado pelos cabelos, esmurrado e quebrado um copo no rosto da ex-namorada Ananda Skibinski, na Folha 32, Nova Marabá.

O casal estava separado desde dezembro do ano passado, mas, conforme relatou a mulher na Polícia Civil, ele passou a enviar mensagens para ela e só parou quando Ananda ameaçou denunciá-lo à polícia.

Ela chegou ao local onde funciona um bar e restaurante, contíguo a um posto de combustíveis por volta de 21 horas. Já perto de meia-noite o médico, acompanhado, também chegou ao local. Os dois, entretanto, não mantiveram contato. Minutos depois, conforme relato de Ananda Skibinski, ela resolveu ir embora, tendo Afonso von Grapp tentado uma aproximação. A moça, entretanto, desviou dele e se dirigiu para o local onde estava o carro dela, sendo surpreendida pelo médico, que a arrastou para o meio da via, desferiu vários socos e, por fim, jogou um copo no rosto de Ananda, que antes da agressão disse que só falaria com ele hoje às 15h30, quando teriam uma audiência na Justiça, onde ela o denunciou por difamação. Amigos dela e outras pessoas correram e conseguiram tirá-la das mãos de Afonso e chamaram a Polícia Militar. Afonso foi preso e levado para a 23ª Seccional Urbana de Polícia Civil.

Ele foi autuado em flagrante pelo delegado Wiliam Crispim, por violência doméstica, conforme a Lei Maria da Penha. Crispim, entretanto, não arbitrou fiança,  considerando que o médico havia ingerido bebida alcoólica e pensando na integridade física de Ananda, que passou por exame de lesão corporal no Instituto Médico Legal de Marabá, enquanto Afonso von Grapp esta preso no Centro de Triagem Masculino de Marabá.

Por Eleuterio Gomes – Correspondente em Marabá

Polícia

Servidor público municipal armado é preso por discutir com a esposa e disparar tiros em Parauapebas

Ele foi detido com uma arma 9 mm, de uso exclusivo das Forças Armadas e ainda será indiciado pela Lei Maria da Penha
Continua depois da publicidade

O radiologista concursado da Prefeitura Municipal de Parauapebas lotado na Secretaria de Saúde, João Batista Silva do Nascimento foi preso nesta madrugada no Cidade Jardim depois de discutir e disparar dois tiros em sua residência. Segundo a Polícia Militar, uma vizinha acionou o policiamento depois de escutar os tiros na residência do servidor por volta das 2h50 desta quarta-feira (25). “Um dos disparos da arma do servidor foi em direção da esposa, que estava sentada na cama, e passou de raspão. O outro disparo foi na garagem”, relatou a PM, que efetuou a prisão de João Batista.

A esposa, Karine das Dores Silva disse à polícia que recebeu também alguns socos no estômago e teve o dedo da mão machucado, sendo agredida mesmo estando se recuperando de uma cirurgia. De acordo com o delegado José Aquino, “João Batista vai responder na justiça pela lei Maria da Penha, por ameaçar sua companheira, e pela Lei do Desarmamento, porte ilegal de arma, por disparar com uma arma 9 milímetros, que é de uso restrito das Forças Armadas. Este crime é inafiançável”, declarou. O delegado informou ainda que a arma estava com numeração raspada, o que pode agravar a situação do servidor.

O advogado de defesa do servidor público, Antônio Araújo, reforçou que a prisão não passa de um mal entendido. “Pela manhã ele chegou em casa, fez um disparo e só vai responder por porte ilegal de arma. Ele não tem antecedentes, é trabalhador, tem histórico social em Parauapebas positivo e nunca fez nada que pudessem duvidar da sua índole. Ele é um sujeito de boa índole. Estamos trabalhando para ele responder esse processo em liberdade”, defendeu o advogado.

A defesa também justificou que a arma será periciada pelo Instituto Médico Legal para se afirmar se a numeração estava realmente raspada.

Segundo o delegado José Aquino, o crime de porte de arma de uso exclusivo é inafiançável e João Batista será encaminhado à carceragem do bairro Rio Verde, em Parauapebas, onde aguardará a justiça.

Violência

Lavrador embriagado corta a companheira com várias facãozadas na área do Contestado

A vítima passou cinco dias internada no HGP por conta dos ferimentos.
Continua depois da publicidade

Elinalva Alves Carvalho, 40 anos, compareceu hoje na Delegacia Especializada da Mulher, em Parauapebas, para denunciar o nacional conhecido por Jaílson da Foice e/ou Negão da Foice, de 39 anos. Contou a denunciante, que mora no Assentamento Estrela Dalva, próximo à Vila Valentim Serra, na Zona Rural de Marabá, que no sábado a tarde Jailson chegou da Vila em sua casa totalmente embriagado e do nada começou a agredi-la com murros e pontapés.

