Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Arnaldo Jordy palestra sobre proteção à criança e ao adolescente em Parauapebas

O deputado federal pelo PPS é membro da Comissão de Direitos Humanos na Câmara dos Deputados e presidiu a CPI da Pedofilia na Alepa

Aconteceu na manhã deste domingo (29), no auditório da Semas (Secretaria Municipal de Assistência Social), a palestra “Combatendo à Violência e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes através do Fortalecimento da Rede de Proteção”. O evento, promovido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Parauapebas (Comdicap) e pelo Conselho Tutelar, teve como público-alvo profissionais das áreas de Saúde, Educação e Assistência Social, além de gestores públicos, entidades religiosas, a comunidade em geral e contou com a participação do deputado federal Arnaldo Jordy (PPS), membro da Comissão de Direitos Humanos.

Ao final, Jordy entregou à Semed (Secretaria Municipal de Educação) um ônibus escolar, fruto de emenda parlamentar, atendendo a solicitação do Comdicap, conforme explicou a presidente do órgão, Flávia Pinheiro Serpa dos Santos. “Após levantarmos dados e demandas, pedimos que o ônibus fosse direcionado à Zona Rural, onde há escolas 40 quilômetros distantes das localidades obrigando o aluno a caminhar pelo menos 20 quilômetros para poder estudar”, contou Flávia.

Desrespeito
Flávia disse estar lisonjeada com a presença do parlamentar federal que, em 2010, presidiu da CPI da Pedofilia na Alepa (Assembleia Legislativa do Estado do Pará) e, na Câmara dos Deputados, em Brasílias (DF), presidiu a da CPI do Tráfico de Pessoas, além de ter larga atuação em favor da qualificação dos conselheiros tutelares e da proteção da infância e juventude. Jordy também já destinou um kit para o Conselho Tutelar de Parauapebas com carro, computadores, impressora, refrigerador, bebedouro e ar condicionado, para qualificar o trabalho dos conselheiros. E, agora, além do ônibus escolar, ele tem cadastrada uma emenda para reforma da Escola Municipal “Jean Piaget”.

Ao Blog, Arnaldo Jordy disse a palestra antecipou os eventos do 18 de maio, Dia Nacional de Proteção a Crianças e Adolescentes, hoje vítimas de um modelo de sociedade que, “infelizmente, não respeita devidamente os direitos dessas crianças, violadas nos seus direitos e na sua dignidade sexual. “Nós tivemos uma CPI aqui no Pará em 2010, que revelou números assustadores no Estado. Em cinco anos, de 2005 a 2010, foram mais de 100 mil casos de estupro, violação, exploração de crianças e adolescentes, mais de 20 mil casos ao ano, são dados assustadores”, afirmou ele.

Crime invisível
Jordy lamentou que esse tipo de crime, “infelizmente, seja invisível porque não tem flagrante, não tem testemunha”, é praticado entre quatro paredes e, em mais de 79% dos casos, dentro da própria família, o que dificulta a denúncia. Lembrou que o mês de maio, que se aproxima, é de debates para tentar aumentar a sensibilidade da sociedade para essa tragédia que hoje marca negativamente a vida de milhares de crianças e adolescentes no Brasil inteiro, “mais particularmente aqui no Estado do Pará”.

“Quando presidi a CPI no Estado, o resultado foi prisão para um deputado e empresários”, disse ele, acrescentando que é preciso reforçar os CRAS (Centros de Referência e Assistência Social) a Assistência Social e os Conselhos Tutelares para melhorar a proteção aos direitos fundamentais das crianças e adolescentes. Constitucionalmente – destaca Jordy – crianças e adolescentes são tutelados e devem ser protegidos pelo estado, pela sociedade e pela família, mas, lamentavelmente, no Brasil as nossas crianças estão muito vulnerabilizadas nos seus direitos.

Prevenção
Questionado pelo repórter do Blog sobre o caso de um adolescente de 17 anos que por duas vezes conseguiu emprego, mas, em ambas foi retirado do trabalho pelo Conselho Tutelar, acabou virando assaltante e foi assassinado recentemente, Arnaldo Jordy lamentou e disse que o adolescente, a partir dos 16 anos, pode sim trabalhar, desde que seja na condição de menor aprendiz, em período diferenciado e que não atrapalhe nem interrompa seus estudos.

