Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Canaã dos Carajás

Depois de ter a prefeitura invadida, Jeová recebe membros do MST e ouve reivindicações

No início da semana membros do MST invadiram a sede da prefeitura do município com o objetivo de falar com o prefeito, mas não foram recebidos.

O prefeito de Canaã dos Carajás, Jeová Andrade, recebeu no início da tarde desta quarta-feira (22) representantes de trabalhadores rurais do Movimento Sem Terra (MST) que estão em ocupações na zona rural do município. A reunião foi agendada na última segunda-feira, quando os trabalhadores estiveram na sede da administração, reivindicando uma audiência para apresentarem suas demandas.

Também estiveram presentes o vice-prefeito, Alexandre Pereira, secretários de Governo, Roberto Andrade, e de Desenvolvimento Econômico, Jurandir José dos Santos, chefe de Gabinete, Edilson Valadares, diretor do Instituto de Desenvolvimento Urbano (IDURB), Alison Milhomen, procurador do município, Hugo Leonardo, além dos vereadores Wilson Leite e Maria Pereira.

Os representantes dos trabalhadores apresentaram três principais reivindicações:

1) pedido para que a prefeitura suspenda a negociação de áreas que serão doadas pela Vale para empreendimentos do município até que o INCRA [Instituto de Colonização e Reforma Agrária] faça o levantamento da situação dessas áreas;

2) que o prefeito solicite da Vale uma relação das áreas adquiridas no município; 3) que a prefeitura convoque Vale e INCRA para uma audiência com a presença dos trabalhadores rurais.

Em relação ao primeiro ponto, o prefeito Jeová Andrade esclareceu que tem interesse em regularizar a situação para que os assentados ou em áreas de ocupação possam produzir, mas destacou que a Vale precisa cumprir condicionantes ambientais dos projetos no município e não cabe à prefeitura discutir como essas terras foram adquiridas.

“Se as áreas de compensação não forem asseguradas, o município corre o risco de perder os projetos de mineração, cujas licenças foram concedidas com essas condições”, disse. O prefeito informou ainda que está em discussão com a Vale para doação de uma área para a implantação do Distrito Industrial e Polo Universitário de Canaã, mas que essas áreas não tem relação com as ocupadas e que o município não está discutindo doação de áreas de conflito para esses empreendimentos.

Em relação à segunda solicitação dos produtores, Jeová se comprometeu a avaliar se há respaldo jurídico para realizar tal solicitação. Por fim, ele definiu como uma necessidade importante o agendamento de uma audiência em que estejam presentes todos os entes interessados no assunto. O prefeito se comprometeu a entrar em contato com a Vale, INCRA e Terra Legal para “agendar uma mesa redonda e abrir espaço para todos”.

O prefeito também foi questionado sobre a possibilidade de se criar mais um espaço para a comercialização de produtos oriundos da zona rural do município. Ele informou que a Feira do Produtor, recém-inaugurada, atende principalmente os feirantes antigos, que já atuavam no centro da cidade. “Quero muito que, em breve, seja necessário construir uma nova feira ou espaço para comercialização, desde que a produção no município cresça”, disse. Jeová também ressaltou que o formato da Feira do Produtor “está em discussão permanente”.

Fonte: Ascom PMCC

Nota

MST do Pará solidariza-se com família de agricultor assassinado no Pará

O MST cobra que as investigações esclareçam o caso e alega que o clima de "recorrente impunidade" com casos de assassinatos de trabalhadores no Pará é um impulsionador de violências deste tipo.

O MST no estado do Pará emitiu na tarde desta segunda-feira (20) uma nota para se solidarizar com a família do militante Waldomiro Costa Pereira, que foi assassinado esta madrugada no Hospital Geral de Parauapebas, no interior do estado.

Waldomiro, que não participava no período recente de instâncias de direção do Movimento no estado, também era militante do Partido dos Trabalhadores e havia assumido um cargo de assessoria na Prefeitura da cidade.

O MST cobra que as investigações esclareçam o caso e alega que o clima de “recorrente impunidade” com casos de assassinatos de trabalhadores no Pará é um impulsionador de violências deste tipo.

O MST reconhece o trabalho militante de Waldomiro, desde a ocupação que criou o assentamento 17 de abril, onde o militante se dedicava ao trabalho na agricultura. Confira a nota abaixo.

