Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
jacundá

Ônibus colide de frente em caminhão madeireiro na PA-150

Mesmo após a batida, o caminhão não parou para prestar socorro, desaparecendo na escuridão
Continua depois da publicidade

O motorista Laurival Oliveira Costa dirigia um ônibus de aluguel placa OCT 5008, de Belém, pela rodovia PA-150 com destino a Jacundá quando se deparou com um caminhão madeireiro. A colisão foi inevitável. A parte frontal do veículo ficou totalmente destruída. Felizmente, não houve vítimas fatais, motorista e passageiros saíram ilesos.

Segundo o cabo PM Luís, a guarnição da Polícia Militar Rodoviária foi acionada por volta de 5h desta segunda-feira, 9, pelo motorista do veículo. “Quando chegamos ao local constamos a gravidade do acidente, mas ficamos felizes porque a única vítima era o ônibus que ficou com a frente totalmente danificada”.

Em Boletim de Ocorrência, o motorista Laurival detalhou que dirigia pela rodovia estadual e próximo da cidade de Jacundá, cerca de 15 quilômetros, logo após o Rio Mojuzinho, não percebera que um caminhão madeireiro carregado com toras trafegava em baixa velocidade e sem qualquer sinalização. “Impossível perceber a presença daquele caminhão, pois todas as lanternas estavam apagadas”.

O motorista ressalta que o ônibus ficou preso em uma tora de madeira que ultrapassava a carroceria e que mesmo assim o condutor do caminhão não parou. “Quando o ônibus se desprendeu da tora, o motorista continuou dirigindo até desaparecer na escuridão”.

O policial militar disse à reportagem que veículos madeireiros nessas situações são comuns pela rodovia. “Constantemente flagramos caminhões em situação irregular, o que pode causar acidentes. Eles são multados, mas continuam rodando de forma irregular”.

Transporte

Setran constrói desvio na PA-150 para não interromper o tráfego enquanto ponte de concreto é recuperada

Parte de uma viga de ferro será trocada e reforçada. O trabalho deve durar uma semana.
Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

A Setran (Secretaria de Estado de Transportes) não conseguiu recuperar a ponte de madeira ao lado da ponte de concreto que cedeu no último fim de semana, entre Jacundá e Marabá, na Rodovia PA-150, no Rio São Domingos.

Segundo o engenheiro Jorge Siqueira Andrade, chefe do 5º Núcleo Regional, toda a madeira foi roubada e a alternativa para o desvio está sendo fazer um aterro para dar condição de passagem aos carros já que a ponte de concreto será interditada amanhã.

Exame mais minucioso constatou que a ponte cedeu porque uma viga de ferro que sustenta o equipamento, no sentido longitudinal, amassou, provavelmente, pela passagem de um veículo muito pesado. “A partir de amanhã, quarta-feira (4), a ponte começa a ser recuperada. Vamos cortar a parte da viga que amassou, trocar e fazer um reforço”, detalhou ele, afirmando que esse trabalho deve durar uma semana “ou menos”.

Durante o dia de hoje somente carros pequenos estavam passando pelo lado da ponte que não está danificada, com o tráfego sendo controlado pela Polícia Rodoviária Estadual. Segundo Jorge
Andrade, nos dois sentidos na estrada há fila de caminhões aguardando a conclusão do desvio que acontecerá amanhã ainda pela manhã, quando o tráfego será liberado.

Transporte

Setran vai reconstruir ponte de madeira para que o tráfego não seja interrompido na PA-150

Estudo começa a ser feito hoje para determinar o que causou defeito na ponte de concreto e que providências serão tomadas.
Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

A Setran (Secretaria de Estado de Transportes), por meio do 5º Núcleo Regional, começa a providenciar nesta terça-feira (3) a recuperação da antiga ponte de madeira ao lado da ponte de concreto cuja junta de dilatação cedeu no último fim de semana, na Rodovia PA-150, entre Marabá e Jacundá, a 15 km desta, no Rio São Domingos. A informação foi passada no início desta manhã ao Blog pelo engenheiro Jorge Siqueira Andrade, chefe da Regional.

O objetivo é criar um desvio para o tráfego, pois a ponte de concreto, construída em 2013,  será interditada enquanto o problema é resolvido.

