Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Publieditorial

Em Parauapebas, a Optima Medicina Especializada é referência em saúde

Fundada em 2011 em Parauapebas, a Optima Medicina Especializada é reconhecida pelo que há de mais moderno em saúde ocular. Na cidade, foi a primeira a oferecer em um mesmo espaço diferentes especialidades da Oftalmologia. Com uma equipe de seis médicos oftalmologistas e uma unidade cirúrgica própria, a Optima realiza atendimentos de oftalmologia clínica, exames oftalmológicos computadorizados, cirurgias simples e de alta complexidade para cataratas, pterígio, glaucoma e retina, além da venda de lentes de contato.

A Optima, além da oftalmologia, possui médicos especialistas nas áreas de gastroenterologia, coloproctologia, clínica geral e aparelho digestivo.

O empreendimento pertence à oftalmologista e especialista em clínica e cirurgia, Dra. Cecilia Sanches, que chegou a Parauapebas em 2003. Ela é formada pela Faculdade de Medicina de Marília (Famema), no Estado de São Paulo, e fez especialização na capital paulista, onde ficou por três anos fazendo residência. Depois morou na cidade de Jundiaí (SP) onde trabalhou por oito anos.

Com a experiência adquirida e o desejo de apostar em novos desafios, ela decidiu morar em Parauapebas com o marido, também médico, Rômulo Pereira Maia, e os dois filhos.

No início trabalhou com o oftalmologista Hipólito Reis e posteriormente montou seu primeiro consultório, no Hospital São Sebastião. Mas foi como empresária de Parauapebas, que ela decidiu fazer o maior investimento da carreira, trazendo especialidades da saúde ocular, que eram carentes na cidade. Assim, construiu o prédio que abriga a Optima Medicina Especializada, um espaço moderno, amplo e de conforto com três andares localizado na Rua H, nº 251, no bairro União.

Na área térrea, funciona a clínica, que atende cerca de 80 pessoas por dia com tratamentos da visão. “Quem busca atendimento para problemas com a visão passa antes por uma triagem, que detecta o problema e depois é encaminhado para o especialista adequado”, explica a doutora Maria Cecília.

Ainda no primeiro andar ficam outras especialidades, como a Clínica Geral, coloproctologia, gastroentereologia, cirurgia do aparelho digestivo, além dos exames como colonoscopia, retossigmoidoscopia, endoscopia digestiva, ultrassonografia e cardiologia.

No segundo andar funciona o centro cirúrgico. “Depois que decidimos ter uma sede própria, nosso objetivo foi garantir aos nossos clientes, qualidade e confiabilidade para os seus tratamentos. E o resultado desse investimento é o reconhecimento pelos serviços realizados na cidade. Hoje, não atendemos só os moradores de Parauapebas, mas também de cidades vizinhas, como Marabá”, destacou Cecilia.

Com seis anos atuando na cidade, a Oftalmoclínica já é referência no tratamento da saúde ocular na região, e passou a ser contratada para terceirizar os serviços de oftalmologia na medicina ocupacional. Entre os clientes, está a empresa Mineradora Vale. “Desde 2005 a gente faz atendimento oftalmológico no Hospital Yutaka Takeda, no Núcleo Urbano de Carajás. Nós levamos a nossa equipe inteira para atender os funcionários da Vale. Também atendemos as clínicas especializadas em Medicina do Trabalho em Parauapebas, tais como o Censo, Prossoma e Climop”, destaca a médica.

João Carlos Ferreira, empresário em Curionópolis, faz anualmente suas consultas na Optima Medicina Especializada e se diz muito satisfeito com o atendimento, pontualidade e eficiência do trabalho que vem recebendo. “ Tempos atrás eu deixava para atualizar meus exames oftalmológicos quando saia de férias, mas há 3 anos tenho os realizado aqui na Optima e o que posso dizer é que os serviços oferecidos pela clínica não deixam nada a desejar aos grandes centros brasileiros por onde eu já me consultei. Eu, com certeza, recomendo a Optima!”.

Para Maria Cecilia, o sucesso do trabalho realizado na sede da Optima Medicina Especializada se dá em virtude da equipe de profissionais qualificados e de equipamentos de última geração. Maria Cecília e sua equipe médica querem crescer ainda mais nos próximos anos, trazendo mais subespecialidades e especialidades para a região.

Todos os anos participamos de congressos e adquirimos equipamentos novos. A oftalmologia é uma especialidade muito dinâmica. Surgem sempre coisas novas, tratamentos novos e estamos sempre buscando nos atualizar. Queremos o melhor para Parauapebas e região”, salientou Dra. Cecília.

Serviço

Optima Medicina Especializada

Rua H, Bairro União, n 251, bairro União – Parauapebas.

Atendimento particular e aos convênios Unimed, Vale e Aspeb.

Parauapebas

Semana da Saúde Visual atenderá munícipes de Parauapebas

Na próxima segunda-feira (18) inicia a Semana de Saúde Visual. A ação é promovida pela Primeira Igreja Batista em Parauapebas em parceria com a ONG BSM Saúde. A iniciativa tem como proposta oferecer exames oftalmológicos gratuitamente aos moradores de Parauapebas.