NOTA DE SOLIDARIEDADE

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) vem através desta prestar solidariedade a família e amigos de Waldomiro Costa Pereira, que foi assassinado na madrugada desta segunda-feira (20). Era militante do MST desde 1996, contribuindo durante um longo período na luta pela Reforma Agrária. Atualmente era assentado no Assentamento 17 de Abril, onde militou desde a ocupação. Atuava também como militante no Partido dos Trabalhadores.

Nos últimos períodos Waldomiro não estava participando das instâncias de direção do movimento Sem Terra, se dedicando ao lote onde vivia. Recentemente tinha assumido o cargo de assessor de gabinete da prefeitura de Parauapebas no governo de Darci Lermen (PMDB).

É com imensa tristeza que lamentamos sua morte e prestamos solidariedade a sua esposa, filhos e toda sua família neste momento de dor e indignação.

O MST desconhece os motivos do assassinato. Como movimento de luta pela vida, repudiamos toda e qualquer forma de violência contra homens e mulheres. Este é mais um assassinato de trabalhadores no estado do Pará, em que o governo é culpado pela sua incompetência em cuidar da segurança da população e praticado em função da negligencia do estado em apurar e punir os crimes desta natureza. Há alto índice de impunidade que se tornou corriqueiro, bem como a ação de grupos de milícias criminosas.

Diante da execução sumária praticada por assassinos dentro do Hospital Geral de Parauapebas sobe vigilância das câmeras do hospital, esperamos que as autoridades tomem as providencias necessárias para julgar tamanha brutalidade cometida por um estado de violência que representa a banalização da vida em nossa sociedade.

“Se calarmos, as pedras GRITARÃO!”
Coordenação Estadual do MST

Canaã dos Carajás

Assentados invadem a sede da prefeitura de Canaã dos Carajás

Assentados queriam falar com o prefeito Jeová, mas não foram recebidos.

Na manhã desta segunda-feira cerca de 500 assentados do município de Canaã dos Carajás invadiram a sede da prefeitura do município, provocando um verdadeiro caos para funcionários e usuários dos serviços prestados pela administração.

Segundo apurado, o motivo da invasão se deu em virtude da Mineradora Vale ter dado entrada em um pedido de reintegração de posse de uma área reservada para ser implantado o Distrito Industrial de Canaã dos Carajás, invadida por populares. Os manifestantes reivindicam uma reunião com o gestor para tratar do assunto.

Em nota, a Assessoria de Comunicação de Canaã dos Carajás informou que “representantes de assentamentos da região estiveram nesta segunda-feira (20) na sede da administração, apresentando uma pauta de reivindicações e solicitando uma reunião com o prefeito Jeová Andrade. Por motivos de saúde, o prefeito não pôde atendê-los, mas ficou pré-agendada uma reunião na próxima quarta-feira (22)”.

Continua a nota informando que “a prefeitura segue aberta ao diálogo com todos os segmentos da sociedade para que as demandas sejam apresentadas e, dentro do possível, solucionadas.  Afirma, ainda, que após tomar conhecimento detalhado das necessidades dos representantes dos assentamentos, e deliberar sobre as respostas possíveis, a administração se compromete em divulgá-las em seus meios e na imprensa local, como tem sido habitual nessa gestão”.

Com o agendamento da reunião, os manifestantes deixaram o local.

Polícia

Bandidos invadem Hospital Geral de Parauapebas e executam assessor do gabinete do prefeito. (Atualizada)

Waldomiro Costa era filiado ao PT e militante do MST na região. Semsa disponibilizará todas as imagens do circuito interno de gravação do hospital para as autoridades policiais

Waldomiro Costa Pereira, que era assessor no gabinete do prefeito de Parauapebas, Darci José Lermen, foi executado ontem a noite por cinco homens que invadiram o Hospital Geral de Parauapebas.

Waldomiro havia sido vítima de uma emboscada quando estava em seu sítio, na Zona Rural de Eldorado dos Carajás, sendo alvejado com vários tiros. Ele foi encaminhado à Parauapebas e deu entrada na emergência do HGP na madrugada do sábado. Nesta segunda-feira, por volta das 2h30, os bandidos vieram concluir o serviço.