Segundo a depoente, o companheiro com quem morava ha 5 meses, estava embriagado e havia colocado fogo na motocicleta que possui, entrando logo após para o quarto do casal. Ela conta que apagou o fogo na moto com um balde de água e foi ver como estava Joílson. Ao entrar no quarto ele voltou a agredi-la, desta feita com um facão de roçar.

Elinalva informou na Depol que Jaílson só parou de cortá-la com o facão quando ouviu um barulho de motos chegando na porta da casa. Com medo de que poderia ser a polícia, Jaílson correu para o fundo da casa e se escondeu. Nesse momento, Elinalva saiu para a porta da casa pedindo socorro. Os motoqueiros prestaram socorro à ela trazendo-a para o Hospital Geral de Parauapebas. Elinalva teve alta hoje e imediatamente compareceu à DEAM para denunciar a agressão.

Uma equipe da Polícia Civil de Parauapebas formada pela delegada Ana Carolina, IPC Fátima e IPC Sergio foram até o local para tentar prender o agressor, mas ele não foi encontrado.

Elinalva, ainda abalada com o fato, não soube precisar a quantidade de pontos que recebeu por todo o corpo em virtude dos ferimentos provocados por Jaílson, Ela disse, ainda, que durante a agressão Jaílson jurou-a de morte. Elinalva, temendo por sua vida, não pretende mais voltar para a Zona Rural.

A delegada da Mulher em Parauapebas informou que novas diligências serão realizadas pela Polícia para tentar capturar o agressor.

Legislativo

Joelma Leite pede a criação de Ronda Maria da Penha para proteger mulheres vítimas de violência doméstica

A Ronda Maria da Penha é uma ação de segurança pública que tem como objetivo proteger vítimas de violência doméstica que solicitarem à Justiça medida protetiva de urgência estabelecida na Lei Maria da Penha.
Continua depois da publicidade

Militante na defesa dos direitos da mulher, a vereadora Joelma de Moura Leite (PSD), que também já foi secretária municipal da Mulher, solicitou a instalação da Ronda Maria da Penha no âmbito da Guarda Municipal.

A sugestão foi apresentada ao plenário na sessão ordinária desta terça-feira (29), em que a parlamentar explicou, por meio da Indicação nº 231/2017, a necessidade de assegurar a proteção e o bem estar das mulheres, principalmente daquelas que já foram ameaçadas ou vítimas de violência doméstica.

Em 2015, o governo brasileiro divulgou um estudo que mostrou que a cada sete minutos uma mulher é vítima de violência doméstica e que mais de 70% da população feminina brasileira vai sofrer algum tipo de violência ao longo de sua vida. Outro dado alarmante diz respeito ao fato de uma em cada quatro mulheres relatar ter sido vítima de violência física ou psicológica.

Com base em dados como estes, a vereadora propôs a indicação. “Trata-se de uma ação de segurança já aplicada em outros municípios. É o caso de Salvador, capital da Bahia, onde atualmente a ronda protege mais de 400 mulheres que vivem sob ameaça constante”, ressaltou.

A Ronda Maria da Penha é uma ação de segurança pública que tem como objetivo proteger vítimas de violência doméstica que solicitarem à Justiça medida protetiva de urgência estabelecida na Lei Maria da Penha. Para isso, a proposição visa reunir a cooperação das secretarias municipais da Mulher (Semmu) e de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão (Semsi); polícias Militar e Civil; Defensoria Pública, Ministério Público e do Tribunal de Justiça.

A ação conjunta dos órgãos prevê a capacitação de agentes da Guarda Municipal de Parauapebas, que irão executar a ronda, além da qualificação dos serviços de atendimento, apoio e orientação nas ocorrências envolvendo mulheres vítimas de violência doméstica.

“Assim será possível garantir o cumprimento das medidas protetivas de urgência e o encaminhamento das vítimas à rede de atendimento à mulher vítima de violência doméstica em nossa cidade”, finalizou Joelma Leite.

Pela relevância da proposição, os demais vereadores votaram favoravelmente à indicação, que será encaminhada à administração municipal, para que as pastas envolvidas na execução da ronda analisem as medidas necessárias para implantação do projeto.

Texto: Josiane Quintino / Revisão: Waldyr Silva / Foto: Anderson Souza