Jorge Andrade acredita que a junta de dilatação tenha sofrido o afastamento devido a um recalque em uma das estacas, mas essa hipótese ainda precisa de confirmação após exame minucioso para que se chegue a um diagnóstico exato.  “A partir daí é que vamos estudar como será essa recuperação, que técnicas serão aplicadas para que a ponte seja restaurada na parte em que houve o afastamento da junta de dilatação”, antecipou ele.

O engenheiro disse esperar que a antiga ponte de madeira ainda esteja em condições de tráfego, pois, em geral, as peças são roubadas assim que são desativadas com a construção das pontes de concreto. Caso contrário, a ponte de madeira será imediatamente reconstruída para que o tráfego não seja interrompido na PA-150.

Mulher morre após ônibus cair de ponte no sudeste do Pará

Continua depois da publicidade

ônibus

Uma mulher morreu na madrugada desta segunda-feira (5), após um ônibus da empresa Transbrasiliana ter caído de uma ponte na PA-150, entre Goianésia do Pará e Jacundá, no sudeste do estado. De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), ainda não há confirmação do número total de vítimas.

Equipes do Instituto Médico Legal (IML) de Tucuruí estão no local do acidente para fazer a remoção do corpo. As causas do acidente ainda serão investigadas, mas a PRE acredita que o motorista possa ter cochilado ao volante.

De acordo com a Transbrasiliana, o ônibus saiu de Belém no último domingo (4), às 15h, com destino à Parauapebas. Equipes da empresa estão no local do acidente para apurar o motivo do acidente.

Acidente
Em fevereiro de 2014, um ônibus da mesma empresa também se envolveu em um acidente nesta rodovia, deixando três vítimas fatais e 16 feridos. O ônibus tombou na madrugada do dia 28/02, quando seguia de Marabá para Belém.

Fonte: G1-PA  –  Foto: Folha do Bico

Ônibus tomba em rodovia e deixa quatro mortos

Continua depois da publicidade

destaque-275574-po-pg10-acidentetailandiaQuatro pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em um acidente ocorrido com um ônibus intermunicipal da empresa Transbrasiliana na madrugada desta sexta-feira (28), na rodovia PA-150, entre os municípios de Tailândia e Goianésia do Pará, no sudeste do Estado.

O acidente ocorreu por volta das 2h, quando o veículo, que fazia a linha entre Belém e Altamira, tombou em uma ponte localizada na Vila Janari. Quatro pessoas faleceram no local. Os outros passageiros acidentados foram encaminhados para diversos hospitais da região.

A delegacia de Goianésia do Pará solicitou a remoção dos corpos para o IML de Tucuruí. Equipes da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Estadual estão no local do acidente para orientar motoristas e garantir a segurança no local.

Fonte: DOL

PA-150: com a palavra o governador Jatene

Continua depois da publicidade

Hoje, o estado da rodovia PA-150 e de suas pontes é lastimável e mostra o total desinteresse do atual governador com a população do sul e sudeste paraense. Enquanto bilhões de reais em empréstimos são usados para satisfação da Região Metropolitana de Belém, nenhum investimento aqui no sul do Pará. Uma vergonha!!!

Situação da PA-150, que liga a capital Belém ao sul do Pará, em um trecho no município de Nova Ipixuna. Marabá/Pa,Brasil-24/02 / 2011.
Foto: Antonio Cícero/Fotoarena

Denominada rodovia Paulo Fontelles, a PA-150 liga os municípios de Goianésia a Marabá. Começa no entroncamento da PA-475 com a PA-263, e passa pelos municípios de Goianésia do Pará, Jacundá, Nova Ipixuna até chegar em Marabá.  A rodovia possui 432 Km de extensão, com 51 pontes e foi construída para facilitar o escoamento da produção do sul, sudeste e nordeste do Pará, através do porto de Vila do Conde, integrando todos os municípios por onde passa e adjacências.

Perigo nas estradas do Pará

A rodovia PA-150 foi construída e inaugurada na gestão de Jader barbalho e por muito tempo foi considerada a estrada-tronco do Pará porque formou um importante eixo de integração com outras rodovias, como a BR-155/BR-158 (Marabá/Redenção/Santana do Araguaia), na divisa com o estado do Mato Grosso; BR-222 (Marabá/Dom Eliseu), no entroncamento com a BR-010 (Belém-Brasília); e a BR-153 (Marabá a São Geraldo do Araguaia), na divisa com o Tocantins.