Waldomiro era militante do Partido dos Trabalhadores e um dos líderes do Movimento dos Sem Terras – MST na região.  Em 2010, Costa foi preso por suposto envolvimento nos assaltos às agências bancárias em Eldorado dos Carajás. Passou alguns dias preso, depois foi solto e respondia ao inquérito em liberdade.

Em nota, a prefeitura de Parauapebas lamenta o falecimento de Waldomiro:

A Prefeitura de Parauapebas manifesta o seu mais profundo pesar pelo falecimento do servidor público Waldomiro Costa Pereira, ocorrido nesta segunda-feira, 20 de março.

No último final de semana, Waldomiro foi vítima de ferimento por arma de fogo em sua propriedade, no município de Eldorado do Carajás. Ele foi encaminhado ao Hospital Geral de Parauapebas (HGP), onde passou por processo cirúrgico, mas na madrugada desta segunda-feira, cinco homens invadiram o HGP, renderam os seguranças, e executaram Waldomiro.

Neste momento de dor e profunda tristeza, a Administração Municipal e todos os companheiros de trabalho da Prefeitura se solidarizam com familiares e amigos de Waldomiro.

O servidor era casado e deixa cinco filhos. O velório de Waldomiro ocorrerá na cidade de Curionópolis.

Ascom PMP

A Secretaria de Saúde de Parauapebas encaminhou a seguinte nota sobre os fatos ocorridos no HGP:

Em relação ao falecimento de Waldomiro Costa Pereira, a direção do Hospital Geral de Parauapebas (HGP) informa que:

O servidor público Waldomiro Costa Pereira deu entrada no HGP no último sábado, 18 de março, por volta das 18h, encaminhado pela própria família. Ele estava com ferimentos na cabeça e em uma das mãos. Após a realização de uma tomografia e raio-X, foram encontrados três projéteis na cabeça e pescoço. Waldomiro passou por cirurgia e, em seguida, foi encaminhado à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para observação.

Na madrugada desta segunda-feira, 20, por volta das 3h, cinco homens fortemente armados, chegaram à entrada do HGP, renderam seguranças, invadiram as instalações do hospital, se dirigiram até o leito do paciente na UTI e efetuaram disparos contra o servidor. Após tentativa sem sucesso de reanimação de Waldomiro, seu corpo foi encaminhado à necropsia do hospital.

No intuito de elucidar esse crime o mais rápido possível, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, disponibilizará todas as imagens do circuito interno de gravação do hospital para as autoridades policiais.

Ascom Semsa

Durante a invasão do HGP para executar Waldomiro houve certa violência, mas somente o servidor da PMP foi ferido. A polícia investiga a invasão do HGP e as motivações para a morte de Waldomiro.

Educação

Cerca de 80% dos alunos do ensino fundamental compareceram às escolas no primeiro dia de aula em Parauapebas

Os problemas ocorridos durante o primeiro dia de aula em Parauapebas foram pontuais, afirmou a Ascom

O ano letivo começou nesta segunda-feira (23) para os alunos do ensino fundamental da rede pública municipal de ensino em Parauapebas. De acordo com a Prefeitura, cerca de 80% participaram do primeiro dia de aula. Os pequenos da educação infantil, crianças de 4 a 5 anos terão suas aulas iniciadas em fevereiro, conforme o calendário escolar da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Ainda de acordo com a Prefeitura, o início do período escolar ocorreu dentro do esperado pela Semed. Em mudança de governo sempre é um desafio manter tudo em ordem no primeiro momento, prova disso foi o tumulto que ocorreu na Escola Municipal Olga da Silva, localizada no Complexo Altamira. A equipe recepcionou muito bem os pais, porém, em função da destinação de alguns alunos para um novo anexo, houve reclamações e questionamentos.

Eu moro na rua atrás da escola, meu filho estuda aqui já faz quatro anos. Não tem lógica colocá-lo para um anexo que fica bem longe da minha casa, mesmo tendo a série que ele vai estudar aqui no Olga. E eu vi que uns alunos que não moram tão perto da escola vão continuar aqui, não vão para o anexo. Eu não vou aceitar isso”, disse a dona de casa Silverleide Seguins.