Sobre o número de mortes violentas de adolescentes em Parauapebas, cada vez mais crescente, o deputado federal disse que é importante que a rede de proteção, formada pelo Judiciário, Ministério Público, Polícia Militar e outros órgãos, funcione também para orientar os pais desses adolescentes, de modo a prevenir essas mortes.

“O Brasil é 5º país com pior distribuição de renda do mundo, 84º em índice de desenvolvimento da educação básica. É uma vergonha que 1% dos mais ricos seja responsável por quase 45% da renda dos brasileiros. Esses fatores todos fazem com que nossas crianças estejam vulnerabilizadas no seu direito de estuar, de ter infância, de ter família, por conta dessas precariedades de infraestrutura e de distribuição de renda. Claro que isso agrava o problema e muito. Porque, em outras sociedades que são mais equilibradas isso não existe”, afirmou Arnaldo Jordy.

O deputado visita, ainda, nos próximos dias, Santana do Araguaia, Marabá, Eldorado dos Carajás, Curionópolis, Belém e Santarém, além de outros 14 municípios.

Reportagem: Ronaldo Modesto

Eventos

Cooperativismo é tema de palestra voltada aos serralheiros de Parauapebas

A iniciativa visa incentivar os profissionais a desenvolverem suas atividades econômicas e conquistarem resultados ainda mais lucrativos

O cooperativismo é um modelo de economia que vem dando muito certo no Brasil. É ideal para profissionais que dispõem de poucos recursos para investir em seu negócio. Diante deste cenário, o ato de cooperar surge como alternativa para driblar as dificuldades financeiras e visar lucros satisfatórios.

Com esta ideia de crescimento e que poderá contribuir significativamente para o desenvolvimento econômico de Parauapebas, foi realizada na última sexta-feira, 23, uma palestra com o tema: Cooperativismo. A ação é uma promoção da Secretaria Municipal de Desenvolvimento.

A palestra ministrada pelo professor de administração rural da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), João Loureiro, foi essencial para ajudar os serralheiros a entenderem como se trabalhar em cooperativas e alcançar resultados positivos. “É conscientizar as pessoas que o cooperativismo é uma maneira de organização social que pode trazer benefícios em vários aspectos tanto para desenvolvimento no município, geração de renda e competitividade nos negócios locais”, destaca o palestrante.

O debate tem como finalidade impulsionar o setor serralheiro em Parauapebas, como vem sendo realizado com os demais setores como moveleiro, joalheiro e distrito industrial do município.  O que pode gerar lucros e iniciativas futuras a esse público que hoje atua de forma independente no município através de cooperativas. “É a busca por conhecimento, entender e fortalecer a categoria. Um deverá ajudar o outro a se desenvolver e encontrar um espaço no mercado”, ressalta Cristofferson Cardoso, coordenador do polo Serralheiro.

Parauapebas conta com cerca de 100 serralheiros atuando em diversos bairros da cidade. Mobilizados através de cooperativas, os profissionais podem trabalhar de uma forma mais organizada. Inclusive, apostando na exportação do produto fabricado por eles no município. “É o que de fato queremos. Seria um ganho enorme para a categoria poder fomentar a economia do município e garantir mais investimentos a esses profissionais que podem se tornar empreendedores de sucesso”, conta Carmélio Anves, presidente da cooperativa dos serralheiros de Parauapebas.

Futebol

Jogadores do Águia têm palestra motivacional antes do treinamento

O time não vai ter folga para o carnaval: o período da folia será de treinos para o Azulão

Eleutério Gomes – de Marabá

Os jogadores do time do Águia de Marabá tiveram ontem (9) uma sexta-feira diferente: nada de academia, nada de campo. O plantel se reuniu em um auditório para um momento de reflexão e conversa com o consultor Emerson Caldas, que tem conduzido o processo de montagem do Plano de Gestão Estratégica com a diretoria do clube. O encontro teve o objetivo de orientar os jogadores sobre o Projeto Águia 2022, e a respeito do papel que cada um tem a desenvolver no restante do Campeonato Paraense 2018.