Fotos: Antônio Cícero

DNIT vai recuperar BR-155 a pedido do deputado Wandenkolk

Continua depois da publicidade

A Assessoria do deputado federal Wandenkolk Gonçalves (PSDB-PA) informa que o DNIT comunicou ao deputado, via ofício, que acatou o pedido de recuperação de asfaltamento e construção de pontes na BR-155 (antiga PA-150) nos trechos entre os municípios de Marabá e Redenção solicitado no dia 03 de maio e que, para tanto, foi realizada pelo órgão licitação. Na imagem abaixo, o o referido ofício:

ofício do DNIT

Notícias

Projeto de Lei federaliza PA-150 de Marabá até a Alça Viária, em Belém

Continua depois da publicidade

O deputado federal Giovanni Queiroz (PDT-PA) deu entrada na semana passada a um projeto de lei de nº 3.556/2012 que visa federalizar mais uma rodovia no Estado do Pará. O PL inclui na relação do Sistema Rodoviário Federal, integrante do Anexo da Lei nº 5.917, de 10 de setembro de 1973, que aprova o Plano Nacional de Viação, a ligação rodoviária entre Marabá e Belém, no trecho da “ligação do entroncamento da BR 155 com a BR 222 em Marabá/PA até o entroncamento da Alça Viária com a BR 316 em Belém/PA.” A proposição foi subscrita pelo deputado federal Zequinha Marinho (PSC-PA).

A nomenclatura do novo trecho rodoviário será definida pelo órgão do Poder Executivo responsável pelas questões atinentes ao Plano Nacional de Viação.

“Nós, Parlamentares, sabemos da dimensão territorial do Pará, que se estende a 1 milhão 248 mil quilômetros quadrados. Isso é cinco vezes o Piauí e cinco vezes o Estado de São Paulo, uma dimensão territorial extraordinária”, destacou o parlamentar.

Giovanni Queiroz disse que “a federalização se dá porque o Estado é incompetente para gerir os problemas do Estado do Pará.”

Gigante – O Estado do Pará é hoje o segundo maior em extensão territorial do Brasil com um milhão duzentos e quarenta e sete mil Km². Esta enorme extensão territorial implica na necessidade de uma infraestrutura viária capaz de atender minimamente a sua população. Atualmente o povo paraense padece com as péssimas condições de suas estradas, em especial nas regiões oeste, sul e sudeste do Estado, onde diariamente se tem notícias de que mais e mais pessoas falecem em acidentes rodoviários, por causa das péssimas condições de suas rodovias.

Cabe ressaltar também, que o Pará é um dos Estados mais prejudicados pela Lei Kandir, com perdas de sua arrecadação que ultrapassam o montante de dois bilhões de reais por ano, comprometendo seriamente sua capacidade de investimentos em infraestrutura e na área social.

Essa situação ganha mais relevo, quando se verifica que as regiões sul e sudeste do Pará passam por um processo de forte crescimento econômico, principalmente com o processo de instalação do projeto siderúrgico da empresa Vale SA. – a Aços Laminados do Pará (ALPA) em Marabá, assim como, tem-se também o incremento das atividades de oito guseirias, dinamizando todos os demais setores econômicos e pressionando pela melhoria da infraestrutura para escoamento de sua produção.

O eixo rodoviário paraense que atualmente serve essa região é formado pela BR 158 no extremo sul, vindo da divisa do Estado do Mato Grosso até Redenção. E recentemente, com a substituição da PA 150 pela BR 155 no trecho entre Redenção e Marabá, numa extensão de 370 Km (trezentos e setenta quilômetros).

A federalização da PA 150, hoje BR 155, começa a trazer seus efeitos benéficos, com o governo federal já iniciando seus primeiros investimentos, visando dar condições mínimas de trafegabilidade e reduzir a quantidade de vidas ceifadas.

“Assim, a presente proposição visa estender esta mesma BR 155, de Marabá até Belém, em substituição ao último trecho da PA 150 nesta região sul e sudeste do Pará com ligação à capital, numa extensão de 495 km (quatrocentos e noventa e cinco quilômetros), de maneira a assegurar boas condições de integração viária para essa parte da região centro norte do Brasil, que como já dito anteriormente, está crescendo muito e precisa de infraestrutura adequada”, finalizou o autor da proposta.

Íntegra da Proposta: PL 3556/2012

Fonte: Blog do Dep. Giovanni Queiróz