Outras reclamações surgiram: “eu tenho o comprovante de matrícula aqui, mas o nome da minha filha caçula não está em nenhuma lista da escola, outra coisa, quando eu fiz a matrícula, escolhi o período da manhã. Agora a diretora disse que não tem mais vaga nesse horário e terá que colocá-la no intermediário. Como assim? Ela já não estava matriculada? Não entendi nada”, disse Aparecida Carvalho, que foi orientada a levar a sua filha mais velha, também matriculada na escola Olga da Silva, para o novo anexo escolar, e quando chegou ao local o vigia disse que não tinha cadeiras e que o espaço ainda estava sendo organizado para receber os alunos.

Segundo a Assessoria de Comunicação (Ascom), em nota, o problema é pontual. “Devido à demanda de matrículas na unidade educacional, houve a necessidade de transferir alguns alunos do prédio-sede para o anexo, que funciona na antiga Escola Renascer. A transferência gerou transtornos pontuais, mas a ação foi tomada para melhor atender aos estudantes”.

Tal demanda é comprovada, já que este é o segundo anexo que a Semed teve que providenciar para a escola Olga da Silva, que fica localizada em uma das regiões mais populosas da cidade. Os reparos no prédio do anexo estão sendo providenciados para que as aulas tenham início ainda esta semana, informou a Ascom.

Situação na Palmares II

O impasse na escolha dos gestores das escolas públicas na Palmares II, que culturalmente é realizada pela comunidade escolar e neste ano teve interferência da vereadora Eliene Soares no processo, conforme matéria publicada pelo Blog anteriormente, gerou o atraso no início das aulas naquela localidade.

De acordo com um comunicado da Coordenação de Representantes de Setores da Comunidade, em reunião realizada na última quinta-feira (19), quando estiveram presentes o prefeito Darci Lermen, seu chefe de Gabinete e o secretário de Educação, foi orientado que a aulas iniciassem apenas nesta terça-feira (24), depois da definição de quem serão os gestores escolares. O comunicado diz também que “Darci reafirmou o compromisso de respeitar as decisões da nossa comunidade, acerca das eleições diretas para direção escolar”.

Dos bastidores da Semed chega a informação de que a escolha das direções das escolas municipais – todas elas – foi usada como moeda de troca com os vereadores, o que faz notar que os antigos métodos praticados na política local não sofreram a mudança anunciada.

Parauapebas

Darci Lermen anuncia amanhã seu secretariado com pelo menos um nome polêmico

Antigo companheiro de Darci, Totô do MST será nomeado Secretário de Produção Rural de Parauapebas

Em Parauapebas, o prefeito eleito Darci José Lermen agendou para amanhã, 28, o anúncio oficial dos 17 secretários que comporão o seu governo. O Blog já adiantou alguns nomes aqui (Keniston Braga na Sefaz, Bonetti no gabinete, D. Silvana na Semob, João Correa na Seplan, Pastor Guerreiro na Semas e Dr. Frncisco na Semsa), todos confirmados por Darci. E nessa véspera de anúncio adianta outros possíveis.

Nomes que se envolveram na vitoriosa campanha eleitoral de Darci farão parte, pelo menos nesse primeiro momento (no melhor estilo “se tiver competência fica”) por pura gratidão e para manter os compromissos políticos feitos durante a pré-campanha.

Um deles é o de Cássio “Flausino” André de Oliveira, presidente municipal do PMDB, que deverá ser o secretário de Administração; de Wandernilson Costa, o Popó, presidente municipal do Rede Sustentabilidade, que deverá assumir  a Secult; Flavio Veras, do PRP, que deverá assumir a Secretaria de Mineração.

O ex-companheiro de Darci no PT, Raimundo Neto, deverá ser o secretário de Educação. Angêla Massud assumirá a secretaria de Mulher; já o engenheiro Edmar estará a frente da Semurb e Laurecy da Semel.

O radialista Laércio de Castro será o gestor da Assessoria de Comunicação.

O PTN dirigirá a secretaria de segurança institucional, provavelmente com Maike do PTN.

Cristiano Cesar de Sousa, que compôs o grupo de transição vai para a Controladoria.

Dr. Cláudio Morais será o Procurador Geral do Município.