A consultoria com os 27 jogadores e a comissão técnica contou com a exibição de vídeos motivacionais, apresentação da missão e visão do Águia Futebol Clube, dinâmicas e um momento em que os jogadores puderam expor seus pontos de vista a respeito do momento vivido pelo time. O ponto chave foi levar os jogadores à reflexão do papel de cada um no Campeonato e no projeto do Águia.

O lateral direito Ari foi um dos que usaram o momento para falar como o grupo vem se sentindo após quatro derrotas seguidas: “Eu não estou contente com essa situação. É muito difícil chegar em casa carregando só derrotas, é muito ruim. Estamos tristes com esse momento, por nós, pelas nossas famílias e pela nossa torcida. Mas, esse momento foi muito bom, pois todo aprendizado é bem-vindo e vamos sair daqui com os ânimos renovados”, disse o jogador.

O goleiro Guibson, que entrou na última partida no lugar de Bernardo, que sofreu uma falta grave e teve de ser atendido em um hospital de Castanhal, também compartilhou o que vem passando: “Eu saí de casa cedo, em busca de melhoria de vida para a minha família, assim como milhares de outros jogadores. E agora que estou tendo essa chance, estou dando o meu melhor, mas vou me esforçar mais ainda para realizar o que eu me propus a fazer pelo Águia”, afirmou ele.

No encerramento da consultoria, o juiz trabalhista e conselheiro do Águia Jônatas Andrade falou: “Esse momento que vocês viveram foi inspirador e transformador, especialmente porque temos quatro jogos pela frente. O nosso objetivo maior é o Projeto Águia 2022, quando nós pretendemos levar o Águia à elite do futebol. Temos percalços pelo caminho sim, como este de agora, mas vamos seguir em frente, confiante no trabalho da equipe”, disse ele.

À tarde, os jogadores participaram de treinamento comandado pelo preparador físico Gesiel Pasiani em um campo sintético particular, e assim será todo o período do carnaval. O Águia ainda pode alcançar 12 pontos nas próximas quatro rodadas, enfrentando o Paragominas, no dia 22; o Clube do Remo, no dia 4 de março; o Parauapebas, no dia 10 de março; e o São Raimundo, em 14 de março.

O Blog levantou que há possiblidade de que jogo contra o Paragominas já seja disputado em casa, no Estádio Municipal “Zinho Oliveira”, cujo novo gramado recebe os últimos retoques.

Ainda conforme informações de bastidores, apesar de parte da torcida exigir a saída do técnico João Galvão, o treinador permanece na equipe.

Workshop de Gestão 

O trabalho com os jogadores foi uma continuidade do workshop realizado com a diretoria do clube sobre o Planejamento Estratégico. O encontro, realizado no último dia 6, teve como principal assunto a reformulação da estrutura organizacional administrativa do clube, que objetiva seguir firme com o Projeto Águia 2022.

Participaram desse encontro Sebastião Ferreira Neto, presidente do clube; Pedro Corrêa, vice-presidente, os conselheiros Tony Cunha, Ítalo Ipojucan, Jônatas Andrade, Inaldo Antônio e Dennys Rocha. (Com informações da Assessoria de Comunicação do Águia)

Conselho Tutelar

Conselheiro tutelar não é babá, não é taxista nem fiscaliza festa, diz educadora

Em dois dias de palestras em Marabá, Maduca Lopes desfez equívocos quanto à função dos membros dos Conselhos Tutelares e colocou os pingos nos is
Por Eleutério Gomes – de Marabá    

Esteve em Marabá nos últimos dois dias a educadora e escritora mineira Maduca Lopes, que ministrou importante palestra aos conselheiros tutelares do município, onde desfez um grande equívoco em relação à atuação dos Conselhos Tutelares e de seus integrantes. Ela atua há 20 anos com a causa do menor e do adolescente e, ao longo dos últimos 16 anos, estudou detalhadamente o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), após passar quatro anos, como conselheira, atuando em ações equivocadas nunca previstas na lei e totalmente à margem do que preceitua o Estatuto.