Semana de Saúde

De acordo com Elton Braga, um dos organizadores da ação, serão disponibilizados cinco dias de consultas e cinco tipos de exames oftalmológicos, entre eles; retinografia, fundoscopia, tonometria, acuidade visual e refração computadorizada.

Elton ressalta que essa é a primeira vez que o evento acontece em Parauapebas, mas já foi realizado em Tucuruí, e a proposta é realizá-lo também em Canaã dos Carajás e outras cidades da região de Carajás.

“Temos profissionais qualificados e equipamentos de última geração para atender a população. Qualquer pessoa a partir de oito anos de idade pode participar e os pacientes diagnosticados com glaucoma receberão os medicamentos de forma gratuita”, explica Elton Braga.   

A ação se estenderá até sexta-feira, 22 de janeiro, na sede da igreja localizada na Rua 10, nº 229, bairro União, no horário de 8h às 12h e de 14h às 18h.

Marabá

Médico abandona atendimento de catarata em Marabá por falta de pagamento do município

Por Paulo Costa – de Marabá

A única clínica que mantinha convênio com a Secretaria Municipal de Saúde de Marabá (SMS) para cirurgias de catarata paralisou o atendimento e avisa que não pretende voltar atrás. O caso revoltou vários vereadores, alguns dos quais usaram a tribuna da Câmara Municipal nesta terça-feira para criticar a forma como o prestador de serviço vinha sendo tratado e para cobrar da administração uma solução urgente para o caso porque mais de 2.000 idosos estão na fila de espera pela cirurgia. Mais de 300 deles já tinham passado por triagem e aguardavam apenas o procedimento cirúrgico.

O vereador Pastor Elói Ribeiro lamenta a situação vexatória e reclama da falta de interesse do município em solucionar o problema, uma vez que a cirurgia custa R$ 700,00 pelo SUS e R$ 4.000,00 no particular. Como o repasse que o governo faz é muito baixo, nenhum outro oftalmologista em Marabá tem interesse em prestar o serviço. “A comunidade carente nos cobra e precisamos dar uma resposta, não podemos ficar parados vendo nossos ‘velhinhos’ ficando cegos sem tomarmos  nenhuma medida”, disse pastor Elói.

Pedro Correa Lima, que já foi secretário municipal de Saúde, é outro vereador que se diz indignado com situação. Ele disse que apesar dos esforços de uma comissão de vereadores ter ido à clínica do médico Luiz Madeira pedindo que ele relevasse a situação, este não voltou atrás de sua decisão e mostrou-se magoado com a forma com que tem sido tratado pela gestão atual da Prefeitura de Marabá. “Por falta da regularidade no pagamento, ele deixou de prestar o serviço”, lamenta Pedro Correa.

Miguel Gomes Filho, outro vereador que já atuou como secretário de Saúde da gestão de Sebastião Miranda Filho, diz que nunca tinha visto isso acontecer na história recente da política de Marabá. Para ele, falta gestão ordenada da Secretaria de Saúde e crê que dificilmente Marabá vai conseguir outro profissional dessa especialidade para atender os casos urgentes e graves de catarata e outros procedimentos de oftalmologia. “Esse recurso é federal, não consigo compreender e conceber o porquê disso estar acontecendo, se o dinheiro já estava  depositado na conta da SMS. Isso prejudica as  pessoas de mais idade que estão querendo enxergar. O serviço público não consegue minimamente ser competente”, alfineta Miguelito.

Em carta endereçada aos vereadores nesta terça-feira, o médico Luiz Madeira fala em “atrasos rotineiros no repasse dos recursos referentes às faturas e revelou que sua empresa já estava amargando títulos em protesto em cartório, nome da mesma no Serasa e atraso no  pagamento de funcionários da clínica. O médico também relata na missiva falta de compromisso e respeito para com o prestador de serviço e a falta de justificativa plausível para os atrasos sucessivos no repasse dos recursos. Ele diz que 70% a 80% do seu  tempo era dedicado ao atendimento de pacientes do SUS e que se desdobrava para atender a falta de outros profissionais para atender a grande demanda por serviços.

Entre os meses de abril e maio, realizou mais de 200 cirurgias de catarata. “Há dez anos eu atendia pelo SUS em Marabá e saio com o sentimento de dever cumprido, apesar do desestímulo proporcionado pelo tratamento público com nossa pessoa”.

O secretário municipal de Saúde, Nagib Mutran Neto, que também é médico e vereador licenciado, disse que lamenta a atitude do colega oftalmologista e alega que o atraso no repasse do recurso aconteceu por apenas dois dias, tempo que ele considera normal no serviço público. Informou ainda que a SMS está estudando outra forma de resolver o problema das cirurgias de catarata para centenas de pacientes que estão na fila de espera.

error: Conteúdo protegido contra cópia!