O nome mais polêmico a ser anunciado amanhã, sem dúvida é o de Eurival Martins Carvalho para a secretaria de Produção Rural. Pra quem não conhece, Eurival é conhecido por Totô. Ele é líder do MST na região e acusado por fazendeiros de ser o principal articulador de invasões de terras na área do Carajás, assim como mantém uma relação conflituosa com a Vale, já que foi o responsável por dezenas de interdições da Estrada de Ferro Carajás ao longo dos anos.  Totô é assentado do Incra na Rio Branco e vizinho de terras do prefeito eleito, com quem tem uma ótima relação desde a época do Darci petista. Essa nomeação, de início, traz um esquente na relação entre o futuro governo e a classe ruralista, além de colocar a Vale em posição de alerta.

Vamos ver quantos destes irão realmente vingar, já que anúncio de secretariado é como nuvem no céu, muda a todo o instante.

Atualização às 17 horas

Recebemos há pouco convite da Assessoria de Imprensa de Darci Lermen comunicando que a coletiva para o anúncio oficial do secretariado está marcada para o dia 29 de dezembro, às 10 horas no auditório do IFPA em Parauapebas, em evento exclusivo para a imprensa.

INCRA

Saudado por ruralistas, Asdrubal toma posse no Incra. MST, Fetagri e CPT ficam com pé atrás

"Na minha vida inteira nunca possui terra e minha sina sempre foi cuidar das terras dos outros”, disse, Asdrubal em sua posse

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

A posse do novo superintendente do Incra em Marabá, Asdrubal Mendes Bentes (PMDB), ocorrida na manhã desta sexta-feira, 23, foi um dos eventos mais concorridos do ano na Câmara Municipal de Marabá. Mais de 300 pessoas, entre ruralistas, prefeitos, vice-prefeitos, empresários e um batalhão de assessores de toda a natureza estavam no local para prestigiar a cerimônia, marcada pela presença do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), e ainda de Rogério Papalardo Arantes, diretor de Ordenamento da Estrutura Fundiária do Incra nacional.

Por outro lado, o MST, Comissão Pastoral da Terra e Fetagri se posicionaram contrários à posse de Asdrubal, que eles consideram um retrocesso no caminho da reforma agrária por sua longa história de proximidade com os latifundiários. O único movimento social que declaradamente apoiou e até fez lobby para que Bentes assumisse o cargo foi a Fetraf (Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar). Um dos líderes, Chico da Cib, esteve presente à cerimônia.

Procurada pela Reportagem do blog, Ayala Ferreira, membro da coordenação estadual do MST, disse que não apenas a entidade que ela representa, mas também CPT (Comissão Pastoral da Terra) e Fetagri (Federação dos Trabalhadores na Agricultura) estão preocupados com os destinos da reforma agrária em 2017.

Ayala explica que a temeridade dos três movimentos sociais iniciou-se quando Michel Temer assumiu o poder meses atrás. Quando mudou o comando do governo federal, passamos a ficar preocupados mais ainda para saber quem, do grupo político de Temer, assumiria a gestão do Incra em Marabá. “Historicamente, o comportamento de Bentes sempre foi de proximidade com os latifundiários nesta região, seja como representante do antigo Getat ou mesmo como deputado federal. Não temos grandes expectativas por uma política de reforma agrária adequada a ser implementada pelo Asdrubal ou por qualquer pessoa vinculada ao governo federal. O que vamos ver, acredito, é uma contra-reforma agrária”, sustentou Ayala.

A coordenadora estadual do MST disse ainda que espera que, mesmo diante deste cenário, Asdrubal não fuja do diálogo com os movimentos sociais, o que será importante para discutir as pautas existentes na região. Questionada a comentar sobre o posicionamento da Fetraf ao lado de Asdrubal, Ayala Ferreira disse que tanto o MST quanto Fetagri e CPT pretende convidar os líderes da Fetraf para conversar e saber o que gerou o deslumbramento com a chegada de Asdrubal.

Durante a cerimônia de posse, Asdrubal usou parte do seu discurso para elogiar ruralistas e presidentes de sindicatos de pecuaristas, observando que seu desafio será enorme diante das demandas gigantes que a Superintendência do Incra tem na região e a pequena quantidade de servidores no Incra. “Vamos dialogar com os movimentos sociais, sim. Na minha vida inteira nunca possui terra e minha sina sempre foi cuidar das terras dos outros”, disse, referindo-se às outras duas ocasiões em que trabalhou à frente de órgãos fundiários.