Baseada nessas descobertas, de lá para cá Maduca viaja pelo País ministrando palestras, esclarecendo conselheiros tutelares e os orientando a retirar dos ombros atribuições que não são deles e cobrarem a responsabilidade de quem realmente deve cuidar das crianças e dos adolescentes.

“O Estatuto tem 27 anos e, ainda e infelizmente, é desconhecido pela sociedade como um todo e por grande parte das autoridades. E esse desconhecimento tem feito com que a gente sofra com as consequências da não aplicação dele”, disse ela ao Blog.

Cultura equivocada

Ela mesma, segundo relatou aos conselheiros de Marabá, quando entrou no Conselho Tutelar de Pouso Alegre (MG), o fez com visão de educadora e de que o órgão era repressor, que seus integrantes deveriam ir a escolas acabar com a bagunça nas salas de aula, aos bares verificar se meninos estavam ingerindo bebidas alcoólicas, fiscalizar portarias de locais de espetáculos para proibir a entrada de menores, acompanhar menores desacompanhados em hospitais etc.

“O conselho passou a fazer coisas que são responsabilidade dos pais e isso virou uma cultura no País. E hoje, viajando pelo Brasil, eu percebo a dificuldade que é quebrar essa cultura”, afirma Maduca, acrescentando: “O Conselho não pode ser responsável pela criança e pelo adolescente, ele não é babá, ele não é taxista, ele não fiscaliza festa. Pela lei, o Conselho é responsável sim, por fazer com que os direitos previstos no ECA sejam cumpridos”, afirma ela.

E esses direitos são: o direito à educação, ao lazer, à cultura, à saúde, à convivência familiar. “Então, se esses direitos não estão sendo garantidos, o Conselho Tutelar tem de ser chamado para quê? Para lutar por esses direitos”, afirma Maduca, completando: “A gente não pode colocar o Conselho Tutelar como órgão de repressão”.

Visão destorcida

Ela lembra que, ontem, segunda-feira (27), primeiro dia de palestras, perguntou a um adolescente da plateia o que é o Conselho Tutelar e ele respondeu: “É prisão de criança”. “Então é essa a visão que os alunos têm dentro das escolas. Por quê? Se fizer bagunça, vamos chamar o Conselho Tutelar, mas chamar o Conselho para quê? Qual a função do conselho lá? O que vai mudar no contexto da bagunça?”, questiona, respondendo: “Tenho de chamar são os pais desse menino que está cometendo a indisciplina e a escola tem de ser organizar com os profissionais que ela tem para combater a indisciplina, o Conselho não tem essa função”.

Maduca Lopes acrescenta ainda que o trabalho do Conselho Tutelar é: assessorar o Poder Executivo local na elaboração do orçamento das ações voltadas para as crianças e adolescentes, atuar quando a criança tiver seus direitos ameaçados ou violado por ação da família, da sociedade ou do estado, apontar ao município e ao CMDCA as demandas da criança e do adolescente, zelar verdadeiramente pelo cumprimento dos direitos estabelecidos no Estatuto e requisitar serviços, cumprindo com as suas atribuições.

Novo entendimento

Ela lamenta, entretanto, que cada cidade esteja trabalhando de um jeito, com entendimento equivocado, com a sociedade e as autoridades cobrando do Conselho atribuições que não são dele, quando a lei é uma só para todo o País.

“Eu estou aqui tentando trazer esse entendimento para os profissionais que aqui estão, para que eles possam fomentar a rede, para que cada um passe a atuar dentro do seu papel, dentro da sua responsabilidade. É a única forma que eu, que atuo nessa área há mais de 20 anos, vejo de a gente conseguir mudanças efetivas no futuro”, observa.

Ela afirma que é preciso esclarecer, fazer com que o Estatuto entre nas escolas, nas associações de bairro, nas reuniões de professores e nas delegacias de polícia, principalmente, para que seja um documento efetivado e aplicado. “É a única forma de a gente conseguir realmente resultados positivos”, enfatiza, deixando bem claro que o Conselho Tutelar tem de, em todas as situações que envolvam criança ou adolescente, cobrar da família e de cada órgão que compõe a rede de proteção, sua atuação dentro do que lhe é atribuído, e não tentar resolver tudo, o que não é obrigação do órgão, como pensam a sociedade e as autoridades.

Os esclarecimentos foram muito elogiados por todos os conselheiros presentes e pela secretária municipal de Assistência Social, que viu as palestras como muito esclarecedoras. André Silva, membro do CMDCA (Conselho Municipal da Criança e do Adolescente), que trouxe a educadora a Marabá, disse que Maduca Lopes mostrou como realmente a lei deve ser cumprida e como cada um deve cumprir melhor suas atribuições.

Maduca, que já proferiu palestra com o mesmo teor em Parauapebas, seguiu de Marabá para Rio Maria, também no Pará e, de lá, vai para Torres, no Rio Grande do Sul.

 

Eventos

Sebrae realiza Seminário Desafios do Crescimento em Parauapebas na próxima quarta-feira (8)

Grande sucesso de público em 2016, o seminário Desafios do Crescimento traz a Parauapebas especialistas em motivação, vendas e liderança.

Os empresários de Parauapebas terão uma ótima oportunidade de conhecer alguns caminhos para ampliar as vendas e oferecer o melhor atendimento aos seus clientes. O assunto será debatido durante o Seminário Desafios do Crescimento, promovido pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae no Pará na próxima quarta-feira, 08, às 18h, no auditório do Instituto Federal do Pará (IFPA). As inscrições podem ser feitas gratuitamente.

Com a tríade inovação, motivação e vendas, o evento traz à cidade duas referências nacionais no assunto e que trarão aos participantes. Janderson Santos é Administrador, especialista em marketing e vendas, Coach e Analista Comportamental, escritor, empresário, palestrante e ilusionista. Janderson Santos é um dos mais jovens palestrantes a se destacar no cenário nacional, sendo reconhecido por seu carisma, criatividade e domínio total de conteúdo e plateia ao falar de vendas e atendimento.

Bruno Miranda é uma das grandes referências no Brasil, Coach com 4 certificações Internacionais, Engenheiro e Administrador com Pós-Graduação e MBA, já foi assistido por mais de 300 mil pessoas nos últimos 4 anos, é empresário, empreendedor e apaixonado por inspirar pessoas.

O evento conta com o apoio da Associação Comercial Empresarial de Parauapebas (Acip) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

SEMINÁRIO
O seminário é uma solução diferenciada dos programas nacionais Sebrae Mais e Na Medida, criada para apresentar novos temas e tendências em gestão para pequenas empresas.

Trata-se de um evento de oportunidades para os pequenos negócios, que continuam crescendo e se desenvolvendo, apesar do cenário atual. A proposta é promover o debate entre empresários para o aprimoramento da gestão, com vistas ao desenvolvimento e à expansão dos negócios.

Desde a sua criação, em 2015, cerca de 5 mil pessoas já participaram dos seminários, que foram realizados em 13 municípios: Belém, Capanema, Bragança, Castanhal, Paragominas, Juruti, Redenção, Xinguara, Marabá, Tucuruí, Cametá, Barcarena, Rurópolis.

O evento também será realizado em Canaã dos Carajás no dia 09/11.

Serviço: Seminário Desafios do Crescimento com palestra sobre “A Mágica das Vendas” com Janderson Santos.

Dia 08/11 (quarta-feira), das 18h às 22h, no auditório da IFPA (Rodovia PA 275, s/n – União- Parauapebas).

Curso

Curso para arquitetos e designers paraenses debate tendências e desafios na Arquitetura

Curso é gratuito e online, no dia 19 de outubro, com duas autoridades nacionais no assunto.

Estudantes e profissionais paraenses das áreas de arquitetura e design que buscam se atualizar sobre as evoluções e transformações da área, bem como sobre as novas tendências, podem participar, na próxima quinta-feira (19) da palestra online “Tendências e Desafios: O que mudou na arquitetura?”, com o arquiteto e urbanista Lorí Crízel e a arquiteta Jannani Eterna. Eles são duas grandes autoridades na área e vão ajudar os profissionais paraenses a identificarem os desafios que aparecem neste momento de modificações e atualizações do mercado.