Por outro lado, o superintendente Asdrubal Bentes não deixou de dar uma alfinetada em seus novos comandados, avisando que não vai compactuar com servidores que recebem dinheiro para executar serviços pelos quais já recebem salários. “Vou determinar investigação e, se ficar comprovada a participação, vamos exonerar”, avisou.

Aos 77 anos de idade, Asdrubal Bentes foi o segundo gestor do Getat (Grupo Executivo das Terras do Araguaia Tocantins) com sede em Marabá, entre os anos de 1985 e 1986. Acumulou seis mandatos como deputado federal e chegou também a atuar como superintendente de Pesca no Pará. Este ano, ele concorreu ao cargo de vereador no município de Marabá, mas não alcançou nem 800 votos. Pouco, para um político que já garimpou na mesma cidade mais de 50 mil votos para deputado.

Também participaram da cerimônia os deputados federais Elcione Barbalho e Beto Salame, o estadual João Chamon Neto, o presidente da Câmara Municipal de Marabá, Miguel Gomes Filho, entre outras autoridades.

Reforma Agrária

MST invade, depreda e queima propriedade rural no município de Eldorado dos Carajás, palco de massacre em 1996

Atualizada

Na madrugada da sexta-feira, 28, cerca de trinta homens ligados ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terras – MST, armados com espingardas, facões e foices, invadiram a Fazenda Serra Norte, localizada cerca de a 3 km da sede do município de Eldorado do Carajás.

Funcionários da fazenda e seus familiares foram feitos reféns, a maioria formada por mulheres e crianças. Entre elas, uma criança especial foi ameaçada de morte a todo momento. Algumas esposas também foram desrespeitadas e coagidas psicologicamente e sexualmente, mas, segundo relatos, não houve estupro.

Os invasores chegaram de surpresa na sede da fazenda e mandaram que todos se ajoelhassem. Posteriormente foi dada uma ordem para que retirassem a mobília dos imóveis, dando-lhes 30 minutos para tal ação. Logo depois os invasores atearam fogo em casas, máquinas e equipamentos da fazenda.

A Polícia Militar de Eldorado dos Carajás foi avisada e compareceu imediatamente ao local. Todavia, os incasores correram em direção à invasão, localizada a alguns quilômetros da fazenda, em um local privilegiado geograficamente, de onde é possível acompanhar de longe qualquer movimentação de veículos vindos pela PA 275.

A PM orientou a todos que registrassem um Boletim de Ocorrência na delgacia de Eldorado dos Carajás.

A PMPA também prestou segurança e apoio às famílias durante a retirada de seus pertences para um local seguro. Algumas famílias ficaram em Eldorado e outras em Curionópolis.

Com a saída dos trabalhadores, a PM vem realizando rondas periódicas na sede da propriedade na tentativa de coibir mais depredações.

Hoje pela manhã fazendeiros da região começaram a se reunir com o propósito de retirar do local os invasores. A PM monitora a situação na fazenda, inclusive com uso de helicóptero.

O clima é de tensão no local.

Eldorado dos Carajás é mundialmente conhecido em virtude do confronto entre a PM do Pará e pessoas ligadas ao MST acontecido em 17 de abril de 1996, quando 19 sem terras morreram após ação da PM para desobstruir a então PA-275, hoje BR-155, bloqueada pelo Movimento que reivindicava a desapropriação de áreas da região para a Reforma Agrária.

Atualização às 17 horas

Uma operação sob o comando da Delegacia de Conflitos Agrários – DECA – que contou com três guarnições do GTO e do Grupamento Aéreo da PM, sob o comando do Major Alan, foi realizada na tarde deste sábado (29) na sede da referida Fazenda e apreendeu 24 pessoas do movimento MST por esbulho e depredação dos imóveis. Foram ainda apreendidas 4 motos, 2 armas caseiras, pólvora, espoleta, fações e canivetes. Nesse momento ocorre a averiguação no assentamento sendo fator prejudicial o mal tempo na área. Os procedimentos policiais envolvendo as pessoas detidas serão instaurados na 20ª Seccional de Parauapebas.