“Vamos ajudar o profissional a empreender neste mercado e inová-lo cada vez mais”, explica Lorí, que é formado pela Universidade Católica do Rio Grande do Sul, professor da UFRJ e coordenador dos cursos “Master em Arquitetura & Lighting” e “Design de Interiores – Ambientação e Produção do Espaço”, do IPOG.

Segundo a organização do evento, para participar e acompanhar a transmissão online e ao vivo, basta preencher um formulário de inscrição na landing page do evento. Após isso, a pessoa inscrita receberá um e-mail de confirmação e o link para acompanhar o webinar na data prevista, às 16h30.

O objetivo do webinar é levar a estudantes e profissionais conteúdo inovador voltado para o mercado em que atuam. “Desta vez, os paraenses podem esperar um bate-papo descomplicado sobre uma das áreas mais promissoras da atualidade. Além disso, os palestrantes prometem uma abordagem de experiências, dicas, relatos e novos ângulos sobre a arquitetura e o mercado de trabalho”, diz Jannani Eterna.

Serviço: Palestra “Tendências e Desafios: O que mudou na arquitetura?”, voltada para arquitetos e designers paraenses, ministrada por autoridades da área, na quinta-feira (19), às 16h30.

link para Inscrição

efeméride

UFRA realiza palestras em comemoração ao Dia do Agrônomo

Bovinocultura e Cooperativismo no sudeste do Pará são alguns dos temas do evento

Por Dayse Gomes

Os estudantes do Curso de Agronomia da Universidade Federal Rural da Amazônia, no campus de Parauapebas, participam nesta terça-feira, dia 10, do InterAgro, 1º Evento de Integração do Curso de Agronomia na cidade.

As palestras realizadas também serão direcionadas aos produtores rurais e os profissionais da agronomia. A EMATER – Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará – é um dos órgãos convidados pela UFRA para realizar a palestra sobre a atuação dela no estado. Os temas como a importância da assistência técnica nas propriedades rurais, a bovinocultura no sudeste do Pará e o Cooperativismo entre os produtores rurais na região de Carajás são alguns dos assuntos que serão abordados no evento.

O InterAgro busca levar as informações atualizadas sobre a agronomia, e promover a troca de experiencias entre as empresas e os profissionais. O credenciamento começa a partir das 7h da manhã, no Campus da UFRA de Parauapebas.

Parauapebas

ACIP realiza palestra gratuita sobre Reforma Trabalhista

A nova Lei entra em vigor a partir do mês de novembro

 

Nesta quinta-feira, 31, os empresários de Parauapebas vão ter a oportunidade de tirar dúvidas sobre as mudanças na Legislação Trabalhista. A reforma foi aprovada, em julho deste ano, pelo Senado e sancionado pelo Governo Federal. A palestra é gratuita e a iniciativa é da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas, a ACIP.

O palestrante será o advogado e consultor de empresas, Wellington Alves Valente, que vai falar sobre as alterações na legislação trabalhista. “De alguma forma, essas mudanças flexibilizam a relação empregatícia, proporcionando assim, um melhor equilíbrio entre direitos e deveres dos patrões e empregados”.  Para Wellington, como a reforma é recente, ainda há muitas dúvidas entre os empresários como parcelamento de férias, acordos pessoais, intervalo intrajornada, dentre outros. “O maior impacto é a flexibilização das normas, em favor da manutenção e garantia do emprego, mediante a desoneração de algumas obrigações”, conclui.

Hoje, a ACIP conta com quase 700 associados e a expectativa do presidente da associação, Humberto de Araújo Costa, é que os empresários compareçam ao evento e tirem dúvidas agora para não ter problemas futuros, já que a lei entra em vigor, a partir de novembro.

A palestra será no auditório da ACIP, no bairro Rio Verde, às 18h30. As inscrições podem ser feitas pelo telefone (94) 33561871.